SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
PROJETO DE OTIMIZAÇÃO
DO SISTEMA DE MACRODRENAGEM
DOS CÓRREGOS VILARINHO, NADO E RIBEIRÃO ISIDORO
2
BELO HORIZONTE, 14/03/2019
PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES
 15 DE NOVEMBRO DE 2018 - o Município de Belo Horizonte foi acometido por
um severo evento pluviométrico, o qual atingiu principalmente a Regional Venda
Nova, resultando em perda de vidas.
 Após o fato calamitoso, a Administração Municipal em pronto atendimento, cuidou
da região, prestando todos os serviços necessários para a restauração das
condições de normalidade das infraestruturas instaladas na região, bem
como amparando os cidadãos afetados pela tragédia.
 21 DE NOVEMBRO DE 2018 – foi publicado no Diário Oficial do Município:
“DECRETO Nº 17.015, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2018.
Declara em situação anormal, caracterizada como Situação de Emergência, as
áreas do Município de Belo Horizonte comprovadamente afetadas pelos
desastres decorrentes das precipitações pluviométricas registradas na cidade. ”
“DECRETO Nº 17.016, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2018.Institui Comitê com o
objetivo de coordenar as medidas de emergência em decorrência dos danos
causados por intensa chuva na regional Venda Nova, com foco especial na
Avenida Vilarinho.
PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES
“DECRETO Nº 17.016, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2018.
“Art. 1º – Fica instituído Comitê Estratégico de Emergência com o objetivo de
promover estudos, apresentar propostas e projetos, bem como coordenar as
medidas de emergência decorrentes das inundações, alagamentos e enxurradas na
regional Venda Nova, com foco especial na Avenida Vilarinho.
Parágrafo único – O Comitê tem como atribuições:
I – apresentar no prazo de trinta dias a contar da data de publicação deste
decreto propostas com soluções preventivas, reparadoras e definitivas para
as inundações, alagamentos e enxurradas na regional de que trata o caput;
II – coordenar as contratações emergenciais necessárias para a elaboração
de projeto e obras na regional afetada.
III – realizar demais medidas necessárias em decorrência da publicação do Decreto
nº 17.015, de 20 de novembro de 2018.”
PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES
 Em virtude do fato, a empresa Engesolo Engenharia contratada para a
prestação de serviços de consultoria para a Otimização do Sistema de
Drenagem do córrego Cachoeirinha e ribeirões Pampulha e Onça, para
solucionar problema semelhante ao ocorrido no dia 15/11/2018, se dispôs a
auxiliar a Administração na avaliação dos estudos existentes e propor
alternativas para minimizar os problemas de inundação.
 19 DE DEZEMBRO DE 2018 – o Prefeito de Belo Horizonte, Dr. Alexandre
Kalil, apresentou os resultados do trabalho desenvolvido pelo Comitê
Estratégico de Emergência para solucionar o problema das inundações na
região da avenida Vilarinho.
PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES
 Após o contrato o com a Engesolo Engenharia ser aditado, a mesma
desenvolveu o anteprojeto de engenharia para ser incorporado na
contratação de projetos básicos, executivos e execução de obras, por meio
do REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS – RDC
(modalidade Integrada).
 LICENCIAMENTO AMBIENTAL – a SUDECAP está preparando o Edital
para a contratação dos Estudos de Impacto Ambiental – EIA e o Relatório de
Impacto Ambiental – RIMA, para a verificação dos impactos e suas
respectivas medidas mitigadoras.
 Desde a fatídica inundação do 15 de novembro de 2018, a Administração
Municipal vem trabalhando incessantemente na viabilização dos serviços de
minimização dos riscos de inundação da região da confluência das avenidas
Vilarinho e Dr. Álvaro Camargos. Problema esse, que várias Administrações
não se dedicaram a resolver.
ÁREA DE ESTUDO E DE ABRANGÊNCIA DO PROJETO
VILARINHO
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
SISTEMA COMPLETO
7
Área=16km2
Área=12km2
CARTA DE INUNDAÇÕES DE BELO
HORIZONTE
DADOS DA REGIÃO DA
CONFLUÊNCIA DOS CÓRREGOS
VILARINHO E NADO
ESTRUTURAS
EXISTENTES
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
Córrego do Nado
(Rua Dr. Álvaro Camargos)
9
ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO PROJETO
Córrego Vilarinho
(Av. Vilarinho)
Ribeirão Isidoro
(Av. Vilarinho)
Confluência
Estação Vilarinho
• Intervenção emergencial para reduzir a magnitude das inundações que
ocorrem na região do cruzamento da Avenida Vilarinho e Rua Dr. Álvaro
Camargos.
• Diminuição da altura da lâmina d’água e do tempo de permanência das
inundações (esgotamento mais rápido do volume extravasado sobre as vias).
• Intervenção compatível com futuras soluções (de drenagem pluvial) na bacia, as
mesmas serão contratadas no processo já em andamento, conduzido pela
DGAU (Diretoria de Gestão de Águas Urbanas) e SMOBI (Secretaria Municipal
de obras e infraestrutura.
• Compatibilização e aproveitamento com as estruturas de macrodrenagem
