SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 9
Trabalho de História Realizado por: Alexandra Nº1                         Alexandre Nº2                         Ilona Nº11                         Peter Nº  8ºB Resumo: 36pg.- 41pg.
índice O regresso do absolutismo A guerra civil O desmantelamento do antigo regime Principal Beneficiaria: A burguesia A instabilidade política Os movimentos nacionalistas As unificações da Itália e da Alemanha
O regresso do absolutismo Com a perda dos privilégios grande parte do clero e da nobreza começou        a conspirar contra o regime liberal, tinham o apoio do D. Miguel, que      chefiou várias tentativas para restaurar o absolutismo. Em 1826 morre D. João VI, o herdeiro legítimo era D. Pedro, que entrega      a regência do Reino ao D. Miguel, casando a sua filha, D. Maria da        Glória, com o seu tio. D. Pedro concedeu uma Carta Constitucional, que deveria ser jurada por D. Miguel, reforçando o poder executivo e enfraquecendo o poder legislativo. Pouco depois, D. Miguel, proclamou-se rei absoluto e iniciou uma violenta       perseguição aos partidários do liberalismo.
A guerra civil Na ilha Terceira, nos Açores, que se concentrou a maioria dos exilados  e se    organizou a luta dos liberais contra o regime de D. Miguel. Depois de 1831, a resistência passou a ser chefiada por D. Pedro. Em Julho     de 1832, á frente de um pequeno exército, conseguiu conquistar a cidade do  Porto. A partir do Porto, a guerra civil estendeu-se a quase todo o País . Dia 24 de Julho de 1883, reconquistaram Lisboa, onde D. Pedro instalou o seu  governo.     Em Maio de 1884, D. Miguel, aceitou assinar paz, na aldeia de Évora - Monte, foi também obrigado a abandonar, para sempre, o Pais.
O desmantelamento do Antigo Regime O novo regime liberal realizou profundas transformações. A monarquia constitucional consolidou-se e foram anulados muitos dos      antigos privilégios, extinguiu a maior parte dos morgadios, aboliu a      dízima e os impostos de tipo senhorial, protegeu o pequeno comércio      e a pequena indústria e proibiu alguns monopólios, o poder do clero      foi também restringido.
Principal beneficiária: a burguesia A burguesia passou a poder ascender aos mais altos cargos da      administração pública, do Exército e do Governo. A liberalização  economia, facilitava o comércio e as possibilidades de      enriquecimento. A nacionalização dos bens  das ordens religiosas beneficiou-a também: a      burguesia pôde adquirir a preços muito baixos as ricas propriedades      confiscadas, o que permitiu a formação de uma nova elite de grandes      proprietários – os barões * do liberalismo. * Um dos títulos de nobreza menos elevada
A instabilidade política Depressa surgiram divisões e lutas entre os próprios vencedores. Havia duas correntes políticas  opostas:  ,[object Object]
e outra (os vintistas), defensora da Constituição de 1822.Criou-se, assim, um clima de instabilidade política, pouco favorável à recuperação e ao desenvolvimento do País.
Os movimentos nacionalistas Os movimentos nacionalistas no século XIX defendiam que a cada nação       devia corresponder um, e apenas um, Estado. Cresceram por toda a       Europa os sonhos de independência . Em 1818, a Sérvia conseguiu libertar-se  do Império Turco. Em 1822, a Grécia declarou também a sua independência, mas só uma       luta prolongada e a solidariedade de outros países europeus permitiu       que a independência da Grécia fosse reconhecida pela Turquia, em 1830. Em 1830, a Bélgica separou-se da Holanda e proclamou a sua       independência. Em 1830, a Polónia procurou libertar-se do Império Russo.  Em 1848, a Hungria também procurou libertar-se do Império Austríaco.                            (os movimentos como da Polónia, como da Hungria foram                             violentamente reprimidos).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820JoanaRitaSilva
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820António Teixeira
 
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.Altair Moisés Aguilar
 
A reacção absolutista
A reacção absolutistaA reacção absolutista
A reacção absolutistaCarla Teixeira
 
A difícil implantação do liberalismo em portugal
A difícil implantação do liberalismo em portugalA difícil implantação do liberalismo em portugal
A difícil implantação do liberalismo em portugalEduardo Sousa
 
Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Inês Marques
 
A constituição de 1822
A constituição de 1822A constituição de 1822
A constituição de 1822Maria Cerqueira
 
A revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasilA revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasilhelenasoares
 
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   CompletoA ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completoricardup
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820joanacunha9406
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesacattonia
 
