SlideShare uma empresa Scribd logo

Qualidade agua - FIEMG

Qualidade agua - FIEMG

1 de 41
Baixar para ler offline
Instituto SENAI DE TECNOLOGIA
MEIO AMBIENTE E QUÍMICA
DADOS DE QUALIDADE DA ÁGUA SUPERFICIAL DA
BACIA DO RIO DAS VELHAS
1
Curvelo/MG, 27 de junho de 2019
Zenilde das Graças Guimarães Viola
Pesquisadora em Tecnologia/Chefe de Laboratórios
PROJETOS ESPECIAIS
 LABORATÓRIO “Análises de qualidade das águas conforme demandas”
Contratação de laboratório especializado para realização de análise de parâmetros
físicos, químicos e biológicos de qualidade das águas na bacia hidrográfica do Rio
das Velhas conforme demandas.
2
das Velhas conforme demandas.
Institutos SENAI de Inovação e Tecnologia da Indústria
Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG
Av. José Cândido da Silveira, 2000 - Horto
Belo Horizonte, MG - CEP 31035-536
www.fiemg.com.br/senai
IDENTIFICAÇÃO DO
PONTO
DESCRIÇÃO DO LOCAL DE COLETA
BV139 Rio das VELHAS a montante da ETA/COPASA, em Bela Fama
Ponto 02 Rio das VELHAS a jusante de Honório Bicalho
Ponto 03 Rio das VELHAS a Jusante de Bela Fama
Pontos de monitoramento de qualidade das águas no Rio das
Velhas
3
Ponto 04 Rio das VELHAS a jusante de Raposos
Ponto 05 Rio da VELHAS a montante do lançamento do ribeirão arrudas
BV083 Rio das VELHAS logo a jusante do ribeirão Arrudas
Ponto 06A Rio das VELHAS na ponte BR381
Ponto 07 Rio das VELHAS a jusante da Localidade de Pinhões em Santa Luzia
Ponto 08 Rio das Velhas a montante do Ribeirão Jequitibá
Ponto 09 Rio das Velhas a jusante do Ribeirão Jequitibá
BV141 Rio das VELHAS na cidade de Santana do Pirapama
Mapa de
localização dos
pontos de
4
Terraço
pontos de
monitoramento
Coletas: abr, mai,
jun e nov de 2018
Coliformes totais Demanda Química de Oxigênio
Escherichia coli Fósforo total
Densidade de cianobactérias Nitrato
Condutividade elétrica in loco Nitrito
Oxigênio dissolvido Nitrogênio amoniacal total
pH in loco Nitrogenio Total
Relação de parâmetros monitorados
5
pH in loco Nitrogenio Total
Temperatura da água Óleos e graxas
Temperatura do ar Sólidos dissolvidos totais
Cloreto total Sólidos em Suspensão Totais
Cianeto livre Sólidos totais
Cor verdadeira Substâncias tensoativas
Demanda Bioquímica de Oxigênio Turbidez
Arsênio dissolvido Arsênio total
Resultados e Discussão
Resultados Biológicos Resultados físico-químicos
 Comparação com os limites da DN COPAM/CERH Nº 01/2008
(classe 2 e classe 3)
6
 Índice de Qualidade das Águas
 Contaminação por Tóxicos
Anúncio

Recomendados

Aproveitamento de Água da Chuva em Agricultura Familiar
Aproveitamento de Água da Chuva em Agricultura FamiliarAproveitamento de Água da Chuva em Agricultura Familiar
Aproveitamento de Água da Chuva em Agricultura FamiliarMarcio Nicknig
 
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...
ÁGUA SUSTENTÁVEL (AS) E AS INDÚSTRIAS DE CERVEJA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS PCJ...Gabriella Ribeiro
 
Problemas de Qualidade e Tratamento de Água de Poços
Problemas de Qualidade e Tratamento de Água de PoçosProblemas de Qualidade e Tratamento de Água de Poços
Problemas de Qualidade e Tratamento de Água de Poçosslides-mci
 
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas Igam
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas IgamEstudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas Igam
Estudo sobre outorgas no Alto Rio das Velhas IgamCBH Rio das Velhas
 
