SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
Administração Financeira Eclesial 
Um assunto espiritual 
RCC DF
Conceito de Administração Financeira Eclesial 
Administração financeira é o processo de Planejar, 
Organizar, Dirigir e Controlar as atividades de captação 
de recursos financeiros, bem como a aplicação desses 
recursos. (PODC)
PODC ??? 
- O PODC está presente em nossa vida, e muitos sequer sabem que todo dia utilizam esse 
método, e em muitas situações. 
- Ex.: Fazer um almoço para a família no domingo; Visitar uma tia que mora em Planaltina; Ir a 
um encontro, reunião, cenáculo da RCC, etc. 
- O PODC é muitas vezes aplicado de forma automática e isso implica em riscos: 
- Erros -> Prejuízos -> Perdas -> Falta de credibilidade 
- Na Administração Financeira Eclesial, estamos tratando diretamente com recursos financeiros 
(dinheiro) de terceiros. 
Servos/Participantes  Grupo de Oração  Setor  RCC DF  RCC Brasil
Peça fundamental para a Administração Financeira 
DINHEIRO 
Alguém vive sem dinheiro? 
É possível evangelizar sem dinheiro? 
Os projetos de evangelização da Igreja necessitam de dinheiro? Qual seria o 
resultado se tivéssemos pouco ou muito dinheiro para esses projetos? 
O dinheiro é importante para a evangelização? 
É preciso entender que mal não é o dinheiro, mas sim o que é feito com ele.
Dinheiro, o mito 
DINHEIRO 
Não é fácil falar em dinheiro, mais difícil ainda é dar dinheiro, e o maior desconforto é pedir 
dinheiro. 
Será que estamos entendendo que ninguém vive sem dinheiro. Ou vive do que é seu, ou vive 
do dinheiro que vem dos outros. 
Assim também é na evangelização, não sobrevive sem o dinheiro. 
Somos chamados a utilizar o conhecimento da Administração Financeira Eclesial para captar 
e aplicar melhor os recursos financeiros, e assim expandir o alcance da evangelização. 
O uso correto do dinheiro, agilizará a evangelização dos povos.
Empecílios à Administração Financeira (Resistências) 
EMPECÍLIOS COMUNS (destroem a adm. Financeira, pois impedem a arrecadação) 
-Culturais – Se minha família não contribui, eu também não contribuo; 
-Preconceituais – Ninguém sabe quem as criou, mas influenciam as pessoas que sequer 
questionam. Ex. A Igreja é rica. Por que Padre precisa de dinheiro? 
-Pessoais – São atribuídos a nossa tendência ao pecado. Criamos motivos para não 
ajudar. Egoísmo. 
-Malignos – O maligno tenta impedir o avanço da evangelização. Endurece o coração das 
pessoas para não contribuírem financeiramente com a evangelização, pois assim os filhos de 
Deus não serão evangelizados, ou, se forem, serão em pequenas quantidades.
Meios de arrecadação da Igreja 
- Dízimos – são bíblicos, e são importantes para iniciar qualquer atividade 
financeira em prol da evangelização. Passagem do profeta Malaquias: Ml 3, 7-12 
- Ofertas 
- Campanhas 
- Festas 
- Vendas de artigos religiosos 
- Serviços
Responsabilidade e meios de arrecadação da RCC 
Administração Financeira, pressupõe uma responsabilidade enorme, no momento em que 
lidamos com a arrecadação e aplicação de dinheiro das mais diversas fontes lícitas. 
Meios de arrecadação: 
Doações (sem periodicidade) 
Contribuições (permanentes e mensais)  Ministério de Partilha 
Venda de produtos (Livros, camisetas, etc) 
Eventos (Vem Louvar, Rebanhão, Seminários, etc)
Controle de recursos 
Controle de recursos é um dos itens mais importantes da Administração Financeira Eclesial. 
Em razão da corrupção generalizada, da desonestidade, nosso povo está marcado pela desconfiança. É por 
esta razão que muitos não conseguem contribuir, pois preconceituosas imaginam que todas as pessoas que 
lidam com dinheiro roubam para si. 
Não é fácil ser o Administrador Financeiro desses recursos, pois somos bombardeados diariamente, mas se 
esta é a sua missão, vá em frente, sempre conduzido pelo Espírito Santo. 
É preciso ter seriedade e exercer absoluto controle sobre os recursos arrecadados e sua aplicação. Para isso, 
faça os registros de todas as entradas e saídas de recursos, e periodicamente preste contas aos servos. 
Como pode ser feito num Grupo de Oração e no Setor. 
Como é feito na RCC DF.
Reflexão 
Romanos 10, 9-18 
Como enviaremos e como receberemos pregadores, músicos, intercessores, servos 
de cura e libertação, formadores, e como instruiremos e manteremos os 
ministérios de pregação, formação, música, intercessão, cura e libertação, 
pastoreio, liderança, o escritórios da RCC, SEM DINHEIRO, SEM ADMINISTRAÇÃO 
FINANCEIRA?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Capitulo 6 O Grupo de Perseverança
Capitulo 6   O Grupo de PerseverançaCapitulo 6   O Grupo de Perseverança
Capitulo 6 O Grupo de PerseverançaKlaus Newman
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOigrejafecrista
 
Disciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - OraçãoDisciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - OraçãoTiago de Souza
 
SANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUAL
SANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUALSANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUAL
SANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUALPaulo David
 
Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igreja
Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na IgrejaDimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igreja
Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igrejadilsilei
 
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoÉder Tomé
 
Capítulo 3 dom de profecia e de interpretação
Capítulo 3   dom de profecia e de interpretaçãoCapítulo 3   dom de profecia e de interpretação
Capítulo 3 dom de profecia e de interpretaçãoKlaus Newman
 
O Culto, a Música e o Ministério de Louvor na Igreja
O Culto, a Música e o Ministério de Louvor na IgrejaO Culto, a Música e o Ministério de Louvor na Igreja
O Culto, a Música e o Ministério de Louvor na IgrejaSeduc MT
 
Capítulo 2 dom de linguas
Capítulo 2   dom de linguasCapítulo 2   dom de linguas
Capítulo 2 dom de linguasKlaus Newman
 
MISSÕES O QUE SIGNIFICA?
MISSÕES O QUE SIGNIFICA?MISSÕES O QUE SIGNIFICA?
MISSÕES O QUE SIGNIFICA?Mazinho Souza
 
Slide de missoes
Slide de missoesSlide de missoes
Slide de missoespaulode3
 
50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas I50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas IItamar Freire
 

Mais procurados (20)

Capitulo 6 O Grupo de Perseverança
Capitulo 6   O Grupo de PerseverançaCapitulo 6   O Grupo de Perseverança
Capitulo 6 O Grupo de Perseverança
 
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMOTREINAMENTO PARA EVANGELISMO
TREINAMENTO PARA EVANGELISMO
 
Disciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - OraçãoDisciplinas Espirituais - Oração
Disciplinas Espirituais - Oração
 
SANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUAL
SANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUALSANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUAL
SANTAS MISSÕES POPULARES - APRESENTAÇÃO GERAL DO MANUAL
 
3 aula educação cristã
3 aula   educação cristã3 aula   educação cristã
3 aula educação cristã
 
O PECADO ORIGINAL
O PECADO ORIGINALO PECADO ORIGINAL
O PECADO ORIGINAL
 
PROJETO 1+1= MUITOS!
PROJETO 1+1= MUITOS!PROJETO 1+1= MUITOS!
PROJETO 1+1= MUITOS!
 
Formação – leitores
Formação – leitoresFormação – leitores
Formação – leitores
 
Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igreja
Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na IgrejaDimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igreja
Dimensões Teológica e Pastoral do Canto na Igreja
 
Pós-cursilho / Escola
Pós-cursilho / EscolaPós-cursilho / Escola
Pós-cursilho / Escola
 
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua OrganizaçãoLição 9 - A Igreja e sua Organização
Lição 9 - A Igreja e sua Organização
 
Capítulo 3 dom de profecia e de interpretação
Capítulo 3   dom de profecia e de interpretaçãoCapítulo 3   dom de profecia e de interpretação
Capítulo 3 dom de profecia e de interpretação
 
