Lições Adultos Missionários
Lição 9 - Pedro e os gentios 22 a 29 de agosto
❉ Sábado “Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos,...
“Porventura, não são galileus todos esses que estão falando? 8 Como, então, cada um de nós os ouve falar em
nossa própria ...
At 10:23-48, (kja); 23 Diante disto, Pedro os convidou a entrar e os hospedou. No dia seguinte, aprontou-se e
partiu com e...
Rm 2:14-16, (ACF); 14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da
lei, não tendo e...
At 11:1-18, (KJA); 1 E aconteceu que os demais apóstolos e irmãos que estavam na Judeia ouviram falar que
os gentios també...
guardardes. Bem vos vá. 30 Tendo-se eles, então, despedido, partiram para Antioquia e, ajuntando a multidão,
entregaram a ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

❉ Pedro e os gentios_Resp_Liç_932015_GGR

178 visualizações

Publicada em

O Objetivo deste material e colocar os textos bíblicos diretos em sublinhado, somados aos escritos de Ellen White que trazem mais luz sobre o assunto, para facilitar o entendimento, e capacitar a responder as questões da lição com maior amplitude.

“Sempre darei a fonte, para que o conteúdo não seja anônimo, e todos tenham a oportunidade de achar, pesquisar e questionar”.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nos abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
178
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

❉ Pedro e os gentios_Resp_Liç_932015_GGR

  1. 1. Lições Adultos Missionários Lição 9 - Pedro e os gentios 22 a 29 de agosto ❉ Sábado “Respondeu-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para remissão dos vossos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo. Pois para vós outros é a promessa, para vossos filhos e para todos os que ainda estão longe, isto é, para quantos o Senhor, nosso Deus, chamar.” At 2:38, 39. cf. Is 45:22; 56:7; Mt 28:19; Ap 14:6-7. “Paulo e Barnabé, usando de ousadia, disseram: Era necessário que a vocês a Palavra de Deus fosse pregada primeiramente; mas, visto que vocês a rejeitam, e não se julgam dignos da vida eterna, eis que nos voltamos para os gentios; porque o Senhor assim no-lo mandou: Eu te pus para luz dos gentios, para que sejas de salvação até aos confins da Terra.” “E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a Palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna.” Eles se alegraram grandemente de Jesus os reconhecer como filhos de Deus, e com coração grato atentavam à palavra pregada. Os que creram foram zelosos em comunicar a mensagem evangélica a outros, e assim “a Palavra do Senhor se divulgava por toda aquela província” (At 13:44-49). Séculos antes, profetas haviam antecipado essa colheita de gentios; mas aquelas previsões proféticas tinham sido apenas obscuramente entendidas. Oseias havia dito: “Todavia o número dos filhos de Israel será como a areia do mar, que não pode medir-se nem contar-se; e acontecerá que no lugar onde se lhes dizia: Vocês não são Meu povo, se lhes dirá: Vocês são filhos do Deus vivo” (Os 1:10). E outra vez: “Eu a plantarei para Mim mesmo na terra; tratarei com amor aquela que chamei Não-amada. Direi àquele chamado Não-meu-povo: Você é meu povo; e ele dirá: ‘Tu és o meu Deus’.” (Os 2:23). Durante Seu ministério terrestre, o próprio Salvador predisse a disseminação do evangelho entre os gentios. Na parábola da vinha Ele declarou aos impenitentes judeus: “O reino de Deus será tirado de vocês, e será dado a uma nação que dê os seus frutos” (Mt 21:43). E depois de Sua ressurreição Ele comissionou os discípulos para irem “por todo o mundo” (Mt 28:19), a ensinar “todas as nações”. Não deviam deixar de advertir a ninguém, mas deviam pregar “o evangelho a toda a criatura”. Mc 16:15. (Atos dos Apóstolos, p. 173, 174). ❉ Domingo - Pedro no Pentecostes Ano Bíblico: Jr 42–44 ● 1. Leia Atos 2:5-21. Como esse acontecimento mostra a intenção de Deus no sentido de que o evangelho fosse a todo o mundo, e também o papel que os judeus deviam ter nessa proclamação? At 2:5-21, (KJA); 5 Ora, estavam morando em Jerusalém, judeus, tementes a Deus, vindos de todas as partes do mundo. 