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)
CARACTERIZAÇÃO HIDROQUÍMICA DO SISTEMA AQUÍFERO BAURU NO ESPIGÃO DE MARÍLIA (SP)Gabriella Ribeiro
 
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhas
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhasAgua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhas
Agua rmbh seminário alto rio das velhas cbh velhasCBH Rio das Velhas
 
VALOR: Reuso de Água
VALOR: Reuso de ÁguaVALOR: Reuso de Água
VALOR: Reuso de Águaslides-mci
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

VALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuvaVALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuvaslides-mci
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ slides-mci
 
60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão Arrudas
60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão Arrudas60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão Arrudas
60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão ArrudasCBH Rio das Velhas
 
Implementação do Geoprocessamento em Empresas de Saneamento
Implementação do Geoprocessamento em Empresas de SaneamentoImplementação do Geoprocessamento em Empresas de Saneamento
Implementação do Geoprocessamento em Empresas de SaneamentoValmir Junior
 
Sisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das Velhas
Sisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das VelhasSisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das Velhas
Sisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das VelhasCBH Rio das Velhas
 
Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008Tiago Santos
 
CIESP: Otimização do Uso de Poços na Indústria
CIESP: Otimização do Uso de Poços na IndústriaCIESP: Otimização do Uso de Poços na Indústria
CIESP: Otimização do Uso de Poços na Indústriaslides-mci
 
O custo da produção de tilápias no Estado de São Paulo
O custo da produção de tilápias no Estado de São PauloO custo da produção de tilápias no Estado de São Paulo
O custo da produção de tilápias no Estado de São PauloRural Pecuária
 
Dn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbr
Dn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbrDn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbr
Dn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbrCBH Rio das Velhas
 
ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...
ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...
ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...Gabriella Ribeiro
 
Apresentação dessal valors economico abas comentado fabian
Apresentação dessal valors economico abas comentado fabianApresentação dessal valors economico abas comentado fabian
Apresentação dessal valors economico abas comentado fabianslides-mci
 
Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...
Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...
Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...Lucila K. Felix L. de Brito
 
Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...
Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...
Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...slides-mci
 

Mais procurados (19)

Apresentação Copasa
Apresentação CopasaApresentação Copasa
Apresentação Copasa
 
VALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuvaVALOR: Aproveitamento de água de chuva
VALOR: Aproveitamento de água de chuva
 
Apresentação Cemig
Apresentação CemigApresentação Cemig
Apresentação Cemig
 
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
CIESP - Realidades e Desafios da Gestão dos Recursos Hídricos nas Bacias PCJ
 
60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão Arrudas
60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão Arrudas60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão Arrudas
60ª Reunião Ordinária do Subcomitê Ribeirão Arrudas
 
Implementação do Geoprocessamento em Empresas de Saneamento
Implementação do Geoprocessamento em Empresas de SaneamentoImplementação do Geoprocessamento em Empresas de Saneamento
Implementação do Geoprocessamento em Empresas de Saneamento
 
Sisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das Velhas
Sisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das VelhasSisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das Velhas
Sisema - Escassez de Recursos Hídricos no rio das Velhas
 
Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008Projeto matadouro 2008
Projeto matadouro 2008
 
17/03 - tarde- Mesa 2 - Eduardo Mario Mendiondo
17/03 - tarde- Mesa 2 - Eduardo Mario Mendiondo17/03 - tarde- Mesa 2 - Eduardo Mario Mendiondo
17/03 - tarde- Mesa 2 - Eduardo Mario Mendiondo
 
CIESP: Otimização do Uso de Poços na Indústria
CIESP: Otimização do Uso de Poços na IndústriaCIESP: Otimização do Uso de Poços na Indústria
CIESP: Otimização do Uso de Poços na Indústria
 
O custo da produção de tilápias no Estado de São Paulo
O custo da produção de tilápias no Estado de São PauloO custo da produção de tilápias no Estado de São Paulo
O custo da produção de tilápias no Estado de São Paulo
 
Dn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbr
Dn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbrDn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbr
Dn 005 2014_processo de outorga n 00923_2011_barragem maravilhas iii_mbr
 
ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...
ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...
ASSINATURA ISOTÓPICA DAS ÁGUAS PLUVIAIS E SUBTERRÂNEAS NA BACIA HIDROGRÁFICA ...
 
