Barroco

3.550 visualizações

Publicada em

PPS para as aulas sobre Barroco para os alunos do 2º ano E.M.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Barroco

  1. 1. LITE RATURA Professora Pettine
  2. 2. P O R T U G A L E R A M E D IE V A L E R A C L Á S S IC A XII XV XVI XVII/XVIII XVIII TROVADORISMO HUMANISMO CASSICISMO BARROCO NEOCLASSICISMO 1198/1198 1418 a 1527 1527 a 1580 1580 a 1756 ARCADISMO Até 1418 Resgate dos valores Sá de Miranda (Portugal sob 1756 (fundação da Greco-romanos volta da Itália domínio da (Fernão Lopes guarda- Arcádia Lusitana) Ler os clássicos instaurando a Espanha) mor da Torre do Tombo) 1789 Rev. Francesa Intelectuais medida nova Pe. Antonio Vieira Cantigas – GIL VICENTE - teatro (decassílabos) Bocage líricas/satíricasO Quinhentismo abrange todas as B R A S I Lmanifestações literárias produzidasno Brasil à época de seu Séc. XVI Séc XVII Séc. XVIII“descobrimento”. Movimento paralelo QUINHENTISMOao Classicismo português. Possui idéias BARROCO ARCADISMO 1500relacionadas ao Renascimento, que (1601/1768) NEOCLASSICISMOvivia o seu auge na Europa. Como tema “Descobrimento” (1768 a 1836) “Obrascentral, tem os próprios objetivos Lit. informativa (Prosopopéia de Bentoda expansão marítima: a conquista Poéticas” -Cláudio Carta do achamento Teixeira)material, na forma da literatura Manuel da Costainformativa das Grandes Navegações, e -Pero Vaz de Caminha Gregório de Matos (Glaucestea conquista espiritual, resultante da Tratado da Terra- Peropolítica portuguesa da Contrareforma e (Bahia) Satúrnio)pseudo de Magalhães Gândavorepresentada pela literatura jesuíticada Companhia de Jesus. (1576) -Tomas Antônio José de Anchieta Gonzada (Dirceu) E R A C O L O N I A L
  3. 3. LITERATURA PORTUGUESA E R A R O M Â N T I C A XIX XIX XIX XX ROMANTISMO REALISMO/ SIMBOLISMO MODERNISMO NATURALISMO Revista Orpheu Almeida Garret Eugênio de Castro Fernando Pessoa Camilo Castelo Branco Questão Coimbrã Camilo Pessanha Antero de Quental José Saramago Eça de Queiros
  4. 4. LITERATURA BRASILEIRA E R A N A C IO N A L XIX XIX XIX XX ROMANTISMO REALISMO/ SIMBOLISMO MODERNISMO NATURALISMO Revista Orpheu Independência Eugênio de Castro Fernando Pessoa Gonçalves Dias Questão Coimbrã Camilo Pessanha Álvares de Azevedo Antero de Quental José Saramago Castro Alves Eça de Queiros José de Alencar
  5. 5. LITERATURA PORTUGUESA XIX XIX XIX XX ROMANTISMO REALISMO/ SIMBOLISMO MODERNISMO NATURALISMO Revista Orpheu Almeida Garret Eugênio de Castro Fernando Pessoa Camilo Castelo Branco Questão Coimbrã Camilo Pessanha Antero de Quental José Saramago Eça de QueirosLITERATURA BRASILEIRA XIX XIX XIX XX ROMANTISMO REALISMO/ SIMBOLISMO MODERNISMO NATURALISMO Revista Orpheu Independência Eugênio de Castro Fernando Pessoa Gonçalves Dias Questão Coimbrã Camilo Pessanha Álvares de Azevedo Antero de Quental José Saramago Castro Alves Eça de Queiros José de Alencar
  6. 6. Quinhentismo Literatura no Brasil no século XVI- INFORMATIVA 1500 - 1601 Literatura dos viajantes
  7. 7. O que é Quinhentismo?• Quinhentismo é a denominação genérica de todas as manifestações escritas ocorridas no Brasil durante o século XVI.
  8. 8. • Ainda não podemos falar em literatura do Brasil (que reflete o que pensa o homem brasileiro), mas apenas em produção escrita no Brasil.
  9. 9. • A literatura quinhentista expressa as ambições, intenções e pontos de vista do homem europeu em relação à terra descoberta.
  10. 10. QUADRO E S Q U E M Á T IC O 15 0 0 16 0 1 P r im e ir o s In íc io d ad o c ume nto E ra s s obre o B a rroc a B r a s il P ros opopé i C a rta d e a de P e ro Va z B e ntod e C a m in h a T e ix e ir a
