SlideShare uma empresa Scribd logo
Obstetrícia Fisiológica


     Ana Carolina Amaral
Estática fetal e relações útero-fetais
Relações útero-fetais


• É o estudo das
  relações do produto
  conceptual com a
  bacia e o útero.
• Permite o
  conhecimento da
  nomenclatura
  obstétrica.
Atitude ou hábito fetal


 • relação das diversas partes do feto entre si.


 • flexão ou extensão. Feto se aloja útero em
   atitude de flexão generalizada, cabeça flete-se,
   mento aproxima-se do esterno, MMII e coxas
   fletem-se sobre bacia e pernas sobre as coxas.
   MMSS, antebraços fletem-se sobre braços
   ficando aconchegados ao tórax.
Atitude ou hábito fetal

• forma ovóide 2 pólos:
  cefálico e pélvico
  (tronco e membros)
• lambda cóccix 25 cm
  → metade termo.
Atitude ou hábito fetal

• Pólo cefálico merece
  estudo minucioso, por
  ser o segmento
  menos redutível e
  desempenhar papel
  da maior importância
  no processo de
  adaptação ao trajeto
  pelviperineal.
Situação




• É a relação entre o
  maior eixo uterino com
  o maior eixo fetal.
Situação
• Longitudinal: maior
  eixo uterino e fetal
  coincidem (cefálica e
  pélvica) 99,5%
• Transversa: quando
  perpendicular
• Oblíqua: cruzado ou
  inclinada (fase
  transição p/
  longitudinal ou
  transversa).
Apresentação


• É a região do feto que
  ocupa a área do
  estreito superior e
  que nele se insinuará.
Apresentação
•   Cefálica (96,5 %)   •   Pélvica (3 a 4 %)




•     Córmica ou
    situação
    transversa (0,5%)
Apresentação cefálica

• fletida: quando pólo
  cefálico está fletido ao
  mento, próximo da
  face anterior do tórax
  (95,5 %).
Apresentação cefálica



• Defletida 1° grau ou
  apresentação
  bregmática
• Defletida 2° grau ou
  apresentação fronte
• Defletida 3° grau ou
  apresentação de face
Apresentação pélvica

• Quando pólo pélvico
  encontra-se no
  estreito superior.
• Pélvica completa ou
  pelvipodálica
• Pélvica incompleta
• Agripina ou modo de
  nádegas, joelho e pé.
Altura da apresentação

•    Gestação apresentação
     afastada estreito
     superior.
                                 Assinclitismo: quando um
•    Início TP:                     dos parietais desce 1º
       Alta e móvel:               (geralmente posterior).
         apresentação não
         toma contato com        a.Sinclitismo
         estreito superior
                                 b.Assinclitismo posterior
       Ajustada: se ocupa       c.Assinclitismo anterior
         área desse estreito.
       Fixa: palpar não
         consegue mobilizá-la.
       Insinuada:>
         circunferência
         apresentação passa
         estreito superior.
Altura da apresentação


• Insinuação ou
  encaixamento:
  passagem da maior
  circunferência
  apresentação através
   anel do estreito
  superior.
• Apresentação à
  altura das espinha
  ciáticas (plano “0”de
  DeLee).
Intercorrências obstétricas

• Procedência: quando uma parte fetal se antepõe
  à apresentação patologicamente, ocupando a
  vagina (bolsa íntegra).
• Procúbito: quando uma parte fetal se antepõe à
  apresentação patologicamente, ocupando a
  vagina e se exteriorizando a vulva (bolsa rota).
• Laterocidência: quando a pequena parte desce
  ao lado e junto da apresentação (membranas
  íntegras).
Más posições fetais
Posição

Conceito Alemão          Conceito Francês
• É a relação do dorso
  fetal com o lado
  materno.               • É a relação do ponto de
• Ex . posição             referência da
  esquerda ou 1            apresentação com o
  oblíquo (dorso fetal     lado D ou E materno.
  voltado p/ lado E
  materno)
• posição direita ou 2
  oblíquo (dorso fetal
  voltado p/ lado D
  materno)
Pontos referência maternos