Seminario Revitaliza Fiemg
Seminario Revitaliza FiemgSeminario Revitaliza Fiemg
Seminario Revitaliza Fiemg
 
Apresentação dessal valors economico abas comentado fabian
Apresentação dessal valors economico abas comentado fabianApresentação dessal valors economico abas comentado fabian
Apresentação dessal valors economico abas comentado fabian
 
Well Integrity
Well IntegrityWell Integrity
Well Integrity
 
Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...
Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...
Reunião seppr caracterização de sedimentos de dragagens e fontes de contamina...
 
Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...
Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...
Bases técnicas para a gestão de áreas contaminadas por solventes clorados em ...
 
Seminario Revitaliza Copasa
Seminario Revitaliza CopasaSeminario Revitaliza Copasa
Seminario Revitaliza Copasa
 

Semelhante a Qualidade agua - FIEMG

Gabriel estevam ração susten
Gabriel estevam ração sustenGabriel estevam ração susten
Gabriel estevam ração sustenFecomercioSP
 
Apresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdf
Apresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdfApresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdf
Apresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdfMarcosSilva168540
 
Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016
Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016
Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016Laura Magalhães
 
Delta A-Apresentação comdema
Delta A-Apresentação comdema Delta A-Apresentação comdema
Delta A-Apresentação comdema Anita Rocha
 
P451 r01v0008 1a_etapa_mj
P451 r01v0008 1a_etapa_mjP451 r01v0008 1a_etapa_mj
P451 r01v0008 1a_etapa_mjwabag
 
P451 r02v0008 2a_etapa_mj
P451 r02v0008 2a_etapa_mjP451 r02v0008 2a_etapa_mj
P451 r02v0008 2a_etapa_mjwabag
 
Catálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânica
Catálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânicaCatálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânica
Catálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânicamkt_refrisat
 
Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013Biocity Consulting
 
Apresentação sobre Jardins Flutuantes
Apresentação sobre Jardins FlutuantesApresentação sobre Jardins Flutuantes
Apresentação sobre Jardins FlutuantesHawston Pedrosa
 
Chiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdf
Chiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdfChiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdf
Chiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdfSALDANHAENGENHARIA
 
O edificio menos_eficiente
O edificio menos_eficienteO edificio menos_eficiente
O edificio menos_eficienteAdriane Becker
 
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...STAB Setentrional
 
Relatório anual de qualidade da água - 2018
Relatório anual de qualidade da água - 2018Relatório anual de qualidade da água - 2018
Relatório anual de qualidade da água - 2018Tubarão Saneamento
 
Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...
Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...
Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...ANCP Ribeirão Preto
 
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.Fagner Aquino
 
BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão)
BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão) BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão)
BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão) ECOCLÃ BIOTECNOLOGIA
 

Semelhante a Qualidade agua - FIEMG (20)

Gabriel estevam ração susten
Gabriel estevam ração sustenGabriel estevam ração susten
Gabriel estevam ração susten
 
Apresentação pré banca. oficial
Apresentação pré banca. oficialApresentação pré banca. oficial
Apresentação pré banca. oficial
 
Apresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdf
Apresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdfApresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdf
Apresentação - Descarbonização_Gerador Eletrico.pdf
 
Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016
Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016
Delta A/Apresentação COMDEMA abril 2016
 
Delta A-Apresentação comdema
Delta A-Apresentação comdema Delta A-Apresentação comdema
Delta A-Apresentação comdema
 
P451 r01v0008 1a_etapa_mj
P451 r01v0008 1a_etapa_mjP451 r01v0008 1a_etapa_mj
P451 r01v0008 1a_etapa_mj
 
P451 r02v0008 2a_etapa_mj
P451 r02v0008 2a_etapa_mjP451 r02v0008 2a_etapa_mj
P451 r02v0008 2a_etapa_mj
 
