recurso mnaa

353 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
353
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

recurso mnaa

  1. 1. DA ESCOLA AO MUSEU: CRIATIVIDADE, ARTE E HISTÓRIA EM DESCOBERTA MNAA/CFJS | 2011 Registo de Recurso Didático – Da Escola ao MuseuTítulo/Tema do trabalho:O Quadro MágicoDesignação da Unidade Didática (se aplicável):Projeto multidisciplinar Destinatários: Duração da atividade: Data de Recepção: Possibilidade de ser Não se aplica 13-10-2011 adaptado a todos os níveis de ensinoIntrodução: A obra a partir da qual criámos o nosso recurso designa-se Cabaz de Fructas, e éatribuída ao pintor António Peneda Y Salgado, e está datado de 1650. Esta obra encontra-se nasala 57 do MNAA (no espaço do museu dedicado à pintura europeia produzida ao longo devários séculos). O motivo que esteve subjacente à nossa escolha prendeu-se com o facto de a obra tersuscitado em cada uma de nós a ideia de abundância, fertilidade e de vida, contrastando, assim,com o tema da Vanitas que está subjacente à maioria das pinturas que se encontram na mesmasala. A possibilidade de exploração de um leque alargado de conhecimentos relacionados comdiferentes conteúdos programáticos contribuiu, ainda, para que a nossa escolha recaísse sobre areferida obra. O recurso didático elaborado a partir da sua análise é constituído por uma aplicaçãomultimédia cuja possibilidade de ligação à internet permite não só a pesquisa de informaçãodiversa, como a partilha e divulgação de trabalhos desenvolvidos no âmbito das actividadespropostas no menu da aplicação. As nossas sugestões vão também no sentido de promoveruma aprendizagem activa e baseada numa abordagem inter e multidisciplinar. Objetivos pedagógicos:Os objetivos pedagógicos visados são:a) Motivar para a aprendizagem, apelando à criatividade e à descoberta.b) Promover a experiência estética, numa perspetiva de interacão entre espetador e obra dearte.c ) Explorar e enquadrar a obra no seu contexto sócio/económico e cultural.e ) Adquirir e aplicar conhecimentos numa perspectiva multidisciplinar.Ferramentas e Recursos:Tendo em conta os objetivos mencionados consideramos que o recurso multimédia a criar devepermitir ao seu utilizador: 1 Registo Final – Ação de Formação: Da Escola ao Museu – 2011
  2. 2. DA ESCOLA AO MUSEU: CRIATIVIDADE, ARTE E HISTÓRIA EM DESCOBERTA MNAA/CFJS | 2011• A visualização da obra e obtenção de um conjunto de informação sobre a mesma nomeadamente: seu autor, tempo e espaço em que a mesma surgiu, a sua localização (obtida através de um link que remeta para o espaço/contexto (museu) em que a mesma se encontra;• A apresentação da narrativa (“O quadro mágico”) que foi elaborada a partir da nossa análise sobre a obra, através da qual seja também possível ao utilizador desenvolver um texto onde sejam acrescentados novos factos, situações, personagens e ideias, ou mesmo a criação de novas narrativas;• A divulgação e a partilha dos textos através da Internet (em blogs, email);• A utilização de uma tela em branco onde seja possível efectuar uma nova composição clicando nos vários elementos que constituem a tela em análise, os quais devem estar dispostos em redor, dando a possibilidade de criação de novas composições, segundo diferentes perspetivas formais e pictóricas;• A utilização de links através dos quais seja possível obter informação sobre aspectos científicos, artístico/estéticos, culturais, simbólicos e curiosidades, relacionados com os diferentes elementos e atributos que constituem a pintura;• A descoberta de outras obras que fazem parte do mesmo género da pintura, existentes no MNAA ou em outros museus, dando assim a possibilidade de “viajar” por outros museus nacionais e estrangeiros.Operacionalização:As propostas que surgem na aplicação podem ser complementadas com outro tipo