existentes: Túnel sob estação metroviária do Vilarinho.
• Avaliação dos impactos da solução indicada, com proposição de medidas
mitigadoras.
10
DIRETRIZES INICIAIS DOS ESTUDOS E PROJETO
• ÁREA DE ESTUDO
• 28 Km2 (Bacias dos córregos Vilarinho e Nado)
• Elevado grau de impermeabilização do solo e canalização dos cursos d’água
• Existência de 4 reservatórios de amortecimento de cheias (Volume total de 213.000 m3)
• Eventos frequentes de inundações, associado à ocorrência de chuvas intensas
• PRECIPITAÇÃO DE PROJETO
• Período de retorno de 100 anos (probabilidade de ocorrência de 1%) = 76 mm [hora crítica]
• Chuva de 15/11/2018: Período de retorno maior do que 100 anos
Média das estações de monitoramento da PBH = 63 mm [hora crítica]
Estação No 2 = 81 mm [hora crítica]
Estação No 5 = 77 mm [hora crítica]
11
ASPECTOS HIDROLÓGICOS
SISTEMA DE MONITORAMENTO
HIDROLÓGICO DE BELO
HORIZONTE
(27)
(04)
(11)
VILARINHO
ÁLVARO CAMARGOS
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
SISTEMA COMPLETO
13
Volume = 89.000 m3
Volume = 51.000 m3
Volume = 25.000 m3
Volume = 48.000 m3
• Modelo hidrológico computacional HEC-HMS (do Centro de Engenharia do Exército Americano)
• Simulação do evento de precipitação de projeto de TR 100 anos
• Vazão máxima de cheia do córrego Vilarinho = 209 m3/s
• Vazão máxima de cheia do córrego do Nado = 326 m3/s
• Vazão máxima de cheia na confluência = 538 m3/s
• Simulação do evento de chuva intensa observado em 15/11/2018
• Vazão máxima de cheia do córrego Vilarinho = 152 m3/s
• Vazão máxima de cheia do córrego do Nado = 250 m3/s
• Vazão máxima de cheia na confluência = 375 m3/s
14
ASPECTOS HIDROLÓGICOS
VILARINHO
ÁLVARO CAMARGOS
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
SISTEMA COMPLETO
15
ASPECTOS HIDROLÓGICOS
538
326
209
0
50
100
150
200
250
300
350
400
450
500
550
600
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120
Vazão(m3/s)
Duração (minutos)
Confluência
Córrego do Nado
Córrego Vilarinho
Hidrogramas de cheias de TR 100 anos
Hidrogramas de cheias de 15/11/2018
374
219
152
0
50
100
150
200
250
300
350
400
19:12 19:40 20:09 20:38 21:07 21:36 22:04 22:33 23:02
Vazão(m3/s)
Duração (minutos)
Confluência
Córrego do Nado
Córrego Vilarinho
GALERIA BICELULAR
7,00x2,50m
CAPACIDADE: 50 m³/s
GALERIA BICELULAR
7,00x2,50m
CAPACIDADE: 55 m³/s
GALERIA TRICELULAR
10,80x2,80m
CAPACIDADE: 111 m³/s
16
ASPECTOS HIDRÁULICOS
Sistema de Macrodrenagem Existente
(Córrego Vilarinho)
(Córrego do Nado)
(Ribeirão Isidoro)
Av. Vilarinho
Rua Dr. Álvaro Camargos
• Baixa capacidade hidráulica das galerias existentes (córregos Vilarinho e Nado, ribeirão Isidoro)
• Dimensões (seção hidráulica) e declividades limitadas, associado a existência de pilares nas galerias
• Modelo hidráulico computacional HEC-RAS (do Centro de Engenharia do Exército Americano)
• Capacidades hidráulicas máximas:
• Região da confluência dos córregos Vilarinho e do Nado
• Vazões limites sem a ocorrência de extravasamento para as vias:
• Galeria do córrego Vilarinho = 55 m3/s
• Galeria do córrego do Nado = 50 m3/s
• Galeria do ribeirão Isidoro = 111 m3/s
17
ASPECTOS HIDRÁULICOS
18
DIAGRAMA DAS VAZÕES DE CHEIAS AFLUENTES E DA CAPACIDADE
HIDRÁULICA ATUAL DO SISTEMA DE MACRODRENAGEM EXISTENTE
(CONFLUÊNCIA DOS CÓRREGOS VILARINHO E NADO)
Capacidade hidráulica das galerias
existentes
Pico de cheias gerado pelas bacias
de contribuição (TR de 100 anos)
19
VILARINHO
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
SISTEMA COMPLETO
20
HIDROGRAMA DE CHEIA x CAPACIDADE DA GALERIA EXISTENTE
(Área aproximada de 330.000 m2
((cerca de 80 campos de futebol)
DIAGRAMA DAS VAZÕES DE CHEIAS AFLUENTES E DA CAPACIDADE HIDRÁULICA
DO SISTEMA DE MACRODRENAGEM COM AS INTERVENÇÕES PROPOSTAS
(CONFLUÊNCIA DOS CÓRREGOS VILARINHO E NADO)
Capacidade hidráulica das galerias
existentes e túneis propostos
Pico de cheia gerado pelas bacias de
contribuição (TR de 100 anos)
21
A ser amortecido em novos
reservatórios a montante
SÍNTESE DAS INTERVENÇÕES PROPOSTAS
• TÚNEL 1 Processo NATM, extensão de 774m e seção hidráulica de 5,0x5,0m = 180 m3/s
• TÚNEL 2 Processo NATM, extensão de 698m e seção hidráulica de 5,0x5,0m = 189 m3/s
• CANAIS DE LIGAÇÃO DAS GALERIAS EXISTENTES COM OS TÚNEIS Extensão de 363m
• ESTRUTURA HIDRÁULICA DE CONFLUÊNCIA Área de captação superficial de 2.759m²
• CANAL DE MACRODRENAGEM DO FLORESTA Extensão de 450m e seção hidráulica de 32,0x4,0m
• ESTRUTURAS DE ENGOLIMENTO
• 2 aberturas na galeria do córrego Vilarinho com área de captação superficial de 1.030m²
• 5 aberturas na galeria do ribeirão Isidoro com área de captação superficial de 1.100m²
22
PLANTA GERAL DAS INTERVENÇÕES PROPOSTAS
TÚNEL 1
ESTRUTURAS DE
CAPTAÇÃO SUPERFICIAL
CANAL DE MACRODRENAGEM
(CÓRREGO FLORESTA)
ESTRUTURA HIDRÁULICA
DE CONFLUÊNCIA
TÚNEL 2
GALERIAS EXISTENTES
23
UTILIZAÇÃO DO TÚNEL
EXISTENTE
DETALHAMENTO DAS SOLUÇÕES
TÚNEL 1 TÚNEL 2
ESTRUTURA DE
CONFLUÊNCIA
CANAIS DE
INTERLIGAÇÃO
ESTRUTURAS DE
CAPTAÇÃO SUPERFICIAL
CANAL DE
MACRODRENAGEM