6 Ao ouvirem aquele estrondo, ajuntou-se um grande número de pessoas; e ficaram maravilhados, pois cada um ouvia falar em sua própria língua. 7 Perplexos e admirados comentavam uns com os outros: Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  2. 2. “Porventura, não são galileus todos esses que estão falando? 8 Como, então, cada um de nós os ouve falar em nossa própria língua materna? [...] 15 Estes homens não estão embriagados, como pensais. Até porque são apenas nove horas da manhã. 16 Muito diferente disto. O que está ocorrendo foi predito pelo profeta Joel: 17 ‘Nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre todos os povos, os seus filhos e as suas filhas profetizarão, os jovens terão visões, os velhos terão sonhos. 18 Sobre os meus servos e as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e eles profetizarão. 19 Mostrarei maravilhas em cima, no céu, e sinais embaixo, na terra: sangue, fogo e nuvens de fumaça. 20 O sol se tornará em trevas e a lua em sangue, antes que venha o grande e glorioso Dia do Senhor. 21 E todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo!’. [...] ► Resp. O derramamento do Espírito se manifestou por meio do dom de línguas, que não teria sentido se o evangelho não devesse ir a outras nações. Já que os primeiros discípulos de Cristo eram judeus, eles constituíam o núcleo que devia levar avante essa obra. A ascensão de Cristo ao Céu foi, para Seus seguidores, um sinal de que estavam para receber a bênção prometida. Por ela deviam esperar antes de iniciarem a obra que lhes fora ordenada. Ao transpor as portas celestiais, foi Jesus entronizado em meio à adoração dos anjos. Tão logo foi esta cerimônia concluída, o Espírito Santo desceu em ricas torrentes sobre os discípulos, e Cristo foi de fato glorificado com aquela glória que tinha com o Pai desde toda a eternidade. O derramamento pentecostal foi uma comunicação do Céu de que a confirmação do Redentor havia sido feita. De conformidade com Sua promessa, Jesus enviara do Céu o Espírito Santo sobre Seus seguidores, em sinal de que Ele, como Sacerdote e Rei, recebera todo o poder no Céu e na Terra, tornando-Se o Ungido sobre Seu povo. "E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem." Atos 2:3 e 4. O Espírito Santo, assumindo a forma de línguas de fogo, repousou sobre a assembleia. Isto era um emblema do dom então outorgado aos discípulos, o qual os capacitava a falar com fluência línguas com as quais não tinham nunca tomado contato. A aparência de fogo significava o zelo fervente com que os apóstolos trabalhariam, e o poder que assistiria sua obra. "E em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu." Atos 2:5. Durante a dispersão os judeus tinham sido espalhados por quase todas as partes do mundo habitado, e em seu exílio tinham aprendido a falar várias línguas. Muitos desses judeus estavam nessa ocasião em Jerusalém assistindo às festas religiosas que então se realizavam. Cada língua conhecida estava por eles representada. Esta diversidade de línguas teria sido um grande embaraço à proclamação do evangelho; Deus, portanto, de maneira miraculosa, supriu a deficiência dos apóstolos. O Espírito Santo fez por eles o que não teriam podido fazer por si mesmos em toda uma existência. Agora podiam proclamar as verdades do evangelho em toda parte, falando com perfeição a língua daqueles por quem trabalhavam. Este miraculoso dom era para o mundo uma forte evidência de que o trabalho deles levava o sinete do Céu. Daí por diante a linguagem dos discípulos era pura, simples e acurada, falassem eles no idioma materno ou numa língua estrangeira. (Atos dos Apóstolos, p. 39-40). ❉ Segunda - A conversão de Cornélio – parte 1 Ano Bíblico: Jr 45–48 ● 2. Leia Atos 10:1-8, 23-48. O que a história desse gentio que se tornou seguidor de Jesus ensina sobre salvação e testemunho? At 10:1-8, (GGR); 1 Havia em Cesareia um homem chamado Cornélio, centurião do regimento militar conhecido como italiano. 