SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 24
Baixar para ler offline
Introdução



O Artigo trata da questão de como é composto o campo
do design. A partir da teoria social de Pierre Bourdieu,
sobre a produção de bens simbólicos, trazendo um
novo olhar sobre os limites, a atuação dos designers e
a consagração dos produtos de design.
Em busca de um limite
Em busca de um limite territorial


Designers criam com metodologia projetual própria e,
acredita-se que quanto maior o domínio dessa
metodologia, mais científico e fundamentado é um
projeto.
Para ser aceito no âmbito do design um profissional
deve:
 ter graduação em design;
 ter clientes de “peso” em seu portfólio;
 ter produtos que configurem “bom design”
  (premiados, melhor ainda);
 utilizar em sua prática profissional métodos
  projetuais em design.
O que falar sobre pessoas de outras áreas
que fazem design? Sem as qualificações
acima, são ou não designers?
Para entender essa problemática, deve-se remeter
à origem do design como profissão autônoma...

No cio do c. XX. Surgido da        o da arte,
tecnologia, e atendimento s necessidades sociais...
E em sua        o interfaceando com cada vez mais
 reas de conhecimento,

O design encontra-se ainda em processo de conquista
de seus territórios

Grande parte da sociedade enxerga o design como
arte, ou como técnica, e não puramente design
O design tem
dificuldade em
     conseguir
  delimitar seu
      território.
O design, sendo inter e multidisciplinar, pode fazer com
que não haja clareza sobre os limites de seu campo.


Cipiniuk (2007) afirma que, é preciso desassociar todas
as outras áreas do conhecimento vinculadas ao design
que geram uma crise de identidade, e passar a
considera apenas design, sem limites, concentrando-se
em apenas uma ou outra área do saber perde-se a
riqueza e a essência do design
O campo do design pela teoria de
Pierre Bourdieu

Bourdieu (2006) discorre sobre a amplitude da estrutura
social, que partes constituem uma sociedade, e se
estas partes mantêm entre si outras      es   m da
            o. No campo do design, de acordo com esse
modelo, encontramos diversos veis de produtores
que se estabelecem de acordo com a           o
      lica que os envolve.
No mercado de bens        licos encontramos duas
forças que se encontram:

 Os produtores eruditos, classe que dita marcas de
        o que o percebidas e aceitas pela      pria
classe,    m de produzir suas obras para seus
pares, que       m determinam o seu reconhecimento;

Ea      stria cultural que produz e atende ao grande
 blico.
Quais seriam as regras do campo do design que
implicam em             o do grupo erudito e outras
classes?

No caso do design, podemos considerar um grupo
erudito composto por    ricos da rea, dentre os quais,
professores e pesquisadores; uma elite de designers,
que o legitimados por seus pares;             es fortes
como a ADG e a ADP;      m de poucos       dicos que
    m a credibilidade deste grupo
Esta classe dita os valores   licos que o adotados
pela mesma e que passam a orientar todo o campo do
design em seus diversos veis.

Segundo Bourdieu (2006), as obras do campo erudito o
obras que exigem do receptor uma                o      tica,
enfoques          ficos, e detêm uma estrutura complexa, que
       m exige o conhecimento          rico da estrutura anterior
e, por isso, tornam-se          veis aos detentores do digo
refinado.
 Relação entre as categorias

 Depedem da posição que ocupam

Esta       o, seja por sua vontade ou de forma
inconsciente, comanda sua ideologia e sua      tica e se
manifesta em esforços para transgredi-la e subir na
escala      rquica.
Em um campo de               o cultural existe um blico
que consome as obras, os produtores de bens
culturais, diferentes instâncias de             o que
competem pela legitimidade (              es, academias,
  dia), e a categoria profissional
Analisando a escala       rquica, podemos sugerir que
       m haja veis de projetos em design. Como já
salientado, existe no topo desta escala os designers
“eruditos”, com produtos premiados e reconhecidos.