O Culto, a Música e o Ministério de Louvor na Igreja
O Culto, a Música e o Ministério de Louvor na IgrejaO Culto, a Música e o Ministério de Louvor na Igreja
O Culto, a Música e o Ministério de Louvor na Igreja
 
Evangelismo aula 03
Evangelismo   aula 03Evangelismo   aula 03
Evangelismo aula 03
 
Capítulo 2 dom de linguas
Capítulo 2   dom de linguasCapítulo 2   dom de linguas
Capítulo 2 dom de linguas
 
Como atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célulaComo atrair novos membros para a célula
Como atrair novos membros para a célula
 
MISSÕES O QUE SIGNIFICA?
MISSÕES O QUE SIGNIFICA?MISSÕES O QUE SIGNIFICA?
MISSÕES O QUE SIGNIFICA?
 
Slide de missoes
Slide de missoesSlide de missoes
Slide de missoes
 
Evangelismo
EvangelismoEvangelismo
Evangelismo
 
50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas I50 Estudos Para Celulas I
50 Estudos Para Celulas I
 

Destaque

Administração eclesial
Administração eclesial Administração eclesial
Administração eclesial Conage
 
Laudato si e a educação cristã
Laudato si e a educação cristãLaudato si e a educação cristã
Laudato si e a educação cristãAfonso Murad (FAJE)
 
Gestión e espiritualidad en la educación v3
Gestión e espiritualidad en la educación v3Gestión e espiritualidad en la educación v3
Gestión e espiritualidad en la educación v3Afonso Murad (FAJE)
 
Secretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii GaudiumSecretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii GaudiumAfonso Murad (FAJE)
 
Campanha da fraternidade 2017 texto base - biomas brasileiros
Campanha da fraternidade 2017   texto base - biomas brasileirosCampanha da fraternidade 2017   texto base - biomas brasileiros
Campanha da fraternidade 2017 texto base - biomas brasileirosAfonso Murad (FAJE)
 
Contribuição dos santuários para a evangelização
Contribuição dos santuários para a evangelizaçãoContribuição dos santuários para a evangelização
Contribuição dos santuários para a evangelizaçãoAfonso Murad (FAJE)
 

Destaque (9)

Administração Eclesial
Administração EclesialAdministração Eclesial
Administração Eclesial
 
Administração eclesial
Administração eclesial Administração eclesial
Administração eclesial
 
Gestão e espiritualidade (1)
Gestão e espiritualidade (1)Gestão e espiritualidade (1)
Gestão e espiritualidade (1)
 
Laudato si e a educação cristã
Laudato si e a educação cristãLaudato si e a educação cristã
Laudato si e a educação cristã
 
Gestión e espiritualidad en la educación v3
Gestión e espiritualidad en la educación v3Gestión e espiritualidad en la educación v3
Gestión e espiritualidad en la educación v3
 
Secretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii GaudiumSecretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
Secretaria paroquial à luz da Evangelii Gaudium
 
Campanha da fraternidade 2017 texto base - biomas brasileiros
Campanha da fraternidade 2017   texto base - biomas brasileirosCampanha da fraternidade 2017   texto base - biomas brasileiros
Campanha da fraternidade 2017 texto base - biomas brasileiros
 
Planejamento estratégico para igrejas
Planejamento estratégico para igrejasPlanejamento estratégico para igrejas
Planejamento estratégico para igrejas
 
Contribuição dos santuários para a evangelização
Contribuição dos santuários para a evangelizaçãoContribuição dos santuários para a evangelização
Contribuição dos santuários para a evangelização
 

Semelhante a Administração financeira eclesial

Encontro dizimo regionais 2017.pdf
Encontro dizimo regionais  2017.pdfEncontro dizimo regionais  2017.pdf
Encontro dizimo regionais 2017.pdfCristianeCarlaCarnei
 
Festival ABCR - Doadores para Organizações Religiosas
Festival ABCR - Doadores para Organizações ReligiosasFestival ABCR - Doadores para Organizações Religiosas
Festival ABCR - Doadores para Organizações ReligiosasABCR
 