2 Esse homem era piedoso e temente a Deus, assim como toda a sua família. Ele era generoso em ajudas financeiras aos pobres e buscava continuamente a Deus em oração. 3 Certo dia, por volta das três horas da tarde, ele recebeu uma visão. De forma clara, viu um anjo de Deus que se aproximando dele o chamou pelo nome: “Cornélio!” 4 Estarrecido e com os olhos fitos no anjo, indagou: “Que é, Senhor?” Ao que o anjo lhe comunica: “Tuas orações e esmolas aos necessitados subiram como oferta memorial à presença de Deus. 5 Agora, envia alguns homens a Jope e manda chamar Simão, também conhecido pelo segundo nome, Pedro. 6 Ele está hospedado com Simão, o curtidor de couro, cuja casa fica à beira-mar. Ele te dirá o que deves fazer. 7 Assim que o anjo que lhe falava se retirou, chamou dois dos seus servos e um soldado piedoso dentre todos que estavam a seu serviço e, 8 compartilhando com eles tudo quanto havia se passado, os enviou a Jope. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  3. 3. At 10:23-48, (kja); 23 Diante disto, Pedro os convidou a entrar e os hospedou. No dia seguinte, aprontou-se e partiu com eles; também alguns irmãos dos que habitavam em Jope seguiram em sua companhia. 24 Um dia depois, chegaram a Cesareia. E Cornélio os esperava, havendo reunido seus parentes e amigos mais chegados. [...] Agora, pois, estamos todos aqui na presença de Deus, com o propósito de ouvir tudo quanto o Senhor te ordenou dizer-nos”. 34 Diante disto, Pedro começou a compartilhar: “Agora sim, percebo verdadeiramente que Deus não trata as pessoas com qualquer tipo de parcialidade, 35 antes, porém, de todas as nacionalidades, recebe todo aquele que o teme e pratica a justiça. 36 Esta é a Palavra que Deus mandou aos filhos de Israel, anunciando-lhes o evangelho da paz, por intermédio de Jesus Cristo. Este, portanto, é o Senhor de todos. […]. ► Resp. Que todas as pessoas são candidatas a receber salvação e que, portanto, devemos testemunhar a todos. Essa visão serviu tanto para repreender Pedro como para instruí-lo. Revelou-lhe o propósito divino de que, pela morte de Cristo os gentios deviam se tornar co-herdeiros dos judeus nas bênçãos da salvação. Até então, nenhum dos discípulos havia pregado o evangelho aos gentios. Em seu pensamento, o muro de separação destruído pela morte de Cristo ainda existia, e seus trabalhos limitavam-se aos judeus, pois tinham considerado os gentios excluídos das bênçãos do evangelho. O Senhor buscava então ensinar a Pedro a extensão universal do plano divino. Muitos dos gentios tinham sido ouvintes interessados da pregação de Pedro e dos outros apóstolos, e muitos dos judeus gregos se haviam tornado crentes em Cristo, mas a conversão de Cornélio seria a primeira de importância entre os gentios. Era chegado o tempo para ser introduzida pela igreja de Cristo uma fase de trabalho inteiramente nova. A porta que muitos dos judeus conversos haviam fechado aos gentios devia agora ser aberta de par em par. E os gentios que aceitassem o evangelho deviam ser considerados em pé de igualdade com os discípulos judeus, sem a necessidade de observar o rito da circuncisão. Com que cuidado o Senhor agiu para vencer o preconceito contra os gentios, que tão firmemente se havia fixado na mente de Pedro pela sua educação judaica! Pela visão do lençol e seu conteúdo, Ele procurou eliminar da mente do apóstolo esse preconceito, e ensinar a importante verdade de que no Céu não há acepção de pessoas; que judeus e gentios são igualmente preciosos à vista de Deus; que por meio de Cristo os pagãos podem ser participantes das bênçãos e privilégios do evangelho. (Atos dos Apóstolos, p. 135, 136). ❉ Terça - A conversão de Cornélio – parte 2 Ano Bíblico: Jr 49, 50 “Então, falou Pedro, dizendo: Reconheço, por verdade, que Deus não faz acepção de pessoas; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que O teme e faz o que é justo Lhe é aceitável.” At 10:34, 35. cf. Gl 2:11-16. ● 3. Leia Atos 10:33. Quais palavras de Cornélio a Pedro demonstram que, apesar de sua falta de conhecimento, ele entendia que seguir ao Senhor também significava obedecer-Lhe? At 10:33, (KJA); 33 Então, sem demora, mandei chamar-te, e fizeste bem em vir. Agora, pois, estamos todos aqui na presença de Deus, com o propósito de ouvir tudo quanto o Senhor te ordenou dizer-nos”. ► Resp. Ele disse que todos estavam ali prontos para ouvir tudo o que Deus havia ordenado a Pedro. ● 4. Leia Atos 11:14. Por que devemos levar o evangelho até mesmo para pessoas piedosas como Cornélio? At 11:13-14, (KJA); 13 Ele nos contou como um anjo lhe aparecera em pé, no recinto de sua casa, e lhe ordenara: ‘Envia homens a Jope e manda buscar Simão, também chamado Pedro. 14 Ele te transmitirá uma mensagem por meio da qual serás salvo, tu e toda a tua casa’. ► Resp. O anjo falou a Cornélio que Pedro lhe diria palavras mediante as quais ele e sua casa seriam salvos, o que significa que, mesmo sendo piedoso, Cornélio ainda precisava conhecer a salvação. ● 5. De que forma Romanos 2:14-16 nos ajuda a entender o que estava acontecendo com Cornélio? Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  4. 4. Rm 2:14-16, (ACF); 14 Porque, quando os gentios, que não têm lei, fazem naturalmente as coisas que são da lei, não tendo eles lei, para si mesmos são lei; 15 Os quais mostram a obra da lei escrita em seus corações, testificando juntamente a sua consciência, e os seus pensamentos, quer acusando-os, quer defendendo-os; 16 No dia em que Deus há de julgar os segredos dos homens, por Jesus Cristo, segundo o meu evangelho. ► Resp. Cornélio, mesmo antes de conhecer a salvação em Jesus, agia em conformidade com a lei gravada em seu coração, mostrando que era sensível à atuação do Espírito Santo. Por causa de seu amor e obediência a Deus, foi trazido para perto dEle, e preparado para receber o Salvador quando Ele lhe fosse revelado. A condenação vem pela rejeição da luz concedida. O centurião era um homem de família nobre e ocupava posição de elevada confiança e honra. No entanto, essas coisas não conseguiram arruinar os diversos atributos de seu caráter. A verdadeira bondade e a grandeza unidas fizeram dele um homem de dignidade moral. Sua influência era benéfica para todos com os quais entrava em contato. Cria no único Deus, Criador dos Céus e da Terra. Reverenciava-O, reconhecia Sua autoridade e procurava Seu conselho em todos os assuntos da vida. Era fiel em seus deveres domésticos, bem como em suas responsabilidades oficiais, e havia construído um altar a Deus em seu lar. Não ousava realizar seus planos e cumprir suas pesadas responsabilidades, sem a ajuda de Deus, por isso, orava bastante e fervorosamente por essa ajuda. A fé caracterizava todas as suas obras, e Deus o considerava pela pureza de suas ações e sua liberalidade, e dele Se aproximou em palavra e Espírito. (História da Redenção, p. 282, 283). Deus não escolhe como Seus representantes entre os homens, anjos que jamais caíram, mas seres humanos, homens de paixões idênticas às daqueles a quem buscam salvar. Cristo Se revestiu da forma humana para que pudesse alcançar a humanidade. Um Salvador divino humano era necessário para trazer a salvação ao mundo. E a homens e mulheres foi entregue a sagrada tarefa de tornar conhecidas “as riquezas incompreensíveis de Cristo” (Ef 3:8). Em Sua sabedoria o Senhor põe os que estão à procura da verdade em contato com seus semelhantes que a conhecem. É plano do Céu que os que receberam a luz a comuniquem aos que se estão em trevas. A humanidade, tirando sua eficiência da grande Fonte da sabedoria, torna-se o agente atuante por meio da qual o evangelho exerce seu poder transformador sobre a mente e o coração. (Atos