SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 31
Baixar para ler offline
Parceiros Competitivos
T QUÍMICA BRASIL
» A TQUIMICA BRASIL é uma empresa genuinamente brasileira, abrindo
  mercado para a tecnologia nacional em um competitivo cenário
  científico dominado por grandes empresas multinacionais.

» Respeitando normas técnicas, antecipando e satisfazendo as
  necessidades de um mercado ávido por tecnologia que solucione seus
  problemas específicos, a TQUÍMICA BRASIL sabe que seus produtos
  representam qualidade de vida, contribuindo de maneira decisiva para
  o desenvolvimento local e sustentável.

» Usar TQUIMICA BRASIL significa compromisso com o Brasil, consciência
  e responsabilidade com o meio ambiente.
Alguns clientes
Soluções para aumentar a competitividade

  EFICIÊNCIA                        REATOR SK
  HOSPITALAR                          COM                         FREEBAC
     DEA                         BIOAUMENTAÇÃO

         World Trade & Finance
                                         World Trade & Finance




Ferramenta de gestão             Um novo paradigma               Peróxido de
 por resultados para             para o saneamento               hidrogênio
acompanhamento da                      básico                    estabilizado
  produtividade das
diversas unidades do
       hospital
EFICIÊNCIA
HOSPITALAR
    DEA
World Trade & Finance
Objetivo geral
» Apresentar uma ferramenta de gestão por resultados para
  acompanhamento da produtividade das diversas unidades do hospital
  baseada em modelos matemáticos que possibilita:

    » Identificar a fronteira de eficiência de todas as unidades que
      integram o complexo hospitalar;

    » Realizar diagnóstico da produção das unidades do hospital;

    » Dimensionar as necessidades de médicos, enfermeiros,
      auxiliares de enfermagem, servidores administrativos,
      equipamentos e recursos financeiros em função dos índices de
      eficiência técnica das unidades.

                          World Trade & Finance
Objetivo específico
Determinar indicadores de eficiência de cada Unidade do Hospital:
      Emergência
      Traumatologia

      UTI, Radiologia

      Ressonância magnética

      Exames laboratoriais, etc.

através de modelos matemáticos multicritérios DEA (Data Envelopment
 Analysis)
                        World Trade & Finance
Principais variáveis utilizadas no modelo
INPUTS
» Nº de Pacientes Internados;
» Nº de Médicos;
» Nº de Enfermeiros;
» Nº de Auxiliares de Enfermagem;
» Nº de Servidores Administrativos;          World Trade & Finance


» Área ocupada;
» Nº de leitos;
» Equipamentos (aparelhos e laboratórios);
» Computadores, móveis e utensílios.
Principais variáveis utilizadas no modelo
OUTPUTS
» Nº de Pacientes com alta;
» Nº de exames radiológicos;
» Nº de exames de tomografia computadorizada;
» Nº de exames de ultrasonografia;
» Nº de exames de ressonância magnética;
» Nº exames laboratoriais clínicos.



                          World Trade & Finance
Sistema de produção (inputs e outputs)

                            CELERIDADE PROCESSUAL
    INSUMOS                                                PRODUTOS
      inputs                                                outputs
    Pacientes,
    Médicos,                            Emergência      Pacientes com alta,
                                      Traumatologia     Exames de Raio X,
  Enfermeiros,
                                            UTI           Ultrasonografia,
  Auxiliares de
                                      Ultrasonografia       Ressonância
  Enfermagem,                          Ressonância      magnética, exames
Servidores, Leitos,                   magnética, etc.    laboratoriais, etc.
Equipamentos, etc



                      World Trade & Finance
Fronteira de Eficiência de DMUs
      Nº de pacientes com alta
                                   Índice de eficiência da unidade k
      Nº pacientes internados




                                                                  Hospital G
                                                     Hospital F
                                          Hospital
                                                                          Hospital C


                                                          Hospital Y
                                                                       Hospital W
                                      Hospital Z




           World Trade & Finance
Novos desafios para os hospitais
Estruturação da base
                             Emissão de relatório   Alocação de unidades
    de dados de
                                    final                 especiais
     inteligência


 Criação e medição de
indicadores gerenciais                 SAD          Análise de eficiência
                                                         hospitalar


    Integração e                                      Diagnóstico de
  documentação de              Investigação de        características
     aplicativos             padrões processuais    empreendedoras do
   desenvolvidos                                    quadro de médicos

                         World Trade & Finance
REATOR SK COM
BIOAUMENTAÇÃO
       World Trade & Finance
Breve histórico
» Banco Interamericano de Desenvolvimento BID – Programa US$ 1,5
  bilhão (montante duplicável após utilização da linha de crédito), 20
  anos de prazo, 4 anos de carência e a menor taxa de juros da instituição.

