Atividades Capitalismo e Absolutismo

376 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
376
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atividades Capitalismo e Absolutismo

  1. 1. ATIVIDADES DE HISTÓRIA Nome:__________________________________________________________________nº____Ano:____ 1 - A passagem da Idade Média para a Idade Moderna não foi repentina, de uma hora para outra. Na verdade, as gerações que viveram naquele período nem sempre tiveram plena consciência de que experimentavam mudanças importantes na história. Muitas coisas que havia na sociedade medieval continuaram a existir na Idade Moderna. SCHMIDT, 2005, p. 102. A partir da análise do texto e dos conhecimentos sobre o desenvolvimento do processo histórico na passagem do feudalismo para o capitalismo, pode-se afirmar: 01) O período referido foi marcado por bruscas mudanças climáticas e grandes quedas demográficas, fatores que, articulados, impediram a ocorrência de qualquer mudança social ou política. 02) Os cientistas, os clérigos e os mercadores, conscientes de viverem momentos decisivos na história mundial, fortaleceram seus domínios a fim de impedir o crescimento das cidades, por ameaçarem as relações de poder então existentes. 04) A distribuição da população entre campo e cidade, que predominava na Idade Média, sofreu profundas alterações na Idade Moderna, em virtude da expansão da industrialização nos centros urbanos. 08) Os valores sociais, morais e mesmo certos aspectos políticos do mundo europeu continuaram a revelar a presença de forte influência da Igreja Católica, apesar da crítica aos fundamentos da religião e da ciência, que se instalou na Europa com a Idade Moderna. 16) Concepções econômicas do mundo medieval europeu foram influenciadas pela expansão das relações comerciais entre territórios da Europa, associada aos acontecimentos da expansão marítimo-comercial do século XV, resultando no enfraquecimento dos conceitos de "justo preço" e de "lucro limitado". Soma = ( ) 2 - Ao longo dos estudos neste bimestre, falamos sobre reis, monarquias e absolutismo. No caso da Holanda, sua independência acarretou a formação de uma república. Contextualize essa forma de governo num período em que a maioria dos países se organizava na forma de monarquias absolutistas. _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ 3 - Dentre as características gerais dos estados modernos europeus, no período compreendido entre os séculos XV e XVIII, podemos destacar: a) a formação de uma burocracia composta por nobres no poder e descentralização administrativa e monetária. b) a fortalecimento dos poderes locais e da justiça senhorial, para custear as despesas com o exército. c) a autonomia, pelas unidades feudais, depois do século XV, nos sistemas de pesos, moedas e medidas. d) a defesa, pela justiça real, das necessidades de um governo democrático, com vistas à manutenção da paz e da ordem. e) a justificativa do poder do soberano, legitimada pela Teoria do Direito Divino dos Reis. 4 – Complete: O motivo imediato que levou o franciscano alemão Martinho Lutero a dar início à Reforma Protestante foi: _______________________________. 5. Complete com V (verdadeiro) ou F (falso): a) Segundo a Reforma, a pessoa é salva por meio da fé e não pelas obras que pratica. ( ) b) Segundo a Reforma, a única fonte da verdade é a tradição ensinada pela Igreja. ( ) c) O aumento de lucros e riquezas por parte da burguesia era recusado pela Igreja. ( ) d) As pessoas consideradas hereges eram fiéis aos ensinamentos da Igreja. ( ) e) Os reis precisavam aumentar seu poder, mas viam na força da Igreja um obstáculo para conquistar esse objetivo. ( )
  2. 2. 6. Leia atentamente: “A Companhia de Jesus era uma força militante, equiparada com uma couraça celestial e armas espirituais para a conquista das almas perdidas para o protestantismo e para o paganismo. A Companhia, categórica na obediência que devia ao seu Geral e ao Papa, foi a força internacional da Igreja e desenvolveu uma ação preponderante na extensão do domínio católico, na instrução da mocidade católica e em atrair a atenção e a devoção dos reis e nobres, tão ativa no campo de batalha europeu da fé católica como nas missões do Norte da África, da Ásia e da América.” GREEN. V. H. H. Renascimento e reforma. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1984. Agora responda: a) Explique como se deu o processo de expansão da fé católica pela Europa. b) Cite quais os outros instrumentos da Contrarreforma. 7. Entre 1545 e 1563, os cardeais da Igreja Católica, sob a direção do papa, reuniram-se na cidade de Trento, na Itália, para discutir as reformas. Qual o objetivo do Concílio de Trento? Explique. _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 8 - Gerald Winstanley, líder dos escavadores da Revolução Puritana na Inglaterra (1640-1660), definiu a sua época como aquela em que "o velho mundo está rodopiando como pergaminho no fogo". Embora os escavadores tenham sido vencidos, a Revolução Inglesa do século XVII trouxe mudanças significativas, dentre as quais se destacam a: a) instituição do sufrágio universal e a ampliação dos direitos das assembléias populares. b) separação entre estado e religião e a anexação das propriedades da Igreja Anglicana. c) liberação das colônias da Inglaterra e a proibição da exploração da mão-de-obra escrava. d) abolição dos domínios feudais e a afirmação da soberania do Parlamento. e) ampliação das relações internacionais e a concessão de liberdade à Irlanda. 