Diniz_et_all_13CBGE
Diniz_et_all_13CBGEDiniz_et_all_13CBGE
Diniz_et_all_13CBGE
 
Catálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânica
Catálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânicaCatálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânica
Catálogo Mecânico - Versão 2015 - Novidades e tudo para a área metal-mecânica
 
Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013Apresentacao biocity junho 2013
Apresentacao biocity junho 2013
 
Apresentação sobre Jardins Flutuantes
Apresentação sobre Jardins FlutuantesApresentação sobre Jardins Flutuantes
Apresentação sobre Jardins Flutuantes
 
Chiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdf
Chiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdfChiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdf
Chiller-Hospitalar-Mecalor-2021.pdf
 
Palestra Sr. Fernando Jardim sobre Cianobactérias
Palestra Sr. Fernando Jardim sobre CianobactériasPalestra Sr. Fernando Jardim sobre Cianobactérias
Palestra Sr. Fernando Jardim sobre Cianobactérias
 
O edificio menos_eficiente
O edificio menos_eficienteO edificio menos_eficiente
O edificio menos_eficiente
 
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...Seminário stab 2013   industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
Seminário stab 2013 industrial - 12. cromatografia líquida para medição de ...
 
Relatório anual de qualidade da água - 2018
Relatório anual de qualidade da água - 2018Relatório anual de qualidade da água - 2018
Relatório anual de qualidade da água - 2018
 
Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...
Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...
Seminário ANCP 2022 - Incrementos na produtividade pecuária de corte com o us...
 
3504 13783-3-pb
3504 13783-3-pb3504 13783-3-pb
3504 13783-3-pb
 
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
Agricultura orgânica e Análise físico-química dos diferentes tipos de agua.
 
BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão)
BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão) BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão)
BIOREMEDIAÇÃO EM ÁREAS DE CULTIVO 2013 (Peixe e Camarão)
 

Mais de CBH Rio das Velhas

10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BHCBH Rio das Velhas
 
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...CBH Rio das Velhas
 
Trilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantesTrilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantesCBH Rio das Velhas
 
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio MaquineModelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio MaquineCBH Rio das Velhas
 
Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019CBH Rio das Velhas
 
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecapParecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecapCBH Rio das Velhas
 
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em ItabiritoEvento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em ItabiritoCBH Rio das Velhas
 
Subcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete SabaraSubcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete SabaraCBH Rio das Velhas
 
Projeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudasProjeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudasCBH Rio das Velhas
 

Mais de CBH Rio das Velhas (20)

10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
10 propostas texto final - descanalização rios urbanos de BH
 
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
Apresentacao politica de gestao do risco de inundacoes em belo horizonte - ba...
 
Portaria igam n045.2019
Portaria igam n045.2019Portaria igam n045.2019
Portaria igam n045.2019
 
Senai
SenaiSenai
Senai
 
Saae
SaaeSaae
Saae
 
Pro mananciais
Pro mananciaisPro mananciais
Pro mananciais
 
Copasa
CopasaCopasa
Copasa
 
Projeto jequitiba
Projeto jequitibaProjeto jequitiba
Projeto jequitiba
 
Trilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantesTrilha agroecologica estudantes
Trilha agroecologica estudantes
 
Apresentacao SEMAD
Apresentacao SEMADApresentacao SEMAD
Apresentacao SEMAD
 
ProfÀgua
ProfÀguaProfÀgua
ProfÀgua
 
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio MaquineModelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
Modelo carta de indicacao - Santo Antonio Maquine
 
Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019Reuniao final fechos 30_04_2019
Reuniao final fechos 30_04_2019
 
Ppt peixe vivo
Ppt peixe vivoPpt peixe vivo
Ppt peixe vivo
 
Ppt feam
Ppt feamPpt feam
Ppt feam
 
Ppt copasa
Ppt copasaPpt copasa
Ppt copasa
 
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecapParecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
Parecer tecnico Agencia peixe Vivo 002 2019 sudecap
 
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em ItabiritoEvento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
Evento inicial - Projeto na sub-bacia do Ribeirão Carioca em Itabirito
 
Subcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete SabaraSubcomitê Ribeirões Caete Sabara
Subcomitê Ribeirões Caete Sabara
 
Projeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudasProjeto urbanistico pac arrudas
Projeto urbanistico pac arrudas
 

Último

Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...pauladiasuni
 
Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...
Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...
Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...Unicesumar
 
a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...
a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...
a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...Unicesumar
 
Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...
Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...
Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...Unicesumar
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024Unicesumar
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...leitev350
 
Teste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdf
Teste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdfTeste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdf
Teste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdfcancela
 
Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...
Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...
Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...Unicesumar
 

Último (8)

Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...
Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...
Considerando o trecho acima, nesta atividade MAPA testaremos seu conhecimento...
 
a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...
a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...
a) Inovação incremental (elabore um texto, de 05 a 08 linhas em média, expond...
 
Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...
Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...
Inovar se tornou uma exigência do mercado, que está cada vez mais competitivo...
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
 
Teste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdf
Teste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdfTeste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdf
Teste Sumativo de ciências naturais do 8º ano de escolaridade_.pdf
 
Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...
Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...
Em uma situação hipotética, enquanto professor de educação física da turma, v...
 

Qualidade agua - FIEMG

  • 1. Instituto SENAI DE TECNOLOGIA MEIO AMBIENTE E QUÍMICA DADOS DE QUALIDADE DA ÁGUA SUPERFICIAL DA BACIA DO RIO DAS VELHAS 1 Curvelo/MG, 27 de junho de 2019 Zenilde das Graças Guimarães Viola Pesquisadora em Tecnologia/Chefe de Laboratórios
  • 2. PROJETOS ESPECIAIS  LABORATÓRIO “Análises de qualidade das águas conforme demandas” Contratação de laboratório especializado para realização de análise de parâmetros físicos, químicos e biológicos de qualidade das águas na bacia hidrográfica do Rio das Velhas conforme demandas. 2 das Velhas conforme demandas. Institutos SENAI de Inovação e Tecnologia da Indústria Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Av. José Cândido da Silveira, 2000 - Horto Belo Horizonte, MG - CEP 31035-536 www.fiemg.com.br/senai
