SlideShare uma empresa Scribd logo

Treinamento - Assédio Moral 02.pptx

Assedio moral

1 de 22
Baixar para ler offline
ASSÉDIO MORAL
Assédio moral é toda e qualquer conduta que
caracteriza comportamento abusivo, frequente
e intencional, através de atitudes, gestos,
palavras ou escritos que possam ferir a
integridade física ou psíquica de uma pessoa,
vindo a pôr em risco o seu emprego ou
degradando o seu ambiente de trabalho.
–Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde
LEGISLAÇÃO
A República Federativa do Brasil tem como
fundamentos: a dignidade da pessoa humana e
o valor social do trabalho (art. 1º, III e IV). É
assegurado o direito à saúde, ao trabalho e à
honra (art. 5º, X, e 6º).
LEGISLAÇÃO
Código Civil
Aquele que, por ação ou omissão
voluntária, negligência ou
imprudência, violar direito e
causar dano a outrem, ainda que
exclusivamente moral, comete ato
ilícito (art. 186).
TIPOS DE ASSÉDIO MORAL
INTERPESSOAL
Ocorre de maneira
individual, direta e pessoal,
com a finalidade de
prejudicar ou eliminar o
profissional na relação com
a equipe.
INSTITUCIONAL
Ocorre quando a
própria organização
incentiva ou tolera atos
de assédio.
01 02
TIPOS DE ASSÉDIO MORAL
HORIZONTAL
Ocorre entre
pessoas que
pertencem ao
mesmo nível de
hierarquia.
03 04
VERTICAL
Ocorre entre pessoas
de nível hierárquico
diferentes, chefes e
subordinados, e pode
ser subdividido em
duas espécies:
Descendente e
Ascendente
MISTO
Consiste na
acumulação do
assédio moral
vertical e do
horizontal.
05

Recomendados

Assédio Moral - TREINAMENTO SST TITÃS.pptx
Assédio Moral - TREINAMENTO SST TITÃS.pptxAssédio Moral - TREINAMENTO SST TITÃS.pptx
Assédio Moral - TREINAMENTO SST TITÃS.pptxErnanePinheiro2
 
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptxAssédio Moral CIPA 2023(1).pptx
Assédio Moral CIPA 2023(1).pptxmarlone5
 
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptxmanual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptxHailtonJose1
 
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdfFundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdf
Fundacao-Libertas_Ebook_Assedio.pdfPris57
 
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptxASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptx
ASSEDIO TREINAMENTO PARA TODOS.pptxjadib73800
 
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptxmanual-contra-o-assedio-cartilha.pptx
manual-contra-o-assedio-cartilha.pptxHailtonJose1
 
cartilha_assedio_compressed_1_1c.pdf
cartilha_assedio_compressed_1_1c.pdfcartilha_assedio_compressed_1_1c.pdf
cartilha_assedio_compressed_1_1c.pdfTardelliFuad1
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Treinamento - Assédio Moral 02.pptx

Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdfCartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdfCid Oliveira
 
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdfCampanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdfAgenildoAlvesSoares1
 
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdfCampanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdfAgenildoAlvesSoares1
 
Assedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhador
Assedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhadorAssedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhador
Assedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhadorCoren-BA
 
Cartilha assedio moral
Cartilha assedio moralCartilha assedio moral
Cartilha assedio moralSINTE Regional
 
CARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdf
CARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdfCARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdf
CARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdfCid Oliveira
 
Apresenta..(assédio moral)administração
Apresenta..(assédio moral)administraçãoApresenta..(assédio moral)administração
Apresenta..(assédio moral)administraçãoEnelirs
 
ASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptx
ASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptxASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptx
ASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptxCatarinaJacinto6
 
Cartilha assedio moral
Cartilha assedio moralCartilha assedio moral
Cartilha assedio moralCosmo Palasio
 
Jornal SINTE/SC - mês de maio
Jornal SINTE/SC - mês de maioJornal SINTE/SC - mês de maio
Jornal SINTE/SC - mês de maiosinteimp
 
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdfApresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdfEva Cordeiro
 
COMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdf
COMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdfCOMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdf
COMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdfGabinete De Psicologia
 

Semelhante a Treinamento - Assédio Moral 02.pptx (20)

Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdfCartilha-assédio-moral-TST.pdf
Cartilha-assédio-moral-TST.pdf
 
Assédio[1]
Assédio[1]Assédio[1]
Assédio[1]
 
Assédio[1]
Assédio[1]Assédio[1]
Assédio[1]
 
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdfCampanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
 
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdfCampanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
Campanha assédio moral e sexual - a5 - 12092022.pdf
 
CIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptxCIPA ASSÉDIO.pptx
CIPA ASSÉDIO.pptx
 
Assedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhador
Assedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhadorAssedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhador
Assedio moral no trabalho: desafio para a saude do trabalhador
 
Cartilha assedio moral
Cartilha assedio moralCartilha assedio moral
Cartilha assedio moral
 
CARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdf
CARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdfCARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdf
CARTILHA_SOBRE_ASSEDIO_MORAL_E_SEXUAL___SEPLAG_RJ.pdf
 
Apresenta..(assédio moral)administração
Apresenta..(assédio moral)administraçãoApresenta..(assédio moral)administração
Apresenta..(assédio moral)administração
 
ASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptx
ASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptxASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptx
ASSÉDIO MORAL E SEXUAL.pptx
 
Cartilha assedio moral
Cartilha assedio moralCartilha assedio moral
Cartilha assedio moral
 
Assedio moral.pdf
Assedio moral.pdfAssedio moral.pdf
Assedio moral.pdf
 
Cartilha mppr
Cartilha mpprCartilha mppr
Cartilha mppr
 
Assedio moral troca
Assedio moral trocaAssedio moral troca
Assedio moral troca
 
Cartilha Assédio Moral
Cartilha Assédio MoralCartilha Assédio Moral
Cartilha Assédio Moral
 
Jornal SINTE/SC - mês de maio
Jornal SINTE/SC - mês de maioJornal SINTE/SC - mês de maio
Jornal SINTE/SC - mês de maio
 
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdfApresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
Apresentação - 28.10.19 - Compliance (1).pdf
 
Palestra assedio gestores
Palestra assedio gestoresPalestra assedio gestores
Palestra assedio gestores
 
COMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdf
COMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdfCOMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdf
COMO LIDAR DOENTES DIFICEIS.GESTÃO CONFLITOS(1) [Reparado].pdf
 

Mais de ELTONARAUJORAMOS2

Mais de ELTONARAUJORAMOS2 (11)

Treinamento de NR 32.ppt
Treinamento de NR 32.pptTreinamento de NR 32.ppt
Treinamento de NR 32.ppt
 
NR18-Treinamento-Montagem-Andaimes.pptx
NR18-Treinamento-Montagem-Andaimes.pptxNR18-Treinamento-Montagem-Andaimes.pptx
NR18-Treinamento-Montagem-Andaimes.pptx
 
NR12-Treinamento-Rocadeira.pptx
NR12-Treinamento-Rocadeira.pptxNR12-Treinamento-Rocadeira.pptx
NR12-Treinamento-Rocadeira.pptx
 
Slides - Manipulação Segura de Alimentos.pdf
Slides - Manipulação Segura de Alimentos.pdfSlides - Manipulação Segura de Alimentos.pdf
Slides - Manipulação Segura de Alimentos.pdf
 
CURSO-bpf.pdf
CURSO-bpf.pdfCURSO-bpf.pdf
CURSO-bpf.pdf
 
PRIMEIROS SOCORROS.ppt
PRIMEIROS SOCORROS.pptPRIMEIROS SOCORROS.ppt
PRIMEIROS SOCORROS.ppt
 
12-ENVENENAMENTO.ppt
12-ENVENENAMENTO.ppt12-ENVENENAMENTO.ppt
12-ENVENENAMENTO.ppt
 
Bloqueio e Etiquetagem.pdf
Bloqueio e Etiquetagem.pdfBloqueio e Etiquetagem.pdf
Bloqueio e Etiquetagem.pdf
 
Grupo 01.pdf
Grupo 01.pdfGrupo 01.pdf
Grupo 01.pdf
 
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdf
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdfApresentação do PowerPoint NR 33.pdf
Apresentação do PowerPoint NR 33.pdf
 
nr11-e-empilhadeiras.ppt
nr11-e-empilhadeiras.pptnr11-e-empilhadeiras.ppt
nr11-e-empilhadeiras.ppt
 

