Redes sociais & VivênciaCristãCiberespaço como lugar do acontecimento social...Redes sociais como ferramenta de evangeliza...
Sociedade em rede poder e contrapoder(Castells, 2003)PODER= capacidade estrutural do ator social para fazervaler sua vonta...
Redes – Baran & Ugarte REDE CENTRALIZADA   REDE DESCENTRALIZADA   REDE DISTRIBUÍDAPaul Baran – conexões como linhas e cabo...
Poder, empoderamento dousuário, crowdsourcing e emancipação             do receptor                       Poder           ...
Ciberativismo, uma estratégia“ciberativismo” como toda estratégiaque persegue a mudança da agendapública, a inclusão de um...
@vozdacomunidade“@vozdacomunidade” (2010) – grupo de jovensde favela editava um jornal e, ao criar um perfilno Twitter, co...
Recombinação Cultural           (Lemos, 2009) Cibercultura – ambiente de contínuo  processo de compartilhamento “palavra...
Cibercultura (Saad, 2010) Conjunto de conceitos, campos, definições  que gravitam em torno da cena cibercultural. ... “t...
Cibercultura (Levy, 1999)Para Levy (1999), Cibercultura é umconjunto de técnicas, de práticas, deatitudes, de modos de pen...
Que uso faço das redessociais?
Que uso faço das redessociais?
Comenta     ?           Compartiha                 ?Curte?         O que
Essas duas matérias da Folha On-line ilustra bem essa dimensão: Opção curtir do Facebook revela  mais do que se deseja, d...
Se CURTO, Digo queconcordo...Se COMPARTILHO, dissemino a ideia...SeCOMENTO,expressominhaopinião...      Mas quem SOU EU? ...
Mensagem do Papa – Dia                Mundial das Comunicação               Redes sociais: portais de               verdad...
Esses espaços podem...            Transformar-se em verdadeira            comunicação            Amadurecer amizades      ...
As Redes Sociais & os meios de            CS...             precisam do compromisso de todos               aqueles que es...
No CiberespaçoA palavra vem acompanhada de som e imagens                   Um ambiente propício para                      ...
Novos aparatostecnológicosEspaço antropológiconovoMuda o modo de pensar,de conhecer a realidade ede manterrelações humanas.
CIBERTEOLOGI                      ACiberteologia                 Entendida como (Spadaro)                  inteligência d...
Pensar o Cristianismo nos                tempos da redeCiberteologia (Spadaro)                   Entendida como inteligên...
 Território inexplorado x                  background teológicoCiberteologia                 A rede é um contexto em que...
 Antonio Spadaro, padre jesuíta.             Em 1998 fundou BombaCarta,                um projeto cultural na internet ...
 Internet – Igreja                são duas realidades sempre destinadas a                  se encontrar                ...
 A comunicação humana tem um valor teológico.             A Igreja pode ajudar a internet a ser o que é no              ...
Boletim Salesiano nas Redes                SociaisSalesianidade                 ... na Web:                 presença nos...
Boletim Salesiano nas Redes                Sociais                 “No lastro dos fundadores,Salesianidade                ...
Reitor-Mor nas Redes Sociais                 P. Chávez desejaSalesianidade                  “criar sinergia, para o bem, ...
“Palavrinha ao ouvido” nas Redes                 Sociais                 “Palavrinha ao ouvido” ouSalesianidade          ...
Salesianidade                 “Palavrinha ao ouvido”                              Twittermania (Revista                   ...
Há espaço em nossa vida de FMA                para um instrumento como Twitter?                Depende de como o utilizamo...
Protagonismo Juvenil nas RedesSalesianidade   Sociais                     II Encontro de Jovens Comunicadores            ...
Comunicação                                                         e EducaçãoEducomunicação                             P...
... Já ouviu falar sobre                Educomunicação?Salesianidade                  Tese do Genésio?                  ...
Educomunicação   ... e por falar em Educomunicação                  Tese do Genésio - Educomunicação e sua               ...
Educomunicação   ... e por falar em Educomunicação                  A Tese do Genésio detectou que as ações              ...
Educomunicação   ... e por falar em Educomunicação                   A Tese apontou essas dificuldades são resultados    ...
Educomunicação   ... e por falar em Educomunicação                   A Tese de Ivone Yared (2009) – perspectiva          ...
