SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 60
Baixar para ler offline
CIDEU
POLÍTICA DE GESTÃO DO RISCO DE
INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE
Bacia Ribeirão Arrudas
PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE
SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E INFRAESTRUTURA - SMOBI
DIRETORIA DE GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS - DGAU
Belo Horizonte,
Setembro de 2019
ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE
Fonte: Secretaria Municipal de Política Urbana (SMPU/PBH), 2018
Poluição por EsgotosVulnerabilidade
Erosão do solo
Resíduos SólidosInundações
GESTÃO DAS ÁGUAS URBANAS
QUESTÕES A SEREM ENFRENTADAS
Enxurradas
Contratação e supervisão de
projetos e obras de drenagem
urbana e manejo de águas
pluviais.
PBH – SUDECAP / URBEL
Fundo
Municipal de
Saneamento
– Recurso
Financeiro
Convênio
PBH e
COPASA
Execução das
obras de
saneamento
Gestão
compartilhada
Planejamento das ações e
Gestão da Política Municipal
de Saneamento.
PBH – SMOBI
Diretoria de Gestão de
Águas Urbanas - DGAU
COPASA
• Concessionária – Abastecimento
de Água e Esgotamento Sanitário.
• Captação, tratamento e
distribuição de água potável.
• Coleta, interceptação e tratamento
de esgoto.
(Repassa recursos ao Fundo
Municipal de Saneamento).
COMUSA
Conselho Municipal
de Saneamento:
Fiscaliza a execução
da Política
Municipal de
Saneamento.
PBH – Prefeitura de Belo
Horizonte
SMOBI – Secretaria Municipal de
Obras e Infraestrutura
SUDECAP – Superintendência de
Desenvolvimento da Capital
URBEL – Companhia
Urbanizadora e de Habitação de
Belo Horizonte
COPASA – Companhia de
Saneamento de Minas Gerais
GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS EM BELO HORIZONTE
POLÍTICA DE GESTÃO DO RISCO DE
INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE
 Planejamento e Gestão:
• Plano Diretor de Drenagem;
• Programa DRENURBS;
• Plano Municipal de Saneamento;
• Plano Diretor Municipal - Leis de Uso e Ocupação do Solo.
 Execução de obras estruturantes;
 Intensificação dos serviços de manutenção;
 Ações preventivas e de contingência.
POLÍTICA DE GESTÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM
1ª ETAPA (1996-2001)
1ª ETAPA - 1999/2004
1. 1- Novas diretrizes/Mudança de paradigmas;
2. 2- Caracterização das bacias elementares;
3. 3- Diagnóstico Integrado do Sistema de Drenagem;
4. 4- Cadastro de micro e macrodrenagem;
5. 5- Caracterização estrutural da rede de macrodrenagem;
6. 6- Criação do “Sistema Geográfico de Informações de Drenagem”-
SIG Drenagem.
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM – 1ª ETAPA
 1ª Etapa:
• Diagnóstico
• Estabelecimento de Novas Diretrizes:
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA
Tratamento integrado dos corpos d’água;
Estabelecimento de vazão de restrição e não transferência de impactos a
jusante;
Priorização de alternativas de intervenções que promovam a integração
do curso d’água à paisagem natural;
Implementação de intervenções que minimizem os impactos sociais
(desapropriação/ remoção/reassentamento).
 1996  identificada a necessidade de se estabelecer um instrumento de
planejamento da drenagem
 Caracterização / Diagnóstico das Bacias Hidrográficas
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA
 Cadastro e Diagnóstico do Sistema de Drenagem
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA
SIG-DRENAGEM
Banco de dados espacial, que contempla o
sistema de drenagem implantado (micro e
macrodrenagem), as bacias hidrográficas e
informações relativas à malha urbana.
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA
PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO
(1ª Versão: PMS 2004 – 2007)
(Versão Atual: PMS 2016 – 2019)
 Quadrienal e atualizado a cada dois anos;
 Processo dinâmico e participativo de planejamento e monitoramento
das ações de saneamento em BH;
 Definição das prioridades de investimentos em saneamento, por bacia e
sub-bacia hidrográfica no Município;
 COMUSA  prerrogativas de apreciação, aprovação e fiscalização do
PMS;
 Iniciativa pioneira no país, que incorpora uma lógica de planejamento
inédita em capitais brasileiras.
PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO
PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO
ISA = [Iab].0,05 +[Ies].0,35 + [Irs].0,20 + [Idr].0,40 Prioridades por Sub-Bacias do
PMS 2016/2019
CRITÉRIOS DE PRIORIZAÇÃO - PMS 2016/2019
1) menor nota do ISA (nota 50);
2) maior densidade demográfica (nota 15);
3) maior % de população moradora de vilas/favelas (nota 25);
4) maior nota do IVS (nota 10).
NOTPRIOR = ( NOTISA ) + ( NOTDENS ) + ( NOTPOPVI ) + ( NOTIVS )
NOTPRIOR: Nota de priorização (0 a 100);
NOTISA: Nota do ISA (0 a 50);
NOTDENS: Nota para densidade demográfica (0 a 15);
NOTPOPVI: Nota para o percentual da população residente em vilas e favelas (0 a 25);
NOTIVS: Nota do IVS (0 a 10).
Pesos definidos pelo Método de Análise Hierárquica - AHP
PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO
PROGRAMA DRENURBS
(1ª Etapa: 2004 – 2012)
(Suplementar à 1ª Etapa: 2013 – 2020)
PROGRAMA DRENURBS
 47 bacias hidrográficas;
 200 km de cursos d’água;
 177 km² (54% área de BH);
 População: 1 milhão hab.;
Agente Financiador:
Contrato BID
- 1ª Etapa - US$ 138 milhões
- Suplementar à 1ª Etapa – US$ 110
milhões.
Principais Eixos de Atuação do Programa:
 Execução de Obras em 5 sub-bacias;
 Gestão Sócio Ambiental;
Fortalecimento Institucional – 2ª Etapa
do Plano Diretor de Drenagem.
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM
2ª ETAPA
(2005- Em andamento)
2ª ETAPA - 2005/atual - Viabilizada no âmbito do Programa DRENURBS
1- Modelagem Matemática da Macrodrenagem
2- Elaboração da Carta de Inundações
3- Implantação do Programa de Monitoramento Hidrológico
4- Criação dos Núcleos de Alerta de Chuvas - NAC
5- Atualização Tecnológica e Capacitação em Drenagem
6-Sistema Integrado de Gerenciamento de Drenagem e Alerta de
Inundações de Belo Horizonte – GEDAI (em contratação)