» Banco Mundial - Programa US$ 1,0 Bilhão (montante duplicável após
  utilização da linha de crédito), 20 anos de prazo, 4 anos de carência e a
  menor taxa de juros da instituição.




                                     World Trade & Finance
World Trade & Finance



      Energia química do material orgânico
                                                  97
100

 80                 67
 60

 40         33

 20
                                                           3
  0
             Aeróbico                              Anaeróbico

                        Catabolismo    Anabolismo
Vantagens do processo anaeróbio
» Produz energia sob a forma de metano;

» A produção de lodo é apenas 10% daquela formada pelo processo
  aeróbio na conversão da mesma quantidade de matéria orgânica.

» Isso é vantajoso no tratamento de despejos com carga orgânica elevada,
  onde o manuseio de grandes quantidades de lodo gera problema e,
  consequentemente, despesas adicionais para solucioná-los.



                                   World Trade & Finance
Tecnologias recomendadas
        Implantação de
         Implantação de
          Implantação de
        Reatores tipo SK
         reatores tipo SK
          reatores tipo SK

e, simultaneamente, utilizar um adequado


         Programa de
           Programa de
            Programa de
         bioaumentação
          bioaumentação
        bioaumentação

                   World Trade & Finance
World Trade & Finance   Reator SK
» Requer uma área menor do que a das lagoas de estabilização;
» Exige um mínimo de cuidado para sua manutenção;
» Dispensa o emprego de mão-de-obra especializada;
» Oferece um efluente de altíssima qualidade,
» Reduz os custos operacionais;
» Requer um investimento inicial muito inferior ao exigido pelas
  estações convencionais de tratamento de esgoto;
» Permite a reutilização da água para irrigação irrestrita;
» Possibilita a co-geração de energia a partir do metano produzido;
» Possibilita obtenção de crédito de carbono.
Bioaumentação
» São formulações que contêm micro-organismos especializados para
  aplicação em dejetos sanitários.

» Para começar presumimos que o papel dos micro-organismos
  existentes nas águas servidas (estações de tratamento de esgoto,
  sistemas sépticos, fossas, sumidouros, caixas de gordura) é
  perfeitamente conhecido.

» Embora a natureza tenha uma notável capacidade de se auto reparar, o
  processo biológico natural tem algumas falhas. O primeiro problema é a
  contaminação do meio ambiente pelo homem com compostos químicos
  não biodegradáveis e de difícil decomposição.

                                       World Trade & Finance
Bioaumentação
» A contaminação ocorre porque falta às bactérias naturais capacidade de
  degradação. Como resultado, o processo natural pode levar anos para
  decompor determinados elementos.

» Nós temos utilizado os mais modernos métodos oferecidos pela
  biotecnologia para superar as dificuldades da natureza. Através do
  processo de seleção, adaptação seletiva, mistura sinérgica, nós
  desenvolvemos micro-organismos altamente especializados e
  bioformulações com inigualável capacidade de degradação.



                                        World Trade & Finance
World Trade & Finance     Bioaumentação
Biodegradação de ácidos graxos de cadeia longa medida pela absorção
acumulada de oxigênio: Produto biológico versus microflora nativa
                                          1.600
    Absorção acumulada de oxigênio mg/l




                                          1.400
                                                                    Ácido Palmítico, microflora nativ a
                                                                    Ácido Palmítico, Produto A
                                          1.200                     Ácido Esteárico, microflora nativa
                                                                    Ácido Esteárico, Produto A
                                          1.000

                                           800

                                           600

                                           400

                                           200

                                                0
                                                     0             20             40         60       80   100   120
                                                                                       Tempo em Horas
FREEBAC
O que é o FREEBAC?
» É Peróxido de Hidrogênio estabilizado (H2O2).