(CÓRREGO FLORESTA)
24
ESTRUTURAS
EXISTENTES
• VILARINHO
• ÁLVARO CAMARGOS
• VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
• TODAS AS
ESTRUTURAS
• SEÇÃO TIPO TÚNEL EM SOLO
• SEÇÃO TIPO TÚNEL EM ROCHA
• TÚNEL EM PROCESSO NATM
• GABARITO INTERNO: SEÇÃO 5,00m x 5,00m
• DECLIVIDADE LONGITUDINAL: 0,68%
• CAPACIDADE HIDRÁULICA: 180 m³/s
• EXTENSÃO TOTAL: 774m
• EXTENSÃO EM SOLO: 484m
• EXTENSÃO EM ROCHA: 290m
• EMBOQUE MONTANTE: RUA GERALDO ALEXANDRE FERREIRA
• EMBOQUE JUSANTE : TERRENO BALDIO PRÓXIMO A RUA INCA
• POÇOS DE ATAQUE: 3
• COBERTURA MÍNIMA: 4,30m
• COBERTURA MÁXIMA: 38,50m
25
TÚNEL 1
TÚNEL 1 – PLANTA E PERFIL LONGITUDINAL
26
ESTRUTURAS
EXISTENTES
• VILARINHO
• ÁLVARO CAMARGOS
• VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
• TODAS AS
ESTRUTURAS
• TÚNEL EM PROCESSO NATM
• GABARITO INTERNO: SEÇÃO 5,00m x 5,00m
• DECLIVIDADE LONGITUDINAL: 0,75%
• CAPACIDADE HIDRÁULICA: 189 m³/s
• EXTENSÃO TOTAL: 698m
• EXTENSÃO EM SOLO: 450m
• EXTENSÃO EM ROCHA: 248m
• EMBOQUE MONTANTE: RUA MAÇON RIBEIRO
• EMBOQUE JUSANTE : PRÓXIMO A RUA DA PEROBA
• POÇOS DE ATAQUE: 3
• COBERTURA MÍNIMA: 3,20m
• COBERTURA MÁXIMA: 28,10m
• SEÇÃO TIPO TÚNEL EM SOLO
• SEÇÃO TIPO TÚNEL EM ROCHA
27
TÚNEL 2
TÚNEL 2 – PLANTA E PERFIL LONGITUDINAL
28
• VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
• TODAS AS
ESTRUTURAS
GALERIA DE DESVIO
PARA O TÚNEL
GALERIA
EXISTENTE
GALERIA COMPLEMENTAR, COMPATÍVEL PARA
SOLUÇÕES FUTURAS NA BACIA (A MONTANTE)
CAPTAÇÃO
SUPERFICIAL
29
CANAIS DE INTERLIGAÇÃO DAS GALERIAS
EXISTENTES COM OS TÚNEIS PROPOSTOS
ESTRUTURA HIDRÁULICA DE CONFLUÊNCIA
CANAL DE
INTERLIGAÇÃO
TÚNEL 2
GALERIA VILARINHO
ESTRUTURA DE CONFLUÊNCIA
• DESVIO DA GALERIA DO
CÓRREGO DO NADO PARA
O TÚNEL 2.
• OTIMIZAÇÃO GEOMÉTRICA
DA CONFLUÊNCIA.
• ÁREA PARA ABSORÇÃO DE
ESCOAMENTO
SUPERFICIAL
• GALERIA TRICELULAR SEM
FUNCIONAMENTO EM
CARGA
30
TÚNEL 2
ESTRUTURAS DE CAPTAÇÃO SUPERFICIAL
• 7 ABERTURAS PONTUAIS NO TOPO DAS GALERIAS EXISTENTES
• CAPTAÇÃO E CONDUÇÃO DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL PARA O INTERIOR DAS GALERIAS
Estruturas de Captação 31
CANAL DE MACRODRENAGEM DO CÓRREGO FLORESTA
• O CANAL RECEBERÁ AS VAZÕES DOS TÚNEIS 1 E 2
• ESTRUTURA EM GABIÃO
• DISPOSITIVOS DE REDUÇÃO DAS VELOCIDADES
DESEMBOQUE
TÚNEL 2
DESEMBOQUE
TÚNEL 1
32
CUSTO ESTIMADO DAS INTERVENÇÕES PROPOSTAS
• ORÇAMENTO PRELIMINAR
• VALOR CONTEMPLA TODAS
AS ESTRUTURAS PROPOSTAS
• QUANTITATIVO E MÉTODOS
CONSTRUTIVOS AINDA EM
FASE DE ESTUDO
R$300.000.000
TÚNEL 1
ESTRUTURA
HIDRÁULICA DE
CONFLUÊNCIA
TÚNEL 2
CAPTAÇÃO
SUPERFICIAL
CANAL DE
MACRODRENAGEM
(FLORESTA)
VIADUTO
33
VILARINHO
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
SISTEMA COMPLETO
34
AVALIAÇÃO DE IMPACTOS DO PROJETO
Mancha de Inundação a jusante: Córrego Floresta e Ribeirão Isidoro
 VAZÕES DE PICO ASSOCIADAS A PRECIPITAÇÃO DE PROJETO COM PERÍODO DE RETORNO DE 100
ANOS, OBTIDAS DE SIMULAÇÕES HIDROLÓGICAS ATRAVÉS DO MODELO COMPUTACIONAL HEC-HMS.
 SIMULAÇÕES HIDRÁULICAS DESENVOLVIDAS ATRAVÉS DO MODELO COMPUTACIONAL HEC-RAS, EM
REGIME DE ESCOAMENTO PERMANENTE E UNIDIMENSIONAL.
 MANCHAS DE INUNDAÇÃO, EM CARÁTER PRELIMINAR, DO CÓRREGO FLORESTA E RIBEIRÃO ISIDORO,
ASSOCIADAS AS VAZÕES DE CHEIAS COM RECORRÊNCIA DE 100 ANOS: CENÁRIOS ATUAL E FUTURO.
 CENÁRIO ATUAL: VAZÃO PROVENIENTE DA ÁREA DE MONTANTE (BACIAS DOS CÓRREGOS VILARINHO
E NADO) CORRESPONDENTE A DESCARGA MÁXIMA DA GALERIA TRICELULAR EXISTENTE.
 CENÁRIO FUTURO: VAZÃO PROVENIENTE DA ÁREA DE MONTANTE (BACIAS DOS CÓRREGOS
VILARINHO E NADO) CORRESPONDENTE A DESCARGA MÁXIMA DA GALERIA TRICELULAR EXISTENTE,
SOMADA AS VAZÕES DE PROJETO DOS TÚNEIS.
VILARINHO
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
SISTEMA COMPLETO
35
TÚNEL1
TÚNEL2
ESTAÇÃO METRÔ
VILARINHO
VILARINHO APÓS A
CONFLUÊNCIA
SISTEMA COMPLETO
36
AVALIAÇÃO DE IMPACTOS DO PROJETO
Mancha de Inundação a jusante: Córrego Floresta e Ribeirão Isidoro
RIBEIRÃO ISIDORO
CONFLUÊNCIA COM
O RIBEIRÃO DO ONÇA
Lagoa da Pampulha
1
2
5
3
6
4
7
8
9 10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
RESERVATÓRIOS PARA
CONTROLE DE CHEIAS EM
BELO HORIZONTE
1 - BD Av. Vilarinho
2 - BD Av. Liége
3 - BD Engenho Nogueira
4 - BD Bonsucesso
5 - Barragem da Pampulha
6 – Lagoa do Pq. do Nado
7 – Lagoa Seca do Belvedere
8 – Barragem de Sta. Lúcia
9 e 10 – BDs do Córrego Cardoso (02 bacias)
11 - BD Pq. N.S. da Piedade
12 – BD do Pq. 1° de Maio
15 - BD Jatobá
16 - BD Olaria
17 - BD Túnel/Camarões
18 - BD Córrego Lareira
13 e 14 – BDs da Várzea da Palma (02 bacias)
20 - BD Calafate
21 – Res. B. das Indústrias
19 - BD São Francisco
CONSTRUIDOS
EM CONSTRUÇÃO
A CONSTRUIR
LEGENDA
Desassoreamento das Bacias de Controle de Cheias do Município
BD Liége: Fotos Antes –Durante – Depois
BD Engenho Nogueira: Fotos Antes –Durante – Depois
SUSTENTABILIDADE
AÇÕES PREVENTIVAS
Ações de Manutenção e Recuperação de canais e galerias
Manutenção e
recuperação do canal
e galeria do Córrego
Acaba Mundo
SUSTENTABILIDADE
AÇÕES PREVENTIVAS
Apresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_final