Revoluções Liberais na Europa no Século XIX
Revoluções Liberais na Europa no Século XIXRevoluções Liberais na Europa no Século XIX
Revoluções Liberais na Europa no Século XIXMarcos Mamute
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesajosepinho
 
Revolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºanoRevolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºanoLuisMagina
 
3. a geografia dos movimentos revolucionários
3. a geografia dos movimentos revolucionários3. a geografia dos movimentos revolucionários
3. a geografia dos movimentos revolucionárioscattonia
 

Mais procurados (20)

Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820Revolução liberal 1820
Revolução liberal 1820
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820
 
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.Revolução liberal do Porto -  Altair Aguilar.
Revolução liberal do Porto - Altair Aguilar.
 
A reacção absolutista
A reacção absolutistaA reacção absolutista
A reacção absolutista
 
A difícil implantação do liberalismo em portugal
A difícil implantação do liberalismo em portugalA difícil implantação do liberalismo em portugal
A difícil implantação do liberalismo em portugal
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820
 
A constituição de 1822
A constituição de 1822A constituição de 1822
A constituição de 1822
 
A revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasilA revolução liberal e a independência do brasil
A revolução liberal e a independência do brasil
 
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   CompletoA ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal   Completo
A ImplantaçãO Do Liberalismo Em Portugal Completo
 
A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820A revolução liberal de 1820
A revolução liberal de 1820
 
Guerra Civil Portuguesa
Guerra Civil PortuguesaGuerra Civil Portuguesa
Guerra Civil Portuguesa
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesa
 
Revoluções Liberais na Europa no Século XIX
Revoluções Liberais na Europa no Século XIXRevoluções Liberais na Europa no Século XIX
Revoluções Liberais na Europa no Século XIX
 
Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820Revolução liberal de 1820
Revolução liberal de 1820
 
Revolução de 1820
Revolução de 1820Revolução de 1820
Revolução de 1820
 
Trabalho historia
Trabalho historiaTrabalho historia
Trabalho historia
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesa
 
Revolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºanoRevolução liberal portuguesa - História 8ºano
Revolução liberal portuguesa - História 8ºano
 
3. a geografia dos movimentos revolucionários
3. a geografia dos movimentos revolucionários3. a geografia dos movimentos revolucionários
3. a geografia dos movimentos revolucionários
 

Destaque

Eleições 2010 - Social Media Fail
Eleições 2010 - Social Media FailEleições 2010 - Social Media Fail
Eleições 2010 - Social Media Failfakemedia
 
La educación y las nuevas posibilidades
La educación y las nuevas posibilidadesLa educación y las nuevas posibilidades
La educación y las nuevas posibilidadesSilviagongo
 
Tedencia En El Consumo De Alimentos Sxxi
Tedencia En El Consumo De Alimentos SxxiTedencia En El Consumo De Alimentos Sxxi
Tedencia En El Consumo De Alimentos Sxxiabelmontf
 
Identitat digital.TIC-TAC
Identitat digital.TIC-TAC Identitat digital.TIC-TAC
Identitat digital.TIC-TAC sofiatictac
 
Tarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejo
Tarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejoTarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejo
Tarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejoProfesora Viviana
 
AULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático cubo acrílico - patos
AULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático   cubo acrílico - patosAULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático   cubo acrílico - patos
AULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático cubo acrílico - patosJanderson Gomes Fortunato
 
Normas de la biblioteca
Normas de la bibliotecaNormas de la biblioteca
Normas de la bibliotecaeigerva
 
Proposta d'entorn integrat (grup 6)
Proposta d'entorn integrat (grup 6)Proposta d'entorn integrat (grup 6)
Proposta d'entorn integrat (grup 6)edelgad
 
Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015
Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015
Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015André Paulovich
 
Shapes tayla jaden
 Shapes   tayla jaden Shapes   tayla jaden
Shapes tayla jadencherylmcleod
 
Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)
Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)
Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)Felipe Borda
 
10 claus per a una comunicació low-cost
10 claus per a una comunicació low-cost10 claus per a una comunicació low-cost
10 claus per a una comunicació low-costA Portada
 

Destaque (20)

CHINA
CHINACHINA
CHINA
 
Industria Piñera Monte Lirio
Industria Piñera Monte LirioIndustria Piñera Monte Lirio
Industria Piñera Monte Lirio
 
Matrices+y+determinantes
Matrices+y+determinantesMatrices+y+determinantes
Matrices+y+determinantes
 
Eleições 2010 - Social Media Fail
Eleições 2010 - Social Media FailEleições 2010 - Social Media Fail
Eleições 2010 - Social Media Fail
 