O Peróxido de Hidrogênio é um desinfetante ecologicamente correto.
 Diferença entre o FREEBAC e o Peróxido de
 Hidrogênio (H2O2)
Fórmula química do Peróxido de Hidrogênio: H2O2 - H-0-0-H
         H Hidrogênio -O-O Peróxido (Produto não estabilizado)

Freebac     H2O2  IP  H2O + O2
                              água    oxigênio

O alto poder energético dos radicais e anions que integram a formula do FREEBAC dá-lhe uma
elevada capacidade de penetração nas paredes das células oxidando o material
genético.
Principais vantagens do FREEBAC
» Inofensivo ao esgoto e meio ambiente: não forma compostos químicos
  com outros elementos químicos.

» Efeito de longa duração (sem recontaminação).

» Não há perigo de resistência bacteriana: sem efeitos carcinogênicos ou
  mutagênicos.

» Não tóxico: dados toxicológicos para toxicidade oral e dérmica, irritação
  da pele, irritação nos olhos, inalação, etc, estão disponíveis.

» Não altera a cor, sabor ou cheiro de alimentos tratados.

» Inodoro.
Principais vantagens do FREEBAC
» A lavagem após sua aplicação não é necessária, porquanto não deixa
  resíduos tóxicos.

» Eficaz na temperatura da água de 0 °C a 95 °C.

» Não oferece riscos à saúde quando usado em dosagens acima do
  necessário: não há necessidade de neutralização após o uso.
Efetividade do FREEBAC
» MRSA – bacteria.                 » Herpes – Newcastle disease (ND).
» Bacterophagus – viruses –        » Influenza A (hominids).
  Sporogenesis.
                                   » ECBO viruses (F. Herpesviridae).
» Yeasts and mould – Mycoderins.
                                   » Vaccinal viruses (F. Poxviridae).
» Cholera – amoebae.
                                   » Pseudo rabies viruses (Aujeszky).
» HIV (AIDS) – Hepatitis B.
                                   » Bacillus-Species (as Bacillus
» VRE – Legionnaires Disease.        Anthraces, Anthrax).
» Meningitis.                      » Listeria Monocytogenes.
» Infantile paralysis (Polio).
Efetividade do FREEBAC
Aplicações do FREEBAC
» Hospitais e clínicas;
» Torres de resfriamento e centrais de ar condicionado;
» Água potável;
» Indústria de alimentos e bebidas;
» Pós-tratamento de colheita;
» Explorações pecuárias e terminais pesqueiros;
» A indústria farmacêutica;
» Indústria de cosméticos;
» Piscinas;
» Bens de consumo.
“
                                 World Trade & Finance




        Na natureza nada se cria, nada se

                                                           ”
           perde, tudo se transforma
Lei de conservação das Massas, publicada pela primeira vez em 1760, em um
  ensaio de Mikhail Lomonosov, a qual não repercutiu na Europa Ocidental.
    Tocou ao francês Antonine Lavoisier o papel de tornar mundialmente
        conhecida essa máxima e que hoje se chama Lei de Lavoisier.

                     ethewaldo@fortalnet.com.br
                      FONE: +55 85 3087 8774
                      FAX:    +55 85 3234 5458
                     CELULAR: +55 85 8698 5458


                                    OBRIGADO PELA ATENÇÃO!
Tecnoquímica Indústria e Comércio LTDA.
Rua Dr. Raimundo Guimarães, 145– Coité - Eusébio/CE
      Fone/Fax: (85) 3260 6850
    e-mail: felipe@tquimica.com.br

          www.tquimicabrasil.com.br




                           OBRIGADO PELA ATENÇÃO!

