Heresias - visão espírita

907 visualizações

Publicada em

Trabalho de estudo desenvolvido no C.E. Yvon Costa - Belém PA

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
907
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Heresias - visão espírita

  1. 1. Heresias Católicas Visão Espírita Centro Espírita Yvon Costa ESDE V
  2. 2. Aproxima-se o momento em que se efetuará a aferição de todos os valores terrestres para o ressurgimento das energias criadoras de um mundo novo... Diante dos nossos olhos de espírito passam os fantasmas das civilizações mortas, como se permanecêssemos diante de um "écran“ maravilhoso. As almas mudam a indumentária carnal, no curso incessante dos séculos; constroem o edifício milenário da evolução humana com as suas lágrimas e sofrimentos, e até nossos ouvidos chegam os ecos dolorosos de suas aflições... O tempo, como patrimônio divino do espírito, renova as inquietações e angústias de cada século, no sentido de aclarar o caminho das experiências humanas. Passam as raças e as gerações, as línguas e os povos, os países e as fronteiras, as ciências e as religiões. Um sopro divino faz movimentar todas as coisas nesse torvelinho maravilhoso.
  3. 3. Estabelece-se, então, a ordem equilibrando todos os fenômenos e movimentos do edifício planetário, vitalizando os laços eternos que reúnem a sua grande família. Vê-se, então, o fio inquebrantável que sustenta os séculos das experiências terrestres, reunindo-as, harmoniosamente, umas às outras, a fim de que constituam o tesouro imortal da alma humana em sua gloriosa ascensão para o Infinito. Nossos pobres olhos não podem divisar particularidades nesse deslumbramento, mas sabemos que o fio da luz e da vida está nas suas mãos. É Ele quem sustenta todos os elementos ativos e passivos da existência planetária. No seu coração augusto e misericordioso está o Verbo do princípio. Um sopro de sua vontade pode renovar todas as coisas, e um gesto seu pode transformar a fisionomia de todos os horizontes terrestres.
  4. 4. Passaram as gerações de todos os tempos, com as suas inquietações e angústias. As guerras ensangüentaram o roteiro dos povos nas suas peregrinações incessantes para o conhecimento superior. Só Jesus não passou, na caminhada dolorosa das raças, objetivando a dilaceração de todas as fronteiras para o amplexo universal. Ele é a Luz do Principio e nas suas mãos misericordiosas repousam os destinos do mundo. Seu coração magnânimo é a fonte da vida para toda a Humanidade terrestre. Sua mensagem de amor, no Evangelho, é a eterna palavra da ressurreição e da justiça, da fraternidade e da misericórdia. Todas as coisas humanas passaram, todas as coisas humanas se modificarão. Ele, porém, é a Luz de todas as vidas terrestres, inacessível ao tempo e à destruição. Trecho da introdução . A Caminho da Luz. Emmanuel. Chico Xavier.
  5. 5. HERESIA - CONCEITOS • Heresia ( "escolha" ou "opção“ ) é a doutrina ou linha de pensamento contrária de um credo ou sistema religioso que pressuponha um sistema doutrinal organizado ou ortodoxo. Ortodoxo é o que segue à risca o que diz uma palavra ou regra. • O herege é designado "herege" somente porque alguém, investido de poder eclesiástico e institucional classificou sua prática ou suas ideias como destoantes e contrárias a uma ortodoxia oficial que se autopostula como o caminho correto. (BARROS, 2007-2008, p. 125). • “ Todo herético / heresia tornou-se tal por decisão das autoridades ortodoxas. Ele/ela é antes de tudo um herético aos olhos dos outros ”. (DUBY, 1990, p. 177).
  6. 6. HERESIAS, DESDE QUANDO ? • Este termo foi utilizado primeiramente pelos cristãos, tanto pela Igreja Católica como pelas Igrejas Protestantes, ambas argumentando que heresia é uma doutrina contrária à Verdade revelada por Jesus Cristo. • Heresias cristãs – são doutrinas heterodoxas desenvolvidas em sua maioria por cristãos batizados que negam e duvidam explicitamente de um dogma ou de uma verdade fundamental da Igreja Católica. Os “hereges” se fossem cristãos eram excomungados. Heterodoxo é que se opõe aos padrões, normas, regras, instituições ou doutrinas pré-estabelecidas,que se opõe aos preceitos de uma religião.
  7. 7. ALGUMAS HERESIAS CATÓLICAS • Séc. II - Gnosticismo, • séc. III - Maniqueísmo, • séc. IV - Arianismo, • séc.V - Pelagianismo, • séc. VIII - Iconoclastia, • séc. XII e XIII - Catarismo, • séc. XVI - Protestantismo e Anglicanismo, • séc. XVII - Jansenismo • séc. XIX - Modernismo
  8. 8. HAVERÁ FALSOS CRISTOS E FALSOS PROFETAS ( CAP. XXI E.S.E. ) 3. Tende cuidado para que alguém não vos seduza; – porque muitos virão em meu nome, dizendo: “Eu sou o Cristo”, e seduzirão a muitos. Levantar-se-ão muitos falsos profetas que seduzirão a muitas pessoas; – e porque abundará a iniqüidade, a caridade de muitos esfriará. – Mas aquele que perseverar até ao fim se salvará.  Iniquidade : violação / negação da lei, impiedade. ( dicionário bíblico ) Então, se alguém vos disser: O Cristo está aqui, ou está ali, não acrediteis absolutamente; – porquanto falsos Cristos e falsos profetas se levantarão e farão grandes prodígios e coisas de espantar, ao ponto de seduzirem, se fosse possível, os próprios escolhidos. (São Mateus, 24:4, 5, 11 a 13, 23 e 24; São Marcos, 13:5, 6, 21 e 22.)