9- Em 1688-1689, a sociedade inglesa vivenciou o episódio então denominado de Revolução Gloriosa. Entre suas características, destaca-se a promulgação do "Bill of Rights", uma espécie de declaração de direitos que passava a regulamentar os poderes do monarca e do Parlamento. Sobre a importância e os significados do "Bill of Rights", assinale a única afirmativa CORRETA. a) Houve o fortalecimento das atribuições do Parlamento frente ao poder decisório do monarca, instaurando um conjunto de leis que regulavam, inclusive, a atuação do soberano. b) Houve a deposição de Guilherme III, sob a acusação de ter elevado impostos sem o consentimento prévio do Parlamento, como era previsto pelo "Bill of Rights". c) Instituiu-se a tolerância religiosa, estabelecendo severas punições para qualquer tipo de discriminação ou perseguição, em especial com relação aos que professassem a religião católica. d) Houve a ascensão política da burguesia comercial, destituindo progressivamente dos cargos ministeriais os representantes dos "landlords" e demais grupos aristocráticos. e) Instituiu-se o direito de propriedade e, de forma complementar, promulgaram-se leis que garantiram a defesa do trabalho livre e dos pequenos proprietários frente a ameaças tais como a servidão por dívidas.
  3. 3. 10 - Atualmente se escolhe ser cristão ou não. No século XVI não havia escolha. Era-se cristão de fato. Mesmo não querendo, mesmo não entendendo claramente, todos, desde o nascimento, se encontravam imersos num banho de cristianismo, do qual não se escaparia nem na hora da morte. Esse texto de Lucien Febvre refere-se ao clima religioso que tomou conta de grande parte da população européia após a Contrarreforma, dirigida pelo Vaticano. Quais são as características desse movimento? _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ Para as questões 11, 12 e 13, sublinhe nos textos, trechos que mostrem como era o cotidiano do rei e o que ele representava na Idade Moderna. 11 - Era uma honra ser autorizado a ver o rei comer, honra ainda maior receber uma palavra sua durante a refeição, honra suprema ser convidado a servi-lo ou comer com ele. Todos os presentes usavam chapéu, exceto o rei, mas o tiravam para falar com este quando lhe dirigiam a palavra, a menos que estivessem à mesa.(...) Havia normas formais para a participação nesse espetáculo: quem tinha direito a ver o rei, a que horas e em que parte da corte, se tal pessoa podia se sentar numa cadeira ou num tamborete ou tinha que permanecer de pé. A vida diária do rei compunha-se de ações que não eram simplesmente recorrentes, mas carregadas de sentido simbólico, porque eram desempenhadas em público por um ator cuja pessoa era sagrada. BURKE, P. A fabricação do rei — a construção da imagem pública de Luís XV. Rio de Janeiro: Zahar, 1992. 12 – O Soberano gostava de se rodear de seus nobres mais importantes, para se aconselhar com eles, como fora tradição na Idade Média, ou para os ter sob controle, separando-os das bases locais do seu poder nos campos, e para os poder vigiar e levar à ruína mediante o mecanismo competitivo do consumo suntuoso. BURKE, Peter. O cortesão. In; Eugênio Qarin (Org.). O homem renascentista. 13 - É somente na minha pessoa que reside o poder soberano (...) é somente de mim que meus tribunais recebem a sua existência e a sua autoridade; a plenitude desta autoridade, que eles não exercem senão em meu nome, permanece sempre em mim, e o seu uso nunca pode ser contra mim voltado; unicamente por minha autoridade que os funcionários dos meus tribunais procedem, não à formação, mas ao registro, à execução da lei, e que lhes é permitido advertir-me o que é o dever de todos os úteis conselheiros; toda a ordem pública emana de mim, e os direitos e interesses da nação, de que se pretende ousar fazer um corpo separado do monarca, estão necessariamente unidos com os meus e repousam inteiramente em minhas mãos. 14. Um dos principais acontecimentos do governo de Henrique VIII foi o rompimento com a Igreja Católica, motivado por interesses políticos e econômicos. Explique como isso se deu. _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 15. Relativamente à história do absolutismo monárquico na Inglaterra, é possível sustentar que: a) A revolução que derrubou o governo de Jaime II, da dinastia Stuart, não assinalou apenas o fim do regime absolutista inglês, mas, igualmente, o triunfo da burguesia e do parlamento sobre a Coroa britânica. b) O regime absolutista instala-se na Inglaterra em consequência das guerras de religião, já que somente dispondo de um governo centralizado e autoritário é que Henrique VIII poderia implantar o protestantismo no país. c) O estabelecimento do regime absolutista na Inglaterra foi prejudicial aos interesses do país, posto que a burguesia britânica, privada da liberdade política, emigrou em massa para a França e para a Holanda. d) O fim do regime absolutista inglês ocorre com a revolução comandada por Oliver Cromwell, oportunidade em que as forças parlamentares sob a sua chefia depõem Carlos I e encerram os ciclo dos governos autoritários dos Tudor. e) Comparados a outros governos absolutistas europeus, os ingleses foram mais tolerantes e maleáveis. Veja-se, por exemplo, que durante o reinado dos Stuart a liberdade de religião sempre foi respeitada na Inglaterra.
  4. 4. 16 - Explique a importância do "Bill of Rights" para o Parlamento Inglês. _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________

×