SlideShare uma empresa Scribd logo
1
TERCEIRA VIAGEM DE
PAULO DE TARSO
MAPA DA ÉPOCA DO IMPÉRIO ROMANO
2
Desenvolvimento do trabalho :
1 ) Descrever os locais da viagem.
2 ) Motim em Éfeso.
3 ) Diário de viagem.
4 ) Considerações finais.
TERCEIRA VIAGEM DE
PAULO DE TARSO
3
Terceira viagem de Paulo de Tarso
CORINTO
CESARÉIA
ANTIOQUIA
DA SIRIA
TARSO
ÉFESO
FILIPOS
DERBE
ICÔNIO
MILETO
JERUSALÉM
4
Locais da 3ª viagem de Paulo
ANTIOQUIA

Localizada próxima à costa do Mediterrâneo era o principal
centro comercial da Síria.

Foi a terceira maior cidade do Império Romano, com
população estimada em 500.000 hab.

Famosa por sua devassidão e vícios.

Primeiro sermão de Paulo em uma sinagoga e onde, por
sugestão de Lucas, foram primeiramente chamados de
cristãos ( Atos 11:26 ).
5
Locais da 3ª viagem de Paulo
ANTIOQUIA

Possuía um dos maiores Circos do período Romano.

Rua principal pavimentada com mármores e cercada por
colunas.

População formada por muitos povos, entre eles, romanos,
gregos e judeus.
6
Locais da 3ª viagem de Paulo
TARSO

Cidade natal de Paulo.

Atualmente localiza-se no sul da Turquia .

Foi um importante centro
de filosofia, junto com
Atenas e Alexandria
possuía as melhores
Universidades da época.

Ao norte erguem-se as
Montanhas do Taurus.
VISTA ATUAL DO MONTE TAURUS
7
Locais da 3ª viagem de Paulo
Galácia e Frígia

Visita as comunidades da Galácia e Frígia, passando por
Derbe, Listra, Icônio e Antioquia da Psídia.

DERBE - localiza-se na parte central do sul da Ásia Menor e
foi visitada por Paulo nas três viagens ( Atos 18:23 ). Gaio que o
acompanhava na viagem era natural de Derbe ( Atos 20 : 4 ).

ICÔNIO - Cidade próspera cuja riqueza vinha do comércio e
agricultura.

ANTIOQUIA DA PSÍDIA - Transformada em colônia romana
em 25 a.C. Possuía prédios devotados ao culto do imperador e
uma sinagoga ( Atos 13:16 ).
8
Locais da 3ª viagem de Paulo
Éfeso

Cidade greco-romana situada na costa ocidental da Ásia
Menor ( Turquia ). Foi uma das maiores cidade do império
romano com aprox. 450.000 hab.

Célebre pelo templo de Artêmis construído em 550 a.C. era um
dos maiores da época medindo 50m de largura por 80m de
comprimento.

Possuía um teatro para 25.000 pessoas, escolas de filosofia,
bibliotecas, casas de banho de mármore e palácios suntuosos.
9
Locais da 3ª viagem de Paulo
Éfeso

Era o maior centro de comércio da Ásia.

Como era comum nas cidades do Mediterrâneo, acumulava
tradições orientais, egípcias, gregas, romanas e judaicas.

Nos tempos apostólicos foi onde o cristianismo mais se
difundiu.
10
Locais da 3ª viagem de Paulo
Éfeso
Estátua na Biblioteca
de CELSO
Biblioteca de CELSO
11
Locais da 3ª viagem de Paulo
Éfeso
Teatro de Éfeso
Pórtico sul do Ágora
12
Locais da 3ª viagem de Paulo
Trôade

Era uma importante cidade porto.

Construída após o período de Alexandre, o Grande, e
situava-se ao noroeste da Ásia Menor, ao sul da antiga cidade
de Tróia.

Paulo passou diversas vezes pela cidade.
13
Locais da 3ª viagem de Paulo
Filipos
VISTA GERAL DO SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE FILIPOS
14
Locais da 3ª viagem de Paulo
Filipos

Importante cidade do Império Romano e considerada a porta
de entrada da Europa. Situada a 13 km do mar Egeu foi
construída sobre uma colina .

Era uma réplica menor de Roma e seus cidadãos possuíam
cidadania romana.

Possuía características latinas que se refletiam em seu
pensamento e religião.

Tinham cultos à divindades romanas como Juno, Júpiter e
Marte.
15
Locais da 3ª viagem de Paulo
Filipos

Haviam poucos judeus na cidade e nenhuma sinagoga.

Escavações arqueológicas revelaram um fórum grande e bem
preservado, um teatro, uma cadeia.

A via Egnatia, estrada romana
construída em 145 a.C.
ajudava o império Romano a
mover suas tropas para leste.
RUÍNAS DA VIA EGNATIA
16
Locais da 3ª viagem de Paulo
Mileto

Comercialmente era uma cidade muita ativa. Mantinha
negócios com o Oriente e também com o Egito.

A atividade econômica desenvolvida era a criação de ovelhas.

Produzia a melhor lã do mundo grego.
17
Locais da 3ª viagem de Paulo
Mileto
Antigo anfiteatro em Mileto
18
Locais da 3ª viagem de Paulo
Cesaréia

Era um antigo porto comercial fenício e recebeu esse nome
em homenagem ao imperador Cesar Augusto.

