SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 48
Baixar para ler offline
Plano Diretor de
Desenvolvimento Integrado da
Região Metropolitana do Vale do
Aço
Dados do Diagnóstico do Eixo Meio
Ambiente, Recursos Hídricos e
Saneamento
Percentual de cobertura dos serviços de abastecimento
de água na RMVA
Consumo de água per capita (litros/habitante.dia)
Caracterização
das unidades de
produção de água
potável adotadas
pela COPASA na
RMVA
Unidade Região Atendida Tipo de captação
Vazão de produção
(L/s)
Amaro Lanari
Ipatinga e parte das cidades de Coronel
Fabriciano, Timóteo e Santana do
Paraíso
Poços profundos 825
Mangueiras
Atende ao sistema de Coronel
Fabriciano
Poços profundos 306
Cachoeira do Vale
Atende a região do Cachoeira do Vale,
em Timóteo
Poços profundos 23
Santa Terezinha Atende ao sistema de Timóteo Poços profundos 215
Macuco Atende ao bairro Macuco, em Timóteo Poços profundos 7
Principal
Atende aos bairros Oliveira, Alto
Santana, Chácaras Paraíso, São José,
Centro, Josefino Anício, Veraneio, São
Francisco e Vale do Paraíso II, em
Santana do Paraíso
Superficial 16,7
Minas Caixa
Residencial Paraíso, Vale do Paraíso I,
em Santana do Paraíso
Superficial 6
Industrial
Atende ao sistema do bairro Industrial,
em Santana do Paraíso
Poço profundo 11,4
Parque Caravelas
Atende ao bairro Parque Caravelas, em
Santana do Paraíso
Poço profundo 2,6
Ipaba do Paraíso
Atende o distrito de Ipaba do Paraíso,
em Santana do Paraíso.
Poço profundo 2,2
Total da RMVA 1.414,9
Distribuição da produção de água potável no
território da região
Percentual da reservação de água disponível, frente ao
percentual da população atendida pelos serviços de
abastecimento na RMVA
Percentual de perda de água no sistema de abastecimento da
RMVA
Locação das unidades do sistema de abastecimento de água
frente a RMVA expandida
Locação das unidades do sistema de abastecimento de água da
RMVA e de chacreamentos clandestinos no colar metropolitano
Percentual de atendimento dos serviços de esgotamento
sanitário na RMVA, considerando-se as economias em área
urbana conectadas a rede coletora
*Como a COPASA assumiu recentemente o sistema de Timóteo, ela ainda não possui
dados operacionais consistentes desse sistema
Caracterização das estações de tratamento de esgoto em
operação na região
Estação de
Tratamento
Capacidade de
tratamento (l/s)
Vazão
Efetivamente
tratada (l/s)
Eficiência de
Remoção de DBO
(%)
Corpo Receptor
Areal 33 12,6 85,4 Rio Piracicaba
Bela Vista 22 4 84,1 Rio Piracicaba
Horto 22 6,6 80,8 Rio Piracicaba
Ipanema 500 390 67,8 Rio Doce
Total 577 413,2 - -
Características do sistema de coleta de esgoto na RMVA
Parâmetro Sede de Ipatinga Sede de Coronel Fabriciano
Sede de Santana do
Paraíso
Extensão de rede
coletora (m)
337.734 121.360 57.506
Número de
ligações prediais
68.614 26.784 7.553
Número de
economias
atendidas
88.760 30.075 8.810
População
atendida pelo
sistema coletor
(hab.)
293.097 115.392 32.965
Unidades do sistema de esgotamento sanitário já implantadas
nas cidades de Ipatinga e Coronel Fabriciano e o sistema
projetado para Santana do Paraíso
Variação da Demanda Química de Oxigênio (DQO) e Demanda
Bioquímica de Oxigênio (DBO), na água dos rios Doce e
Piracicaba
Variação da concentração de Fósforo Total e Nitrogênio, na água
dos rios Doce e Piracicaba
Variação da turbidez na água dos rios Doce e Piracicaba
Percentual de cobertura dos serviços de coleta regular dos
resíduos sólidos nas cidades da RMVA
Produção de resíduos sólidos na RMVA
Municípios População total
Cobertura dos serviços
de coleta em relação à
população total
Quantidade de
resíduos coletada
Geração per
capita
(kg/habxdia)
Coronel Fabriciano 103.694 98% 50 ton/dia 0,49
Ipatinga 239.468 100% 167 ton/dia 0,70
Santana do Paraíso 27.265 96% 11,6 ton/dia 0,44
Timóteo 81.243 100% 40 ton/dia 0,49
TOTAL / MÉDIA 451.670 98,5% 268,6 ton/dia 0,60
Produção per capita de resíduos sólidos na RMVA
0,000
0,100
0,200
0,300
0,400
0,500
0,600
0,700
0,800
Coronel Fabriciano Ipatinga Santana do Paraíso Timóteo
Geração per capita de resíduos na RMVA (Kg/habxdia)
Faixa média de geração per capita no Brasil (Kg/habxdia)
Composição
gravimétrica dos
resíduos sólidos
na RMVA e no Brasil
Cenário da disposição final dos resíduos sólidos urbanos na
RMVA e no Colar Metropolitano
29%
25%
21%
17%
8%
Usina de Triagem e
Compostagem
Lixão
Aterro Sanitário
Aterro Controlado
Aterro Sanitário de
Pequeno Porte
Caracterização da situação da disposição final dos resíduos
sólidos urbanos no Colar Metropolitano
Municípios População (IBGE, 2010) Produção de RSU (t/dia) Situação
Açucena 10.276 4,8 Aterro Sanitário de Pequeno Porte
Antônio Dias 9.565 2,5 Aterro Sanitário
Belo Oriente 23.397 11,5 Aterro Sanitário
Bom Jesus do Galho 15.364 4,5 Lixão