deactividades pedagógicas e operacionalizadas no âmbito de projectos interdisciplinares a realizarno espaço escolar ou mesmo museológico, tais como:1) Visitas de estudo tendo como objetivo o contato direto com a obra e a construção de umanarrativa sobre a mesma.2) Dramatizações, através das quais seja possível recriar espaços e ambientes relacionadoscom o passado histórico;3) Elaboração de diferentes ementas e recriação de um banquete/festa gastronómica, como umaforma de abordagem de temas relacionados com a alimentação, sensibilizando para anecessidade de adquirir comportamentos e atitudes que contribuam para um maior bem-estarpessoal.4) Recurso ao desenho para a elaboração de composições relacionadas com os diferentesfrutos, outros alimentos e utensílios diversos;5) Propostas de trabalhos que do ponto de vista plástico permitam a exploração de novastécnicas e materiais, bem como a exploração de novos temas (nomeadamente o da roda dosalimentos);6) Realização de concursos para apresentação de trabalhos escritos e/ou plásticos a partir dedesafios colocados sob a forma de questões tais como:Como seria uma natureza morta nos dias de hoje? 2 Registo Final – Ação de Formação: Da Escola ao Museu – 2011
  3. 3. DA ESCOLA AO MUSEU: CRIATIVIDADE, ARTE E HISTÓRIA EM DESCOBERTA MNAA/CFJS | 2011Avaliação:Tendo em vista a avaliação do recurso didático que aqui propomos, seleccionámos,aleatoriamente, dois visitantes do museu com o objectivo de recolher a sua opinião relativamenteà viabilidade do mesmo. Colocados perante a obra seleccionada, foi-lhes apresentada a ideiaque está subjacente à sua concepção bem como os objectivos pedagógicos que pretendemosalcançar ao propor a sua utilização e exploração. A ideia foi considerada exequível e pertinentetendo sido referido como uma valia o facto de se constituir como uma ferramenta multimédiainterativa e dinâmica.Posteriormente, a proposta para a criação deste recurso foi também apresentada e discutidacom os outros colegas que fizeram parte da acção de formação, bem como com os formadores,tendo também obtido juntos destes um feedback positivo.Tendo em conta os objectivos que enunciámos, a avaliação da aplicação enquanto recursoeducativo desenvolver-se-ia tendo em conta dois aspectos:- a recolha da opinião dos utilizadores relativamente às diferentes funcionalidades oferecidaspela aplicação, visando assim o aperfeiçoamento e adequação do recurso às necessidades eexpetativas dos diferentes públicos;- em que medida a utilização do criado contribui para aquisição de novos conhecimentos,tentando compreender de que modo estes foram ou não utilizados na resolução de novosproblemas e desafios.Assim, para avaliar a viabilidade da aplicação multimédia enquanto recurso pedgógicoaplicaríamos pequenos questionários de recolha da opinião dos alunos, professores e outrosutilizadores, nomeadamente dos serviços educativos do museu;Para avaliar o impacto ao nível da aprendizagem, consideraríamos as atividades resultantes dautilização deste recurso por se constituirem como produtos capazes de revelar não só o grau demotivação e envolvimento de cada utilizador face às diferentes atividades, como odesenvolvimento de um conjunto de competências necessárias para a realização das mesmas.Observações:Na nossa opinião, o recurso que propomos permite o desenvolvimento de projetosmultidisciplinares e, em virtude do caráter interativo que o caracteriza, oferece também apossibilidade de uma constante reconstrução e integração de conteúdos programáticosdiversificados, além de permitir a adaptação das diferentes actividades a um público - alvobastante heterogéneo (desde a Pré-Primária, até ao Secundário, tendo em vista o maior númerode disciplinas envolvidas de acordo com o grau de ensino). 3 Registo Final – Ação de Formação: Da Escola ao Museu – 2011

×