SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
Baixar para ler offline
gerando custos adicionais para a própria sociedade.
As causas, a grande maioria da população brasileira já conhece.
Vamos pensar nas contramedidas, ou seja, nas ações necessárias
para reverter este quadro, na perspectiva econômica:
1. Manter e onde necessário for, ampliar as redes de proteção so-
cial, integrado a programas de formação profissional. O “deserto”
vai passar e quando isso acontecer, precisaremos de gente com
habilidades para sermos competitivos.
2. Ter coragem e criatividade para estabelecer relações de traba-
lho diferenciadas;
3. Reduzir continuamente todo e qualquer tipo de desperdício, seja
no trabalho, nas organizações, seja na vida pessoal, convertendo
estes recursos preferencialmente para investimentos com retornos
avaliados;
4. Gastar tempo para “pensar e repensar” o seu negócio, o mer-
cado atual e o potencial, a proposta de valor dos seus produtos e
ou serviços, o conjunto dos recursos disponíveis - gente, processos
e tecnologias, o mercado internacional. Mesmo em momentos di-
fíceis como o atual, sempre haverá oportunidades;
5. Estimular a criação de novos negócios, com bases competitivas,
para trabalhar em modelos de redes e alianças, complementando
os negócios atuais e/ou criando novas demandas para o mercado.
Temos consciência de que ações complementares a estas que es-
tamos recomendando, podem e devem ser implementadas. Você
certamente conhece algo adicional e pode estar fazendo neste
momento. O que definitivamente não podemos nos tornar, é in-
sensíveis e omissos a esta realidade crucial da nossa sociedade.
Richard Stengel, no livro “Os Caminhos de Mandela”, em prefácio
escrito pelo próprio Mandela, nos diz que na África existe um con-
ceito conhecido como – ubuntu, o sentimento profundo de que
somos humanos somente por intermédio da humanidade dos ou-
tros; se vamos realizar qualquer coisa neste mundo, ela será devida
em igual medida ao trabalho e as realizações dos outros.
O número doze tem significados importantes ao longo da história,
para povos com culturas e práticas diferentes. Uma rápida pesquisa
na internet nos afirma que na tradição judaico-cristã, o número
doze é uma cifra sagrada, símbolo de pleno sentido, já que eram
doze os apóstolos, doze as tribos de Israel, doze as portas da cida-
de de Jerusalém, doze os filhos de Jacó, doze vezes Cristo apare-
ceu depois de morto.
Para a Cabala o número doze é um número carregado de vibrações
e seu simbolismo é interpretado de várias formas. Por uma parte é
um número de forte influência sobre a sensibilidade das pessoas.
Em certos casos, se associa seu significado com as paixões e com a
renúncia pessoal e também compreende os mundos da formação,
da criação, da emanação e da ação.
O povo babilônico estabeleceu sua base numérica em torno do
número doze e não em base ao número dez, que é o nosso sis-
tema numérico atual. O doze era a cifra essencial de seu sistema,
pois o espaço e o tempo tinham sentido em relação com o doze:
doze esferas, doze meses do ano, doze horas diurnas, doze horas
noturnas, doze signos e doze casas do zodíaco.
Nos dias atuais, entre nós, aqui no Brasil, o número 12 pode se
configurar numa grande tragédia. Aliás, já estamos caminhando
para esta tragédia. Estima-se que mantidas as condições econô-
mica, política e fiscal, atuais, nos próximos meses chegaremos a
marca de 12 milhões de pessoas desempregadas. Dados
divulgados no final de abril pelo IBGE nos davam conta de que
a população desocupada chegou a 11,1 milhões de pessoas no
trimestre móvel encerrado em março de 2016. Somadas a isso as
pessoas afastadas da produção em licenças remuneradas, férias
coletivas antecipadas, lay off (suspensão temporária dos contratos
de trabalho), PPE (redução de jornada e de salários) e o crescente