Braúnas 5.030 1,0 Aterro Controlado
Bugre 3.992 1,4 Aterro Sanitário de Pequeno Porte
Caratinga 85.239 38,0 Aterro Sanitário
Córrego Novo 3.127 0,3 Usina de Triagem e Compostagem
Dionísio 8.739 4,5 Usina de Triagem e Compostagem
Dom Cavati 5.209 2,0 Aterro Sanitário
Entre Folhas 5.175 1,5 Lixão
Iapu 10.315 3,5 Aterro Controlado
Ipaba 16.708 7,0 Aterro Sanitário
Jaguaraçu 2.990 1,5 Usina de Triagem e Compostagem
Joanésia 5.425 1,5 Aterro Controlado
Marliéria 4.012 1,8 Aterro Sanitário
Mesquita 6.069 2,0 Lixão
Naque 6.341 3,0 Aterro Controlado
Periquito 7.036 5,0 Usina de Triagem e Compostagem
Pingo D'Água 4.420 1,6 Usina de Triagem e Compostagem
São João do Oriente 7.874 3,0 Lixão
São José do Goiabal 5.636 2,0 Usina de Triagem e Compostagem
Sobrália 5.830 1,5 Usina de Triagem e Compostagem
Vargem Alegre 6.461 3,0 Lixão
Disposição final de resíduos sólidos urbanos na Central de
Resíduos do Vale do Aço
Locação das áreas degradadas pela disposição final de resíduos
sólidos urbanos na RMVA e no Colar Metropolitano
Locação de áreas de disposição final de resíduos da construção
civil cadastradas pelas prefeituras da RMVA
Unidades de Conservação de Uso Sustentável e de Proteção
Integral existentes na RMVA e Colar Metropolitano
Fonte: AUTOR, 2013.
Uso do solo da RMVA e Colar Metropolitano
Fonte: AUTOR, 2014.
Locação dos Chacreamentos presentes na Zona de
Amortecimento do Parque Estadual do Rio Doce e Unidades
de Conservação
Fonte: AUTOR, 2014.
Áreas prioritárias para a preservação da biodiversidade e
registros da fauna ameaçada de extinção em Unidades de
Conservação da RMVA e Colar Metropolitano
Fonte: AUTOR, 2014.
Município Área do Município (ha) Total Natural Remanescentes (%)
Santana do Paraíso 27.513 ha 1.022,00 4%
Ipatinga 126.468 ha 600,00 4%
Coronel Fabriciano 22.174 ha 788,00 4%
Timóteo 14.603 ha 6.297,00 43%
Caracterização dos Remanescentes de Mata Atlântica na
RMVA
Fonte: Fundação SOS Mata Atlântica – período 2011-2012. São Paulo, 2013.
Fonte: Fundação João Pinheiro, 2013.
Repasse de ICMS Ecológico referente às Unidades de
Conservação da RMVA - ano base 2013
Santana do Paraíso Timóteo Ipatinga Coronel Fabriciano
201.607,08
1.046.740,75
5.896,29 0
Cidades RMVA
ValoremReal(R$)
ICMS Ecológico – UC - Janeiro a Dezembro 2013
ICMS UC 2013
Caracterização do Patrimônio Cultural da RMVA – Rerf. 2014
Fonte: IEPHA - Relação de Bens Protegidos em Minas Gerais apresentados ao ICMS Patrimônio
Cultural até o ano de 2013 – exercício 2014.
Município Bem Cultural Tombado Categoria
Santana do Paraíso
Árvore da Gameleira BI
Casarão do Ipaba BI
Igreja Matriz de Santana do Paraíso BI
Conjunto Paisagístico Trilha dos Escravos CP
Coronel Fabriciano
Capela São José - Igreja do Cocais de Cima BI
Igreja de N. Sra. da Vitória - Cocais de Baixo BI
Capela N. Sra. da Vitória BI
Ipatinga
Igreja São Vicente de Paula - Ipaneminha BI
Igreja do Barra Alegre BI
Ruínas da Primeira Estação Ferroviária - Estação Pedra Mole BI
Sede do Clube Dançante N. Srª do Rosário - Congado Ipaneminha BI
Timóteo
Chafariz e Olho d'Água Biquinha BI
Parque do Rio Doce CP
Distribuição dos municípios da RMVA e colar
por sub-bacia rio Doce
Inserção dos Municípios da RMVA na Sub-bacia
do Rio Piracicaba
Cidade Curso d'água
Áreade
drenagem
(km²)
Núcleo
Ribeirão Caladinho 9 Urbano
Ribeirão Caladão 53 Urbano
Ribeirão Cocais Pequeno 129 Rural
Ipatinga Ribeirão Ipanema 150 Urbano e Rural
Santana do Paraíso Ribeirão Achado 120 Urbano e Rural
Ribeirão Belém 190 Rural
Ribeirão Timotinho 39 Urbano
Cel. Fabriciano
Timóteo
Características dos cursos d´água que banham os
municípios da RMVA
Bacias Hidrográficas RMVA
Percentual da vazão mínima outorgada nos cursos d´água da RMVA
por tipo de uso
Locação dos pontos de inundação na RMVA
Áreas Inundáveis frente ao Adensamento Populacional na RMVA
Áreas Inundáveis frente às Unidades Municipais de
Planejamento, Zonas Industriais e APP de Curso d'água
Áreas Inundáveis frente às Unidades Municipais de
Planejamento, Equipamentos de Recreação e Lazer
Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /Média de 2011
Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /Média de 2012
Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /
Primeiro Trimestre de 2013
Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /
Segundo Trimestre de 2013
Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /Terceiro Trimestre de
2013
Variação do Índice de Qualidade da Água (IQA) e de
Contaminantes Tóxicos (CT) para os pontos de monitoramento
na bacia do rio Piracicaba dentro da RMVA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...
Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...
Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...Amar Jardim Oceânico
 
Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...
Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...
Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...Arlindo Pereira
 
Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012
Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012
Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012Arlindo Pereira
 
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetosManoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetosJornal GGN
 
Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010
Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010
Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010Arlindo Pereira
 
Plano Cicloviário de Natal atualizado
Plano Cicloviário de Natal atualizadoPlano Cicloviário de Natal atualizado
Plano Cicloviário de Natal atualizadoPrefeitura do Natal
 
TFG_OPERA PRIMA_FINAL
TFG_OPERA PRIMA_FINALTFG_OPERA PRIMA_FINAL
TFG_OPERA PRIMA_FINALLuiza Maciel
 
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...Amar Jardim Oceânico
 
19 slids soluções logística de mobilidade urbana para fortaleza
19 slids  soluções logística  de  mobilidade urbana para fortaleza19 slids  soluções logística  de  mobilidade urbana para fortaleza
19 slids soluções logística de mobilidade urbana para fortalezadelano chaves gurgel do amaral
 
Apresentação ciclofaixas 13_julho_3
Apresentação ciclofaixas 13_julho_3Apresentação ciclofaixas 13_julho_3
Apresentação ciclofaixas 13_julho_3Roberta Soares
 
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São PauloRoberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São PauloJornal GGN
 
Infraestrutura de Transporte no Município de Parauapebas
Infraestrutura de Transporte no Município de ParauapebasInfraestrutura de Transporte no Município de Parauapebas
Infraestrutura de Transporte no Município de ParauapebasAdilson P Motta Motta
 

Mais procurados (20)

Brt Av. Brasil GERJ-BID
Brt Av. Brasil GERJ-BIDBrt Av. Brasil GERJ-BID
Brt Av. Brasil GERJ-BID
 
Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...
Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...
Projeto do Anel de Alta Performance do Transporte Público é apresentado na AD...
 
Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...
Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...
Carlos Osório - Linha 2 Estácio - Carioca - Praça XV - 01/12/2015 Clube de En...
 
Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012
Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012
Apresentação Por Dentro do MetrôRio 2012
 
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetosManoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
 
Mobilidade e acessibilidade - 13/09/2012
Mobilidade e acessibilidade - 13/09/2012Mobilidade e acessibilidade - 13/09/2012
Mobilidade e acessibilidade - 13/09/2012
 
Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010
Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010
Apresentação Por Dentro do Metrô Rio Twitter 2010
 
Plano cicloviário de Natal
Plano cicloviário de NatalPlano cicloviário de Natal
Plano cicloviário de Natal
 
Plano Cicloviário de Natal atualizado
Plano Cicloviário de Natal atualizadoPlano Cicloviário de Natal atualizado
Plano Cicloviário de Natal atualizado
 
Pmit 04-08-2013
Pmit 04-08-2013Pmit 04-08-2013
Pmit 04-08-2013
 
JOAQUIM CAVALHEIRO - Presidente da Autoridade Metropolitana de Transportes do...
JOAQUIM CAVALHEIRO - Presidente da Autoridade Metropolitana de Transportes do...JOAQUIM CAVALHEIRO - Presidente da Autoridade Metropolitana de Transportes do...
JOAQUIM CAVALHEIRO - Presidente da Autoridade Metropolitana de Transportes do...
 
TFG_OPERA PRIMA_FINAL
TFG_OPERA PRIMA_FINALTFG_OPERA PRIMA_FINAL
TFG_OPERA PRIMA_FINAL
 
Proposta Ribeirao pires
Proposta Ribeirao piresProposta Ribeirao pires
Proposta Ribeirao pires
 
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
Seminário Alerj - Cidades Inteligentes e SIT - Apresentacao Julio Lopes - Sec...
 
19 slids soluções logística de mobilidade urbana para fortaleza
19 slids  soluções logística  de  mobilidade urbana para fortaleza19 slids  soluções logística  de  mobilidade urbana para fortaleza
19 slids soluções logística de mobilidade urbana para fortaleza
 
Apresentação ciclofaixas 13_julho_3
Apresentação ciclofaixas 13_julho_3Apresentação ciclofaixas 13_julho_3
Apresentação ciclofaixas 13_julho_3
 
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São PauloRoberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
 
Trens Regionais
Trens RegionaisTrens Regionais
Trens Regionais
 
Infraestrutura de Transporte no Município de Parauapebas
Infraestrutura de Transporte no Município de ParauapebasInfraestrutura de Transporte no Município de Parauapebas
Infraestrutura de Transporte no Município de Parauapebas
 
1
11
1
 

Semelhante a Plano Diretor da Região Metropolitana do Vale do Aço trata recursos hídricos e saneamento

Plano Municipal de Saneamento Final
Plano Municipal de Saneamento   FinalPlano Municipal de Saneamento   Final
Plano Municipal de Saneamento FinalGustavo Cherubine
 
Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana
Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana
Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana PauloSergioGomes7
 
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...FecomercioSP
 
Compesa - Projetos
Compesa - ProjetosCompesa - Projetos
Compesa - ProjetosJamildo Melo
 
Cbh Paso / Bahia
Cbh Paso / BahiaCbh Paso / Bahia
Cbh Paso / Bahiacbhsf
 
PDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e Contexto
PDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e ContextoPDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e Contexto
PDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e ContextoCBH Rio das Velhas
 
Despoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito Braga
Despoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito BragaDespoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito Braga
Despoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito BragaFundação Fernando Henrique Cardoso
 
Anexo III - Proposta Produtor de Água
Anexo III - Proposta Produtor de Água Anexo III - Proposta Produtor de Água
Anexo III - Proposta Produtor de Água CBH Rio das Velhas
 
Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)
Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)
Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)Fluxus Design Ecológico
 
Palestra Crea 17.09.08 Eduardo Ribeiro
Palestra Crea   17.09.08   Eduardo RibeiroPalestra Crea   17.09.08   Eduardo Ribeiro
Palestra Crea 17.09.08 Eduardo Ribeirocoldplay
 