  • 3. IDENTIFICAÇÃO DO PONTO DESCRIÇÃO DO LOCAL DE COLETA BV139 Rio das VELHAS a montante da ETA/COPASA, em Bela Fama Ponto 02 Rio das VELHAS a jusante de Honório Bicalho Ponto 03 Rio das VELHAS a Jusante de Bela Fama Pontos de monitoramento de qualidade das águas no Rio das Velhas 3 Ponto 04 Rio das VELHAS a jusante de Raposos Ponto 05 Rio da VELHAS a montante do lançamento do ribeirão arrudas BV083 Rio das VELHAS logo a jusante do ribeirão Arrudas Ponto 06A Rio das VELHAS na ponte BR381 Ponto 07 Rio das VELHAS a jusante da Localidade de Pinhões em Santa Luzia Ponto 08 Rio das Velhas a montante do Ribeirão Jequitibá Ponto 09 Rio das Velhas a jusante do Ribeirão Jequitibá BV141 Rio das VELHAS na cidade de Santana do Pirapama
  • 4. Mapa de localização dos pontos de 4 Terraço pontos de monitoramento Coletas: abr, mai, jun e nov de 2018
  • 5. Coliformes totais Demanda Química de Oxigênio Escherichia coli Fósforo total Densidade de cianobactérias Nitrato Condutividade elétrica in loco Nitrito Oxigênio dissolvido Nitrogênio amoniacal total pH in loco Nitrogenio Total Relação de parâmetros monitorados 5 pH in loco Nitrogenio Total Temperatura da água Óleos e graxas Temperatura do ar Sólidos dissolvidos totais Cloreto total Sólidos em Suspensão Totais Cianeto livre Sólidos totais Cor verdadeira Substâncias tensoativas Demanda Bioquímica de Oxigênio Turbidez Arsênio dissolvido Arsênio total
  • 6. Resultados e Discussão Resultados Biológicos Resultados físico-químicos  Comparação com os limites da DN COPAM/CERH Nº 01/2008 (classe 2 e classe 3) 6  Índice de Qualidade das Águas  Contaminação por Tóxicos
  • 8. Valores de Escherichia coli (NMP/100mL) por ponto analisado em 2018 8
  • 10. Densidade de Cianobactérias por ponto analisado em 2018 10
  • 12. 12
  • 13. 13
  • 14. 14 3.296 “barraginhas” implantadas 142.963 m de terraços 49.312 m cercas
  • 15. 15
  • 16. 16
  • 17. RESULTADOS DA CONTAMINAÇÃO POR TÓXICOS - CT 17
  • 18. NITROGÊNIO AMONIACAL ARSÊNIO BÁRIO CÁDMIO CHUMBO CIANETOS COBRE DISSOLVIDO CROMO TOTAL FENÓIS TOTAIS MERCÚRIO NITRITO e NITRATO ZINCO Contaminação Signifcado 18 Contaminação Signifcado BAIXA Refere-se à ocorrência de substâncias tóxicas em concentrações que excedem em até 20% o limite de classe de enquadramento do trecho do corpo de água onde se localiza a estação de amostragem. MÉDIA Refere-se à faixa de concentração que ultrapasse os limites mencionados no intervalo de 20% a 100%. ALTA Refere-se às concentrações que excedem em mais de 100% os limites. Nota: Limite de classe definido na Deliberação Normativa Conjunta COPAM/CERH-MG nº 01/2008.
  • 19. Fenóis totais Nitrato Nitrito Nitrogênio amoniacal total Mercúrio total Cobre dissolvido Cromo total Fenóis totais Nitrato Nitrito Nitrogênio amoniacal total Abr, mai, jun BV083, BV139, BV141 Ponto 02, Ponto 03, Ponto 04, Ponto 05, Ponto 6A, Ponto 07 19 Cromo total Zinco total Cádmio total Chumbo total Níquel total Fenóis totais Nitrato Nitrito Nitrogênio amoniacal total Arsênio total Nov
  • 20. 20
  • 21. RESULTADOS DO ÍNDICE DE QUALIDADE 21 DA ÁGUA - IQA