  11. 11. B ARROC O - S E IS C E N T IS M OEm Portugal - 1580 a 1756 No Brasil - 1601-1768
  12. 12. Barroco• Contexto Histórico:• Renascimento XIV – XV- XVI – Racionalismo – Humanismo : pensamento greco-latino – Crítica aos dogmas da Igreja• Reformas Religiosas XVI – Lutero : Alemanha – Calvino : Suíça – Igreja Católica : perda de poder
  13. 13. • Contexto Histórico:• Reforma Católica ou Contra-Reforma• Concílio de Trento• Reafirmação da autoridade papal• Tribunal do Santo Ofício• Inquisição : perseguição• Index : censura
  14. 14. Barroco • Características• 1.Conflito / Dilema / Dúvida – Razão X Fé – Obediência X Experimentação – Renascimento X Idade Média – Antropocentrismo X Teocentrismo• 2.Fusionismo – Tentativa de unir elementos contrários
  15. 15. • 3.Pessimismo – Morte : salvação : culpa• 4.Carpe Diem – Fugacidade do tempo• 5.Feísmo – Culto ao Feio / Trágico / Exagero• 6.Lúdico – Jogo de palavras e imagens
  16. 16. Barroco Características• Cultismo – Jogo de palavras / imagens – Trocadilhos, exageros• Conceptismo – Jogo de idéias / raciocínio – Aparecem juntos muitas vezes !!!
  17. 17. Barroco• Padre Antônio Vieira• Sermões• Temas : – Portugal no contexto europeu – Brasil : • Escravidão do negro • Escravidão do índio • Guerra contra a Holanda – Ato de pregar um sermão
  18. 18. BARROCO • Como marco inicial do Barroco no Brasil temos a publicação da obra Prosopopéia (1601), de Bento Teixeira e vai até metade do século XVIII, até 1768. • Prosopopéia de Bento Teixeira é uma obra que não é bem aceita, pois é uma imitação de “Os lusíadas”.
  19. 19. Momento histórico - Brasil• O quadro brasileiro se completa, no séc. XVII, com a presença cada vez mais forte dos comerciantes, com as transformações ocorridas no Nordeste em consequencia das invasões holandesas e, finalmente, com o apogeu e a decadência da cana-de-açúcar.• AS INVASÕES HOLANDESAS COMEÇARAM EM SALVADOR, EM 1624.• DEPOIS INVADIRAM PERNAMBUCO, EM 1630;• EM 1635 UMA FAIXA DO LITORAL BRASILEIRO DE SERGIPE AO MARANHÃO ESTAVAM SOB O DOMÍNIO HOLANDÊS.
  20. 20. Gregório de Matos ►Salvador - BA► Burocracia portuguesa da colônia ► Elite ► Dificuldade de estabelecer obra ► “boca do inferno” : crítica
  21. 21. Barroco• Gregório de Matos: poesia sacra• Pecado X Perdão• Passagem do tempo – Carpe Diem• Insignificância do Homem perante Deus / Destino• Pedido de perdão : arrependimento
  22. 22. Barroco: arte da contradição e do exagero• O homem barroco vive um desequilíbrio infinito. A todo momento ele conflitua entre céu e inferno; vida e morte; claro e escuro.
  23. 23. A Jesus Cristo, Nosso Senhor, estando o poeta para morrerPequei, Senhor, mas não porque hei pecadoDa vossa alta clemência me despido;Porque quanto mais tenho delinqüido,Vos tenho a perdoar mais empenhadoSe basta a voz irar tanto pecado,A abrandar-vos sobeja um só gemido;Que a mesma culpa, que vos há ofendido,Vos tem para o perdão lisonjeado.Se uma ovelha perdida e já cobradaGlória tal e prazer tão repentinovos deu, como afirmais na sacra história,Eu sou, Senhor, a ovelha desgarrada,Cobrai-a; e não queirais, pastor divino,perder na vossa ovelha a vossa glória. Gregório de Matos
  24. 24. Gregório de Matos : sátiraInterpretação comumente aceita: ►Poeta : crítico “nativista” da sociedade baiana ►Elogio da miscigenação racial ►Postura revolucionáriaInterpretação nova: ►Manutenção das hierarquias sociais ►Crítico da miscigenação racial ►Postura reacionária
  25. 25. Principais nomes da música Barroca:Alessandro Scarlatti (1660 - 1755)Antonio Vivaldi (1678 - 1741)Domenico Scarlatti (1685 - 1757)Johann Sebastian Bach (1685 - 1750)Georg Fridrich Handel (1685 – 1759)

×