volume de empresas recorrendo a RJ – Recuperação Judicial, não
será surpresa nos próximos 60, 90 dias superarmos esta marca
trágica e melancólica.
Além da perda da capacidade de consumo das pessoas, o desem-
prego proporciona a diminuição da auto estima, depressão, angus-
tia e diversos tipos de doenças, entre elas, transtornos mentais,
Ano IV - Edição maio/2016 Newsletter produzida pela área técnica do ILGC – Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva.
Nós acreditamos no Brasil
12.000.000 (doze milhões)
Boa leitura.
UBUNTU BRASIL...
Expediente
Dirigido pelo consultor Raimundo Sousa e um time de especialistas comprometidos com os resultados de seus clientes, o ILGC é um Integra-
dor de talentos e habilidades, cujas ações são convergentes para a melhoria permanente da competitividade das pessoas e seus negócios.
ILGC - Escritório Central - Av. Nazaré, 1139 - Cj. 203 / Ipiranga - 04263-100 - São Paulo /SP – Brasil
Tel: +55 11 2948-3336 - faleconosco@ilgc.com.br - www.ilgc.com.br
A marca Ser Competitivo é propriedade do ILGC.
Dante Gallian - PhD, EPM-UNIFESP, RHumanística
Quinta-feira, oito e meia da manhã. No saguão da grande torre que abriga
a sede nacional de um grande banco multinacional, milhares de pessoas
andam apressadas e formam filas diante dos elevadores que as levarão
para os seus escritórios, onde iniciarão mais um frenético dia de traba-
lho. Nas pastas ou embaixo dos braços, relatórios e planilhas com metas,
estratégias, números... Enfim, tudo como tem de ser, como costuma ser
todo dia num cenário como este. Tudo? Nem tudo. Algo diferente, quase
insólito se observa: um pequeno, porém peculiar grupo de pessoas chama
a atenção dos demais trabalhadores. Trata-se de um digno ajuntamento de
dez ou doze diretores que se dirigem a uma das salas de reuniões que se
localiza no mezanino acima do saguão. “Algo sério deve estar acontecen-
do ou deve ser decidido”, pensam e comentam os passantes. Entretanto,
quem observasse melhor, veria que ao invés de planilhas ou relatórios, es-
ses distinguidos líderes carregam um livro nas mãos. Sim, e não qualquer
livro, mas um pequeno grande clássico da literatura universal: A Morte de
Ivan Ilitch, de Liév Tolstói. Tal cena, ocorrida numa ensolarada manhã de
quinta-feira, tornaria se repetir nas seguintes três semanas e, felizmente,
vai se repetindo desde então de forma mais frequente, não apenas nesta
grande instituição financeira, mas em diversas outras empresas que, aos
poucos, vão percebendo o poder mobilizador da literatura como meio de
despertar afetos e gerar reflexões de grande efeito humanizador.
O programa desenvolvido para os diretores do referido banco, intitulava-se
Literatura e Escolhas do Cotidiano e foi criado numa parceria entre
o IESE Business School e a RHumanística, que desenvolveu e aplica a
metodologia do Laboratório de Leitura – uma estratégia que visa a mo-
bilização afetiva e intelectual de líderes do mundo corporativo através da
experiência estético-reflexiva que emerge da leitura de livros clássicos da
literatura universal.
Tal Laboratório surgiu há mais de 13 anos como um meio de promover a
formação humanística e a humanização dos alunos da Escola Paulista de
Medicina da Universidade Federal de São Paulo. Num contexto dominado
pela técnica e o cientificismo, como suscitar o lado mais humano dos fu-
turos médicos, levando-os a considerar a pessoa por detrás dos exames e
diagnósticos? Quase que de forma inusitada, a leitura e discussão de obras
da literatura universal mostrou ser um meio altamente propício de tocar
afetivamente esses futuros profissionais e suscitar discussões de teor filo-
sófico e ético que passaram a impactar não apenas na forma de verem a
si mesmos, o outro e o mundo, como também na sua forma de ser e agir.
Considerando-se que a problemática da humanização não se restringe ao