Teve um papel importante na fase inicial do cristianismo.

Foi onde o centurião romano Cornelius foi batizado ( Atos
10:1-5, 25-28 ).

Paulo foi aprisionado em Cesaréia e enviado para
julgamento em Roma ( Atos 23:23-24 ).
19
Locais da 3ª viagem de Paulo
Cesaréia
Vista aérea do sítio arqueológico de Cesaréia
20
Locais da 3ª viagem de Paulo
Cesaréia
Antigo anfiteatro em Cesaréia
21
Locais da 3ª viagem de Paulo
Cesaréia
Aqueduto em CesaréiaHipódromo em Cesaréia
22
TERCEIRA VIAGEM DE PAULO
DE TARSO
Desenvolvimento do trabalho :
2 ) Motim em Éfeso.
23
Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso

Paulo se desloca de Antioquia para Éfeso, com o objetivo
de conversar com Maria.

Em Éfeso, ajuda João a manter a igreja que estava em
dificuldades em função da ascendência política da sinagoga.

Passa três meses discutindo na sinagoga.

Multiplicam-se as curas milagrosas. As vozes santificadas
que se manifestavam em Jerusalém e Antioquia, falaram na
praça pública.
24
Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso

Paulo compreende a importância da igreja para toda a Ásia
e decide permanecer por mais tempo na cidade.

Antigos companheiros cooperam ajudando Paulo em Éfeso
e nas visitas as fundações cristãs. Com este apoio as curas
aumentam.

Após dois anos, Paulo conseguiu que muitos Éfesios
abandonassem as crendices e superstições religiosas para
abraçarem a mensagem do Cristo.
25
Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso

A cidade tinha uma tradição antiga à deusa Diana
( Artemis ). Muitas imagens e adornos eram comercializados
pelos ourives, mas este comércio havia decaído após o
trabalho de Paulo na cidade.

Liderados por Demétrio,
iniciaram um protesto
espalhando um boato pela
cidade.

Gaio e Aristarco, Áquila e
Priscila são presos mas
Paulo escapa ileso.
Ruínas do templo de Artemis
26
Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso

No dia seguinte, em companhia de João, Paulo observa os
destroços da tenda de Áquila.

Comenta que Áquila e Prisca foram seus companheiros de
luta desde o início e que eles não deveriam sofrer por sua
causa.

João responde que a causa é do Cristo.

Paulo resolve deixar Éfeso. Consegue a liberdade dos
amigos e parte para Filipos.
27
TERCEIRA VIAGEM DE PAULO
DE TARSO
Desenvolvimento do trabalho :
3 ) Diário de viagem.
28
Diário da terceira viagem

Paulo inicia sua terceira viagem partindo de Antioquia da
Siria retornando pela Cesaréia até Jerusalém.

Acompanhado de Tito e Timóteo, Gaio e Aristarco ( Atos
19:29 ), inicia a viagem por terra, visitando as comunidades
da Galácia e da Frígia.

Passa por Éfeso onde Áquila e Prisca haviam partido com
Apolo, judeu convertido.

Fica mais de dois anos em Éfeso e é perseguido pelos
ourives da deusa Artêmis.
29
Diário da terceira viagem

Volta a visitar Filipos, Tessalônica e Beréia.

Paulo passa três meses em Corinto com a idéia fixa de
viajar para Roma e lembrou-se de preparar o ambiente para
sua chegada na sede do Império, escrevendo aos irmãos de
lá sua famosa Epístola aos Romanos, a portadora do
documento foi Febe.

No dia seguinte, chega de Jerusalém Abdias com uma
carta aflitiva e confidencial de Tiago informando que Pedro
fora banido e se sentia sem apoio.
30
Diário da terceira viagem

A noite, em sonho, encontrou-se com Abgail e Estevão,
confirmando a necessidade de ir à Jerusalém, mas que se
tranquilizasse pois iria também à Roma. Depois da
permanência de três meses segue com Lucas e Silas.

Volta a Macedônia, fica um tempo em Filipos e inicia o
regresso da viagem.

De Filipos, viaja por mar para a região da Frígia, passando
por Trôade onde em um longo sermão de despedida à noite
reanima o jovem Eutico que caíra do terceiro andar.

Em Éfeso a própria Maria com João vai se despedir.
31
Diário da terceira viagem

Eliaquim e Enoque obtiveram do Sinédrio a decretação da
prisão de Paulo, mas Tiago conseguiu abrandar o rigor das
exigências.

No 6º dia Paulo foi amarrado e apedrejado no mesmo pátio
onde Estevão foi supliciado pelos judeus fanáticos.

Claudio Lísias interviu na Assembléia, salvou Paulo dando-
lhe voz de prisão e mandau que o levassem para à Torre
Antônia.

Os judeus tramavam matar Paulo, o tribuno Cláudio Lísias
avisado por Estefânio e Tiago resolve tranferi-lo para
Cesaréia. .
32
Diário da terceira viagem

Em Cesaréia, o governador Pórcio Festo chamou o
Sinédrio para ter maiores informações sobre o caso.

Durante o julgamento o governador Félix percebendo as
atitudes raivosas dos judeus fanáticos e a tranquilidade e
valor espiritual de Paulo adiou a sentença até poder ouvir o
tribuno Cláudio Lísias.

Félix tentou tirar alguma vantagem do prestígio de Paulo.