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Soluções para aumentar a competitividade de empresas brasileiras

Apresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert AngolaApresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert AngolaVitor Marques
 
A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...
A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...
A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...Humanidade2012
 
Futura soluções ambientais - Apresentação da Empresa
Futura soluções ambientais - Apresentação da EmpresaFutura soluções ambientais - Apresentação da Empresa
Futura soluções ambientais - Apresentação da EmpresaTiago Malta
 
Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...
Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...
Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...WeNova Consulting
 
ISA - Intelligent Sensing Anywhere
ISA - Intelligent Sensing AnywhereISA - Intelligent Sensing Anywhere
ISA - Intelligent Sensing AnywhereVision-Box
 
Fnq palestra 07_08_ppt
Fnq palestra 07_08_pptFnq palestra 07_08_ppt
Fnq palestra 07_08_pptkleber.torres
 
Apresentação ideias final workshop bsa são paulo tereza
Apresentação ideias final  workshop bsa são paulo terezaApresentação ideias final  workshop bsa são paulo tereza
Apresentação ideias final workshop bsa são paulo terezaInstituto IDEIAS
 
Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...
Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...
Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...Startup Saúde Brasil
 
Apresentação Petrobras
Apresentação PetrobrasApresentação Petrobras
Apresentação PetrobrasCamila Ueoka
 
Gestão financeira da pequena e média empresa
Gestão financeira da pequena e média empresaGestão financeira da pequena e média empresa
Gestão financeira da pequena e média empresaEdno Santos
 
Manejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPA
Manejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPAManejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPA
Manejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPARonaldo Weigand Jr
 

Semelhante a Soluções para aumentar a competitividade de empresas brasileiras (20)

EQUIPAMENTOS E MATERIAIS HOSPITALARES 2
EQUIPAMENTOS E MATERIAIS HOSPITALARES 2EQUIPAMENTOS E MATERIAIS HOSPITALARES 2
EQUIPAMENTOS E MATERIAIS HOSPITALARES 2
 
Apresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert AngolaApresentação AquaExpert Angola
Apresentação AquaExpert Angola
 
Bio Solutions
 Bio Solutions Bio Solutions
Bio Solutions
 
A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...
A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...
A Gestão Sustentável de Resíduos na Cidade do Rio de Janeiro - José Henrique ...
 
Futura soluções ambientais - Apresentação da Empresa
Futura soluções ambientais - Apresentação da EmpresaFutura soluções ambientais - Apresentação da Empresa
Futura soluções ambientais - Apresentação da Empresa
 
Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...
Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...
Mapeamento das incubadoras parques tecnológicos e polos industriais do rio de...
 
ISA - Intelligent Sensing Anywhere
ISA - Intelligent Sensing AnywhereISA - Intelligent Sensing Anywhere
ISA - Intelligent Sensing Anywhere
 
4. Case: Competitividade através dos processos de certificação
4. Case: Competitividade através dos processos de certificação4. Case: Competitividade através dos processos de certificação
4. Case: Competitividade através dos processos de certificação
 
Fnq palestra 07_08
Fnq palestra 07_08Fnq palestra 07_08
Fnq palestra 07_08
 
Fnq palestra 07_08_ppt
Fnq palestra 07_08_pptFnq palestra 07_08_ppt
Fnq palestra 07_08_ppt
 
Andef
AndefAndef
Andef
 
Apresentação ideias final workshop bsa são paulo tereza
Apresentação ideias final  workshop bsa são paulo terezaApresentação ideias final  workshop bsa são paulo tereza
Apresentação ideias final workshop bsa são paulo tereza
 
Ficafe 2010 e Eduardo Sampaio
Ficafe 2010 e Eduardo SampaioFicafe 2010 e Eduardo Sampaio
Ficafe 2010 e Eduardo Sampaio
 
Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...
Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...
Eduardo Cruz - Axisbiotec - Inovação em Saúde (Palestra Inspiracional - Abert...
 
Apresentação Petrobras
Apresentação PetrobrasApresentação Petrobras
Apresentação Petrobras
 
Gestão financeira da pequena e média empresa
Gestão financeira da pequena e média empresaGestão financeira da pequena e média empresa
Gestão financeira da pequena e média empresa
 
Manejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPA
Manejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPAManejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPA
Manejo eficiente de áreas protegidas - caso do Programa ARPA
 
Desenvolvimento Custos Gerenciais
Desenvolvimento Custos GerenciaisDesenvolvimento Custos Gerenciais
Desenvolvimento Custos Gerenciais
 
2.4 syngenta
2.4 syngenta2.4 syngenta
2.4 syngenta
 
Jornadas Biocontrol Inovcluster caceres riteca_7_set2012
Jornadas Biocontrol Inovcluster caceres riteca_7_set2012Jornadas Biocontrol Inovcluster caceres riteca_7_set2012
Jornadas Biocontrol Inovcluster caceres riteca_7_set2012
 

