Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                3 - Caracterizaçã...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                   3 - Caracteriz...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                  3 - Caracteriza...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                        3 - Carac...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                  3 - Caracteriza...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                       3 - Caract...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                        3 - Carac...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                       3 - Caract...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                 3 - Caracterizaç...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                   3 - Caracteriz...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                          3 - Car...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                     3 - Caracter...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                       3 - Caract...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                  3 - Caracteriza...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                         3 - Cara...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                       3 - Caract...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                        3 - Caracterização do Emp...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                        3 - Carac...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                       3 - Caract...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                  3 - Caracteriza...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                          3 - Car...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                 3 - Caracterizaç...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                       3 - Caract...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                  3 - Caracteriza...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                 3 - Caracterizaç...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                       3 - Caract...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                 3 - Caracterizaç...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                        3 - Carac...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                  3 - Caracteriza...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                3 - Caracterizaçã...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                        3 - Carac...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                  3 - Caracteriza...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                      3 - Caracte...
Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca                                                                 ...
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Relatório EIA Transcarioca
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatório EIA Transcarioca

16.544 visualizações

Publicada em

Relatório do Estudo de Impacto Ambiental simplificado do BRT Transcarioca realizado em junho de 2010

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.544
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatório EIA Transcarioca

  1. 1. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3 - CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO3.1 - DESCRIÇÃO DO PROJETO DO CORREDOR TRANSCARIOCA A implantação do Corredor Transcarioca utilizando o sistema de transportepúblico BRT (Bus Rapid Transit) faz parte do Plano de Infraestrutura deTransportes de responsabilidade da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro noProjeto Olímpico RIO 2016. Este sistema inovador, cuja idéia original foi desenvolvida no Brasil eposteriormente aprimorada e exportada para diversas cidades no mundo,apresenta alta capacidade, buscando promover um serviço de transporte rápido,confortável e eficiente, além de ser ambientalmente mais limpo que os sistemastradicionais de ônibus. Ligando a Barra da Tijuca à Penha, o Corredor Transcarioca apresentaextensão de aproximadamente 28 km ao longo das Áreas de Planejamento (AP) 3e 4, assim denominadas pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. Foiconcebido passando pelas seguintes vias: início no terminal Alvorada, junto àinterseção da Avenida das Américas com a Avenida Ayrton Senna; Av. AyrtonSenna; Av. Embaixador Abelardo Bueno; Estrada Pedro Corrêa; Estrada dosBandeirantes; Av. Nelson Cardoso; Rua Cândido Benício; Rua Domingos Lopes;Rua Guaxima; novo viaduto paralelo ao Viaduto Prefeito Negrão de Lima; Av.Ministro Edgard Romero; Av. Vicente de Carvalho; e Av. Brás de Pina (Figura 3.1-1). Tratam-se de vias com elevado volume de viagens por ônibus, principaisartérias dos bairros atendidos. Na AP 3, os bairros cortados pelo Corredor Transcarioca serão: Campinho,Madureira, Vaz Lobo, Irajá, Vicente de Carvalho, Vila Kosmos, Vila da Penha,Penha Circular e Penha. Na AP 4, os bairros cortados serão: Barra da Tijuca,Jacarepaguá, Curicica, Taquara, Tanque e Praça Seca. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 1/ 130
  2. 2. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.1-1: Localização do Corredor Transcarioca. Pág. Revisão 00 2/ 130 Junho de 2010
  3. 3. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Ao longo do traçado está prevista a instalação de 36 estações (06 duplas e30 simples) e dois terminais (Alvorada, na Barra da Tijuca, e Penha). A arquitetura das estações segue uma tipologia de elementos pré-fabricadosem aço e base de concreto pré-moldado. Os fechamentos laterais e de fundo sãoprevistos em vidro, venezianas e gradis metálicos. Os locais de atracação dosônibus serão dotados de portas automáticas deslizantes de vidro, cujas aberturasserão comandadas pelos motoristas dos coletivos. A Figura 3.1-2 ilustra umaestação paradora padrão, com acesso em apenas um dos lados, proposta para oCorredor Transcarioca. Figura 3.1-2: Estação paradora com um único acesso – vista externa (Fonte: CONSÓRCIO LOGIT/INGÉROP/ JDS, 2004). Estão previstos dois tipos básicos de estações: paradoras e expressas. Asestações paradoras poderão operar com acesso para os passageiros por uma ouambas as extremidades, dependendo da demanda estimada ao longo doshorizontes de análise. Nas extremidades que estiverem operando, logo em Revisão 00 Pág. Junho de 2010 3/ 130
  4. 4. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentoseguida do dispositivo de acesso, haverá área de bilhetagem, validação e controlede entrada e saída, para a qual foi dimensionado módulo de comprimento 4,80metros (m). As estações para ônibus paradores com um único acesso são constituídaspor uma plataforma central de 5 m de largura e 48 m de comprimento, dotadas dedois balanços de cobertura, possibilitando o embarque e desembarque simultâneode dois ônibus articulados por sentido. A Figura 3.1-3 a seguir apresenta vistalateral e em planta de uma estação paradora deste tipo. Figura 3.1-3: Estação paradora com um único acesso – vista lateral e em planta (Fonte: CONSÓRCIO LOGIT/INGÉROP/JDS, 2004). As estações paradoras com acessos em ambas as extremidades, sãoconstituídas por uma plataforma central de 5 metros (m) de largura e 52,8 m decomprimento, também dotadas de dois balanços de cobertura, possibilitando oembarque e desembarque simultâneo de dois ônibus articulados por sentido.Neste caso, os acessos dos usuários poderão ser realizados através das duasextremidades da estação. As estações do tipo expressa permitem a operação dos serviços expresso eparador, combinando uma estação paradora com um único acesso, conformedefinida anteriormente, com uma estação para ônibus expressos, e terãocomprimento total de 110,8 m. Tais estações oferecem possibilidade de paradapara três ônibus simultâneos por sentido, sendo dois no módulo parador e um nomódulo expresso. A Figura 3.1-4 ilustra a vista lateral de uma estação expressa. Pág. Revisão 00 4/ 130 Junho de 2010
  5. 5. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.1-4: Vista lateral da estação expressa (Fonte: CONSÓRCIO LOGIT/INGÉROP /JDS, 2004) A previsão de atendimento da demanda pelo Corredor Transcarioca éelevada, com expectativa inicial de cerca de 380.000 passageiros/dia. O sistemaserá constituído por duas linhas troncais (paradora e expressa), 37 linhasalimentadoras e 12 complementares. As linhas alimentadoras são linhas maiscurtas interligando o Corredor Transcarioca aos bairros localizados na área deinfluência do traçado. As linhas complementares são linhas mais longas, ligando oCorredor Transcarioca ao Centro da Cidade e principais sub-centros urbanos:Zona Sul; Méier; Saens Pena, entre outros. A integração intermodal de transportes também foi considerada. Com osmeios de transporte sobre trilhos, a integração se dará nos cruzamentos com aSuperVia - ramais Deodoro e Belford Roxo, em Madureira, e Gramacho, naPenha - e com a Linha 2 do Metrô, em Vicente de Carvalho, o que provocará aampliação da acessibilidade. Houve ainda a preocupação com a inclusão da bicicleta como meio detransporte nas obras de implantação do Corredor Transcarioca, visto ser nãopoluente e o mais econômico dentre os veículos. Em alguns bairros ao longo doCorredor Transcarioca, as bicicletas são responsáveis por pelo menos 8% dosdeslocamentos diários, alcançando 10 a 15% em algumas áreas. A fluidez do tráfego será garantida por algumas obras de arte especiais, asquais cruzarão os pontos mais complexos do traçado em dois níveis, e por umsistema de sinalização por semáforos, que priorizará a passagem dos ônibus nasinterseções em nível. Além disso, nos locais destinados às estações o CorredorTranscarioca terá duas faixas de tráfego, visando possibilitar que as linhasexpressas ultrapassem as linhas paradoras. O pagamento de tarifa e validação do bilhete será efetuado nas estações eterminais, visando minimizar o tempo de embarque/desembarque dospassageiros e aumentar a velocidade comercial do sistema. Haverá um Sistemade Comunicações de dados e voz entre Centro de Controle Operacional (CCO), Revisão 00 Pág. Junho de 2010 5/ 130