Paulo fez uma apresentação à corte Provincial convocado
por Félix e fala dos deveres dos homens o que contraria o
governador que o deixa dois anos recluso em Cesaréia.
33
Diário da terceira viagem

Paulo continuou mantendo contato com as igrejas enviando
mensagens às igrejas.

Paulo solicita que Lucas retome projeto da biografia de
Jesus com as informações de Maria e posteriormente surge
Atos dos Apostólos.

Félix é transferido e chega Pórcio Festo que após reunião
com os doutores da lei comenta sobre a realização de um
novo julgamento..

Lucas informa a Paulo que o sinédrio planejava matar
Paulo da mesma forma como fez com Jesus.
34
Diário da terceira viagem

Paulo comenta que neste caso apelará para Cesar.

A princípio Lucas não compreende a decisão de Paulo e a
toma como fuga do testemunho.

No julgamento Paulo responde a tudo com serenidade e
Pórcio Festo verifica a cultura e verifica a dificuldade de
entregá-lo ao sinédrio.

Paulo faz suas considerações finais sobre o processo e
recorre a César provocando espanto geral na Assembléia.
35
Projeto das viagens

Buscar os gentios onde quer que se encontrem. Só assim
se reintegrar-se-a o movimento em função de universalidade.

É natural prever protestos e lutas enormes.

Poderemos atender a muitos doentes, ofertar um leito de
repouso, mas a iluminação do espírito deve estar em
primeiro lugar.

É indispensável chamar os incircuncisos, os pecadores, os
que estejam fora da lei.
36
Projeto das viagens

Restringir o evangelho a Jerusalém é condená-li a extinção.

Levar a notícia de Jesus a outras gentes, ligar as zonas de
entendimento cristão, abrir estradas novas.

Fazer anotações do que sabemos de Jesus e de suas
exemplificações. Os pósteros hão de rebuscar muitas vezes
a tarefa que nos foi confiada.

Comparo o Evangelho a um campo infinito, alguns
trabalhadores devem ficar aos pés dos mananciais, outros
revolvem a terra em zonas determinadas.
37
Projeto das viagens

PAULO – EXEMPLO DE TRABALHADOR ESPÍRITA

Haroldo Dutra Dias – dois vídeos no you tube

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

CARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATASCARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATAS
Cesar Oliveira
 
Atos
AtosAtos
1. período interbíblico
1. período interbíblico1. período interbíblico
1. período interbíblico
Igreja Presbiteriana de Dourados
 
Viagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de PauloViagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de Paulo
Julio Cesar
 
Estudo sobre a Carta aos Gálatas
Estudo sobre a Carta aos Gálatas Estudo sobre a Carta aos Gálatas
Estudo sobre a Carta aos Gálatas
marquione ban
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
Respirando Deus
 
Os Quatro Evangelhos
Os Quatro EvangelhosOs Quatro Evangelhos
Os Quatro Evangelhos
Michele L D Pain
 
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptxPRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
ViniciusFerreira700331
 
Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3
Brian Kibuuka
 
1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)
Daniel Junior
 
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
Geversom Sousa
 
Panorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - ColossensesPanorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - Colossenses
Respirando Deus
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Coop. Fabio Silva
 
Os livros Apócrifos
Os livros ApócrifosOs livros Apócrifos
Os livros Apócrifos
Viva a Igreja
 
Curso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia BíblicaCurso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia Bíblica
Sergio Silva
 
Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida
Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja PerseguidaEis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida
Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida
Sergio Silva
 
A História de Israel - Aula 2 - Os Patriarcas
A História de Israel - Aula 2 - Os PatriarcasA História de Israel - Aula 2 - Os Patriarcas
A História de Israel - Aula 2 - Os Patriarcas
Pr. Luiz Carlos Lopes
 
Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja Apostólica
Marcia oliveira
 
A primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de pauloA primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de paulo
Geysa Farias
 
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no ApocalipseCarta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 

Mais procurados (20)

CARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATASCARTA AOS GÁLATAS
CARTA AOS GÁLATAS
 
Atos
AtosAtos
Atos
 
1. período interbíblico
1. período interbíblico1. período interbíblico
1. período interbíblico
 
Viagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de PauloViagens missionárias de Paulo
Viagens missionárias de Paulo
 
Estudo sobre a Carta aos Gálatas
Estudo sobre a Carta aos Gálatas Estudo sobre a Carta aos Gálatas
Estudo sobre a Carta aos Gálatas
 
Panorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - ApocalipsePanorama do NT - Apocalipse
Panorama do NT - Apocalipse
 
Os Quatro Evangelhos
Os Quatro EvangelhosOs Quatro Evangelhos
Os Quatro Evangelhos
 
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptxPRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
PRIMEIRA VIAGEM MISSIONARIA DE PAULO.pptx
 
Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3Redescobrindopaulo3
Redescobrindopaulo3
 
1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)1 Coríntios (1º Estudo)
1 Coríntios (1º Estudo)
 
Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado Doutrina do Pecado
Doutrina do Pecado
 
Panorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - ColossensesPanorama do NT - Colossenses
Panorama do NT - Colossenses
 
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01Bibliologia - IBADEP: AULA 01
Bibliologia - IBADEP: AULA 01
 
Os livros Apócrifos
Os livros ApócrifosOs livros Apócrifos
Os livros Apócrifos
 
Curso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia BíblicaCurso de Geografia Bíblica
Curso de Geografia Bíblica
 
Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida
Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja PerseguidaEis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida
Eis que venho sem demora - Lição 03 - Esmirna - A Igreja Perseguida
 
A História de Israel - Aula 2 - Os Patriarcas
A História de Israel - Aula 2 - Os PatriarcasA História de Israel - Aula 2 - Os Patriarcas
A História de Israel - Aula 2 - Os Patriarcas
 
Aula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja ApostólicaAula 1 A Igreja Apostólica
Aula 1 A Igreja Apostólica
 
A primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de pauloA primeira viagem missionaria de paulo
A primeira viagem missionaria de paulo
 
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no ApocalipseCarta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
Carta à Igreja de Éfeso no Apocalipse
 

Destaque

A Epistola aos Romanos
A Epistola aos RomanosA Epistola aos Romanos
A Epistola aos Romanos
Márcio Martins
 
Carta aos Romanos 01
Carta aos Romanos 01Carta aos Romanos 01
Carta aos Romanos 01
aylanj
 
AS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULO
AS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULOAS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULO
AS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULO
Antonio Marcos
 
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSOAS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
Suely Anjos
 
Viagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De TarsoViagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De Tarso
Ana Cristina Freitas
 
As viagens de paulo
As viagens de pauloAs viagens de paulo
As viagens de paulo
Albino Filho
 
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS  Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
RODRIGO FERREIRA
 
8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos
Igreja Presbiteriana de Dourados
 

Destaque (8)

A Epistola aos Romanos
A Epistola aos RomanosA Epistola aos Romanos
A Epistola aos Romanos
 
Carta aos Romanos 01
Carta aos Romanos 01Carta aos Romanos 01
Carta aos Romanos 01
 
AS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULO
AS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULOAS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULO
AS ESPETACULARES VIAGENS DE PAULO
 
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSOAS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
AS VIAGENS MISSIONÁRIAS DE PAULO DE TARSO
 
Viagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De TarsoViagem Paulo De Tarso
Viagem Paulo De Tarso
 
As viagens de paulo
As viagens de pauloAs viagens de paulo
As viagens de paulo
 
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS  Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
Lição 01 - EBD- A EPÍSTOLA AOS ROMANOS
 
8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos8. epístola de paulo aos romanos
8. epístola de paulo aos romanos
 

Semelhante a Terceira viagem Paulo apresentaçao

Imersão em efésios
Imersão em efésiosImersão em efésios
Imersão em efésios
Jorge Neves
 
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTOAPOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
Eli Vieira
 
A 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptx
A 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptxA 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptx
A 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptx
Carloscarvalho791908
 
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4
Rubens Sohn
 
Sao Paulo, Aapostolo 1 (portuguese) Cultura y Conversao
Sao Paulo, Aapostolo   1 (portuguese) Cultura y ConversaoSao Paulo, Aapostolo   1 (portuguese) Cultura y Conversao
Sao Paulo, Aapostolo 1 (portuguese) Cultura y Conversao
Martin M Flynn
 
Aula de Atos
Aula de AtosAula de Atos
Aula de Atos
ssuser54efaa
 
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
PIB Penha - SP
 
25 o período intertestamentário
25    o período intertestamentário25    o período intertestamentário
25 o período intertestamentário
PIB Penha
 
Capítulo 5 - Hebreus, fenícios e persas
Capítulo 5 - Hebreus, fenícios e persasCapítulo 5 - Hebreus, fenícios e persas
Capítulo 5 - Hebreus, fenícios e persas
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Saulo
SauloSaulo
Comentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I CoríntiosComentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I Coríntios
JOSE ROBERTO ALVES DA SILVA
 
30 atos
30 atos30 atos
30 atos
PIB Penha
 
Apostila do nt
Apostila do ntApostila do nt
Apostila do nt
Leandro Schuck
 
Período Interbíblico aula 3 Período Grego
Período Interbíblico aula 3   Período GregoPeríodo Interbíblico aula 3   Período Grego
Período Interbíblico aula 3 Período Grego
Samir Isac Dantas
 
Aula1
Aula1Aula1
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdfO_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
VictorSiqueira36
 
11 periodo intertestamentario
11  periodo intertestamentario11  periodo intertestamentario
11 periodo intertestamentario
PIB Penha
 
A Bíblia e as Últimas Descobertas
A Bíblia e as Últimas DescobertasA Bíblia e as Últimas Descobertas
A Bíblia e as Últimas Descobertas
FabianoMedeiros15
 
O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO
Eli Vieira
 
Historia 2014 tipo_a
Historia 2014 tipo_aHistoria 2014 tipo_a
Historia 2014 tipo_a
Carol Monteiro
 

Semelhante a Terceira viagem Paulo apresentaçao (20)

Imersão em efésios
Imersão em efésiosImersão em efésios
Imersão em efésios
 
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTOAPOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
APOSTILA DO NOVO TESTAMENTO
 
A 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptx
A 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptxA 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptx
A 1a. Carta aos Coríntios 2023.pptx
 
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4
IBADEP MÉDIO - HISTÓRIA DE ISRAEL AULA 4
 
Sao Paulo, Aapostolo 1 (portuguese) Cultura y Conversao
Sao Paulo, Aapostolo   1 (portuguese) Cultura y ConversaoSao Paulo, Aapostolo   1 (portuguese) Cultura y Conversao
Sao Paulo, Aapostolo 1 (portuguese) Cultura y Conversao
 