Último

Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...excellenceeducaciona
 
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdfCuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdfsuplementocultural1
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdfJanielleCristina1
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaFicha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Ficha de trabalho | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
 
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdfCuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
Cuidados Essenciais para um Cachorro Feliz e Saudável-e-book-sc.pdf
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdfPlanejamento do 1º semestre  de Ciências 2024 9º ano.pdf
Planejamento do 1º semestre de Ciências 2024 9º ano.pdf
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
Discuta as principais mudanças e desafios enfrentados pelos profissionais de ...
 

Treinamento - Assédio Moral 02.pptx

  • 2. Assédio moral é toda e qualquer conduta que caracteriza comportamento abusivo, frequente e intencional, através de atitudes, gestos, palavras ou escritos que possam ferir a integridade física ou psíquica de uma pessoa, vindo a pôr em risco o seu emprego ou degradando o seu ambiente de trabalho. –Biblioteca Virtual do Ministério da Saúde
  • 3. LEGISLAÇÃO A República Federativa do Brasil tem como fundamentos: a dignidade da pessoa humana e o valor social do trabalho (art. 1º, III e IV). É assegurado o direito à saúde, ao trabalho e à honra (art. 5º, X, e 6º).
  • 4. LEGISLAÇÃO Código Civil Aquele que, por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência, violar direito e causar dano a outrem, ainda que exclusivamente moral, comete ato ilícito (art. 186).
  • 5. TIPOS DE ASSÉDIO MORAL INTERPESSOAL Ocorre de maneira individual, direta e pessoal, com a finalidade de prejudicar ou eliminar o profissional na relação com a equipe. INSTITUCIONAL Ocorre quando a própria organização incentiva ou tolera atos de assédio. 01 02
  • 6. TIPOS DE ASSÉDIO MORAL HORIZONTAL Ocorre entre pessoas que pertencem ao mesmo nível de hierarquia. 03 04 VERTICAL Ocorre entre pessoas de nível hierárquico diferentes, chefes e subordinados, e pode ser subdividido em duas espécies: Descendente e Ascendente MISTO Consiste na acumulação do assédio moral vertical e do horizontal. 05
  • 7. Situações isoladas podem causar dano moral, mas não necessariamente configuram assédio moral. Para que o assédio seja caracterizado, as agressões devem ocorrer repetidamente, por tempo prolongado, e com a intenção de prejudicar emocionalmente a vítima. ATENÇÃO!
  • 8. ATITUDES QUE CARACTERIZAM O ASSÉDIO - Retirar a autonomia do colaborador ou contestar, a todo o momento, suas decisões; - Sobrecarregar o colaborador com novas tarefas ou retirar o trabalho que habitualmente competia a ele executar, provocando a sensação de inutilidade e de incompetência; - Ignorar a presença do assediado, dirigindo-se apenas aos demais colaboradores; - Passar tarefas humilhantes; - Gritar ou falar de forma desrespeitosa; - Espalhar rumores ou divulgar boatos ofensivos a respeito do colaborador
  • 9. ATITUDES QUE CARACTERIZAM O ASSÉDIO - Não levar em conta seus problemas de saúde; - Criticar a vida particular da vítima; - Atribuir apelidos pejorativos; - Impor punições vexatórias (dancinhas, prendas); - Postar mensagens depreciativas em grupos nas redes sociais; - Evitar a comunicação direta, dirigindo-se à vítima apenas por e-mail, bilhetes ou terceiros e outras formas de comunicação indireta; - Isolar fisicamente o colaborador para que não haja comunicação com os demais colegas;
  • 10. ATITUDES QUE CARACTERIZAM O ASSÉDIO - Desconsiderar ou ironizar, injustificadamente, as opiniões da vítima; - Retirar cargos e funções sem motivo justo; - Impor condições e regras de trabalho personalizadas, diferentes das que são cobradas dos outros profissionais; - Delegar tarefas impossíveis de serem cumpridas ou determinar prazos incompatíveis para finalização de um trabalho; - Vigilância excessiva;