• Pube – P
• Eminência ílio-
  pectínea D e E – A
• Extremidade do
  diâmetro transverso
  máximo – T
• Articulação sacro-
  ilíaca D e E – P
• Sacro - S
1. Pube
      2. Eminência ileopectínea
3. Extremidade do diâmetro transverso
       4. Sinostose sacroilíaca
              5. Sacro
Pontos referência fetal

Variam de acordo com a apresentação.
• Apresentação cefálica fletida: lambda – O
• Apresentação cefálica defletida 1°grau:
  extremidade anterior bregma – B
• Apresentação cefálica defletida 2° grau: glabela
  ou raiz nariz – N
• Apresentação cefálica defletida 3° grau: mento –
  M
Pontos referência fetal

Linhas de orientação:
    linha fetal que se põe em relação com o
     diâmetro materno de insinuação e
     possibilitará acompanhar movimentos da
     apresentação durante trabalho de parto.
Pontos referência fetal


•   Sutura sagital
    apresentação cefálica
    fletida.
•   Sutura sagital e metópica
    cefálica defletida 1º grau.
•   Sutura metópica na
    defletida 2º grau.
•   Linha facial (raiz nariz até
    mento) defletida 3º grau.
•   Sulco interglúteo
    apresentação pélvica.
•   Gradeado costal ou
    acrômio transversa
Conceituação

Variedade de
  posição
• É a relação entre
  o ponto de
  referência fetal
  com o ponto de
  referência
  materno.
• A variedade de
  posição define
  implicitamente
  atitude, situação,
  apresentação e
  posição.
Conceituação

Nomenclatura obstétrica


• designa com exatidão a situação, apresentação,
  posição e variedade de posição tendo-se perfeito
  conhecimento da estática-fetal. Emprega-se 2 ou 3
  letras:
• 1ª letra – apresentação
• 2ª letra – posição
• 3ª letra – referência da bacia
Nomenclatura obstétrica




•   a.OEA (occípito-esquerda-anterior)
•   b.ODA (occípito-direita-anterior)
•   c.ODP (occípito-direita-posterior)
Nomenclatura obstétrica




•   d.NDA (naso-direita-anterior)
•   e. pélvica completa –SDP (sacro-direita-posterior)
•   f. pélvica incompleta SDP (sacro-direita-posterior)
•   g. oblíqua
•   h. córmica AEP (acrômio-esquerda-posterior)
•   i. córmica ADA (acrômio-direita-anterior)
Pontos de referência, linhas orientação e símbolos apresentações
Exercícios

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Sangramento no Primeiro Trimestre
Sangramento no Primeiro TrimestreSangramento no Primeiro Trimestre
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Eduardo Gomes da Silva
 
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervirDiagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
Abortamento
AbortamentoAbortamento
Abortamento
Maycon Silva
 
Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial
Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicialDiagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial
Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Exame Clínico das Mamas
Exame Clínico das MamasExame Clínico das Mamas
Placenta Previa
Placenta PreviaPlacenta Previa
Placenta Previa
Maria de Fatima Sakamoto
 
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de CesáreaIndução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaBacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Patricia de Rossi
 
Aula - semiologia do abdôme
Aula - semiologia do abdômeAula - semiologia do abdôme
Aula - semiologia do abdôme
dapab
 
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
Gabriel Resende
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
SMS - Petrópolis
 
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Fernanda Marinho
 
Semiologia pediátrica
Semiologia pediátrica Semiologia pediátrica
Semiologia pediátrica
Gladyanny Veras
 
Ciclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo femininoCiclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo feminino
Ana Claudia Cabral Chaves
 
Seminário embriologia
Seminário embriologiaSeminário embriologia
Seminário embriologia
Cristina Monteiro
 
Protocolo Obstetricia
Protocolo Obstetricia Protocolo Obstetricia
Protocolo Obstetricia
Centro Universitário Ages
 