Alunos do Instituto São José (São José dos Campos-SP)Diferença entre uma ação educomunicativa e outraimposta pelo corpo do...
Indícios educomunicativos na RSESobre os indícios educomunicativosencontrados na RSE:   Material didático – projetos    i...
Indícios educomunicativos na RSE A AJS, PJE – enfim, todos os grupos,  podem fazer a diferença em qualquer   ambiente.  ...
Educomunicação                 Casa construída articulando a metodologia da comunicação escolar à Educomunicação
TERCEIRO ENTORNO – Javier Echeverría                            Cartografia para a definição de estratégias deTerceiro Ent...
Para compreender o ecossistemaTerceiro Entorno                   comunicativo como uma ação                   conjunta do ...
Terceiro Entorno (E3)                         Essa compreensão pautada no processo                          educativo.   ...
Terceiro Entorno (E3)                         Já não são apenas                          bibliotecas, teatros, classes   ...
Mediação tecnológica em espaçosEducomunicação                 educativos                 É nesse contexto que a área educo...
Que uso a AJS FAZ das redessociais?O paradigma da Educomunicaçãopoderia ajudar?De que forma?
Redes sociais, Educomunicação & Vivência Cristã
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Redes sociais, Educomunicação & Vivência Cristã

4.039 visualizações

Publicada em

Conversa com os jovens da Articulação da Juventude Salesiana (AJS) em Rondonópolis-MT, pertencentes às inspetorias de Campo Grande (SDB) e Cuiabá (FMA).

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.039
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.014
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
55
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redes sociais, Educomunicação & Vivência Cristã

  1. 1. Redes sociais & VivênciaCristãCiberespaço como lugar do acontecimento social...Redes sociais como ferramenta de evangelização... Palestra para os Jovens da Articulação da Juventude Salesiana dasInspetorias dos Salesianos de Campo Grande e Salesianas de Cuiabá Por Antonia Alves – em Rondonópolis-MT
  2. 2. Sociedade em rede poder e contrapoder(Castells, 2003)PODER= capacidade estrutural do ator social para fazervaler sua vontade sobre os outros atores sociais. CONTRA-PODER = é a capacidade de uma ator social de resistir e desafiar as relações de poder institucionalizadas.RELAÇÕES DE PODER= são por natureza conflitivas....A relação entre tecnologia, comunicação e poder refletemvalores e interesses opostos, e afeta a uma pluralidade deatores sociais em conflito.
  3. 3. Redes – Baran & Ugarte REDE CENTRALIZADA REDE DESCENTRALIZADA REDE DISTRIBUÍDAPaul Baran – conexões como linhas e cabostelefônicosDavid Ugarte – relações entre pessoas
  4. 4. Poder, empoderamento dousuário, crowdsourcing e emancipação do receptor Poder Poder da Mídia Poder da Multidão Poder do Indivíduo Protocolo como forma de controle e poder
  5. 5. Ciberativismo, uma estratégia“ciberativismo” como toda estratégiaque persegue a mudança da agendapública, a inclusão de um novo temana ordem do dia da grande discussãosocial, mediante a difusão de umadeterminada mensagem e suapropagação através do “boca a boca”multiplicado pelos meios decomunicação e publicação eletrônicapessoal.(UGARTE, 2008, p.55)
  6. 6. @vozdacomunidade“@vozdacomunidade” (2010) – grupo de jovensde favela editava um jornal e, ao criar um perfilno Twitter, começou a utilizar a ferramenta paramanifestar a voz da comunidade diante dainvasão da polícia para deter os criminososnaquela comunidade.Até então, era a voz da mídia que dizia o queacontecia no local, fazendo um verdadeirocampo de guerra no local.Com os tweets, o mundo pode ver que alémdos policiais e traficantes, havia naqueleuniverso, pessoas humanas, jovens, crianças eadultos, sedentos por justiça e paz.