Aula de Atos
Aula de AtosAula de Atos
Aula de Atos
 
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
8 - O Cristianismo na idade média 1-8ª aula.pptx
 
25 o período intertestamentário
25    o período intertestamentário25    o período intertestamentário
25 o período intertestamentário
 
Capítulo 5 - Hebreus, fenícios e persas
Capítulo 5 - Hebreus, fenícios e persasCapítulo 5 - Hebreus, fenícios e persas
Capítulo 5 - Hebreus, fenícios e persas
 
Saulo
SauloSaulo
Saulo
 
Comentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I CoríntiosComentário Geral sobre I Coríntios
Comentário Geral sobre I Coríntios
 
30 atos
30 atos30 atos
30 atos
 
Apostila do nt
Apostila do ntApostila do nt
Apostila do nt
 
Período Interbíblico aula 3 Período Grego
Período Interbíblico aula 3   Período GregoPeríodo Interbíblico aula 3   Período Grego
Período Interbíblico aula 3 Período Grego
 
Aula1
Aula1Aula1
Aula1
 
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdfO_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
O_legado_de_Roma_Iluminando_a_idade_das-51-89.pdf
 
11 periodo intertestamentario
11  periodo intertestamentario11  periodo intertestamentario
11 periodo intertestamentario
 
A Bíblia e as Últimas Descobertas
A Bíblia e as Últimas DescobertasA Bíblia e as Últimas Descobertas
A Bíblia e as Últimas Descobertas
 
O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO O NOVO TESTAMENTO
O NOVO TESTAMENTO
 
Historia 2014 tipo_a
Historia 2014 tipo_aHistoria 2014 tipo_a
Historia 2014 tipo_a
 

Mais de LUCAS CANAVARRO

Espiritismo e estudos bíblicos rei davi final
Espiritismo e estudos bíblicos rei davi finalEspiritismo e estudos bíblicos rei davi final
Espiritismo e estudos bíblicos rei davi final
LUCAS CANAVARRO
 
Espiritismo e estudos bíblicos rei salomão final
Espiritismo e estudos bíblicos rei salomão finalEspiritismo e estudos bíblicos rei salomão final
Espiritismo e estudos bíblicos rei salomão final
LUCAS CANAVARRO
 
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul finalEspiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
LUCAS CANAVARRO
 
Espiritismo e estudos bíblicos juizes final
Espiritismo e estudos bíblicos juizes finalEspiritismo e estudos bíblicos juizes final
Espiritismo e estudos bíblicos juizes final
LUCAS CANAVARRO
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
LUCAS CANAVARRO
 
Heresias - visão espírita
Heresias - visão espíritaHeresias - visão espírita
Heresias - visão espírita
LUCAS CANAVARRO
 
As cruzadas set final
As cruzadas set finalAs cruzadas set final
As cruzadas set final
LUCAS CANAVARRO
 
Paulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moralPaulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moral
LUCAS CANAVARRO
 
APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...
APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...
APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...
LUCAS CANAVARRO
 
A felicidade nao e deste mundo.
A felicidade nao e deste mundo.A felicidade nao e deste mundo.
A felicidade nao e deste mundo.
LUCAS CANAVARRO
 
Atos dos Apostolos
Atos dos ApostolosAtos dos Apostolos
Atos dos Apostolos
LUCAS CANAVARRO
 
Atos dos apostolos
Atos dos apostolos Atos dos apostolos
Atos dos apostolos
LUCAS CANAVARRO
 
Epistola a tito revisao
Epistola a tito revisaoEpistola a tito revisao
Epistola a tito revisao
LUCAS CANAVARRO
 
Epistola a filemon
Epistola a filemonEpistola a filemon
Epistola a filemon
LUCAS CANAVARRO
 

Mais de LUCAS CANAVARRO (14)

Espiritismo e estudos bíblicos rei davi final
Espiritismo e estudos bíblicos rei davi finalEspiritismo e estudos bíblicos rei davi final
Espiritismo e estudos bíblicos rei davi final
 
Espiritismo e estudos bíblicos rei salomão final
Espiritismo e estudos bíblicos rei salomão finalEspiritismo e estudos bíblicos rei salomão final
Espiritismo e estudos bíblicos rei salomão final
 
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul finalEspiritismo e estudos bíblicos rei saul final
Espiritismo e estudos bíblicos rei saul final
 
Espiritismo e estudos bíblicos juizes final
Espiritismo e estudos bíblicos juizes finalEspiritismo e estudos bíblicos juizes final
Espiritismo e estudos bíblicos juizes final
 
Perdão o alicerce da paz jan 2015
Perdão   o alicerce da paz jan 2015Perdão   o alicerce da paz jan 2015
Perdão o alicerce da paz jan 2015
 
Heresias - visão espírita
Heresias - visão espíritaHeresias - visão espírita
Heresias - visão espírita
 
As cruzadas set final
As cruzadas set finalAs cruzadas set final
As cruzadas set final
 
Paulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moralPaulo exemplo de transformação moral
Paulo exemplo de transformação moral
 
APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...
APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...
APOCALIPSE DE JOÃO PARTE 1, trabalho de estudo desenvolvido no Centro Espirit...
 