La educación y las nuevas posibilidades
La educación y las nuevas posibilidadesLa educación y las nuevas posibilidades
La educación y las nuevas posibilidades
 
101
101101
101
 
Tedencia En El Consumo De Alimentos Sxxi
Tedencia En El Consumo De Alimentos SxxiTedencia En El Consumo De Alimentos Sxxi
Tedencia En El Consumo De Alimentos Sxxi
 
Se amar fosse fácil
Se amar fosse fácilSe amar fosse fácil
Se amar fosse fácil
 
O
OO
O
 
Campaña estamos contigo
Campaña estamos contigoCampaña estamos contigo
Campaña estamos contigo
 
Careras
CarerasCareras
Careras
 
Identitat digital.TIC-TAC
Identitat digital.TIC-TAC Identitat digital.TIC-TAC
Identitat digital.TIC-TAC
 
Tarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejo
Tarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejoTarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejo
Tarea 3 comp cominic_tecnol_erika cornejo
 
AULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático cubo acrílico - patos
AULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático   cubo acrílico - patosAULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático   cubo acrílico - patos
AULAS DE DESENHO TÉCNICO MECÂNICO-Recurso didático cubo acrílico - patos
 
Normas de la biblioteca
Normas de la bibliotecaNormas de la biblioteca
Normas de la biblioteca
 
Proposta d'entorn integrat (grup 6)
Proposta d'entorn integrat (grup 6)Proposta d'entorn integrat (grup 6)
Proposta d'entorn integrat (grup 6)
 
Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015
Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015
Descobrindo o poder do Cloud Computing - UFMG SET/2015
 
Shapes tayla jaden
 Shapes   tayla jaden Shapes   tayla jaden
Shapes tayla jaden
 
Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)
Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)
Publicación Comunicado No. 012 (Marzo 17 de 2014)
 
10 claus per a una comunicació low-cost
10 claus per a una comunicació low-cost10 claus per a una comunicació low-cost
10 claus per a una comunicació low-cost
 

Semelhante a Trabalho de hist.

importante para o Teste de história
importante para o Teste de históriaimportante para o Teste de história
importante para o Teste de históriaTiago Borrego
 
O LIBERALISMO EM PORTUGAL
O LIBERALISMO EM PORTUGALO LIBERALISMO EM PORTUGAL
O LIBERALISMO EM PORTUGALguest1bc4ea
 
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptxA IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptxPaula Gomes Pereira Gomes
 
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptxA implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptxMaria Rodrigues
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaJennyIII
 
Primeiro reinado e período regencial
Primeiro reinado e período regencialPrimeiro reinado e período regencial
Primeiro reinado e período regencialTatiana Rezende
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX.ppt
A EUROPA NO SÉCULO XIX.pptA EUROPA NO SÉCULO XIX.ppt
A EUROPA NO SÉCULO XIX.pptJosWilliam14
 
Aula 15 monarquia brasileira - 1° reinado
Aula 15   monarquia brasileira - 1° reinadoAula 15   monarquia brasileira - 1° reinado
Aula 15 monarquia brasileira - 1° reinadoJonatas Carlos
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinadoDaniel Alves Bronstrup
 
Primeiro Reinado - Ano 2014
Primeiro Reinado - Ano 2014Primeiro Reinado - Ano 2014
Primeiro Reinado - Ano 2014Zeze Silva
 
A miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileiraA miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileiraCIRINEU COSTA
 
Apostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - SagradoApostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - Sagradojorgeccpeixoto
 
Regência e reinado
Regência e reinadoRegência e reinado
Regência e reinadoEstude Mais
 
O pri meiro reinado
O pri meiro reinadoO pri meiro reinado
O pri meiro reinadohistoriando
 
Independência: Brasil e América Espanhola
Independência: Brasil e América EspanholaIndependência: Brasil e América Espanhola
Independência: Brasil e América EspanholaDealdyPony
 
Primeiro Reinado - História
Primeiro Reinado - HistóriaPrimeiro Reinado - História
Primeiro Reinado - HistóriaArthureDigo
 
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...josafaslima
 

Semelhante a Trabalho de hist. (20)

importante para o Teste de história
importante para o Teste de históriaimportante para o Teste de história
importante para o Teste de história
 
O LIBERALISMO EM PORTUGAL
O LIBERALISMO EM PORTUGALO LIBERALISMO EM PORTUGAL
O LIBERALISMO EM PORTUGAL
 
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptxA IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
A IMPLANTAÇÃO DO LEBERALISMO EM PORTUGAL.pptx
 