  • 22. OD DBO COLIFORMES TERMOTOLERANTES TEMPERATURA DA ÁGUA pH Contaminação por Matéria Orgânica e Fecal, Sólidos e Nutrientes NITRATO FOSFATO TOTAL SÓLIDOS TOTAIS TURBIDEZ 22 Categoria de Resultados MUITO RUIM RUIM MÉDIO BOM EXCELENTE IQA NSF IQA ≤ 25 25 < IQA ≤ 50 50 < IQA ≤ 70 70 < IQA ≤ 90 90 < IQA ≤ 100 Significado Águas impróprias para tratamento convencional visando o abastecimento público, sendo necessários tratamentos mais avançados Águas apropriadas para tratamento convencional visando o abastecimento público Classes do Índice de Qualidade da Água e seu Significado
  • 23. Diagrama unifilar com a representação do IQA nos pontos de amostragem ao longo do rio das Velhas em 2018 23
  • 24. Mapa da média anual do IQA 24 Coletas: abr, mai, jun e nov de 2018
  • 25. Estação Data IQA FINAL qs %OD qs CF qs pH qs DBO qs NO3 qs PO4 qs Temp qs Tu qs ST BV139 12/04/2018 70,6 96,1 20,5 92,2 81,4 89,1 88,5 92,0 68,1 86,8 Ponto 02 17/04/2018 68,2 98,4 20,5 77,3 81,4 80,8 85,2 92,0 65,9 86,3 Ponto 03 25/04/2018 67,3 97,7 20,5 86,8 81,4 91,4 79,2 92,0 45,8 84,6 Ponto 04 17/04/2018 68,6 97,4 20,5 86,8 76,3 80,8 82,1 92,0 69,3 85,8 Ponto 05 17/04/2018 63,7 95,0 20,5 68,5 58,4 71,9 85,2 92,0 65,1 84,6 BV 083 16/04/2018 61,0 65,5 20,5 93,0 58,4 81,4 69,4 92,0 68,1 71,8 Ponto 6A 18/04/2018 59,1 60,2 20,5 91,7 58,4 78,3 69,4 92,0 54,7 77,1 Ponto 7 18/04/2018 59,9 63,1 20,5 91,3 58,4 71,9 69,4 92,0 66,9 75,2 BV 141 23/04/2018 57,5 91,4 20,5 92,5 58,4 25,3 69,4 92,0 65,6 76,9 BV139 02/05/2018 71,0 96,9 20,5 91,3 81,4 79,2 85,2 92,0 89,0 86,8 Ponto 02 02/05/2018 71,0 98,6 20,5 92,2 81,4 83,9 82,1 92,0 82,4 86,8 Ponto 03 02/05/2018 70,0 97,8 20,5 86,8 81,4 91,1 82,1 92,0 69,5 86,7 Ponto 04 02/05/2018 69,8 99,5 20,5 91,3 72,2 88,0 79,2 92,0 76,6 86,0 Ponto 05 03/05/2018 70,3 96,3 20,5 92,2 80,5 78,3 82,1 92,0 85,6 85,9 BV 083 03/05/2018 63,5 80,6 20,5 92,5 58,4 77,4 69,4 92,0 69,2 80,8 Ponto 6A 03/05/2018 60,9 62,3 20,5 91,3 58,4 81,7 69,4 92,0 69,5 79,1 Ponto 7 03/05/2018 61,7 65,3 20,5 93,0 58,4 80,1 69,4 92,0 79,2 72,6 IQA POR PARÂMETROIQA FINAL  1 0 %6 5 5 ODy  Simulação: E.Coli Fósforo total DBO Oxigênio Dissolvido 25 Ponto 7 03/05/2018 61,7 65,3 20,5 93,0 58,4 80,1 69,4 92,0 79,2 72,6 BV 141 02/05/2018 58,0 83,9 20,5 85,6 58,4 30,6 69,4 92,0 78,1 75,4 BV139 04/06/2018 70,5 97,4 20,5 92,2 81,4 85,0 74,0 92,0 86,9 86,8 Ponto 02 04/06/2018 71,2 97,4 20,5 92,2 81,4 83,9 82,1 92,0 87,5 86,7 Ponto 03 04/06/2018 70,3 99,9 20,5 91,7 81,4 79,4 76,6 92,0 84,1 86,7 Ponto 04 04/06/2018 67,1 95,7 20,5 91,7 68,3 71,9 69,4 92,0 83,7 84,7 Ponto 05 05/06/2018 64,7 96,8 20,5 77,3 79,7 46,6 74,0 92,0 87,7 84,6 BV 083 05/06/2018 59,1 71,4 20,5 91,3 58,4 49,6 69,4 92,0 72,1 72,9 Ponto 6A 05/06/2018 59,6 62,1 20,5 91,3 58,4 55,9 69,4 92,0 86,8 76,9 Ponto 7 05/06/2018 39,2 61,9 20,5 92,5 58,4 68,6 69,4 92,0 78,6 71,0 BV 141 06/06/2018 58,3 95,2 20,5 93,0 58,4 23,9 69,4 92,0 80,8 72,1 BV139 07/11/2018 62,3 91,9 20,5 86,8 98,8 77,6 71,7 92,0 21,9 83,0 Ponto 02 05/11/2018 53,3 92,4 20,5 81,9 81,4 78,7 69,4 92,0 5,0 73,3 Ponto 03 05/11/2018 54,2 96,4 20,5 86,8 81,4 78,0 71,7 92,0 5,0 73,5 Ponto 04 05/11/2018 52,6 91,9 20,5 77,3 76,3 81,4 76,6 92,0 5,0 62,6 Ponto 05 06/11/2018 55,8 84,5 20,5 77,3 62,5 72,4 69,4 92,0 17,6 74,0 BV 083 06/11/2018 55,8 75,9 20,5 86,8 58,4 72,4 69,4 92,0 21,2 71,8 Ponto 6A 06/11/2018 56,5 65,1 20,5 86,8 58,4 70,4 69,4 92,0 35,1 72,3 Ponto 7 06/11/2018 59,2 66,9 20,5 91,3 58,4 62,0 69,4 92,0 63,1 73,6 Ponto 8 13/11/2018 44,1 68,1 20,5 86,8 58,4 38,9 69,4 92,0 5,0 44,1 Ponto 9 13/11/2018 46,1 89,8 20,5 93,0 58,4 37,3 69,4 92,0 5,0 40,3 BV 141 13/11/2018 55,3 90,4 20,5 68,5 58,4 32,9 69,4 92,0 49,7 71,8 1º) Atendimento aos padrões de classe 2 2º) Atendimento aos padrões de classe 1