  7. 7. Recombinação Cultural (Lemos, 2009) Cibercultura – ambiente de contínuo processo de compartilhamento “palavras de ordem” – dão o tom no ciberespaço:  “Emita e produza!” – liberação do polo emissor;  “Produz, emita e... conecte!” – é preciso emitir em rede, entrar em conexão com outros, produzir sinergias, trocar pedaços de informação, circular e distribuir;  “Produza, emita, conecte e... transforme!” – trata-se da possibilidade de reconfiguração de práticas e de instituições da indústria cultural massiva e das redes de sociabilidade
  8. 8. Cibercultura (Saad, 2010) Conjunto de conceitos, campos, definições que gravitam em torno da cena cibercultural. ... “trans” – caráter transdisciplinar ... “ciber” um elo entre a técnica e os processos de sociabilidade, o que faz um resgate histórico aos dez anos passado. objetos ciberculturais – que sustentando trocas, relacionamento e ampliam o conhecimento coletivo”.  carregados de significados  têm sua própria linguagem,  permitem que os interlocutores possam apropriar-se deles e realizar suas trocas, relacionamentos, ampliando seu
  9. 9. Cibercultura (Levy, 1999)Para Levy (1999), Cibercultura é umconjunto de técnicas, de práticas, deatitudes, de modos de pensamento e devalores que se desenvolvemjuntamente com o desenvolvimento dociberespaço. Saad (2010) afirma que após dez anos, o que se percebe hoje é crescente evidência da rede como ambiência para o estabelecimento de arenas e espaços de sociabilidade.
  10. 10. Que uso faço das redessociais?
  11. 11. Que uso faço das redessociais?
  12. 12. Comenta ? Compartiha ?Curte? O que
  13. 13. Essas duas matérias da Folha On-line ilustra bem essa dimensão: Opção curtir do Facebook revela mais do que se deseja, diz estudo (Folha, 12/03/2013) Entenda melhor o misterioso caso dos posts do Facebook (Folha, 11/03/2013)
  14. 14. Se CURTO, Digo queconcordo...Se COMPARTILHO, dissemino a ideia...SeCOMENTO,expressominhaopinião...  Mas quem SOU EU? [dinâmica do Perfil]
  15. 15. Mensagem do Papa – Dia Mundial das Comunicação Redes sociais: portais de verdade e de fé; novos espaços de evangelização Nova ágora – praça pública e aberta: onde as pessoas partilham ideias, informações, opiniões e podem ainda ganhar vida novas relações e formas de comunidade.Espaço – quando bem valorizados:contribuem para favorecer formas de diálogo edebate que podem reforçar os laços de unidadeentre as pessoas e promover eficazmente a
  16. 16. Esses espaços podem... Transformar-se em verdadeira comunicação Amadurecer amizades Facilitar a comunhão – as pessoas se comunicamEsses espaços exigem dedicação para... Construir relações e encontrar amizade Buscar respostas para as suas questões Divertir-se Estimular-se intelectualmente Partilhar competências e conhecimentos. “As redes sociais são alimentadas por aspirações radicadas no coração do homem.”
  17. 17. As Redes Sociais & os meios de CS...  precisam do compromisso de todos aqueles que estão cientes do valor do diálogo, do debate fundamentado, da argumentação lógica;  que procurem cultivar formas de discurso e expressão que façam apelo às aspirações mais nobres de quem está envolvido no processo de comunicação.As redes sociais são o fruto da interaçãohumana... dão formas novas às dinâmicasda comunicação que cria relações: porisso uma solícita compreensão por esteambiente é o pré-requisito para umapresença significativa dentro do mesmo.
  18. 18. No CiberespaçoA palavra vem acompanhada de som e imagens Um ambiente propício para  as parábolas de Jesus  Símbolos cristãos  Símbolos salesianos  Envolver-se com uma causa  Dialogar com o diferente  Conflitos  Discernimento  Facilitar a partilha com aqueles que têm pouco contatocom as experiências cristãs devido a problemas geográficos ou culturais
  19. 19. Novos aparatostecnológicosEspaço antropológiconovoMuda o modo de pensar,de conhecer a realidade ede manterrelações humanas.
  20. 20. CIBERTEOLOGI ACiberteologia  Entendida como (Spadaro) inteligência da fé nos tempos da rede.  Não significa fazer evangelização ou reflexão sociológica a respeito da religiosidade na internet.  Trata-se de encontrar os pontos de contato e de interação produtiva entre a rede e o pensamento cristão.
  21. 21. Pensar o Cristianismo nos tempos da redeCiberteologia (Spadaro)  Entendida como inteligência da fé nos tempos da rede.  Não significa fazer evangelização ou reflexão sociológica a respeito da religiosidade na internet.  Trata-se de encontrar os pontos de contato e de interação produtiva entre a rede e o pensamento cristão.  As metáforas da rede x oportunidades de fazer comunhão, dom, transcendência.  pensamento teológico – ajudar o ser humano na rede a encontrar novos caminhos em sua trajetória para Deus.
