TUPI-GUARANI
ASSUNTOS APRESENTADOS
Culinária
 Folclore
 Geografia
 Festas
 Danças típicas
 Curiosidade
 Revelando São Paulo

CULINÁRIA


O peixe, carne, milho cozido, mandioca,o cauim (um tipo de
bebida) faz parte da alimentação dos índios guaran...
FOLCLORE
Mito guarani da criação
A figura primária na maioria das lendas guaranis da
criação é Lamandu (Nhanderu ou Tupã),...
GEOGRAFIA




Segundo a teoria mais aceita pelos estudiosos, os povos
indígenas da América são procedentes de migrações ...
FESTAS




A festa do milho chama-se Ipuã e outra festa bastante
conhecida é o Yreruá. Nesta, os homens tocam taboca,
ca...
DANÇAS TÍPICAS
 Nos seus rituais e crenças, a dança e a música têm um papel


fundamental e uma grande influência na sua...
CURIOSIDADE


A educação indígena é bem interessante. Os pequenos
índios, conhecidos como curumins, aprendem desde
pequen...
REVELANDO SÃO PAULO
Com a proposta de difundir a diversidade da cultura tradicional do
Estado, o Revelando São Paulo, há 1...
OBRIGADA PELA ATENÇÃO!

Realizado por: Barbara Campos Vono – Nº 02
Beatriz Bakk – Nº 03
Briane Moura – Nº 04
Julia Soares ...
Tupi guarani
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tupi guarani

17.351 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.351
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
201
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tupi guarani

  1. 1. TUPI-GUARANI
  2. 2. ASSUNTOS APRESENTADOS Culinária  Folclore  Geografia  Festas  Danças típicas  Curiosidade  Revelando São Paulo 
  3. 3. CULINÁRIA  O peixe, carne, milho cozido, mandioca,o cauim (um tipo de bebida) faz parte da alimentação dos índios guaranis .Tudo o que é caçado ou pescado é repartido entre todos. Por os antigos guaranis viverem perto dos rios e do mar, acabaram introduzindo a canoa de tronco e a jangada para a caçada nos rios.  A erva-mate é o elemento básico da alimentação dos guaranis, cuja tribo se espalhava pelo vasto território banhado sobretudo pelos Rios Paraná, Uruguai e Paraguai.
  4. 4. FOLCLORE Mito guarani da criação A figura primária na maioria das lendas guaranis da criação é Lamandu (Nhanderu ou Tupã), o deus Sol e realizador de toda a criação. Com a ajuda da deusa lua Araci, Tupã desceu à Terra num lugar descrito como um monte na região do Aregúa, Paraguai, e deste local criou tudo sobre a face da Terra, incluindo o oceano, florestas e animais. Também as estrelas foram colocadas no céu nesse momento. Tupã então criou a humanidade (de acordo com a maioria dos mitos Guaranis, eles foram, naturalmente, a primeira raça criada, com todas as outras civilizações nascidas deles) em uma cerimônia elaborada, formando estátuas de argila do homem e da mulher com uma mistura de vários elementos da natureza. Depois de soprar vida nas formas humanas, deixou-os com os espíritos do bem e do mal e partiu.
  5. 5. GEOGRAFIA   Segundo a teoria mais aceita pelos estudiosos, os povos indígenas da América são procedentes de migrações de povos asiáticos, que alcançaram a América através do Alasca. De lá, eles provavelmente desceram ao longo do continente americano, até atingir o extremo sul da América do Sul. Um destes povos diferenciou-se dos demais e desenvolveu uma língua do tronco linguístico macrotupi, no sul da Amazônia. De lá, ele se expandiu no início da era cristã em duas direções. Para o leste, atravessando o interior do Brasil e alcançando o litoral, desalojando as tribos locais que pertenciam linguisticamente ao tronco macrojê. E para o sul, alcançando os pampas argentinos.O grupo que migrou para o leste ficou conhecido como "tupi" e o grupo que migrou para o sul, como "guarani".
  6. 6. FESTAS   A festa do milho chama-se Ipuã e outra festa bastante conhecida é o Yreruá. Nesta, os homens tocam taboca, carregando suas flechas, onde os arcos são retesados como se fossem fazer o lançamento das mesmas. As mulheres, em certo momento da festa, dançam agarradas em seus braços. Em certos momentos são dados gritos que tradicionalmente têm uma conotação guerreira. Para celebrar a primeira menstruação, é realizada a festa da menina moça. A menina fica presa na maloca durante um mês e meio no período de colheita da castanha. Ela fica sem tomar banho e um óleo é esfregado em todo o seu corpo. Ao menstruar novamente, ela avisa a mãe, que repassa ao pai, que espalha para toda a aldeia. Ela sai da rede e é banhada pela tia, que tira todo o óleo do corpo.
  7. 7. DANÇAS TÍPICAS  Nos seus rituais e crenças, a dança e a música têm um papel  fundamental e uma grande influência na sua vida social. O índio dança para celebrar atos, fatos e feitos relativos à vida e aos costumes. Dançam enquanto preparam a guerra; quando voltam dela; para celebrar um cacique, safras, o amadurecimento de frutas, uma boa pescaria; para assinalar a puberdade de adolescentes ou homenagear os mortos em rituais fúnebres; espantar doenças, epidemias e outros flagelos. As mulheres não participam de danças sagradas, executadas pelos pajés ou grupos de homens. São utilizados, ainda, símbolos mágicos, totens, amuletos, imagens e diversos instrumentos musicais e guerreiros em danças religiosas, dependendo do objetivo da cerimônia.
  8. 8. CURIOSIDADE  A educação indígena é bem interessante. Os pequenos índios, conhecidos como curumins, aprendem desde pequenos e de forma prática. Costumam observar o que os adultos fazem e vão treinando. Quando o pai vai caçar, costuma levar o indiozinho junto para ele aprender. Portanto, a educação indígena é bem prática e vinculada à realidade da vida da tribo indígena. Quando a jovem atinge 13 ou 14 anos, passa por uma cerimônia para ingressar na vida adulta.
  9. 9. REVELANDO SÃO PAULO Com a proposta de difundir a diversidade da cultura tradicional do Estado, o Revelando São Paulo, há 16 anos, estimula paulistas do interior e da capital a conhecer sua própria história, contada por meio de suas tradições. Nesta grande festa popular, a pluralidade da mesa paulista, assim como o artesanato, a música, o folclore e as danças tradicionais de várias regiões reúnem-se no mesmo espaço, em uma grande celebração multicultural que envolve 200 municípios.
  10. 10. OBRIGADA PELA ATENÇÃO! Realizado por: Barbara Campos Vono – Nº 02 Beatriz Bakk – Nº 03 Briane Moura – Nº 04 Julia Soares Mota – Nº 21 Lucia Brigatti – Nº 24 8ºB

×