7- Consolidação do Planejamento para as Grandes Bacias Hidrográficas
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM – 2ª ETAPA
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM – 2ª ETAPA
Modelagem Matemática
• Elaboração da Carta de Inundações (2009);
• Instalação de Placas Educativas e de Alerta (2009);
• Criação dos Núcleos de Alerta de Chuvas – NAC (2009).
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
Implementação do Sistema de Monitoramento Hidrológico e Alerta de
Inundações
Mapa de Localização das
Estações
11 estações pluviométricas
27 estações fluviométricas
4 estações climatológicas
14 estações pluviométricas
(Em operação desde 2011)
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
Sensor de
precipitação
(basculante)
Sensor
piezoresistivo
Sensor
ultrassônico
Sensor
climatológico
(temperatura, pressão, vento,
umidade relativa e precipitação)
Estação Fluviométrica 30
ARRUDAS-TEREZA CRISTNA
• SISTEMA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
Sensor
ultrassônico
Sensor
Piezorresistivo
• SISTEMA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
RESUMO DE ALERTAS
(09/2016 a 03/2017)
50% Seção
80% Seção
extravasamento
• SISTEMA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO
Mês Set Nov Dez Jan Fev Mar Total
11 6 20 18 32 19 106
5 3 7 4 9 8 36
2 1 9 2 1 3 18
Total Mensal 18 10 36 24 42 30 160
Resumo de Alertas - 2016 a 2017
66%
23%
11%
Porcentagem de Alertas - Set/2016 a Mar/2017
SET
Bacia Estação Córrego 25 15 16 4 14 12 15 3 4 6 7 19 27
19P Ressaca
16F Ressaca
17F Ressaca
18F Sarandi
20P Sarandi
21P Sarandi
8F Pampulha
14P Cachoeirinha
13F Cachoeirinha
10F Onça
11F Gorduras
5P Nado
7F Nado
4P Vilarinho
1F Vilarinho
2F Vilarinho
6F Vilarinho
3P Floresta
9F Onça
27P Jatoba
26F Jatoba
25F Jatoba
28F Barreiro
22P Ferrugem
23F Ferrugem
24F Arrudas
29P Bonsucesso
31P Cercadinho
30F Arrudas
32F Arrudas
42P Leitão
37F Leitão
36F Guaicuí
38F Leitão
39F Leitão
40F Leitão
41F Leitão
15P Pastinho
34P Serra
33F Arrudas
12P Santa Inês
35F Arrudas
RESUMO DE ALERTAS - PERÍODO CHUVOSO SETEMBRO 2016 A MARÇO 2017
ANO 2017
Meses FEVNOV
2016
DEZ JAN MAR
OnçaArrudas
Bacias Laranja Vermelho
Onça 13% 5%
Arrudas 10% 6%
Alertas
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
27
BELO HORIZONTE
 Gestão Sustentável das Águas Urbanas para a Melhoria da Qualidade de Vida das Cidades do Futuro
 Projeto internacional aprovado pela União Européia e coordenado pela UNESCO-Organização das
Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura, em 2005
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM
• Atualização Tecnológica e Capacitação em Drenagem
Sistema Integrado de Gerenciamento de Drenagem e Alerta de
Inundações de Belo Horizonte – GEDAI (em contratação)
Objetivos
• Unificar e aprimorar os sistemas e soluções atualmente em uso;
• Incorporação das informações do Radar Meteorológico;
• Melhoria da aplicação dos recursos de modelagem hidrológica e
hidráulica;
• Garantir suporte para recebimento, simulações e disponibilização de
dados cadastrais, hidrológicos;
• Proporcionar alerta em tempo real.
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
Consolidação do Planejamento para as Grandes Bacias Hidrográficas
- Elaboração de Estudos, Proposição de Intervenções para Redução e
Mitigação das Inundação nas Principais Áreas de Risco:
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
-Bacia do Ribeirão Isidoro;
-Bacia do Ribeirão do Onça;
-Bacia do Ribeirão Arrudas.
PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
Planejamento para as Grandes Bacias Hidrográficas
Bacia do Ribeirão Arrudas NÚMERO EMPREENDIMENTO
1 Córrego Túnel / Camarões
2 Córrego Olaria
3 Córrego Jatobá
4 Córrego Barreiro
5 Ribeirão Arrudas / Reservatório B. das Indústrias
6 Córrego Bonsucesso
7 Córrego Cercadinho
8 Ribeirão Arrudas / Av. Tereza Cristina / BD Calafate
9 Córrego Piteiras / Av. Barão H. de Melo
10 Córrego dos Pintos /Av. Francisco Sá
11 Córrego Leitão / Av. Prudente de Morais
12 Córrego da Serra
13 Vila Viva Aglomerado da Serra
14 Córrego do Navio / Avenida Belém
15 Córrego do Navio / Avenida Belém
16 Córrego Freitas / Av. Santa Terezinha
17 Córrego Santa Inês / Via 710
A - Túnel / Camarões
B - Jatobá
C - Olaria
D - Bairro das Indústrias
E - Bonsucesso
F - Calafate
G - Lagoa Seca
H - Cercadinho
I - Barragem Santa Lúcia
J - Cardoso / Mem de Sá
BACIAS DE DETENÇÃO
Intervenções para Redução do Risco de Inundações
EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES
ESTRUTURANTES
EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
Principais Intervenções
Estruturantes Previstas
para Redução de Risco de
Inundações em Belo
Horizonte
Bacia do Ribeirão Arrudas NÚMERO EMPREENDIMENTO
1 Córrego Túnel / Camarões
2 Córrego Olaria
3 Córrego Jatobá
4 Córrego Barreiro
5 Ribeirão Arrudas / Reservatório B. das Indústrias
6 Córrego Bonsucesso
7 Córrego Cercadinho
8 Ribeirão Arrudas / Av. Tereza Cristina / BD Calafate
9 Córrego Piteiras / Av. Barão H. de Melo
10 Córrego dos Pintos /Av. Francisco Sá
11 Córrego Leitão / Av. Prudente de Morais
12 Córrego da Serra
13 Vila Viva Aglomerado da Serra
14 Córrego do Navio / Avenida Belém
15 Córrego do Navio / Avenida Belém
16 Córrego Freitas / Av. Santa Terezinha
17 Córrego Santa Inês / Via 710
A - Túnel / Camarões
B - Jatobá
C - Olaria
D - Bairro das Indústrias
E - Bonsucesso
F - Calafate
G - Lagoa Seca
H - Cercadinho
I - Barragem Santa Lúcia
J - Cardoso / Mem de Sá
BACIAS DE DETENÇÃO
Intervenções para Redução do Risco de Inundações
TRECHOS 1 e 2
Via 210
TRECHO 6
TRECHO 5
TRECHO 7
TRECHO 8
TRECHO 9
TRECHO 7A
 Trechos 1, 2 - Via 210 – (PAC Mobilidade)
 Trechos 5, 6, 7 (parcial) - (PAC 2 – Meta 1)
TRECHOS 22 E 23
Rua Marselhesa
TRECHO 17
TRECHO 16
TRECHO 18
 Trechos 7(complementar), 7A, 8, 9, 16, 17
e 18 (Drenurbs Suplementar)
BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
PAC Mobilidade
PAC 2
Drenurbs – Suplementar
 Trechos 22 e 23 (Rua Marselhesa) e Sist.
Esg. Sanitário (PAC2 – Meta 2)