Mais de ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva

Mais de ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva (20)

Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticioApresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
 
Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Agosto 2016Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Agosto 2016
 
Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016
 
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
 
Ser Competitivo Maio 2016
Ser Competitivo Maio 2016Ser Competitivo Maio 2016
Ser Competitivo Maio 2016
 
Ser competitivo Abril 2016
Ser competitivo Abril 2016Ser competitivo Abril 2016
Ser competitivo Abril 2016
 
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para ExportaçãoWebinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
 
Ser Competitivo Março 2016
Ser Competitivo Março 2016Ser Competitivo Março 2016
Ser Competitivo Março 2016
 
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
 
Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento PositivoApresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
 
Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015
Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015
Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015
 
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
 
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto ImpactoOficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
 
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015 NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
 
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
 
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
 
NEWSLETTER ILGC - julho 2015
NEWSLETTER ILGC - julho 2015 NEWSLETTER ILGC - julho 2015
NEWSLETTER ILGC - julho 2015
 
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
 
NEWSLETTER ILGC - junho 2015
NEWSLETTER ILGC - junho 2015NEWSLETTER ILGC - junho 2015
NEWSLETTER ILGC - junho 2015
 
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
 

Último

INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxINTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxssuser4ba5b7
 
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxAULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxLeonardoSauro1
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfPrurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfAlberto205764
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 

Último (9)

INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptxINTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
INTRODUÇÃO A DTM/DOF-DRLucasValente.pptx
 
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsxAULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
AULA DE ERROS radiologia odontologia.ppsx
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdfPrurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
Prurigo. Dermatologia. Patologia UEM17B2.pdf
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 