Festival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadores
Festival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadoresFestival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadores
Festival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadoresABCR
 
Apresentação Setor Juventude - Diocese de Amparo
Apresentação Setor Juventude - Diocese de AmparoApresentação Setor Juventude - Diocese de Amparo
Apresentação Setor Juventude - Diocese de Amparodouglasvasconcelosgr
 
Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01Lemuel Silva
 
Educação Financeira Cristã
Educação Financeira CristãEducação Financeira Cristã
Educação Financeira CristãDaniel Luzz
 
Eclesiologia - Desenvolvimento Natural Da Igreja - Blog do Prof. Eduardo Sales
Eclesiologia - Desenvolvimento  Natural Da  Igreja - Blog do Prof. Eduardo SalesEclesiologia - Desenvolvimento  Natural Da  Igreja - Blog do Prof. Eduardo Sales
Eclesiologia - Desenvolvimento Natural Da Igreja - Blog do Prof. Eduardo SalesEduardo Sales de lima
 
Dizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordiaDizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordiaJonathan Santos
 
Uma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursosUma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursosphelipesales2
 
Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1
Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1
Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1Comando Resgatai
 
Finanças da Família
Finanças da FamíliaFinanças da Família
Finanças da FamíliaLuan Almeida
 
Ng2 dr3-angelina-carla-micaela coregido
Ng2 dr3-angelina-carla-micaela coregidoNg2 dr3-angelina-carla-micaela coregido
Ng2 dr3-angelina-carla-micaela coregidoestreitoformaefas
 
Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)
Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)
Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)Igreja Nazareno
 
Apostila básico em finanças pessoais
Apostila básico em finanças pessoaisApostila básico em finanças pessoais
Apostila básico em finanças pessoaisTheDivisionGameFan
 

Semelhante a Administração financeira eclesial (20)

Encontro dizimo regionais 2017.pdf
Encontro dizimo regionais  2017.pdfEncontro dizimo regionais  2017.pdf
Encontro dizimo regionais 2017.pdf
 
Revista Panorama AMT
Revista Panorama AMTRevista Panorama AMT
Revista Panorama AMT
 
Festival ABCR - Doadores para Organizações Religiosas
Festival ABCR - Doadores para Organizações ReligiosasFestival ABCR - Doadores para Organizações Religiosas
Festival ABCR - Doadores para Organizações Religiosas
 
Festival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadores
Festival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadoresFestival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadores
Festival 2019 - Captação de Recursos de grandes doadores
 
Missão Para Nações
Missão Para NaçõesMissão Para Nações
Missão Para Nações
 
Apresentação Setor Juventude - Diocese de Amparo
Apresentação Setor Juventude - Diocese de AmparoApresentação Setor Juventude - Diocese de Amparo
Apresentação Setor Juventude - Diocese de Amparo
 
Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01Seminario Biblia Dinheiro 01
Seminario Biblia Dinheiro 01
 
Educação Financeira Cristã
Educação Financeira CristãEducação Financeira Cristã
Educação Financeira Cristã
 
Eclesiologia - Desenvolvimento Natural Da Igreja - Blog do Prof. Eduardo Sales
Eclesiologia - Desenvolvimento  Natural Da  Igreja - Blog do Prof. Eduardo SalesEclesiologia - Desenvolvimento  Natural Da  Igreja - Blog do Prof. Eduardo Sales
Eclesiologia - Desenvolvimento Natural Da Igreja - Blog do Prof. Eduardo Sales
 
Liderança2
Liderança2Liderança2
Liderança2
 
Dizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordiaDizimo e as_obras_de_misericordia
Dizimo e as_obras_de_misericordia
 
Uma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursosUma visão geral sobre captação de recursos
Uma visão geral sobre captação de recursos
 
Introdução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de RecursosIntrodução a Captação de Recursos
Introdução a Captação de Recursos
 
Novo Céu Projeto Assistencial
Novo Céu Projeto AssistencialNovo Céu Projeto Assistencial
Novo Céu Projeto Assistencial
 
Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1
Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1
Conheça a Secretaria Estadual de Missões da IEQ Ceará em 2015.1
 