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...Laise Bastos
 
Swmm Example 4 - Water Quality
Swmm Example 4 - Water QualitySwmm Example 4 - Water Quality
Swmm Example 4 - Water Quality은성 정
 
Aula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalAula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalLucas Sant'ana
 
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2Djair Felix
 
Aula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água friaAula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água friaAndréa Camara
 
SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdf
SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdfSISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdf
SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdfMonikCapellari1
 
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de água
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de águaEstudo de concepção de sistema de abastecimento de água
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de águaluancaio_aguas
 
Case study of dam failure ppt by ankur sahay
Case study of dam failure ppt by ankur sahayCase study of dam failure ppt by ankur sahay
Case study of dam failure ppt by ankur sahayMRINALJYOTI ADHYAPOK
 
EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...
EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...
EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...José Antonio Rodríguez Alvarez
 
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...Danilo Max
 
Apostila - Instalação Predial de Água Fria
Apostila - Instalação Predial de Água FriaApostila - Instalação Predial de Água Fria
Apostila - Instalação Predial de Água FriaSandro N. Pinto
 
Drenagem de Taludes
Drenagem de TaludesDrenagem de Taludes
Drenagem de Taludescamilapasta
 
Introdução a Drenagem de Pluviais
Introdução a Drenagem de PluviaisIntrodução a Drenagem de Pluviais
Introdução a Drenagem de Pluviaisleosoares
 
Memorial de esgotamento sanitario
Memorial de esgotamento sanitarioMemorial de esgotamento sanitario
Memorial de esgotamento sanitarioingridrabelo01
 

Mais procurados (20)

Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...Nbr 12214 nb 590   projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
Nbr 12214 nb 590 projeto de sistema de bombeamento de agua para abastecimen...
 
Swmm Example 4 - Water Quality
Swmm Example 4 - Water QualitySwmm Example 4 - Water Quality
Swmm Example 4 - Water Quality
 
Memoria De Calculo Celendin
Memoria De Calculo CelendinMemoria De Calculo Celendin
Memoria De Calculo Celendin
 
11aula escoamento
11aula escoamento11aula escoamento
11aula escoamento
 
Aula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalAula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método Racional
 
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
Aula 1-instalacoes-hidraulicas-2
 
Apostila alunos dreanagem
Apostila alunos dreanagemApostila alunos dreanagem
Apostila alunos dreanagem
 
Aula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água friaAula de instalacoes prediais de água fria
Aula de instalacoes prediais de água fria
 
SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdf
SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdfSISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdf
SISTEMAS DE ESGOTAMENTO SANITARIO NOTAS DE AULA.pdf
 
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de água
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de águaEstudo de concepção de sistema de abastecimento de água
Estudo de concepção de sistema de abastecimento de água
 
Case study of dam failure ppt by ankur sahay
Case study of dam failure ppt by ankur sahayCase study of dam failure ppt by ankur sahay
Case study of dam failure ppt by ankur sahay
 
EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...
EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...
EDRIS: Software para la Evaluación y el Diseño del Riego por Surcos con Flujo...
 
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
Apostila de Hidrologia (Profa. Ticiana Studart) - Capítulo 12: Regularização ...
 
Apostila - Instalação Predial de Água Fria
Apostila - Instalação Predial de Água FriaApostila - Instalação Predial de Água Fria
Apostila - Instalação Predial de Água Fria
 
Nbr13969
Nbr13969Nbr13969
Nbr13969
 
Drenagem de Taludes
Drenagem de TaludesDrenagem de Taludes
Drenagem de Taludes
 
Aula 3
Aula 3Aula 3
Aula 3
 
Introdução a Drenagem de Pluviais
Introdução a Drenagem de PluviaisIntrodução a Drenagem de Pluviais
Introdução a Drenagem de Pluviais
 
Memorial de esgotamento sanitario
Memorial de esgotamento sanitarioMemorial de esgotamento sanitario
Memorial de esgotamento sanitario
 
Catalago tigre pvc
Catalago tigre pvcCatalago tigre pvc
Catalago tigre pvc
 

Semelhante a Apresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_final

Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecapParecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecapCBH Rio das Velhas
 
Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)
Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)
Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)Katia Figueira
 
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...Thales Vinícius de Melo Rissi
 
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014De Janks
 
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BHCBH Rio das Velhas
 
Orientacoes_esgoto_nbr8160_Florianopolis
Orientacoes_esgoto_nbr8160_FlorianopolisOrientacoes_esgoto_nbr8160_Florianopolis
Orientacoes_esgoto_nbr8160_Florianopolisalinesarcinelli
 
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosRiscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosPaulo Rodrigues
 
Sistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvialSistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvialFábio Aguiar
 
02 departamento autônomo de águas e esgoto
02 departamento autônomo de águas e esgoto02 departamento autônomo de águas e esgoto
02 departamento autônomo de águas e esgotoEdinho Silva
 
Amparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativoAmparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativoRogerio Catanese
 
Recuperação Ambiental do Rio Doce
Recuperação Ambiental do Rio DoceRecuperação Ambiental do Rio Doce
Recuperação Ambiental do Rio Doceengemausp
 
NBR 10844/1989
NBR 10844/1989NBR 10844/1989
NBR 10844/1989UNIFIA
 
Trabalho de infraestrutura urbana- UFF
Trabalho de infraestrutura urbana- UFFTrabalho de infraestrutura urbana- UFF
Trabalho de infraestrutura urbana- UFFAline Naue
 
Parecer EIA Mondim de Basto
Parecer EIA Mondim de BastoParecer EIA Mondim de Basto
Parecer EIA Mondim de BastoMiguel Borges
 
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolisLei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolisWelinton Rosa da Silva
 
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito CBH Rio das Velhas
 

Semelhante a Apresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_final (20)

Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecapParecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
 
Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)
Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)
Programa drenar e as enchentes em são bernardo do campo (1)
 
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
Manual para implantação de aterros sanitários em valas de pequenas dimensões ...
 