Soluções para aumentar a competitividade de empresas brasileiras

  • 2.
  • 3. T QUÍMICA BRASIL » A TQUIMICA BRASIL é uma empresa genuinamente brasileira, abrindo mercado para a tecnologia nacional em um competitivo cenário científico dominado por grandes empresas multinacionais. » Respeitando normas técnicas, antecipando e satisfazendo as necessidades de um mercado ávido por tecnologia que solucione seus problemas específicos, a TQUÍMICA BRASIL sabe que seus produtos representam qualidade de vida, contribuindo de maneira decisiva para o desenvolvimento local e sustentável. » Usar TQUIMICA BRASIL significa compromisso com o Brasil, consciência e responsabilidade com o meio ambiente.
  • 5. Soluções para aumentar a competitividade EFICIÊNCIA REATOR SK HOSPITALAR COM FREEBAC DEA BIOAUMENTAÇÃO World Trade & Finance World Trade & Finance Ferramenta de gestão Um novo paradigma Peróxido de por resultados para para o saneamento hidrogênio acompanhamento da básico estabilizado produtividade das diversas unidades do hospital
  • 6. EFICIÊNCIA HOSPITALAR DEA World Trade & Finance
  • 7. Objetivo geral » Apresentar uma ferramenta de gestão por resultados para acompanhamento da produtividade das diversas unidades do hospital baseada em modelos matemáticos que possibilita: » Identificar a fronteira de eficiência de todas as unidades que integram o complexo hospitalar; » Realizar diagnóstico da produção das unidades do hospital; » Dimensionar as necessidades de médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, servidores administrativos, equipamentos e recursos financeiros em função dos índices de eficiência técnica das unidades. World Trade & Finance
  • 8. Objetivo específico Determinar indicadores de eficiência de cada Unidade do Hospital: Emergência Traumatologia UTI, Radiologia Ressonância magnética Exames laboratoriais, etc. através de modelos matemáticos multicritérios DEA (Data Envelopment Analysis) World Trade & Finance
  • 9. Principais variáveis utilizadas no modelo INPUTS » Nº de Pacientes Internados; » Nº de Médicos; » Nº de Enfermeiros; » Nº de Auxiliares de Enfermagem; » Nº de Servidores Administrativos; World Trade & Finance » Área ocupada; » Nº de leitos; » Equipamentos (aparelhos e laboratórios); » Computadores, móveis e utensílios.
  • 10. Principais variáveis utilizadas no modelo OUTPUTS » Nº de Pacientes com alta; » Nº de exames radiológicos; » Nº de exames de tomografia computadorizada; » Nº de exames de ultrasonografia; » Nº de exames de ressonância magnética; » Nº exames laboratoriais clínicos. World Trade & Finance
  • 11. Sistema de produção (inputs e outputs) CELERIDADE PROCESSUAL INSUMOS PRODUTOS inputs outputs Pacientes, Médicos, Emergência Pacientes com alta, Traumatologia Exames de Raio X, Enfermeiros, UTI Ultrasonografia, Auxiliares de Ultrasonografia Ressonância Enfermagem, Ressonância magnética, exames Servidores, Leitos, magnética, etc. laboratoriais, etc. Equipamentos, etc World Trade & Finance
  • 12. Fronteira de Eficiência de DMUs Nº de pacientes com alta Índice de eficiência da unidade k Nº pacientes internados Hospital G Hospital F Hospital Hospital C Hospital Y Hospital W Hospital Z World Trade & Finance
  • 13. Novos desafios para os hospitais Estruturação da base Emissão de relatório Alocação de unidades de dados de final especiais inteligência Criação e medição de indicadores gerenciais SAD Análise de eficiência hospitalar Integração e Diagnóstico de documentação de Investigação de características aplicativos padrões processuais empreendedoras do desenvolvidos quadro de médicos World Trade & Finance
  • 14. REATOR SK COM BIOAUMENTAÇÃO World Trade & Finance
  • 15. Breve histórico » Banco Interamericano de Desenvolvimento BID – Programa US$ 1,5 bilhão (montante duplicável após utilização da linha de crédito), 20 anos de prazo, 4 anos de carência e a menor taxa de juros da instituição. » Banco Mundial - Programa US$ 1,0 Bilhão (montante duplicável após utilização da linha de crédito), 20 anos de prazo, 4 anos de carência e a menor taxa de juros da instituição. World Trade & Finance
  • 16. World Trade & Finance Energia química do material orgânico 97 100 80 67 60 40 33 20 3 0 Aeróbico Anaeróbico Catabolismo Anabolismo
  • 17. Vantagens do processo anaeróbio » Produz energia sob a forma de metano; » A produção de lodo é apenas 10% daquela formada pelo processo aeróbio na conversão da mesma quantidade de matéria orgânica. » Isso é vantajoso no tratamento de despejos com carga orgânica elevada, onde o manuseio de grandes quantidades de lodo gera problema e, consequentemente, despesas adicionais para solucioná-los. World Trade & Finance
  • 18. Tecnologias recomendadas Implantação de Implantação de Implantação de Reatores tipo SK reatores tipo SK reatores tipo SK e, simultaneamente, utilizar um adequado Programa de Programa de Programa de bioaumentação bioaumentação bioaumentação World Trade & Finance