  9. 9. HISTÓRICO • Igreja cristã primitiva x seitas ( Gnosticismo ) • Imperador Trajano. • Édito de Milão ( 313 d.C. ). Édito da tolerância. • Cessam as perseguições à Igreja Cristã Primitiva. • Ganha impulso o antijudaísmo. • Concílio Ecumênico de Nicéia ( 325 d.C. ) • Participação de bispos do Oriente e Ocidente. • Objetivo : obter um consenso da Igreja sobre alguns pontos divergentes, entre eles: • A questão Ariana ( Arianismo ) • A celebração da Páscoa. • Resultado : Entre outros a fixação da data da Páscoa e o principal, o estabelecimento da questão cristológica entre Jesus e Deus, o Pai. • Édito de Tessalônica por Teodósio ( 385 d.C. ) • Oficializa o cristianismo como religião do Império.
  10. 10. HISTÓRICO • Cruzadas ( Catarismo sec. XI. 1209 - 1229 ) • A Igreja não poderia tolerar outra doutrina que não a sua, feita de orgulho e mal disfarçada ambição. Qualquer lembrança verdadeira e sincera, do seu divino Fundador, era tomada como heresia abominável e suscetível das mais severas punições. ( A Caminho da Luz. Cap. XVIII. Emmanuel . Chico Xavier ) • Tribunal da Santa Inquisição. • Formalizada pela Igreja após a perseguição aos Cátaros. • Mandou para a fogueira milhares de pessoas que eram consideradas hereges, com pretexto de unificação religiosa, mas o objetivo era dilatar o seu vasto domínio sobre as consciências. • Penalidades: excomunhão, prisão, exílio, etc.
  11. 11. Heresias Católicas Visão Espírita Centro Espírita Yvon Costa ESDE V
  12. 12. ESPIRITISMO E NÓS ( LIVRO DA ESPERANÇA. 77. EMMANUEL. CHICO XAVIER ) “Se me amardes, guardareis os meus mandamentos”. JO 14: 15. “O Espiritismo vem realizar, na época prevista, as promessas do Cristo. Entretanto, não o pode fazer sem destruir os abusos.” E.S.E. Cap. 23, 17.
  13. 13. Todas as religiões garantem retiros e internatos, organizações e hierarquias para a formação de orientadores condicionados, que lhes exponham as instruções, segundo o controle que lhes parece conveniente. A Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião do esclarecimento livre. Mas se nós, os espíritas encarnados e desencarnados, situamos nossas pequeninas pessoas, acima dos grandes princípios que a expressam, estaremos muito distantes dela, confundidos nos delírios do personalismo deprimente, em nome da liberdade. Todas as religiões amontoam riquezas terrestres, através de templos suntuosos, declarando que assim procedem para render homenagem condigna à Divina Bondade. A Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião do desprendimento. Entretanto, se nós, os espíritas encarnados e desencarnados, encarcerarmos a própria mente nas hipnoses de adoração a pessoas ou na ilusão de posse materiais passageiras, tombaremos em amargos processos de obsessão mútua, descendo à condição de vampiros intelectualizados uns dos outros, gravitando em torno de interesses sombrios e perdendo a visão dos Planos Superiores.
  14. 14. Todas as religiões cultivam rigoroso sentido de seita, mantendo a segregação dos profitentes. A Doutrina espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião da solidariedade. Contudo, se nós, os espíritas encarnados e desencarnados, abraçarmos aventuras e distorções, em torno do ensino espírita, ainda mesmo quando inocentes e piedosas, na conta de fraternidade, levantaremos novas inquisições do fanatismo e da violência contra nós mesmos. Todas as religiões sustentam claustros ou discriminações, a pretexto de se resguardarem contra o vício. A Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião do pensamento reto. Todavia, se nós, os espíritas encarnados e desencarnados, convocados a servir no mundo, desertarmos do concurso aos semelhantes, a título de suposta humildade ou por temor de preconceitos, acabaremos inúteis, nos círculos fechados da virtude de superfície. Todas as religiões, de um modo ou de outro, alimentam representantes e ministérios remunerados. A Doutrina Espírita, revivendo o Cristianismo puro, é a religião da assistência gratuita.