campo da educação em saúde, logo se percebeu que o Laboratório de
Leitura poderia responder a uma importante demanda do mundo cor-
porativo: como formar uma nova geração de líderes que não apenas se
fundamente nos princípios da eficácia e resultados, mas também nos prin-
cípios e valores humanos, como o conhecimento ampliado e complexo, a
felicidade, a ética.
Fundamentado no conceito de Responsabilidade Humanística, que com-
preende o princípio da sustentabilidade para além do ambiente externo,
aplicando-o à realidade interna (afetiva, intelectual e atitudinal) de cada
colaborador e membro de uma empresa, visando não apenas seu desen-
volvimento técnico-profissional, mas sim humano-pessoal, o Laboratório
de Leitura apresenta-se como um instrumento envolvente e eficaz de pro-
ALIADOS COMPETITIVOS
A literatura e a tomada de
decisões: um caso de
laboratório de leitura
BUSINESS CASE
moção humana e formação de lideranças.
Aplicado no contexto que esboçamos acima – grupo de líderes em nível
de direção de uma grande instituição financeira – o LabLei permitiu o des-
pertar, o refletir e o compartilhar de temas de grande transcendência que
impactaram e responderam às demandas apontadas pelo gestor de recur-
sos humanos, em especial a questão do equilíbrio entre vida profissional,
pessoal e familiar como meio de promover uma atuação mais saudável e
feliz no âmbito do trabalho.
Para além desse objetivo central, a leitura e discussão do clássico A Morte
de Ivan Ilitch, acabou por suscitar outros pontos de importância estratégica
no âmbito da dinâmica corporativa, como por exemplo, o desenvolvimen-
to da visão sistémica, o papel da liderança e a tomada de decisão. Como
apontam os depoimentos dos participantes:
“A dinâmica permitiu que extraíssemos do livro uma reflexão profunda
sobre a conexão e a desconexão entre o afetivo e o cognitivo. ”
“De fato, como apontava um dos colegas logo no começo de nossos en-
contros, o livro é um ‘soco no estômago’, um ‘puxão de orelha’. Para mim,
o que mais ficou foi em relação ao processo de tomada de decisões...”
“Pensamos muito aqui no Banco sobre a questão da tomada de decisões
e discutimos muito sobre isso, mas é interessante que nunca pensamos
da mesma forma em relação à vida familiar. Porém, se as coisas estive-
rem desiquilibradas na vida tudo fica comprometido, até mesmo a vida
profissional...”
“Ela nos mostra também a importância de termos canais para expressar
nossos sentimentos; de nos expressarmos também emocionalmente. Por-
que em nosso cotidiano temos, o tempo todo, de trabalharmos e nos
expressarmos na lógica do racional, do técnico. (Equilíbrio emocinal/ QE)
E sabemos o quanto de nossas decisões são influenciadas pelas nossas
emoções e intuições! Porque então não ter um espaço para expressarmos
nossas emoções, sentimentos? ”
Organizado em ciclos que podem variar de quatro a seis encontros de
90 minutos, o Laboratório de Leitura tem mostrado ser uma forma mui-
to efetiva e peculiar de social learning, que se fundamenta na troca de
ideias e o compartilhar de experiências como práticas indispensáveis para
o sucesso do aprendizado. Segundo o Modelo de Morgan e Lombardo,
o on the job learning corresponde a 70% da eficácia do aprendizado de
adultos, restando os 20% para ações ligadas a metodologias do coaching
e do mentoring.
O LabLei apresenta-se, pois, como um modelo privilegiado de educação e
formação de líderes, não apenas por se alinhar metodologicamente com
as dinâmicas mais eficazes na contemporaneidade, mas por abrir campo
para uma abordagem humanística no processo formativo, que leva em
consideração não só o técnico e o profissional, mas a pessoa humana que
busca se realizar e ser feliz no trabalho e na vida.
Para você conhecer mais sobre a RHumanística: acesse
www.rhumanistica.com.br
A RHumanística é aliada do ILGC desde 2015.