  6. 6. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentoveículos e estações, bem como Circuito Fechado de TV nas estações e terminais,conectados ao CCO. A expectativa é de operar os ônibus a velocidade máxima de 60 km/h evelocidade comercial média de 28 km/h, incluindo as paradas. Os veículos doCorredor Transcarioca serão ônibus articulados dotados de ar condicionado, comcomprimento total de 18 metros, piso elevado a 90 cm do solo (a mesma alturadas plataformas das estações) e capacidade total de 160 passageiros, sentados eem pé. Outro fator a ser observado com grande rigor será a limitação do nívelmáximo de emissão de ruídos produzidos pelo tráfego dos ônibus, o que seráfacilitado pela aquisição de veículos com transmissão automática.3.1.1 - Considerações sobre a Viabilidade Técnica do Projeto Para a realização dos estudos de Projeção e Simulação de Demanda(CONSÓRCIO LOGIT/INGÉROP/JDS, 2004), que fazem parte do Projeto Básicopara a implantação do Corredor Transcarioca, foram considerados três esquemasde integração tarifária, concebidos em termos do grau de integração tarifária entreos diversos subsistemas em operação na área de influência do CorredorTranscarioca. A Tabela 3.1-1 mostra as características dos esquemas deintegração tarifária considerados no processo de estimativa das demandas doprojeto. Pág. Revisão 00 6/ 130 Junho de 2010
  7. 7. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Tabela 3.1-1: Esquemas de integração tarifária. Esquemas Tarifários Considerados Modo Origem Modo Destino Esq. Tarifário 1 Esq. Tarifário 2 Esq. Tarifário 3 Linha 1,00 x Tarifa 1,00 x Tarifa 1,25 x Tarifa Corredor T5 Alimentadora Municipal com Ar Municipal Municipal T5 Cond. Linha 1,00 x Tarifa 1,00 x Tarifa 1,25 x Tarifa Alimentadora Corredor T5 Municipal com Ar Municipal Municipal T5 Cond. Linha 1,50 x Tarifa 1,50 x Tarifa 1,75 x Tarifa Corredor T5 Complementar Municipal com Ar Municipal Municipal T5 Cond. Linha 1,50 x Tarifa 1,50 x Tarifa 1,75 x Tarifa Complementar Corredor T5 Municipal com Ar Municipal Municipal T5 Cond. 1,75 x Tarifa 1,90 x Tarifa 1,90 x Tarifa Corredor T5 Trem Municipal com Ar Municipal Municipal Cond. 1,75 x Tarifa 1,90 x Tarifa 1,90 x Tarifa Trem Corredor T5 Municipal com Ar Municipal Municipal Cond. 1,75 x Tarifa 1,90 x Tarifa 1,90 x Tarifa Corredor T5 Metro Municipal com Ar Municipal Municipal Cond. 1,75 x Tarifa 1,90 x Tarifa 1,90 x Tarifa Metro Corredor T5 Municipal com Ar Municipal Municipal Cond. Fonte: CONSÓRCIO LOGIT/INGÉROP/JDS, 2004 Conforme apresentado no referido estudo, as demandas estimadas para cadaum dos cenários tarifários e horizontes de análise são totalmente compatíveiscom a tecnologia proposta, à medida que as frequências máximas previstas,atuais e para os horizontes futuros, são inferiores às de outros sistemasatualmente em operação que, mesmo com frequências mais elevadas,conseguem manter elevados níveis de serviço na operação. Considerando que o Cenário 1 é aquele em que as demandas são maiselevadas, em função do esquema tarifário previsto, constatou-se que, em 2029 amáxima frequência esperada é de cerca de 115 viagens por sentido na hora pico,o que representa intervalos de aproximadamente 32 segundos. Para o Cenário 3, no qual o esquema tarifário proposto incorpora a políticaadotada pela Prefeitura do Rio de Janeiro para serviços de transporte coletivooperados com veículos com ar condicionado e, portanto, mais factível de serefetivamente implantado, verificou-se que, para o horizonte de 2029, asfrequências máximas previstas são de cerca de 105 viagens por sentido na horapico, ou seja, intervalo de 34 segundos. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 7/ 130
  8. 8. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Comparando-se estas frequências com aquelas atualmente praticadas com oCorredor Auto Pista Norte do Sistema Transmilênio de Bogotá, o qual apresentaas mesmas características operacionais propostas para o Corredor Transcarioca,ou seja, pista única com possibilidade de ultrapassagem somente nas estações,constata-se que, naquele sistema, atualmente, as frequências são de 94 viagenspor sentido na hora pico, representando um intervalo de cerca de 38 segundos,ainda com elevada reserva de capacidade. Portanto, em vista das considerações expostas acima, pode-se constatar quea tecnologia adotada para o Corredor Transcarioca se manterá compatível com asdemandas previstas para cada cenário tarifário considerado, ao longo de todo ohorizonte de análise.3.1.2 - Considerações sobre a Viabilidade Econômica do Projeto Uma vez que o Cenário 3 é o que apresenta os menores níveis de demandaentre os cenários considerados, e que o esquema tarifário considerado nestecenário incorpora a política vigente no município do Rio de Janeiro para veículosque operam com ar condicionado, optou-se por utilizar os resultados referentes aeste cenário, para a condução dos estudos de viabilidade econômica e financeira.Este procedimento garantiu que os resultados apresentados no estudo deviabilidade se encontravam condizentes com a política tarifária vigente, e do ladoda segurança, à medida que se baseiam em demandas mais conservadoras. Os resultados obtidos para o estudo de viabilidade econômica do projeto deimplantação do Corredor Transcarioca mostram que o empreendimento éextremamente viável visto que os benefícios gerados ao longo do horizonte deanálise justificam os custos de investimento previstos. Na análise básica, o valor presente dos benefícios, da ordem de R$ 589milhões é superior em mais de 50% ao valor presente dos custos totais,assegurando um VPL (Valor Presente Líquido) do Fluxo de Caixa Econômico daordem de R$ 208 milhões. Estes resultados permitem que o projeto alcance umaTaxa de Retorno Econômica (TIRE) de quase 20%, muito acima dos patamaresmínimos exigidos para projetos desta natureza, a saber, 12%. Pág. Revisão 00 8/ 130 Junho de 2010
  9. 9. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Conforme indicado pelos resultados apresentados no estudo de viabilidade, oprojeto apresenta elevada robustez sob a ótica econômica uma vez que, mesmoconsiderando a ocorrência simultânea das condições adversas adotadas naanálise de sensibilidade, os indicadores de viabilidade econômica do projeto aindase mantêm em patamares satisfatórios. Nestas condições, a Taxa Interna deRetorno chega a ser superior a 11,6%, e o Valor Presente Líquido éaproximadamente nulo. Além disso, constata-se que os riscos econômicos associados ao projeto sãopraticamente desprezíveis. As probabilidades de que o VPL e TIRE sejamsuperiores a R$ 60 milhões e 14%, ficam acima dos 85 e 88%, respectivamente.3.1.3 - Considerações sobre a Viabilidade Financeira do Projeto O objetivo da análise financeira do empreendimento, realizada pelo ConsórcioLOGIT/INGÉROP/JDS (2004), foi avaliar a capacidade do projeto do CorredorTranscarioca, segundo a ótica do operador privado, de gerar receitas líquidassuficientes para cobrir os custos de aquisição do material rodante e de operaçãodos sistemas troncal e alimentador, assim como estimar o grau de participaçãopossível do empreendedor privado no financiamento das intervenções previstas. Portanto, para a avaliação financeira do empreendimento, adotaram-se duasabordagens que diferem no que se refere à participação do Concessionário nofinanciamento do empreendimento. Na primeira análise realizada, consideraram-se, além dos custos de manutenção e operação do sistema, os custos deaquisição de material rodante para o sistema troncal e alimentador, para todo ohorizonte de análise, incluindo a renovação da frota. Na segunda análise, foiavaliado o potencial de participação do Operador Privado no financiamento deoutros componentes do projeto, além dos custos de manutenção e operação dosistema e os custos de aquisição de material rodante. Assim, na primeira análise, com base nas condições definidas, calcularam-seos indicadores de viabilidade financeira do ponto de vista do empreendedorprivado, enquanto que na segunda análise, fixando-se uma rentabilidade de 18%,avaliou-se qual a margem de contribuição possível do Concessionário nofinanciamento das demais componentes do projeto. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 9/ 130