Finanças da Família
Finanças da FamíliaFinanças da Família
Finanças da Família
 
Ng2 dr3-angelina-carla-micaela coregido
Ng2 dr3-angelina-carla-micaela coregidoNg2 dr3-angelina-carla-micaela coregido
Ng2 dr3-angelina-carla-micaela coregido
 
Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)
Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)
Ministérios para Jovens (Forma do Ministério Juvenil)
 
Jornal A Voz Espírita - Edição Maio/Junho de 2015 Nº 31
Jornal A Voz Espírita - Edição Maio/Junho de 2015 Nº 31Jornal A Voz Espírita - Edição Maio/Junho de 2015 Nº 31
Jornal A Voz Espírita - Edição Maio/Junho de 2015 Nº 31
 
Apostila básico em finanças pessoais
Apostila básico em finanças pessoaisApostila básico em finanças pessoais
Apostila básico em finanças pessoais
 

Mais de Carlos Junior

Relação esv integral classificação final 14.03.16
Relação esv integral classificação   final 14.03.16Relação esv integral classificação   final 14.03.16
Relação esv integral classificação final 14.03.16Carlos Junior
 
Relação esv especial classificação final 14.03.16
Relação esv especial classificação   final 14.03.16Relação esv especial classificação   final 14.03.16
Relação esv especial classificação final 14.03.16Carlos Junior
 
Novena dos pais que oram pelos filhos
Novena dos pais que oram pelos filhosNovena dos pais que oram pelos filhos
Novena dos pais que oram pelos filhosCarlos Junior
 
Minha sagrada familia
Minha sagrada familiaMinha sagrada familia
Minha sagrada familiaCarlos Junior
 
Manual consagração lares
Manual consagração laresManual consagração lares
Manual consagração laresCarlos Junior
 
Coletiva 17 de abril
Coletiva  17 de abrilColetiva  17 de abril
Coletiva 17 de abrilCarlos Junior
 
Ficha de inscrição para grupo de oração - formação de coordenadores e núcleo...
Ficha de inscrição para grupo de oração  - formação de coordenadores e núcleo...Ficha de inscrição para grupo de oração  - formação de coordenadores e núcleo...
Ficha de inscrição para grupo de oração - formação de coordenadores e núcleo...Carlos Junior
 
Ficha de incrição para retiro 2014
Ficha de incrição para retiro 2014Ficha de incrição para retiro 2014
Ficha de incrição para retiro 2014Carlos Junior
 
Estrategia matricula 2015
Estrategia matricula 2015Estrategia matricula 2015
Estrategia matricula 2015Carlos Junior
 
Calendário 2015 Setor VI RCC-DF
Calendário 2015 Setor VI RCC-DFCalendário 2015 Setor VI RCC-DF
Calendário 2015 Setor VI RCC-DFCarlos Junior
 
Slide curso de formação 3
Slide curso de formação   3Slide curso de formação   3
Slide curso de formação 3Carlos Junior
 
NOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEE
NOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEENOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEE
NOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEECarlos Junior
 
Evangelização planejada e evangelii gaudium
Evangelização planejada e evangelii gaudiumEvangelização planejada e evangelii gaudium
Evangelização planejada e evangelii gaudiumCarlos Junior
 
Cartilha sobre o mc ajustes finais
Cartilha sobre o mc ajustes finaisCartilha sobre o mc ajustes finais
Cartilha sobre o mc ajustes finaisCarlos Junior
 
21 ago oficio espec sedf
21 ago oficio espec sedf21 ago oficio espec sedf
21 ago oficio espec sedfCarlos Junior
 
Curso pronatec ficha (1)
Curso pronatec ficha (1)Curso pronatec ficha (1)
Curso pronatec ficha (1)Carlos Junior
 
Circular conjunta nº 09 2014-subeb-suplav
Circular conjunta nº 09 2014-subeb-suplavCircular conjunta nº 09 2014-subeb-suplav
Circular conjunta nº 09 2014-subeb-suplavCarlos Junior
 

Mais de Carlos Junior (20)

Relação esv integral classificação final 14.03.16
Relação esv integral classificação   final 14.03.16Relação esv integral classificação   final 14.03.16
Relação esv integral classificação final 14.03.16
 