PROGRAMA
DRENURBS
SUPLEMENTAR À 1ª
ETAPA
BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
Bacia de contenção de cheias
EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
TRATAMENTO DE FUNDO DE VALE
BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
ANTES DEPOIS
ANTES DEPOIS
Milionários
 Área de
intervenções
Vilas Cemig e Alto
das Antenas
 ESCOPO:
 Urbanização;
 Implantação de
infraestrutura
de saneamento;
 Relocalização
de famílias, com
implantação de
232 Unidades
Habitacionais (5
Conjuntos).
6
5
Rua Marselhesa
7
8
7A
Via 210
9
R2
BD Bonsucesso16
17
22/23
18
Betânia
Olhos d’ Água
Pilar
Anel Rodoviário
Conj.
Esperança
Vilas Cemig /
Alto das
Antenas
VILAS CEMIG E ALTO DAS ANTENAS
BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
• Prazo de
Execução: 15
meses
• Investimento:
R$ 12 milhões
BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
COMPLEMENTAÇÃO DO SES
(em execução desde março/19)
• 12 km de redes
coletoras
• 05 km de
interceptores
• 02 estações
elevatórias
• Tratamento de fundo de vale do Córrego da Rua Marselhesa (Praça
da Fé até Rua Cristiano Resende)
• Implantação de complexo viário (Ruas São Simão, Aragarças,
Aureliano La, Antônio Praça Piedade, A e C)
• Revitalização da Praça da Fé
• Implantação de calçadão
• Implantação de áreas de convivência
• Prazo de Execução: 15 meses
• Investimento: R$ 8 milhões
• Desapropriações/indenizações/PTTS: R$ 10 milhões (inclusive para
o SES).
BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
EMPREENDIMENTO - RUA MARSELHESA
(em execução desde setembro/18)
BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
EMPREENDIMENTO - RUA MARSELHESA
Escopo: Tratamento de fundo de Vale e
Bacia de Detenção de Cheias
Status: Concluído
Volume: 195.000m³
Valor Total do Investimento: R$ 68,5
milhões (PAC-1 /FMS)
Córregos Olaria e Jatobá – 1ª Etapa
EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
Córregos Olaria e Jatobá – 2ª Etapa
Escopo: Tratamento de fundo de Vale
e Bacia de Detenção de Cheias
Status: Em licitação de obras Previsão
de Início: 2 º sem./2019.
Volume: 110.000m³
Valor Total do Investimento: R$ 30
milhões (PAC e FMS).
Escopo: Tratamento de fundo de Vale
e Bacia de Detenção de Cheias
Status: Obras em andamento – BD
implantada e em operação.
Volume: 500.000 m³
Valor Total do Investimento:
R$ 126,6 milhões (PAC-2/FMS).
Córrego Túnel Camarões
EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
Escopo: Bacia de Detenção de Cheias
Status: Em licitação de Obras – Previsão de Início: 2 º sem./2019.
Volume: 120.000m³
Valor Total do Investimento: R$ 45,7 milhões (PAC e FMS).
Bacia de Detenção do Bairro das Indústrias
EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
Escopo: Bacia de Detenção de
Cheias e Canal Paralelo.
Status: Projetos concluídos.
Necessário viabilizar captação de
recursos para execução de obras.
Volume: 600.000m³
Valor Total do Investimento: R$
500 milhões.
Bacia de Detenção do Bairro Calafate
EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
PLANO DIRETOR URBANO – LEI DE
USO E OCUPAÇAO DO SOLO
LEI Nº 11.181/2019
A nova lei de uso e ocupação do
solo de Belo Horizonte, recém
aprovada pelo Câmara
Municipal, contempla aspectos
ambientais que promoverão a
preservação de áreas
permeáveis e a restrição de
ocupação de algumas áreas,
diretrizes preconizadas no Plano
Diretor de Drenagem.
PLANO DIRETOR – LEI DE USO E OCUPAÇAO
DO SOLO
 Zoneamento de preservação ambiental, ADE’s de interesse ambiental;
 Uso e ocupação do solo coerente com a capacidade de suporte;
 Exigência de área permeável vegetada em terreno natural;
 Definição de tipologias específicas para áreas sujeitas a inundações;
 Contenção do adensamento em fundo de vale por meio de planos
de ocupação específicos;
 Preservação ambiental reservando áreas para a execução de obras de
saneamentocomacriaçãodeparqueseespaçosdelazerparaapopulação.
Fonte: Secretaria Municipal de Política Urbana (SMPU/PBH), 2018
PLANO DIRETOR – LEI DE USO E OCUPAÇAO
DO SOLO
INTENSIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS DE
MANUTENÇÃO
INTENSIFICAÇÃO DOS SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO
AÇÕES PREVENTIVAS E DE
CONTINGÊNCIA
 Atuação do Grupo Gestor de Risco e Desastres – Coordenação da Defesa
Civil do Município – SUPDEC;
 Atuação junto aos NAC’s;
 Sinalização e desvios de tráfego;
 Alertas e Planos de Contingência.
AÇÕES PREVENTIVAS E DE CONTINGÊNCIA
PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE
RECURSOS – Bacia do Arrudas
1. CÓRREGO LEITÃO
Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa
Avançar Cidades I
PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS
Fotos das Inundações na Av. Prudente de
Morais – Córrego Leitão
2. CÓRREGO DOS PINTOS
Desenvolvimento de Estudos e Projetos –
Programa Avançar I
PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS
Fotos das Inundações na Av. Francisco Sá –
Córrego dos Pintos
3. CÓRREGO BARREIRO
Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa
Avançar Cidades II
PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS
Fotos das Inundações na Av. Olinto
Meireles– Córrego Barreiro
4. CÓRREGO PITEIRAS
Desenvolvimento de Estudos e Projetos –
Programa Avançar II
PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS
Fotos das Inundações na Av. Silva Lobo –
Córrego Piteiras
5. CÓRREGO CERCADINHO
Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa
Avançar Cidades II;
BACIA DE DETENÇÃO - CÓRREGO CERCADINHO
Projetos em conclusão PAC-2;
PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS
E-mail: raroeira@pbh.gov.br
dgau@pbh.gov.br
Telefone: (31) 3277-8046
www.pbh.gov.br
Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura – SMOBI
Diretoria de Gestão de Águas Urbanas
Ricardo de Miranda Aroeira
E-mail: raroeira@pbh.gov.br
dgau@pbh.gov.br
Telefone: (31) 3277-8046
www.pbh.gov.br
Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura – SMOBI
Diretoria de Gestão de Águas Urbanas
Ricardo de Miranda Aroeira