  10. 10. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Os resultados obtidos para a análise financeira básica das duas situaçõesmostraram que, nas condições consideradas, o retorno financeiro para oempreendedor privado apresenta certo risco, sendo que os mesmos sãosignificativamente menores no primeiro caso. Os indicadores financeiros resultantes indicaram que a primeira situação deanálise apresenta potencial de atratividade para o operador privado à medida queos resultados são mais robustos em termos dos riscos associados aoempreendimento. Nesta situação, o empreendedor será responsável pelos custosde operação e manutenção do sistema e pela aquisição de material rodante. Oscustos dos demais componentes do projeto deverão ser assumidos pelo PoderPúblico. No segundo caso analisado, verifica-se que o potencial de participação doempreendedor privado no financiamento do empreendimento é extremamenterestrito, visto que as receitas geradas são insuficientes para possibilitarinvestimentos significativos além da aquisição do material rodante articulado econvencional. Nesta situação, observa-se que os riscos associados aoempreendimento crescem significativamente. A análise de sensibilidade, em ambas as situações consideradas, comprovouque a rentabilidade financeira é muito sensível a variações nos níveis dedemanda, ou de gratuidades, e nos custos de capital. É importante destacar que a variável que produziu os maiores impactos sobrea rentabilidade financeira do projeto está associada às gratuidades observadas nomunicípio do Rio de Janeiro. Caso sejam implantados mecanismos deremuneração do operador para as viagens gratuitas, o que de fato já ocorre emSão Paulo e que vêm sendo implantado no Estado do Rio de Janeiro, os níveis derentabilidade passam a apresentar elevações substanciais, o que pode aumentarde forma significativa a atratividade financeira do ponto de vista do empreendedorprivado. Pág. Revisão 00 10/ 130 Junho de 2010
  11. 11. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2 - DEFINIÇÃO DO TRAÇADO3.2.1 - Considerações Iniciais O traçado do projeto foi estabelecido a partir dos estudos e simulaçõesrealizados no Plano Funcional. Naquela ocasião foram determinados oslogradouros, que acomodariam o Corredor Transcarioca. Para a concepção dotraçado do Corredor foram consideradas algumas diretrizes norteadoras: queseria um sistema tronco-alimentador, operando em via segregada; e que seestenderia da Barra da Tijuca até a Penha. A extensão do traçado resultante é decerca de 28 km, ao longo dos quais utiliza as principais artérias dos bairrosatravessados. Conforme já comentado, o Corredor terá poder estruturante sobre todo osistema de transportes urbanos de sua área de influência. Sua entrada emoperação acarretará o remanejamento das linhas de ônibus hoje existentes. Além disso, na seleção do traçado, a integração com os meios de transportesobre trilhos também foi priorizada, mediante a previsão de estações do CorredorTranscarioca destinadas a este fim. A partir da determinação do traçado estudaram-se as larguras disponíveis emcada logradouro. Assim, pode-se desenvolver o projeto otimizando-se a seçãotransversal de modo a minimizar procedimentos de desapropriação. O traçado do Corredor Transcarioca desenvolve-se ao longo dos seguinteslogradouros: a) Avenida Ayrton Senna; b) Avenida Embaixador Abelardo Bueno; c) Estrada Coronel Pedro Corrêa; d) Estrada dos Bandeirantes; e) Avenida Nelson Cardoso; f) Rua Candido Benício; g) Rua Domingos Lopes; h) Rua Guaxima; i) Avenida Ministro Edgard Romero; j) Avenida Vicente de Carvalho, e Revisão 00 Pág. Junho de 2010 11/ 130
  12. 12. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento k) Avenida Brás de Pina. Face às características urbanas do segmento, o projeto buscou preservar aconformação geométrica das vias citadas, evitando-se ao máximo, desta forma,retificações no traçado apresentado. Cabe ressaltar que tais retificaçõesimplicariam em pouco ganho a geometria existente, e aumentariaconsideravelmente o custo com desapropriações, razão pela qual foi retificadoapenas o estritamente necessário. O posicionamento das estações foi estabelecido tendo como premissa básicaa condição operacional de espaçamento médio de 600 metros e ajustado emfunção dos Pólos Geradores verificados ao longo do Corredor, além de aspectosligados à desapropriação, visto que, de maneira geral, as estações requeremespaço adicional além das linhas do Projeto de Alinhamento. Outro aspectolevado em conta foi o ajuste fino em decorrência da malha viária, de forma amelhor aproveitar as interseções semaforizadas visando ao atendimentosimultâneo das travessias de pedestres para acessar cada estação. A Tabela3.2-1 a seguir mostra o espaçamento resultante entre estações. Tabela 3.2-1: Espaçamento entre as estações do Corredor Transcarioca. Estações Distância De a (m) Alvorada Lourenço Jorge 973,13 Lourenço Jorge Via Parque 1.174,26 Via Parque Polo Cine e Video 1.617,76 Polo Cine e Vídeo Hospital SARAH 589,73 Hospital SARAH Autodrómo 717,79 Autódromo Pedro Corrêa 878,52 Pedro Corrêa Curicica 890,58 Curicica Praça Bandolim 503,01 Praça Bandolim Arroio Pavuna 663,09 Arroio Pavuna Schering 381,57 Schering Comandante Guaranys 430,33 Comandante Guaranys Gusmão Lobo 781,98 Gusmão Lobo Merck 577,63 Merck André Rocha 579,71 (Continua) Pág. Revisão 00 12/ 130 Junho de 2010
  13. 13. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoTabela 3.2-1: Espaçamento entre as estações do Corredor Transcarioca. (continuação) André Rocha Taquara 503,96 Taquara Marechal Bevilaqua 513,22 Marechal Bevilaqua Praça Araci Cabral 389,73 Praça Araci Cabral Tanque 493,87 Tanque Albano 1.172,33* Albano Praça Seca 612,41 Praça Seca Capitão Mendes 818,90 Capitão Mendes Pinto Telles 491,10 Pinto Telles Campinho 736,76 Campinho Madureira 867,30 Madureira Mercadão 421,68 Mercadão Otaviano 733,99 Otaviano Vila Queiroz 582,14 Vila Queiroz Vaz Lobo 555,79 Vaz Lobo Marambaia 842,11 Marambaia Vicente de Carvalho 496,72 Vicente de Carvalho Aquidauana 678,96 Aquidauana Lafaiete 486,65 Lafaiete Pedro Taques 728,56 Pedro Taques Praça do Carmo 413,67 Praça do Carmo Guaporé 493,77 Guaporé Cajá 633,74 Cajá Terminal Penha 488,413.2.2 - Traçado do Corredor Transcarioca Os estudos para a definição do traçado foram apoiados em cartas derestituição aerofotogramétrica, na escala 1:10000 em ortofotos do trecho, naescala 1:2000, ambas originárias de vôo realizado no ano 2000 plantas daSecretaria Municipal de Urbanismo, com a marcação dos Projetos Aprovados deAlinhamento dos logradouros envolvidos pelo projeto; sobrevoo da área emhelicóptero, a baixa altitude, e em reiteradas inspeções locais efetuadas pelostécnicos responsáveis pela elaboração do traçado. O traçado definido é apresentado nas plantas em anexo (Anexo 3.2-1.Traçado do Projeto T5 – Pranchas T5-22-0001-DE-R3 à T5-22-0015-DE-R2). Aseguir, são descritos os diferentes trechos que compõem o traçado do Revisão 00 Pág. Junho de 2010 13/ 130
  14. 14. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoTranscarioca, destacando suas principais características. Ao longo do textoaparecem indicações das pranchas do Projeto Geométrico, apresentado noAnexo 3.2-2, nas quais é possível a visualização em detalhe dos trechosdescritos.3.2.2.1 - Terminal Alvorada na Barra da Tijuca O Terminal Alvorada, ponto inicial do Corredor Transcarioca, está localizadoem uma área de formato losangular, popularmente conhecida como “Cebolão”. Naverdade, trata-se de uma rótula da interseção das avenidas das Américas eAyrton Senna. O losango é cortado diametralmente pela Avenida das Américas,determinando duas áreas triangulares, uma ao norte e outra ao sul. A áreavoltada para o norte está inteiramente ocupada pelo Projeto da Cidade da Música,atualmente em construção, o qual também se estende para parte da outra área,situada do outro lado da Av. das Américas. Assim sendo, o terminal do CorredorTranscarioca será implantado na parte remanescente da área sul, a qualatualmente abriga um posto de vistoria de veículos do Detran e um terminal deônibus urbanos. Ao terminal existente convergem diversas linhas que têm comoinício ou fim de trajeto a Barra da Tijuca, com as quais o Transcarioca pretendeintegrar-se. Com a possibilidade de redução da área do Posto de Vistoria do Detran, olocal disporá de espaço suficiente para a instalação dos Terminais do CorredorTranscarioca e das linhas de ônibus urbanos que aí chegam atualmente, bemcomo para eventuais ampliações. O Terminal Alvorada do Corredor Transcariocaserá composto por pista de 7,0 m de largura, em forma de pêra, a fim de quetanto os veículos do Corredor Transcarioca quanto os das linhas integradaspossam fazer o retorno. Na verdade, as pistas de acesso ao Terminal dosveículos do Corredor Transcarioca e das linhas integradas serão dispostas de talforma que todos os passageiros venham ter a mesma plataforma, cada qual deum lado, onde se fará o transbordo direto entre os dois sistemas, isto é, sem anecessidade de cruzar qualquer pista de rolamento. No local estão previstos,ainda, a construção de estação do tipo parador/expresso do CorredorTranscarioca, área de estocagem de ônibus para dar início ao despacho de Pág. Revisão 00 14/ 130 Junho de 2010
  15. 15. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentoveículos no primeiro horário da manhã e ligação com a estação dos ônibusurbanos para os passageiros que queiram se transladar de um sistema para ooutro. O real desafio a ser superado no local é o acesso dos ônibus do CorredorTranscarioca ao seu terminal, em via segregada. Em primeiro lugar, porque a rotado Corredor, que tem início no terminal a ser situado na área sul, se dirige aonorte, na busca do canteiro central da Av. Ayrton Senna, tendo no seu caminho aCidade da Música, a qual necessita obrigatoriamente ser transposta. Emconsequência, deverão ser enfrentadas as dificuldades dessa transposiçãodevidas à forma como está prevista a ocupação da área e às restriçõesarquitetônicas inerentes àquele Projeto. Com vistas a minorar as interferências mútuas, desenvolveu-se solução emque o acesso dos ônibus do Corredor Transcarioca ao Terminal e dos que, emsentido oposto, saem do Terminal em busca da Av. Ayrton Senna, se faráexclusivamente pelo lado oeste do “Cebolão”. Assim, ao se aproximarem doTerminal pela Av. Ayrton Senna, os ônibus cruzarão a alça da rótula aí existenteatravés de passagem inferior (Figura 3.2-1), em mão dupla, a fim de não interferircom o tráfego veicular e de deixar livre um dos acessos à Cidade da Música,previsto para o local.Figura 3.2-1: Seções transversais da passagem subterrânea da Av. Ayrton Senna. Ao emergir do “mergulhão”, já em plena área do “Cebolão”, os ônibuspercorrerão pista segregada, com 8,0 m de largura e operação em mão dupla,cujo traçado se desenvolverá paralelamente e o mais próximo possível da borda Revisão 00 Pág. Junho de 2010 15/ 130