De acordo com a                 o de Bourdieu, Almeida
(2006, p.106) sugere, em sua pesquisa de mestrado,
um campo de design         logo ao campo da arte e
identifica como o processo de           o de projetos
ocorre:
 Cria-se um “acordo”
 Marginaliza ou censura os desviantes
 luta de forças na sociedade
Em        o a suas     ticas

            -las “ o parte de uma             o
      lica do campo do design para justificar o controle
sobre a          o destes elementos        licos”.
O autor constata que os conceitos propostos pelos
designers para seus projetos, no caso pesquisado – de
marcas e imagens – o o corroborados pelos
aspectos de funcionamento de uma imagem, uma vez
que a          o desta imagem, sendo             da pelos
      pios da gestalt, seria suficiente para isso.
Entretanto,    m das          es funcionais,       o as
       es sociais, tanto de          o e entendimento do
projeto de design por um determinado grupo
consumidor, quanto pela             oe               o por
seus pares.
Um novo olhar sobre o campo
do design

Passamos a identificar        sticas da nossa
essência               design e seus pontos mais
importantes, entender como se processa a
           o de seu campo.

Desta forma, o podemos mais alegar que o design
   o conhecido e nem compreendido pela sociedade
porque o
feito e legitimado para e pelos designers.

A massa da          o consome as         es
        ditado pelos “eruditos” do design.
Um novo olhar sobre o campo
do design

A Partir da teoria de Bourdieu, metodologia projetual unida
ao talento, não bastaria para o sucesso de um projeto.
Deve-se somar a estes fatores questões como; se o projeto
se enquadra nas regras estabelecidas pelo vel erudito do
design a         o do designer na escala     rquica.

Acreditamos que o esclarecimento dado pelo modelo de
    lise do campo de           o       lica de Bourdieu nos
auxilia a compreender nossa       pria atividade e seus limites,
a romper com velhas crenças e a fortalecer a identidade,
criando a unidade entre     tica e essência. A leitura deste
autor deveria fazer parte da          o de todo designer.
http://fiqueligado.com.br/noticias/index/noticia/4477_Assista-novo-spot-
televisivo-do-filme-com-Robert-De-Niro-e-Bradley-Cooper

           http://publicacoesemdesign.files.wordpress.com/2010/08/areas-do-design.png

           http://www.convergencia.jor.br/impressao/janeladeideias/historia.html

           http://goutsdelux.files.wordpress.com/2009/03/617px-manneken_pis_crop.jpg

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Penso, logo, marca proposta oficina bh 2012
Penso, logo, marca   proposta oficina bh 2012Penso, logo, marca   proposta oficina bh 2012
Penso, logo, marca proposta oficina bh 2012Níkolas Espíndola
 
História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00Valdir Soares
 
Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...
Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...
Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...Francisco Gómez Castro
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Léo Dias
 
Um seculo em cartaz
Um seculo em cartazUm seculo em cartaz
Um seculo em cartazVenise Melo
 
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...Rosimeri Pichler
 
Aula01 conceito design
Aula01 conceito designAula01 conceito design
Aula01 conceito designpaulo_batista
 
O Design está aqui
O Design está aquiO Design está aqui
O Design está aquiguest649cf9
 
Projeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambiental
Projeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambientalProjeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambiental
Projeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambientalprofclaubordin
 
Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva
 Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva   Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva
Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva Jucemar Souza da Luz
 
Bourdieu - A Gênese Histórica da Estética Pura
Bourdieu - A Gênese Histórica da Estética PuraBourdieu - A Gênese Histórica da Estética Pura
Bourdieu - A Gênese Histórica da Estética PuraRodrigo
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioErico Fileno
 

Mais procurados (19)

Penso, logo, marca proposta oficina bh 2012
Penso, logo, marca   proposta oficina bh 2012Penso, logo, marca   proposta oficina bh 2012
Penso, logo, marca proposta oficina bh 2012
 
História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00História do Design - Apresentação - Hd00
História do Design - Apresentação - Hd00
 
O que é o design
O que é o designO que é o design
O que é o design
 
Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...
Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...
Projeto 21. Aula 01: 1. Design, A Palavra; 2. O Conceito; 3. A Historia; 4. D...
 
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
Teoria do design aula 01 [conceitos basicos]
 
Design
Design Design
Design
 
Um seculo em cartaz
Um seculo em cartazUm seculo em cartaz
Um seculo em cartaz
 
METODOLOGIA DE DESIGN
METODOLOGIA DE DESIGNMETODOLOGIA DE DESIGN
METODOLOGIA DE DESIGN
 
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
Apresentação_Identidade cultural gaúcha aplicada no desenvolvimento de uma li...
 
