Gravidez na adolescência, DST´S e Métodos Contraceptivos

2.669 visualizações

Publicada em

RESUMO DO MATERIAL DE APOIO

Área do Conhecimento: Ciências da Natureza e suas Tecnologias.
Componente Curricular: Biologia, 3ª série do Ensino Médio.
OBJETIVOS
• Mostrar a importância do conhecimento sobre os problemas e consequências diretamente relacionados à gravidez na adolescência;
• Apresentar o conceito, prevenção, consequências e tratamento das principais DSTS/AIDS.
• Descrever o conceito, características, e objetivo dos principais métodos contraceptivos para prevenção de uma possível gravidez indesejada e doenças sexualmente transmissíveis/AIDS.

CONTEÚDOS
Gravidez na Adolescência;
DSTS/AIDS;
Métodos Contraceptivos.
RECURSOS
Equipamentos áudio visuais (Datashow, notebook, som para áudio, sala de aula ou auditório), etc.
DESENVOLVIMENTO
O material de apoio inicialmente traz consigo as consequências da gravidez para os jovens mostrando os conceitos de adolescência, motivo pelos quais os índices percentuais no Brasil ainda continuam inaceitáveis de adolescentes grávidas precocemente. Posterirormente evidencia a historia, conceitos, consequências, prevenção e tratamento das principais DSTS/AIDS. Por fim, trata dos principais métodos contraceptivos cujos objetivos são a prevenção de DSTS/AIDS e evitar uma possível gravidez indesejada.
EXTRAS
Para avalição dos conhecimentos podem ser usados livros didáticos e paradidáticos, revistas cientificas, vídeos, etc. pertinentes aos conteúdos já citados, assim como exercícios com questões dissertativas e objetivas (de vestibulares, concursos e ENEM). Atividades de pesquisa com objetivo de relacionar geograficamente os dados percentuais de mães adolescentes e de contaminação por DSTS/AIDS em níveis mundial, nacional, estadual e municipal e sua relação com o desenvolvimento socioeconômico aos níveis de conhecimento das populações. Pode ser ainda utilizado o documentário da TV ESCOLA: ORINETAÇÃO SEXUAL, FILHOS DESTE SOLO, vídeos da internet pertinentes ao tema, etc.

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.669
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
234
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gravidez na adolescência, DST´S e Métodos Contraceptivos

  1. 1. •Ciências da Natureza e suas Tecnologias •Ensino Médio, 3ªSérie. •Gravidez na Adolescência, DSTS e Métodos Contraceptivos BIOLOGIA 2015 DWEISON NUNES E-mail: dnss.nunes@Hotmail.com
  2. 2. Gravidez na Adolescência
  3. 3. Gravidez na adolescência oComo o próprio termo já define, consiste em uma gravidez precoce em período de adolescência. oApesar de que a Organização Mundial de Saúde considere a adolescência como o período de dez a vinte anos na vida de um indivíduo oCada país especifica a idade em que seus cidadãos passam a ser considerados adultos (a chamada maioridade legal) ainda podendo ser influenciado localmente por fatores culturais. oPeríodo dos “12 aos 20” anos CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  4. 4. Adolescência • A adolescência caracteriza-se por ser um período de descoberta do mundo, dos grupos de amigos, de uma vida social mais ampla. • A adolescência é também uma fase em que a personalidade da jovem está se formando e, por isso instável. Hoje, os meninos e meninas entram na adolescência cada vez mais cedo. • Assim, a gravidez pode vir a interromper, na adolescente, esse processo de desenvolvimento próprio da idade, fazendo-a assumir responsabilidades e papéis de adulta antes da hora. • O prejuízo é duplo: nem adolescente plena, nem adulta inteiramente capaz. CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  5. 5. Gravidez na Adolescência • O namorado, que antes era o tal príncipe encantado , fica assustado com o excesso de responsabilidade e toma atitudes como negar a paternidade e até sugerir o aborto. A Gravidez precoce pode ser um grande complicador para a vida das adolescentes, gerando problemas como: • Nas mães: desnutrição, anemia, hipertensão especifica da gravidez, trabalho de parto prematuro, infecções, etc. • Nos bebês: baixo peso, prematuridade, risco de mortalidade maior que dos filhos de mães mais velhas; CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  6. 