dos Apóstolos, p. 134). Cornélio não tinha conhecimento do evangelho segundo revelado na vida e morte de Cristo, e Deus lhe enviou uma mensagem diretamente do Céu, e por meio de outra mensagem dirigiu o apóstolo Pedro para que o visitasse e instruísse. Cornélio não se achava ligado à igreja judaica, e teria sido considerado pelos rabis pagão e imundo; mas Deus lia a sinceridade de seu coração, e enviou mensageiros de Seu trono para que se unissem a Seu servo na Terra a fim de que ensinasse o evangelho a esse oficial romano. (A Ciência do Bom Viver, p. 209, 210). ❉ Quarta - A visão de Pedro Ano Bíblico: Jr 51, 52 ● 6. Leia Atos 10:9-22 e 11:1-10. As atitudes erradas de Pedro prejudicavam o cumprimento da missão? Por que foi preciso uma experiência sobrenatural para que a mente de Pedro se abrisse? At 10:9-22, (JFA-RC); 9 E, no dia seguinte, indo eles seu caminho e estando já perto da cidade, subiu Pedro ao terraço para orar, quase à hora sexta. 10 E, tendo fome, quis comer; e, enquanto lhe preparavam, sobreveio-lhe um arrebatamento de sentidos, 11 e viu o céu aberto e que descia um vaso, como se fosse um grande lençol atado pelas quatro pontas, vindo para a terra, 12 no qual havia de todos os animais quadrúpedes, répteis da terra e aves do céu. 13 E foi-lhe dirigida uma voz: Levanta-te, Pedro! Mata e come. 14 Mas Pedro disse: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda. 15 E segunda vez lhe disse a voz: Não faças tu comum ao que Deus purificou. 16 E aconteceu isto por três vezes; e o vaso tornou a recolher-se no céu. 17 E, estando Pedro duvidando entre si acerca do que seria aquela visão que tinha visto, eis que os varões que foram enviados por Cornélio pararam à porta, perguntando pela casa de Simão. 18 E, chamando, perguntaram se Simão, que tinha por sobrenome Pedro, morava ali. 19 E, pensando Pedro naquela visão, disse-lhe o Espírito: Eis que três varões te buscam. 20 Levanta-te, pois, e desce, e vai com eles, não duvidando; porque eu os enviei. 21 E, descendo Pedro para junto dos varões que lhe foram enviados por Cornélio, disse: Sou eu a quem procurais; qual é a causa por que estais aqui? 22 E eles disseram: Cornélio, o centurião, varão justo e temente a Deus e que tem bom testemunho de toda a nação dos judeus, foi avisado por um santo anjo para que te chamasse a sua casa e ouvisse as tuas palavras. Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  5. 5. At 11:1-18, (KJA); 1 E aconteceu que os demais apóstolos e irmãos que estavam na Judeia ouviram falar que os gentios também haviam recebido a Palavra de Deus. 2 Assim, quando Pedro subiu a Jerusalém, os que eram do partido dos crentes circuncisos o criticaram argumentando: 3 “Entraste na casa de homens incircuncisos e ainda comeste com eles!” 4 Então, Pedro começou a fazer-lhes um relato claro e ordenado de como tudo havia ocorrido: 5 “Eu estava em oração na cidade de Jope, e, num súbito êxtase, tive uma visão: algo parecido com um grande lençol descia, baixado do céu, preso pelas quatro pontas até chegar bem perto de mim. 6 Olhei para dentro dele e observei que havia ali quadrúpedes da terra, animais selvagens, répteis e aves do céu. 7 Em seguida, ouvi uma voz que me ordenava: ‘Levanta-te Pedro! Sacrifica e come’. 8 Ao que eu imediatamente repliquei: De modo nenhum Senhor! Pois jamais entrou em minha boca algo profano ou imundo. 9 Porém, a voz falou do céu pela segunda vez: ‘Não consideres impuro o que Deus purificou!’. 10 Isto aconteceu por três vezes seguidas, e tudo tornou a recolher-se ao céu. 11 Naquele momento, os três homens que foram enviados por Cornélio chegaram em frente à casa onde eu estava hospedado. 12 E o Espírito revelou-me que não hesitasse em acompanhá-los. Estes seis irmãos também foram comigo, e entramos na casa daquele homem. 13 Ele nos contou como um anjo lhe aparecera em pé, no recinto de sua casa, e lhe ordenara: ‘Envia homens a Jope e manda buscar Simão, também chamado Pedro. 