A felicidade nao e deste mundo.
A felicidade nao e deste mundo.A felicidade nao e deste mundo.
A felicidade nao e deste mundo.
 
Atos dos Apostolos
Atos dos ApostolosAtos dos Apostolos
Atos dos Apostolos
 
Atos dos apostolos
Atos dos apostolos Atos dos apostolos
Atos dos apostolos
 
Epistola a tito revisao
Epistola a tito revisaoEpistola a tito revisao
Epistola a tito revisao
 
Epistola a filemon
Epistola a filemonEpistola a filemon
Epistola a filemon
 

Último

CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
ESCRIBA DE CRISTO
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
ESCRIBA DE CRISTO
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
ESCRIBA DE CRISTO
 
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsxBíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Igreja Jesus é o Verbo
 
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhorCultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
MasaCalixto2
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
JonasRibeiro61
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Celso Napoleon
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Janilson Noca
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Nilson Almeida
 
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
lindalva da cruz
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introduçãoEstudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Pr. Welfany Nolasco Rodrigues
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
ESCRIBA DE CRISTO
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Celso Napoleon
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
ceciliafonseca16
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
ayronleonardo
 

Último (18)

CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
CRISTO E EU [MENSAGEM DE CHARLES SPURGEON]
 
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
JERÔNIMO DE BELÉM DA JUDÉIA [TERRA SANTA]
 
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
DIDASCALIA APOSTOLORUM [ HISTÓRIA DO CRISTIANISMO]
 
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsxBíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
Bíblia Sagrada - Amós - slides powerpoint.ppsx
 
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptxBíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
Bíblia Sagrada - Odabias - slides powerpoint.pptx
 
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhorCultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
Cultura de Paz - educar para a paz para um mundo melhor
 
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptxA CRUZ DE CRISTO-  ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
A CRUZ DE CRISTO- ELE MORREU PARA NOS SALVAE.pptx
 
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptxLição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
Lição 11 - A Realidade Bíblica do Inferno.pptx
 
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
Manual-do-PGM-Protótipo.docxManual-do-PGM-Protótipo.docx
 
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos AgricultoresOração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
Oração Para Pedir Bênçãos Aos Agricultores
 
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxZacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Zacarias - 005.ppt xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
 
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdfO-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
O-livro-de-Jasher-O-Justo, the book of jasher.pdf
 
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOSDIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
DIDÁTICA MAGNA DE COMENIUS COM COMENTÁRIOS
 
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introduçãoEstudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
Estudo Bíblico da Carta aos Filipenses - introdução
 
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADASCARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
CARTAS DE INÁCIO DE ANTIOQUIA ILUSTRADAS E COMENTADAS
 
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptxLição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
Lição 10 - Desenvolvendo Uma Consciência de Santidade.pptx
 
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTASEscola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
Escola sabatina juvenis.pdf. Revista da escola sabatina - ADVENTISTAS
 
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimentoHabacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
Habacuque.docx estudo bíblico, conhecimento
 