  16. 16. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentooeste da rótula, até alcançar o aterro da cabeceira do viaduto da Avenida dasAméricas. Neste local será implantado um pequeno túnel (Figura 3.2-2), a fim deque a pista possa terminar de contornar a Cidade da Música na área sul da rótulae chegar ao Terminal. O caminho de volta será exatamente o mesmo. Maiores detalhes das descrições apresentadas acerca da área do TerminalAlvorada podem ser vistos nas plantas do Projeto Geométrico (T5-23- 0037-DE-R0 e T5-23- 0001-DE-R0), constantes no Anexo 3.2-2. Figura 3.2-2: Seção transversal da passagem sob a Avenida das Américas O trajeto descrito interfere com duas áreas de estacionamento de veículos daCidade da Música, implicando na perda total de uma delas (com 135 vagas) e naperda parcial da outra (com 65 vagas). Porém, permite que sejam recuperadas 70vagas em outro local. Serão atingidas, portanto, 130 vagas das 813 disponíveis. Otrajeto interfere também com uma saída secundária da Cidade da Música,prevista na área sul da rótula, o que alongará um pouco o percurso dos usuárioscom destino à Barra e Zona Sul, sem outros inconvenientes. Pelo descrito acima é possível inferir que as interferências não são de grandemonta e, portanto, não inviabilizam o projeto afetado. Além disso, em termos deaporte de público, o Corredor Transcarioca tem capacidade para compensaramplamente as vagas de estacionamento perdidas. Pág. Revisão 00 16/ 130 Junho de 2010
  17. 17. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2.2.2 - Subtrecho da Avenida Ayrton Senna Logo após ultrapassar o “mergulhão”, o traçado do Corredor Transcariocabusca o canteiro central da Av. Ayrton Senna. Contando com largura em torno de20,0m, o canteiro apresenta medida suficiente para conter toda a seçãotransversal do Corredor Transcarioca, mesmo nos locais das estações, onde alargura necessária será de 19,0m para comportar duas pistas de 7,0m (naslaterais) e 5,0m de plataforma (na parte central), conforme ilustrado nas seçõestransversais da Figura 3.2-3. Há, portanto, espaço remanescente para colocaçãode dois separadores de, no máximo, 0,5m entre as pistas de tráfego comum e aspistas do Corredor Transcarioca.Figura 3.2-3: Seções transversais das estações no trecho da Av. Ayrton Senna. Conforme ilustrado na Figura 3.2-3, o subtrecho da Av. Ayrton Senna, cujaextensão é de cerca de 1970 m, terá duas estações: Estação Lourenço Jorge,localizada a 800 m do Terminal Alvorada, que a antecede, e Estação Via Parque,distante 805 m da Estação Lourenço Jorge. Ambas foram localizadas próximas asemáforos existentes na via, de modo que os passageiros possam utilizá-los paraacesso às estações. Esta disposição foi, de maneira geral, adotada ao longo detodo o traçado do Corredor Transcarioca, de modo a evitar redução decapacidade do sistema viário pela criação desnecessária de novos semáforospara atendimento exclusivo de pedestres que acessarão as estações do CorredorTranscarioca. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 17/ 130
  18. 18. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Nos trechos correntes, isto é, onde não há estações, as pistas do CorredorTranscarioca irão margear o canteiro central da Av. Ayrton Senna. As duas pistasde rolamento, uma em cada sentido, terão largura variável, sendo 3,5 m a larguramínima estabelecida para cada uma das pistas neste subtrecho. As seçõestransversais tipo do trecho corrente da Av. Ayrton Senna são mostradas na Figura3.2-4. O traçado deste trecho pode ser visto em detalhes nas pranchas T5-23-0001-DE-R0, T5-23-0002-DE-R0 e T5-23-0003-DE-R0 do Projeto Geométrico,constante no Anexo 3.2-2. Ao longo da Av. Ayrton Senna, o Corredor Transcarioca atenderá a diversos eimportantes pólos geradores de tráfego situados às suas margens como, porexemplo, o Hospital Municipal Lourenço Jorge, o Casa Shopping, o HipermercadoMacro, o Aeroporto de Jacarepaguá, o Via Parque Shopping e o Hospital BarraD’Or. No prolongamento dessa avenida, já fora do segmento diretamenteatravessado pelo Corredor Transcarioca, localiza-se a Vila Olímpica dos JogosPanamericanos de 2007. Seu atendimento, pelo Corredor Transcarioca, se farámediante a criação oportuna de linha alimentadora que interligue a Vila com umaou mais estações do Corredor Transcarioca existentes na área. Pág. Revisão 00 18/ 130 Junho de 2010
  19. 19. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-4: Seções transversais tipo no subtrecho da Av. Ayrton Senna. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 19/ 130
  20. 20. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2.2.3 - Subtrecho da Ponte/Viaduto de interligação da Av. Ayrton Senna com a Av. Embaixador Abelardo Bueno Este subtrecho, todo em obra-de-arte especial, é necessário para a travessiada Lagoa de Jacarepaguá e as interseções com as pistas da própria Av. AyrtonSenna. O Corredor, vindo pelo canteiro central da Av. Ayrton Senna, transforma-se em viaduto para ultrapassar uma das pistas centrais dessa avenida, prossegueem viaduto/ponte, para atravessar um braço da Lagoa de Jacarepaguá e continuaem viaduto, infletindo à esquerda, até atingir o canteiro central da Av. EmbaixadorAbelardo Bueno. As seções transversais tipo do subtrecho em ponte são mostradas na Figura3.2-5. O traçado deste trecho pode ser visto em detalhes nas pranchas T5-23-0003-DE-R0, T5-23-0004-DE-R0 e T5-23-0005-DE-R0, constante no Anexo 3.2-2. Pág. Revisão 00 20/ 130 Junho de 2010
  21. 21. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-5: Seções transversais tipo do subtrecho em ponte na interligação entre as Avenidas Ayrton Senna e Embaixador Abelardo Bueno. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 21/ 130
  22. 22. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2.2.4 - Subtrecho da Av. Embaixador Abelardo Bueno O subtrecho anterior, em obra-de-arte especial, vai se encaixar, em tangente,na porção central da Av. Embaixador Abelardo Bueno. Ao longo desta via, nossegmentos fora das estações, o Corredor Transcarioca ocupará o espaçocompreendido pelo canteiro central e pelas faixas contíguas, sem interferir com orestante da seção da via recém construída. Para tanto, o canteiro central,atualmente com 3 m, terá sua largura reduzida para 2 m, de maneira a permitir aimplantação de separação física com 0,17 m entre as faixas do CorredorTranscarioca, de 3,5 m de largura, e as faixas de tráfego normal da referida via. AAv. Embaixador Abelardo Bueno operará, portanto, com cinco faixas de tráfegoem cada sentido, sendo duas na pista central (de caráter mais expresso) e trêsnas pistas laterais (de atendimento ao tráfego local). Nos locais das estações haverá necessidade de largura adicional de 10 mpara a seção transversal do Corredor Transcarioca, sendo 7,0 m correspondentesàs duas faixas de ultrapassagem, uma em cada sentido, e 3 m relativos àdiferença entre as larguras da plataforma, que é de 5,0 m, e do canteiro central doCorredor Transcarioca. Essa nova seção foi acomodada na plataforma da Av.Embaixador Abelardo Bueno pelo deslocamento lateral das pistas centrais, com aconsequente diminuição do canteiro entre as referidas pistas e as pistas laterais,sem necessidade, portanto, de reduzir o número e a largura das faixas de tráfegodedicadas ao tráfego comum. O subtrecho terá três estações: Polo Cine Vídeo, Hospital Sarah eAutódromo, as duas primeiras, operando exclusivamente serviço de ônibusparadores e, a terceira, de ônibus paradores e expressos. A atribuição dos doisserviços à estação Autódromo deve-se à demanda concentrada por ocasião doseventos que se realizam neste local. A seção transversal tipo das estações destesubtrecho são mostradas na Figura 3.2-6. Pág. Revisão 00 22/ 130 Junho de 2010
  23. 23. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-6: Seções transversais tipo das estações no subtrecho da Av. Embaixador Abelardo Bueno. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 23/ 130
