CLEUZENIR FRANÇA DA SILVA
DIEINY AMARAL
JHONATHANN WILLIAN FURQUIN DA SILVA
MIKAELLA PERBONI GUTIERREZ
COLORADO DO OESTE
2...
1. TÍTULO DA PROPOSTA:
Produtividade da Cebola em função de diferentes densidades e doses de
adubação nitrogenada.
2. INTR...
qualidade e produtividade da cebola é atribuída a densidade de população no
plantio inadequada.
A produção de cebola no Br...
Eutrófico típico (EMBRAPA, 2009), e passará por análise química, para que
seja corrigido conforme necessidade.
O experimen...
Cronograma de Atividades
Atividades Período Ano Vigente
Coleta de solo para Análise Química Março 2015
Semeadura Março 201...
7. REFERÊNCIAS
BAIER JE; RESENDE JTV; GALVÃO AG; BATTISTELLI GM; MACHADO MM;
FARIA MV. 2009. Produtividade e rendimento co...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Projeto - Produção de cebola

1.335 visualizações

Publicada em

Experimento para analisar a produção de Cebola em diferentes densidades.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.335
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto - Produção de cebola

  1. 1. CLEUZENIR FRANÇA DA SILVA DIEINY AMARAL JHONATHANN WILLIAN FURQUIN DA SILVA MIKAELLA PERBONI GUTIERREZ COLORADO DO OESTE 2015 PRODUTIVIDADE DA CEBOLA EM FUNÇÃO DE DIFERENTES DENSIDADES E DOSES DE ADUBAÇÃO NITROGENADA
  2. 2. 1. TÍTULO DA PROPOSTA: Produtividade da Cebola em função de diferentes densidades e doses de adubação nitrogenada. 2. INTRODUÇÃO A cebola (Allium cepa) é considerada uma das principais culturas olerícolas, possuindo uma grande expressão econômica no Brasil, ficando atrás somente da batata e do tomate, ocupando o primeiro lugar em valor produção e em área cultivada. Além de ser uma das plantas de maior difusão no mundo, não só pelo seu alto volume de produção, mas também pelo seu valor comercial. O seu desempenho agronômico está relacionado a sua adaptação ao local de introdução e as práticas de manejo realizadas, é muito exigente visto que para o seu bom desenvolvimento e expressão máxima de potencial produtivo, faz-se necessário bom manejo, em relação a eliminação de plantas invasoras, pragas e doenças. Um dos primeiros manejos a ser realizado para que se obtenha um bom resultado produtivo é a escolha da densidade populacional, pois, relacionando a quantidade de área disponível para seu cultivo e a quantidade de plantas que poderão ser inseridas na área, o que influenciará sua comercialização que é baseada em tamanho de bulbos. Áreas que contém espaçamento exagerado entre plantas são responsáveis pela produção de bulbos com tamanhos e peso superior ao ideal, pois, para a comercialização há sempre um padrão recomendado para o tamanho do bulbo, sendo ele de 50 a 70 mm de diâmetros. Segundo Santos et al. (2000), a redução do espaçamento é diretamente responsável pela diminuição da massa média de bulbos, onde o aumento da população de plantas pode contribuir para melhorar a exploração quanto a cultivar, tendo como consequência o aumento da produtividade. De acordo com Mascarenhas et al. (1993), que o adequado é o estabelecimento de uma população ótima, que maximiza a exploração desses fatores, garantindo a maior produtividade, afirmando ainda que a baixa
  3. 3. qualidade e produtividade da cebola é atribuída a densidade de população no plantio inadequada. A produção de cebola no Brasil é baseada em cultivares de polinização livre e híbridas. As cultivares do tipo “Baia Periforme” possuem, em geral, adaptação ampla; resistência a doenças foliares boa; conservação pós-colheita boa; teor de matéria seca alto e; sabor, odor e pungência acentuados. E são adaptadas ao processo de produção por bulbinhos (OLIVEIRA). Haag et al., (1970) estudaram a absorção dos nutrientes pela cebola da variedade Baia Periforme Precoce de Piracicaba. Observaram que o crescimento da planta é lento até 85 dias, intensificando-se após esta idade. O acúmulo de matéria seca, nos bulbos, é lento no início, intensificando-se após os 145 dias, chegando a aumentar 50% do peso final nos últimos 30 dias do ciclo. Observaram que a absorção de nutrientes acompanha o crescimento, a concentração de nutrientes eleva-se lentamente para atingir o seu máximo em torno dos 130 dias, tanto na parte aérea como no bulbo para nitrogênio e para fósforo. 3. OBJETIVOS OBJETIVO GERAL Determinar a melhor densidade de plantas por metro quadrado e dose de adubação nitrogenada para a cultura da cebola. OBJETIVO ESPECÍFICO Quantificar a produtividade de cebola, cultivar “Baia Periforme Precoce, em cada classe comercial relacionada a densidade e adubação de plantio. Efetuar a análise econômica do cultivo de cebolas nas diferentes densidades e adubação, e o ponto de máxima eficiência técnica e econômica. 4. MATERIAIS METÓDOS O experimento será implantado em no setor de produção vegetal I pertencente ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia- Câmpus Colorado do Oeste. O solo coletado é classificado como Argissolo Vermelho