  22. 22.  Território inexplorado x background teológicoCiberteologia  A rede é um contexto em que a fé (Spadaro) é chamada a se exprimir não por causa de uma mera “vontade de presença”,  mas uma conaturalidade do Cristianismo com a vida do ser humano.  O desafio, portanto, não está em como "usar" bem a rede, mas como "viver" bem nos tempos da rede.  Inteligência da fé no tempo da
  23. 23.  Antonio Spadaro, padre jesuíta.  Em 1998 fundou BombaCarta,  um projeto cultural na internet  recebe iniciativas de escrita criativaCiberteologia  com produções de vídeos e (Spadaro)  leituras de autores de várias cidades italianas.  Conceito-chave não é mais a „presença‟ na internet, mas a „conexão‟.  A troca de conteúdos se dá pela relação entre os indivíduos.  Corpo vivo – Igreja x Rede (valor eclesiológico)  Rede – grande texto autorreferencial (horizontal) – não raízes nem ramos.  Igreja – não é uma rede de relações imanentes, mas sempre tem um princípio e um fundamento externo.
  24. 24.  Internet – Igreja  são duas realidades sempre destinadas a se encontrar  o desafio não deve ser o de como usarCiberteologia bem a rede, mas sim como viver bem no (Spadaro) tempo da rede.  a rede não é um novo meio de evangelização, mas sim um contexto no qual a fé é chamada a exprimir-se.  A cultura do ciberespaço coloca novos desafios à capacidade de formular e escutar uma linguagem simbólica pública que fala sobre a possibilidade e sobre os sinais de transcendência na vida.  A reflexão ciberteológica é um conhecimento refletido a partir da experiência da fé.
  25. 25.  A comunicação humana tem um valor teológico.  A Igreja pode ajudar a internet a ser o que é no projeto de Deus.  No contexto hodierno, parece-me fundamentalCiberteologia valorizar ao máximo a categoria e a prática do (Spadaro) testemunho.  O cristão que vive imerso nas redes sociais é chamado a uma autenticidade de vida muito desafiadora: ela afeta diretamente o valor das suas habilidades de comunicação.  O testemunho está se tornando a verdadeira forma privilegiada de comunicação no ambiente digital.  Hoje, comunicar significa testemunhar.  A rede ajuda a entender melhor o que significa o testemunho e  o testemunho, como o cristianismo tem entendido, ajuda a entender o que a comunicação
  26. 26. Boletim Salesiano nas Redes SociaisSalesianidade  ... na Web:  presença nos novos pátios de comunicação.  “pensar de forma digital” a melhor maneira de comunicar.  A chave para que esse projeto tenha sucesso é a colaboração e o envolvimento (Pessinatti)
  27. 27. Boletim Salesiano nas Redes Sociais “No lastro dos fundadores,Salesianidade Dom Bosco e Madre Mazzarello, a Família Salesiana no Brasil continua buscando cumprir essa missão, agora nos „novos pátios‟ de comunicação que estão abertos para nós no chamado cyberspace. Foi feito um grande investimento (...) no sentido de ocupar de forma profissional esse espaço de comunicação”, ressalta Pessinatti
  28. 28. Reitor-Mor nas Redes Sociais  P. Chávez desejaSalesianidade “criar sinergia, para o bem, para as grandes causas dos jovens como Dom Bosco” e para “fazer circular em raio cada vez mais amplo os grandes valores”. (InfoANS)  Seu contato – @PascualChavez5  Em italiano, inglês, espanhol e francês.  Às mensagens responde pessoalmente e interage com salesianos, leigos e jovens, com a cordialidade de sempre.
  29. 29. “Palavrinha ao ouvido” nas Redes Sociais  “Palavrinha ao ouvido” ouSalesianidade “pensamento de boa-noite”?  A estrutura deste „social network‟ parece inserir-se, com modalidades novas, nessas duas práticas da pedagogia salesiana, praticadas pelo mesmo Dom Bosco, em Valdocco (InfoANS).