Terceira viagem Paulo apresentaçao

  • 1. 1 TERCEIRA VIAGEM DE PAULO DE TARSO MAPA DA ÉPOCA DO IMPÉRIO ROMANO
  • 2. 2 Desenvolvimento do trabalho : 1 ) Descrever os locais da viagem. 2 ) Motim em Éfeso. 3 ) Diário de viagem. 4 ) Considerações finais. TERCEIRA VIAGEM DE PAULO DE TARSO
  • 3. 3 Terceira viagem de Paulo de Tarso CORINTO CESARÉIA ANTIOQUIA DA SIRIA TARSO ÉFESO FILIPOS DERBE ICÔNIO MILETO JERUSALÉM
  • 4. 4 Locais da 3ª viagem de Paulo ANTIOQUIA  Localizada próxima à costa do Mediterrâneo era o principal centro comercial da Síria.  Foi a terceira maior cidade do Império Romano, com população estimada em 500.000 hab.  Famosa por sua devassidão e vícios.  Primeiro sermão de Paulo em uma sinagoga e onde, por sugestão de Lucas, foram primeiramente chamados de cristãos ( Atos 11:26 ).
  • 5. 5 Locais da 3ª viagem de Paulo ANTIOQUIA  Possuía um dos maiores Circos do período Romano.  Rua principal pavimentada com mármores e cercada por colunas.  População formada por muitos povos, entre eles, romanos, gregos e judeus.
  • 6. 6 Locais da 3ª viagem de Paulo TARSO  Cidade natal de Paulo.  Atualmente localiza-se no sul da Turquia .  Foi um importante centro de filosofia, junto com Atenas e Alexandria possuía as melhores Universidades da época.  Ao norte erguem-se as Montanhas do Taurus. VISTA ATUAL DO MONTE TAURUS
  • 7. 7 Locais da 3ª viagem de Paulo Galácia e Frígia  Visita as comunidades da Galácia e Frígia, passando por Derbe, Listra, Icônio e Antioquia da Psídia.  DERBE - localiza-se na parte central do sul da Ásia Menor e foi visitada por Paulo nas três viagens ( Atos 18:23 ). Gaio que o acompanhava na viagem era natural de Derbe ( Atos 20 : 4 ).  ICÔNIO - Cidade próspera cuja riqueza vinha do comércio e agricultura.  ANTIOQUIA DA PSÍDIA - Transformada em colônia romana em 25 a.C. Possuía prédios devotados ao culto do imperador e uma sinagoga ( Atos 13:16 ).
  • 8. 8 Locais da 3ª viagem de Paulo Éfeso  Cidade greco-romana situada na costa ocidental da Ásia Menor ( Turquia ). Foi uma das maiores cidade do império romano com aprox. 450.000 hab.  Célebre pelo templo de Artêmis construído em 550 a.C. era um dos maiores da época medindo 50m de largura por 80m de comprimento.  Possuía um teatro para 25.000 pessoas, escolas de filosofia, bibliotecas, casas de banho de mármore e palácios suntuosos.
  • 9. 9 Locais da 3ª viagem de Paulo Éfeso  Era o maior centro de comércio da Ásia.  Como era comum nas cidades do Mediterrâneo, acumulava tradições orientais, egípcias, gregas, romanas e judaicas.  Nos tempos apostólicos foi onde o cristianismo mais se difundiu.
  • 10. 10 Locais da 3ª viagem de Paulo Éfeso Estátua na Biblioteca de CELSO Biblioteca de CELSO
  • 11. 11 Locais da 3ª viagem de Paulo Éfeso Teatro de Éfeso Pórtico sul do Ágora
  • 12. 12 Locais da 3ª viagem de Paulo Trôade  Era uma importante cidade porto.  Construída após o período de Alexandre, o Grande, e situava-se ao noroeste da Ásia Menor, ao sul da antiga cidade de Tróia.  Paulo passou diversas vezes pela cidade.
  • 13. 13 Locais da 3ª viagem de Paulo Filipos VISTA GERAL DO SÍTIO ARQUEOLÓGICO DE FILIPOS
  • 14. 14 Locais da 3ª viagem de Paulo Filipos  Importante cidade do Império Romano e considerada a porta de entrada da Europa. Situada a 13 km do mar Egeu foi construída sobre uma colina .  Era uma réplica menor de Roma e seus cidadãos possuíam cidadania romana.  Possuía características latinas que se refletiam em seu pensamento e religião.  Tinham cultos à divindades romanas como Juno, Júpiter e Marte.
  • 15. 15 Locais da 3ª viagem de Paulo Filipos  Haviam poucos judeus na cidade e nenhuma sinagoga.  Escavações arqueológicas revelaram um fórum grande e bem preservado, um teatro, uma cadeia.  A via Egnatia, estrada romana construída em 145 a.C. ajudava o império Romano a mover suas tropas para leste. RUÍNAS DA VIA EGNATIA
  • 16. 16 Locais da 3ª viagem de Paulo Mileto  Comercialmente era uma cidade muita ativa. Mantinha negócios com o Oriente e também com o Egito.  A atividade econômica desenvolvida era a criação de ovelhas.  Produzia a melhor lã do mundo grego.
  • 17. 17 Locais da 3ª viagem de Paulo Mileto Antigo anfiteatro em Mileto
  • 18. 18 Locais da 3ª viagem de Paulo Cesaréia  Era um antigo porto comercial fenício e recebeu esse nome em homenagem ao imperador Cesar Augusto.  Teve um papel importante na fase inicial do cristianismo.  Foi onde o centurião romano Cornelius foi batizado ( Atos 10:1-5, 25-28 ).  Paulo foi aprisionado em Cesaréia e enviado para julgamento em Roma ( Atos 23:23-24 ).
  • 19. 19 Locais da 3ª viagem de Paulo Cesaréia Vista aérea do sítio arqueológico de Cesaréia
  • 20. 20 Locais da 3ª viagem de Paulo Cesaréia Antigo anfiteatro em Cesaréia
  • 21. 21 Locais da 3ª viagem de Paulo Cesaréia Aqueduto em CesaréiaHipódromo em Cesaréia
  • 22. 22 TERCEIRA VIAGEM DE PAULO DE TARSO Desenvolvimento do trabalho : 2 ) Motim em Éfeso.
  • 23. 23 Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso  Paulo se desloca de Antioquia para Éfeso, com o objetivo de conversar com Maria.  Em Éfeso, ajuda João a manter a igreja que estava em dificuldades em função da ascendência política da sinagoga.  Passa três meses discutindo na sinagoga.  Multiplicam-se as curas milagrosas. As vozes santificadas que se manifestavam em Jerusalém e Antioquia, falaram na praça pública.
  • 24. 24 Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso  Paulo compreende a importância da igreja para toda a Ásia e decide permanecer por mais tempo na cidade.  Antigos companheiros cooperam ajudando Paulo em Éfeso e nas visitas as fundações cristãs. Com este apoio as curas aumentam.  Após dois anos, Paulo conseguiu que muitos Éfesios abandonassem as crendices e superstições religiosas para abraçarem a mensagem do Cristo.
