Introdução à literatura

7.521 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação

Introdução à literatura

  1. 1. LITERATURA
  2. 2. A arte que utiliza a palavracomo matéria-prima de suascriaçõesReinventa a realidade comas palavras
  3. 3. ALGUNS CONCEITOS
  4. 4. "Arte literária é mimese(imitação); é a arte que imitapela palavra.“(Aristóteles, filósofo grego,séc. IV a.C)
  5. 5. "A literatura é a expressão dasociedade, como a palavra éa expressão do homem."(Louis de Bonald, pensador ecrítico do Romantismofrancês, início do séc. XIX)
  6. 6. "O poeta sente as palavrasou frases como coisas e nãocomo sinais, e a sua obracomo um fim e não como ummeio; como uma arma decombate."(Jean-Paul Sartre, filósofofrancês, séc. XX)
  7. 7. "É com bons sentimentosque se faz literatura ruim."(André Gide, escritor francês,séc. XX)
  8. 8. "A poesia existe nos fatos"(Oswald de Andrade, poetabrasileiro, séc. XX)
  9. 9. Literatura Segundo o DicionárioLiteratura Segundo o Dicionárioliteratura (Do lat. litteratura.] S.f. 1. Arte de compor ouescrever trabalhos artísticos em prosa ou verso. 2. Oconjunto de trabalhos literários dum país ou duma época.3. Os homens de letras: A literatura brasileira fez-serepresentar no colóquio de Lisboa. 4. A vida literária. S. Acarreira das letras. 6. Conjunto de conhecimentos relativosàs obras ou aos autores literários: estudante de literaturabrasileira; manual de literatura portuguesa. 7. Qualquerdos usos estéticos da linguagem: literatura oral [p.v.] 8.Fam. Irrealidade, ficção: Sonhador, tudo quanto diz éliteratura. 9. Bibliografia: Já é bem extensa a literatura dafísica nuclear. 10. Conjunto de escritores de propagandade um produto industrial.(Dicionário Aurélio Eletrônico)
  10. 10. A literatura reflete asrelações do homem com omundo, portanto à medidaem que essas relações setransformam historicamente,a literatura se transformatambém
  11. 11. A literatura é sensível àspeculiaridades de cadaépoca, aos modos deencarar a vida, deproblematizar a existência,de questionar a realidade, deorganizar a convivênciasocial
  12. 12. As obras de um determinadoperíodo histórico, ainda quese diferenciem umas dasoutras, possuem certascaracterísticas comuns queas identificam
  13. 13. Essas características dizemrespeito tanto à mentalidadepredominante na épocaquanto às formas, àsconvenções e as técnicasexpressivas utilizadas pelosautores
  14. 14. A Literatura, como toda arte, éuma transfiguração do real, é arealidade recriada através doespírito do artista e retransmitidaatravés da língua para as formas,que são os gêneros, e com osquais ela toma corpo e novarealidade. Passa, então, a viveroutra vida, autônoma,independente do autor e daexperiência de realidade de onde
  15. 15. Os fatos que lhe deram àsvezes origem perderam arealidade primitiva eadquiriram outra, graças àimaginação do artista. Sãoagora fatos de outranatureza, diferentes dos fatosnaturais objetivados pelaciência ou pela história oupelo social.
  16. 16. O artista literário cria ourecria um mundo deverdades que não sãomensuráveis pelos mesmospadrões das verdadesfatuais. Os fatos quemanipula não têmcomparação com os darealidade concreta.
  17. 17. gerais, que traduzem antesum sentimento deexperiência, umacompreensão e umjulgamento das coisashumanas, um sentido davida, e que fornecem umretrato vivo e insinuante davida, o qual sugere antes
  18. 18. Através das obras literárias,tomamos contato com a vida,nas suas verdades eternas,comuns a todos os homens elugares, porque são asverdades da mesmacondição humana."