  30. 30. Salesianidade “Palavrinha ao ouvido” Twittermania (Revista DMA, 2009)  Facebook – conectado a um computador (?)  Twitter – de apenas de um celular ou e- mail.  com sabedoria pedagógica equivale à “palavrinha no ouvido”
  31. 31. Há espaço em nossa vida de FMA para um instrumento como Twitter? Depende de como o utilizamos paraSalesianidade que se torne um canal de comunicação que, sem dúvida não substitui, mas acompanha, sustenta, reforça a relação educativa. É o que nos ensina Dom Bosco: “Eu me servia daqueles recreios longuíssimos para aproximar- me dos jovens. Com uma palavra ao ouvido, a um recomendava maior obediência, a outro, mais pontualidade ao catecismo, a um terceiro para ir confessar-se, a outro ainda sugeria um pensamento de reflexão, e assim
  32. 32. Protagonismo Juvenil nas RedesSalesianidade Sociais  II Encontro de Jovens Comunicadores que trouxe como tema: “Educomunicação: Protagonismo Juvenil”. (Fortaleza)  oficinas de rádio, jornal, redes sociais, fotografia e vídeo
  33. 33. Comunicação e EducaçãoEducomunicação Produção educar p/ a Mediação Midiática incerteza Tecnológica educar p/ a apropriar- significação se da educar p/ a comunicaçã convivência o Reflexão Pedagogia da Epistemológic Comunicação a educar p/ o desfrute da vida Expressão e Gestão Artes Comunicativa Áreas educomunicativas (Soares, 2011) articulada aos desafios propostos por Francisco Gutiérrez (PEREIRA, 2012)
  34. 34. ... Já ouviu falar sobre Educomunicação?Salesianidade  Tese do Genésio?  Dissertação da Josefa Vicente – Venezuela?  Tese do Pe. Claudio Coronel – Uruguai?  Dissertação e Tese da Ir. Rosa Mollo – Peru?  Mídia Educação  Tecnologia Educativa  Educomunicação
  35. 35. Educomunicação ... e por falar em Educomunicação  Tese do Genésio - Educomunicação e sua metodologia – um estudo a partir de práticas de ONGs no Brasil (2004).  Verificou que as práticas educomunicativas das instituições pesquisadas  têm na interdiscursividade seu eixo estruturador;  tem tem como metodologia sustentadora o protagonismo, a gestão participativa e a ação por projetos;  que essas práticas proporcionam o desenvolvimento de competências e habilidades comunicacionais;  e que a educomunicação constitui-se em espaço de aceitação e de elaboração de
  36. 36. Educomunicação ... e por falar em Educomunicação  A Tese do Genésio detectou que as ações metodológicas se manifestavam  no protagonismo juvenil,  na gestão participativa dos processos comunicacionais e  na ação por projetos.  Reconhece que o protagonismo não é fruto apenas das instituições que trabalham com educomunicação,  mas está presente em outras instâncias, como a escola,  porém, não são trabalhados com a mesma veemência.
  37. 37. Educomunicação ... e por falar em Educomunicação  A Tese apontou essas dificuldades são resultados da:  organização hierárquica escolar rígida.  da estrutura curricular que leva ao cumprimento de metas.  Nem sempre há estímulo ao protagonismo dos alunos por parte dos professores.  Correntes pedagógica e metodológicas reforçam a passividade dos alunos.  Dificuldade de professores de fugir do estabelecido ou do oficialmente exigido.  Programa Jovens na Tela (Ponte Nova-MG)  Protagonismo fora dos horários curriculares
  38. 38. Educomunicação ... e por falar em Educomunicação  A Tese de Ivone Yared (2009) – perspectiva educomunicativa (implícita) nos projetos da Feinter - Feira Interdisciplinar do Centro Educacional Nossa Senhora Auxiliadora (CENSA), em Líns-SP:  Abordagem da abordagem multi, pluri e interdisciplinar.  Percurso histórico trilhando a metáfora do sonho (alusão ao Sonho dos nove anos de Dom Bosco).  A experiência de trabalho interdisciplinar é realizada “no cotidiano escolar, por meio da construção do conhecimento em rede, embasada no diálogo, na pesquisa e na intencionalidade do projeto, transformando a
  39. 39. Alunos do Instituto São José (São José dos Campos-SP)Diferença entre uma ação educomunicativa e outraimposta pelo corpo docente. Caso 1: O portal antigo da RSE exigia a atuação da agenda escolar que era alimentada semanalmente por um aluno escolhido, uma atividade que muitos não gostavam. Caso 2: Os alunos do Ensino Médio utilizam o Facebook para fazer uma agenda informal sobre tudo que acontece em sua turma. A primeira ação veio de cima para baixo enquanto que a segunda se deu num processo circular e envolvente em que os alunos continuam um diálogo iniciado no espaço físico.