  4. 4. Eutrófico típico (EMBRAPA, 2009), e passará por análise química, para que seja corrigido conforme necessidade. O experimento será realizado em delineamento em blocos inteiramente casualizados, com tratamentos em esquema fatorial: 2 x 3, que corresponderão as densidades de 83 e 125 plantas por metro quadrado e três doses de Nitrogênio (0,70 e 140 kg ha-1) na forma de nitrato de cálcio. As parcelas serão conduzidas em canteiros de 1 metro de largura por 4 de comprimento, o espaçamento entre linha de 0,08m. A análise estatística consistirá na análise de variância pelo teste F, seguida da comparação de médias pelo teste de Tukey a 5 % de probabilidade, pelo programa estatístico Assistat. A semeadura da Cultivar Baia Periforme, cultivar tropical de dias curtos com ciclo de 145-150 dias, será feita em bandeja de politiureno 160 células, utilizando 3 sementes por células, posteriormente será realizado o transplantio, em parcelas com 3 linhas de plantio com 5 plantas. As aplicações de herbicidas, fungicidas e inseticidas serão feitas de acordo com a necessidade da cultura. As plantas serão coletadas após “Estalarem”, caracterizadas pelo amolecimento do pseudocaule e tombamento da parte área, segundo a proposta de Finger e Casali (2002). As plantas serão colhidas e será avaliada massa fresca dos bulbos e parte aérea, tempo de cura e diâmetro transversal. 5. RESULTADOS ESPERADOS Obter dados sobre melhor densidade de plantas m2 e dose de adubação nitrogenada, de forma a gerar informações para o melhor posicionamento do produto, dos pontos de vista econômico, ambiental e social, com base no melhor aproveitamento de áreas. Agregar informações técnicas a respeito do produto, visando a viabilização da produção. E gerar dados para a comunidade científica, como base para estudos posteriores. 6. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES Tabela 1. Cronograma de atividades a serem realizadas.
  5. 5. Cronograma de Atividades Atividades Período Ano Vigente Coleta de solo para Análise Química Março 2015 Semeadura Março 2015 Preparo do Canteiro Março 2015 Transplantio A definir 2015 Adubação de Cobertura A definir 2015 Manejo Fitossanitário A definir 2015 Colheita A definir 2015 Avaliações fitotécnicas A definir 2015
  6. 6. 7. REFERÊNCIAS BAIER JE; RESENDE JTV; GALVÃO AG; BATTISTELLI GM; MACHADO MM; FARIA MV. 2009. Produtividade e rendimento comercial de bulbos de cebola em função da densidade de cultivo. Ciência & Agrotecnologia 33: 496-501. EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA. Manual de métodos de análise de solo. Centro nacional de Levantamento e Conservação do Solo. Rio de janeiro, Embrapa Solos, 1997. FINGER, F.L, CASALI V.W.D. Colheita, cura e armazenamento da cebola. Informe agropecuário 23: 93-98, 2002. GONÇALVES, A.S.; SILVA, C.R.S. Adubação mineral e orgânica e a densidade populacional de Thrips tabaci Lind (Thysanoptera: Thripidae) em cebola Ciência Rural, v. 34, n.4, jul-ago, 2004. HAAG, H. P.; HOMA, P.; KIMOTO, T. Nutrição mineral de hortaliças. VIII. Absorção de nutrientes pela cultura da cebola. Anais da Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz", Piracicaba, v. 27, n. 1, p. 143-153, 1970. MASCARENHAS, M. H. T. Cebola. Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v. 14, n. 163, p. 69-73,1993. MAY, A. Desempenho de híbridos de cebola em função da população de plantas e fertilização nitrogenada e potássica. (Tese de Doutorado). Jaboticabal-SP: UNESP, 142p, 2006. MENEZES JÚNIOR FOG; VIEIRA NETO J. 2012. Produção da cebola em função da densidade de plantas. Horticultura Brasileira 30: 733-739. OLIVEIRA, V. R. de. Sementes e cultivares. Agência Embrapa de Informação Tecnológica. Disponível em: < http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/cebola/arvore/CONT000gn0j7gdw 02wx5ok0liq1mqkixrv18.html>. Acesso em: 06/03/2015. SANTOS, H. S.; TANAKA, M. T.; WATANABE, S. H.; ARANTES, P. A. Z.; IVONE, T.T. Produção de cebola em função de tamanho de muda e espaçamento. Horticultura Brasileira, Brasília, v.18, p.556-557, 2000. Suplemento.

×