  15. 15. No entanto, se nós, os espíritas encarnados e desencarnados, fugirmos de agir, viver e aprender à causa do esforço próprio, incentivando tarefeiros pagos e cooperações financiadas, cairemos, sem perceber, nas sombras do profissionalismo religioso. Todas as religiões são credoras de profundo respeito e de imensa gratidão pelos serviços que prestam á Humanidade. Nós, porém, os espíritas encarnados e desencarnados, não podemos esquecer que somos chamados a reviver o Cristianismo puro, a fim de que as leis do Bem Eterno funcionem na responsabilidade de cada consciência. Exortou-nos o Cristo: “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei.” E prometeu: “Conhecereis a verdade e a verdade vos fará livres.” Proclamou Kardec: “ Fora da caridade não há salvação.” E esclareceu: “Fé verdadeira é aquela que pode encarar a razão face à face.” Isso quer dizer que sem amor não haverá luz no caminho e que sem caridade não existirá tranquilidade para ninguém, mas estes mesmos enunciados significam igualmente que sem justiça e sem lógica, os nossos melhores sentimentos podem transfigurar-se em meros caprichos do coração.
  16. 16. HISTÓRICO • Fundação do Papado ( 607 d.C. ) • A decisão imperial faculta aos bispos de Roma prerrogativas e direitos até então jamais justificados. Entronizam-se mais uma vez, o orgulho e a ambição da cidade dos Césares. Em 610, Focas é chamado ao mundo dos invisíveis, deixando no orbe a consolidação do Papado. Dessa data em diante, ia começar um período de 1260 anos de amarguras e violências para a civilização que se fundava. ( A Caminho da Luz. Cap. XV. Emmanuel . Chico Xavier ) • Islamismo. • Maomet ( 570 d.C. ) filho das tribos dos Coraixitas, missão de reunir todas as tribos árabes sob a luz dos ensinos cristãos, para restauração do Evangelho do Cristo em oposição aos abusos romanos. ( A Caminho da Luz. Cap. XVII. Emmanuel . Chico Xavier )
  17. 17. HISTÓRICO • Franciscanos ( 1182 a 1226 ) • Surge o frade Francisco de Assis que cria a Ordem Mendicante dos Frades Menores renovando o catolicismo do seu tempo, com pregação itinerante em contra partida aos mosteiros. • Em vez de repousar nos claustros, na tranquilidade e meditação, esses espíritos reconheciam que a melhor oração , para Deus, é a do trabalho construtivo, no aperfeiçoamento do mundo e dos corações. • A Igreja, todavia, não entendeu que a lição lhe dizia respeito e, ainda uma vez, não aceitou as dádivas de Jesus. ( A Caminho da Luz. Cap. XVIII. Emmanuel . Chico Xavier )
  18. 18. HISTÓRICO • Espiritualidade no comando: • Os apelos do Alto continuaram a solicitar a atenção da Igreja romana em todas as direções. • As chamadas “ heresias “ brotavam por toda parte onde houvesse consciências livres e corações sinceros, mas as autoridades do Catolicismo nunca se mostraram dispostas a receber semelhantes exortações. • Pedro de Vaux ( valdenses ). Despojou-se de todos os laços que o prendiam às riquezas humanas, traduziu o evangelho e outros livros do N.T. para leitura pública. Foram excomungados em 1185 mas suas pregações e apelos nunca mais desapareceram do mundo desde o séc. XI, com vários nomes, suas organizações subsistiram na Europa até à Reforma. ( A Caminho da Luz. Cap. XVIII. Emmanuel, Chico Xavier. )
  19. 19. HISTÓRICO • As lutas da Reforma ( séc XVI ) • Surgem as ideias libertárias de Lutero ( condenado como herege em 1521 ) que acendem uma nova luz na Europa, foram os reformadores:
  20. 20. E O ESPIRITISMO? • Como foi e é visto? • Foi considerado heresia? • Foi perseguido? • Auto de fé de Barcelona foi uma expressão notabilizada por Kardec para se referir à queima, em praça pública, de trezentos livros espíritas, realizada no dia 9/10/1861 em Barcelona. Foi utilizada pela primeira vez no subtítulo do artigo "O resto da Idade Média", publicado em novembro daquele ano na Revista Espírita. • “ O que causa admiração, é a estranha pretensão que se arroga o bispo de Barcelona, de policiar a França. Ao se pedir a reexportação das obras, ele respondeu com uma recusa assim justificada: - A Igreja católica é universal; e sendo estes livros contrários à fé católica, o governo não pode consentir que venham perverter a moral e a religião de outros países.” ( Revista Espírita 11/1861 )
  21. 21. "Graças a esse zelo imprudente, todo o mundo, em Espanha, vai ouvir falar do Espiritismo e quererá saber o que é; é tudo o que desejamos. Podem-se queimar os livros, mas não se queimam as ideias; as chamas das fogueiras as super-excitam em lugar de abafá-las. As ideias, aliás, estão no ar, e não há Pireneus bastante altos para detê-las; e quando uma ideia é grande e generosa, ela encontra milhares de peitos prontos para aspirá-la.“ Revista Espírita ( 11/1861 )
  22. 22. GNOSTICISMO • Gnose: conhecimento. ( salvação ) • Gnostikos: aquele que tem o conhecimento. • Gnosticismo é um conjunto de correntes filosófico- religiosas sincréticas que chegaram a mimetizar-se com o cristianismo nos primeiros séculos de nossa era, vindo a ser declarado como um pensamento herético. ( Wikipedia ) • Gnosticismo primitivo tem origem na filosofia oriental, Pérsia. (Wikipedia ) • Não são conceitos novos. Ele ensina ideias, que são coisas religiosas, como reencarnação, imortalidade, preexistência, comunicabilidade dos Espíritos ... Oferecia a salvação pelo conhecimento, pelo progresso espiritual, pela ampliação da observação que dá para se fazer sobre o mundo. ( Herminio C. Miranda. Rede Amigo Espírita ) MIMETIZAR : Adotar gestos e formas físicas do outro.
