O Coração do Profeta - Jonas 4

427 visualizações

Publicada em

mensagem da serie Jonas, na PIB Santa Fé do Sul

Publicada em: Espiritual
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
427
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Coração do Profeta - Jonas 4

  1. 1. RECAPITULANDO... Direções – (Cap.1) – A Fuga: para longe de Deus! (Cap.2) – A Oração: para perto de Deus! (Cap.3) – A Pregação: obediente a vontade de Deus! (Cap.4) – A Sondagem: o coração de Deus e motivações do homem.
  2. 2. MOVIMENTOS E VEÍCULOS: (1) O Navio; (2) O peixe; (3) Os pés; (4) O sentar-se à sombra da árvore;
  3. 3. O Senhor, contudo, disse a Samuel: “Não considere sua aparência nem sua altura, pois eu o rejeitei. O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração”. (1Sm 16.7) Portanto, não julguem ninguém antes da hora; esperem o julgamento final, quando o Senhor vier. Ele trará para a luz os segredos escondidos no escuro e mostrará as intenções que estão no coração das pessoas. Então cada um receberá de Deus os elogios que merece. (1Co 4.5)
  4. 4. "Quem olha para fora, sonha; quem olha para dentro, desperta!“ (Carl Young)
  5. 5. -Analogia com a parábola (Lc 15.11-32): -Jonas é como o filho pródigo, insistindo em fazer as coisas do seu jeito, - é como o irmão mais velho do pródigo – crítico, egoísta, irado e infeliz com a festa que estava acontecendo. -O problema é que não basta aos servos de Deus cumprirem a vontade de Deus, sem que o façam “ de coração” (Ef 6.6), ou “ com alegria” (Sl 100.2). O coração de todo problema é o problema do coração. (Warren Wiersbe).
  6. 6. Falou com Deus! (v.2,3) -Orou pela segunda vez, teologicamente correto, mas errôneo. -“Ele fez a melhor das orações no pior dos lugares – o ventre do peixe – e fez a pior das orações no melhor dos lugares – onde Deus estava operando, Ninive. -Na primeira oração tinha um coração quebrantado, na segunda oração um coração cheio de raiva. -O pedido de sua primeira oração foi que Deus o salvasse, já na segunda pediu que Deus lhe tirasse a vida.
  7. 7. Sua motivação não era a salvação de Deus, ou a missão que estava encarregado, mas seus sentimentos e sua reputação. Sua reputação como profeta também seria arranhada, Agradar a si mesmo e aos seus amigos, parece que lhe dava mais alegria do que fazer e agradar a vontade de Deus. Eis um bom teste de caráter, é perguntar: - O que realmente me faz feliz? - O que me deixa com muita raiva? - O que me faz desistir daquilo que acho certo fazer?
  8. 8. A sombra imprevisível. No desconfortável lugar onde estava, mais uma vez Deus se manifesta a tocar o coração do profeta. Deus fez crescer uma planta sobre Jonas “para lhe dar sombra à sua cabeça e livrá-lo do calor” (v.6) Isso fez com que Jonas ficasse “muito feliz”. No dia seguinte, o próprio “Deus mandou uma lagarta atacar a planta, e ela secou- se”, e ainda mandou “um vento oriental muito quente” (v.8), que fez com Jonas quase desmaiasse. Jonas mais uma vez expressa seu sentimento de que “melhor seria morrer do que viver” (v.8).
  9. 9. “ Você tem alguma razão em sua amargura”? (v.4,9), e enquanto Jonas ainda tenta justificar-se, Deus lhe interpõe: - Como pode reclamar de uma planta que nada fez para nascer, e nem mesmo cuidou. - Como pode se compadecer de uma planta que nasceu num dia, e no outro morreu – tão passageira e sem valor. - Como pode entristecer-se como uma perda tão pequena se importar com uma cidade inteira de pecadores, sem discernimento da vida eterna, sem conhecimento do Deus verdadeiro, e mesmo assim, se enraivecer com amor que Deus tem por eles?Pois muito Lhe custou?
  10. 10. -Deus usa uma planta para falar de pessoas. O que lhe dá mais prazer é o conforto de um carro novo, um sofá mais macio, uma casa maior, ou a carência de pessoas que estão ao seu redor? O que lhe causa mais desconforto é saber de gente que se perde, na miséria, na injustiça, na indiferença, ou no pecado, ou a possibilidade perdida de sentar debaixo da sombra, descansar no conforto que a vida proporciona?
  11. 11. -O livro acaba com uma pergunta não respondida: “não deveria eu ter compaixão dessa gente?”

×