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Centro de Convivência do Idoso
Centro de Convivência do IdosoCentro de Convivência do Idoso
Centro de Convivência do IdosoTemas para TCC
 
Aula de Hidrologia 03
Aula de Hidrologia 03Aula de Hidrologia 03
Aula de Hidrologia 03Ronaldo Cesar
 
Calculo da vazao projeto 2015.2
Calculo da vazao projeto 2015.2Calculo da vazao projeto 2015.2
Calculo da vazao projeto 2015.2marcosrei85
 
Barragens e Reservatórios
Barragens e Reservatórios Barragens e Reservatórios
Barragens e Reservatórios Ozi Carvalho
 
Aula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalAula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalLucas Sant'ana
 
Interpolao de curvas de nvel
Interpolao de curvas de nvelInterpolao de curvas de nvel
Interpolao de curvas de nvelRafael Triton
 
Nbr 12216 92 projeto de estação de tratamento de água para
Nbr 12216 92   projeto de estação de tratamento de água paraNbr 12216 92   projeto de estação de tratamento de água para
Nbr 12216 92 projeto de estação de tratamento de água paraJacqueline Schultz
 
O que é um azimute 1
O que é um azimute 1O que é um azimute 1
O que é um azimute 1gravanadas
 
Trabalho de Sistema de Abastecimento de Água
Trabalho de Sistema de Abastecimento de ÁguaTrabalho de Sistema de Abastecimento de Água
Trabalho de Sistema de Abastecimento de ÁguaGabriela Almeida
 
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaTFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaIZIS PAIXÃO
 
Hidrologia+estatística
Hidrologia+estatísticaHidrologia+estatística
Hidrologia+estatísticaNíkolas Paes
 
Planejamento Urbano - Nível Federal
Planejamento Urbano - Nível FederalPlanejamento Urbano - Nível Federal
Planejamento Urbano - Nível FederalChawana Bastos
 

Mais procurados (20)

Centro de Convivência do Idoso
Centro de Convivência do IdosoCentro de Convivência do Idoso
Centro de Convivência do Idoso
 
Interpolação e Geoestatística em R
Interpolação e Geoestatística em RInterpolação e Geoestatística em R
Interpolação e Geoestatística em R
 
Aula de Hidrologia 03
Aula de Hidrologia 03Aula de Hidrologia 03
Aula de Hidrologia 03
 
Calculo da vazao projeto 2015.2
Calculo da vazao projeto 2015.2Calculo da vazao projeto 2015.2
Calculo da vazao projeto 2015.2
 
Barragens e Reservatórios
Barragens e Reservatórios Barragens e Reservatórios
Barragens e Reservatórios
 
Aula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método RacionalAula Hidrologia - Método Racional
Aula Hidrologia - Método Racional
 
Barragens
BarragensBarragens
Barragens
 
Interpolao de curvas de nvel
Interpolao de curvas de nvelInterpolao de curvas de nvel
Interpolao de curvas de nvel
 
Nbr 12216 92 projeto de estação de tratamento de água para
Nbr 12216 92   projeto de estação de tratamento de água paraNbr 12216 92   projeto de estação de tratamento de água para
Nbr 12216 92 projeto de estação de tratamento de água para
 
Leitura da mira
Leitura da miraLeitura da mira
Leitura da mira
 
O que é um azimute 1
O que é um azimute 1O que é um azimute 1
O que é um azimute 1
 
Trabalho de Sistema de Abastecimento de Água
Trabalho de Sistema de Abastecimento de ÁguaTrabalho de Sistema de Abastecimento de Água
Trabalho de Sistema de Abastecimento de Água
 
Hidrologia Aula 1
Hidrologia Aula 1Hidrologia Aula 1
Hidrologia Aula 1
 
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande AlvarengaTFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
TFG Complexo Cultural e Esportivo Grande Alvarenga
 
Escoamento variado..
Escoamento variado..Escoamento variado..
Escoamento variado..
 
Saneamento
SaneamentoSaneamento
Saneamento
 
Drenagem urbana
Drenagem urbanaDrenagem urbana
Drenagem urbana
 
Teli 1
Teli 1Teli 1
Teli 1
 
Hidrologia+estatística
Hidrologia+estatísticaHidrologia+estatística
Hidrologia+estatística
 
Planejamento Urbano - Nível Federal
Planejamento Urbano - Nível FederalPlanejamento Urbano - Nível Federal
Planejamento Urbano - Nível Federal
 

Semelhante a Como criar um site de sucesso

Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa CivilApresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa CivilPaulo Celestino
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCclaudinor
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCsamaerne
 
Palestra Sr. Eduardo Topazio - INEMA
Palestra Sr. Eduardo Topazio - INEMAPalestra Sr. Eduardo Topazio - INEMA
Palestra Sr. Eduardo Topazio - INEMAequipeagroplus
 
Apresentacao_FernandoPruski
Apresentacao_FernandoPruskiApresentacao_FernandoPruski
Apresentacao_FernandoPruskiequipeagroplus
 
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014saneamentocastelodopiaui
 
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014saneamentocastelodopiaui
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiaNilton Goulart
 
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdfDiagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdfEdineiaKoelerGege
 
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...CBH Rio das Velhas
 
Plano Municipal de Saneamento Final
Plano Municipal de Saneamento   FinalPlano Municipal de Saneamento   Final
Plano Municipal de Saneamento FinalGustavo Cherubine
 
WORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto Carneiro
WORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto CarneiroWORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto Carneiro
WORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto Carneiroportodeaveiro
 
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosRiscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosPaulo Rodrigues
 

Semelhante a Como criar um site de sucesso (20)

Programa drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeira
Programa drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeiraPrograma drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeira
Programa drenurbs prefeiturabh-ricardoaroeira
 
Ppa momentos
Ppa momentosPpa momentos
Ppa momentos
 
Aula 1 introdução omsd
Aula 1    introdução omsdAula 1    introdução omsd
Aula 1 introdução omsd
 
Apresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa CivilApresentação Defesa Civil
Apresentação Defesa Civil
 
Pap doce nov2011
Pap doce nov2011Pap doce nov2011
Pap doce nov2011
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
Palestra Sr. Eduardo Topazio - INEMA
Palestra Sr. Eduardo Topazio - INEMAPalestra Sr. Eduardo Topazio - INEMA
Palestra Sr. Eduardo Topazio - INEMA
 
Apresentacao_FernandoPruski
Apresentacao_FernandoPruskiApresentacao_FernandoPruski
Apresentacao_FernandoPruski
 
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.01.2014 a 19.02.2014
 
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014
Sistema da Informação PRODUTO I - 20.02.2014 a 19.03.2014
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...
Apresentação IGAM - 23ª Reunião Extraordinária CBH Doce - Plano Emergencial d...
 
Apresentação IGAM - Reunião Suaçuí 26 03 2015 - Plano emergencial de control...
Apresentação IGAM -  Reunião Suaçuí 26 03 2015 - Plano emergencial de control...Apresentação IGAM -  Reunião Suaçuí 26 03 2015 - Plano emergencial de control...
Apresentação IGAM - Reunião Suaçuí 26 03 2015 - Plano emergencial de control...
 
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdfDiagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
Diagnóstico_Apresentação_Consultas_Públicas_PERHES.pdf
 
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
Seminário Saneamento Básico, Saúde e Meio Ambiente - Plano Municipal de Sanea...
 
Aula 3 - Márcia Nascimento
Aula 3 - Márcia NascimentoAula 3 - Márcia Nascimento
Aula 3 - Márcia Nascimento
 
Plano Municipal de Saneamento Final
Plano Municipal de Saneamento   FinalPlano Municipal de Saneamento   Final
Plano Municipal de Saneamento Final
 
WORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto Carneiro
WORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto CarneiroWORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto Carneiro
WORKSHOP “GESTÃO DE DRAGAGENS” – Ernesto Carneiro
 
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos HídricosRiscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
Riscos de Inundação em Sistemas de Drenagem Urbana e Gestão de Recursos Hídricos
 

Mais de CBH Rio das Velhas (20)

Portaria igam n045.2019
Portaria igam n045.2019Portaria igam n045.2019
Portaria igam n045.2019
 
Qualidade agua - FIEMG
Qualidade agua - FIEMGQualidade agua - FIEMG
Qualidade agua - FIEMG
 
Senai
SenaiSenai
Senai
 
Saae
SaaeSaae
Saae
 
Pro mananciais
Pro mananciaisPro mananciais
Pro mananciais
 
Copasa
CopasaCopasa
Copasa
 
Projeto jequitiba
Projeto jequitibaProjeto jequitiba
Projeto jequitiba
 
Trilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantesTrilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantes
 
Apresentacao SEMAD
Apresentacao SEMADApresentacao SEMAD
Apresentacao SEMAD
 
ProfÀgua
ProfÀguaProfÀgua
ProfÀgua
 
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio MaquineModelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
 
Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019
 
Ppt peixe vivo
Ppt peixe vivoPpt peixe vivo
Ppt peixe vivo
 
Ppt feam
Ppt feamPpt feam
Ppt feam
 
Ppt copasa
Ppt copasaPpt copasa
Ppt copasa
 
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecapParecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
 
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em ItabiritoEvento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
 
Subcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete SabaraSubcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete Sabara
 
Projeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudasProjeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudas
 
Dn 07 2006 scbh caete-sabara
Dn 07 2006 scbh caete-sabaraDn 07 2006 scbh caete-sabara
Dn 07 2006 scbh caete-sabara
 

Último

NR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIco
NR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIcoNR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIco
NR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIcorafaelacushman21
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxGeagra UFG
 
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol AquecedoresCatálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedoresdiogodidi3
 
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdfUFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdfManuais Formação
 
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.pptNormasAgenda
 
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdfRenandantas16
 
Relatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . IguaíRelatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . IguaíMarcelo Guerra
 

Último (7)

NR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIco
NR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIcoNR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIco
NR-20-4 TREINAMENTO SOBRE PRODUTO QUÍMIco
 
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptxINTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
INTRODUÇÃO À COTONICULTURA - THAÍS MOREIRA.pptx
 
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol AquecedoresCatálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
Catálogo de Produtos - GrandSol Aquecedores
 
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdfUFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
UFCD_5869_Gestão da Emergência_índice.pdf
 
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
3_E_reciclagem_DE_EMBALAGENS_PLASRICAS.ppt
 
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
004170000101011 (1DDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDDD8).pdf
 
Relatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . IguaíRelatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
Relatório Meio Ambiente - Roberto . Iguaí
 