  24. 24. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento De maneira a permitir a travessia de pedestres para acessar as estações e,aproveitando a fase de sinal veicular referente a movimentos de retorno (portanto,de forma a não interferir com a capacidade da via), todas as estações da Av.Abelardo Bueno se situarão entre dois retornos, conforme mostrado nas plantasT5-23-0005-DE-R0, T5-23-0006-DE-R0 e T5-23-0007-DE-R0 do ProjetoGeométrico, constante no Anexo 3.2-2. Para tanto, haverá a necessidade deremanejamento de retornos e agulhas nos locais correspondentes às estações. Haverá, ainda, a necessidade de se alargar as pontes existentes sobre oArroio Pavuna para acomodar a nova seção transversal requerida pelo CorredorTranscarioca, o que pode ser visualizado na planta T5-23-0006-DE-R0 (Anexo3.2-2). A primeira estação do subtrecho, denominada Abelardo Bueno, ficalocalizada a uma distância de 1.617 m da estação que a antecede, denominadaVia Parque, ainda na Av. Ayrton Senna. A longa extensão entre as duas estaçõescorresponde aos terrenos alagadiços no entorno da Lagoa de Jacarepaguá, quesão vencidos por obra de arte especial. As duas estações seguintes se sucedemem distâncias de 590 e 718 m, respectivamente. A última delas, EstaçãoAutódromo, se situa próximo à interseção com a Rua Coronel Pedro Corrêa, ondetermina o subtrecho do Corredor Transcarioca na Av. Embaixador AbelardoBueno. Neste ponto, localizado logo após o Condomínio Rio 2, que em seu estágiofinal terá pouco mais de 4.000 unidades habitacionais, o traçado inflete à direita –sentido Barra - Penha. A interseção com a Estrada Coronel Pedro Corrêa seráampliada de forma a acomodar o cruzamento do Corredor Transcarioca com osfluxos veiculares, que necessitarão de maior área de armazenagem de forma anão bloquear, no correspondente tempo de sinal, o fluxo direto do CorredorTranscarioca. Para tanto, utilizará parte da área de um posto de gasolina aíexistente, que deverá sofrer desapropriação. Daí em diante alinha-se com aEstrada Coronel Pedro Corrêa, por onde prossegue. Ao longo da Av. Embaixador Abelardo Bueno, o Corredor Transcariocaatende a diversos pólos geradores de tráfego ainda em fase de construção, taiscomo: o Centro Empresarial Rio Office Park; o Polo Rio de Cine e Vídeo; oHospital Sarah; o já mencionado Condomínio Rio 2; e o futuro Centro Pág. Revisão 00 24/ 130 Junho de 2010
  25. 25. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoMetropolitano. No prolongamento da própria Av. Embaixador Abelardo Bueno,porém no trecho não percorrido diretamente pelo Corredor Transcarioca, localiza-se o Autódromo de Jacarepaguá, que pode ser acessado a partir da EstaçãoAutódromo por caminhada a pé. Já o Riocentro, localizado na Av. SalvadorAllende, fica um pouco mais distante e necessitará de linha alimentadora queopere, pelo menos, durante a realização de eventos neste local, a fim de que oacesso se faça de maneira confortável para os usuários.3.2.2.5 - Subtrecho da Estrada Coronel Pedro Corrêa Esse logradouro foi selecionado como a melhor alternativa para fazer aligação do Corredor Transcarioca, da Av. Embaixador Abelardo Bueno, até aEstrada dos Bandeirantes. Diversas razões determinaram a escolha. A EstradaCoronel Pedro Corrêa parece se desenvolver sobre solo com boa capacidade desuporte. Os bolsões de solos compressíveis existentes acham-se já bastantecompactados por camadas de aterro que lhes foram sobrepostas, conformeatestam boletins de sondagens geotécnicas realizadas no local. Percorre áreamais povoada do que as demais alternativas cotejadas, onde será possível captarpassageiros para o sistema, pois, ainda na Av. Embaixador Abelardo Bueno,faculta a passagem em frente ao Conjunto Rio 2. A própria Coronel Pedro Corrêaé bastante edificada, abrigando atividades industriais e de serviços. Além disso,seu ponto de entrada na Estrada dos Bandeirantes dá ensejo ao atendimento dopopuloso bairro de Curicica. O Projeto de Alinhamento da Estrada Coronel Pedro Corrêa é de 30 m delargura, suficiente para acomodar a seção transversal do Corredor Transcariocaonde não houver estação (Figura 3.2-7). Neste subtrecho é composta por: canteirocentral de 2,0 m; uma faixa de 3,5 m em cada sentido e separadores de pista de0,17 m, para os ônibus articulados; duas faixas de 3,5 m em cada sentido para otráfego comum; e passeios de 3,0 m de largura em ambos os lados das pistas.Nos trechos da estação a largura necessária aumenta devido aos acréscimosocasionados pelas duas pistas de ultrapassagem, de 3,5 m de largura cada, epelo alargamento do canteiro central, de 2,0 para 5,0 m a fim de acomodar aplataforma da estação (Figura 3.2-8). Revisão 00 Pág. Junho de 2010 25/ 130
  26. 26. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento * * * *Figura 3.2-7: Seções transversais tipo do subtrecho da Estrada Coronel Pedro Corrêa. Figura 3.2-8: Seção transversal da estação Pedro Corrêa. O subtrecho tem pouco mais de 1.700 m e ao longo de sua extensão haverá apenas uma estação, denominada Pedro Corrêa, conforme pode ser observado em detalhes nas pranchas T5-23-0007-DE-R0, T5-23-0008-DE-R0 e T5-23-0009- DE-R0, constantes no Anexo 3.2-2. Esta estação distará 879 m da anterior, denominada Autódromo, e 891 m da próxima à frente, chamada Curicica. As Pág. Revisão 00 26/ 130 Junho de 2010
  27. 27. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentodistâncias acima da média entre estações explicam-se, primeiro, pelo baixo nívelde adensamento da área, que não requer estações muito próximas uma da outrae, segundo, pela inexistência de trechos em tangente para implantação deestações menos distanciadas e adequadamente distribuídas. O final desse subtrecho se dá com a inflexão do traçado à direita, quandobusca o alinhamento com o canteiro central da Estrada dos Bandeirantes. Demaneira a não introduzir novos conflitos de tráfego na interseção com a Av. dosBandeirantes e com a Av. Salvador Allende, optou-se por infletir o traçadodiagonalmente à direita, afastando-se dos fluxos de cruzamento e retorno dainterseção atual, que já apresentam notória saturação, cruzando apenas umapista da Pedro Corrêa e da Estrada dos Bandeirantes. Essa solução permite, ainda, melhorar a condição geométrica na chegada doCorredor Transcarioca à Estrada dos Bandeirantes, uma vez que o ângulo entre aEstrada Coronel Pedro Corrêa e dos Bandeirantes é bastante desfavorável, face àcurva a esquerda que a primeira faz em seu trecho final, conforme pode ser vistona prancha T5-23-0009-DE-R0 (Anexo 3.2-2). A alteração de traçado propostaimplicará na necessidade de desapropriação de galpões industriais existentes nolocal.3.2.2.6 - Subtrecho da Estrada dos Bandeirantes A Estrada dos Bandeirantes é um logradouro de características bastantediferenciadas ao longo dos 5.850 m que coincidem com o traçado do CorredorTranscarioca. No seu trecho inicial, o logradouro tem um Projeto de Alinhamentode 50 m de largura e possui amplo canteiro central, suficiente para a implantaçãoda seção transversal do Corredor Transcarioca, sem necessidade dedesapropriações. O espaço é suficiente mesmo nos locais de implantação dasduas estações localizadas nesse trecho inicial, denominadas Curicica e Praça doBandolim, cujas seções transversais são mostradas na Figura 3.2-9. Como orientação geral, o posicionamento das estações no segmento daEstrada dos Bandeirantes levou em conta também a minimização dos conflitos dotráfego veicular com o tráfego de pedestres que acessam as referidas estações,especialmente movimentos de retorno e de conversão à esquerda. Procurou-se Revisão 00 Pág. Junho de 2010 27/ 130
  28. 28. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentoainda, sempre que possível, associar o referido movimento de pedestres a umafase veicular não conflitante, de modo a não interferir na capacidade existente etambém melhorar as condições de capacidade das interseções existentesutilizando-se o espaço disponível, sem implicar em desapropriação adicional. A situação relatada da seção da Estrada dos Bandeirantes perdura até oentroncamento com a Rua Coronel Willyan, onde o Projeto de Alinhamento sereduz para 35 m (prancha T5-23-0010-DE-R0 e T5-23-0011-DE-R0, no Anexo3.2-2). Apesar da via continuar dispondo de canteiro central, sua largura éinsuficiente para evitar algumas desapropriações para a implantação das faixasde tráfego comum no sentido Barra-Penha, no local onde se pretende implantar aterceira estação do trecho, denominada Arroio Pavuna, cuja seção transversalestá ilustrada na Figura 3.2-10. Logo em seguida à estação, o Corredor Transcarioca cruzará o RioGuerenguê, por meio de uma ponte existente, que deverá ter sua plataformaalargada de modo a acomodar a nova seção transversal da via, num segmentoque é regido pelo alinhamento do rio. Até este ponto, o trecho do CorredorTranscarioca na Estrada dos Bandeirantes margeia o bairro de Curicica, que ficaà esquerda da Estrada no sentido Barra-Penha. O trecho subsequente apresenta características distintas. O Projeto deAlinhamento passa a ter 40 m de largura, por um curto trecho, até oentroncamento com a Rua Otávio Coimbra, ampliando-se a partir daí para 80 m.A ocupação lateral dos terrenos começa a ser predominantemente industrial,principalmente de grandes laboratórios farmacêuticos, notadamente ScheringPlough, Merck, Roche, Glaxo Smith Kline, Abbott, além de empreendimentos deoutras categorias como Nestlé, Ceras Johnson, Páginas Amarelas, Fink etc. Ocanteiro central, entretanto, é preservado e acomoda a seção transversal doCorredor Transcarioca conforme indicado nas pranchas T5-23-0012-DE-R0 emdiante, apresentadas no Anexo 3.2-2. A implantação da Estação Schering (Figura 3.2-11) está prevista com ajustesna parte final da interseção da Estrada dos Bandeirantes com a Av. Canal doArroio Fundo, de forma a permitir que os movimentos de conversão à esquerda sesituem antes e após a referida estação. Dessa maneira, os acessos de pedestresocorrem simultaneamente com a fase veicular e de forma protegida, sendo Pág. Revisão 00 28/ 130 Junho de 2010