Cobran cobrança pelo uso da a pelo uso da água
Cobran cobrança pelo uso da a pelo uso da águaCobran cobrança pelo uso da a pelo uso da água
Cobran cobrança pelo uso da a pelo uso da águaJupira Silva
 
Reúso de Efluentes: o futuro da água
Reúso de Efluentes: o futuro da águaReúso de Efluentes: o futuro da água
Reúso de Efluentes: o futuro da águaFernando S. Marcato
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiaNilton Goulart
 
Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani
Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani
Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani Instituto-5elementos
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCsamaerne
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCclaudinor
 
Apresentacao cbh rio das velhas
Apresentacao cbh rio das velhasApresentacao cbh rio das velhas
Apresentacao cbh rio das velhasCBH Rio das Velhas
 

Semelhante a Plano Diretor da Região Metropolitana do Vale do Aço trata recursos hídricos e saneamento (20)

Plano Municipal de Saneamento Final
Plano Municipal de Saneamento   FinalPlano Municipal de Saneamento   Final
Plano Municipal de Saneamento Final
 
Apresentação Copasa
Apresentação CopasaApresentação Copasa
Apresentação Copasa
 
Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana
Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana
Relatório Técnico em Defesa do Rio Santana
 
Ppt peixe vivo
Ppt peixe vivoPpt peixe vivo
Ppt peixe vivo
 
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
Seminário Prevenção e Gestão de Risco em Épocas de Chuva, 15/02/2011 - Aprese...
 
Compesa - Projetos
Compesa - ProjetosCompesa - Projetos
Compesa - Projetos
 
Cbh Paso / Bahia
Cbh Paso / BahiaCbh Paso / Bahia
Cbh Paso / Bahia
 
PDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e Contexto
PDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e ContextoPDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e Contexto
PDRH CBH RIO DAS VELHAS - PROGRAMA DE AÇÕES: Introdução e Contexto
 
Despoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito Braga
Despoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito BragaDespoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito Braga
Despoluição do Pinheiros: o que pode significar para a cidade? - Benedito Braga
 
Anexo III - Proposta Produtor de Água
Anexo III - Proposta Produtor de Água Anexo III - Proposta Produtor de Água
Anexo III - Proposta Produtor de Água
 
Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)
Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)
Palestra aberta oferecida na Faculdade de Medicina da USP (São Paulo)
 
Palestra Crea 17.09.08 Eduardo Ribeiro
Palestra Crea   17.09.08   Eduardo RibeiroPalestra Crea   17.09.08   Eduardo Ribeiro
Palestra Crea 17.09.08 Eduardo Ribeiro
 
Cobran cobrança pelo uso da a pelo uso da água
Cobran cobrança pelo uso da a pelo uso da águaCobran cobrança pelo uso da a pelo uso da água
Cobran cobrança pelo uso da a pelo uso da água
 
Reúso de Efluentes: o futuro da água
Reúso de Efluentes: o futuro da águaReúso de Efluentes: o futuro da água
Reúso de Efluentes: o futuro da água
 
Fernando marcato final
Fernando marcato finalFernando marcato final
Fernando marcato final
 
recursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografiarecursos hídricos, geografia
recursos hídricos, geografia
 
Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani
Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani
Os Pleitos da Plataforma - Márcio Stanziani
 
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BASICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SCPLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
PLANO DE SANEAMENTO BÁSICO DE RIO NEGRINHO - SC
 
Apresentacao cbh rio das velhas
Apresentacao cbh rio das velhasApresentacao cbh rio das velhas
Apresentacao cbh rio das velhas
 

Mais de PDDI RMVA

Minuta de Propostas de Desenvolvimento Social e Econômico
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Social e EconômicoMinuta de Propostas de Desenvolvimento Social e Econômico
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Social e EconômicoPDDI RMVA
 
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio AmbienteMinuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio AmbientePDDI RMVA
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento Econômico
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento EconômicoApresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento Econômico
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento EconômicoPDDI RMVA
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo Institucional
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo InstitucionalApresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo Institucional
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo InstitucionalPDDI RMVA
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento SocialApresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento SocialPDDI RMVA
 
Apresentação Desenvolvimento Econômico
Apresentação Desenvolvimento EconômicoApresentação Desenvolvimento Econômico
Apresentação Desenvolvimento EconômicoPDDI RMVA
 
Apresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio AmbienteApresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio AmbientePDDI RMVA
 
Apresentação Ordenamento Territorial
Apresentação Ordenamento TerritorialApresentação Ordenamento Territorial
Apresentação Ordenamento TerritorialPDDI RMVA
 
Apresentação Desenvolvimento Social
Apresentação Desenvolvimento SocialApresentação Desenvolvimento Social
Apresentação Desenvolvimento SocialPDDI RMVA
 

Mais de PDDI RMVA (9)

Minuta de Propostas de Desenvolvimento Social e Econômico
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Social e EconômicoMinuta de Propostas de Desenvolvimento Social e Econômico
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Social e Econômico
 
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio AmbienteMinuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente
Minuta de Propostas de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento Econômico
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento EconômicoApresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento Econômico
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Desenvolvimento Econômico
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo Institucional
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo InstitucionalApresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo Institucional
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Arranjo Institucional
 
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento SocialApresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
Apresentação do extrato do Diagnóstico - Eixo Desenvolvimento Social
 
Apresentação Desenvolvimento Econômico
Apresentação Desenvolvimento EconômicoApresentação Desenvolvimento Econômico
Apresentação Desenvolvimento Econômico
 
Apresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio AmbienteApresentação Meio Ambiente
Apresentação Meio Ambiente
 
Apresentação Ordenamento Territorial
Apresentação Ordenamento TerritorialApresentação Ordenamento Territorial
Apresentação Ordenamento Territorial
 
Apresentação Desenvolvimento Social
Apresentação Desenvolvimento SocialApresentação Desenvolvimento Social
Apresentação Desenvolvimento Social
 

Plano Diretor da Região Metropolitana do Vale do Aço trata recursos hídricos e saneamento

  • 1. Plano Diretor de Desenvolvimento Integrado da Região Metropolitana do Vale do Aço Dados do Diagnóstico do Eixo Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Saneamento
  • 2. Percentual de cobertura dos serviços de abastecimento de água na RMVA
  • 3. Consumo de água per capita (litros/habitante.dia)
  • 4. Caracterização das unidades de produção de água potável adotadas pela COPASA na RMVA Unidade Região Atendida Tipo de captação Vazão de produção (L/s) Amaro Lanari Ipatinga e parte das cidades de Coronel Fabriciano, Timóteo e Santana do Paraíso Poços profundos 825 Mangueiras Atende ao sistema de Coronel Fabriciano Poços profundos 306 Cachoeira do Vale Atende a região do Cachoeira do Vale, em Timóteo Poços profundos 23 Santa Terezinha Atende ao sistema de Timóteo Poços profundos 215 Macuco Atende ao bairro Macuco, em Timóteo Poços profundos 7 Principal Atende aos bairros Oliveira, Alto Santana, Chácaras Paraíso, São José, Centro, Josefino Anício, Veraneio, São Francisco e Vale do Paraíso II, em Santana do Paraíso Superficial 16,7 Minas Caixa Residencial Paraíso, Vale do Paraíso I, em Santana do Paraíso Superficial 6 Industrial Atende ao sistema do bairro Industrial, em Santana do Paraíso Poço profundo 11,4 Parque Caravelas Atende ao bairro Parque Caravelas, em Santana do Paraíso Poço profundo 2,6 Ipaba do Paraíso Atende o distrito de Ipaba do Paraíso, em Santana do Paraíso. Poço profundo 2,2 Total da RMVA 1.414,9
  • 5. Distribuição da produção de água potável no território da região
  • 6. Percentual da reservação de água disponível, frente ao percentual da população atendida pelos serviços de abastecimento na RMVA
  • 7. Percentual de perda de água no sistema de abastecimento da RMVA
  • 8.
  • 9. Locação das unidades do sistema de abastecimento de água frente a RMVA expandida
  • 10. Locação das unidades do sistema de abastecimento de água da RMVA e de chacreamentos clandestinos no colar metropolitano
  • 11. Percentual de atendimento dos serviços de esgotamento sanitário na RMVA, considerando-se as economias em área urbana conectadas a rede coletora *Como a COPASA assumiu recentemente o sistema de Timóteo, ela ainda não possui dados operacionais consistentes desse sistema
  • 12. Caracterização das estações de tratamento de esgoto em operação na região Estação de Tratamento Capacidade de tratamento (l/s) Vazão Efetivamente tratada (l/s) Eficiência de Remoção de DBO (%) Corpo Receptor Areal 33 12,6 85,4 Rio Piracicaba Bela Vista 22 4 84,1 Rio Piracicaba Horto 22 6,6 80,8 Rio Piracicaba Ipanema 500 390 67,8 Rio Doce Total 577 413,2 - -
  • 13. Características do sistema de coleta de esgoto na RMVA Parâmetro Sede de Ipatinga Sede de Coronel Fabriciano Sede de Santana do Paraíso Extensão de rede coletora (m) 337.734 121.360 57.506 Número de ligações prediais 68.614 26.784 7.553 Número de economias atendidas 88.760 30.075 8.810 População atendida pelo sistema coletor (hab.) 293.097 115.392 32.965
  • 14. Unidades do sistema de esgotamento sanitário já implantadas nas cidades de Ipatinga e Coronel Fabriciano e o sistema projetado para Santana do Paraíso
  • 15. Variação da Demanda Química de Oxigênio (DQO) e Demanda Bioquímica de Oxigênio (DBO), na água dos rios Doce e Piracicaba
  • 16. Variação da concentração de Fósforo Total e Nitrogênio, na água dos rios Doce e Piracicaba
  • 17. Variação da turbidez na água dos rios Doce e Piracicaba
  • 18. Percentual de cobertura dos serviços de coleta regular dos resíduos sólidos nas cidades da RMVA
  • 19. Produção de resíduos sólidos na RMVA Municípios População total Cobertura dos serviços de coleta em relação à população total Quantidade de resíduos coletada Geração per capita (kg/habxdia) Coronel Fabriciano 103.694 98% 50 ton/dia 0,49 Ipatinga 239.468 100% 167 ton/dia 0,70 Santana do Paraíso 27.265 96% 11,6 ton/dia 0,44 Timóteo 81.243 100% 40 ton/dia 0,49 TOTAL / MÉDIA 451.670 98,5% 268,6 ton/dia 0,60
  • 20. Produção per capita de resíduos sólidos na RMVA 0,000 0,100 0,200 0,300 0,400 0,500 0,600 0,700 0,800 Coronel Fabriciano Ipatinga Santana do Paraíso Timóteo Geração per capita de resíduos na RMVA (Kg/habxdia) Faixa média de geração per capita no Brasil (Kg/habxdia)
  • 22. Cenário da disposição final dos resíduos sólidos urbanos na RMVA e no Colar Metropolitano 29% 25% 21% 17% 8% Usina de Triagem e Compostagem Lixão Aterro Sanitário Aterro Controlado Aterro Sanitário de Pequeno Porte
  • 23. Caracterização da situação da disposição final dos resíduos sólidos urbanos no Colar Metropolitano Municípios População (IBGE, 2010) Produção de RSU (t/dia) Situação Açucena 10.276 4,8 Aterro Sanitário de Pequeno Porte Antônio Dias 9.565 2,5 Aterro Sanitário Belo Oriente 23.397 11,5 Aterro Sanitário Bom Jesus do Galho 15.364 4,5 Lixão Braúnas 5.030 1,0 Aterro Controlado Bugre 3.992 1,4 Aterro Sanitário de Pequeno Porte Caratinga 85.239 38,0 Aterro Sanitário Córrego Novo 3.127 0,3 Usina de Triagem e Compostagem Dionísio 8.739 4,5 Usina de Triagem e Compostagem Dom Cavati 5.209 2,0 Aterro Sanitário Entre Folhas 5.175 1,5 Lixão Iapu 10.315 3,5 Aterro Controlado Ipaba 16.708 7,0 Aterro Sanitário Jaguaraçu 2.990 1,5 Usina de Triagem e Compostagem Joanésia 5.425 1,5 Aterro Controlado Marliéria 4.012 1,8 Aterro Sanitário Mesquita 6.069 2,0 Lixão Naque 6.341 3,0 Aterro Controlado Periquito 7.036 5,0 Usina de Triagem e Compostagem Pingo D'Água 4.420 1,6 Usina de Triagem e Compostagem São João do Oriente 7.874 3,0 Lixão São José do Goiabal 5.636 2,0 Usina de Triagem e Compostagem Sobrália 5.830 1,5 Usina de Triagem e Compostagem Vargem Alegre 6.461 3,0 Lixão
  • 24. Disposição final de resíduos sólidos urbanos na Central de Resíduos do Vale do Aço
  • 25. Locação das áreas degradadas pela disposição final de resíduos sólidos urbanos na RMVA e no Colar Metropolitano
  • 26. Locação de áreas de disposição final de resíduos da construção civil cadastradas pelas prefeituras da RMVA
  • 27. Unidades de Conservação de Uso Sustentável e de Proteção Integral existentes na RMVA e Colar Metropolitano Fonte: AUTOR, 2013.
  • 28. Uso do solo da RMVA e Colar Metropolitano Fonte: AUTOR, 2014.
  • 29. Locação dos Chacreamentos presentes na Zona de Amortecimento do Parque Estadual do Rio Doce e Unidades de Conservação Fonte: AUTOR, 2014.
  • 30. Áreas prioritárias para a preservação da biodiversidade e registros da fauna ameaçada de extinção em Unidades de Conservação da RMVA e Colar Metropolitano Fonte: AUTOR, 2014.
  • 31. Município Área do Município (ha) Total Natural Remanescentes (%) Santana do Paraíso 27.513 ha 1.022,00 4% Ipatinga 126.468 ha 600,00 4% Coronel Fabriciano 22.174 ha 788,00 4% Timóteo 14.603 ha 6.297,00 43% Caracterização dos Remanescentes de Mata Atlântica na RMVA Fonte: Fundação SOS Mata Atlântica – período 2011-2012. São Paulo, 2013.
  • 32. Fonte: Fundação João Pinheiro, 2013. Repasse de ICMS Ecológico referente às Unidades de Conservação da RMVA - ano base 2013 Santana do Paraíso Timóteo Ipatinga Coronel Fabriciano 201.607,08 1.046.740,75 5.896,29 0 Cidades RMVA ValoremReal(R$) ICMS Ecológico – UC - Janeiro a Dezembro 2013 ICMS UC 2013
  • 33. Caracterização do Patrimônio Cultural da RMVA – Rerf. 2014 Fonte: IEPHA - Relação de Bens Protegidos em Minas Gerais apresentados ao ICMS Patrimônio Cultural até o ano de 2013 – exercício 2014. Município Bem Cultural Tombado Categoria Santana do Paraíso Árvore da Gameleira BI Casarão do Ipaba BI Igreja Matriz de Santana do Paraíso BI Conjunto Paisagístico Trilha dos Escravos CP Coronel Fabriciano Capela São José - Igreja do Cocais de Cima BI Igreja de N. Sra. da Vitória - Cocais de Baixo BI Capela N. Sra. da Vitória BI Ipatinga Igreja São Vicente de Paula - Ipaneminha BI Igreja do Barra Alegre BI Ruínas da Primeira Estação Ferroviária - Estação Pedra Mole BI Sede do Clube Dançante N. Srª do Rosário - Congado Ipaneminha BI Timóteo Chafariz e Olho d'Água Biquinha BI Parque do Rio Doce CP
  • 34. Distribuição dos municípios da RMVA e colar por sub-bacia rio Doce
  • 35. Inserção dos Municípios da RMVA na Sub-bacia do Rio Piracicaba
  • 36. Cidade Curso d'água Áreade drenagem (km²) Núcleo Ribeirão Caladinho 9 Urbano Ribeirão Caladão 53 Urbano Ribeirão Cocais Pequeno 129 Rural Ipatinga Ribeirão Ipanema 150 Urbano e Rural Santana do Paraíso Ribeirão Achado 120 Urbano e Rural Ribeirão Belém 190 Rural Ribeirão Timotinho 39 Urbano Cel. Fabriciano Timóteo Características dos cursos d´água que banham os municípios da RMVA
  • 38. Percentual da vazão mínima outorgada nos cursos d´água da RMVA por tipo de uso
  • 39. Locação dos pontos de inundação na RMVA
  • 40. Áreas Inundáveis frente ao Adensamento Populacional na RMVA
  • 41. Áreas Inundáveis frente às Unidades Municipais de Planejamento, Zonas Industriais e APP de Curso d'água
  • 42. Áreas Inundáveis frente às Unidades Municipais de Planejamento, Equipamentos de Recreação e Lazer
  • 43. Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /Média de 2011
  • 44. Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /Média de 2012
  • 45. Qualidade das Águas Superficiais na RMVA / Primeiro Trimestre de 2013
  • 46. Qualidade das Águas Superficiais na RMVA / Segundo Trimestre de 2013
  • 47. Qualidade das Águas Superficiais na RMVA /Terceiro Trimestre de 2013
  • 48. Variação do Índice de Qualidade da Água (IQA) e de Contaminantes Tóxicos (CT) para os pontos de monitoramento na bacia do rio Piracicaba dentro da RMVA