14 Ele te transmitirá uma mensagem por meio da qual serás salvo, tu e toda a tua casa’. 15 Assim que comecei a pregar, o Espírito, num instante, sobreveio a eles da mesma maneira como veio sobre nós no princípio. 16 E naquele momento lembrei-me do que o Senhor me havia dito: ‘João, de fato, batizou em água, no entanto, vós sereis batizados com o Espírito Santo!” 17 Portanto, se Deus lhes concedeu o mesmo Dom que dera igualmente a nós, ao crermos no Senhor Jesus Cristo, quem era eu, para pensar em contrariar a Deus?” 18 Diante do que fôra exposto, ninguém apresentou qualquer outra objeção e passaram a glorificar a Deus, exclamando: “Sendo assim, Deus concedeu até mesmo aos gentios o arrependimento para a vida!” ► Resp. Seu preconceito estava tão arraigado que Deus lhe deu uma visão chocante para que sua mente se abrisse. O Espírito Santo teve que lhe ordenar que fosse à casa de um gentio, porque isso era proibido segundo os padrões judaicos. Pedro anunciou Jesus ao grupo de ouvintes atentos: Sua vida, ministério, milagres, traição, crucificação, ressurreição e ascensão, e Seu trabalho no Céu, como Representante e Advogado do ser humano, intercedendo em favor dos pecadores. Enquanto o apóstolo falava, seu coração se enchia de alegria pela verdade que o Espírito de Deus o estava ajudando a apresentar àquelas pessoas. Seus ouvintes estavam atraídos pelos ensinos que ouviam, pois o coração deles havia sido preparado para receber a verdade. O apóstolo foi interrompido pela descida do Espírito Santo, como foi manifestado no dia de Pentecostes. “E os fiéis que eram da circuncisão, que vieram com Pedro, admiraram-se, porque também sobre os gentios foi derramado o dom do Espírito Santo; pois os ouviam falando em línguas e engrandecendo a Deus. Então, perguntou Pedro: Porventura, pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? E ordenou que fossem batizados em nome Jesus Cristo. Então, lhe pediram que permanecesse com eles por alguns dias.”. At 10:45-48. (História da Redenção, p. 289). [Cristo] veio salvar os samaritanos tanto quanto os judeus. Para Ele, não existem castas nem pessoas favorecidas de modo especial. Veio para tirar os pecados do mundo. Está disposto a fazer isso para todos, judeus ou gentios, e é o que precisa ser feito em nosso favor antes que possamos entrar no Céu. Temos que deixar que Ele remova nossos pecados porque nEle não houve pecado. É o portador de nossos pecados. (Este Dia com Deus [MM 1980], p. 299). ❉ Quinta - O decreto de Jerusalém Ano Bíblico: Lamentações ● 7. O que aconteceu no Concílio de Jerusalém que ajudou a resolver essa importante questão? At 15:1-35 At 15:1-35, (JFA-RC); 1 Então, alguns que tinham descido da Judéia ensinavam assim os irmãos: Se vos não circuncidardes, conforme o uso de Moisés, não podeis salvar-vos. 2 Tendo tido Paulo e Barnabé não pequena discussão e contenda contra eles, resolveu-se que Paulo, Barnabé e alguns dentre eles subissem a Jerusalém aos apóstolos e aos anciãos sobre aquela questão. [...] 28 Na verdade, pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor mais encargo algum, senão estas coisas necessárias: 29 Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da fornicação; destas coisas fareis bem se vos Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com
  6. 6. guardardes. Bem vos vá. 30 Tendo-se eles, então, despedido, partiram para Antioquia e, ajuntando a multidão, entregaram a carta. 