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Ser Competitivo Maio 2016

Rivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoes
Rivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoesRivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoes
Rivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoesJéssica Petersen
 
Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...
Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...
Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...Jéssica Petersen
 
Enlaces - volume 3
Enlaces - volume 3Enlaces - volume 3
Enlaces - volume 3Vira e Mexe
 
Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...
Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...
Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...Sheila Gonçalves
 
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclicaArtigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclicaLuis Rasquilha
 
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclicaArtigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclicaLuis Rasquilha
 
MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...
MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...
MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...PEDRO ANIBAL DRAGO
 
MERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlico
MERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlicoMERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlico
MERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlicoPEDRO ANIBAL DRAGO
 
Spink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidade
Spink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidadeSpink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidade
Spink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidadeJéssica Petersen
 
Geração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitários
Geração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitáriosGeração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitários
Geração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitáriosLLYC
 
Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018
Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018
Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018FGV | Fundação Getulio Vargas
 
Apresentação da LCO Partners
Apresentação da LCO PartnersApresentação da LCO Partners
Apresentação da LCO PartnersFernando Lanzer
 
Forum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexão
Forum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexãoForum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexão
Forum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexãoDaniel de Carvalho Luz
 
Secretariado executivo do senso comum a ciência
Secretariado executivo do senso comum a ciênciaSecretariado executivo do senso comum a ciência
Secretariado executivo do senso comum a ciênciaSheila de Aguiar
 
Artigo ivan isquierdo como faço ciência.doc
Artigo ivan isquierdo   como faço ciência.docArtigo ivan isquierdo   como faço ciência.doc
Artigo ivan isquierdo como faço ciência.docGleydson Silva
 
Terapia ocupacional, reflexoes em saude mental
Terapia ocupacional, reflexoes em saude mentalTerapia ocupacional, reflexoes em saude mental
Terapia ocupacional, reflexoes em saude mentalLUIZ PASCOAL
 

Semelhante a Ser Competitivo Maio 2016 (20)

Rivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoes
Rivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoesRivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoes
Rivero psicologia social_estrategias_politicas_implicacoes
 
Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...
Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...
Jacovilela jabur rodrigues_clio_psyche_historas_psicologia_brasil.pdf_23_05_2...
 
Enlaces - volume 3
Enlaces - volume 3Enlaces - volume 3
Enlaces - volume 3
 
Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...
Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...
Gestão estratégica de pessoas e a importância dos valores, cultura e clima or...
 
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclicaArtigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclica
 
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclicaArtigo geracoes - Uma confluencia ciclica
Artigo geracoes - Uma confluencia ciclica
 
MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...
MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...
MERITO E FLEXIBILIDADES: a gestão de pessoas no setor público - professor Fra...
 
MERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlico
MERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlicoMERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlico
MERITO E FLEXIBILIDADE: a gestão de pessoas no setor púlico
 
Discursos à Beira do Sinos
Discursos à Beira do SinosDiscursos à Beira do Sinos
Discursos à Beira do Sinos
 
Spink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidade
Spink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidadeSpink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidade
Spink figueiredo brasilino_psicologia_social_e_pessoalidade
 
Espirit
EspiritEspirit
Espirit
 
Geração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitários
Geração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitáriosGeração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitários
Geração 2020: O futuro de Portugal aos olhos dos universitários
 
Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018
Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018
Cadernos Gestão Pública e Cidadania (CGPC) – Vol. 24, n. 77 – set/dez 2018
 
Psicologia Organizacional e do Trabalho
Psicologia Organizacional e do TrabalhoPsicologia Organizacional e do Trabalho
Psicologia Organizacional e do Trabalho
 
Apresentação da LCO Partners
Apresentação da LCO PartnersApresentação da LCO Partners
Apresentação da LCO Partners
 
Texto 1
Texto 1Texto 1
Texto 1
 
Forum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexão
Forum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexãoForum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexão
Forum de Gestão Pública - palestra Gestão de Pessoas, uma reflexão
 
Secretariado executivo do senso comum a ciência
Secretariado executivo do senso comum a ciênciaSecretariado executivo do senso comum a ciência
Secretariado executivo do senso comum a ciência
 
Artigo ivan isquierdo como faço ciência.doc
Artigo ivan isquierdo   como faço ciência.docArtigo ivan isquierdo   como faço ciência.doc
Artigo ivan isquierdo como faço ciência.doc
 
Terapia ocupacional, reflexoes em saude mental
Terapia ocupacional, reflexoes em saude mentalTerapia ocupacional, reflexoes em saude mental
Terapia ocupacional, reflexoes em saude mental
 

Mais de ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva

Mais de ILGC - Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva (20)

Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticioApresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
Apresentaçao lean thinking para empresas do segmento alimenticio
 
Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Agosto 2016Ser Competitivo - Agosto 2016
Ser Competitivo - Agosto 2016
 
Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016Ser Competitivo - Junho 2016
Ser Competitivo - Junho 2016
 
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
Lean Thinking - aplicado as pequenas e médias empresas.
 
Ser competitivo Abril 2016
Ser competitivo Abril 2016Ser competitivo Abril 2016
Ser competitivo Abril 2016
 
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para ExportaçãoWebinar - Como preparar sua empresa para Exportação
Webinar - Como preparar sua empresa para Exportação
 
Ser Competitivo Março 2016
Ser Competitivo Março 2016Ser Competitivo Março 2016
Ser Competitivo Março 2016
 
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
Newsletter Ser Competitivo - Edição fevereiro 2016
 
Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento PositivoApresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
Apresentação Webinar Especial - Orçamento Positivo
 
Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015
Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015
Workshop Orçamento Positivo - 04/11/2015
 
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
Webinar 23/09/15 - Mercado de Pequenas e Médias Empresas com Crescimento Acel...
 
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto ImpactoOficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
Oficina de Trabalho - Vendas de Alto Impacto
 
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015 NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
NEWSLETTER ILGC - Agosto 2015
 
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 30/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
 
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
WEBINAR 16/07/15 – COMO TRANSFORMAR CUSTO FIXO EM CUSTO VARIÁVEL? - Mercado A...
 
NEWSLETTER ILGC - julho 2015
NEWSLETTER ILGC - julho 2015 NEWSLETTER ILGC - julho 2015
NEWSLETTER ILGC - julho 2015
 
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
WEBINAR 01/07/15 – LIÇÕES DA ATD 2015 – TENDÊNCIAS PARA DESENVOLVIMENTO DE TA...
 
NEWSLETTER ILGC - junho 2015
NEWSLETTER ILGC - junho 2015NEWSLETTER ILGC - junho 2015
NEWSLETTER ILGC - junho 2015
 
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Eduardo Rocha)
 
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)WEBINAR -  Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
WEBINAR - Mentoring Comercial – Prática Efetiva ou Modismo? (Raimundo Sousa)
 

Último

A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...LizanSantos1
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 

Último (20)

A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
Intolerância religiosa. Trata-se de uma apresentação sobre o respeito a diver...
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO5_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 

Ser Competitivo Maio 2016

  • 1. gerando custos adicionais para a própria sociedade. As causas, a grande maioria da população brasileira já conhece. Vamos pensar nas contramedidas, ou seja, nas ações necessárias para reverter este quadro, na perspectiva econômica: 1. Manter e onde necessário for, ampliar as redes de proteção so- cial, integrado a programas de formação profissional. O “deserto” vai passar e quando isso acontecer, precisaremos de gente com habilidades para sermos competitivos. 2. Ter coragem e criatividade para estabelecer relações de traba- lho diferenciadas; 3. Reduzir continuamente todo e qualquer tipo de desperdício, seja no trabalho, nas organizações, seja na vida pessoal, convertendo estes recursos preferencialmente para investimentos com retornos avaliados; 4. Gastar tempo para “pensar e repensar” o seu negócio, o mer- cado atual e o potencial, a proposta de valor dos seus produtos e ou serviços, o conjunto dos recursos disponíveis - gente, processos e tecnologias, o mercado internacional. Mesmo em momentos di- fíceis como o atual, sempre haverá oportunidades; 5. Estimular a criação de novos negócios, com bases competitivas, para trabalhar em modelos de redes e alianças, complementando os negócios atuais e/ou criando novas demandas para o mercado. Temos consciência de que ações complementares a estas que es- tamos recomendando, podem e devem ser implementadas. Você certamente conhece algo adicional e pode estar fazendo neste momento. O que definitivamente não podemos nos tornar, é in- sensíveis e omissos a esta realidade crucial da nossa sociedade. Richard Stengel, no livro “Os Caminhos de Mandela”, em prefácio escrito pelo próprio Mandela, nos diz que na África existe um con- ceito conhecido como – ubuntu, o sentimento profundo de que somos humanos somente por intermédio da humanidade dos ou- tros; se vamos realizar qualquer coisa neste mundo, ela será devida em igual medida ao trabalho e as realizações dos outros. O número doze tem significados importantes ao longo da história, para povos com culturas e práticas diferentes. Uma rápida pesquisa na internet nos afirma que na tradição judaico-cristã, o número doze é uma cifra sagrada, símbolo de pleno sentido, já que eram doze os apóstolos, doze as tribos de Israel, doze as portas da cida- de de Jerusalém, doze os filhos de Jacó, doze vezes Cristo apare- ceu depois de morto. Para a Cabala o número doze é um número carregado de vibrações e seu simbolismo é interpretado de várias formas. Por uma parte é um número de forte influência sobre a sensibilidade das pessoas. Em certos casos, se associa seu significado com as paixões e com a renúncia pessoal e também compreende os mundos da formação, da criação, da emanação e da ação. O povo