  29. 29. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentonecessário, para tanto, pequena desapropriação em área contígua ao posto degasolina. Ainda nessa interseção promoveu-se um alargamento na pista daEstrada dos Bandeirantes com sentido Jacarepaguá-Penha, de forma a permitir aacomodação do fluxo de conversão à esquerda. As duas estações subsequentes, Comandante Guaranys e Gusmão Lobo(Figura 3.2-12), também situadas no canteiro central, são dotadas de movimentode conversão à esquerda em uma das extremidades, o que permitirá o acessoprotegido de pedestres na fase veicular da conversão à esquerda. O trecho seguinte, onde se localizará a estação Merck (Figura 3.2-13), bemem frente ao Hipermercado Sendas, corresponde à área da interseção entre aEstrada dos Bandeirantes e a Estrada Miguel Salazar Mendes de Moraes. Talinterseção pode ser vista na prancha T5-23-0014-DE-R0 no Anexo 3.2-2.Semaforizada em “Y”, a interseção possui fluxos de tráfego bastante intensos,com alguns movimentos apresentando problemas de operação como, porexemplo, aquele correspondente ao fluxo Estrada Miguel S. M. de Moraes –Estrada dos Bandeirantes (com sentido Jacarepaguá), que é efetuado por meiode retorno com características geométricas bastante restritas. A estação foi posicionada próximo ao cruzamento principal, o que facilitará oacesso de pedestres. O retorno para Jacarepaguá foi reposicionado mais à frentecom o retorno para a Penha próximo à extremidade da estação, de forma a nãoconflitar com o movimento de pedestres. Para melhor entendimento da descriçãopode-se observar a prancha T5-23-0014-DE-R0, constante no Anexo 3.2-2. As pistas da Estrada dos Bandeirantes foram reposicionadas e alargadas,criando-se ainda pista lateral desde o entroncamento da Estrada do Guerenguê,de forma a melhor acomodar os diversos fluxos intervenientes, mediantedesapropriação pouco significativa, restrita quase que exclusivamente a áreas deestacionamento do próprio hipermercado já citado e dentro do Projeto deAlinhamento estabelecido para o local, conforme exemplificado pela seçãotransversal tipo, mostrada na Figura 3.2-14. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 29/ 130
  30. 30. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-9: Seções transversais das estações Curicica e Praça do Bandolim.Figura 3.2-10: Seção transversal da estação Arroio Pavuna.Figura 3.2-11: Seção transversal da estação Schering. Pág. Revisão 00 30/ 130 Junho de 2010
  31. 31. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-12: Seções transversais das estações Comandante Guaranys e Gusmão Lobo.Figura 3.2-13: Seção transversal da estação Merck.Figura 3.2-14: Seção transversal tipo exemplificando pista lateral criada no subtrecho da Estrada dos Bandeirantes. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 31/ 130
  32. 32. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Pouco adiante deste ponto, o canteiro central deixa de existir e o Projeto deAlinhamento passa a ser de 30m de largura entre a Estrada do Guerenguê e aRua André Rocha, e de 35 m entre esta última e o Largo da Taquara. O padrãode ocupação lateral também se altera, passando a ser predominantementecomercial e de serviços. Estão previstas desapropriações no trecho, além doProjeto de Alinhamento, para implantação das estações André Rocha e Taquara(Figura 3.2-15), dentro do Projeto de Alinhamento, para a inclusão das pistas doCorredor Transcarioca e o consequente deslocamento das faixas de tráfego queatenderão ao tráfego veicular normal. No Largo da Taquara, o traçado do Corredor Transcarioca foge do leito da viaexistente na aproximação da travessia do Rio Grande, tendo em vista ascaracterísticas extremamente restritas da curva da Estrada dos Bandeirantes nachegada da Av. Nelson Cardoso e um melhor atendimento dos fluxos de tráfego,além de menor interferência com o tráfego durante as obras. A área a serdesapropriada, às margens do rio Grande, que será transposto em nova ponte,encontra-se totalmente dentro do Projeto de Alinhamento do rio. No espaçointerior da curva, está sendo reservada área para restituir ao local ascaracterísticas de largo, embora de proporções modestas, tendo em vista agrande circulação de pedestres no local. O movimento de conversão à esquerda,Estrada do Rio Grande - Av. Nelson Cardoso (atualmente feito através de retornona Estrada dos Bandeirantes), foi restituído por meio de cruzamentosemaforizado, cuja fase de sinal atenderá simultaneamente aos pedestres queacessam a estação do Corredor Transcarioca, de forma protegida. Os detalhesdesta descrição podem ser observados na prancha T5-23-0016-DE-R0, constanteno Anexo 3.2-2. Pág. Revisão 00 32/ 130 Junho de 2010
  33. 33. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-15: Seções transversais das estações André Rocha e Taquara Revisão 00 Pág. Junho de 2010 33/ 130
  34. 34. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2.2.7 - Subtrecho da Avenida Nelson Cardoso O trecho inicial da Av. Nelson Cardoso tem Projeto de Alinhamento de 30 mde largura, suficientes para acomodar a seção transversal do CorredorTranscarioca nos seus segmentos correntes, mas não dispensa algumadesapropriação onde esta se alarga para a implantação das estações. Éexatamente isso que ocorre nas duas primeiras estações do trecho, MarechalBevilaqua e Praça Araci Cabral (Figura 3.2-16). Em ambas, será preciso ir alémdo Projeto de Alinhamento do lado esquerdo da pista, a fim de contemplar asfaixas destinadas ao tráfego comum. O acesso de pedestres à estação Marechal Bevilaqua será feitoaproveitando-se a fase de sinal da conversão à esquerda do entroncamento darua de mesmo nome. Essa conversão tem volume de tráfego bastante acentuado,com boa parte dele se dirigindo à Rua Bacarís, tendo sido promovido alargamentopara duas faixas do pequeno segmento de via lateral situado na pista com sentidoPenha, de forma a melhor acomodar o referido fluxo. A circulação da Av. Nelson Cardoso, no segmento compreendido entre aEstrada do Cafundá e a Rua Godofredo Viana, foi alterada, restabelecendo-se amão dupla, passando o movimento de conversão à esquerda Av. Nelson Cardoso- Estrada do Cafundá a ser efetuado através da Travessa Curtinha e da RuaAndré Rocha, cruzando a Av. Nelson Cardoso em semáforo que permitirátambém o acesso de pedestres à Estação Araci Cabral. O outro movimento de conversão à esquerda, Rua Godofredo Viana - Av.Nelson Cardoso (com sentido Penha), também será efetuado por meio deconversão à esquerda semaforizada, permitindo na mesma fase, o acesso depedestres à estação Marechal Bevilaqua. A estação Tanque (Figura 3.2-17), constituída por estação paradora eexpressa foi integralmente posicionada na área interna da rótula situada junto aoLargo do Tanque, tendo sido incluída ainda nesse local, área para parada dosônibus de integração do Corredor Transcarioca com as linhas que passam na Av.Geremário Dantas. Pág. Revisão 00 34/ 130 Junho de 2010
  35. 35. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-16: Seções transversais das estações Marechal Bevilaqua e Praça Araci Cabral. Figura 3.2-17: Seção transversal da estação Tanque. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 35/ 130
  36. 36. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento A interseção dessa via com a Av. Nelson Cardoso/Cândido Benício foitotalmente reestudada de forma a melhor acomodar os fluxos viários, bem como aacessibilidade dos pedestres à estação, além da integração com os ônibus locaisjá mencionada. Dessa forma, o movimento Rua Cândido Benício/Av. GeremárioDantas foi reposicionado por meio de conversão direta à esquerda, liberando oLargo do Tanque, e foi acrescentada alça de retorno para atendimento domovimento Av. Geremário Dantas - Av. Nelson Cardoso, facilitando também acirculação das linhas de ônibus que trafegam pela primeira, acessando a paradaprevista para integração e retornando à citada avenida. Este trecho pode servisualizado na prancha T5-23-0018-DE-R0, constante no Anexo 3.2-2.3.2.2.8 - Subtrecho da Rua Cândido Benício Logo após o Largo do Tanque, o traçado do Corredor Transcarioca passa aacompanhar o alinhamento da Rua Cândido Benício. O padrão de ocupaçãolateral da pista se altera substancialmente. O Corredor Transcarioca passa a sermargeado, em ambos os lados, por dois grandes terrenos não edificados. Oterreno do lado direito, que se destina à Construção de uma Vila Olímpica, tevealgumas obras de drenagem iniciadas. Enquanto os terrenos permanecerem emseu estado atual, não existe demanda lindeira de passageiros para o CorredorTranscarioca. Por isso não se preconiza a implantação imediata de qualquerestação no trecho. Entretanto, na medida em que tais espaços sejam mobilizados,é absolutamente seguro que eles passarão a ser pólos geradores de tráfego.Assim sendo, para facilitar a implantação de uma futura estação quando estanecessidade se fizer presente, a infraestrutura será concebida como se no localhouvesse uma estação, mas sua superestrutura só será construída quantonecessário. A primeira estação a ser implantada no trecho é a de Albano (Figura 3.2-18),localizada justamente no ponto onde a ocupação lateral volta a apresentarcaracterísticas de usos residencial, comercial e de serviços, porém de padrãoinferior ao que se pode observar, por exemplo, na Av. Nelson Cardoso. A largurado Projeto de Alinhamento entre a citada estação e a da Praça Seca (Figura Pág. Revisão 00 36/ 130 Junho de 2010