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção BásicaDiagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
marianagusmao39
 
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Caroline Reis Gonçalves
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Portal de Boas Práticas em Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente (IFF/Fiocruz)
 

Mais procurados (20)

Sangramento no Primeiro Trimestre
Sangramento no Primeiro TrimestreSangramento no Primeiro Trimestre
Sangramento no Primeiro Trimestre
 
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1Enfermagem ObstéTrica Parte 1
Enfermagem ObstéTrica Parte 1
 
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervirDiagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
Diagnóstico das distocias intraparto e quando intervir
 
Abortamento
AbortamentoAbortamento
Abortamento
 
Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial
Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicialDiagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial
Diagnóstico da gestação viável e das complicações da gravidez inicial
 
Exame Clínico das Mamas
Exame Clínico das MamasExame Clínico das Mamas
Exame Clínico das Mamas
 
Placenta Previa
Placenta PreviaPlacenta Previa
Placenta Previa
 
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de CesáreaIndução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
Indução do Trabalho de Parto e Indicações de Cesárea
 
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicinaBacia obstétrica - aula para graduação de medicina
Bacia obstétrica - aula para graduação de medicina
 
Aula - semiologia do abdôme
Aula - semiologia do abdômeAula - semiologia do abdôme
Aula - semiologia do abdôme
 
Sistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor FemininoSistema Reprodutor Feminino
Sistema Reprodutor Feminino
 
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
Aula de Doenças Hipertensiva Específica da Gestação (Dheg)
 
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
Anatomia, fisiologia, embriologia e biofísica do sistema reprodutor feminino.
 
Semiologia pediátrica
Semiologia pediátrica Semiologia pediátrica
Semiologia pediátrica
 
Ciclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo femininoCiclo reprodutivo feminino
Ciclo reprodutivo feminino
 
Seminário embriologia
Seminário embriologiaSeminário embriologia
Seminário embriologia
 
Protocolo Obstetricia
Protocolo Obstetricia Protocolo Obstetricia
Protocolo Obstetricia
 
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção BásicaDiagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
Diagnóstico de Gravidez na Atenção Básica
 
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
Aula 4 - OBSTETRÍCIA - Alterações fisiológicas da gravidez, gravidez ectópica...
 
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natalDiabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
Diabetes Mellitus na Gestação: Tratamento e Cuidados no Pré-natal
 

Semelhante a Estatica fetal e relações útero fetais

Estatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagem
Estatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagemEstatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagem
Estatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagem
LeudhySilva
 
Bacia obstetrica resumo
Bacia obstetrica resumoBacia obstetrica resumo
Bacia obstetrica resumo
vachansky
 
Aula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetal
Aula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetalAula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetal
Aula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetal
Gustavo Henrique
 
Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014
Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014
Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014
angelalessadeandrade
 
mecanismodoparto-210426015840.pdf
mecanismodoparto-210426015840.pdfmecanismodoparto-210426015840.pdf
mecanismodoparto-210426015840.pdf
LENISECHIESACITOLIN
 
Fisiologia da gestação preparatório 2016
Fisiologia da gestação preparatório 2016Fisiologia da gestação preparatório 2016
Fisiologia da gestação preparatório 2016
angelalessadeandrade
 
Exame Físico RN Rodrigo Mont'Alverne
Exame Físico RN  Rodrigo Mont'AlverneExame Físico RN  Rodrigo Mont'Alverne
Exame Físico RN Rodrigo Mont'Alverne
Rodrigo Mont'Alverne
 
ESTÁTICA FETAL.ppt
ESTÁTICA FETAL.pptESTÁTICA FETAL.ppt
ESTÁTICA FETAL.ppt
ngeloDanielMera
 
5 partograma
5 partograma5 partograma
5 partograma
ubirajara69
 
atendimento de Bebes com Fissura Labio Palatina
atendimento de Bebes com Fissura Labio Palatinaatendimento de Bebes com Fissura Labio Palatina
atendimento de Bebes com Fissura Labio Palatina
Flavio Salomao-Miranda
 
Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01
Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01
Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01
Solrac Alves
 
prática de TP.pptx
prática de TP.pptxprática de TP.pptx
prática de TP.pptx
AnnaCarolineRibeiro2
 
Fenda palatina, ll e fistula traqueoesofagica
Fenda palatina, ll e fistula traqueoesofagicaFenda palatina, ll e fistula traqueoesofagica
Fenda palatina, ll e fistula traqueoesofagica
Solange Giaretta
 
AULA 5 GESTANTE.pptx
AULA 5 GESTANTE.pptxAULA 5 GESTANTE.pptx
AULA 5 GESTANTE.pptx
EduardoFatdukbrGonal
 
materno infantil II mecanismo do parto.pptx
materno infantil II mecanismo do parto.pptxmaterno infantil II mecanismo do parto.pptx
materno infantil II mecanismo do parto.pptx
LuanMiguelCosta
 
Apresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação NormalApresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação Normal
Bruno Oliveira
 
Gestacao Normal Mat 2014.ppt
Gestacao Normal Mat 2014.pptGestacao Normal Mat 2014.ppt
Gestacao Normal Mat 2014.ppt
jhenicacamila123
 
mamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptx
mamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptxmamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptx
mamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptx
hildegardfurtado2
 
Trauma na gestante
Trauma na gestanteTrauma na gestante
Trauma na gestante
Silvia Luanda Rezende
 
Aula teorica do torax
Aula teorica do toraxAula teorica do torax
Aula teorica do torax
Jucie Vasconcelos
 

Semelhante a Estatica fetal e relações útero fetais (20)

Estatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagem
Estatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagemEstatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagem
Estatica fetal enfermagem curso PDF. Curso enfermagem
 
Bacia obstetrica resumo
Bacia obstetrica resumoBacia obstetrica resumo
Bacia obstetrica resumo
 
Aula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetal
Aula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetalAula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetal
Aula 5 -_pelve_ossea__estatica_fetal
 
Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014
Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014
Fisiologia da gestação preparatório 2014 pronta para 2014
 
mecanismodoparto-210426015840.pdf
mecanismodoparto-210426015840.pdfmecanismodoparto-210426015840.pdf
mecanismodoparto-210426015840.pdf
 
Fisiologia da gestação preparatório 2016
Fisiologia da gestação preparatório 2016Fisiologia da gestação preparatório 2016
Fisiologia da gestação preparatório 2016
 
Exame Físico RN Rodrigo Mont'Alverne
Exame Físico RN  Rodrigo Mont'AlverneExame Físico RN  Rodrigo Mont'Alverne
Exame Físico RN Rodrigo Mont'Alverne
 
ESTÁTICA FETAL.ppt
ESTÁTICA FETAL.pptESTÁTICA FETAL.ppt
ESTÁTICA FETAL.ppt
 
5 partograma
5 partograma5 partograma
5 partograma
 
atendimento de Bebes com Fissura Labio Palatina
atendimento de Bebes com Fissura Labio Palatinaatendimento de Bebes com Fissura Labio Palatina
atendimento de Bebes com Fissura Labio Palatina
 
Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01
Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01
Distociasepartograma1 141026161540-conversion-gate01
 
prática de TP.pptx
prática de TP.pptxprática de TP.pptx
prática de TP.pptx
 
Fenda palatina, ll e fistula traqueoesofagica
Fenda palatina, ll e fistula traqueoesofagicaFenda palatina, ll e fistula traqueoesofagica
Fenda palatina, ll e fistula traqueoesofagica
 
AULA 5 GESTANTE.pptx
AULA 5 GESTANTE.pptxAULA 5 GESTANTE.pptx
AULA 5 GESTANTE.pptx
 
materno infantil II mecanismo do parto.pptx
materno infantil II mecanismo do parto.pptxmaterno infantil II mecanismo do parto.pptx
materno infantil II mecanismo do parto.pptx
 
Apresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação NormalApresentação de slides sobre Gestação Normal
Apresentação de slides sobre Gestação Normal
 