  • 25. 25 Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso  A cidade tinha uma tradição antiga à deusa Diana ( Artemis ). Muitas imagens e adornos eram comercializados pelos ourives, mas este comércio havia decaído após o trabalho de Paulo na cidade.  Liderados por Demétrio, iniciaram um protesto espalhando um boato pela cidade.  Gaio e Aristarco, Áquila e Priscila são presos mas Paulo escapa ileso. Ruínas do templo de Artemis
  • 26. 26 Motim encabeçado pelos ourives em Éfeso  No dia seguinte, em companhia de João, Paulo observa os destroços da tenda de Áquila.  Comenta que Áquila e Prisca foram seus companheiros de luta desde o início e que eles não deveriam sofrer por sua causa.  João responde que a causa é do Cristo.  Paulo resolve deixar Éfeso. Consegue a liberdade dos amigos e parte para Filipos.
  • 27. 27 TERCEIRA VIAGEM DE PAULO DE TARSO Desenvolvimento do trabalho : 3 ) Diário de viagem.
  • 28. 28 Diário da terceira viagem  Paulo inicia sua terceira viagem partindo de Antioquia da Siria retornando pela Cesaréia até Jerusalém.  Acompanhado de Tito e Timóteo, Gaio e Aristarco ( Atos 19:29 ), inicia a viagem por terra, visitando as comunidades da Galácia e da Frígia.  Passa por Éfeso onde Áquila e Prisca haviam partido com Apolo, judeu convertido.  Fica mais de dois anos em Éfeso e é perseguido pelos ourives da deusa Artêmis.
  • 29. 29 Diário da terceira viagem  Volta a visitar Filipos, Tessalônica e Beréia.  Paulo passa três meses em Corinto com a idéia fixa de viajar para Roma e lembrou-se de preparar o ambiente para sua chegada na sede do Império, escrevendo aos irmãos de lá sua famosa Epístola aos Romanos, a portadora do documento foi Febe.  No dia seguinte, chega de Jerusalém Abdias com uma carta aflitiva e confidencial de Tiago informando que Pedro fora banido e se sentia sem apoio.
  • 30. 30 Diário da terceira viagem  A noite, em sonho, encontrou-se com Abgail e Estevão, confirmando a necessidade de ir à Jerusalém, mas que se tranquilizasse pois iria também à Roma. Depois da permanência de três meses segue com Lucas e Silas.  Volta a Macedônia, fica um tempo em Filipos e inicia o regresso da viagem.  De Filipos, viaja por mar para a região da Frígia, passando por Trôade onde em um longo sermão de despedida à noite reanima o jovem Eutico que caíra do terceiro andar.  Em Éfeso a própria Maria com João vai se despedir.
  • 31. 31 Diário da terceira viagem  Eliaquim e Enoque obtiveram do Sinédrio a decretação da prisão de Paulo, mas Tiago conseguiu abrandar o rigor das exigências.  No 6º dia Paulo foi amarrado e apedrejado no mesmo pátio onde Estevão foi supliciado pelos judeus fanáticos.  Claudio Lísias interviu na Assembléia, salvou Paulo dando- lhe voz de prisão e mandau que o levassem para à Torre Antônia.  Os judeus tramavam matar Paulo, o tribuno Cláudio Lísias avisado por Estefânio e Tiago resolve tranferi-lo para Cesaréia. .
  • 32. 32 Diário da terceira viagem  Em Cesaréia, o governador Pórcio Festo chamou o Sinédrio para ter maiores informações sobre o caso.  Durante o julgamento o governador Félix percebendo as atitudes raivosas dos judeus fanáticos e a tranquilidade e valor espiritual de Paulo adiou a sentença até poder ouvir o tribuno Cláudio Lísias.  Félix tentou tirar alguma vantagem do prestígio de Paulo.  Paulo fez uma apresentação à corte Provincial convocado por Félix e fala dos deveres dos homens o que contraria o governador que o deixa dois anos recluso em Cesaréia.
  • 33. 33 Diário da terceira viagem  Paulo continuou mantendo contato com as igrejas enviando mensagens às igrejas.  Paulo solicita que Lucas retome projeto da biografia de Jesus com as informações de Maria e posteriormente surge Atos dos Apostólos.  Félix é transferido e chega Pórcio Festo que após reunião com os doutores da lei comenta sobre a realização de um novo julgamento..  Lucas informa a Paulo que o sinédrio planejava matar Paulo da mesma forma como fez com Jesus.
  • 34. 34 Diário da terceira viagem  Paulo comenta que neste caso apelará para Cesar.  A princípio Lucas não compreende a decisão de Paulo e a toma como fuga do testemunho.  No julgamento Paulo responde a tudo com serenidade e Pórcio Festo verifica a cultura e verifica a dificuldade de entregá-lo ao sinédrio.  Paulo faz suas considerações finais sobre o processo e recorre a César provocando espanto geral na Assembléia.
  • 35. 35 Projeto das viagens  Buscar os gentios onde quer que se encontrem. Só assim se reintegrar-se-a o movimento em função de universalidade.  É natural prever protestos e lutas enormes.  Poderemos atender a muitos doentes, ofertar um leito de repouso, mas a iluminação do espírito deve estar em primeiro lugar.  É indispensável chamar os incircuncisos, os pecadores, os que estejam fora da lei.
  • 36. 36 Projeto das viagens  Restringir o evangelho a Jerusalém é condená-li a extinção.  Levar a notícia de Jesus a outras gentes, ligar as zonas de entendimento cristão, abrir estradas novas.  Fazer anotações do que sabemos de Jesus e de suas exemplificações. Os pósteros hão de rebuscar muitas vezes a tarefa que nos foi confiada.  Comparo o Evangelho a um campo infinito, alguns trabalhadores devem ficar aos pés dos mananciais, outros revolvem a terra em zonas determinadas.
  • 37. 37 Projeto das viagens  PAULO – EXEMPLO DE TRABALHADOR ESPÍRITA  Haroldo Dutra Dias – dois vídeos no you tube