Relação esv especial classificação final 14.03.16
Relação esv especial classificação   final 14.03.16Relação esv especial classificação   final 14.03.16
Relação esv especial classificação final 14.03.16
 
Novena dos pais que oram pelos filhos
Novena dos pais que oram pelos filhosNovena dos pais que oram pelos filhos
Novena dos pais que oram pelos filhos
 
Minha sagrada familia
Minha sagrada familiaMinha sagrada familia
Minha sagrada familia
 
Manual consagração lares
Manual consagração laresManual consagração lares
Manual consagração lares
 
Coletiva 17 de abril
Coletiva  17 de abrilColetiva  17 de abril
Coletiva 17 de abril
 
Folder equipe
Folder equipeFolder equipe
Folder equipe
 
Circular
CircularCircular
Circular
 
Ficha de inscrição para grupo de oração - formação de coordenadores e núcleo...
Ficha de inscrição para grupo de oração  - formação de coordenadores e núcleo...Ficha de inscrição para grupo de oração  - formação de coordenadores e núcleo...
Ficha de inscrição para grupo de oração - formação de coordenadores e núcleo...
 
Ficha de incrição para retiro 2014
Ficha de incrição para retiro 2014Ficha de incrição para retiro 2014
Ficha de incrição para retiro 2014
 
Estrategia matricula 2015
Estrategia matricula 2015Estrategia matricula 2015
Estrategia matricula 2015
 
Calendário 2015 Setor VI RCC-DF
Calendário 2015 Setor VI RCC-DFCalendário 2015 Setor VI RCC-DF
Calendário 2015 Setor VI RCC-DF
 
Slide curso de formação 3
Slide curso de formação   3Slide curso de formação   3
Slide curso de formação 3
 
NOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEE
NOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEENOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEE
NOTA TÉCNICA No 04 / 2014 / MEC / SECADI / DPEE
 
Evangelização planejada e evangelii gaudium
Evangelização planejada e evangelii gaudiumEvangelização planejada e evangelii gaudium
Evangelização planejada e evangelii gaudium
 
Cartilha sobre o mc ajustes finais
Cartilha sobre o mc ajustes finaisCartilha sobre o mc ajustes finais
Cartilha sobre o mc ajustes finais
 
21 ago oficio espec sedf
21 ago oficio espec sedf21 ago oficio espec sedf
21 ago oficio espec sedf
 
Folder mostra novo2
Folder mostra novo2Folder mostra novo2
Folder mostra novo2
 
Curso pronatec ficha (1)
Curso pronatec ficha (1)Curso pronatec ficha (1)
Curso pronatec ficha (1)
 
Circular conjunta nº 09 2014-subeb-suplav
Circular conjunta nº 09 2014-subeb-suplavCircular conjunta nº 09 2014-subeb-suplav
Circular conjunta nº 09 2014-subeb-suplav
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniCassio Meira Jr.
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADOcarolinacespedes23
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Mary Alvarenga
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarIedaGoethe
 

Último (20)

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e TaniModelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
Modelos de Desenvolvimento Motor - Gallahue, Newell e Tani
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADOactivIDADES CUENTO  lobo esta  CUENTO CUARTO GRADO
activIDADES CUENTO lobo esta CUENTO CUARTO GRADO
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
Grupo Tribalhista - Música Velha Infância (cruzadinha e caça palavras)
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogarCaixa jogo da onça. para imprimir e jogar
Caixa jogo da onça. para imprimir e jogar
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 