babilônico estabeleceu sua base numérica em torno do número doze e não em base ao número dez, que é o nosso sis- tema numérico atual. O doze era a cifra essencial de seu sistema, pois o espaço e o tempo tinham sentido em relação com o doze: doze esferas, doze meses do ano, doze horas diurnas, doze horas noturnas, doze signos e doze casas do zodíaco. Nos dias atuais, entre nós, aqui no Brasil, o número 12 pode se configurar numa grande tragédia. Aliás, já estamos caminhando para esta tragédia. Estima-se que mantidas as condições econô- mica, política e fiscal, atuais, nos próximos meses chegaremos a marca de 12 milhões de pessoas desempregadas. Dados divulgados no final de abril pelo IBGE nos davam conta de que a população desocupada chegou a 11,1 milhões de pessoas no trimestre móvel encerrado em março de 2016. Somadas a isso as pessoas afastadas da produção em licenças remuneradas, férias coletivas antecipadas, lay off (suspensão temporária dos contratos de trabalho), PPE (redução de jornada e de salários) e o crescente volume de empresas recorrendo a RJ – Recuperação Judicial, não será surpresa nos próximos 60, 90 dias superarmos esta marca trágica e melancólica. Além da perda da capacidade de consumo das pessoas, o desem- prego proporciona a diminuição da auto estima, depressão, angus- tia e diversos tipos de doenças, entre elas, transtornos mentais, Ano IV - Edição maio/2016 Newsletter produzida pela área técnica do ILGC – Instituto Latino Americano de Gestão Competitiva. Nós acreditamos no Brasil 12.000.000 (doze milhões) Boa leitura. UBUNTU BRASIL...
  • 2. Expediente Dirigido pelo consultor Raimundo Sousa e um time de especialistas comprometidos com os resultados de seus clientes, o ILGC é um Integra- dor de talentos e habilidades, cujas ações são convergentes para a melhoria permanente da competitividade das pessoas e seus negócios. ILGC - Escritório Central - Av. Nazaré, 1139 - Cj. 203 / Ipiranga - 04263-100 - São Paulo /SP – Brasil Tel: +55 11 2948-3336 - faleconosco@ilgc.com.br - www.ilgc.com.br A marca Ser Competitivo é propriedade do ILGC. Dante Gallian - PhD, EPM-UNIFESP, RHumanística Quinta-feira, oito e meia da manhã. No saguão da grande torre que abriga a sede nacional de um grande banco multinacional, milhares de pessoas andam apressadas e formam filas diante dos elevadores que as levarão para os seus escritórios, onde iniciarão mais um frenético dia de traba- lho. Nas pastas ou embaixo dos braços, relatórios e planilhas com metas, estratégias, números... Enfim, tudo como tem de ser, como costuma ser todo dia num cenário como este. Tudo? Nem tudo. Algo diferente, quase insólito se observa: um pequeno, porém peculiar grupo de pessoas chama a atenção dos demais trabalhadores. Trata-se de um digno ajuntamento de dez ou doze diretores que se dirigem a uma das salas de reuniões que se localiza no mezanino acima do saguão. “Algo sério deve estar acontecen- do ou deve ser decidido”, pensam e comentam os passantes. Entretanto, quem observasse melhor, veria que ao invés de planilhas ou relatórios, es- ses distinguidos líderes carregam um livro nas mãos. Sim, e não qualquer livro, mas um pequeno grande clássico da literatura universal: A Morte de Ivan Ilitch, de Liév Tolstói. Tal cena, ocorrida numa ensolarada manhã de quinta-feira, tornaria se repetir nas seguintes três semanas e, felizmente, vai se repetindo desde então de forma mais frequente, não apenas nesta grande instituição financeira, mas em diversas outras empresas que, aos poucos, vão percebendo o poder mobilizador da literatura como meio de despertar afetos e gerar reflexões de grande efeito humanizador. O programa desenvolvido para os diretores do referido banco, intitulava-se Literatura e Escolhas do Cotidiano e foi criado numa parceria entre o IESE Business School e a RHumanística, que desenvolveu e aplica a metodologia do Laboratório de Leitura – uma estratégia que visa a mo- bilização afetiva e intelectual de líderes do mundo corporativo através da experiência estético-reflexiva que emerge da leitura de livros clássicos da literatura universal. Tal Laboratório surgiu há mais de 13 anos como um meio de promover a formação humanística e a humanização dos alunos da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo. Num contexto dominado pela técnica e o cientificismo, como suscitar o lado mais humano