  23. 23. GNOSTICISMO • Filosofia dualista ( dois deuses ) • DEMIURGO: Deus do A.T., criação do mundo visível. • DEUS bondoso revelado em Cristo. • Vários intermediários ( anjos ) que o homem poderia chegar até Deus. • Corpo mau x espírito bom • Condenavam o casamento, alguns tipos de alimentos, etc. Todas as coisas materiais não prestavam, só o espírito era bom. Buscavam o ascetismo para purificação. Ascese é a prática da renúncia ao prazer ou mesmo a não satisfação de algumas necessidades primárias, austeridade.
  24. 24. IGREJA CRISTÃ APOSTÓLICA • Perseguições externas x perseguições internas. • As primeiras heresias vieram dos judeus convertidos: • Ebionitas : farisaicos, não reconheciam o apostolado de Paulo e exigiam que os cristãos gentios se submetessem à circuncisão. No desejo de manterem o monoteísmo do A.T., negavam a divindade de Cristo e seu nascimento virginal. • As epístolas de Paulo, na maioria das vezes, foram escritas para corrigir a postura doutrinária de uma determinada igreja local ou para combater uma heresia incipiente. • Gálatas: Escrita para combater os judaizantes; • I e II Coríntios: Escritas para combater a frouxidão moral dos cristãos coríntios e disciplinar o uso dos dons espirituais; • I e II Tessalonicenses: Escritas para corrigir distorções no que diz respeito ao que aqueles cristãos acreditavam acerca da 2a vinda de Jesus. • O Apocalipse foi escrito para alentar uma igreja perseguida, demonstrando o senhorio de Jesus na História.
  25. 25. HERESIAS X CRISTIANISMO PRIMITIVO PAULO : COL 2: 6-8 II. A Advertência contra os erros Viver a verdadeira fé em Cristo não segundo vãs doutrinas – 6 Portanto ,assim como recebestes Cristo Jesus, o Senhor, assim nele andai, 7 arraigados nele, nele edificados, e apoiados na fé, como aprendestes, e transbordando em ação de graças. 8 Tomai cuidado para que ninguém vos escravize por vãs e enganosas especulações da “filosofia”, segundo a tradição dos homens, segundo os elementos do mundo, e não segundo o Cristo. Bíblia de Jerusalém – Colossenses 2:6-8  Alguns líderes estavam se infiltrando na comunidade e levando influências judaicas e filosóficas (2.8). Esses elementos estavam se misturando e produzindo heresias. A parte filosófica em questão era a doutrina dos gnósticos.
  26. 26. HERESIAS X CRISTIANISMO PRIMITIVO PAULO – CO 2:16-21 Contra a falsa ascese, segundo os “elementos do mundo” - 16 Portanto, ninguém vos julgue por questões de comida e de bebida, ou a respeito de festas anuais ou de Lua nova ou de sábados, 17 que são apenas sombra de coisas que haviam de vir; mas a realidade é o corpo de Cristo. 18 Ninguém vos prive do prêmio, com engodo de humildade, de culto dos anjos, indagando de coisas que viu, 20 Se morrestes com Cristo para os elementos do mundo, por que vos sujeitas, como se ainda estivésseis no mundo, a proibições como 21 “ não pegues, não proves, não toques”? Bíblia de Jerusalém – Colossenses 2:16-21  Ascese é a prática da renúncia ao prazer ou mesmo a não satisfação de algumas necessidades primárias.  Ascese cristã é o esforço que fazemos para domInarmos os nossos sentidos, corrigirmos as nossas más tendências e vivermos um processo de libertação interior, algumas das práticas ascéticas, o jejum e a abstinência.
  27. 27. HERESIAS X CRISTIANISMO PRIMITIVO PAULO : 1 TIM 6:20:21 • Admoestação final e saudação: 20 Timóteo, guarda o depósito, evita o palavreado vão e ímpio, e as contradições de uma falsa ciência, 21 pois alguns, professando-a, se desviaram da fé. A graça esteja convosco. Bíblia de Jerusalém – 1 Tim:6:20-21 • Os irmãos estavam sendo pressionados em relação aos seguintes pontos: • Valorização dos mistérios do gnosticismo. • Adoração a anjos, aos quais os gnósticos atribuíam a obra da criação. • Ascetismo exterior: abstinência de comidas e bebidas (influência gnóstica e judaica). • Observância da lei mosaica (influência judaica). • Prática da circuncisão. • Comemoração das festas judaicas. • Guarda do sábado.
