Jaguariuna 05062012 bettiol

987 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
987
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
53
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Jaguariuna 05062012 bettiol

  1. 1. BIOPESTICIDAS NO BRASILBIOPESTICIDAS NO BRASILBIOPESTICIDAS NO BRASIL WAGNER BETTIOL Embrapa Meio Ambiente bettiol@cnpma.embrapa.br
  2. 2. BIOPESTICIDESBiopesticidas são organismos vivos (fungos,bactérias, protozoários, straminipila e vírus),animais microscópicos (nematoides) emacrorganismos (predadores e parasitóides,insetos e ácaros) ou produtos naturaisderivados desses organismos que são usadosna proteção das plantas contra problemasfitossanitários Bettiol, W. Biopesticide use and research in Brazil. Outlooks on Pest Management, p. 280-283, December 2011. DOI:10.1564/22dec10
  3. 3. Demanda por biopesticidas no Brasil A demanda por biopesticidas para o controle de pragas, doenças e plantas invasoras tem crescido no Brasil nos anos recentes, principalmente devido ao aumento com as preocupações ambientais e a contaminação de alimentos com pesticidas químicos sintéticos. ZERO RESIDUOS, NO RESIDUE… Também é importante considerar a expansão da área de agricultura orgânica e o início ou retomada do movimento para manejo integrado de pragas.
  4. 4. MERCADO BRASILEIRO DE PESTICIDASFigura 1. Vendas de pesticidas no Brasil, 2006 a 2010(US$ bilhões de dolares). Fonte: Sindag (2011). US$7.304 billion 2011: estimativa - US$ 8.3 billion
  5. 5. Figura 2. Vendas de pesticidas no Brasil por categoriade produtos. Em milhões de dolares no ano de 2010.Fonte: Sindag (2011).
  6. 6. Biopesticidas 1% das vendas dos pesticidas químicos US$ 65 a 75 milhões Bioagentes para o controle de plantasinvasoras não são disponíveis no mercado. 2% bioagentes para controle de insetos pragas e doenças de plantas.
  7. 7. MERCADO DE PESTICIDAS NO BRASILTabela 1. Número de pesticidas agrícolascomerciais registrados no Brasil em Agosto de 2011.
  8. 8. BIOPESTICIDAS COMERCIALIZADOS NO BRASILTabela 2. Espécies e número de bioagentes registrados comobiopesticidas no Brasil em Outubro de 2011. 26
  9. 9. BIOPESTICIDAS NO BRASIL Em julho de 2009, foi organizado um workshop pelo Fórum Permanente para Adequação Fitossanitária da Embrapa Meio Ambiente e Ministério da Agricultura para discutir “Vantagens do registro de produtos biológicos para controle de pragas e doenças”. Essa ação, concomitantemente com os trabalhos da ABCBIO, resultou no aumento do número de RETs, que é a primeira etapa para o registro de um bioagente, nos últimos três anos. O número de bioagentes registrados no Brasil aumentou substanciamente nos últimos três anos.
  10. 10. BIOPESTICIDAS NO BRASILTabela 2. Espécies e número de bioagentes registrados comobiopesticidas no Brasil em Outubro de 2011. October 2011 February 2012 +1 4 new BCAs +2 February 9 30 Neoseiulus californicus - 1 Trichoderma stromaticum
  11. 11. As espécies mais importantes vendidas no Brasil Cotesia flavipes [3 milhões ha] e Trichograma galloi [0,5 milhão ha] para controle de Diatraea saccharalis (broca da cana-de-açúcar) em cana-de-açúcar Metarhizium anisopliae [2 milhões ha] para o controle de Mahanarva (cigarrinha) em cana-de-açúcar e Mahanarva posticata (cigarrinha) em pastagens [60.000 ha] Trichoderma spp. [2 milhões ha] para o controle de vários patógenos habitantes do solo Bacillus thuringiensis [300.000 ha] para controle de lagartas
  12. 12. Outros bioagentes Bacillus subtilis, Bacillus pumilus, Bacillus thuringiensis, Beauveria bassiana, Clonostachys rosea, Isaria, Lecanicillium lecanii, Lecanicillium longisporum, Metharizium anisopliae, Paecilomyces lilacinus, Pochonia chlamidosporia, Trichoderma spp. e outras espécies são comercializadas sem registro.
  13. 13. Demanda para os bioagentes tem aumentadoUma indicação do aumento da demanda para bioagentespode ser observada com os dados de Trichoderma.A área tratada com Trichoderma em 2008 foi de 600.000 hae em 2010 o número cresceu para mais de 1.200.000 ha,mostrando um aumento de, aproximadamente, 100%em três anos. A demanda por esse BCA é devida a alternativapara o controle do mofo-branco, causado porSclerotinia sclerotiorum, em soja, a mais importantecultura com considerável aumento de área cultivada 2011 – aproximadamente 2,000.000 ha
  14. 14. Exemplos de sucesso de biocontrole Vírus da Tristeza – Desde 1968, plantas de citros com estirpe fraca do vírus são comercializadas no Brasil e mais de 200 milhões de plantas premunizadas são correntemente cultivadas. Controle biológico é utilizado em larga escala desde a década de 1970s em cana-de-açúcar. Cotesia flavipes e Trichogramma galloi são utilizados para o controle de Diatraea saccharalis em cana-de-açúcar – aproximadamente, 3,5 milhões de ha/ano. Por mais de 50 anos esses bioagentes e outros tem sido utilizados no Brasil sem registro, sem problemas ambientais e com sucesso econômico.