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptxA implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
A implantação do Liberalismo em Portugal - Antecedentes e conjuntura.pptx
 
Revolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesaRevolução liberal portuguesa
Revolução liberal portuguesa
 
Primeiro reinado e período regencial
Primeiro reinado e período regencialPrimeiro reinado e período regencial
Primeiro reinado e período regencial
 
Primeiro reinado
Primeiro reinadoPrimeiro reinado
Primeiro reinado
 
A EUROPA NO SÉCULO XIX.ppt
A EUROPA NO SÉCULO XIX.pptA EUROPA NO SÉCULO XIX.ppt
A EUROPA NO SÉCULO XIX.ppt
 
Aula 15 monarquia brasileira - 1° reinado
Aula 15   monarquia brasileira - 1° reinadoAula 15   monarquia brasileira - 1° reinado
Aula 15 monarquia brasileira - 1° reinado
 
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado2º ANO - Independência e Primeiro reinado
2º ANO - Independência e Primeiro reinado
 
Primeiro Reinado - Ano 2014
Primeiro Reinado - Ano 2014Primeiro Reinado - Ano 2014
Primeiro Reinado - Ano 2014
 
A miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileiraA miopia da esquerda brasileira
A miopia da esquerda brasileira
 
Apostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - SagradoApostila 2ª fase - Sagrado
Apostila 2ª fase - Sagrado
 
Regência e reinado
Regência e reinadoRegência e reinado
Regência e reinado
 
O pri meiro reinado
O pri meiro reinadoO pri meiro reinado
O pri meiro reinado
 
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIOBRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
BRASIL 03 - BRASIL IMPÉRIO
 
Independência: Brasil e América Espanhola
Independência: Brasil e América EspanholaIndependência: Brasil e América Espanhola
Independência: Brasil e América Espanhola
 
Primeiro Reinado - História
Primeiro Reinado - HistóriaPrimeiro Reinado - História
Primeiro Reinado - História
 
Brasil império
Brasil impérioBrasil império
Brasil império
 
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
Roteiro de Aula - Da Crise do Sistema Colonial de Exploração à Proclamação da...
 

Último

Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxLucasFCapistrano
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...Eró Cunha
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfFbioFerreira207918
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfAutonoma
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Centro Jacques Delors
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja Mary Alvarenga
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxOrações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxKtiaOliveira68
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...azulassessoria9
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaREGIANELAURALOUREIRO1
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...azulassessoria9
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdfCarinaSofiaDiasBoteq
 
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Cabiamar
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSPedro Luis Moraes
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024azulassessoria9
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSPedroMatos469278
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Centro Jacques Delors
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...azulassessoria9
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Pauloririg29454
 

Último (20)

Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptxProva nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
Prova nivel 3 da XXII OBA DE 2019 - GABARITO POWER POINT.pptx
 
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...Regulamento do Festival de Teatro Negro -  FESTIAFRO 2024 - 10ª edição -  CEI...
Regulamento do Festival de Teatro Negro - FESTIAFRO 2024 - 10ª edição - CEI...
 
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdfMissa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
Missa catequese para o dia da mãe 2025.pdf
 
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdfatividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
atividade-de-portugues-pontuação-4º-ou-5º-ano-respostas.pdf
 
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
Sopa de letras | Dia da Europa 2024 (nível 2)
 
Acróstico - Maio Laranja
Acróstico  - Maio Laranja Acróstico  - Maio Laranja
Acróstico - Maio Laranja
 
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 2 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptxOrações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
Orações subordinadas substantivas- 9ano.pptx
 
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
Considerando as pesquisas de Gallahue, Ozmun e Goodway (2013) os bebês até an...
 
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth RochaQuando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
Quando a escola é de vidro, de Ruth Rocha
 
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
O estudo do controle motor nada mais é do que o estudo da natureza do movimen...
 
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
425416820-Testes-7º-Ano-Leandro-Rei-Da-Heliria-Com-Solucoes.pdf
 
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
Historia de Portugal - Quarto Ano - 2024
 
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptxSlides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
Slides Lição 7, CPAD, O Perigo Da Murmuração, 2Tr24.pptx
 
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOSINTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
INTRODUÇÃO DE METODOLOGIA PARA TRABALHIOS CIENTIFICOS
 
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
ATIVIDADE 3 - DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA - 52_2024
 
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSSFormação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
Formação T.2 do Modulo I da Formação HTML & CSS
 
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
Apresentação | Dia da Europa 2024 - Celebremos a União Europeia!
 