  28. 28. MANIQUEÍSMO • Filosofia religiosa sincrética e dualista fundada por Manique, filósofo cristão do século III, na Pérsia. • Divide o mundo entre Bom / Espírito ( Deus ) e Mau / Matéria ( Diabo ). Reino da luz e das trevas. • Com a popularização do termo, maniqueísta passou a ser um adjetivo para toda doutrina fundada nos dois princípios opostos do Bem e do Mal. • Usava elementos do Zoroatrismo, Hinduísmo, Budismo, Judaísmo e do Cristianismo, considerava Zoroastro, Buda e Jesus como "pais da Justiça", e pretendia, através de uma revelação divina, purificar e superar as mensagens individuais de cada um deles, anunciando uma mensagem universal destinada a substituir todas as religiões.
  29. 29. MANIQUEÍSMO • Fusão de dois elementos primordiais, o reino da luz e o reino das trevas, originou o mundo material. ( mau ) • Missão dos “pais da justiça”, complementada por Mani (parácleto), com segredos para a purificação da luz destinados aos eleitos que praticassem uma rigorosa vida ascética. • As ideias espalharam-se desde as fronteiras com a China até ao Norte d'África. Mani acabou crucificado no final do século III, seus adeptos sofreram perseguições na Babilónia e no Império Romano (Diocleciano), depois pelos imperadores cristãos. • Considerada como herética desde o séc. IV, permaneceu viva até à Idade Média. • Santo Agostinho foi adepto do maniqueísmo até se decidir de vez pelo cristianismo.
  30. 30. SANTO AGOSTINHO • Agostinho de Hipona, conhecido como Santo Agostinho, foi um dos mais importantes teólogos e filósofos do início do cristianismo. A Cidade de Deus e Confissões, são duas de suas obras ainda estudadas atualmente. • Em seus primeiros anos, Agostinho foi muito influenciado pelo maniqueismo e depois pelo neoplatonismo. Se converteu ao cristianismo em 387. • Na Igreja Católica e na Comunhão Anglicana, é venerado como um santo. Sua festa é celebrada no dia de sua morte, 28 de agosto. Muitos protestantes, especialmente os calvinistas, consideram Agostinho como um dos "pais teológicos" da Reforma Protestante por causa de suas doutrinas sobre a salvação e graça divina.
  31. 31. SANTO AGOSTINHO NO E.S.E. • Santo Agostinho é um dos maiores divulgadores do Espiritismo. ( E.S.E. item 11. Erasto, discípulo da S. Paulo. 1863 ) • Nota – Dar-se-á venha Santo Agostinho demolir o que edificou? Certamente que não. Como tantos outros, ele vê com os olhos do espírito o que não via enquanto homem... • Mundos Regeneradores. ( cap. III, itens 16,17 e 18 E.S.E. ) • Progressão dos Mundos. ( cap. III, item 19 E.S.E. ) • O Mal e o Remédio. ( cap. V, item 19 E.S.E. ) • O Duelo. ( cap. XII. Item 12 e 15 E.S.E. ) • A Ingratidão dos Filhos e os Laços de Família ( cap. XIV item 9 E.S.E. ) • A Alegria da Prece. ( cap. XXVIII item 23 E.S.E. )
  32. 32. Heresias Católicas Visão Espírita Centro Espírita Yvon Costa ESDE V
  33. 33. HERESIAS Recebamos os hereges com simpatia, falem livremente os materialistas, ninguém se insurja contra os que duvidam, que os descrentes possuam tribunais e vozes. Isso é justo. Paulo de Tarso escreveu este versículo sob profunda inspiração. Os que condenam os desesperados da sorte não ajuízam sobre o amor divino, com a necessária compreensão. Que dizer-se do pai que amaldiçoa o filho por haver regressado a casa enfermo e sem esperança? “E até importa que haja entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós.” Paulo. (1 Cor, 11:19)
  34. 34. Quem não consegue crer em Deus está doente. Nessa condição, a palavra dos desesperados é sincera, por partir de almas vazias, em gritos de socorro, por mais dissimulados que esses gritos pareçam, sob a capa brilhante dos conceitos filosóficos ou científicos do mundo. Ainda que os infelizes dessa ordem nos ataquem, seus esforços inúteis redundam a benefício de todos, possibilitando a seleção dos valores legítimos na obra iniciada. Quanto à suposta necessidade de ministrarmos fé aos negadores, esqueçamos a presunção de satisfazê-los, guardando conosco a certeza de que Deus tem muito a dar-lhes. Recebamo-los como irmãos e estejamos convictos de que o Pai fará o resto. ( Caminho, Verdade e Vida. 36. Emmanuel, Chico Xavier )
  35. 35. GNOSTICISMO ( SÉC. II ) • Ensinava ideias religiosas, tais como: reencarnação, preexistência e imortalidade da alma, comunicabilidade dos Espíritos ... Oferecia a salvação pelo conhecimento, pelo progresso espiritual. ( Hermínio C. Miranda. Entrevista Rede Amigo Espírita ) • Filosofia dualista ( dois deuses ) • DEMIURGO: Deus do A.T., criação do mundo visível. • DEUS bondoso revelado em Cristo. • Matéria ( corpo – mau ) x Espiritual ( alma – bom ) • A divindade é superior ao Demiurgo.