31 E, quando a leram, alegraram-se pela exortação. [...] ► Resp. Foi tomada a decisão de que a observância da circuncisão e outras práticas específicas da nação judaica não deviam ser impostas aos gentios, enquanto foi mantida a observância dos princípios bíblicos universais. Pedro lhes expôs toda a questão. Relatou sua experiência, com referência à visão, e alegou que isso o advertia a não mais observar a distinção cerimonial da circuncisão e incircuncisão, bem como a não considerar imundos os gentios. Contou-lhes acerca da ordem que lhe fora dada para ir aos gentios, da vinda dos mensageiros, de sua viagem para Cesareia e do encontro com Cornélio. Relatou a substância de sua entrevista com o centurião, na qual este lhe contara a visão que lhe determinava mandasse chamar Pedro. “Quando comecei a falar”, disse ele, relatando sua experiência, “caiu sobre eles o Espírito Santo, como também sobre nós ao princípio. E lembrei-me do dito do Senhor, quando disse: João certamente batizou com água; mas vós sereis batizados com o Espírito Santo. Portanto, se Deus lhes deu o mesmo dom que a nós, quando havemos crido no Senhor Jesus Cristo, quem era então eu, para que pudesse resistir a Deus?” (At 11:15-17). Ouvindo esse relato, os irmãos ficaram em silêncio. Convictos de que a conduta de Pedro estava em direto cumprimento ao plano de Deus, e que seus preconceitos e exclusivismo eram inteiramente contrários ao espírito do evangelho, glorificaram a Deus, dizendo: “Na verdade até aos gentios deu Deus o arrependimento para a vida” (At 11:18). Assim, sem controvérsias, foi derrubado o preconceito, abandonou-se o exclusivismo estabelecido pelo costume dos séculos, e abriu-se o caminho para que o evangelho fosse proclamado aos gentios. (Atos dos Apóstolos, p. 141, 142). Os gentios, e especialmente os gregos, eram extremamente licenciosos, e havia o perigo de que alguns, não convertidos de coração, fizessem uma profissão de fé sem renunciar as suas más práticas. Os cristãos judeus não podiam tolerar a imoralidade, que nem mesmo era considerada crime pelos pagãos. Os judeus, portanto, consideravam altamente próprio que a circuncisão e a observância da lei cerimonial fossem impostas aos conversos gentios como um teste de sua sinceridade e devoção. Isso criam eles, poderia impedir que se aliassem à igreja os que, adotando a fé sem verdadeira conversão de coração, pudessem mais tarde trazer opróbrio sobre a causa por imoralidade e excesso. Os vários pontos envolvidos na regulamentação da principal questão em jogo pareciam apresentar diante do concílio dificuldades insuperáveis. Mas o Espírito Santo já havia, em realidade, solucionado essa questão, de cuja decisão parecia depender a prosperidade, senão a existência mesmo, da igreja cristã. “E, havendo grande contenda, levantou-se Pedro e disse-lhes: Varões irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre vós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho, e cressem” (At 15:7). Ele arrazoou que o Espírito Santo havia decidido o assunto em discussão ao descer com igual poder sobre os gentios incircuncisos e sobre os circuncisos judeus […] Pedro relatou a inequívoca interpretação destas claras palavras, a qual lhe foi dada quase em seguida à notificação de ir ter com o centurião para instruí-lo na fé cristã. Essa mensagem mostrava que Deus não faz acepção de pessoas, mas aceita e reconhece a todos quantos O temem. (Atos dos Apóstolos, p. 192, 193). ❉ Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Ez 1–3 Leia, de Ellen G. White, Atos dos Apóstolos, p. 188-200: “Judeus e Gentios”. “Pedro falou de seu assombro quando, ao transmitir as palavras da verdade àquela assembleia na casa de Cornélio, testemunhou que o Espírito Santo Se havia apossado de seus ouvintes, tanto gentios como judeus. A mesma luz e glória que se refletira sobre os judeus circuncidados, brilhou igualmente na face dos incircuncisos gentios. Isso era uma advertência de Deus a Pedro para que não considerasse pessoa alguma inferior a outra, porque o sangue de Cristo pode limpar de toda a imundícia. [...] “O discurso de Pedro levou a assembleia ao ponto de poderem ouvir com paciência a Paulo e a Barnabé, que relataram suas experiências na obra pelos gentios”. (Atos dos Apóstolos, p. 193, 194). Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões:Pedidos, Dúvidas, Críticas, Sugestões: Gerson G. Ramos.Gerson G. Ramos. e-mail:e-mail: ramos@advir.comramos@advir.com

×