  • 26. Mapa média anual do IQA 2018 Simulação média anual: classe 2 26
  • 27. Mapa média anual do IQA 2018 Simulação média anual: classe 1 27
  • 28. CONCLUSÕES  As ocorrências de E.coli com valores acima do limite da legislação em 95% das amostras analisadas demonstram que o rio das Velhas no trecho monitorado não apresenta boa capacidade de autodepuração.  Florações de cianobactérias: baixa possibilidade de ocorrência no período chuvoso.  O IQA e a CT mostraram características de bons indicadores de 28 poluição pontual para o trecho que foi monitorado no Rio das Velhas.  O IQA em condição ruim ressalta a contaminação do rio das Velhas por matéria orgânica, fecal, nutrientes e sólidos.  Isso evidencia o efeito da poluição difusa no corpo de água devido ao carreamento de materiais sólidos especialmente durante o período chuvoso.  O atendimento aos limites de classe 2 tornará esse trecho do rio das Velhas com águas apropriadas para tratamento convencional visando o abastecimento público.
  • 29. Título Fonte Museo 500 regular corpo 20 Sub-Título Fonte Museo 100 regular corpo 16 Apoio Técnico Realização OBRIGADA! Institutos SENAI de Inovação e Tecnologia da Indústria Centro de Inovação e Tecnologia SENAI FIEMG Av. José Cândido da Silveira, 2000 - Horto Zenilde das Graças Guimarães Viola zviola@fiemg.com.br Fone: (31) 3489-2257 29 Apoio Técnico Realização Av. José Cândido da Silveira, 2000 - Horto Belo Horizonte, MG - CEP 31035-536 www.fiemg.com.br/senai
  • 30. OD DBO COLIFORMES TERMOTOLERANTES TEMPERATURA DA ÁGUA NITRATO FOSFATO TOTAL SÓLIDOS TOTAIS IQA - Índice de Qualidade da Água Contaminação por Matéria Orgânica e Fecal, Sólidos e Nutrientes 30 TEMPERATURA DA ÁGUA pH TURBIDEZ Nível de Qualidade Faixa Excelente 90 < IQA < 100 Bom 70 < IQA < 90 Médio 50 < IQA < 70 Ruim 25 < IQA < 50 Muito Ruim 0 < IQA < 25
  • 31. IQA =  qi wi Sendo: q = qualidade do parâmetro i obtido através da curva média 31 qi = qualidade do parâmetro i obtido através da curva média específica de qualidade; wi = peso atribuído ao parâmetro
  • 32. IQA - Índice de Qualidade da Água Parâmetro Peso - wi Oxigênio dissolvido – OD (%ODSat) 0,17 Coliformes fecais (NMP/100mL) 0,15 PH 0,12 Demanda bioquímica de oxigênio – DBO (mg/L) 0,10 32 Demanda bioquímica de oxigênio – DBO (mg/L) 0,10 Nitratos (mg/L NO3) 0,10 Fosfatos (mg/L PO4) 0,10 Variação na temperatura (°C) 0,10 Turbidez (UNT) 0,08 Resíduos totais (mg/L) 0,08
  • 35. Coliformes Termotolerantes 50 60 70 80 90 100 qs 35 0 10 20 30 40 50 1,E+00 1,E+01 1,E+02 1,E+03 1,E+04 1,E+05 Coliformes fecais (NMP/100ml) q
  • 37. Demanda Bioquímica de Oxigênio 50 60 70 80 90 100 qs 37 0 10 20 30 40 50 0 5 10 15 20 25 30 DBO (mg/l) q
  • 41. 40 50 60 70 80 90 100 qs Sólidos Totais 41 0 10 20 30 40 0 100 200 300 400 500 600 Sólidos Totais (mg/L)