Caça esgoto PBH
Caça esgoto PBHCaça esgoto PBH
Caça esgoto PBH
 
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014Drenagem na rmsp  apresentação parcial dez 2014
Drenagem na rmsp apresentação parcial dez 2014
 
Rssarmmv
RssarmmvRssarmmv
Rssarmmv
 
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
 
Orientacoes_esgoto_nbr8160_Florianopolis
Orientacoes_esgoto_nbr8160_FlorianopolisOrientacoes_esgoto_nbr8160_Florianopolis
Orientacoes_esgoto_nbr8160_Florianopolis
 
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosRiscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
 
Sistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvialSistemas de aproveitamento de água pluvial
Sistemas de aproveitamento de água pluvial
 
Apresentacao IGAM
Apresentacao IGAMApresentacao IGAM
Apresentacao IGAM
 
02 departamento autônomo de águas e esgoto
02 departamento autônomo de águas e esgoto02 departamento autônomo de águas e esgoto
02 departamento autônomo de águas e esgoto
 
Programa drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeira
Programa drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeiraPrograma drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeira
Programa drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeira
 
Amparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativoAmparo memorial descritivo e justificativo
Amparo memorial descritivo e justificativo
 
Recuperação Ambiental do Rio Doce
Recuperação Ambiental do Rio DoceRecuperação Ambiental do Rio Doce
Recuperação Ambiental do Rio Doce
 
NBR 10844/1989
NBR 10844/1989NBR 10844/1989
NBR 10844/1989
 
Trabalho de infraestrutura urbana- UFF
Trabalho de infraestrutura urbana- UFFTrabalho de infraestrutura urbana- UFF
Trabalho de infraestrutura urbana- UFF
 
Parecer EIA Mondim de Basto
Parecer EIA Mondim de BastoParecer EIA Mondim de Basto
Parecer EIA Mondim de Basto
 
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolisLei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
Lei nº 3681 de 01 de julho de 2013 anápolis
 
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
Pacto para solucao do conflito pelo uso da agua na bacia do ribeiro bonito
 

Mais de CBH Rio das Velhas (20)

Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
 
Portaria igam n045.2019
Portaria igam n045.2019Portaria igam n045.2019
Portaria igam n045.2019
 
Qualidade agua - FIEMG
Qualidade agua - FIEMGQualidade agua - FIEMG
Qualidade agua - FIEMG
 
Senai
SenaiSenai
Senai
 
Saae
SaaeSaae
Saae
 
Pro mananciais
Pro mananciaisPro mananciais
Pro mananciais
 
Copasa
CopasaCopasa
Copasa
 
Projeto jequitiba
Projeto jequitibaProjeto jequitiba
Projeto jequitiba
 
Trilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantesTrilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantes
 
Apresentacao SEMAD
Apresentacao SEMADApresentacao SEMAD
Apresentacao SEMAD
 
ProfÀgua
ProfÀguaProfÀgua
ProfÀgua
 
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio MaquineModelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
 
Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019
 
Ppt peixe vivo
Ppt peixe vivoPpt peixe vivo
Ppt peixe vivo
 
Ppt feam
Ppt feamPpt feam
Ppt feam
 
Ppt copasa
Ppt copasaPpt copasa
Ppt copasa
 
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em ItabiritoEvento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
 
Subcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete SabaraSubcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete Sabara
 
Projeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudasProjeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudas
 
Dn 07 2006 scbh caete-sabara
Dn 07 2006 scbh caete-sabaraDn 07 2006 scbh caete-sabara
Dn 07 2006 scbh caete-sabara
 

Último

ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfrisene8298
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxReservadaBiosferadaM
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ReservadaBiosferadaM
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptxReservadaBiosferadaM
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxReservadaBiosferadaM
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfReservadaBiosferadaM
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdfReservadaBiosferadaM
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPReservadaBiosferadaM
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAReservadaBiosferadaM
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024LorenaRocha85
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfReservadaBiosferadaM
 

Último (11)

ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptxapresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
apresentação Cajueiro_32º Encontro Nacional da RBMA.pptx
 
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
ARIE SITIO CURIÓ 32º Encontro Nacional RBMA_
 
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
32ª_Reunião Ordinária_Conselho Nacional_2023.pptx
 
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptxCEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
CEARÁ MAIS VERDE Fernando Bezerra .pptx
 
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdfFazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
Fazenda Bicho Preguiça - BA proposta posto avançado .pdf
 
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdfAruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta  RBMA.pdf
Aruá final RBMA Conectando Pessoas e Floresta RBMA.pdf
 
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMPSEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
SEDE DO PARQUE ESTADUAL MATA DA PIPA - PEMP
 
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMAÁrea de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
Área de Proteção Ambiental Jenipabu 32º Encontro Nacional da RBMA
 
poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024poluição da água trabalho biologia 2024
poluição da água trabalho biologia 2024
 
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdfApresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
Apresentação Tekoa Yvy Porã 32 CN - Natal 2023.pdf
 