Gestacao Normal Mat 2014.ppt
Gestacao Normal Mat 2014.pptGestacao Normal Mat 2014.ppt
Gestacao Normal Mat 2014.ppt
 
mamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptx
mamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptxmamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptx
mamoplastiaAnatomiaEPediculosdeLyacir.pptx
 
Trauma na gestante
Trauma na gestanteTrauma na gestante
Trauma na gestante
 
Aula teorica do torax
Aula teorica do toraxAula teorica do torax
Aula teorica do torax
 

Último

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
LucianaCristina58
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
livrosjovert
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
mamaeieby
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
WelberMerlinCardoso
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
PatriciaZanoli
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
AmiltonAparecido1
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Mary Alvarenga
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
SILVIAREGINANAZARECA
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
WelberMerlinCardoso
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
Manuais Formação
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 

Último (20)

- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
- TEMPLATE DA PRATICA - Psicomotricidade.pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.pptEstrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
Estrutura Pedagógica - Laboratório de Educação a Distância.ppt
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantilVogais Ilustrados para alfabetização infantil
Vogais Ilustrados para alfabetização infantil
 
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo FreireLivro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
Livro: Pedagogia do Oprimido - Paulo Freire
 
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.pptLeis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
Leis de Mendel - as ervilhas e a maneira simples de entender.ppt
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdfOS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
OS elementos de uma boa Redação para o ENEM.pdf
 
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.Atividade letra da música - Espalhe  Amor, Anavitória.
Atividade letra da música - Espalhe Amor, Anavitória.
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
1_10_06_2024_Criança e Cultura Escrita, Ana Maria de Oliveira Galvão.pdf
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert EinsteinA Evolução da história da Física - Albert Einstein
A Evolução da história da Física - Albert Einstein
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdfUFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
UFCD_10949_Lojas e-commerce no-code_índice.pdf
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 