6. Dados a serem analisados algumas causas para a ocorrência da gravidez precoce : • O Pensamento mágico de que nada acontece com elas, mas apenas com os outros . • A Influências das amigas e da mídia. • O MEDO de encarar a própria sexualidade, o que leva a não se prevenir, deixando por conta do acaso a primeira relação sexual . • O desconhecimento do uso de métodos contraceptivos. • A falta de conhecimento do próprio corpo, o que pode explicar , em parte, a não-utilização ou a utilização incorreta dos métodos contraceptivos. • A falta de orientação médica para a escolha do melhor método contraceptivo. • O constrangimento em assumir o relacionamento sexual diante da família e amigos . Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  7. 7. ...Outras causas para a ocorrência da gravidez precoce : • A vergonha de pedir ao namorado que use a camisinha durante a relação sexual . • A falta de condição financeira para comprar a camisinha ou pílula • Desejo de testar a fertilidade (medo de ser infértil). • Mitos em relação aos métodos e á sexualidade . Observação: A Orientação do ginecologista na escolha do método é imprescindível, pois ajuda a adolescente a entender melhor o método escolhido, esclarecer as dúvidas e saber a quem recorrer em caso de novas questões . A melhor solução para evitar uma gravidez não planejada continua sendo a prevenção . CHEIDA, Luiz Eduardo. Biologia integrada: Volume único. São Paulo: FTD, 2010. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  8. 8. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie IBGE, Censo 2009. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2009/tabelas_pdf/t otal_populacao_pernambuco.pdf. Retirado em 04/10/2011. Gráficos
  9. 9. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  10. 10. DST’SDST’S • “DOENÇAS SEXUALMEMTE TRANSMISSÍVEIS”; • São doenças transmitidas por meio de relação sexual; • Seja de homem com mulher, homem com homem ou mulher com mulher; • Sem o uso de camisinha com uma pessoa que esteja infectada; • Geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas, nos órgãos genitais podendo surgir também em outras partes do corpo. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  11. 11. OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE DST‘S:OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE DST‘S: • Corrimentos abundantes amarelados ou esverdeados na vagina ou pênis • Mau-cheiro no órgãos genitais • Coceiras ou vermelhidão constantes na virilha, vagina, saco ou pênis • Feridas na vagina, saco, pênis ou ânus • verrugas na vagina, pênis, boca, saco ou ânus • bolhas (vermelhidão) na virilha, vagina, saco ou pênis • ardor ao urinar • Dor durante as relações sexuais Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  12. 12. HISTÓRICOHISTÓRICO • As doenças sexualmente transmissíveis, até pouco tempo eram conhecidas como doenças venéreas. Venéreas por causa de uma referência a deusa grega Vênus. A deusa do amor. • As DSTs não escolhem idade, classe social, raça e condição financeira para contaminar.Qualquer um pode se tornar uma vítima. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  13. 13. POSSÍVEIS CAUSAS DO AUMENTO DE CASOS DAS DSTsPOSSÍVEIS CAUSAS DO AUMENTO DE CASOS DAS DSTs • INÍCIO DA VIDA SEXUAL PREMATURA; • AUMENTO DO NUMERO DE PARCEROS(AS) SEXUAIS; • DIFICULDADE EM USAR PRESERVATIVOS; • FALTA DE INFORMAÇÃO QUANTO A PRENVENÇÃO; • VERGONHA E MEDO DE PROCURAR ORIENTAÇÃO MÉDICA... Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  14. 14. DST´s MAIS COMUNSDST´s MAIS COMUNS • Gonorréia; • Sífilis ou Lues; • Cancro Mole ou Bubão; • Tricomoníase; • Herpes Genital; • Condiloma acuminado ou crista de galo; • Cândidíase ou Flores Brancas; • AIDS; • Clamídia. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  15. 15. GONORRÉIA SÍFILIS OU LUESGONORRÉIA SÍFILIS OU LUES • É uma infecção causada por uma bactéria denominada neisseria gonorrhoeae; • É uma infecção só da uretra; • Com dor e ardência ao urinar; • E com vários tipos de corrimento amarelados. • Sinônimos: Cancro duro, cancro sifilítico, Lues; • Agente:Treponema pallidum; • Complicações/Consequências Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso, endometrite pós-parto. Infecções Peri e neonatal. Sífilis Congênita. Neurossífilis. Sífilis Cardiovascular. Transmissão Relação sexual (vaginal anal e oral), transfusão de sangue contaminado, transplacentária (a partir do quarto mês de gestação). Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  16. 16. CANCRO MOLE TRICOMONÍASECANCRO MOLE TRICOMONÍASE • Sinônimo: Bubão e cavalo; • causada pela bactéria Hemophilus Ducreyi; • Afeta homens e mulheres; • Caracteriza-se por feridas tipo úlcera, semelhante a sífilis, diferenciando-se desta por apresentar geralmente lesões múltiplas (pode ser única), por serem dolorosas, de borda irregular com contornos avermelhados. • É uma infecção dos genitais, causada pelo Trichomonas vaginalis. • Pode não apresentar sintomas algum ou aparecer na mulher:como um corrimento amarelo abundante com mau cheiro, coceira na região vaginal, dor abdominal e ardência ao urinar. • O homem raramente apresenta ardência ao urinar ou um pouco de secreção amarela saindo pelo pênis. • Sintomas: quando presentes costumam aparecer em torno de 10 dias após a relação. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  17. 17. Condiloma Acuminado Herpes GenitalCondiloma Acuminado Herpes Genital • Sinônimo: "crista de galo“; • Causada: Por um vírus (HPV - Human Papilloma Virus); • Caracterizada : Pelo crescimento de uma lesão tipo verruga (couve-flor) na região de contato (pênis, vagina ou anus). • A presença do vírus pode ser assintomática: Principalmente na mulher ou a lesão inicial pode ser pequena e passar despercebida a ambos os sexos. • Causado por: Um vírus chamado de "virus herpes simplex", tipo 2. • O primeiro sintoma: É o aparecimento de minúsculas bolhas agrupadas (vesículas) ; • Causa: Dor e ardência no local de inoculação (contato). Com o passar dos dias estas vesículas vão se rompendo e liberando pequena quantidade de líquido os quais formarão crostas ao secarem. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  18. 18. AIDSAIDS • (SÍNDROME DA IMONODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA); • É uma manifestação clínica avançada de infecção pelo HIV (vírus da imunodeficiência humana) ; • Um retrovírus que ataca o sistema imunológico do ser humano. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  19. 19. A Diferença entre estar infectado pelo HIV e ter SIDAA Diferença entre estar infectado pelo HIV e ter SIDA (AIDS)(AIDS) • Devemos ressaltar que ser portador do vírus HIV não significa estar com AIDS (doente). • Nós somos constantemente atacados por bactérias e vírus, porém temos um sistema de células e barreiras de defesa. Estas células são chamadas de leucócitos (células brancas ou glóbulos brancos) que atuam eliminando todo organismo estranho que circule por nosso corpo. • O vírus HIV reduz a resistência do nosso organismo exatamente por se instalarem dentro dos glóbulos brancos tornando-os ineficientes e deixando-nos expostos a infecções por vírus e bactérias oportunistas. • "doente" com AIDS significa ser portador do vírus e ter infecções oportunistas como pneumonias, infecções intestinais, etc. que podem por fim levar a morte. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  20. 20. OBSERVAÇÕES:OBSERVAÇÕES: TRATAMENTO?!TRATAMENTO?! •AIDS: Infelizmente a medicina ainda não encontrou a cura para a AIDS. •Hoje são medicamentos que fazem o controle do vírus. Estes medicamentos melhoram a qualidade de vida do paciente, aumentando a sobrevida. •DST’S: Apenas o médico (ginecologista, clínico geral ou urologista) tem condições de fazer exames clínicos e de laboratório que podem avaliar qual a medicação necessária para cada DST. •Tomar remédios receitados por farmacêuticos e amigos podem apenas “esconder” os sintomas e fazer com que a doença se torne mais resistente dentro do corpo. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  21. 21. MITOS E VERDADESMITOS E VERDADES
  22. 22. Anticoncepcionais