  36. 36. MANIQUEISMO ( SÉC. III ) • A principal religião dualista afirmando que o bem e o mal são igualmente poderosos, e que as coisas materiais são más e o espírito intrinsicamente bom. Fundado por Maniqueu ( 216- 274/7 d.C. ) • O espírito do homem, preso a matéria má, necessitava de um ascetismo rigoroso, inclusive o sexual, para ser liberto. • Usava elementos do Zoroatrismo, Hinduísmo, Budismo, Judaísmo e do Cristianismo, considerava Zoroastro, Buda e Jesus como "pais da Justiça", e pretendia, através de uma revelação divina, purificar e superar as mensagens individuais de cada um deles, anunciando uma mensagem universal destinada a substituir todas as religiões. • Dois princípios igualmente poderosos, sem que haja subordinação, apenas igualdade de origens.
  37. 37. ALTERAÇÃO DO CRISTIANISMO • Após a morte do Mestre, os primeiros cristãos possuíam em sua correspondência com o mundo invisível, abundante fonte de inspirações. Mas as instruções dos espíritos nem sempre estavam em harmonia com a opinião do sacerdócio nascente, que, se nessas relações achava um amparo, nelas muitas vezes encontrava uma crítica severa e, às vezes, mesmo uma condenação. • À medida que se constitui a obra dogmática da Igreja, nos primeiros séculos, os espíritos se afastam pouco a pouco dos cristãos ortodoxos, para inspirar os que eram então designados de hereges. • Desde o séc. III, os espíritos afirmavam que os dogmas impostos pela Igreja, não eram mais que um obscurecimento do pensamento do Cristo. ( Cristianismo e Espiritismo. Cap. VI. León Denis ) SURGIMENTO DAS HERESIAS
  38. 38. ALTERAÇÃO DO CRISTIANISMO • Os ditos hereges, aconselhados e dirigidos pelos Espíritos, interpretavam o Evangelho e entravam em luta aberta contra a Igreja. • Aceitavam a sucessão das vidas. Orígenes a denominava “castigos medicinais”. Oportunizava por meio da misericórdia e justiça divina os meios das almas se elevarem mediante existências laboriosas e provas aceitas com resignação e suportadas com coragem em contrapartida às penas eternas. • Essa doutrina de esperança e de progresso não inspirava, aos olhos dos chefes da Igreja, o suficiente terror da morte e do pecado não permitindo firmar a autoridade do sacerdócio sobre o povo. • O dom de profecia, a comunicação constante com os Espíritos, eram forças que, sem cessar, minavam o poder da Igreja, que resolve sufocar o profetismo. ( Cristianismo e Espiritismo. Cap. VI. León Denis ) SURGIMENTO DAS HERESIAS
  39. 39. HISTÓRICO • Édito de Milão ( 313 d.C. ). Édito da tolerância. • Cessam as perseguições à Igreja Cristã Primitiva. • Ganha impulso o antijudaísmo. • Concílio Ecumênico de Nicéia ( 325 d.C. ) • Participação de bispos do Oriente e Ocidente. • Objetivo : obter um consenso da Igreja sobre alguns pontos divergentes, entre eles: • A questão Ariana ( questão cristológica ) • A celebração da Páscoa. • Resultado : Entre outros a fixação da data da Páscoa e o principal, o estabelecimento da questão cristológica entre Jesus e Deus, o Pai. • Édito de Tessalônica por Teodósio ( 385 d.C. ) • Oficializa o cristianismo como religião do Império.
  40. 40. ARIANISMO • Principal representante da visão cristológica e foi debatida no Concílio de Nicéia ( 325 d.C. ). • Preocupada com a natureza de Jesus, não com detalhes da vida de Jesus e sim como o humano e o divino co-existem em uma pessoa, ou seja, negava a existência da consubstancialidade entre Deus e Jesus, que os igualasse. • Desenvolvida pelo presbítero Ário defendeu em Nicéia que à Jesus deveria ser dado toda a honra, mas não a divindade, entrando em conflito com a visão da Igreja ( Cristo era totalmente divino e humano ). • Para Ário só existe um Deus e Jesus é seu filho e não o próprio, portanto, uma "criatura do Pai", não sendo, portanto, eterno. Foi condenado como herege. • Após o séc. V, em função das perseguições, o Arianismo desaparece gradualmente.
  41. 41. VISÃO ARIANA X SANTÍSSIMA TRINDADE • Dogma: definidos e proclamados solenemente pelo Papa ou pelo Papa e um Concílio Ecumênico, e após proclamado não pode ser alterado pois é considerado verdade definitiva. • O dogma da Santíssima Trindade que, não violando o monoteísmo, professa que Deus é simultaneamente uno (porque, em essência, só existe um Deus) e trino (se apresenta em três pessoas: O Pai, o Filho e o Espírito Santo, que se estabelecem entre si uma comunhão perfeita). Estas três pessoas eternas, apesar de possuírem a mesma natureza, "são realmente distintas". • A criação divina do mundo está associada a Deus Pai, a salvação do mundo a Jesus, o filho de Deus; e a proteção, guia, purificação e santificação da Igreja ao Espírito Santo. • Para Ário só existia um Deus e Jesus é seu filho.