Estatica fetal e relações útero fetais

  • 1. Obstetrícia Fisiológica Ana Carolina Amaral
  • 2. Estática fetal e relações útero-fetais
  • 3. Relações útero-fetais • É o estudo das relações do produto conceptual com a bacia e o útero. • Permite o conhecimento da nomenclatura obstétrica.
  • 4. Atitude ou hábito fetal • relação das diversas partes do feto entre si. • flexão ou extensão. Feto se aloja útero em atitude de flexão generalizada, cabeça flete-se, mento aproxima-se do esterno, MMII e coxas fletem-se sobre bacia e pernas sobre as coxas. MMSS, antebraços fletem-se sobre braços ficando aconchegados ao tórax.
  • 5. Atitude ou hábito fetal • forma ovóide 2 pólos: cefálico e pélvico (tronco e membros) • lambda cóccix 25 cm → metade termo.
  • 6. Atitude ou hábito fetal • Pólo cefálico merece estudo minucioso, por ser o segmento menos redutível e desempenhar papel da maior importância no processo de adaptação ao trajeto pelviperineal.
  • 7. Situação • É a relação entre o maior eixo uterino com o maior eixo fetal.
  • 8. Situação • Longitudinal: maior eixo uterino e fetal coincidem (cefálica e pélvica) 99,5% • Transversa: quando perpendicular • Oblíqua: cruzado ou inclinada (fase transição p/ longitudinal ou transversa).
  • 9. Apresentação • É a região do feto que ocupa a área do estreito superior e que nele se insinuará.
  • 10. Apresentação • Cefálica (96,5 %) • Pélvica (3 a 4 %) • Córmica ou situação transversa (0,5%)
  • 11. Apresentação cefálica • fletida: quando pólo cefálico está fletido ao mento, próximo da face anterior do tórax (95,5 %).
  • 12. Apresentação cefálica • Defletida 1° grau ou apresentação bregmática • Defletida 2° grau ou apresentação fronte • Defletida 3° grau ou apresentação de face
  • 13. Apresentação pélvica • Quando pólo pélvico encontra-se no estreito superior. • Pélvica completa ou pelvipodálica • Pélvica incompleta • Agripina ou modo de nádegas, joelho e pé.
  • 14. Altura da apresentação • Gestação apresentação afastada estreito superior. Assinclitismo: quando um • Início TP: dos parietais desce 1º  Alta e móvel: (geralmente posterior). apresentação não toma contato com a.Sinclitismo estreito superior b.Assinclitismo posterior  Ajustada: se ocupa c.Assinclitismo anterior área desse estreito.  Fixa: palpar não consegue mobilizá-la.  Insinuada:> circunferência apresentação passa estreito superior.
  • 15. Altura da apresentação • Insinuação ou encaixamento: passagem da maior circunferência apresentação através anel do estreito superior. • Apresentação à altura das espinha ciáticas (plano “0”de DeLee).
  • 16. Intercorrências obstétricas • Procedência: quando uma parte fetal se antepõe à apresentação patologicamente, ocupando a vagina (bolsa íntegra). • Procúbito: quando uma parte fetal se antepõe à apresentação patologicamente, ocupando a vagina e se exteriorizando a vulva (bolsa rota). • Laterocidência: quando a pequena parte desce ao lado e junto da apresentação (membranas íntegras).
  • 18. Posição Conceito Alemão Conceito Francês • É a relação do dorso fetal com o lado materno. • É a relação do ponto de • Ex . posição referência da esquerda ou 1 apresentação com o oblíquo (dorso fetal lado D ou E materno. voltado p/ lado E materno) • posição direita ou 2 oblíquo (dorso fetal voltado p/ lado D materno)
  • 19. Pontos referência maternos • Pube – P • Eminência ílio- pectínea D e E – A • Extremidade do diâmetro transverso máximo – T • Articulação sacro- ilíaca D e E – P • Sacro - S
  • 20. 1. Pube 2. Eminência ileopectínea 3. Extremidade do diâmetro transverso 4. Sinostose sacroilíaca 5. Sacro
  • 21. Pontos referência fetal Variam de acordo com a apresentação. • Apresentação cefálica fletida: lambda – O • Apresentação cefálica defletida 1°grau: extremidade anterior bregma – B • Apresentação cefálica defletida 2° grau: glabela ou raiz nariz – N • Apresentação cefálica defletida 3° grau: mento – M
  • 22. Pontos referência fetal Linhas de orientação:  linha fetal que se põe em relação com o diâmetro materno de insinuação e possibilitará acompanhar movimentos da apresentação durante trabalho de parto.
  • 23. Pontos referência fetal • Sutura sagital apresentação cefálica fletida. • Sutura sagital e metópica cefálica defletida 1º grau. • Sutura metópica na defletida 2º grau. • Linha facial (raiz nariz até mento) defletida 3º grau. • Sulco interglúteo apresentação pélvica. • Gradeado costal ou acrômio transversa
  • 24. Conceituação Variedade de posição • É a relação entre o ponto de referência fetal com o ponto de referência materno. • A variedade de posição define implicitamente atitude, situação, apresentação e posição.
  • 25. Conceituação Nomenclatura obstétrica • designa com exatidão a situação, apresentação, posição e variedade de posição tendo-se perfeito conhecimento da estática-fetal. Emprega-se 2 ou 3 letras: • 1ª letra – apresentação • 2ª letra – posição • 3ª letra – referência da bacia
  • 26. Nomenclatura obstétrica • a.OEA (occípito-esquerda-anterior) • b.ODA (occípito-direita-anterior) • c.ODP (occípito-direita-posterior)
  • 27. Nomenclatura obstétrica • d.NDA (naso-direita-anterior) • e. pélvica completa –SDP (sacro-direita-posterior) • f. pélvica incompleta SDP (sacro-direita-posterior) • g. oblíqua • h. córmica AEP (acrômio-esquerda-posterior) • i. córmica ADA (acrômio-direita-anterior)
  • 28. Pontos de referência, linhas orientação e símbolos apresentações