Administração financeira eclesial

  • 1. Administração Financeira Eclesial Um assunto espiritual RCC DF
  • 2. Conceito de Administração Financeira Eclesial Administração financeira é o processo de Planejar, Organizar, Dirigir e Controlar as atividades de captação de recursos financeiros, bem como a aplicação desses recursos. (PODC)
  • 3. PODC ??? - O PODC está presente em nossa vida, e muitos sequer sabem que todo dia utilizam esse método, e em muitas situações. - Ex.: Fazer um almoço para a família no domingo; Visitar uma tia que mora em Planaltina; Ir a um encontro, reunião, cenáculo da RCC, etc. - O PODC é muitas vezes aplicado de forma automática e isso implica em riscos: - Erros -> Prejuízos -> Perdas -> Falta de credibilidade - Na Administração Financeira Eclesial, estamos tratando diretamente com recursos financeiros (dinheiro) de terceiros. Servos/Participantes  Grupo de Oração  Setor  RCC DF  RCC Brasil
  • 4. Peça fundamental para a Administração Financeira DINHEIRO Alguém vive sem dinheiro? É possível evangelizar sem dinheiro? Os projetos de evangelização da Igreja necessitam de dinheiro? Qual seria o resultado se tivéssemos pouco ou muito dinheiro para esses projetos? O dinheiro é importante para a evangelização? É preciso entender que mal não é o dinheiro, mas sim o que é feito com ele.
  • 5. Dinheiro, o mito DINHEIRO Não é fácil falar em dinheiro, mais difícil ainda é dar dinheiro, e o maior desconforto é pedir dinheiro. Será que estamos entendendo que ninguém vive sem dinheiro. Ou vive do que é seu, ou vive do dinheiro que vem dos outros. Assim também é na evangelização, não sobrevive sem o dinheiro. Somos chamados a utilizar o conhecimento da Administração Financeira Eclesial para captar e aplicar melhor os recursos financeiros, e assim expandir o alcance da evangelização. O uso correto do dinheiro, agilizará a evangelização dos povos.
  • 6. Empecílios à Administração Financeira (Resistências) EMPECÍLIOS COMUNS (destroem a adm. Financeira, pois impedem a arrecadação) -Culturais – Se minha família não contribui, eu também não contribuo; -Preconceituais – Ninguém sabe quem as criou, mas influenciam as pessoas que sequer questionam. Ex. A Igreja é rica. Por que Padre precisa de dinheiro? -Pessoais – São atribuídos a nossa tendência ao pecado. Criamos motivos para não ajudar. Egoísmo. -Malignos – O maligno tenta impedir o avanço da evangelização. Endurece o coração das pessoas para não contribuírem financeiramente com a evangelização, pois assim os filhos de Deus não serão evangelizados, ou, se forem, serão em pequenas quantidades.
  • 7. Meios de arrecadação da Igreja - Dízimos – são bíblicos, e são importantes para iniciar qualquer atividade financeira em prol da evangelização. Passagem do profeta Malaquias: Ml 3, 7-12 - Ofertas - Campanhas - Festas - Vendas de artigos religiosos - Serviços
  • 8. Responsabilidade e meios de arrecadação da RCC Administração Financeira, pressupõe uma responsabilidade enorme, no momento em que lidamos com a arrecadação e aplicação de dinheiro das mais diversas fontes lícitas. Meios de arrecadação: Doações (sem periodicidade) Contribuições (permanentes e mensais)  Ministério de Partilha Venda de produtos (Livros, camisetas, etc) Eventos (Vem Louvar, Rebanhão, Seminários, etc)
  • 9. Controle de recursos Controle de recursos é um dos itens mais importantes da Administração Financeira Eclesial. Em razão da corrupção generalizada, da desonestidade, nosso povo está marcado pela desconfiança. É por esta razão que muitos não conseguem contribuir, pois preconceituosas imaginam que todas as pessoas que lidam com dinheiro roubam para si. Não é fácil ser o Administrador Financeiro desses recursos, pois somos bombardeados diariamente, mas se esta é a sua missão, vá em frente, sempre conduzido pelo Espírito Santo. É preciso ter seriedade e exercer absoluto controle sobre os recursos arrecadados e sua aplicação. Para isso, faça os registros de todas as entradas e saídas de recursos, e periodicamente preste contas aos servos. Como pode ser feito num Grupo de Oração e no Setor. Como é feito na RCC DF.
  • 10. Reflexão Romanos 10, 9-18 Como enviaremos e como receberemos pregadores, músicos, intercessores, servos de cura e libertação, formadores, e como instruiremos e manteremos os ministérios de pregação, formação, música, intercessão, cura e libertação, pastoreio, liderança, o escritórios da RCC, SEM DINHEIRO, SEM ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA?