SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 35
Evangelho Escrito Figura Para Ênfase Característica
Mateus 60 d.C Rei Judeus Sermões Jesus Profética
Marcos 55 – 65 d.C Servo Romanos Milagres Prática
Lucas 60 – 63 d.C Filho do Homem Gregos Parábolas Histórica
João 80-95 d.C Filho de Deus Igreja Divindade Espiritual
Comparativo
Esta síntese é relacionada à
visão dos rostos descrita por
Ezequiel (Ezequiel 1.10)
Mateus Marcos Lucas João
 UM DOS DISCÚPULOS MAIS PRÓXIMOS DE JESUS “A
QUEM JESUS AMAVA” (JO 13:23; 19:26; 20:2; 21:7,20)
 ESCREVEU O EVANGELHO DE JOÃO
 I II E II JOÃO E APOCALIPSE
 ÚNICO APÓSTOLO QUE NÃO FOI MARTIRIZADO
 “E a Tiago, filho de Zebedeu, e a João, irmão de Tiago,
aos quais pôs o nome de Boanerges, que significa:
Filhos do trovão” (Marcos 3.17)
QUEM FOI JOÃO?
 “E aconteceu que, completando-se os dias para a sua
assunção, manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém. E
mandou mensageiros adiante de Si; e, indo eles, entraram
numa aldeia de samaritanos (2 Rs 17:24 mestiços Judeus e
Babilônios), para lhe prepararem pousada. Mas não o
receberam, porque o seu aspecto era como de quem ia a
Jerusalém (Judeus). E os seus discípulos, Tiago e João, vendo
isto, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo
do céu e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se,
porém, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito
sois.
Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos
homens, mas para salvá-las. E foram para outra aldeia” (Lucas
9.51-56).
Boanerges, filhos do trovão
Temperamento, personalidade e Caráter
 PRESENTE EM 3 IMPORTANTES OCASIÕES:
 - RESSURREIÇÃO DA FILHA DE JAIRO (MC 5:37)
 37 E não permitiu que alguém o seguisse, a não ser Pedro, Tiago, e João,
irmão de Tiago
 - TRANSFIGURAÇÃO (MC 9:2)
 2 E seis dias depois Jesus tomou consigo a Pedro, a Tiago, e a João, e os
levou sós, em particular, a um alto monte; e transfigurou-se diante deles;
 PERÍODO EM QUE JESUS ESTEVE NO GETSÊMANI (MC 14:33)
 33 E tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, e começou a ter pavor, e
a angustiar-se.
 Mencionado no Evangelho de João como “o discípulo a quem Jesus
amava” (Jo 13.23)
QUEM FOI JOÃO?
Definição:
• A palavra Evangelho deriva do grego, é
formada pela união de dois termos:
“ευ” – eu – que quer dizer “boa”
“αγγελια” – anguelia – que significa
“mensagem”, “nova”, “notícia”.
• Podemos definir a palavra Evangelho
como as Boas Novas, Boas Notícias.
Evangelhos (revisão)
O termo sinóptico é derivado do grego e quer dizer
“visão conjunta”. Ele é atribuído ao conjunto dos três
primeiros Evangelhos: Mateus, Marcos e Lucas,
justamente porque nestes livros há uma semelhança, ou
uma visão conjunta sobre os fatos históricos.
O Evangelho Segundo João não é incluso no sinóptico,
apesar de ser considerado um Evangelho, porque sua
abordagem é do ponto de vista divino de Jesus. João dá
mais ênfase ao Jesus divino que ao Jesus histórico,
como o fazem os sinópticos.
Sinóptico é um termo teológico, você não o encontrará
na Bíblia.
Evangelhos (Sinópticos)
Evangelhos (Comparação)
O Evangelho
1º - Escritos para toda a
humanidade,
2º - Anuncia as Boas Novas de
Cristo Jesus,
3º - Seu teor é mais histórico
que doutrinador.
As Epístolas
1º - Escritas para igrejas e
indivíduos,
2º - Apresentam soluções de
problemas, ou respostas à
dúvidas doutrinárias das
primeiras comunidades
cristãs,
3º - Seu teor é mais doutrinador
que histórico.
Os evangelhos foram escritos pelos discípulos do Senhor
Jesus.
Os nomes dos Evangelhos estão relacionados aos nomes
dos escritores que os escreveram.
Apenas dois, dentre os quatro escritores dos Evangelhos,
tiveram contato direto com o Senhor Jesus.
Mateus (Mt 9.9) e João (Jo 21.20-25).
Lucas (Cl 4.14). Aparece depois, junto ao Apóstolo Paulo
numa viagem missionária.
Marcos (Mc 14.50-52). Há quem acredite que ele seria aquele
moço que correra nu na noite que o Senhor fora traído (Mc
14.50-52).
Evangelhos (Jesus Cristo)
O 4º ser vivente é semelhante à águia quando voa
(animal dos ares).
O livro de João é considerado o Evangelho do Filho
de Deus.
Evangelho Apologético, escrito a fim de combater os
erros do
gnosticismo, quanto à divindade de Cristo.
Enfatiza a divindade de Jesus.
Tem característica espiritual
Evangelhos (Síntese de João)
Estes, porém, foram escritos para que creiais que
Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que,
crendo, tenhais vida em seu nome. (Jo 20:31)
Somente João fala do 1º ano de ministério (Cap.2 e 4),
relata os grandes ensinos (novo nascimento, água
viva, pão da vida, bom pastor, luz do mundo...) e
revela o propósito de Cristo na última ceia (Cap. 13 a
16).
Propósito (Evangelístico e
Apologético)
Tema:
“...No princípio (Gn 1.1 Bereshit) era o Verbo (Logos,
Palavra, Idéia, Sabedoria), e o Verbo estava com Deus (Gn
1:26 façamos), e o verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e
habitou entre nós...(Jo 1:1,14ª) (Fp 2:6-8)”
Data:
Escrito entre os anos de 80 e 95 d.C.
Pedro e Paulo já haviam morrido pelos idos de 67,68 d.C, as
Epístolas já estavam escritas, Jerusalém já havia sido
destruída em 70 d.C pelos romanos e os outros sinópticos já
haviam sido escritos à décadas.
Tema e Data do Evangelho de João
A NATUREZA DO VERBO DIVINO
• Enquanto Gênesis 1.1 registra o ato criativo de Deus, João 1.1
revela o Verbo que existiu antes da criação;
• O vocábulo Verbo é a tradução do grego Logos;
• Logos revela o ser cuja existência excede o tempo. É a
preexistência do Filho de Deus, sendo Ele, portanto, eterno,
sem princípio nem fim de dias;
• Como referência a Cristo a palavra Logos tem um sentido
muito peculiar, apropriado, porque nele estão escondidos
todos os tesouros da divina sabedoria, os infinitos
pensamentos de Deus:
Ler: 1ª Co 1.24, Ef 3.11, Cl 2.2,3;
O Verbo de Deus encarnado (Jo 1.14)
“...E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua
glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e
de verdade...”
João chama Cristo de o Verbo de Deus e para seus primeiros
ouvintes o significado era especial, a Igreja estava sendo
atacada por um pensamento filosófico que havia entrado em
seu seio e tomado roupagens cristãs, isto é o gnosticismo.
O Conteúdo do livro
Gnose, “conhecimento” ismo “movimento”
Pregavam um conhecimento especial de um ser espiritual,
toda matéria era má, o Deus do Antigo Testamento era mal
visto que criou o mundo material, uma prisão da almas.
Jesus não veio para representar este Deus, mas outro que
criou a verdadeira realidade: “ o mundo espiritual”.
Jesus não veio em carne e osso, era como se fosse um
espírito, esta doutrina passou a ser chamada de
“Docetismo”
- Doutrina existente nos séculos II e III que negava a
existência de um corpo material a Jesus Cristo, que
seria apenas espírito.
O que pensavam os gnósticos
João escreve que o Verbo se fez carne, ele era de carne, ele habitou em
nosso meio escreveu ainda:
Jesus foi visto com os olhos e apalpado com as mãos (1 Jo 1.1)
Só é de Deus o espírito que confessa que Jesus veio em carne (1 Jo
4.2)
Muitos enganadores tem surgido no mundo e tais enganadores dizem
que Jesus não veio em carne (2 Jo 7)
Ao apresentar a Divindade de Jesus tinha o cuidado para que esta não
ofuscar sua humanidade e isto servisse ainda mais aos gnósticos que
estavam a invadir a igreja primitiva.
O que pensavam os gnósticos
Uma comparação entre os sinópticos e o
Evangelho de João
Falam em especial com
descrentes
Ministério de Jesus na Galiléia
Mostram a vida pública de
Jesus
Transmitem a vida humana e
perfeita de Jesus
Fala aos crentes
Ministério de Jesus na Judéia
Mostra mais a vida particular e
privada de Jesus
Transmite a vida divina de
Jesus.
Sinópticos João
Oito sinais Passagem Significado
Água transformada em vinho 2.1-11 Jesus é a Fonte da vida
A cura do filho de um oficial do rei 4.46-54 Jesus é Senhor mesmo a distância
O paralítico do tanque de Betesda 5.1-9 Jesus é Senhor do tempo
1ª multiplicação dos pães e peixes
(5 pães e 2 peixes p/ 5000 homens)
6.1-13 Jesus é o Pão da vida
Andando sobre o mar 6.16-21 Jesus é o Senhor da Natureza
O cego de nascença 9.1-41 Jesus é a Luz do Mundo
Ressurreição de Lázaro 11.1-45 Jesus tem poder sobre a morte
Outra pesca maravilhosa 21.1-14 Jesus é Senhor sobre o Mundo Natural
O Senhor Jesus quebrou paradigmas
(Modelos)
1º Diálogo com uma mulher
(Preconceito Social)
(Como evangelizar uma Prostituta, um
Dependente Químico e um Homossexual?)
2º Contato com uma Samaritana
(Preconceito Religioso, Cultural, Social,
Racial)
3º Pediu que chamasse o marido
(Preconceito Moral)
Jesus e a samaritana a quebra de
Paradigmas (João 4)
HORA DO
CAFÉ
A mulher adúltera (Jo 8:1-11)
 “onde abundou o pecado, aí
superabundou a graça”
 - Machismo (apenas a mulher)
(lv 20:10)
 Jesus, agachado escreve no
chão (seja um pacificador)
 Envergonhados na consciência
saíram (todos somos
pecadores)
 Não peques mais (sincero
arrependimento, abandono da
prática do pecado).
 O poder transformador do
perdão. (Julgar mata, perdoar
traz vida)
E achou Jesus um jumentinho e
assentou-se sobre ele, como está
escrito: Não temas, ó filha de Sião;
eis que o teu Rei vem assentado
sobre o filho de uma jumenta, Os
seus discípulos, porém, não
entenderam isto no princípio; mas,
quando Jesus foi glorificado, então
se lembraram de que isto estava
escrito dele, e que isto lhe
fizeram.....” (Jo 12.12-16).
 Só João menciona a profecia de
Zacarias 9.9
A Entrada triunfal de Jesus
em Jerusalém
Jesus entra em Jerusalém, Aclamado com filho de Davi e
profeta.
Era o Ápice da expectativa de um Cristo político.
Foi recebido como um rei, não como O REI.
Nem os discípulos entendiam perfeitamente o plano e
papel de Jesus.
O erro foi tentar adaptar o plano de Deus à própria
vontade, esperavam o Messias político e aclamaram a
Cristo como tal e após a sua morte eles ainda estavam
esperando a redenção política de Israel.
A Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém
E nós esperávamos que fosse ele o que
remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é
já hoje o terceiro dia desde que essas coisas
aconteceram. (Lc 24.21)
Aqueles, pois, que se haviam reunido
perguntaram-lhe, dizendo: Senhor,
restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?
(At 1.6)
“Porque eu vos dei o exemplo, para
que, como eu vos fiz, façais vós
também.” (Jo 13.15).
 A vida Cristã é uma vida de renúncia;
 Ao lavar os pés dos discípulos,
(enquanto uns estavam preocupados
se um dia se assentariam a sua direita
ou a sua esquerda do mestre), Jesus se
põe como servo;
Jesus o exemplo de renúncia
(João 13.1-17)
“Mas Jesus disse a Pedro: Mete a tua espada na bainha;
não beberei eu o cálice que o Pai me deu?” (Jo 18.11)
Uma grande evidência que o Senhor se entregou para ser
morto por nossos pecados, tinha poder para dar a sua vida e
tomá-la de volta, e se ele não quisesse ninguém poderia tê-lo
feito morrer (Jo 10.17,18);
No momento em que o prendem, pois ao responder “Sou eu”
todos caem por terra (Jo 18.6);
Cristo sofreu por amor e não por obrigação;
Os últimos momentos de Cristo
“Disse-lhes, pois, Pilatos: Levai-o
vós e julgai-o segundo a vossa lei.
Disseram-lhe, então, os judeus: A
nós não nos é lícito matar pessoa
alguma.” (Jo 18.31).
O julgamento de Jesus
“e, achado na forma de homem, humilhou-se
a si mesmo, sendo obediente até à morte e
morte de cruz.” (Fp 2.8).
A morte em uma cruz era tão humilhante que
um cidadão romano nunca poderia ser
crucificado.
Cristo condenado a morte de Cruz
(Jo 19.14-16)
A Bíblia de Estudo Pentecostal faz comentário sobre
esta morte:
“No açoitamento romano a vítima era despida e
presa a uma coluna, ou então curvava-se sobre um
tronco com as mãos atadas nele. O instrumento de
tortura consistia num curto cabo de madeira no
qual estava presa vária tiras de couro com
pequenos pedaços de ferro, ou osso, presos as
pontas. Os golpes eram aplicados às costas da
vítima por dois algozes, um a cada lado. Os cortes
eram tão profundos que apareciam as veias , as
artérias, e às vezes, até certos órgãos internos.
Muitas vezes a vítima morria durante o
acoitamento ou flagelação. A flagelação era uma
tortura pavorosa. O fato de Jesus não poder levar
a cruz deve ter sido por causa do seu horrível
sofrimento resultante de seu castigo”;
Cristo condenado a morte de Cruz
(Jo 19.14-16)
Além do sofrimento emocional o
sacrifício de Cristo tinha um peso
enorme para a satisfação da justiça
divina, pois ele pagou o preço dos
pecados da humanidade no passado,
em seu presente e ainda teve que
deixar créditos para o futuro que
seríamos nos que hoje aceitamos a
Cristo
Bíblia de Estudo Pentecostal, p. 1448,
CPAD, Rio de Janeiro, 1998.
“E, no primeiro dia da semana, Maria
Madalena foi ao sepulcro de
madrugada, sendo ainda escuro, e viu
a pedra tirada do sepulcro.” (Jo 20.1).
A doutrina da ressurreição é
fundamental para o cristianismo,
A Ressurreição de Jesus
E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda
permaneceis nos vossos pecados.
E também os que dormiram em Cristo estão perdidos.
Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais
miseráveis de todos os homens.
Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito
as primícias dos que dormem.
Porque assim como a morte veio por um homem, também
a ressurreição dos mortos veio por um homem.
Porque, assim como todos morrem em Adão, assim
também todos serão vivificados em Cristo.
1 Coríntios 15:17-22
1. Filho de Zebedeu, João provavelmente morava em Betsaida, na Galiléia e ajudava seu pai na
indústria gráfica.
2. No dia seguinte ao encontro com Jesus, João o acompanhou até a Galiléia e estava com Jesus na
festa de casamento em Caná (Jon2.1-11).
3. Como a residência de João era na Galiléia (Jo 19.27), possivelmente ele pôde se
4. Fazer presente na 1ª visita de Paulo à Jerusalém (Gl 1.18,19).
1. O propósito do Espírito Santo através de João em sua apresentação do Messias é o de anunciar
“Eis aí estás o vosso Deus”.
2. Jesus é apresentado nos primeiros três evangelhos em sua humanidade perfeita. Este
fato conecta os três livros, é a razão de serem chamados sinótico, o que os diferencia
do evangelho de João.
3. Palavra ligada à verdade é testemunho.
ATIVIDADES - LIÇÃO II

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus
Moisés Sampaio
 

Mais procurados (20)

Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
Epístolas Gerais - I e II Pedro, I II e III João, Judas.
 
Panorama Bíblico
Panorama Bíblico Panorama Bíblico
Panorama Bíblico
 
O cânon do novo testamento
O cânon do novo testamentoO cânon do novo testamento
O cânon do novo testamento
 
Apocalipse
ApocalipseApocalipse
Apocalipse
 
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptxPRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
 
3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus3. O Evangelho Segundo Mateus
3. O Evangelho Segundo Mateus
 
Panorama do NT - Introdução
Panorama do NT - IntroduçãoPanorama do NT - Introdução
Panorama do NT - Introdução
 
9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios9. epístola de paulo 1' coríntios
9. epístola de paulo 1' coríntios
 
1. Antigo Testamento: Introdução
1. Antigo Testamento: Introdução1. Antigo Testamento: Introdução
1. Antigo Testamento: Introdução
 
Evangelhos sinóticos aula1
Evangelhos sinóticos aula1Evangelhos sinóticos aula1
Evangelhos sinóticos aula1
 
Panorama do NT - Lucas
Panorama do NT - LucasPanorama do NT - Lucas
Panorama do NT - Lucas
 
6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus6. sinais da volta de jesus
6. sinais da volta de jesus
 
Cristologia aula01
Cristologia aula01Cristologia aula01
Cristologia aula01
 
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus RochaCristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
Cristologia - Natureza humana de Cristo - Matheus Rocha
 
8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos
 
Atos dos apostolos
Atos dos apostolosAtos dos apostolos
Atos dos apostolos
 
A doutrina do pecado
A doutrina do pecadoA doutrina do pecado
A doutrina do pecado
 
29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías29. O profeta Isaías
29. O profeta Isaías
 
Bibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras Sagradas
Bibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras SagradasBibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras Sagradas
Bibliologia - Inspiração - Cânon das Escrituras Sagradas
 
Carta de tiago
Carta de tiagoCarta de tiago
Carta de tiago
 

Semelhante a Estudo do evangelho de João

44 1, 2 e 3 joão
44  1, 2 e 3 joão44  1, 2 e 3 joão
44 1, 2 e 3 joão
PIB Penha
 
Iii trim 2012 lição 1
Iii trim 2012   lição 1Iii trim 2012   lição 1
Iii trim 2012 lição 1
Prof_Adalberto
 
Estudo sobre os evangelhos
Estudo sobre os evangelhosEstudo sobre os evangelhos
Estudo sobre os evangelhos
marquione ban
 

Semelhante a Estudo do evangelho de João (20)

44 1, 2 e 3 joão
44  1, 2 e 3 joão44  1, 2 e 3 joão
44 1, 2 e 3 joão
 
A história do apóstolo João
A história do apóstolo JoãoA história do apóstolo João
A história do apóstolo João
 
Escola de profetas - João, o Discípulo Amado
Escola de profetas - João, o Discípulo AmadoEscola de profetas - João, o Discípulo Amado
Escola de profetas - João, o Discípulo Amado
 
2022 1º trimestre jovens lição 01
2022 1º trimestre jovens lição 012022 1º trimestre jovens lição 01
2022 1º trimestre jovens lição 01
 
Iii trim 2012 lição 1
Iii trim 2012   lição 1Iii trim 2012   lição 1
Iii trim 2012 lição 1
 
O senhor e salvador jesus cristo
O senhor e salvador jesus cristoO senhor e salvador jesus cristo
O senhor e salvador jesus cristo
 
Lição 01
Lição 01Lição 01
Lição 01
 
História de São José
História de São JoséHistória de São José
História de São José
 
Lição 04 - O senhor e salvador Jesus Cristo
Lição 04 - O senhor e salvador Jesus CristoLição 04 - O senhor e salvador Jesus Cristo
Lição 04 - O senhor e salvador Jesus Cristo
 
Estudo sobre os evangelhos
Estudo sobre os evangelhosEstudo sobre os evangelhos
Estudo sobre os evangelhos
 
29 joão
29 joão29 joão
29 joão
 
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus CristoLição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
Lição 4 - O Senhor e Salvador Jesus Cristo
 
Licao 02 01 Trimestre 2022 Jovens.pptx .
Licao 02 01 Trimestre 2022 Jovens.pptx .Licao 02 01 Trimestre 2022 Jovens.pptx .
Licao 02 01 Trimestre 2022 Jovens.pptx .
 
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
QUEM É JESUS CRISTO SEGUNDO AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ?
 
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdfCristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
Cristologia- INSTRODUÇÃO TEOLOGICA.pdf
 
Trabalho da mainha
Trabalho da mainhaTrabalho da mainha
Trabalho da mainha
 
Aula 8 - João
Aula 8 - JoãoAula 8 - João
Aula 8 - João
 
LIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristoLIÇÃO_04 Jesus cristo
LIÇÃO_04 Jesus cristo
 
O senhor e salvador jesus cristo
O senhor e salvador jesus cristoO senhor e salvador jesus cristo
O senhor e salvador jesus cristo
 
27 marcos
27 marcos27 marcos
27 marcos
 

Mais de RODRIGO FERREIRA

Mais de RODRIGO FERREIRA (20)

AP 4 - O TRONO NO CÉU.pptx
AP 4 - O TRONO NO CÉU.pptxAP 4 - O TRONO NO CÉU.pptx
AP 4 - O TRONO NO CÉU.pptx
 
APOCALIPSE 2.pptx
APOCALIPSE 2.pptxAPOCALIPSE 2.pptx
APOCALIPSE 2.pptx
 
APOCALIPSE 1.pptx
APOCALIPSE 1.pptxAPOCALIPSE 1.pptx
APOCALIPSE 1.pptx
 
BÍBLIA PALAVRA VIVA E EFICAZ(1).pptx
BÍBLIA PALAVRA VIVA E EFICAZ(1).pptxBÍBLIA PALAVRA VIVA E EFICAZ(1).pptx
BÍBLIA PALAVRA VIVA E EFICAZ(1).pptx
 
21º AUA - A PREPARAÇÃO PARA O MILÊNIO
21º AUA - A PREPARAÇÃO PARA O MILÊNIO21º AUA - A PREPARAÇÃO PARA O MILÊNIO
21º AUA - A PREPARAÇÃO PARA O MILÊNIO
 
20º AULA - A BATALHA DO ARMAGEDOM
20º AULA - A BATALHA DO ARMAGEDOM20º AULA - A BATALHA DO ARMAGEDOM
20º AULA - A BATALHA DO ARMAGEDOM
 
19º AULA - AS SETE TAÇAS DO APOCALIPSE
19º AULA - AS SETE TAÇAS DO APOCALIPSE19º AULA - AS SETE TAÇAS DO APOCALIPSE
19º AULA - AS SETE TAÇAS DO APOCALIPSE
 
As Sete Trombetas
As Sete TrombetasAs Sete Trombetas
As Sete Trombetas
 
Apocalipse 12 - A Mulher e o Dragão
Apocalipse 12 - A Mulher e o DragãoApocalipse 12 - A Mulher e o Dragão
Apocalipse 12 - A Mulher e o Dragão
 
A Quebra da Aliança de Israel com o Anticristo
A Quebra da Aliança de Israel com o AnticristoA Quebra da Aliança de Israel com o Anticristo
A Quebra da Aliança de Israel com o Anticristo
 
14ª AULA - QUEM É A GRANDE MERETRIZ MONTADA NA BESTA?
14ª AULA - QUEM É A GRANDE MERETRIZ MONTADA NA BESTA?14ª AULA - QUEM É A GRANDE MERETRIZ MONTADA NA BESTA?
14ª AULA - QUEM É A GRANDE MERETRIZ MONTADA NA BESTA?
 
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
15ª AULA - O CONSELHO MUNDIAL DE IGREJAS
 
13ª AULA - OS 144 MIL SELADOS DE ISRAEL
13ª AULA - OS 144 MIL SELADOS DE ISRAEL13ª AULA - OS 144 MIL SELADOS DE ISRAEL
13ª AULA - OS 144 MIL SELADOS DE ISRAEL
 
6ª Aula - Os Sinais da Volta de Jesus
6ª Aula - Os Sinais da Volta de Jesus6ª Aula - Os Sinais da Volta de Jesus
6ª Aula - Os Sinais da Volta de Jesus
 
8ª Aula - A Estátua e os Animais de Daniel e Apocalipse
8ª Aula - A Estátua e os Animais de Daniel e Apocalipse8ª Aula - A Estátua e os Animais de Daniel e Apocalipse
8ª Aula - A Estátua e os Animais de Daniel e Apocalipse
 
3ª Aula - A Transformação do nosso Corpo em corpo Glorificado
3ª Aula - A Transformação do nosso Corpo em corpo Glorificado3ª Aula - A Transformação do nosso Corpo em corpo Glorificado
3ª Aula - A Transformação do nosso Corpo em corpo Glorificado
 
4ª Aula - O Tribunal de Cristo
4ª Aula - O Tribunal de Cristo4ª Aula - O Tribunal de Cristo
4ª Aula - O Tribunal de Cristo
 
5ª Aula - As Bodas do Cordeiro - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, As Bodas ...
5ª Aula - As Bodas do Cordeiro - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, As Bodas ...5ª Aula - As Bodas do Cordeiro - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, As Bodas ...
5ª Aula - As Bodas do Cordeiro - Arrebatamento, Tribunal de Cristo, As Bodas ...
 
9ª Aula - O Surgimento do Anticristo - A Besta que emerge do Mar
9ª Aula - O Surgimento do Anticristo - A Besta que emerge do Mar9ª Aula - O Surgimento do Anticristo - A Besta que emerge do Mar
9ª Aula - O Surgimento do Anticristo - A Besta que emerge do Mar
 
7ª Aula - Os Sete Selos do Apocalipse
7ª Aula - Os Sete Selos do Apocalipse7ª Aula - Os Sete Selos do Apocalipse
7ª Aula - Os Sete Selos do Apocalipse
 

Último

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
StelaWilbert
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
MilyFonceca
 

Último (8)

Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdfOrações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
Orações que abrem as comportas do Céu - Jhon Eckhardt.pdf
 
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptxEspecialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
Especialidade Pioneiros Adventistas (Desbravadores).pptx
 
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Daniel - slide powerpoint.pptx
 
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De AquinoOração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
Oração Para Os Estudos São Tomás De Aquino
 
Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............Folder clube de Desbravadores.............
Folder clube de Desbravadores.............
 
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Ezequiel - slides powerpoint.pptx
 
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdfpdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
pdfcoffee.com_ltt-se6sizea4-pdf-free.pdf
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação NecessáriaSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 135 - Renovação Necessária
 

Estudo do evangelho de João

  • 1.
  • 2. Evangelho Escrito Figura Para Ênfase Característica Mateus 60 d.C Rei Judeus Sermões Jesus Profética Marcos 55 – 65 d.C Servo Romanos Milagres Prática Lucas 60 – 63 d.C Filho do Homem Gregos Parábolas Histórica João 80-95 d.C Filho de Deus Igreja Divindade Espiritual Comparativo Esta síntese é relacionada à visão dos rostos descrita por Ezequiel (Ezequiel 1.10) Mateus Marcos Lucas João
  • 3.
  • 4.  UM DOS DISCÚPULOS MAIS PRÓXIMOS DE JESUS “A QUEM JESUS AMAVA” (JO 13:23; 19:26; 20:2; 21:7,20)  ESCREVEU O EVANGELHO DE JOÃO  I II E II JOÃO E APOCALIPSE  ÚNICO APÓSTOLO QUE NÃO FOI MARTIRIZADO  “E a Tiago, filho de Zebedeu, e a João, irmão de Tiago, aos quais pôs o nome de Boanerges, que significa: Filhos do trovão” (Marcos 3.17) QUEM FOI JOÃO?
  • 5.  “E aconteceu que, completando-se os dias para a sua assunção, manifestou o firme propósito de ir a Jerusalém. E mandou mensageiros adiante de Si; e, indo eles, entraram numa aldeia de samaritanos (2 Rs 17:24 mestiços Judeus e Babilônios), para lhe prepararem pousada. Mas não o receberam, porque o seu aspecto era como de quem ia a Jerusalém (Judeus). E os seus discípulos, Tiago e João, vendo isto, disseram: Senhor, queres que digamos que desça fogo do céu e os consuma, como Elias também fez? Voltando-se, porém, repreendeu-os, e disse: Vós não sabeis de que espírito sois. Porque o Filho do homem não veio para destruir as almas dos homens, mas para salvá-las. E foram para outra aldeia” (Lucas 9.51-56). Boanerges, filhos do trovão Temperamento, personalidade e Caráter
  • 6.  PRESENTE EM 3 IMPORTANTES OCASIÕES:  - RESSURREIÇÃO DA FILHA DE JAIRO (MC 5:37)  37 E não permitiu que alguém o seguisse, a não ser Pedro, Tiago, e João, irmão de Tiago  - TRANSFIGURAÇÃO (MC 9:2)  2 E seis dias depois Jesus tomou consigo a Pedro, a Tiago, e a João, e os levou sós, em particular, a um alto monte; e transfigurou-se diante deles;  PERÍODO EM QUE JESUS ESTEVE NO GETSÊMANI (MC 14:33)  33 E tomou consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, e começou a ter pavor, e a angustiar-se.  Mencionado no Evangelho de João como “o discípulo a quem Jesus amava” (Jo 13.23) QUEM FOI JOÃO?
  • 7. Definição: • A palavra Evangelho deriva do grego, é formada pela união de dois termos: “ευ” – eu – que quer dizer “boa” “αγγελια” – anguelia – que significa “mensagem”, “nova”, “notícia”. • Podemos definir a palavra Evangelho como as Boas Novas, Boas Notícias. Evangelhos (revisão)
  • 8. O termo sinóptico é derivado do grego e quer dizer “visão conjunta”. Ele é atribuído ao conjunto dos três primeiros Evangelhos: Mateus, Marcos e Lucas, justamente porque nestes livros há uma semelhança, ou uma visão conjunta sobre os fatos históricos. O Evangelho Segundo João não é incluso no sinóptico, apesar de ser considerado um Evangelho, porque sua abordagem é do ponto de vista divino de Jesus. João dá mais ênfase ao Jesus divino que ao Jesus histórico, como o fazem os sinópticos. Sinóptico é um termo teológico, você não o encontrará na Bíblia. Evangelhos (Sinópticos)
  • 9. Evangelhos (Comparação) O Evangelho 1º - Escritos para toda a humanidade, 2º - Anuncia as Boas Novas de Cristo Jesus, 3º - Seu teor é mais histórico que doutrinador. As Epístolas 1º - Escritas para igrejas e indivíduos, 2º - Apresentam soluções de problemas, ou respostas à dúvidas doutrinárias das primeiras comunidades cristãs, 3º - Seu teor é mais doutrinador que histórico.
  • 10. Os evangelhos foram escritos pelos discípulos do Senhor Jesus. Os nomes dos Evangelhos estão relacionados aos nomes dos escritores que os escreveram. Apenas dois, dentre os quatro escritores dos Evangelhos, tiveram contato direto com o Senhor Jesus. Mateus (Mt 9.9) e João (Jo 21.20-25). Lucas (Cl 4.14). Aparece depois, junto ao Apóstolo Paulo numa viagem missionária. Marcos (Mc 14.50-52). Há quem acredite que ele seria aquele moço que correra nu na noite que o Senhor fora traído (Mc 14.50-52). Evangelhos (Jesus Cristo)
  • 11. O 4º ser vivente é semelhante à águia quando voa (animal dos ares). O livro de João é considerado o Evangelho do Filho de Deus. Evangelho Apologético, escrito a fim de combater os erros do gnosticismo, quanto à divindade de Cristo. Enfatiza a divindade de Jesus. Tem característica espiritual Evangelhos (Síntese de João)
  • 12. Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome. (Jo 20:31) Somente João fala do 1º ano de ministério (Cap.2 e 4), relata os grandes ensinos (novo nascimento, água viva, pão da vida, bom pastor, luz do mundo...) e revela o propósito de Cristo na última ceia (Cap. 13 a 16). Propósito (Evangelístico e Apologético)
  • 13. Tema: “...No princípio (Gn 1.1 Bereshit) era o Verbo (Logos, Palavra, Idéia, Sabedoria), e o Verbo estava com Deus (Gn 1:26 façamos), e o verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós...(Jo 1:1,14ª) (Fp 2:6-8)” Data: Escrito entre os anos de 80 e 95 d.C. Pedro e Paulo já haviam morrido pelos idos de 67,68 d.C, as Epístolas já estavam escritas, Jerusalém já havia sido destruída em 70 d.C pelos romanos e os outros sinópticos já haviam sido escritos à décadas. Tema e Data do Evangelho de João
  • 14. A NATUREZA DO VERBO DIVINO • Enquanto Gênesis 1.1 registra o ato criativo de Deus, João 1.1 revela o Verbo que existiu antes da criação; • O vocábulo Verbo é a tradução do grego Logos; • Logos revela o ser cuja existência excede o tempo. É a preexistência do Filho de Deus, sendo Ele, portanto, eterno, sem princípio nem fim de dias; • Como referência a Cristo a palavra Logos tem um sentido muito peculiar, apropriado, porque nele estão escondidos todos os tesouros da divina sabedoria, os infinitos pensamentos de Deus: Ler: 1ª Co 1.24, Ef 3.11, Cl 2.2,3;
  • 15. O Verbo de Deus encarnado (Jo 1.14) “...E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade...” João chama Cristo de o Verbo de Deus e para seus primeiros ouvintes o significado era especial, a Igreja estava sendo atacada por um pensamento filosófico que havia entrado em seu seio e tomado roupagens cristãs, isto é o gnosticismo. O Conteúdo do livro
  • 16. Gnose, “conhecimento” ismo “movimento” Pregavam um conhecimento especial de um ser espiritual, toda matéria era má, o Deus do Antigo Testamento era mal visto que criou o mundo material, uma prisão da almas. Jesus não veio para representar este Deus, mas outro que criou a verdadeira realidade: “ o mundo espiritual”. Jesus não veio em carne e osso, era como se fosse um espírito, esta doutrina passou a ser chamada de “Docetismo” - Doutrina existente nos séculos II e III que negava a existência de um corpo material a Jesus Cristo, que seria apenas espírito. O que pensavam os gnósticos
  • 17. João escreve que o Verbo se fez carne, ele era de carne, ele habitou em nosso meio escreveu ainda: Jesus foi visto com os olhos e apalpado com as mãos (1 Jo 1.1) Só é de Deus o espírito que confessa que Jesus veio em carne (1 Jo 4.2) Muitos enganadores tem surgido no mundo e tais enganadores dizem que Jesus não veio em carne (2 Jo 7) Ao apresentar a Divindade de Jesus tinha o cuidado para que esta não ofuscar sua humanidade e isto servisse ainda mais aos gnósticos que estavam a invadir a igreja primitiva. O que pensavam os gnósticos
  • 18. Uma comparação entre os sinópticos e o Evangelho de João Falam em especial com descrentes Ministério de Jesus na Galiléia Mostram a vida pública de Jesus Transmitem a vida humana e perfeita de Jesus Fala aos crentes Ministério de Jesus na Judéia Mostra mais a vida particular e privada de Jesus Transmite a vida divina de Jesus. Sinópticos João
  • 19. Oito sinais Passagem Significado Água transformada em vinho 2.1-11 Jesus é a Fonte da vida A cura do filho de um oficial do rei 4.46-54 Jesus é Senhor mesmo a distância O paralítico do tanque de Betesda 5.1-9 Jesus é Senhor do tempo 1ª multiplicação dos pães e peixes (5 pães e 2 peixes p/ 5000 homens) 6.1-13 Jesus é o Pão da vida Andando sobre o mar 6.16-21 Jesus é o Senhor da Natureza O cego de nascença 9.1-41 Jesus é a Luz do Mundo Ressurreição de Lázaro 11.1-45 Jesus tem poder sobre a morte Outra pesca maravilhosa 21.1-14 Jesus é Senhor sobre o Mundo Natural
  • 20. O Senhor Jesus quebrou paradigmas (Modelos) 1º Diálogo com uma mulher (Preconceito Social) (Como evangelizar uma Prostituta, um Dependente Químico e um Homossexual?) 2º Contato com uma Samaritana (Preconceito Religioso, Cultural, Social, Racial) 3º Pediu que chamasse o marido (Preconceito Moral) Jesus e a samaritana a quebra de Paradigmas (João 4)
  • 22.
  • 23. A mulher adúltera (Jo 8:1-11)  “onde abundou o pecado, aí superabundou a graça”  - Machismo (apenas a mulher) (lv 20:10)  Jesus, agachado escreve no chão (seja um pacificador)  Envergonhados na consciência saíram (todos somos pecadores)  Não peques mais (sincero arrependimento, abandono da prática do pecado).  O poder transformador do perdão. (Julgar mata, perdoar traz vida)
  • 24. E achou Jesus um jumentinho e assentou-se sobre ele, como está escrito: Não temas, ó filha de Sião; eis que o teu Rei vem assentado sobre o filho de uma jumenta, Os seus discípulos, porém, não entenderam isto no princípio; mas, quando Jesus foi glorificado, então se lembraram de que isto estava escrito dele, e que isto lhe fizeram.....” (Jo 12.12-16).  Só João menciona a profecia de Zacarias 9.9 A Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém
  • 25. Jesus entra em Jerusalém, Aclamado com filho de Davi e profeta. Era o Ápice da expectativa de um Cristo político. Foi recebido como um rei, não como O REI. Nem os discípulos entendiam perfeitamente o plano e papel de Jesus. O erro foi tentar adaptar o plano de Deus à própria vontade, esperavam o Messias político e aclamaram a Cristo como tal e após a sua morte eles ainda estavam esperando a redenção política de Israel. A Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém
  • 26. E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram. (Lc 24.21) Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel? (At 1.6)
  • 27. “Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.” (Jo 13.15).  A vida Cristã é uma vida de renúncia;  Ao lavar os pés dos discípulos, (enquanto uns estavam preocupados se um dia se assentariam a sua direita ou a sua esquerda do mestre), Jesus se põe como servo; Jesus o exemplo de renúncia (João 13.1-17)
  • 28. “Mas Jesus disse a Pedro: Mete a tua espada na bainha; não beberei eu o cálice que o Pai me deu?” (Jo 18.11) Uma grande evidência que o Senhor se entregou para ser morto por nossos pecados, tinha poder para dar a sua vida e tomá-la de volta, e se ele não quisesse ninguém poderia tê-lo feito morrer (Jo 10.17,18); No momento em que o prendem, pois ao responder “Sou eu” todos caem por terra (Jo 18.6); Cristo sofreu por amor e não por obrigação; Os últimos momentos de Cristo
  • 29. “Disse-lhes, pois, Pilatos: Levai-o vós e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe, então, os judeus: A nós não nos é lícito matar pessoa alguma.” (Jo 18.31). O julgamento de Jesus
  • 30. “e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz.” (Fp 2.8). A morte em uma cruz era tão humilhante que um cidadão romano nunca poderia ser crucificado. Cristo condenado a morte de Cruz (Jo 19.14-16)
  • 31. A Bíblia de Estudo Pentecostal faz comentário sobre esta morte: “No açoitamento romano a vítima era despida e presa a uma coluna, ou então curvava-se sobre um tronco com as mãos atadas nele. O instrumento de tortura consistia num curto cabo de madeira no qual estava presa vária tiras de couro com pequenos pedaços de ferro, ou osso, presos as pontas. Os golpes eram aplicados às costas da vítima por dois algozes, um a cada lado. Os cortes eram tão profundos que apareciam as veias , as artérias, e às vezes, até certos órgãos internos. Muitas vezes a vítima morria durante o acoitamento ou flagelação. A flagelação era uma tortura pavorosa. O fato de Jesus não poder levar a cruz deve ter sido por causa do seu horrível sofrimento resultante de seu castigo”; Cristo condenado a morte de Cruz (Jo 19.14-16)
  • 32. Além do sofrimento emocional o sacrifício de Cristo tinha um peso enorme para a satisfação da justiça divina, pois ele pagou o preço dos pecados da humanidade no passado, em seu presente e ainda teve que deixar créditos para o futuro que seríamos nos que hoje aceitamos a Cristo Bíblia de Estudo Pentecostal, p. 1448, CPAD, Rio de Janeiro, 1998.
  • 33. “E, no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro.” (Jo 20.1). A doutrina da ressurreição é fundamental para o cristianismo, A Ressurreição de Jesus
  • 34. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a vossa fé, e ainda permaneceis nos vossos pecados. E também os que dormiram em Cristo estão perdidos. Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens. Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, e foi feito as primícias dos que dormem. Porque assim como a morte veio por um homem, também a ressurreição dos mortos veio por um homem. Porque, assim como todos morrem em Adão, assim também todos serão vivificados em Cristo. 1 Coríntios 15:17-22
  • 35. 1. Filho de Zebedeu, João provavelmente morava em Betsaida, na Galiléia e ajudava seu pai na indústria gráfica. 2. No dia seguinte ao encontro com Jesus, João o acompanhou até a Galiléia e estava com Jesus na festa de casamento em Caná (Jon2.1-11). 3. Como a residência de João era na Galiléia (Jo 19.27), possivelmente ele pôde se 4. Fazer presente na 1ª visita de Paulo à Jerusalém (Gl 1.18,19). 1. O propósito do Espírito Santo através de João em sua apresentação do Messias é o de anunciar “Eis aí estás o vosso Deus”. 2. Jesus é apresentado nos primeiros três evangelhos em sua humanidade perfeita. Este fato conecta os três livros, é a razão de serem chamados sinótico, o que os diferencia do evangelho de João. 3. Palavra ligada à verdade é testemunho. ATIVIDADES - LIÇÃO II

Notas do Editor

  1. Sanguíneo: pessoa muito levada pela emoção; misericordiosa. Melancólico: o introvertido; minimalista; se apega a detalhes. Fleumático: o diplomata; amigo de todos; bem conversado. Colérico: o pragmático; implacável; líder nato.