  • 19. World Trade & Finance Reator SK » Requer uma área menor do que a das lagoas de estabilização; » Exige um mínimo de cuidado para sua manutenção; » Dispensa o emprego de mão-de-obra especializada; » Oferece um efluente de altíssima qualidade, » Reduz os custos operacionais; » Requer um investimento inicial muito inferior ao exigido pelas estações convencionais de tratamento de esgoto; » Permite a reutilização da água para irrigação irrestrita; » Possibilita a co-geração de energia a partir do metano produzido; » Possibilita obtenção de crédito de carbono.
  • 20. Bioaumentação » São formulações que contêm micro-organismos especializados para aplicação em dejetos sanitários. » Para começar presumimos que o papel dos micro-organismos existentes nas águas servidas (estações de tratamento de esgoto, sistemas sépticos, fossas, sumidouros, caixas de gordura) é perfeitamente conhecido. » Embora a natureza tenha uma notável capacidade de se auto reparar, o processo biológico natural tem algumas falhas. O primeiro problema é a contaminação do meio ambiente pelo homem com compostos químicos não biodegradáveis e de difícil decomposição. World Trade & Finance
  • 21. Bioaumentação » A contaminação ocorre porque falta às bactérias naturais capacidade de degradação. Como resultado, o processo natural pode levar anos para decompor determinados elementos. » Nós temos utilizado os mais modernos métodos oferecidos pela biotecnologia para superar as dificuldades da natureza. Através do processo de seleção, adaptação seletiva, mistura sinérgica, nós desenvolvemos micro-organismos altamente especializados e bioformulações com inigualável capacidade de degradação. World Trade & Finance
  • 22. World Trade & Finance Bioaumentação Biodegradação de ácidos graxos de cadeia longa medida pela absorção acumulada de oxigênio: Produto biológico versus microflora nativa 1.600 Absorção acumulada de oxigênio mg/l 1.400 Ácido Palmítico, microflora nativ a Ácido Palmítico, Produto A 1.200 Ácido Esteárico, microflora nativa Ácido Esteárico, Produto A 1.000 800 600 400 200 0 0 20 40 60 80 100 120 Tempo em Horas
  • 24. O que é o FREEBAC? » É Peróxido de Hidrogênio estabilizado (H2O2). O Peróxido de Hidrogênio é um desinfetante ecologicamente correto. Diferença entre o FREEBAC e o Peróxido de Hidrogênio (H2O2) Fórmula química do Peróxido de Hidrogênio: H2O2 - H-0-0-H H Hidrogênio -O-O Peróxido (Produto não estabilizado) Freebac H2O2  IP  H2O + O2 água oxigênio O alto poder energético dos radicais e anions que integram a formula do FREEBAC dá-lhe uma elevada capacidade de penetração nas paredes das células oxidando o material genético.
  • 25. Principais vantagens do FREEBAC » Inofensivo ao esgoto e meio ambiente: não forma compostos químicos com outros elementos químicos. » Efeito de longa duração (sem recontaminação). » Não há perigo de resistência bacteriana: sem efeitos carcinogênicos ou mutagênicos. » Não tóxico: dados toxicológicos para toxicidade oral e dérmica, irritação da pele, irritação nos olhos, inalação, etc, estão disponíveis. » Não altera a cor, sabor ou cheiro de alimentos tratados. » Inodoro.
  • 26. Principais vantagens do FREEBAC » A lavagem após sua aplicação não é necessária, porquanto não deixa resíduos tóxicos. » Eficaz na temperatura da água de 0 °C a 95 °C. » Não oferece riscos à saúde quando usado em dosagens acima do necessário: não há necessidade de neutralização após o uso.
  • 27. Efetividade do FREEBAC » MRSA – bacteria. » Herpes – Newcastle disease (ND). » Bacterophagus – viruses – » Influenza A (hominids). Sporogenesis. » ECBO viruses (F. Herpesviridae). » Yeasts and mould – Mycoderins. » Vaccinal viruses (F. Poxviridae). » Cholera – amoebae. » Pseudo rabies viruses (Aujeszky). » HIV (AIDS) – Hepatitis B. » Bacillus-Species (as Bacillus » VRE – Legionnaires Disease. Anthraces, Anthrax). » Meningitis. » Listeria Monocytogenes. » Infantile paralysis (Polio).
  • 29. Aplicações do FREEBAC » Hospitais e clínicas; » Torres de resfriamento e centrais de ar condicionado; » Água potável; » Indústria de alimentos e bebidas; » Pós-tratamento de colheita; » Explorações pecuárias e terminais pesqueiros; » A indústria farmacêutica; » Indústria de cosméticos; » Piscinas; » Bens de consumo.
  • 30. World Trade & Finance Na natureza nada se cria, nada se ” perde, tudo se transforma Lei de conservação das Massas, publicada pela primeira vez em 1760, em um ensaio de Mikhail Lomonosov, a qual não repercutiu na Europa Ocidental. Tocou ao francês Antonine Lavoisier o papel de tornar mundialmente conhecida essa máxima e que hoje se chama Lei de Lavoisier. ethewaldo@fortalnet.com.br FONE: +55 85 3087 8774 FAX: +55 85 3234 5458 CELULAR: +55 85 8698 5458 OBRIGADO PELA ATENÇÃO!
  • 31. Tecnoquímica Indústria e Comércio LTDA. Rua Dr. Raimundo Guimarães, 145– Coité - Eusébio/CE Fone/Fax: (85) 3260 6850 e-mail: felipe@tquimica.com.br www.tquimicabrasil.com.br OBRIGADO PELA ATENÇÃO!