Como criar um site de sucesso

  • 1. CIDEU POLÍTICA DE GESTÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE Bacia Ribeirão Arrudas PREFEITURA MUNICIPAL DE BELO HORIZONTE SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS E INFRAESTRUTURA - SMOBI DIRETORIA DE GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS - DGAU Belo Horizonte, Setembro de 2019
  • 2. ASPECTOS GERAIS DA CIDADE DE BELO HORIZONTE Fonte: Secretaria Municipal de Política Urbana (SMPU/PBH), 2018
  • 3. Poluição por EsgotosVulnerabilidade Erosão do solo Resíduos SólidosInundações GESTÃO DAS ÁGUAS URBANAS QUESTÕES A SEREM ENFRENTADAS Enxurradas
  • 4. Contratação e supervisão de projetos e obras de drenagem urbana e manejo de águas pluviais. PBH – SUDECAP / URBEL Fundo Municipal de Saneamento – Recurso Financeiro Convênio PBH e COPASA Execução das obras de saneamento Gestão compartilhada Planejamento das ações e Gestão da Política Municipal de Saneamento. PBH – SMOBI Diretoria de Gestão de Águas Urbanas - DGAU COPASA • Concessionária – Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário. • Captação, tratamento e distribuição de água potável. • Coleta, interceptação e tratamento de esgoto. (Repassa recursos ao Fundo Municipal de Saneamento). COMUSA Conselho Municipal de Saneamento: Fiscaliza a execução da Política Municipal de Saneamento. PBH – Prefeitura de Belo Horizonte SMOBI – Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura SUDECAP – Superintendência de Desenvolvimento da Capital URBEL – Companhia Urbanizadora e de Habitação de Belo Horizonte COPASA – Companhia de Saneamento de Minas Gerais GESTÃO DE ÁGUAS URBANAS EM BELO HORIZONTE
  • 5. POLÍTICA DE GESTÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES EM BELO HORIZONTE
  • 6.  Planejamento e Gestão: • Plano Diretor de Drenagem; • Programa DRENURBS; • Plano Municipal de Saneamento; • Plano Diretor Municipal - Leis de Uso e Ocupação do Solo.  Execução de obras estruturantes;  Intensificação dos serviços de manutenção;  Ações preventivas e de contingência. POLÍTICA DE GESTÃO DO RISCO DE INUNDAÇÕES
  • 7. PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA (1996-2001)
  • 8. 1ª ETAPA - 1999/2004 1. 1- Novas diretrizes/Mudança de paradigmas; 2. 2- Caracterização das bacias elementares; 3. 3- Diagnóstico Integrado do Sistema de Drenagem; 4. 4- Cadastro de micro e macrodrenagem; 5. 5- Caracterização estrutural da rede de macrodrenagem; 6. 6- Criação do “Sistema Geográfico de Informações de Drenagem”- SIG Drenagem. PLANO DIRETOR DE DRENAGEM – 1ª ETAPA
  • 9.  1ª Etapa: • Diagnóstico • Estabelecimento de Novas Diretrizes: PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA Tratamento integrado dos corpos d’água; Estabelecimento de vazão de restrição e não transferência de impactos a jusante; Priorização de alternativas de intervenções que promovam a integração do curso d’água à paisagem natural; Implementação de intervenções que minimizem os impactos sociais (desapropriação/ remoção/reassentamento).  1996  identificada a necessidade de se estabelecer um instrumento de planejamento da drenagem
  • 10.  Caracterização / Diagnóstico das Bacias Hidrográficas PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA
  • 11.  Cadastro e Diagnóstico do Sistema de Drenagem PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA
  • 12. SIG-DRENAGEM Banco de dados espacial, que contempla o sistema de drenagem implantado (micro e macrodrenagem), as bacias hidrográficas e informações relativas à malha urbana. PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 1ª ETAPA
  • 13. PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO (1ª Versão: PMS 2004 – 2007) (Versão Atual: PMS 2016 – 2019)
  • 14.  Quadrienal e atualizado a cada dois anos;  Processo dinâmico e participativo de planejamento e monitoramento das ações de saneamento em BH;  Definição das prioridades de investimentos em saneamento, por bacia e sub-bacia hidrográfica no Município;  COMUSA  prerrogativas de apreciação, aprovação e fiscalização do PMS;  Iniciativa pioneira no país, que incorpora uma lógica de planejamento inédita em capitais brasileiras. PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO
  • 15. PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO ISA = [Iab].0,05 +[Ies].0,35 + [Irs].0,20 + [Idr].0,40 Prioridades por Sub-Bacias do PMS 2016/2019
  • 16. CRITÉRIOS DE PRIORIZAÇÃO - PMS 2016/2019 1) menor nota do ISA (nota 50); 2) maior densidade demográfica (nota 15); 3) maior % de população moradora de vilas/favelas (nota 25); 4) maior nota do IVS (nota 10). NOTPRIOR = ( NOTISA ) + ( NOTDENS ) + ( NOTPOPVI ) + ( NOTIVS ) NOTPRIOR: Nota de priorização (0 a 100); NOTISA: Nota do ISA (0 a 50); NOTDENS: Nota para densidade demográfica (0 a 15); NOTPOPVI: Nota para o percentual da população residente em vilas e favelas (0 a 25); NOTIVS: Nota do IVS (0 a 10). Pesos definidos pelo Método de Análise Hierárquica - AHP PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO
  • 17. PROGRAMA DRENURBS (1ª Etapa: 2004 – 2012) (Suplementar à 1ª Etapa: 2013 – 2020)
  • 18. PROGRAMA DRENURBS  47 bacias hidrográficas;  200 km de cursos d’água;  177 km² (54% área de BH);  População: 1 milhão hab.; Agente Financiador: Contrato BID - 1ª Etapa - US$ 138 milhões - Suplementar à 1ª Etapa – US$ 110 milhões. Principais Eixos de Atuação do Programa:  Execução de Obras em 5 sub-bacias;  Gestão Sócio Ambiental; Fortalecimento Institucional – 2ª Etapa do Plano Diretor de Drenagem.
  • 19. PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA (2005- Em andamento)
  • 20. 2ª ETAPA - 2005/atual - Viabilizada no âmbito do Programa DRENURBS 1- Modelagem Matemática da Macrodrenagem 2- Elaboração da Carta de Inundações 3- Implantação do Programa de Monitoramento Hidrológico 4- Criação dos Núcleos de Alerta de Chuvas - NAC 5- Atualização Tecnológica e Capacitação em Drenagem 6-Sistema Integrado de Gerenciamento de Drenagem e Alerta de Inundações de Belo Horizonte – GEDAI (em contratação) 7- Consolidação do Planejamento para as Grandes Bacias Hidrográficas PLANO DIRETOR DE DRENAGEM – 2ª ETAPA