  42. 42. O JOVEM RICO 18:18 Certo chefe o interrogou, dizendo: Bom Mestre, fazendo o que herdarei a vida eterna? 18:19 Disse-lhe Jesus: Por que me dizes “bom”? Ninguém é bom senão um, Deus. • Na Gênese ( cap. II, Q. 9-16 ) atributos de Deus: Deus é a suprema e soberana inteligência, é eterno, é imutável, é imaterial, é todo poderoso, é soberanamente justo e bom, é infinitamente perfeito e Deus é único. • A Doutrina Espírita ( Q. 625 ) também compreende em Jesus o ser humano mais iluminado, que serve de guia e modelo à humanidade, mas não o confunde com Deus. Lc 18:18-19; Mt 19:16-17; Mc 10:17-18
  43. 43. Heresias Católicas Visão Espírita Centro Espírita Yvon Costa ESDE V
  44. 44. “ MAS OS CUIDADOS DESTE MUNDO, OS ENGANOS DAS RIQUEZAS E AS AMBIÇÕES DOUTRAS COISAS, ENTRANDO, SUFOCAM A PALAVRA, QUE FICA INFRUTÍFERA. " ( MC,4:19 ) A árvore da fé viva não cresce no coração, miraculosamente. Qual acontece na vida comum, o Criador dá tudo, mas não prescinde do esforço da criatura. Qualquer planta útil reclama especial atenção no desenvolvimento. Indispensável cogitar-se do trabalho de proteção, auxílio e defesa. Estacadas, adubos, vigilância, todos os fatores de preservação devem ser postos em movimento, a fim de que o vegetal precioso atinja os fins a que se destina. A conquista da crença edificante não é serviço de menor esforço. A maioria das pessoas admite que a fé constitua milagrosa auréola doada a alguns espíritos privilegiados pelo favor divino.
  45. 45. Isso, contudo, é um equívoco de lamentáveis consequências. A sublime virtude é construção do mundo interior, em cujo desdobramento cada aprendiz funciona como orientador, engenheiro e operário de si mesmo. Não se faz possível a realização, quando excessivas ansiedades terrestres, de parceria com enganos e ambições inferiores, torturam o campo íntimo, à maneira de vermes e malfeitores, atacando a obra. A lição do Evangelho é semente viva. O coração humano é receptivo, tanto quanto a terra. É imprescindível tratar a planta divina com desvelada ternura e instinto enérgico de defesa. Há muitos perigos sutis contra ela, quais sejam os tóxicos dos maus livros, as opiniões ociosas, as discussões excitantes, o hábito de analisar os outros antes do autoexame. Ninguém pode, pois, em sã consciência, transferir, de modo integral, a vibração da fé ao espírito alheio, porque, realmente, isso é tarefa que compete a cada um. ( Vinha de Luz. 40. Fé. Emmanuel. Chico Xavier )
  46. 46. CATARISMO • O catarismo (puro) foi um movimento cristão na Europa Ocidental nos anos 1100 e 1200. • Viveram na região do Languedoc ( sul-sudoeste da França ), centralizavam-se na cidade de Albi motivo pelo qual seus adeptos também receberam o nome de "albigenses". ALBI
  47. 47. CATARISMO - HISTÓRICO • Michel Roquebert escreve, em Histoire des Cathares, que a história dos cátaros é a da perseguição que sofreram. • Anne Brenon intui acertadamente, em Le Vrai Visage du Catharisme, a existência de uma "sociedade predisposta" à aceitação do catarismo. • René Nelli, numa espécie de lamento emocional, caracteriza, logo numa das primeiras páginas de Les Cathares, o movimento cátaro como o de uma "civilização abortada", declarando, a seguir, que a malograda proposta catara continha "o esboço de uma sociedade futura". • Não era somente religioso. O ideário cátaro incluía uma reformatação política, social e até econômica praticamente impensável para a época, na qual predominavam conceitos medievais tidos por definitivos, incontestáveis e irremovíveis. Insuscetíveis, portanto, de renovação e progresso. ( site: acasadoespiritismo.com.br Hermínio Costa Miranda )
  48. 48. CATARISMO - DOUTRINA • Entendiam que o Cristo não propusera uma nova igreja, mas uma singela e competente doutrina de comportamento, um roteiro sobre como deveria o ser humano colocar-se ante a vida, a fim de eventualmente alcançar a tão desejada felicidade naquilo que ele descrevia como o Reino de Deus. • Foi a partir daí que o cristianismo começou a se transmutar em catolicismo. • O cristianismo foi assumindo as características de uma heresia em relação ao que ensinara e exemplificara o Cristo. Os cátaros empreenderam a viagem de volta, a fim de resgatar dos escombros e das paixões dos séculos a perdida imagem de Jesus e o verdadeiro conteúdo de sua mensagem imortal, em toda a pureza primitiva. ( site: acasadoespiritismo.com.br Hermínio Costa Miranda )
  49. 49. CATARISMO • Sua doutrina foi apagada dos registros da história em decorrência da feroz perseguição movida pela igreja católica que, com esse objetivo, organizou uma cruzada ( 1209-1229 ) e criou a famigerada Inquisição ( 1233 ). • Livros e gentes foram queimados em profusão nas fogueiras da Idade Média. • Desenvolveram um conjunto de crenças inteiramente baseado nos ensinamentos do Cristo. Sua principal obra de estudo era o Novo Testamento, com destaque para o Evangelho de João e as cartas de Paulo, de onde extraíram ideias como a crença na reencarnação e a prática da comunicação com os espíritos. • Intitulavam-se apenas bons cristãos ou bons homens e, destituídos de posses, corriam o país pregando a mensagem do Cristo e curando corpos e almas, como aliás fizeram os primitivos cristãos.