  37. 37. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2-18), que a segue imediatamente, oscila entre 25 e 40 m, o que suscitará anecessidade de desapropriações nos locais das estações. A estação Praça Seca, localizada antes da referida praça, operaráinicialmente o serviço de ônibus parador, embora já tenha sido prevista em suageometria a operação futura também de ônibus expresso. Com isso, pôde-sepreservar, para a praça propriamente dita, o Projeto Rio Cidade elaborado pelaSecretaria de Urbanismo para o local, ressalvadas pequenas alteraçõesdimensionais para acomodar a seção transversal necessária ao CorredorTranscarioca. Após a Praça Seca, o Projeto de Alinhamento assume maior regularidade ese mantém em 30 m ao longo da extensão em que serão implantadas asestações de Capitão Menezes e Pinto Teles (Figura 3.2-19). Esta última situa-seentre o binário formado pelas ruas Pinto Teles e Ana Teles, que se interliga a RuaTelles, para a qual existe projeto de interligação por meio de túnel com a RuaJoão Romeiro. Atualmente, a Rua Telles faz parte de um corredor auxiliar,paralelo à Rua Cândido Benício, entre a Praça Seca e o Largo do Campinho. Seutráfego, entretanto, tem que retornar à Rua Cândido Benício 100 m antes doLargo do Campinho. A citada intervenção prevista tem por objetivo darcontinuidade a este corredor auxiliar, de forma que o tráfego destinado aMadureira possa prosseguir na diretriz da Rua Telles, alcançando a Rua JoséRomeiro em condição paralela à Av. Ernani Cardoso, até alcançar a Rua PadreTelêmaco. O traçado do Corredor Transcarioca não tem interferência com esseprojeto. Prosseguindo pela Cândido Benício, que mantém suas características até ofinal do subtrecho, chega-se ao Largo do Campinho, no cruzamento com aEstrada Intendente Magalhães/Av. Ernani Cardoso. Nesse local, dadas ascondições topográficas e de tráfego, optou-se por solução em desnível tipo“diamante” (Figura 3.2-20), com o tráfego Cândido Benício-Domingos Lopes (emambos os sentidos), mais o Corredor do Transcarioca, passando sob a EstradaIntendente Magalhães - Av. Ernani Cardoso, conforme ilustrado na Figura 3.2-21.Nas proximidades será implantada a estação denominada Campinho (Figura3.2-22) Revisão 00 Pág. Junho de 2010 37/ 130
  38. 38. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-18: Seções transversais das estações Albano e Praça Seca. Figura 3.2-19: Seções transversais das estações Capitão Menezes e Pinto Teles. Pág. Revisão 00 38/ 130 Junho de 2010
  39. 39. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-20: Seções transversais do trecho em desnível nas proximidades do Largo do Campinho: descida do mergulhão e trecho subsequente. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 39/ 130
  40. 40. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-21: Seções transversais do trecho em desnível nas proximidades do Largo do Campinho: passagem sob a Estrada Intendente Magalhães e trecho subsequente. Pág. Revisão 00 40/ 130 Junho de 2010
  41. 41. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-22: Seção transversal da estação Campinho. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 41/ 130
  42. 42. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Os passageiros oriundos da Estrada Intendente Magalhães, Av. HernaniCardoso e Rua Candido Benício terão acesso à estação por meio de passarelabastante confortável, que interligará plataforma situada paralelamente à estrutura,passando sob a estação até alcançar o canteiro central do Corredor Transcariocae, daí, uma das extremidades da plataforma de embarque/desembarque. A outraextremidade da plataforma poderá ser acessada pelos pedestres oriundos da RuaDomingos Lopes, em local onde o Corredor do Transcarioca já estará no mesmonível da via existente, por meio de cruzamento para pedestres semaforizado. Odetalhe desta ligação descrita pode ser visto na prancha T5-23-0023-DE-R0, noAnexo 3.2-2.3.2.2.9 - Subtrecho do Complexo de Madureira Optou-se por conferir esta denominação ao conjunto de logradouros por ondeirá se desenvolver o traçado do Corredor Transcarioca na extensão que vai doLargo do Campinho até a entrada na Av. Ministro Edgar Romero, logo após aestação Mercadão. Estão aí compreendidas as ruas Domingos Lopes, Guaxima eo Viaduto Negrão de Lima. Este é provavelmente o trecho que implica os maioresníveis de intervenção de todo o Corredor, seja pelas alterações a serem feitas noplano de circulação viária, seja pelo volume de obras que se farão necessárias,tanto em nível como em obras de arte especiais. O trecho tem início na Estação de Campinho, e envolve alteração do sistemade circulação da Rua Domingos Lopes que passará a operar nos dois sentidos.Com isso, abre-se a possibilidade aos veículos que provém da Rua CândidoBenício e se destinam ao Viaduto de Madureira de seguirem direto para o seudestino, sem a necessidade de contornar pela Rua Padre Manso, como ocorrehoje em dia. No sentido oposto, haverá também substancial simplificação dacirculação dos veículos que provêm do Viaduto e se dirigem para a CândidoBenício ou a Ernani Cardoso, pois poderão acessá-las diretamente através daRua Guaxima e Domingos Lopes, e não mais pela Rua João Vicente. Para tanto, a Rua Domingos Lopes sofrerá expressivo alargamento, que sefará em grande parte por meio de desapropriações, sobretudo devido ànecessidade de ampliar o raio de curvatura à direita, para adentrar a Rua Pág. Revisão 00 42/ 130 Junho de 2010
  43. 43. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoGuaxima. Apesar disso, foi possível preservar dois imóveis importantes: o Quarteldo Corpo de Bombeiros e o Hipermercado Sendas. A Rua Guaxima, hoje inteiramente secundária e pouco edificada passará pormodificação radical, tanto em largura, pois passará a ter circulação de veículosnos dois sentidos, como por se tornar a via de acesso ao viaduto do CorredorTranscarioca e à sua Estação elevada de Madureira. Na verdade, o viaduto teráinício na própria Rua Guaxima, conforme ilustrado pelas seções transversaismostradas na Figura 3.2-23, de modo que ao atingir a Rua Padre Manso jáapresente gabarito para permitir passagem. Os detalhes aqui explicados podemser vistos na prancha T5-23-0024-DE-R0, no Anexo 3.2-2 Daí em diante, o novo viaduto, de uso exclusivo para os veículos do CorredorTranscarioca, passa a se desenvolver paralelamente e junto ao Viaduto Negrãode Lima, do seu lado esquerdo. A estação Madureira do Corredor Transcarioca,com serviço expresso e parador, será implantada em elevado, ao lado da atualestação ferroviária, porém com seção transversal diferenciada, (com largura entrepistas de 7m, conforme indicado na Figura 3.2-24), de modo a permitir aimplantação da plataforma e acessos com capacidade para atender à altademanda de passageiros prevista no local. O viaduto prossegue até alcançar aestação Mercadão do Corredor Transcarioca, cuja seção transversal tambémelevada, pode ser vista na Figura 3.2-25, e localizada próximo à estaçãoferroviária de mesmo nome. Esse trecho pode ser observado em detalhes naspranchas T5-23-0024-DE-R0 e T5-23-0025-DE-R0 (Anexo 3.2-2). Nessa área, o traçado do Corredor Transcarioca passa a sofrer ainterferência de alguns projetos da prefeitura, visando à melhoria do sistemaviário. O primeiro deles é o Rio Cidade Conselheiro Galvão que prevêreurbanização e modificações viárias no entorno da Praça Magno. O CorredorTranscarioca se adéqua perfeitamente às alterações previstas, sem qualquerconflito. Outro projeto interferente é o da ligação das ruas Andrade Figueira eBezerra de Menezes. Trata-se de uma alternativa que visa desafogar o tráfego daAv. Edgar Romero, entre a Praça Magno e o Largo de Vaz Lobo. O objetivo daaludida ligação é de dar continuidade ao tráfego que vem do Viaduto Negrão deLima na direção de Vaz Lobo, mas que se vê forçado atualmente a retornar à Av.Edgar Romero, na altura da Rua Pereira da Costa. Este projeto tem estreito Revisão 00 Pág. Junho de 2010 43/ 130
  44. 44. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentorelacionamento com o projeto da Ligação Madureira Cavalcanti, através de túnelsob o Morro da Serrinha. Logo após a estação, o Corredor Transcarioca inflete à direita e se alinha aoeixo da Avenida Ministro Edgar Romero, por onde prossegue. Pág. Revisão 00 44/ 130 Junho de 2010
  45. 45. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-23: Seções transversais do viaduto Madureira. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 45/ 130
  46. 46. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Figura 3.2-24: Seção transversal da estação elevada Madureira. Figura 3.2-25: Seção transversal da estação elevada Mercadão.3.2.2.10 - Subtrecho da Avenida Ministro Edgar Romero No trecho inicial do Corredor Transcarioca na Av. Ministro Edgar Romero,prevê-se uma passagem de pedestres nas proximidades do Mercadão e outra naaltura da Rua Pereira da Costa, ambos pontos de muito movimento. Ao tráfego deveículos que provém dessa última rua será facultada a conversão à esquerda naRua Edgar Romero, embora esse fluxo seja de menor importância, quandocomparado com o que converge à direita nesse ponto, conforme mostrado naprancha T5-23-0026-DE-R0 (Anexo 3.2-2). Antes da primeira curva, que inflete à direita, localiza-se a Estação Otaviano,projetada para serviço de ônibus paradores. Na altura dessa estação, estáprevisto alargamento à direita do traçado, com a desapropriação de algunsimóveis, de forma a se criarem três faixas de tráfego destinadas à conversão àesquerda, para os veículos que desejarem acessar a Rua Leopoldino Oliveira oufazer o retorno pela própria Rua Edgar Romero, e que hoje se utilizam de faixa deespera situada entre os fluxos de sentidos opostos (Figura 3.2-26). Dadas as Pág. Revisão 00 46/ 130 Junho de 2010