  • 21. PLANO DIRETOR DE DRENAGEM – 2ª ETAPA Modelagem Matemática
  • 22. • Elaboração da Carta de Inundações (2009); • Instalação de Placas Educativas e de Alerta (2009); • Criação dos Núcleos de Alerta de Chuvas – NAC (2009). PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
  • 23. Implementação do Sistema de Monitoramento Hidrológico e Alerta de Inundações Mapa de Localização das Estações 11 estações pluviométricas 27 estações fluviométricas 4 estações climatológicas 14 estações pluviométricas (Em operação desde 2011) PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
  • 24. Sensor de precipitação (basculante) Sensor piezoresistivo Sensor ultrassônico Sensor climatológico (temperatura, pressão, vento, umidade relativa e precipitação) Estação Fluviométrica 30 ARRUDAS-TEREZA CRISTNA • SISTEMA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
  • 25. Sensor ultrassônico Sensor Piezorresistivo • SISTEMA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
  • 26. RESUMO DE ALERTAS (09/2016 a 03/2017) 50% Seção 80% Seção extravasamento • SISTEMA DE MONITORAMENTO HIDROLÓGICO Mês Set Nov Dez Jan Fev Mar Total 11 6 20 18 32 19 106 5 3 7 4 9 8 36 2 1 9 2 1 3 18 Total Mensal 18 10 36 24 42 30 160 Resumo de Alertas - 2016 a 2017 66% 23% 11% Porcentagem de Alertas - Set/2016 a Mar/2017 SET Bacia Estação Córrego 25 15 16 4 14 12 15 3 4 6 7 19 27 19P Ressaca 16F Ressaca 17F Ressaca 18F Sarandi 20P Sarandi 21P Sarandi 8F Pampulha 14P Cachoeirinha 13F Cachoeirinha 10F Onça 11F Gorduras 5P Nado 7F Nado 4P Vilarinho 1F Vilarinho 2F Vilarinho 6F Vilarinho 3P Floresta 9F Onça 27P Jatoba 26F Jatoba 25F Jatoba 28F Barreiro 22P Ferrugem 23F Ferrugem 24F Arrudas 29P Bonsucesso 31P Cercadinho 30F Arrudas 32F Arrudas 42P Leitão 37F Leitão 36F Guaicuí 38F Leitão 39F Leitão 40F Leitão 41F Leitão 15P Pastinho 34P Serra 33F Arrudas 12P Santa Inês 35F Arrudas RESUMO DE ALERTAS - PERÍODO CHUVOSO SETEMBRO 2016 A MARÇO 2017 ANO 2017 Meses FEVNOV 2016 DEZ JAN MAR OnçaArrudas Bacias Laranja Vermelho Onça 13% 5% Arrudas 10% 6% Alertas PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
  • 27. 27 BELO HORIZONTE  Gestão Sustentável das Águas Urbanas para a Melhoria da Qualidade de Vida das Cidades do Futuro  Projeto internacional aprovado pela União Européia e coordenado pela UNESCO-Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e Cultura, em 2005 PLANO DIRETOR DE DRENAGEM • Atualização Tecnológica e Capacitação em Drenagem
  • 28. Sistema Integrado de Gerenciamento de Drenagem e Alerta de Inundações de Belo Horizonte – GEDAI (em contratação) Objetivos • Unificar e aprimorar os sistemas e soluções atualmente em uso; • Incorporação das informações do Radar Meteorológico; • Melhoria da aplicação dos recursos de modelagem hidrológica e hidráulica; • Garantir suporte para recebimento, simulações e disponibilização de dados cadastrais, hidrológicos; • Proporcionar alerta em tempo real. PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA
  • 29. Consolidação do Planejamento para as Grandes Bacias Hidrográficas - Elaboração de Estudos, Proposição de Intervenções para Redução e Mitigação das Inundação nas Principais Áreas de Risco: PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA -Bacia do Ribeirão Isidoro; -Bacia do Ribeirão do Onça; -Bacia do Ribeirão Arrudas.
  • 30. PLANO DIRETOR DE DRENAGEM 2ª ETAPA Planejamento para as Grandes Bacias Hidrográficas
  • 31. Bacia do Ribeirão Arrudas NÚMERO EMPREENDIMENTO 1 Córrego Túnel / Camarões 2 Córrego Olaria 3 Córrego Jatobá 4 Córrego Barreiro 5 Ribeirão Arrudas / Reservatório B. das Indústrias 6 Córrego Bonsucesso 7 Córrego Cercadinho 8 Ribeirão Arrudas / Av. Tereza Cristina / BD Calafate 9 Córrego Piteiras / Av. Barão H. de Melo 10 Córrego dos Pintos /Av. Francisco Sá 11 Córrego Leitão / Av. Prudente de Morais 12 Córrego da Serra 13 Vila Viva Aglomerado da Serra 14 Córrego do Navio / Avenida Belém 15 Córrego do Navio / Avenida Belém 16 Córrego Freitas / Av. Santa Terezinha 17 Córrego Santa Inês / Via 710 A - Túnel / Camarões B - Jatobá C - Olaria D - Bairro das Indústrias E - Bonsucesso F - Calafate G - Lagoa Seca H - Cercadinho I - Barragem Santa Lúcia J - Cardoso / Mem de Sá BACIAS DE DETENÇÃO Intervenções para Redução do Risco de Inundações
  • 33. EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES Principais Intervenções Estruturantes Previstas para Redução de Risco de Inundações em Belo Horizonte
  • 34. Bacia do Ribeirão Arrudas NÚMERO EMPREENDIMENTO 1 Córrego Túnel / Camarões 2 Córrego Olaria 3 Córrego Jatobá 4 Córrego Barreiro 5 Ribeirão Arrudas / Reservatório B. das Indústrias 6 Córrego Bonsucesso 7 Córrego Cercadinho 8 Ribeirão Arrudas / Av. Tereza Cristina / BD Calafate 9 Córrego Piteiras / Av. Barão H. de Melo 10 Córrego dos Pintos /Av. Francisco Sá 11 Córrego Leitão / Av. Prudente de Morais 12 Córrego da Serra 13 Vila Viva Aglomerado da Serra 14 Córrego do Navio / Avenida Belém 15 Córrego do Navio / Avenida Belém 16 Córrego Freitas / Av. Santa Terezinha 17 Córrego Santa Inês / Via 710 A - Túnel / Camarões B - Jatobá C - Olaria D - Bairro das Indústrias E - Bonsucesso F - Calafate G - Lagoa Seca H - Cercadinho I - Barragem Santa Lúcia J - Cardoso / Mem de Sá BACIAS DE DETENÇÃO Intervenções para Redução do Risco de Inundações
  • 35. TRECHOS 1 e 2 Via 210 TRECHO 6 TRECHO 5 TRECHO 7 TRECHO 8 TRECHO 9 TRECHO 7A  Trechos 1, 2 - Via 210 – (PAC Mobilidade)  Trechos 5, 6, 7 (parcial) - (PAC 2 – Meta 1) TRECHOS 22 E 23 Rua Marselhesa TRECHO 17 TRECHO 16 TRECHO 18  Trechos 7(complementar), 7A, 8, 9, 16, 17 e 18 (Drenurbs Suplementar) BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO PAC Mobilidade PAC 2 Drenurbs – Suplementar  Trechos 22 e 23 (Rua Marselhesa) e Sist. Esg. Sanitário (PAC2 – Meta 2) PROGRAMA DRENURBS SUPLEMENTAR À 1ª ETAPA