  19. 19. FUNÇÕES DA LITERATURA
  20. 20. FUNÇÃO EVASIVAInstrumento de fuga darealidade
  21. 21. ARTE PELA ARTEBeleza estética
  22. 22. LITERATURA ENGAJADARetórica deconvencimento: defesa deideias políticas, filosóficasou religiosas
  23. 23. LITERATURA BRASILEIRA ERA COLONIAL QUINHENTISMO BARROCO NEOCLASSICISMO SÉCULO XVI SÉCULOS XVII / XVIII SÉCULO XVIIIDescobrimento Bahia Minas GeraisLiteratura Gregório de Matos Cláudio Manuel daInformativa CostaLiteratura Tomás AntônioCatequética GonzagaJosé de Anchieta Basílio da Gama Santa Rita Durão
  24. 24. LITERATURA BRASILEIRA ERA NACIONALROMANTISMO REALISMO SIMBOLISMO PRÉ- MODERNISMO NATURALISM MODERNISMO O SÉCULO XIX SÉCULO XIX SÉCULO XIX SÉCULO XX SÉCULO XXIndependência Machado de Cruz e Sousa Augusto dos Semana 22 Assis AnjosGonçalves Dias Alphonsus de Mário e Oswald Aluísio de Guimaraens Euclides da de AndradeÁlvares de Azevedo CunhaAzevedo Geração de 30 Parnasianismo Lima BarretoCastro Alves Geração de 45 Raul Pompéia MonteiroJoaquim Lobato GuimarãesManuel de RosaMacedo Graça Aranha ClariceJosé de LispectorAlencar
  25. 25. QUINHENTISMOSÉCULO XVI
  26. 26. Quinhentismo ou tambémchamada de literaturainformativa foi vivido, no Brasil,em meio aos interesses daexploração de riquezasmateriais. Assim, exploradores,aventureiros, índios,degredados é que compunhamgrande parte da população doprimeiro século de vida
  27. 27. A Carta de Pero Vaz deCaminha, escrita em 1500 aorei Dom Manuel para darnotícias da nova terra, foiconsiderada a nossa certidãode nascimento. Foi oprimeiro documento escritode que se tem notícia.
  28. 28. LITERATURA DEINFORMAÇÃODe 1500 a 1601
  29. 29. Os aventureiros,entusiasmados com a terrarecém-descoberta, deixarammanuscritos informandosobre o gentio, a vegetação,o clima, a fauna e asriquezas. Daí o nome deLiteratura de Informação oucrônicas de viajantes.
  30. 30. Além das crônicas dosviajantes, havia também apoesia religiosa cultivadapelos jesuítas no trabalho decatequese.
  31. 31. Os representantes maissignificativos da poesiajesuítica do quinhentismobrasileiro são: Padre Manuelda Nóbrega e Padre José deAnchieta. Essas poesiaseram escritas em MedidaVelha ( versos redondilhos )e de temáticas de influênciaainda da Idade Média.
  32. 32. AS CONDIÇÕES PRIMITIVAS DE NOSSA CULTURAFORAM OBSERVADAS PRINCIPALMENTE NOSSEGUINTES TEXTOS:A Carta de Pero Vaz de Caminha.História da Província de Santa Cruz a que vulgarmentechamamos Brasil e o de Pero de Magalhães Gândavo.Diário de Navegação de Pero de Lopes de Sousa.Tratado Descritivo do Brasil de Gabriel Soares de Sousa.Diálogo sobre a Conversão dos Gentios do PadreManuel da Nóbrega.História do Brasil de Frei Vicente do Salvador.
  33. 33. A Literatura Informativa, alémde documentar uma época,serviu como sugestão paratemas de outros estilos literáriosbrasileiros. Isso aconteceusempre que se desejou afirmaruma literatura nacionalista emrelação ao excesso deeuroperização.