  • 11. ATITUDES QUE CARACTERIZAM O ASSÉDIO - Manipular informações, deixando de repassá-las com a devida antecedência necessária para que o colaborador realize suas atividades; - Limitar o número de vezes que o colaborador vai ao banheiro e monitorar o tempo que lá ele permanece; - Advertir arbitrariamente; e - Instigar o controle de um colaborador por outro, criando um controle fora do contexto da estrutura hierárquica, para gerar desconfiança e evitar a solidariedade entre colegas.
  • 12. O QUE NÃO É ASSÉDIO MORAL? Exigências profissionais Aumento do volume de trabalho Uso de mecanismos tecnológicos de controle Más condições de trabalho
  • 13. Estão ligadas a fatores econômicos, culturais e emocionais. - Abuso do poder diretivo; - Busca incessante do cumprimento de metas; - Cultura autoritária; - Despreparo do chefe para o gerenciamento de pessoas; - Rivalidade no ambiente de trabalho; e - Inveja. CAUSAS
  • 14. CONSEQUÊNCIAS Para o indivíduo  Dores generalizadas;  Palpitações;  Distúrbios digestivos;  Dores de cabeça;  Hipertensão arterial (pressão alta);  Alteração do sono;  Irritabilidade;  Crises de choro;  Abandono de relações pessoais;  Problemas familiares;  Isolamento;  Depressão;  Síndrome do pânico;  Estresse;  Esgotamento físico e emocional;  Perda do significado do trabalho; e  Suicídio.
  • 15. CONSEQUÊNCIAS Para a organização  Redução da produtividade;  Rotatividade de pessoal;  Aumento de erros e acidentes;  Absenteísmo (faltas);  Licenças médicas;  Exposição negativa da marca;  Indenizações trabalhistas; e  Multas administrativas.
  • 16. CONSEQUÊNCIAS Para o estado  Custos com tratamentos médicos;  Despesas com benefícios sociais; e  Custos com processos administrativos e judiciais.
  • 17. MEDIDAS PREVENTIVAS  Incentivar a efetiva participação de todos os colaboradores na vida da empresa, com definição clara de tarefas, funções, metas e condições de trabalho;  Instituir e divulgar um código de ética da instituição, enfatizando que o assédio moral é incompatível com os princípios organizacionais;  Promover palestras, oficinas e cursos sobre o assunto;  Incentivar as boas relações no ambiente de trabalho, com tolerância à diversidade de perfis profissionais e de ritmos de trabalho;  Ampliar a autonomia para organização do trabalho, após fornecer informações e recursos necessários para execução de tarefas;  Reduzir o trabalho monótono e repetitivo;
  • 18. MEDIDAS PREVENTIVAS  Observar o aumento súbito e injustificado de absenteísmo;  Realizar avaliação de riscos psicossociais no ambiente de trabalho;  Garantir que práticas administrativas e gerenciais na organização sejam aplicadas a todos os colaboradores de forma igual, com tratamento justo e respeitoso;  Dar exemplo de comportamento e condutas adequadas, evitando se omitir diante de situações de assédio moral;  Oferecer apoio psicológico e orientação aos colaboradores que se julguem vítimas de assédio moral;  Estabelecer canais de recebimento e protocolos de encaminhamento de denúncias.
  • 19. O QUE FAZER? VÍTIMA  Reunir provas do assédio. Anotar, com detalhes, todas as situações de assédio sofridas com data, hora e local, e listar os nomes dos que testemunharam os fatos;  Buscar ajuda dos colegas, principalmente daqueles que testemunharam o fato ou que já passaram pela mesma situação;  Buscar orientação psicológica sobre como se comportar para enfrentar tais situações;
  • 20. O QUE FAZER? VÍTIMA  Comunicar a situação ao setor responsável, ao superior hierárquico do assediador ou à Ouvidoria;  Caso não tenha sucesso na denúncia, procurar o sindicato profissional ou o órgão representativo de classe ou a associação;  Avaliar a possibilidade de ingressar com ação judicial de reparação de danos morais.
  • 21. O QUE FAZER? OS COLEGAS  Oferecer apoio à vítima;  Disponibilizar-se como testemunha; e  Comunicar ao setor responsável, ao superior hierárquico do assediador ou à entidade de classe situações de assédio moral que presenciou. Bibliografia: Cartilha de prevenção ao assédio moral (TST)