É uma ferramenta útil para sustentar a competitividade. Ela tenta compreender
onde a empresa estará amanhã diante de todas...
A Gestão Estratégica de Custos passa a ser uma excelente
alternativa a ser utilizada pelas empresas, servindo de orientado...
É um conjunto das atividades tecnológica e economicamente distintas que a empresa utiliza para realizar seus
negócios". Se...
A gestão de custos é uma ferramenta que busca oferecer as
empresas informações que lhes permitam manter no
mercado produto...
Conceitualmente custo é o gasto que é aplicado na produção ou
em qualquer outra função de custo, gasto esse desembolsado o...
Objetiva a identificação do custo das diferentes atividades da empresa de forma a possibilitar um maior controle dos valor...
Tem como principal característica a variabilidade ou não em função do volume da atividade em determinado período. O
custo ...
Entende-se por método de custeio a apuração de valores de custos dos bens, mercadorias ou serviços das entidades
públicas ...
Este método baseia-se na identificação, análise e controle
dos custos envolvidos nas atividades e processos de uma empresa...
Gestão estratégica de custo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Gestão estratégica de custo

100 visualizações

Publicada em

Conceitos básicos sobre custos

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
100
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão estratégica de custo

  1. 1. É uma ferramenta útil para sustentar a competitividade. Ela tenta compreender onde a empresa estará amanhã diante de todas as variáveis que envolvem o ambiente empresarial. Surgindo como uma alternativa de entender às demandas do sistema econômico com relação às variáveis vividas nos mercados buscando a melhoria continua da competitividade. Diante o avanço tecnológico em grandes partes do setores econômicos, os gestores necessitam de informações mais acuradas para as decisões, tanto estratégia como operacionais. Portanto tomar a decisão certa no momento certo passa a ser algo primordial para a longevidade das empresas
  2. 2. A Gestão Estratégica de Custos passa a ser uma excelente alternativa a ser utilizada pelas empresas, servindo de orientadora no momento de tomada de decisão. Deve-se enfatizar que sua finalidade principal é fornecer as informações de que as empresas necessitam para proporcionar valor, qualidade e oportunidade que os clientes desejam. Requer uma analise mais profunda dos custos que vão além dos limites da empresa, buscando conhecer toda a cadeia de valor desde a aquisição da matéria prima até o consumidor final. Hansen; Mowen (2001) afirmam que as informações fornecidas pelo departamento contábil da empresa normalmente são usadas para estabelecer estratégias tendo como foco a obtenção da vantagem competitiva, ou seja, a criação de um valor melhor para o cliente por um custo igual ou mais baixo que aquele oferecido pelos competidores. Para Shank e Govindarajan (1997, p. 4), gestão estratégica de custos é “uma análise de custos vista sob o contexto mais amplo, em que os elementos estratégicos tornam-se mais conscientes, explícitos e formais. Os dados de custos são usados para desenvolver estratégias superiores a fim de se obter uma vantagem competitiva”.
  3. 3. É um conjunto das atividades tecnológica e economicamente distintas que a empresa utiliza para realizar seus negócios". Sendo que cada uma destas atividades seria uma atividade de valor. A capacidade de agregar valor a esta atividade em relação ao seu concorrente é o pilar da vantagem competitiva. O planejamento estratégico pode ser conceituado como um processo gerencial que possibilita aos administradores estabelecerem o rumo a ser seguido pela empresa, com vistas a obter um nível de melhoria continua na relação da empresa com seu ambiente". O Direcionador de custo é o fator que determina a ocorrência de uma atividade. Como as atividades exigem recursos para serem realizadas, deduz-se que o direcionador é a verdadeira causa dos custos.
  4. 4. A gestão de custos é uma ferramenta que busca oferecer as empresas informações que lhes permitam manter no mercado produtos de qualidade a um custo menor do que aquele oferecido pelos concorrentes. Neste contexto a análise da relação de custo/volume/lucro e aplicação de mecanismos como margem de contribuição, ponto de equilíbrio contábil e a alavancagem operacional, são instrumentos que podem contribuir significativamente na tomada de decisão.
  5. 5. Conceitualmente custo é o gasto que é aplicado na produção ou em qualquer outra função de custo, gasto esse desembolsado ou não. É o valor aceito pelo comprador para adquirir um bem ou é a soma de todos os valores agregados ao bem, desde sua aquisição, até que ele atinja o estágio de comercialização (Dutra 2003). Os custos, para atender os seus objetivos específicos e facilitar o entendimento prático, são classificados de diferentes formas limitando o número de contas numa lista pré-determinada num rol das contas de cada empresa.
  6. 6. Objetiva a identificação do custo das diferentes atividades da empresa de forma a possibilitar um maior controle dos valores orçados para cada uma delas. Segundo Dutra (2003) as funções podem concentrar-se em cinco níveis – direção, apoio, gerência, supervisão e execução. Sendo no nível de gerência os custos classificados em três funções distintas: 1. Custos de Produção – ocorrem no setor de produção. 2. Custos Administrativos – utilizados para programação e controle. 3. Custos de Comercialização – são os custos de movimentação e distribuição de produtos.
  7. 7. Tem como principal característica a variabilidade ou não em função do volume da atividade em determinado período. O custo tem influência direta quanto à quantidade de produtos a serem produzidos pela empresa e subdividem-se em: 1. Custos Fixos – são os custos que permanecem constantes dentro de determinada quantidade instalada e independem do volume a ser produzido. 2. Custos variáveis – mantêm uma relação direta com o volume de produção ou serviço e são classificados como:  Progressivos - cuja variação ocorre em proporções maiores que os volumes produzidos;  Constante - cuja variação ocorre nas mesmas proporções que os volumes produzidos;  Regressivos - cuja variação ocorre em proporções menores que os volumes produzidos.
  8. 8. Entende-se por método de custeio a apuração de valores de custos dos bens, mercadorias ou serviços das entidades públicas e privadas. Temos abaixo alguns tipos de Custeio: Método derivado da aplicação dos princípios de contabilidade geralmente aceitos, que consiste na apropriação de todos os custos de produção aos bens elaborados, somente os de produção, onde todos os gastos utilizados neste processo de fabricação são distribuídos para todos os produtos A utilização deste método fundamenta-se na identificação dos custos variáveis e fixos, ou seja, os custos que oscilam de forma proporcional ao volume de produção e vendas, dos custos que se mantém estáveis perante o volume de produção e vendas. São imputados aos bens e serviços produzidos somente os custos variáveis de produção (diretos e indiretos).
  9. 9. Este método baseia-se na identificação, análise e controle dos custos envolvidos nas atividades e processos de uma empresa, atribuindo aos produtos, individualmente, a parcela dos custos indiretos consumida por cada um deles. É uma metodologia desenvolvida para facilitar a análise estratégica de custos relacionados com as atividades que mais impactam o consumo de recursos de uma empresa. O método do custo padrão tem como função principal fornecer suporte para o controle de custos da empresa, proporcionando um padrão de comportamento para os custos. "O custo padrão é a determinação antecipada dos componentes do produto, em quantidade e valor, apoiada na utilização de dados de várias fontes, com validade para determinado espaço de tempo" Obtido através da subtração de um preço estimado (ou preço de mercado) da margem de lucratividade almejada, objetiva atingir um custo de produção igualmente desejado. Inicia-se com a estimativa realizada pelo pessoal de marketing, a partir do preço de venda de um produto similar (em características e funcionalidades) e tomando como base essa posição mercadológica, define-se o custo meta do produto, e este representa a soma do custo de materiais, mão-de-obra e os custos com as demais atividades002E.

×