Apresentacao vilarinho audiencia publica_14-03-2019_final

  • 1.
  • 2. PROJETO DE OTIMIZAÇÃO DO SISTEMA DE MACRODRENAGEM DOS CÓRREGOS VILARINHO, NADO E RIBEIRÃO ISIDORO 2 BELO HORIZONTE, 14/03/2019
  • 3. PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES  15 DE NOVEMBRO DE 2018 - o Município de Belo Horizonte foi acometido por um severo evento pluviométrico, o qual atingiu principalmente a Regional Venda Nova, resultando em perda de vidas.  Após o fato calamitoso, a Administração Municipal em pronto atendimento, cuidou da região, prestando todos os serviços necessários para a restauração das condições de normalidade das infraestruturas instaladas na região, bem como amparando os cidadãos afetados pela tragédia.  21 DE NOVEMBRO DE 2018 – foi publicado no Diário Oficial do Município: “DECRETO Nº 17.015, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2018. Declara em situação anormal, caracterizada como Situação de Emergência, as áreas do Município de Belo Horizonte comprovadamente afetadas pelos desastres decorrentes das precipitações pluviométricas registradas na cidade. ” “DECRETO Nº 17.016, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2018.Institui Comitê com o objetivo de coordenar as medidas de emergência em decorrência dos danos causados por intensa chuva na regional Venda Nova, com foco especial na Avenida Vilarinho.
  • 4. PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES “DECRETO Nº 17.016, DE 20 DE NOVEMBRO DE 2018. “Art. 1º – Fica instituído Comitê Estratégico de Emergência com o objetivo de promover estudos, apresentar propostas e projetos, bem como coordenar as medidas de emergência decorrentes das inundações, alagamentos e enxurradas na regional Venda Nova, com foco especial na Avenida Vilarinho. Parágrafo único – O Comitê tem como atribuições: I – apresentar no prazo de trinta dias a contar da data de publicação deste decreto propostas com soluções preventivas, reparadoras e definitivas para as inundações, alagamentos e enxurradas na regional de que trata o caput; II – coordenar as contratações emergenciais necessárias para a elaboração de projeto e obras na regional afetada. III – realizar demais medidas necessárias em decorrência da publicação do Decreto nº 17.015, de 20 de novembro de 2018.”
  • 5. PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES  Em virtude do fato, a empresa Engesolo Engenharia contratada para a prestação de serviços de consultoria para a Otimização do Sistema de Drenagem do córrego Cachoeirinha e ribeirões Pampulha e Onça, para solucionar problema semelhante ao ocorrido no dia 15/11/2018, se dispôs a auxiliar a Administração na avaliação dos estudos existentes e propor alternativas para minimizar os problemas de inundação.  19 DE DEZEMBRO DE 2018 – o Prefeito de Belo Horizonte, Dr. Alexandre Kalil, apresentou os resultados do trabalho desenvolvido pelo Comitê Estratégico de Emergência para solucionar o problema das inundações na região da avenida Vilarinho.
  • 6. PRINCIPAIS FATOS E AÇÕES  Após o contrato o com a Engesolo Engenharia ser aditado, a mesma desenvolveu o anteprojeto de engenharia para ser incorporado na contratação de projetos básicos, executivos e execução de obras, por meio do REGIME DIFERENCIADO DE CONTRATAÇÕES PÚBLICAS – RDC (modalidade Integrada).  LICENCIAMENTO AMBIENTAL – a SUDECAP está preparando o Edital para a contratação dos Estudos de Impacto Ambiental – EIA e o Relatório de Impacto Ambiental – RIMA, para a verificação dos impactos e suas respectivas medidas mitigadoras.  Desde a fatídica inundação do 15 de novembro de 2018, a Administração Municipal vem trabalhando incessantemente na viabilização dos serviços de minimização dos riscos de inundação da região da confluência das avenidas Vilarinho e Dr. Álvaro Camargos. Problema esse, que várias Administrações não se dedicaram a resolver.
  • 7. ÁREA DE ESTUDO E DE ABRANGÊNCIA DO PROJETO VILARINHO VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA SISTEMA COMPLETO 7 Área=16km2 Área=12km2
  • 8. CARTA DE INUNDAÇÕES DE BELO HORIZONTE DADOS DA REGIÃO DA CONFLUÊNCIA DOS CÓRREGOS VILARINHO E NADO
  • 9. ESTRUTURAS EXISTENTES VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA Córrego do Nado (Rua Dr. Álvaro Camargos) 9 ÁREA DE ABRANGÊNCIA DO PROJETO Córrego Vilarinho (Av. Vilarinho) Ribeirão Isidoro (Av. Vilarinho) Confluência Estação Vilarinho
  • 10. • Intervenção emergencial para reduzir a magnitude das inundações que ocorrem na região do cruzamento da Avenida Vilarinho e Rua Dr. Álvaro Camargos. • Diminuição da altura da lâmina d’água e do tempo de permanência das inundações (esgotamento mais rápido do volume extravasado sobre as vias). • Intervenção compatível com futuras soluções (de drenagem pluvial) na bacia, as mesmas serão contratadas no processo já em andamento, conduzido pela DGAU (Diretoria de Gestão de Águas Urbanas) e SMOBI (Secretaria Municipal de obras e infraestrutura. • Compatibilização e aproveitamento com as estruturas de macrodrenagem existentes: Túnel sob estação metroviária do Vilarinho. • Avaliação dos impactos da solução indicada, com proposição de medidas mitigadoras. 10 DIRETRIZES INICIAIS DOS ESTUDOS E PROJETO