dos fu- turos médicos, levando-os a considerar a pessoa por detrás dos exames e diagnósticos? Quase que de forma inusitada, a leitura e discussão de obras da literatura universal mostrou ser um meio altamente propício de tocar afetivamente esses futuros profissionais e suscitar discussões de teor filo- sófico e ético que passaram a impactar não apenas na forma de verem a si mesmos, o outro e o mundo, como também na sua forma de ser e agir. Considerando-se que a problemática da humanização não se restringe ao campo da educação em saúde, logo se percebeu que o Laboratório de Leitura poderia responder a uma importante demanda do mundo cor- porativo: como formar uma nova geração de líderes que não apenas se fundamente nos princípios da eficácia e resultados, mas também nos prin- cípios e valores humanos, como o conhecimento ampliado e complexo, a felicidade, a ética. Fundamentado no conceito de Responsabilidade Humanística, que com- preende o princípio da sustentabilidade para além do ambiente externo, aplicando-o à realidade interna (afetiva, intelectual e atitudinal) de cada colaborador e membro de uma empresa, visando não apenas seu desen- volvimento técnico-profissional, mas sim humano-pessoal, o Laboratório de Leitura apresenta-se como um instrumento envolvente e eficaz de pro- ALIADOS COMPETITIVOS A literatura e a tomada de decisões: um caso de laboratório de leitura BUSINESS CASE moção humana e formação de lideranças. Aplicado no contexto que esboçamos acima – grupo de líderes em nível de direção de uma grande instituição financeira – o LabLei permitiu o des- pertar, o refletir e o compartilhar de temas de grande transcendência que impactaram e responderam às demandas apontadas pelo gestor de recur- sos humanos, em especial a questão do equilíbrio entre vida profissional, pessoal e familiar como meio de promover uma atuação mais saudável e feliz no âmbito do trabalho. Para além desse objetivo central, a leitura e discussão do clássico A Morte de Ivan Ilitch, acabou por suscitar outros pontos de importância estratégica no âmbito da dinâmica corporativa, como por exemplo, o desenvolvimen- to da visão sistémica, o papel da liderança e a tomada de decisão. Como apontam os depoimentos dos participantes: “A dinâmica permitiu que extraíssemos do livro uma reflexão profunda sobre a conexão e a desconexão entre o afetivo e o cognitivo. ” “De fato, como apontava um dos colegas logo no começo de nossos en- contros, o livro é um ‘soco no estômago’, um ‘puxão de orelha’. Para mim, o que mais ficou foi em relação ao processo de tomada de decisões...” “Pensamos muito aqui no Banco sobre a questão da tomada de decisões e discutimos muito sobre isso, mas é interessante que nunca pensamos da mesma forma em relação à vida familiar. Porém, se as coisas estive- rem desiquilibradas na vida tudo fica comprometido, até mesmo a vida profissional...” “Ela nos mostra também a importância de termos canais para expressar nossos sentimentos; de nos expressarmos também emocionalmente. Por- que em nosso cotidiano temos, o tempo todo, de trabalharmos e nos expressarmos na lógica do racional, do técnico. (Equilíbrio emocinal/ QE) E sabemos o quanto de nossas decisões são influenciadas pelas nossas emoções e intuições! Porque então não ter um espaço para expressarmos nossas emoções, sentimentos? ” Organizado em ciclos que podem variar de quatro a seis encontros de 90 minutos, o Laboratório de Leitura tem mostrado ser uma forma mui- to efetiva e peculiar de social learning, que se fundamenta na troca de ideias e o compartilhar de experiências como práticas indispensáveis para o sucesso do aprendizado. Segundo o Modelo de Morgan e Lombardo, o on the job learning corresponde a 70% da eficácia do aprendizado de adultos, restando os 20% para ações ligadas a metodologias do coaching e do mentoring. O LabLei apresenta-se, pois, como um modelo privilegiado de educação e formação de líderes, não apenas por se alinhar metodologicamente com as dinâmicas mais eficazes na contemporaneidade, mas por abrir campo para uma abordagem humanística no processo formativo, que leva em consideração não só o técnico e o profissional, mas a pessoa humana que busca se realizar e ser feliz no trabalho e na vida. Para você conhecer mais sobre a RHumanística: acesse www.rhumanistica.com.br A RHumanística é aliada do ILGC desde 2015.