  15. 15. SITUAÇÃO E DESAFIOSEsses exemplos ilustram a situação e os desafios para osbiopesticidas no Brasil. É importante resaltar quenecessitamos continuar utilizando biopesticidas, pois sãoindispensáveis para o agronegócio; necessitamosurgentemente regularizar a situação desses e outrosbiopesticidas.O aumento do uso de biopesticidas reduz os impactosambientais dos pesticidas químicos e necessitamosdesenvolver novos produtos para aumentar a oferta nomercado e consequentemente a demanda, o mais rapidamentepossível.
  16. 16. História do desenvolvimento do biocontrole de doenças de plantas no Brasil
  17. 17. História do desenvolvimento dobiocontrole de pragas no Brasil
  18. 18. História do desenvolvimento debiocontrole de pragas no Brasil
  19. 19. VISÃO DA SOCIEDADE EM RELAÇÃO AO BIOCONTROLENos anos recentes a popularidade do biocontrole temaumentado não somente entre os agricultores e diferentessegmentos da sociedade, mas também entre os técnicos dascompanhias de pesticidas químicos. O desenvolvimento debiopesticidas tornou prioridade em diversas agências defomento de pesquisa e desenvolvimento, bem como emdiversas instituições de pesquisa e ensino. Um importanteaspecto é que os agricultores estão havidos por técnicasalternativas para o controle dos problemasfitossanitários, pois acreditam que podem reduzir custos eatender à demanda da sociedade por alimentos livres depesticidas químicos. ZERO RESIDUE AND IPM
  20. 20. AGRICULTURA ORGÂNICAEmbora sempre se relacione que a agricultura orgânicae o biocontrole caminham juntos, no Brasil o maiormercado para os biopesticidas é a agriculturaconvencional.Contudo, considerando que a área de agriculturaorgânica cresce em torno de 5% ou mais ao ano,esse sistema agrícola poderá representar umimportante mercado potencial para osbiopesticidas no Brasil
  21. 21. O que necessitamos no Brasil para odesenvolvimento de biopesticidas?1. Alterar a abordagem/cultura dos agricultores, agrônomos epesquisadores e outros em relação ao biocontrole.2. Pesquisas básicas com os bioagentes, incluindo os impactosambientais.3 . Aumentar o número de laboratórios que trabalham com amultiplicação de organismos e técnicas de produção para evitara baixa qualidade de produtos obtidos nas empresas.4. Alterar a relação entre as empresas e as instituições depesquisa e ensino para o desenvolvimento de projetos conjuntos,combinando os conhecimentos da indústria em relação aomercado e os básicos em microbiologia, entomologia eagronomia das instituições de pesquisa.
  22. 22. 5. Análise de tamanho do mercado e produtos concorrentes.6. Comercialização de produtos somente após a certeza de suaeficiência.7. Controle de qualidade dos produtos comercializados.8. Ajustar a produção em escala e a logística de distribuição etransporte.9. Treinamento para uso e integração dos biopesticidas dentrodos sistemas de cultivo.10. Política pública apropriada para biocontrole, por meio deincentivos fiscais e creditícios.11. Regulamentação para pesquisa, desenvolvimento e registrode biopesticidas.
  23. 23. CONSIDERAÇÕES FINAIS Os estudos entomológicos e fitopatológicos aplicados no Brasil foram e são grandemente influenciados pelos pesticidas químicos. Dessa forma, há um problema cultural na aceitação do biocontrole. O modelo agrícola adotado no Brasil dificulta a implementação do biocontrole. O modelo está baseado em cultivos continuos com poucas culturas em grandes extensões de área. Contudo, esse sistema pode ser benefico para o biocontrole quando não há disponibilidade do controle químico ou ele não resolve o problema de doenças e insetos pragas. Por exemplo, broca da cana de açúcar e mofo-branco da soja.
  24. 24. CONSIDERAÇÕES FINAIS Necessitamos readotar as práticas de IPM para que o biocontrole cresça consistemente. UE/2012 Um problema é em relação à Convenção para a Biodiversidade em relação ao conceito de acesso aos inimigos naturais para o biocontrole. A maioria dos pesquisadores em biocontrole no Brasil está ilegal, tanto devido aos aspectos legais de acesso ao patrimônio genético, quanto à regulamentação de registros de biopesticidas.
  25. 25. OBRIGADOSOU OTIMISTA EM RELAÇÃO AOCRESCIMENTO DO MERCADO DE BIOPESTICIDAS NO BRASIL EESTIMO QUE AS VENDAS DESSESPRODUTOS PODERÁ ALCANÇAR 10% OU MAIS DO MERCADO DE PESTICIDAS EM 2020.

×