  • 11. • ÁREA DE ESTUDO • 28 Km2 (Bacias dos córregos Vilarinho e Nado) • Elevado grau de impermeabilização do solo e canalização dos cursos d’água • Existência de 4 reservatórios de amortecimento de cheias (Volume total de 213.000 m3) • Eventos frequentes de inundações, associado à ocorrência de chuvas intensas • PRECIPITAÇÃO DE PROJETO • Período de retorno de 100 anos (probabilidade de ocorrência de 1%) = 76 mm [hora crítica] • Chuva de 15/11/2018: Período de retorno maior do que 100 anos Média das estações de monitoramento da PBH = 63 mm [hora crítica] Estação No 2 = 81 mm [hora crítica] Estação No 5 = 77 mm [hora crítica] 11 ASPECTOS HIDROLÓGICOS
  • 12. SISTEMA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO DE BELO HORIZONTE (27) (04) (11)
  • 13. VILARINHO ÁLVARO CAMARGOS VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA SISTEMA COMPLETO 13 Volume = 89.000 m3 Volume = 51.000 m3 Volume = 25.000 m3 Volume = 48.000 m3
  • 14. • Modelo hidrológico computacional HEC-HMS (do Centro de Engenharia do Exército Americano) • Simulação do evento de precipitação de projeto de TR 100 anos • Vazão máxima de cheia do córrego Vilarinho = 209 m3/s • Vazão máxima de cheia do córrego do Nado = 326 m3/s • Vazão máxima de cheia na confluência = 538 m3/s • Simulação do evento de chuva intensa observado em 15/11/2018 • Vazão máxima de cheia do córrego Vilarinho = 152 m3/s • Vazão máxima de cheia do córrego do Nado = 250 m3/s • Vazão máxima de cheia na confluência = 375 m3/s 14 ASPECTOS HIDROLÓGICOS
  • 15. VILARINHO ÁLVARO CAMARGOS VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA SISTEMA COMPLETO 15 ASPECTOS HIDROLÓGICOS 538 326 209 0 50 100 150 200 250 300 350 400 450 500 550 600 0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 110 120 Vazão(m3/s) Duração (minutos) Confluência Córrego do Nado Córrego Vilarinho Hidrogramas de cheias de TR 100 anos Hidrogramas de cheias de 15/11/2018 374 219 152 0 50 100 150 200 250 300 350 400 19:12 19:40 20:09 20:38 21:07 21:36 22:04 22:33 23:02 Vazão(m3/s) Duração (minutos) Confluência Córrego do Nado Córrego Vilarinho
  • 16. GALERIA BICELULAR 7,00x2,50m CAPACIDADE: 50 m³/s GALERIA BICELULAR 7,00x2,50m CAPACIDADE: 55 m³/s GALERIA TRICELULAR 10,80x2,80m CAPACIDADE: 111 m³/s 16 ASPECTOS HIDRÁULICOS Sistema de Macrodrenagem Existente (Córrego Vilarinho) (Córrego do Nado) (Ribeirão Isidoro) Av. Vilarinho Rua Dr. Álvaro Camargos
  • 17. • Baixa capacidade hidráulica das galerias existentes (córregos Vilarinho e Nado, ribeirão Isidoro) • Dimensões (seção hidráulica) e declividades limitadas, associado a existência de pilares nas galerias • Modelo hidráulico computacional HEC-RAS (do Centro de Engenharia do Exército Americano) • Capacidades hidráulicas máximas: • Região da confluência dos córregos Vilarinho e do Nado • Vazões limites sem a ocorrência de extravasamento para as vias: • Galeria do córrego Vilarinho = 55 m3/s • Galeria do córrego do Nado = 50 m3/s • Galeria do ribeirão Isidoro = 111 m3/s 17 ASPECTOS HIDRÁULICOS
  • 18. 18
  • 19. DIAGRAMA DAS VAZÕES DE CHEIAS AFLUENTES E DA CAPACIDADE HIDRÁULICA ATUAL DO SISTEMA DE MACRODRENAGEM EXISTENTE (CONFLUÊNCIA DOS CÓRREGOS VILARINHO E NADO) Capacidade hidráulica das galerias existentes Pico de cheias gerado pelas bacias de contribuição (TR de 100 anos) 19
  • 20. VILARINHO VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA SISTEMA COMPLETO 20 HIDROGRAMA DE CHEIA x CAPACIDADE DA GALERIA EXISTENTE (Área aproximada de 330.000 m2 ((cerca de 80 campos de futebol)
  • 21. DIAGRAMA DAS VAZÕES DE CHEIAS AFLUENTES E DA CAPACIDADE HIDRÁULICA DO SISTEMA DE MACRODRENAGEM COM AS INTERVENÇÕES PROPOSTAS (CONFLUÊNCIA DOS CÓRREGOS VILARINHO E NADO) Capacidade hidráulica das galerias existentes e túneis propostos Pico de cheia gerado pelas bacias de contribuição (TR de 100 anos) 21 A ser amortecido em novos reservatórios a montante
  • 22. SÍNTESE DAS INTERVENÇÕES PROPOSTAS • TÚNEL 1 Processo NATM, extensão de 774m e seção hidráulica de 5,0x5,0m = 180 m3/s • TÚNEL 2 Processo NATM, extensão de 698m e seção hidráulica de 5,0x5,0m = 189 m3/s • CANAIS DE LIGAÇÃO DAS GALERIAS EXISTENTES COM OS TÚNEIS Extensão de 363m • ESTRUTURA HIDRÁULICA DE CONFLUÊNCIA Área de captação superficial de 2.759m² • CANAL DE MACRODRENAGEM DO FLORESTA Extensão de 450m e seção hidráulica de 32,0x4,0m • ESTRUTURAS DE ENGOLIMENTO • 2 aberturas na galeria do córrego Vilarinho com área de captação superficial de 1.030m² • 5 aberturas na galeria do ribeirão Isidoro com área de captação superficial de 1.100m² 22
  • 23. PLANTA GERAL DAS INTERVENÇÕES PROPOSTAS TÚNEL 1 ESTRUTURAS DE CAPTAÇÃO SUPERFICIAL CANAL DE MACRODRENAGEM (CÓRREGO FLORESTA) ESTRUTURA HIDRÁULICA DE CONFLUÊNCIA TÚNEL 2 GALERIAS EXISTENTES 23 UTILIZAÇÃO DO TÚNEL EXISTENTE
  • 24. DETALHAMENTO DAS SOLUÇÕES TÚNEL 1 TÚNEL 2 ESTRUTURA DE CONFLUÊNCIA CANAIS DE INTERLIGAÇÃO ESTRUTURAS DE CAPTAÇÃO SUPERFICIAL CANAL DE MACRODRENAGEM (CÓRREGO FLORESTA) 24