  • 36. BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO Bacia de contenção de cheias EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
  • 37. TRATAMENTO DE FUNDO DE VALE BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO ANTES DEPOIS ANTES DEPOIS
  • 38. Milionários  Área de intervenções Vilas Cemig e Alto das Antenas  ESCOPO:  Urbanização;  Implantação de infraestrutura de saneamento;  Relocalização de famílias, com implantação de 232 Unidades Habitacionais (5 Conjuntos). 6 5 Rua Marselhesa 7 8 7A Via 210 9 R2 BD Bonsucesso16 17 22/23 18 Betânia Olhos d’ Água Pilar Anel Rodoviário Conj. Esperança Vilas Cemig / Alto das Antenas VILAS CEMIG E ALTO DAS ANTENAS BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO
  • 39. • Prazo de Execução: 15 meses • Investimento: R$ 12 milhões BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO COMPLEMENTAÇÃO DO SES (em execução desde março/19) • 12 km de redes coletoras • 05 km de interceptores • 02 estações elevatórias
  • 40. • Tratamento de fundo de vale do Córrego da Rua Marselhesa (Praça da Fé até Rua Cristiano Resende) • Implantação de complexo viário (Ruas São Simão, Aragarças, Aureliano La, Antônio Praça Piedade, A e C) • Revitalização da Praça da Fé • Implantação de calçadão • Implantação de áreas de convivência • Prazo de Execução: 15 meses • Investimento: R$ 8 milhões • Desapropriações/indenizações/PTTS: R$ 10 milhões (inclusive para o SES). BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO EMPREENDIMENTO - RUA MARSELHESA (em execução desde setembro/18)
  • 41. BACIA DO CÓRREGO BONSUCESSO EMPREENDIMENTO - RUA MARSELHESA
  • 42. Escopo: Tratamento de fundo de Vale e Bacia de Detenção de Cheias Status: Concluído Volume: 195.000m³ Valor Total do Investimento: R$ 68,5 milhões (PAC-1 /FMS) Córregos Olaria e Jatobá – 1ª Etapa EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES Córregos Olaria e Jatobá – 2ª Etapa Escopo: Tratamento de fundo de Vale e Bacia de Detenção de Cheias Status: Em licitação de obras Previsão de Início: 2 º sem./2019. Volume: 110.000m³ Valor Total do Investimento: R$ 30 milhões (PAC e FMS).
  • 43. Escopo: Tratamento de fundo de Vale e Bacia de Detenção de Cheias Status: Obras em andamento – BD implantada e em operação. Volume: 500.000 m³ Valor Total do Investimento: R$ 126,6 milhões (PAC-2/FMS). Córrego Túnel Camarões EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
  • 44. Escopo: Bacia de Detenção de Cheias Status: Em licitação de Obras – Previsão de Início: 2 º sem./2019. Volume: 120.000m³ Valor Total do Investimento: R$ 45,7 milhões (PAC e FMS). Bacia de Detenção do Bairro das Indústrias EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
  • 45. Escopo: Bacia de Detenção de Cheias e Canal Paralelo. Status: Projetos concluídos. Necessário viabilizar captação de recursos para execução de obras. Volume: 600.000m³ Valor Total do Investimento: R$ 500 milhões. Bacia de Detenção do Bairro Calafate EXECUÇÃO DE INTERVENÇÕES ESTRUTURANTES
  • 46. PLANO DIRETOR URBANO – LEI DE USO E OCUPAÇAO DO SOLO LEI Nº 11.181/2019
  • 47. A nova lei de uso e ocupação do solo de Belo Horizonte, recém aprovada pelo Câmara Municipal, contempla aspectos ambientais que promoverão a preservação de áreas permeáveis e a restrição de ocupação de algumas áreas, diretrizes preconizadas no Plano Diretor de Drenagem. PLANO DIRETOR – LEI DE USO E OCUPAÇAO DO SOLO
  • 48.  Zoneamento de preservação ambiental, ADE’s de interesse ambiental;  Uso e ocupação do solo coerente com a capacidade de suporte;  Exigência de área permeável vegetada em terreno natural;  Definição de tipologias específicas para áreas sujeitas a inundações;  Contenção do adensamento em fundo de vale por meio de planos de ocupação específicos;  Preservação ambiental reservando áreas para a execução de obras de saneamentocomacriaçãodeparqueseespaçosdelazerparaapopulação. Fonte: Secretaria Municipal de Política Urbana (SMPU/PBH), 2018 PLANO DIRETOR – LEI DE USO E OCUPAÇAO DO SOLO
  • 51. AÇÕES PREVENTIVAS E DE CONTINGÊNCIA
  • 52.  Atuação do Grupo Gestor de Risco e Desastres – Coordenação da Defesa Civil do Município – SUPDEC;  Atuação junto aos NAC’s;  Sinalização e desvios de tráfego;  Alertas e Planos de Contingência. AÇÕES PREVENTIVAS E DE CONTINGÊNCIA
  • 53. PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS – Bacia do Arrudas
  • 54. 1. CÓRREGO LEITÃO Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa Avançar Cidades I PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS Fotos das Inundações na Av. Prudente de Morais – Córrego Leitão
  • 55. 2. CÓRREGO DOS PINTOS Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa Avançar I PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS Fotos das Inundações na Av. Francisco Sá – Córrego dos Pintos
  • 56. 3. CÓRREGO BARREIRO Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa Avançar Cidades II PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS Fotos das Inundações na Av. Olinto Meireles– Córrego Barreiro
  • 57. 4. CÓRREGO PITEIRAS Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa Avançar II PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS Fotos das Inundações na Av. Silva Lobo – Córrego Piteiras
  • 58. 5. CÓRREGO CERCADINHO Desenvolvimento de Estudos e Projetos – Programa Avançar Cidades II; BACIA DE DETENÇÃO - CÓRREGO CERCADINHO Projetos em conclusão PAC-2; PRIORIDADES PARA CAPTAÇÃO DE RECURSOS
  • 59. E-mail: raroeira@pbh.gov.br dgau@pbh.gov.br Telefone: (31) 3277-8046 www.pbh.gov.br Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura – SMOBI Diretoria de Gestão de Águas Urbanas Ricardo de Miranda Aroeira
  • 60. E-mail: raroeira@pbh.gov.br dgau@pbh.gov.br Telefone: (31) 3277-8046 www.pbh.gov.br Secretaria Municipal de Obras e Infraestrutura – SMOBI Diretoria de Gestão de Águas Urbanas Ricardo de Miranda Aroeira