  47. 47. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentocondições geométricas favoráveis, nesse ponto poderá ser feito o retorno dosônibus do Corredor Transcarioca que, provenientes da Barra, só operem atéMadureira, quando e se a Operação do Sistema assim julgar conveniente. Logo após a Estação Otaviano, porém no sentido oposto, isto é Penha-Barra,estão configuradas duas situações para as pistas de conversão à esquerda. Aprimeira, para o sistema viário como ele é hoje e, a segunda, para quandoestiverem implantadas as ligações Andrade Figueira/Bezerra de Menezes eMadureira/Cavalcanti. Para a situação atual, a conversão à esquerda se fará pelaRua Dr. Joviniano e, no futuro, pela Rua Operário Sadock de Sá. As situaçõesdescritas podem ser visualizadas na prancha T5-23-0026-DE-R0 (Anexo 3.2-2).Está prevista, ainda, para a situação futura, a possibilidade de conversão àesquerda na Edgar Romero para os veículos procedentes da Rua Mano Décio daViola, que escoará o tráfego originário de Cavalcanti. Para os veículos provenientes das áreas adjacentes, que desejarem se dirigirà Rua Edgar Romero, no sentido de Madureira, está prevista abertura paraconversão à esquerda na altura da Rua Compositor Silas de Oliveira. A estaçãoseguinte do Corredor Transcarioca, denominada Vila Queiroz e cuja seçãotransversal é apresentada na Figura 3.2-27, foi concebida para operação deônibus paradores, e está localizada imediatamente antes da curva à esquerdaque, nesse ponto, faz a Av. Ministro Edgar Romero, conforme mostrado naprancha T5-23-0027-DE-R0 do Anexo 3.2-2. No trecho seguinte, compreendido entre as estações Vila Queiroz e VazLobo, foi prevista conversão à esquerda para a Rua Lima Drumond, a serefetuada por meio de pista à direita acessando a Rua Ramiro Monteiro ecruzando a Av. Edgar Romero em interseção semaforizada, principalmente paraatender ao tráfego proveniente da av. Monsenhor Félix, conforme ilustrado naspranchas T5-23-0027-DE-R0 e T5-23-0028-DE-R0 do Anexo 3.2-2 . Revisão 00 Pág. Junho de 2010 47/ 130
  48. 48. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-26: Seções transversais da estação Otaviano.Figura 3.2-27: Seção transversal da estação Vila Queiroz. Pág. Revisão 00 48/ 130 Junho de 2010
  49. 49. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2.2.11 - Subtrecho da Estrada Vicente de Carvalho Este subtrecho tem início na acentuada curva à direita que o traçadoexperimenta no Largo de Vaz Lobo que, inclusive, determinou a necessidade deremanejamento do sistema viário com vistas a melhorar as condiçõesgeométricas do acesso à Estrada Vicente de Carvalho e de ordenar os fluxos detráfego na interseção desta última com as Avenidas Edgar Romero e MonsenhorFélix. Para as melhorias desejadas, foi necessário desviar o traçado do CorredorTranscarioca para a direita e, em consequência, atingir alguns imóveis de baixopadrão construtivo, que terão de ser desapropriados. Em contrapartida, areurbanização proposta trará grandes benefícios para esta área que terá seuspadrões operacionais e estéticos francamente melhorados. A Estação Vaz Lobo (Figura 3.2-28), prevista para operar exclusivamenteônibus paradores, localiza-se logo após a referida curva, de onde o traçado doCorredor Transcarioca prossegue pela Estrada Vicente de Carvalho até a estaçãoMarambaia (Figura 3.2-29), configurando um trecho sem maiores interferências,além de uma abertura para conversão à esquerda para o movimento Rua Bezerrade Menezes-Av. Vicente de Carvalho (com sentido Madureira), cuja importânciaserá incrementada quando se implantar sua ligação com a Rua Andrade Figueira.Este trecho pode ser visto na prancha T5-23-0028-DE-R0 do Anexo 3.2-2. De Marambaia, que operará serviço de ônibus paradores, o CorredorTranscarioca prossegue, acompanhando o eixo do mesmo logradouro pelo qualvinha se desenvolvendo, até a Estação de Vicente de Carvalho, onde iráencontrar a Linha 2 de Metrô. O projeto prevê a transposição do Metrô através deviaduto para uso exclusivo do Corredor Transcarioca, conforme ilustrado pelasseções transversais da Figura 3.2-30. Sobre o viaduto será construída a estaçãoelevada de Vicente de Carvalho (Figura 3.2-31), que comportará serviço deônibus expressos e paradores. As características deste trecho são mostradas naspranchas T5-23-0028-DE-R0 e T5-23-0029-DE-R0, no Anexo 3.2-2. A integraçãode passageiros com o tráfego metroviário e com os ônibus comuns se faráatravés de passarelas especialmente concebidas para esse fim. Os estudos para cruzar a linha do Metrô mediante passagem inferior,desejável por razões estéticas e funcionais, foram frustrados, pois se baseavam Revisão 00 Pág. Junho de 2010 49/ 130
  50. 50. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentona suposição de que fosse possível passar sob as duas pistas da Av. AutomóvelClube através de rampas com sentido único de caimento e com a estação sesituando no segmento de rampa suave (da ordem de 0,3%). Nessa eventualidade,estariam resolvidos os problemas de drenagem, pois a transposição se faria sema criação de pontos baixos (áreas potencialmente inundáveis) e,consequentemente, sem a necessidade de onerosos sistemas de drenagem porbombeamento. Pág. Revisão 00 50/ 130 Junho de 2010
  51. 51. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-28: Seção transversal da estação Vaz Lobo.Figura 3.2-29: Seção transversal da estação Marambaia. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 51/ 130
  52. 52. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-30: Seções transversais do viaduto para transposição do Metrô. Pág. Revisão 00 52/ 130 Junho de 2010
  53. 53. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento Figura 3.2-31: Seção transversal da estação elevada Vicente de Carvalho. Essa perspectiva se mostrou impraticável devido à existência de noveadutoras da CEDAE, que correm no sentido da Av. Automóvel Clube, sendo seisdo Sistema Acari e três do Sistema de Ribeirão das Lajes. É necessárioconsiderar ainda que as hipóteses de passagem inferior, quaisquer que elassejam, não dispensam a construção de uma obra de arte especial sobre a qualpassariam as duas pistas da Av. Automóvel Clube e a Linha 2 do Metrô. No trecho entre as estações de Marambaia e Vicente de Carvalho, assinala-se apenas a existência de dois cruzamentos semaforizados, situados nas ruasCambuci do Vale e César Muzio, destinados a facilitar o acesso do tráfegocomum às passagens inferiores situadas sob a linha do Metrô, no prolongamentoda rua Eng. Mário de Carvalho para o tráfego com sentido Madureira-Penha eLuisa de Carvalho para o sentido oposto (T5-23-0029-DE-R0, Anexo 3.2-2). Logo após a transposição da linha 2, o Corredor Transcarioca retoma aEstrada Vicente de Carvalho e inflete à esquerda, margeando o estacionamentodo Hipermercado Carrefour, que se situa de seu lado direito. Pouco adiante, dolado esquerdo, localiza-se o Shopping Centro Carioca, importante equipamentocomercial do bairro, cuja entrada principal fica na Av. Meriti, que o CorredorTranscarioca vai interceptar na rótula formada pela Praça Aquidauana (T5-23-0030-DE-R0, Anexo 3.2-2). Esta praça dá nome à próxima estação de ônibusparadores (Figura 3.2-32), situada logo após a referida interseção. No tramo seguinte, em linha reta, há apenas a assinalar as aberturas paraconversão à esquerda do tráfego provindo das Ruas Soldado Severino e AntônioBraune, uma de cada lado do Corredor Transcarioca. Esta última, já nas Revisão 00 Pág. Junho de 2010 53/ 130
  54. 54. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimentoproximidades da Estação Lafaiete (Figura 3.2-33), prevista para operar apenasserviço de ônibus paradores (T5-23-0031-DE-R0, Anexo 3.2-2). Pouco além, depois de curvatura à esquerda, situa-se a interseção com aRua Ápia através de rótula que forma a Praça Marco Aurélio (T5-23-0032-DE-R0,Anexo 3.2-2). Mais adiante, a pouca distância dessa última praça, existe previsãode interseção tipo diamante, em dois níveis, em que a passagem superior seráfeita pela Via Light, a ser construída em terrenos de servidão dessaconcessionária, cuja faixa de domínio está preservada de edificações. Serãonecessários ajustes nessa interseção, tendo em vista o alargamento da Av.Vicente de Carvalho para inserção do Corredor do Transcarioca. Prosseguindo, foi prevista abertura para conversão à esquerda em frente àRua Simão de Vasconcelos, junto à Estação de ônibus paradores Pedro Taques(Figura 3.2-34). Essa conversão permitirá também a travessia protegida depedestres que acessam a referida estação, utilizando a mesma fase de sinal.Adiante desse ponto, finda a Estrada Vicente de Carvalho e o CorredorTranscarioca passa a seguir o traçado da Estrada Braz de Pina. Pág. Revisão 00 54/ 130 Junho de 2010
  55. 55. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-32: Seção transversal da estação Aquidauana.Figura 3.2-33: Seção transversal da estação Lafaiete.Figura 3.2-34: Seção transversal da estação Pedro Taques. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 55/ 130
  56. 56. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do Empreendimento3.2.2.12 - Subtrecho da Avenida Braz de Pina O encontro da Estrada Vicente de Carvalho com a Avenida Braz de Pina sedá na Praça do Carmo, onde está prevista abertura para entrada à esquerda dosveículos provenientes da Estrada Braz de Pina que queiram prosseguir nesta, emdireção à Penha, cruzando o Corredor Transcarioca por meio de interseçãosemaforizada. A Praça do Carmo dá nome à próxima estação do Corredor Transcariocaonde serão operados apenas ônibus paradores, situada logo após oentroncamento da Estrada Vicente de Carvalho com a Avenida Braz de Pina, ecuja seção é apresentada na Figura 3.2-35. Tendo em vista o substancial aumento no volume de tráfego em decorrênciada junção dos fluxos provenientes da Estrada Vicente de Carvalho e da Av. Brazde Pina, com sentido à Penha e Vila da Penha, dotou-se a pista correspondente aesse sentido com três faixas de tráfego, conforme ilustrado na prancha T5-23-0033-DE-R0, Anexo 3.2-2. Tal modificação, apesar de implicar em largura dedesapropriação maior que a prevista no Projeto de Alinhamento, terá poucadesapropriação adicional. Pág. Revisão 00 56/ 130 Junho de 2010
  57. 57. Relatório Ambiental Simplificado do Corredor Transcarioca 3 - Caracterização do EmpreendimentoFigura 3.2-35: Seção transversal da estação Praça do Carmo. Revisão 00 Pág. Junho de 2010 57/ 130

×