  40. 40. Indícios educomunicativos na RSESobre os indícios educomunicativosencontrados na RSE:  Material didático – projetos interdisciplinares  Atividades da Pastoral  A ação educomunicativa precisa estar articulada com a coordenação pedagógica para que se torne efetiva, interdisciplinar e envolvente.  O cultivo das dimensões lúdica, didática e interdisciplinar fomenta a comunicação no ambiente educativo.
  41. 41. Indícios educomunicativos na RSE A AJS, PJE – enfim, todos os grupos,  podem fazer a diferença em qualquer ambiente.  Com a educomunicação, as ações podem se tornam mais comunicativas porque o coeficiente comunicativo de todos é ampliado, criando uma atmosfera/ambiência cativante, o ecossistema comunicativo.  A amorevolezza é o princípio que mais dialoga com a Educomunicação – diálogo com os pontos de consenso, valorização das relações
  42. 42. Educomunicação Casa construída articulando a metodologia da comunicação escolar à Educomunicação
  43. 43. TERCEIRO ENTORNO – Javier Echeverría Cartografia para a definição de estratégias deTerceiro Entorno ação; é formado pelo conjunto dos instrumentos de informação e dos meios de comunicação que permitem ao homem deslocar-se dos dois primeiros entornos. ECOSSISTEMA COMUNICATIVO – Jesus Martín Barbero A sociedade atual se estabelece no progresso da técnica e da tecnologia e estaria envolta no terceiro entorno – o sentido da tecnicidade emerge do lugar que a cultura passou a ocupar na sociedade da informação. TEORIA DA AÇÃO – Umberto Galimberti Demonstra que o ser humano não é neutro, mas tem responsabilidade específica na integração de todas as forças comunicativas e tecnológicas no ambiente educativo.
  44. 44. Para compreender o ecossistemaTerceiro Entorno comunicativo como uma ação conjunta do agir humano que, soube utilizar-se das ferramentas disponíveis para inovar nos procedimentos, é enxergar que na ação educativa “podemos posicionar- nos na face da terra, sendo-nos permitido ensaiar esta ação, educar para esta ação, comunicar esta ação. Este é o campo da educação, ou melhor, da educomunicação”. (SOARES, 2010, p. 60).
  45. 45. Terceiro Entorno (E3)  Essa compreensão pautada no processo educativo.  É preciso que haja uma política educativa que ultrapasse os centros do segundo entorno (E2) – ir ao mundo virtual.  E3 é um espaço de interação, memorização, entretenimento e expressão de emoções e sentimentos.  Novas modalidades de comunicação:  Da naturaleza (la telenaturaleza), de calle (las telecalles), de juegos (los videojuegos e infojuegos), de memoria (la memoria digital multimedia), de percepción (sobre todo audiovisual) e incluso de casa (la telecasa).
  46. 46. Terceiro Entorno (E3)  Já não são apenas bibliotecas, teatros, classes físicas, cinemas, aulas de expressão corporal, bibliotecas, dentre outros.  “pátio do colégio” como um cenário presencial em que os jovens se divertem.  Esse cenário educativo precisa ser criado nas instituições do E3 como tele-pátios ou tele-praças – desenhados com extremo cuidado, porque boa parte dos processos “socialización y de adaptación real al nuevo espacio telemático tendrá lugar en esos ámbitos, que han de ser netamente interactivos y deben propiciar la invención
  47. 47. Mediação tecnológica em espaçosEducomunicação educativos É nesse contexto que a área educomunicação mediação tecnológica pode fazer a diferença nos processos on-line e off-line. Essa mediação se expressa na:  Literacidade na internet (Livinstone, 2011)  Na articulação com as áreas educomunicativas de pedagogia da comunicação e gestão de processos comunicativos que podem construir um ecossistema comunicativo carregado de intencionalidade educativa.
  48. 48. Que uso a AJS FAZ das redessociais?O paradigma da Educomunicaçãopoderia ajudar?De que forma?

×