Apresentação - Mestrado em Design 2017/1
Apresentação - Mestrado em Design 2017/1Apresentação - Mestrado em Design 2017/1
Apresentação - Mestrado em Design 2017/1
 
Aula01 conceito design
Aula01 conceito designAula01 conceito design
Aula01 conceito design
 
O Design está aqui
O Design está aquiO Design está aqui
O Design está aqui
 
Projeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambiental
Projeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambientalProjeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambiental
Projeto Gráfico Exposição - Elementos de design ambiental
 
Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva
 Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva   Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva
Designer Gráfico - Marcia Eduarda Neise da Silva
 
Experience Design
Experience DesignExperience Design
Experience Design
 
#anovaconstrucaocivil
#anovaconstrucaocivil#anovaconstrucaocivil
#anovaconstrucaocivil
 
Bourdieu - A Gênese Histórica da Estética Pura
Bourdieu - A Gênese Histórica da Estética PuraBourdieu - A Gênese Histórica da Estética Pura
Bourdieu - A Gênese Histórica da Estética Pura
 
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no UsuárioAula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
Aula 1 - Minicurso sobre Design Centrado no Usuário
 
Aba branding 2012 2_f
Aba branding 2012 2_fAba branding 2012 2_f
Aba branding 2012 2_f
 

Semelhante a Os limites do campo do design segundo Bourdieu

05 2.03.jplacido-o-design-diferencia
05 2.03.jplacido-o-design-diferencia05 2.03.jplacido-o-design-diferencia
05 2.03.jplacido-o-design-diferencia+ Aloisio Magalhães
 
Gestão em Design - Conceitos - 01
Gestão em Design - Conceitos - 01Gestão em Design - Conceitos - 01
Gestão em Design - Conceitos - 01Prof.Valdir Soares
 
Abordagens participativas para o design
Abordagens participativas para o designAbordagens participativas para o design
Abordagens participativas para o designNiva Silva
 
THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...
THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...
THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...Sabrina Piancastelli
 
Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...
Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...
Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...Rafael Nascimento dos Santos
 
Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...
Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...
Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...+ Aloisio Magalhães
 
Planejamento de Produto I
Planejamento de Produto IPlanejamento de Produto I
Planejamento de Produto IMarcio Duarte
 
O que é Design Estratégico - Escola de Design Unisinos
O que é Design Estratégico - Escola de Design UnisinosO que é Design Estratégico - Escola de Design Unisinos
O que é Design Estratégico - Escola de Design UnisinosEscola de Design Unisinos
 
Um modelo social de design - Victor Margolin
Um modelo social de design - Victor Margolin Um modelo social de design - Victor Margolin
Um modelo social de design - Victor Margolin Carol Hoffmann
 
Designer de interiores.pdf
Designer de interiores.pdfDesigner de interiores.pdf
Designer de interiores.pdfxiaowu8637
 

Semelhante a Os limites do campo do design segundo Bourdieu (16)

05 2.03.jplacido-o-design-diferencia
05 2.03.jplacido-o-design-diferencia05 2.03.jplacido-o-design-diferencia
05 2.03.jplacido-o-design-diferencia
 
Aspectos da moda
Aspectos da modaAspectos da moda
Aspectos da moda
 
Gestão em Design - Conceitos - 01
Gestão em Design - Conceitos - 01Gestão em Design - Conceitos - 01
Gestão em Design - Conceitos - 01
 
Abordagens participativas para o design
Abordagens participativas para o designAbordagens participativas para o design
Abordagens participativas para o design
 
THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...
THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...
THINKING DESIGN: A reflection on the evolution of the concept of design in ou...
 
Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...
Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...
Apresentaçao do TCC - MÉTODO E CONCEPÇÃO ARQUITETÔNICA: DISCUSSÕES SOBRE O PR...
 
Trajetória Iconográfica
Trajetória IconográficaTrajetória Iconográfica
Trajetória Iconográfica
 
Design thinkingl
Design thinkinglDesign thinkingl
Design thinkingl
 
Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...
Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...
Relações Entre Design e Antropologia no Brasil: Discussões a Partir de uma Tr...
 
Planejamento de Produto I
Planejamento de Produto IPlanejamento de Produto I
Planejamento de Produto I
 
O que é Design Estratégico - Escola de Design Unisinos
O que é Design Estratégico - Escola de Design UnisinosO que é Design Estratégico - Escola de Design Unisinos
O que é Design Estratégico - Escola de Design Unisinos
 
103287 mundos da_moda
103287 mundos da_moda103287 mundos da_moda
103287 mundos da_moda
 
Um modelo social de design - Victor Margolin
Um modelo social de design - Victor Margolin Um modelo social de design - Victor Margolin
Um modelo social de design - Victor Margolin
 
Cv m01
Cv  m01Cv  m01
Cv m01
 
Cv m01
Cv  m01Cv  m01
Cv m01
 
Designer de interiores.pdf
Designer de interiores.pdfDesigner de interiores.pdf
Designer de interiores.pdf
 

Mais de Huxley Dias

Desafios na Adoção de Uma Cultura de Dados
Desafios na Adoção de Uma Cultura de DadosDesafios na Adoção de Uma Cultura de Dados
Desafios na Adoção de Uma Cultura de DadosHuxley Dias
 
Cultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley Dias
Cultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley DiasCultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley Dias
Cultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley DiasHuxley Dias
 
Cultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetrics
Cultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetricsCultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetrics
Cultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetricsHuxley Dias
 
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley Dias
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley DiasEstratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley Dias
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley DiasHuxley Dias
 
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais
Estratégia de Mensuração para Produtos DigitaisEstratégia de Mensuração para Produtos Digitais
Estratégia de Mensuração para Produtos DigitaisHuxley Dias
 
Dados para Revolucionar Negócios Além do Digital
Dados para Revolucionar Negócios Além do DigitalDados para Revolucionar Negócios Além do Digital
Dados para Revolucionar Negócios Além do DigitalHuxley Dias
 
Um Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados) - Huxley Dias
Um Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados)  - Huxley DiasUm Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados)  - Huxley Dias
Um Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados) - Huxley DiasHuxley Dias
 
Track Your World (web analytics para todos) - Huxley Dias
Track Your World (web analytics para todos) - Huxley DiasTrack Your World (web analytics para todos) - Huxley Dias
Track Your World (web analytics para todos) - Huxley DiasHuxley Dias
 
Cultura de Dados - Huxley Dias
Cultura de Dados - Huxley DiasCultura de Dados - Huxley Dias
Cultura de Dados - Huxley DiasHuxley Dias
 
Meritrocracia no marketing digital entendendo os modelos de atribuição - ...
Meritrocracia no marketing digital   entendendo os modelos de atribuição - ...Meritrocracia no marketing digital   entendendo os modelos de atribuição - ...
Meritrocracia no marketing digital entendendo os modelos de atribuição - ...Huxley Dias
 
Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...
Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...
Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...Huxley Dias
 
Métricas + UX - Huxley Dias
Métricas + UX - Huxley DiasMétricas + UX - Huxley Dias
Métricas + UX - Huxley DiasHuxley Dias
 
Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...
Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...
Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...Huxley Dias
 
Teste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley Dias
Teste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley DiasTeste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley Dias
Teste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley DiasHuxley Dias
 
Modelos de Atribuição - Huxley Dias
Modelos de Atribuição - Huxley DiasModelos de Atribuição - Huxley Dias
Modelos de Atribuição - Huxley DiasHuxley Dias
 
RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce
RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce
RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce Huxley Dias
 
Test A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley Dias
Test A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley DiasTest A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley Dias
Test A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley DiasHuxley Dias
 
As 10 heurísticas de Nielsen
As 10 heurísticas de NielsenAs 10 heurísticas de Nielsen
As 10 heurísticas de NielsenHuxley Dias
 
Gerenciamento das comunicações do Projeto
Gerenciamento das comunicações do Projeto Gerenciamento das comunicações do Projeto
Gerenciamento das comunicações do Projeto Huxley Dias
 
Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...
Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...
Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...Huxley Dias
 

Mais de Huxley Dias (20)

Desafios na Adoção de Uma Cultura de Dados
Desafios na Adoção de Uma Cultura de DadosDesafios na Adoção de Uma Cultura de Dados
Desafios na Adoção de Uma Cultura de Dados
 
Cultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley Dias
Cultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley DiasCultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley Dias
Cultura de Mensuração para Produtos Digitais - TDC SP 2018 - Huxley Dias
 
Cultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetrics
Cultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetricsCultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetrics
Cultura de Mensuração para Produto Digitais - PunkMetrics
 
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley Dias
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley DiasEstratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley Dias
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais - UXConfBR 2018 - Huxley Dias
 
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais
Estratégia de Mensuração para Produtos DigitaisEstratégia de Mensuração para Produtos Digitais
Estratégia de Mensuração para Produtos Digitais
 
Dados para Revolucionar Negócios Além do Digital
Dados para Revolucionar Negócios Além do DigitalDados para Revolucionar Negócios Além do Digital
Dados para Revolucionar Negócios Além do Digital
 
Um Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados) - Huxley Dias
Um Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados)  - Huxley DiasUm Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados)  - Huxley Dias
Um Ano de Design Sprint (agilidade, colaboração e aprendizados) - Huxley Dias
 
Track Your World (web analytics para todos) - Huxley Dias
Track Your World (web analytics para todos) - Huxley DiasTrack Your World (web analytics para todos) - Huxley Dias
Track Your World (web analytics para todos) - Huxley Dias
 
Cultura de Dados - Huxley Dias
Cultura de Dados - Huxley DiasCultura de Dados - Huxley Dias
Cultura de Dados - Huxley Dias
 
Meritrocracia no marketing digital entendendo os modelos de atribuição - ...
Meritrocracia no marketing digital   entendendo os modelos de atribuição - ...Meritrocracia no marketing digital   entendendo os modelos de atribuição - ...
Meritrocracia no marketing digital entendendo os modelos de atribuição - ...
 
Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...
Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...
Mensurando a Experiência do Usuário ( A Importância dos Dados Para UX ) - ...
 
Métricas + UX - Huxley Dias
Métricas + UX - Huxley DiasMétricas + UX - Huxley Dias
Métricas + UX - Huxley Dias
 
Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...
Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...
Validação de Modelos de Negócio e Utilização de Dados e Canvas MVC - Hux...
 
Teste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley Dias
Teste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley DiasTeste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley Dias
Teste e Otimização de Interfaces Digitais - Huxley Dias
 
Modelos de Atribuição - Huxley Dias
Modelos de Atribuição - Huxley DiasModelos de Atribuição - Huxley Dias
Modelos de Atribuição - Huxley Dias
 
RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce
RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce
RD Summit 2015 - Teste A/B e Otimização de Conversão em E-commerce
 
Test A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley Dias
Test A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley DiasTest A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley Dias
Test A/B Como Método de Otimização de Interfaces - Huxley Dias
 
As 10 heurísticas de Nielsen
As 10 heurísticas de NielsenAs 10 heurísticas de Nielsen
As 10 heurísticas de Nielsen
 
Gerenciamento das comunicações do Projeto
Gerenciamento das comunicações do Projeto Gerenciamento das comunicações do Projeto
Gerenciamento das comunicações do Projeto
 
Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...
Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...
Contribuição da Ergonomia no desenvolvimento de produto aplicado ao processo ...
 

Os limites do campo do design segundo Bourdieu

  • 1.
  • 2. Introdução O Artigo trata da questão de como é composto o campo do design. A partir da teoria social de Pierre Bourdieu, sobre a produção de bens simbólicos, trazendo um novo olhar sobre os limites, a atuação dos designers e a consagração dos produtos de design.
  • 3. Em busca de um limite
  • 4. Em busca de um limite territorial Designers criam com metodologia projetual própria e, acredita-se que quanto maior o domínio dessa metodologia, mais científico e fundamentado é um projeto.
  • 5. Para ser aceito no âmbito do design um profissional deve:  ter graduação em design;  ter clientes de “peso” em seu portfólio;  ter produtos que configurem “bom design” (premiados, melhor ainda);  utilizar em sua prática profissional métodos projetuais em design.
  • 6. O que falar sobre pessoas de outras áreas que fazem design? Sem as qualificações acima, são ou não designers?
  • 7.
  • 8. Para entender essa problemática, deve-se remeter à origem do design como profissão autônoma... No cio do c. XX. Surgido da o da arte, tecnologia, e atendimento s necessidades sociais...
  • 9. E em sua o interfaceando com cada vez mais reas de conhecimento, O design encontra-se ainda em processo de conquista de seus territórios Grande parte da sociedade enxerga o design como arte, ou como técnica, e não puramente design
  • 10. O design tem dificuldade em conseguir delimitar seu território.
  • 11. O design, sendo inter e multidisciplinar, pode fazer com que não haja clareza sobre os limites de seu campo. Cipiniuk (2007) afirma que, é preciso desassociar todas as outras áreas do conhecimento vinculadas ao design que geram uma crise de identidade, e passar a considera apenas design, sem limites, concentrando-se em apenas uma ou outra área do saber perde-se a riqueza e a essência do design
  • 12.
  • 13. O campo do design pela teoria de Pierre Bourdieu Bourdieu (2006) discorre sobre a amplitude da estrutura social, que partes constituem uma sociedade, e se estas partes mantêm entre si outras es m da o. No campo do design, de acordo com esse modelo, encontramos diversos veis de produtores que se estabelecem de acordo com a o lica que os envolve.
  • 14. No mercado de bens licos encontramos duas forças que se encontram: Os produtores eruditos, classe que dita marcas de o que o percebidas e aceitas pela pria classe, m de produzir suas obras para seus pares, que m determinam o seu reconhecimento; Ea stria cultural que produz e atende ao grande blico.
  • 15. Quais seriam as regras do campo do design que implicam em o do grupo erudito e outras classes? No caso do design, podemos considerar um grupo erudito composto por ricos da rea, dentre os quais, professores e pesquisadores; uma elite de designers, que o legitimados por seus pares; es fortes como a ADG e a ADP; m de poucos dicos que m a credibilidade deste grupo
  • 16. Esta classe dita os valores licos que o adotados pela mesma e que passam a orientar todo o campo do design em seus diversos veis. Segundo Bourdieu (2006), as obras do campo erudito o obras que exigem do receptor uma o tica, enfoques ficos, e detêm uma estrutura complexa, que m exige o conhecimento rico da estrutura anterior e, por isso, tornam-se veis aos detentores do digo refinado.
  • 17.  Relação entre as categorias  Depedem da posição que ocupam Esta o, seja por sua vontade ou de forma inconsciente, comanda sua ideologia e sua tica e se manifesta em esforços para transgredi-la e subir na escala rquica.
  • 18. Em um campo de o cultural existe um blico que consome as obras, os produtores de bens culturais, diferentes instâncias de o que competem pela legitimidade ( es, academias, dia), e a categoria profissional
  • 19. Analisando a escala rquica, podemos sugerir que m haja veis de projetos em design. Como já salientado, existe no topo desta escala os designers “eruditos”, com produtos premiados e reconhecidos. De acordo com a o de Bourdieu, Almeida (2006, p.106) sugere, em sua pesquisa de mestrado, um campo de design logo ao campo da arte e identifica como o processo de o de projetos ocorre:
  • 20.  Cria-se um “acordo”  Marginaliza ou censura os desviantes  luta de forças na sociedade Em o a suas ticas -las “ o parte de uma o lica do campo do design para justificar o controle sobre a o destes elementos licos”.
  • 21. O autor constata que os conceitos propostos pelos designers para seus projetos, no caso pesquisado – de marcas e imagens – o o corroborados pelos aspectos de funcionamento de uma imagem, uma vez que a o desta imagem, sendo da pelos pios da gestalt, seria suficiente para isso. Entretanto, m das es funcionais, o as es sociais, tanto de o e entendimento do projeto de design por um determinado grupo consumidor, quanto pela oe o por seus pares.
  • 22. Um novo olhar sobre o campo do design Passamos a identificar sticas da nossa essência design e seus pontos mais importantes, entender como se processa a o de seu campo. Desta forma, o podemos mais alegar que o design o conhecido e nem compreendido pela sociedade porque o feito e legitimado para e pelos designers. A massa da o consome as es ditado pelos “eruditos” do design.
  • 23. Um novo olhar sobre o campo do design A Partir da teoria de Bourdieu, metodologia projetual unida ao talento, não bastaria para o sucesso de um projeto. Deve-se somar a estes fatores questões como; se o projeto se enquadra nas regras estabelecidas pelo vel erudito do design a o do designer na escala rquica. Acreditamos que o esclarecimento dado pelo modelo de lise do campo de o lica de Bourdieu nos auxilia a compreender nossa pria atividade e seus limites, a romper com velhas crenças e a fortalecer a identidade, criando a unidade entre tica e essência. A leitura deste autor deveria fazer parte da o de todo designer.
  • 24. http://fiqueligado.com.br/noticias/index/noticia/4477_Assista-novo-spot- televisivo-do-filme-com-Robert-De-Niro-e-Bradley-Cooper http://publicacoesemdesign.files.wordpress.com/2010/08/areas-do-design.png http://www.convergencia.jor.br/impressao/janeladeideias/historia.html http://goutsdelux.files.wordpress.com/2009/03/617px-manneken_pis_crop.jpg