  23. 23. • A prevenção da gestação não planejada é fundamental, principalmente para adolescentes e adultos jovens sexualmente ativos, que devem ser orientados precocemente. • Uma vez que a idade para início das relações sexuais está diminuindo cada vez mais, enquanto estão aumentando o número de adolescentes grávidas. Métodos de contracepção Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  24. 24. Pílulas • Deve-se começar no primeiro dia da menstruação que equivale ao primeiro dia do ciclo e tomar durante os 21 dias (ou 22 dias) até o dia da pausa, período de 7 dias (6 dias). • Neste período você terá sua menstruação. Imediatamente após o 7º dia da pausa (isto é, 8º dia do ciclo) comece a tomar a próxima cartela mesmo se a sua menstruação não tenha acabado. Vantagens: • Eficiência de 99% na prevenção de uma gravidez. • Nas minipílulas, os efeitos colaterais são praticamente inexistentes. Desvantagens: • O risco de um esquecimento é quase inevitável. • Mulheres que usam pílulas nem sempre encorajam seus parceiros a usarem camisinha, tornando-a assim mais exposta à doenças sexualmente transmissíveis. • Devido à mudança hormonal, algumas mulheres perdem o controle de seu peso. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  25. 25. Pílula pós-coito ou pílula do dia seguinte • a anticoncepção de emergência é um uso alternativo de contracepção hormonal oral (tomado antes de 72 horas após o coito) evitando-se a gestação após uma relação sexual desprotegida. É importante esclarecer que essas não são pílulas de aborto e não causam aborto, e elas não ajudarão se a mulher já estiver grávida. Ela pode ajudar somente a prevenir a gravidez. Esta medida tem causado vários efeitos colaterais e não deve ser usada regularmente. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/12/2010. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  26. 26. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Evra® (adesivo anticoncepcional): Foi lançado no Brasil em Março de 2003 . O Evra é um adesivo anticoncepcional que deve ser colado na pele, em diversos locais do corpo, permanecendo na posição durante uma semana. • A maior vantagem é que a mulher não precisará tomar a pílula todo dia e nem esquecerá. • Outra é que os hormônios serão absorvidos diretamente pela circulação evitando alguns efeitos colaterais desagradáveis da pílula oral. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  27. 27. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Hormonais • Nuvaring®: é um anel vaginal contendo hormônios femininos que é colocado na vagina no 5º dia da menstruação, permanecendo nesta posição durante três semanas. • A maior vantagem é que a mulher não precisará tomar a pílula todo dia e nem esquecerá. • Outra é que os hormônios serão absorvidos diretamente pela circulação evitando alguns efeitos colaterais desagradáveis da pílula oral. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  28. 28. Implantados O implante é um bastonete que libera progestagênio lentamente durante um período prolongado podendo proporcionar contracepção por 3 a 5 anos após a implantação subcutânea. A inserção do bastonete é bem simples e fácil, deve ser colocado pelo seu médico. Vantagens: 99,7% de eficiência. Após a implantação você não tem que se preocupar com métodos anticoncepcionais por até cinco anos. Independente da cooperação de seu parceiro. Diminui o sangramento vaginal. Desvantagens: É caro. Ciclo menstrual irregular é comum nos primeiros seis meses. Ao levantar o braço, o implante pode ser visto. Sua remoção é mais difícil que sua implantação. Não previne contra doenças sexualmente transmissíveis. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  29. 29. Injetáveis O injetável é uma injeção à base de hormônios femininos e assim como a pílula é um método eficaz. Alguns injetáveis são usados com aplicações mensais e outros, trimestrais. Vantagens: •É altamente eficiente, 99,7%. •Você só precisa dele quatro vezes ao ano. •O seu ciclo menstrual praticamente desaparece, sem sangue, sem cólicas, sem tensão pré-menstrual. Desvantagens: •Aumento de peso é comum. Mas se você pratica esportes não deve ser problema. •Para engravidar pode levar até um ano após a última dose. •Não protege contra doenças sexualmente transmissíveis. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  30. 30. Tabelinha • A tabelinha é conhecida também como método do calendário, pois a mulher de acordo com o histórico de suas menstruações, identifica o seu período fértil através do mesmo. Dias Férteis: Período em que há probabilidade da mulher engravidar. Esses dias são: Do 10º ao 18º dia, contados do 1º dia em que iniciou um novo ciclo menstrual. Dias não férteis: É o período em que há uma baixa probabilidade de ocorrer a fecundação. São eles: Do 1º ao 9º dia, e do 19º ao 28º dia. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  31. 31. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/12/2010. Métodos de Barreira • Preservativo Masculino e Feminino. • Estes métodos impedem a ascensão dos espermatozoides ao útero, sendo fundamentais na prevenção das DST e AIDS. • A origem histórica da camisinha foi em 1500, quando o anatomista italiano Gabrielle Fallopius inventou uma espécie de "saco de linho" para proteger seus pacientes da sífilis. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  32. 32. • Informações gerais • Tipo Esterilização onde são seccionados os ductos deferentes. • Primeiro uso 1957. • Taxas de falha (por ano) • Uso perfeito 0.1% • Uso • Duração do efeito Permanente • Reversibilidade possível, porém as taxas de sucesso baixam substancialmente. • Lembretes aos usuários Teste de eficiência adicional: requer 2 amostras negativas de sêmen. Vasectomia Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  33. 33. Demonstração Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  34. 34. Laqueadura Esterilização cirúrgico e definitivo, realizado na mulher através da ligadura ou corte das trompas impedindo, o encontro dos gametas masculino e feminino. Primeiro uso 1930 Informações gerais • Tipo Esterilização Taxas de falha (por ano) • Uso perfeito 0.5% Uso • Duração do efeito é Permanente. • Reversibilidade (Nunca). • Revisões clínicas, (nenhuma). Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  35. 35. Disponível em: http://www.google.com.br/pdf. Retirado em 05/09/2011. Dispositivo Intra-Uterino • São artefatos de polietileno, aos quais podem ser adicionados cobre ou hormônios, que são inseridos na cavidade uterina exercendo sua função contraceptiva. • Riscos frequentes: • Sangramentos irregulares; • Infecções uterinas, • Índice de falha: 0,1 % Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  36. 36. Diafragma • é um anel flexível, coberto por uma membrana de borracha fina, que a mulher deve colocar na vagina, para cobrir o colo do útero • Deve ser usado com espermicida. Recomenda-se introduzir de 15 a 30 minutos antes da relação sexual e retirar 6 a 8 horas após a última relação sexual de penetração. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 3ªSérie
  37. 37. Porcentagens de eficácia  Muito eficientes  Eficientes  Pouco eficientes  Pílula índice de falha 0,1%  Pílula do dia seguinte /Contracepção de emergência índice de falha 5 a 20 %  Espermaticida índice de falha 20 %  Injeção Anticoncepcional índice de falha 0,1%  Camisinha índice de falha 8 a 20 %  Método do muco índice de falha 10 a 20 %  DIU índice de falha 0,1%  Diafragma índice de falha 8 a 20 %  Tabelinha índice de falha 10 a 20 %  Vasectomia e Laqueadura tubária índice de falha 1%  Camisinha feminina índice de falha 8 a 20 %  Coito Interrompido índice de falha 15 a 20 %  Não fazer sexo índice de falha 0 %  Anticoncepção de emergência índice de falha 05 a 20 %  Aborto índice de falha 15 a 20 %  Implante índice de falha 0,0%  Anel Vaginal índice de falha 0,1%  Adesivo anticoncepcional índice de falha 0,1%
  38. 38. Porcentagens de eficácia  Muito eficientes  Eficientes  Pouco eficientes  Pílula índice de falha 0,1%  Pílula do dia seguinte /Contracepção de emergência índice de falha 5 a 20 %  Espermaticida índice de falha 20 %  Injeção Anticoncepcional índice de falha 0,1%  Camisinha índice de falha 8 a 20 %  Método do muco índice de falha 10 a 20 %  DIU índice de falha 0,1%  Diafragma índice de falha 8 a 20 %  Tabelinha índice de falha 10 a 20 %  Vasectomia e Laqueadura tubária índice de falha 1%  Camisinha feminina índice de falha 8 a 20 %  Coito Interrompido índice de falha 15 a 20 %  Não fazer sexo índice de falha 0 %  Anticoncepção de emergência índice de falha 05 a 20 %  Aborto índice de falha 15 a 20 %  Implante índice de falha 0,0%  Anel Vaginal índice de falha 0,1%  Adesivo anticoncepcional índice de falha 0,1% Muito Obrigado!
  39. 39. Ciências da Natureza e suas Tecnologias Ensino Médio, 2ªSérie. Gravidez na Adolescência, DSTS e Métodos Contraceptivos

×