  50. 50. CATARISMO • A perseguição movida pelo Vaticano contra esse pacífico grupo conta-se como das mais cruéis da história da humanidade, quando milhares de pessoas foram levadas à fogueira, apesar de crerem no mesmo Deus e seguirem o mesmo livro sagrado dos seus perseguidores, tendo por único crime buscarem o sentido original da mensagem do Cristo. • E como testemunho da retidão de conduta dos cátaros, podemos invocar Bernardo de Clairvaux, mais conhecido como são Bernardo, possivelmente a mais lúcida e brilhante inteligência católica da Idade Média, que sobre eles nos fala: "Se lhes perguntarem qual é a sua fé, ela é totalmente cristã, se lhes ouvirem as conversas, não há nada de mais inocente; e seus atos estão em harmonia com suas palavras".
  51. 51. CATARISMO Após brilhante descrição da história e da crença dos cátaros, o autor conclui: "Não há confronto entre a 'heresia' cátara e a ortodoxia cristã, e sim entre um cristianismo recuperado, reconstituído, resgatado na sua pureza, e uma heresia vitoriosa que se outorgou o título e o poder de verdade única, como se destilada da mais pura tradição apostolar. Em outras palavras: no embate medieval entre catarismo e catolicismo, este é que foi a heresia. ( Os Cátaros e a Heresia Católica. Hermínio Costa Miranda )
  52. 52. OS TEMPOS SÃO CHEGADOS GÊNESE. CAP.XVIII Sinais dos tempos 1. Os tempos marcados por Deus são chegados, nos dizem de todas as partes, onde grandes acontecimentos vão se cumprir para a regeneração da humanidade. 2. Tudo é harmonia na criação ... O nosso globo, como tudo o que existe, está submetido à lei do progresso. Ele progride fisicamente pela transformação dos elementos que o compõem , e moralmente pela depuração dos Espíritos encarnados e desencarnados que o povoam ... Quando pois, a Humanidade está madura para vencer um degrau, pode- se dizer que os tempos marcados por Deus são chegados. 5. A humanidade cumpriu, até este dia, incontáveis progressos pela sua inteligência; resta-lhes ainda um imenso progresso a realizar: é o de fazer reinar entre eles a caridade, a fraternidade e a solidariedade, para assegurar o bem – estar moral ... Não é somente o desenvolvimento da inteligência que é preciso aos homens, é a elevação do sentimento, e para isso é necessário destruir tudo o que poderia superexcitar, neles, o egoísmo e o orgulho.
  53. 53. 6. Nesse tempo, não se tratará mais de uma mudança parcial, de uma renovação limitada a uma região, a um povo, a uma raça; é um movimento universal que se opera no sentido do progresso moral. ... O velho mundo estará morto, e viverá na história, como hoje os tempos da Idade Média com os seus costumes bárbaros e as suas crenças supersticiosas. 12. A humanidade é um ser coletivo no qual se operam as mesmas revoluções morais que em cada ser individual, com a diferença de que umas se cumprem de ano a ano e as outras de século em século. 17. A fraternidade deve ser a pedra angular da nova ordem social; mas não há fraternidade real, sólida e efetiva, se ela não se apoia sobre uma base inabalável; esta base é a fé; não a fé em tais ou quais dogmas particulares, que mudam com os tempos e os povos ... ; mas a fé em princípios fundamentais que todo o mundo pode aceitar ... Quando todos os homens estiverem convencidos de que Deus é o mesmo para todos; que esse Deus, soberanamente justo e bom, nada pode querer de injusto; que o mal vem dos homens e não dele. Eles se olharão como filhos de um mesmo Pai e estender- se-ão as mãos.
  54. 54. É esta a fé que o Espiritismo dá, e que será doravante o eixo sobre o qual se moverá o gênero humano, quaisquer que sejam o modo de adoração e as crenças particulares. Nós trabalhamos para dar a fé aos que em nada creem; para espalhar uma crença que os torna melhores uns para os outros, que lhes ensine a perdoar aos inimigos, a se olharem como irmãos, sem distinção de raça, casta, seita, cor, opinião política ou religiosa; numa palavra , uma crença que faz nascer o verdadeiro sentimento de caridade, de fraternidade e deveres sociais. ( A Gênese. Nota Explicativa )
  55. 55. DIVISÃO IMP. ROMANO ( SÉC. IV ) NICÉI A

×