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
Aprender as diferentes formas de classificar as habilidades motoras é de extr...
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 

Trabalho de hist.

  • 1. Trabalho de História Realizado por: Alexandra Nº1 Alexandre Nº2 Ilona Nº11 Peter Nº 8ºB Resumo: 36pg.- 41pg.
  • 2. índice O regresso do absolutismo A guerra civil O desmantelamento do antigo regime Principal Beneficiaria: A burguesia A instabilidade política Os movimentos nacionalistas As unificações da Itália e da Alemanha
  • 3. O regresso do absolutismo Com a perda dos privilégios grande parte do clero e da nobreza começou a conspirar contra o regime liberal, tinham o apoio do D. Miguel, que chefiou várias tentativas para restaurar o absolutismo. Em 1826 morre D. João VI, o herdeiro legítimo era D. Pedro, que entrega a regência do Reino ao D. Miguel, casando a sua filha, D. Maria da Glória, com o seu tio. D. Pedro concedeu uma Carta Constitucional, que deveria ser jurada por D. Miguel, reforçando o poder executivo e enfraquecendo o poder legislativo. Pouco depois, D. Miguel, proclamou-se rei absoluto e iniciou uma violenta perseguição aos partidários do liberalismo.
  • 4. A guerra civil Na ilha Terceira, nos Açores, que se concentrou a maioria dos exilados e se organizou a luta dos liberais contra o regime de D. Miguel. Depois de 1831, a resistência passou a ser chefiada por D. Pedro. Em Julho de 1832, á frente de um pequeno exército, conseguiu conquistar a cidade do Porto. A partir do Porto, a guerra civil estendeu-se a quase todo o País . Dia 24 de Julho de 1883, reconquistaram Lisboa, onde D. Pedro instalou o seu governo. Em Maio de 1884, D. Miguel, aceitou assinar paz, na aldeia de Évora - Monte, foi também obrigado a abandonar, para sempre, o Pais.
  • 5. O desmantelamento do Antigo Regime O novo regime liberal realizou profundas transformações. A monarquia constitucional consolidou-se e foram anulados muitos dos antigos privilégios, extinguiu a maior parte dos morgadios, aboliu a dízima e os impostos de tipo senhorial, protegeu o pequeno comércio e a pequena indústria e proibiu alguns monopólios, o poder do clero foi também restringido.
  • 6. Principal beneficiária: a burguesia A burguesia passou a poder ascender aos mais altos cargos da administração pública, do Exército e do Governo. A liberalização economia, facilitava o comércio e as possibilidades de enriquecimento. A nacionalização dos bens das ordens religiosas beneficiou-a também: a burguesia pôde adquirir a preços muito baixos as ricas propriedades confiscadas, o que permitiu a formação de uma nova elite de grandes proprietários – os barões * do liberalismo. * Um dos títulos de nobreza menos elevada
  • 7.
  • 8. e outra (os vintistas), defensora da Constituição de 1822.Criou-se, assim, um clima de instabilidade política, pouco favorável à recuperação e ao desenvolvimento do País.
  • 9. Os movimentos nacionalistas Os movimentos nacionalistas no século XIX defendiam que a cada nação devia corresponder um, e apenas um, Estado. Cresceram por toda a Europa os sonhos de independência . Em 1818, a Sérvia conseguiu libertar-se do Império Turco. Em 1822, a Grécia declarou também a sua independência, mas só uma luta prolongada e a solidariedade de outros países europeus permitiu que a independência da Grécia fosse reconhecida pela Turquia, em 1830. Em 1830, a Bélgica separou-se da Holanda e proclamou a sua independência. Em 1830, a Polónia procurou libertar-se do Império Russo. Em 1848, a Hungria também procurou libertar-se do Império Austríaco. (os movimentos como da Polónia, como da Hungria foram violentamente reprimidos).
  • 10. As unificações da Itália e da Alemanha Havia povos que estavam, desde há séculos, fragmentados em vários estados independentes, no entanto, tinham consciência de fazerem parte de uma única nação. A Itália foi dividida por vários Estados, alguns deles submetidos ao Império Austríaco. A unificação (desde o Império Romano não formava um Estado unificado) foi demorada e só se concluiu em 1870. No processo de unificação tiveram um papel fundamental Vitor Manuel II, rei do Piemonte, e Garibaldi. A Alemanha foi dividida pelo Congresso de Viena em 39 Estados autónomos. A unificação foi promovida pelo mais poderoso dos Estados alemães, a Prússia. O artífice da união foi o seu primeiro-ministro Bismarck. Em 1871 proclamou o Império Alemão.