  34. 34. Os exemplos dessaretomada dos textosinformativos como temasvêm desde José de Alencaraté Oswald de Andrade,Mário de Andrade, MuriloMendes e Caetano Veloso.
  35. 35. LITERATURA DECATEQUESE
  36. 36. Período de catequizaçãodos índios
  37. 37. Poesia didática - que tinha oobjetivo de dar exemplosmoralizantes aos indígenas
  38. 38. O teatro pedagógico -baseado em textos extraídosda Bíblia; e as cartas deinformação - relatavam, aoslíderes da Igreja CatólicaPortuguesa, como iam ostrabalhos de catequese noBrasil
  39. 39. BARROCOÚLTIMAS DÉCADAS DO SÉCULO XVI ÀSPRIMEIRAS DO SÉCULO XVIII
  40. 40. Nos países de língua latinaem que se manteve ainfluência da Igreja Católica,como Portugal, o Barrocoreflete os ideais daContrarreforma
  41. 41. CARACTERÍSTICAS DOBARROCO
  42. 42. PessimismoDesequilíbrio entre razão e emoçãoDualidade; contradiçãoTendência à ilusão (fuga à realidadeobjetiva, subjetividade)Tendência à alusão (descriçãoindireta)Predomínio de figuras como ametáfora, a antítese, o paradoxo, ahipérbole e o hipérbato
  43. 43. OBSERVAÇÃO:Hipérbato é a alteração daordem sintática normal daspalavras em uma oração.Quando a alteração produzdificuldade de compreensãotemos a chamada sínquise
  44. 44. BARROCOTENDÊNCIAS
  45. 45. Cultismo: caracterizado pelahipertrofia da dimensãosensorial do texto, pelo jogoformal e pelo uso excessivode figuras de linguagem
  46. 46. Conceptismo: caracterizadopela intensa elaboração dadimensão conceitual dotexto, do pensamentoengenhoso e sutil
  47. 47. BARROCONO BRASIL, CHAMADO ESCOLA BAIANA1601 - 1768
  48. 48. O principal autor barroco foiGregório de Matos pelaescolha de temascontroversos
  49. 49. GREGÓRIO DE MATOS“BOCA DO INFERNO”
  50. 50. POESIA RELIGIOSA (SACRA)POESIA LÍRICO-AMOROSAPOESIA SATÍRICA
  51. 51. CURIOSIDADE:O poeta foi apelidado “Bocado Inferno” por suas sátiras epoesias erótico-pornográficas
  52. 52. ARCADISMO OUNEOCLASSICISMOSÉCULO XVIII
  53. 53. Em reação ao Barrocopredominam as tendênciasartísticas e literárias querevalorizam ascaracterísticas da arteclássica
  54. 54. DIFERENÇAS
  55. 55. Arcadismo – poesiaconvencional das arcádias(academias)
  56. 56. Neoclassicismo – busca doequilíbrio clássico e daperfeição formal, repúdio aoselementos decorativos,exploração de temashistóricos e mitológicos
  57. 57. Rococó – última tendênciado Barroco, nas artesplásticas e na arquitetura,em transição para astendências neoclássicas
  58. 58. Pré-Romantismo – últimatendência doNeoclassicismo, jáimpregnada decaracterísticas queprenunciam o Romantismodo século XIX (subjetivismo,pessimismo, emocionalismo)
  59. 59. BOCAGEFase arcádica – poesiaconvencional, presa aoslugares-comuns doArcadismoFase pré-romântica – poesiade tom confessional e
  60. 60. No Brasil, a poesianeoclássica se desenvolveusobretudo na região auríferade Minas Gerais e na novacapital da Colônia (Rio deJaneiro)
  61. 61. CLÁUDIO MANUEL DA COSTA(INICIADOR DONEOCLASSICISMO)TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA(MARÍLIA DE DIRCEU)BASÍLIO DA GAMA (O URUGUAI)FREI JOSÉ DE SANTA RITADURÃO (CARAMURU)

×