  • 25. ESTRUTURAS EXISTENTES • VILARINHO • ÁLVARO CAMARGOS • VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA • TODAS AS ESTRUTURAS • SEÇÃO TIPO TÚNEL EM SOLO • SEÇÃO TIPO TÚNEL EM ROCHA • TÚNEL EM PROCESSO NATM • GABARITO INTERNO: SEÇÃO 5,00m x 5,00m • DECLIVIDADE LONGITUDINAL: 0,68% • CAPACIDADE HIDRÁULICA: 180 m³/s • EXTENSÃO TOTAL: 774m • EXTENSÃO EM SOLO: 484m • EXTENSÃO EM ROCHA: 290m • EMBOQUE MONTANTE: RUA GERALDO ALEXANDRE FERREIRA • EMBOQUE JUSANTE : TERRENO BALDIO PRÓXIMO A RUA INCA • POÇOS DE ATAQUE: 3 • COBERTURA MÍNIMA: 4,30m • COBERTURA MÁXIMA: 38,50m 25 TÚNEL 1
  • 26. TÚNEL 1 – PLANTA E PERFIL LONGITUDINAL 26
  • 27. ESTRUTURAS EXISTENTES • VILARINHO • ÁLVARO CAMARGOS • VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA • TODAS AS ESTRUTURAS • TÚNEL EM PROCESSO NATM • GABARITO INTERNO: SEÇÃO 5,00m x 5,00m • DECLIVIDADE LONGITUDINAL: 0,75% • CAPACIDADE HIDRÁULICA: 189 m³/s • EXTENSÃO TOTAL: 698m • EXTENSÃO EM SOLO: 450m • EXTENSÃO EM ROCHA: 248m • EMBOQUE MONTANTE: RUA MAÇON RIBEIRO • EMBOQUE JUSANTE : PRÓXIMO A RUA DA PEROBA • POÇOS DE ATAQUE: 3 • COBERTURA MÍNIMA: 3,20m • COBERTURA MÁXIMA: 28,10m • SEÇÃO TIPO TÚNEL EM SOLO • SEÇÃO TIPO TÚNEL EM ROCHA 27 TÚNEL 2
  • 28. TÚNEL 2 – PLANTA E PERFIL LONGITUDINAL 28
  • 29. • VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA • TODAS AS ESTRUTURAS GALERIA DE DESVIO PARA O TÚNEL GALERIA EXISTENTE GALERIA COMPLEMENTAR, COMPATÍVEL PARA SOLUÇÕES FUTURAS NA BACIA (A MONTANTE) CAPTAÇÃO SUPERFICIAL 29 CANAIS DE INTERLIGAÇÃO DAS GALERIAS EXISTENTES COM OS TÚNEIS PROPOSTOS
  • 30. ESTRUTURA HIDRÁULICA DE CONFLUÊNCIA CANAL DE INTERLIGAÇÃO TÚNEL 2 GALERIA VILARINHO ESTRUTURA DE CONFLUÊNCIA • DESVIO DA GALERIA DO CÓRREGO DO NADO PARA O TÚNEL 2. • OTIMIZAÇÃO GEOMÉTRICA DA CONFLUÊNCIA. • ÁREA PARA ABSORÇÃO DE ESCOAMENTO SUPERFICIAL • GALERIA TRICELULAR SEM FUNCIONAMENTO EM CARGA 30 TÚNEL 2
  • 31. ESTRUTURAS DE CAPTAÇÃO SUPERFICIAL • 7 ABERTURAS PONTUAIS NO TOPO DAS GALERIAS EXISTENTES • CAPTAÇÃO E CONDUÇÃO DO ESCOAMENTO SUPERFICIAL PARA O INTERIOR DAS GALERIAS Estruturas de Captação 31
  • 32. CANAL DE MACRODRENAGEM DO CÓRREGO FLORESTA • O CANAL RECEBERÁ AS VAZÕES DOS TÚNEIS 1 E 2 • ESTRUTURA EM GABIÃO • DISPOSITIVOS DE REDUÇÃO DAS VELOCIDADES DESEMBOQUE TÚNEL 2 DESEMBOQUE TÚNEL 1 32
  • 33. CUSTO ESTIMADO DAS INTERVENÇÕES PROPOSTAS • ORÇAMENTO PRELIMINAR • VALOR CONTEMPLA TODAS AS ESTRUTURAS PROPOSTAS • QUANTITATIVO E MÉTODOS CONSTRUTIVOS AINDA EM FASE DE ESTUDO R$300.000.000 TÚNEL 1 ESTRUTURA HIDRÁULICA DE CONFLUÊNCIA TÚNEL 2 CAPTAÇÃO SUPERFICIAL CANAL DE MACRODRENAGEM (FLORESTA) VIADUTO 33
  • 34. VILARINHO VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA SISTEMA COMPLETO 34 AVALIAÇÃO DE IMPACTOS DO PROJETO Mancha de Inundação a jusante: Córrego Floresta e Ribeirão Isidoro  VAZÕES DE PICO ASSOCIADAS A PRECIPITAÇÃO DE PROJETO COM PERÍODO DE RETORNO DE 100 ANOS, OBTIDAS DE SIMULAÇÕES HIDROLÓGICAS ATRAVÉS DO MODELO COMPUTACIONAL HEC-HMS.  SIMULAÇÕES HIDRÁULICAS DESENVOLVIDAS ATRAVÉS DO MODELO COMPUTACIONAL HEC-RAS, EM REGIME DE ESCOAMENTO PERMANENTE E UNIDIMENSIONAL.  MANCHAS DE INUNDAÇÃO, EM CARÁTER PRELIMINAR, DO CÓRREGO FLORESTA E RIBEIRÃO ISIDORO, ASSOCIADAS AS VAZÕES DE CHEIAS COM RECORRÊNCIA DE 100 ANOS: CENÁRIOS ATUAL E FUTURO.  CENÁRIO ATUAL: VAZÃO PROVENIENTE DA ÁREA DE MONTANTE (BACIAS DOS CÓRREGOS VILARINHO E NADO) CORRESPONDENTE A DESCARGA MÁXIMA DA GALERIA TRICELULAR EXISTENTE.  CENÁRIO FUTURO: VAZÃO PROVENIENTE DA ÁREA DE MONTANTE (BACIAS DOS CÓRREGOS VILARINHO E NADO) CORRESPONDENTE A DESCARGA MÁXIMA DA GALERIA TRICELULAR EXISTENTE, SOMADA AS VAZÕES DE PROJETO DOS TÚNEIS.
  • 35. VILARINHO VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA SISTEMA COMPLETO 35 TÚNEL1 TÚNEL2 ESTAÇÃO METRÔ
  • 36. VILARINHO VILARINHO APÓS A CONFLUÊNCIA SISTEMA COMPLETO 36 AVALIAÇÃO DE IMPACTOS DO PROJETO Mancha de Inundação a jusante: Córrego Floresta e Ribeirão Isidoro RIBEIRÃO ISIDORO CONFLUÊNCIA COM O RIBEIRÃO DO ONÇA
  • 37. Lagoa da Pampulha 1 2 5 3 6 4 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 RESERVATÓRIOS PARA CONTROLE DE CHEIAS EM BELO HORIZONTE 1 - BD Av. Vilarinho 2 - BD Av. Liége 3 - BD Engenho Nogueira 4 - BD Bonsucesso 5 - Barragem da Pampulha 6 – Lagoa do Pq. do Nado 7 – Lagoa Seca do Belvedere 8 – Barragem de Sta. Lúcia 9 e 10 – BDs do Córrego Cardoso (02 bacias) 11 - BD Pq. N.S. da Piedade 12 – BD do Pq. 1° de Maio 15 - BD Jatobá 16 - BD Olaria 17 - BD Túnel/Camarões 18 - BD Córrego Lareira 13 e 14 – BDs da Várzea da Palma (02 bacias) 20 - BD Calafate 21 – Res. B. das Indústrias 19 - BD São Francisco CONSTRUIDOS EM CONSTRUÇÃO A CONSTRUIR LEGENDA
  • 38. Desassoreamento das Bacias de Controle de Cheias do Município BD Liége: Fotos Antes –Durante – Depois BD Engenho Nogueira: Fotos Antes –Durante – Depois SUSTENTABILIDADE AÇÕES PREVENTIVAS
  • 39. Ações de Manutenção e Recuperação de canais e galerias Manutenção e recuperação do canal e galeria do Córrego Acaba Mundo SUSTENTABILIDADE AÇÕES PREVENTIVAS