SlideShare uma empresa Scribd logo
 
A PARTE MAIS  IMPORTANTE...
 
E SEM  DST   É SENSACIONAL!
O sexo  é  importante na nossa vida. Ele nos d á  prazer  e,  à s vezes,  filhos .  Sexo  é  sinal de sa ú de, permite demonstrar  carinho  e  confian ç a .
Existem  inimigos  da nossa sa ú de sexual. Temos que conhec ê -los para aprender a se defender deles e ter uma vida mais  feliz .
Os principais inimigos da nossa sa ú de sexual s ã o invis í veis, entre eles est ã o os microorganismos que se aproveitam das rela çõ es sexuais para passarem de uma pessoa para outra, provocando doen ç as.
[object Object],[object Object]
[object Object]
[object Object]
Podem ser causadas por  vírus ,  bactérias ,  fungos  e  protozoários .  Transmitem-se, principalmente, nas relações sexuais .
As DST são um grave problema de saúde pública porque:  - Facilitam a transmissão sexual do HIV (vírus da AIDS);
- Se não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem levar a complicações graves e até à morte;  - Algumas, quando acometem gestantes, podem provocar o abortamento ou o nascimento com graves malformações.
- Podem provocar esterilidade no homem e na mulher;  - Inflamação nos órgãos genitais do homem, podendo causar impotência;
- Inflamação no útero, nas trompas e ovários, podendo complicar para uma infecção em todo o corpo, o que pode causar a morte;  - Mais chances de ter câncer no colo do útero e no pênis;
Quem pode pegar? ,[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
LEMBRE-SE: “ Mais vale prevenir do que remediar”.
Principais sintomas? ,[object Object]
[object Object]
COMO SE FAZ ,[object Object]
DST Sexo seguro  é  ter relações sexuais sem acontecer trocas de secreções (masculina e feminina). Ocorre com carícias e masturbação.
Sexo mais protegido   é aquele no qual é diminuída a probabilidade de haver troca de secreções (esperma, secreção vaginal, sangue) como ocorre com o uso da camisinha masculina ou feminina.
-  Usando camisinha em todas as relações sexuais (lembre-se: camisinha ajuda a reduzir mas não elimina totalmente o risco do contágio sexual;
- Desconfie de qualquer secreção ou corrimento incomuns dos genitais;  -  Tome banho ou pelo menos lave os genitais com água e sabonete após o ato sexual;
- Evite múltiplos(as) parceiros(as);
CONSEQÜÊNCIAS DA FALTA DE PREVENÇÃO E/OU TRATAMENTO! VOCÊ QUER VER?
Doenças que causam corrimentos
Tricomoníase, Candidíase e Vaginose Bacteriana   (vaginais) Gonorréia e Clamídia (cervicais)
[object Object],[object Object],[object Object],Tricomoníase
Vaginose bacteriana ,[object Object]
Candidíase ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Corrimentos, quando não tratados, podem causar infecções nas tubas e ovários, causando o que se conhece por  Doença Inflamatória Pélvica  (DIP), um quadro muitas vezes grave, que pode causar esterilidade e até a morte.
A maioria das mulheres infectadas não apresenta sintomas, podendo ter corrimento sem cheiro e sem coceira. Nas gestantes, podem ser transmitidas no parto, causando cegueira no bebê.
Há uma umidade vaginal normal, que n ã o provoca coceira, n ã o tem cheiro,  é  transparente e em pequena quantidade. Esta pode aumentar, ou por excita çã o sexual ou no per í odo f é rtil. Esse corrimento n ã o  é  doen ç a.
[object Object],[object Object]
                                                                                                               
No homem, manifesta-se com corrimento amarelado (gonorréia) ou esbranquiçado (clamídia) no canal da urina e ardência ao urinar.  Obs.: tanto a gonorréia quanto a clamídia, quando não tratadas, podem causar esterilidade.
[object Object],Condiloma Acuminado Verrugas não dolorosas, isoladas ou agrupadas, que aparecem nos órgãos genitais e/ou no ânus.
Crescem mais rapidamente durante a gravidez e em pacientes com imunidade deprimida. A falta de tratamento adequado pode predispor ao câncer do colo uterino ou do pênis.
Infecção causada por um grupo de vírus HPV. Está relacionado ao câncer do colo do útero e vulva e, mais raramente, câncer do pênis e também do ânus. Os tratamentos disponíveis são locais (cáusticos, quimioterápicos, cauterização etc.).
Algumas pessoas podem estar infectadas e não apresentarem as verrugas.
[object Object]
 
Doenças que causam feridas: ,[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
Ardência e  vermelhidão , seguidas de pequenas bolhas agrupadas que rompem e formam feridas dolorosas nos órgãos genitais. As feridas podem durar de 1 a 3 semanas e desaparecem, mesmo sem tratamento.  Herpes genital
Mesmo após o desaparecimento das feridas, a pessoa continua infectada.
 
Feridas dolorosas e com pus nos órgãos genitais. Podem aparecer caroços na virilha, que rompem e soltam pus. É mais comum nos homens. É popularmente chamado  Cavalo . Cancro Mole
Cancro Mole                                                                                                     
Linfogranuloma Venéreo Ferida nos órgãos genitais que muitas vezes não é percebida e desaparece sem tratamento. Depois surgem caroços na virilha, que se rompem e soltam pus. Causado pela bactéria  Chlamydia   trachomatis.
                                                                      
Donovanose Começa com caroço, em seguida forma uma ferida que cresce em volume e extensão. Não dói e não tem íngua.  Se não tratada pode causar deformidades genitais.
A  transmissão sexual é a mais conhecida.                                                                           
Sífilis Evolui de forma lenta e tem períodos de manifestação aguda e períodos sem manifestação. Pode comprometer vários órgãos (pele, olhos, ossos, sistema cardiovascular, sistema nervoso).
De acordo com algumas características de sua evolução a sífilis divide-se em  Primária ,  Secundária  e  Terciária .
A lesão é a porta de entrada do agente. Em geral, é uma ferida indolor, que apresenta secreção líquida e transparente que pode ocorrer nos grandes lábios, vagina, clitóris, períneo e colo do útero.
E no homem, na glande e prepúcio, mas pode também ser encontrada nos dedos, lábios, mamilos e conjuntivas.
Quando a Sífilis é transmitida da mãe para o feto é chamada de Sífilis Congênita.
Complicações Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso. Se o bebê for contaminado, poderá ter problemas como: pneumonia, problemas ósseos, feridas no corpo, cegueira, dentes deformados, surdez e até retardamento mental.
Sífilis congênita                                           
Sífilis
Sífilis secundária Roséolas na boca e face, palmares e plantares e na pele do tronco .
Sífilis terciária
Relação sexual, antes de ser uma  transa , deve ser um momento de  carinho , de  respeito  e não de passar uma doença.   IMPORTANTE!
ASSIM, para evitar as DST deve-se tomar os mesmos cuidados da AIDS. É importante ter sempre à mão um preservativo, além de evitar a multiplicidade de parceiros.
Além disso, deve-se procurar o serviço médico toda vez que surgir algum problema, como ferida, íngua ou corrimento genital e mesmo para exames médicos periódicos.
10  MOTIVOS PARA USAR CAMISINHA
01   - A camisinha é prática e barata. E permite que você esteja no comando da situação: sem ela, não rola. 02  - Alguns vírus e bactérias podem ficar mais de dez anos no corpo sem se  manifestar.
03  - O HPV pode ser contraído numa transa, num amasso e até compartilhando toalha de banho ou sabonete infectados. 04  - A  AIDS  é uma doença que não tem cura. Não é nada inteligente manter uma prática sexual de risco.
05  - Os dados oficiais sobra DST não deixam dúvidas: são dois casos de aids em garotas jovens para cada caso em meninos. 06  -  Ejacular na virilha ou na coxa é arriscado: o sêmen pode escorrer para o canal vaginal e há risco de gravidez.
07  - Retirar o pênis da vagina antes da ejaculação não garante nada: já durante um amasso, o pênis pode liberar gotas de líquido seminal que contém espermatozóide.
08  - Tabelinha é roubada. O ciclo menstrual em jovens é bem irregular. Impossível saber o dia certo da ovulação.
09  - Camisinha têm boa eficácia se utilizada corretamente ( gravidez não é o fim do mundo, mas o legal é ter um filho na hora certa). 10  - É muito fácil de colocar!
 
“ A criança e o adolescente têm o direito de serem atendidos, bem informados sobre cuidados com seu corpo, as transformações que vão acontecendo, sem  tabus ,  preconceitos  ou  medos ,
sobre drogas e doenças, o que resultará em escolhas mais sensatas sabendo o que querem para si, aumentando as chances de terem uma  vida mais  saudável  e de  melhor qualidade ”.
EVITAR OU NÃO! AGORA... A DECISÃO É SUA!
ENDEREÇOS VISITADOS www.aids.gov.br www.dst.com.br www.uff.br/dst cadernodigital.uol.com.br/guiadosexo/dst
www.wcarreira.hpg.ig.com.br www.dstfacil.hpg.ig.com.br www.giv.org.br/dstaids.htm www.animalhome.hpg.ig.com.br
Realização Produção e organização PROFESSOR EDSON BENAZET STE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
lipe98
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
tiafer96
 
Doenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sidaDoenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sida
Ricardo Pais
 
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power PoitDoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
edsaude
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
Fernanda Gonçalves
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
Ana Paula Ribeiro da Fonseca Lopes
 

Mais procurados (20)

Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente TransmissívesDST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
DST / IST - Infecções Sexualmente Transmissíves
 
Dst aids para adolescentes
Dst   aids para adolescentesDst   aids para adolescentes
Dst aids para adolescentes
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..DoençAs S[1]..
DoençAs S[1]..
 
Dst palestra
Dst palestraDst palestra
Dst palestra
 
Ist 01
Ist 01Ist 01
Ist 01
 
Dst’s
Dst’sDst’s
Dst’s
 
Doenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sidaDoenças sexualmente transmissíveis e sida
Doenças sexualmente transmissíveis e sida
 
Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)Dst/aids SIPAT (oficial)
Dst/aids SIPAT (oficial)
 
Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade Educação sexual - Puberdade
Educação sexual - Puberdade
 
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power PoitDoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
DoençAs Sexualmente TransmissíVeis Power Poit
 
Dst’s
Dst’s Dst’s
Dst’s
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
DoençAs Sexualmente Transmissiveis (2)
 
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de AcaoPrevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
Prevencao do HIV e Outras ISTs Identificando as Oportunidades de Acao
 
Dst 8º ano
Dst   8º anoDst   8º ano
Dst 8º ano
 
DSTs
DSTsDSTs
DSTs
 
Gravidez na adolescência
Gravidez na adolescênciaGravidez na adolescência
Gravidez na adolescência
 
Aids
AidsAids
Aids
 

Destaque

Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/AidsSaúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Elos da Saúde
 
Drogas e Consequências
Drogas e Consequências Drogas e Consequências
Drogas e Consequências
Walquiria Dutra
 
Palestra - prevençao ao uso de drogas
Palestra - prevençao ao uso de drogasPalestra - prevençao ao uso de drogas
Palestra - prevençao ao uso de drogas
Impactto Cursos
 
Palestra drogas escolas
Palestra drogas   escolasPalestra drogas   escolas
Palestra drogas escolas
Edson Demarch
 

Destaque (20)

Curso online gratuito Práticas de Sustentabilidade
Curso online gratuito Práticas de SustentabilidadeCurso online gratuito Práticas de Sustentabilidade
Curso online gratuito Práticas de Sustentabilidade
 
Comunicação & Sustentabilidade
Comunicação & SustentabilidadeComunicação & Sustentabilidade
Comunicação & Sustentabilidade
 
DST
DSTDST
DST
 
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/AidsSaúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
Saúde e Prevenção nas Escolas: Prevenção de DST/Aids
 
DST
DSTDST
DST
 
Drogas e Consequências
Drogas e Consequências Drogas e Consequências
Drogas e Consequências
 
Drogas palestras
Drogas palestrasDrogas palestras
Drogas palestras
 
Palestra - prevençao ao uso de drogas
Palestra - prevençao ao uso de drogasPalestra - prevençao ao uso de drogas
Palestra - prevençao ao uso de drogas
 
Slide (drogas no contexto escolar)
Slide (drogas no contexto escolar)Slide (drogas no contexto escolar)
Slide (drogas no contexto escolar)
 
Drogas lícitas, ilícitas e adolescência
Drogas lícitas, ilícitas e adolescênciaDrogas lícitas, ilícitas e adolescência
Drogas lícitas, ilícitas e adolescência
 
Drogas licitas e ilícitas
Drogas licitas e ilícitasDrogas licitas e ilícitas
Drogas licitas e ilícitas
 
Aula 01 dst
Aula 01  dstAula 01  dst
Aula 01 dst
 
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA DE PREVENÇÃO AO USO DO CRACK
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA DE PREVENÇÃO AO USO DO CRACKAPRESENTAÇÃO DE PALESTRA DE PREVENÇÃO AO USO DO CRACK
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA DE PREVENÇÃO AO USO DO CRACK
 
Apresentação de Palestra sobre Prevenção álcool ao uso de Álcool e Drogas
Apresentação de Palestra sobre Prevenção álcool ao uso de Álcool e DrogasApresentação de Palestra sobre Prevenção álcool ao uso de Álcool e Drogas
Apresentação de Palestra sobre Prevenção álcool ao uso de Álcool e Drogas
 
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
APRESENTAÇÃO DE PALESTRA PARA PREVENÇÃO E RECUPERAÇÃO DO ALCOOLISMO PARA JOVE...
 
Palestra drogas escolas
Palestra drogas   escolasPalestra drogas   escolas
Palestra drogas escolas
 
O perigo das drogas apresentação power point
O perigo das drogas apresentação power pointO perigo das drogas apresentação power point
O perigo das drogas apresentação power point
 
Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogasAdolescentes e drogas
Adolescentes e drogas
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
 
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDEDROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
DROGAS E SUAS CONSEQUÊNCIAS-SLIDE
 

Semelhante a DST

Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
Angela Boucinha
 
Uma ApresentaçãO Completa Xd
Uma ApresentaçãO Completa XdUma ApresentaçãO Completa Xd
Uma ApresentaçãO Completa Xd
pedroines141520
 
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
danimmiguelis
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Michele Pó
 
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Alina del Carmen Cowen
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
lucia_nunes
 

Semelhante a DST (20)

Comportamentos de risco
Comportamentos de riscoComportamentos de risco
Comportamentos de risco
 
Doenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveisDoenças sexualmente transmissíveis
Doenças sexualmente transmissíveis
 
Uma ApresentaçãO Completa Xd
Uma ApresentaçãO Completa XdUma ApresentaçãO Completa Xd
Uma ApresentaçãO Completa Xd
 
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveisDoenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
Doenças e infecções sexualmente transmissíveis: 12 DST evitáveis
 
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DSTO QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
O QUE PRECISAMOS SABER SOBRE DST
 
Seminário aids 8 ano
Seminário aids  8 anoSeminário aids  8 ano
Seminário aids 8 ano
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST's)
 
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.pptAPRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
 
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.pptAPRESENTAÇÃO ISTS.ppt
APRESENTAÇÃO ISTS.ppt
 
Aids
AidsAids
Aids
 
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
Doenças Sexualmente Transmissiveis (DST)
 
Ds ts
Ds tsDs ts
Ds ts
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente TransmissíveisDoenças Sexualmente Transmissíveis
Doenças Sexualmente Transmissíveis
 
Tudo Sobre Dst
Tudo Sobre DstTudo Sobre Dst
Tudo Sobre Dst
 
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
Apresentacaodst11 110620070941-phpapp02 (1)
 
Ds ts doenças sexualmente transmissíveis
Ds ts   doenças sexualmente transmissíveisDs ts   doenças sexualmente transmissíveis
Ds ts doenças sexualmente transmissíveis
 
Palestra
PalestraPalestra
Palestra
 
Palestra Sexualidade
Palestra SexualidadePalestra Sexualidade
Palestra Sexualidade
 
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos ContracetivosDoenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
Doenças Sexualmente Transmissíveis e Métodos Contracetivos
 
DST Doenças Sexualmente Transmissíveis
DST Doenças Sexualmente TransmissíveisDST Doenças Sexualmente Transmissíveis
DST Doenças Sexualmente Transmissíveis
 

DST

  • 1.  
  • 2. A PARTE MAIS IMPORTANTE...
  • 3.  
  • 4. E SEM DST É SENSACIONAL!
  • 5. O sexo é importante na nossa vida. Ele nos d á prazer e, à s vezes, filhos . Sexo é sinal de sa ú de, permite demonstrar carinho e confian ç a .
  • 6. Existem inimigos da nossa sa ú de sexual. Temos que conhec ê -los para aprender a se defender deles e ter uma vida mais feliz .
  • 7. Os principais inimigos da nossa sa ú de sexual s ã o invis í veis, entre eles est ã o os microorganismos que se aproveitam das rela çõ es sexuais para passarem de uma pessoa para outra, provocando doen ç as.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11. Podem ser causadas por vírus , bactérias , fungos e protozoários . Transmitem-se, principalmente, nas relações sexuais .
  • 12. As DST são um grave problema de saúde pública porque: - Facilitam a transmissão sexual do HIV (vírus da AIDS);
  • 13. - Se não diagnosticadas e tratadas a tempo, podem levar a complicações graves e até à morte; - Algumas, quando acometem gestantes, podem provocar o abortamento ou o nascimento com graves malformações.
  • 14. - Podem provocar esterilidade no homem e na mulher; - Inflamação nos órgãos genitais do homem, podendo causar impotência;
  • 15. - Inflamação no útero, nas trompas e ovários, podendo complicar para uma infecção em todo o corpo, o que pode causar a morte; - Mais chances de ter câncer no colo do útero e no pênis;
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19. LEMBRE-SE: “ Mais vale prevenir do que remediar”.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23. DST Sexo seguro é ter relações sexuais sem acontecer trocas de secreções (masculina e feminina). Ocorre com carícias e masturbação.
  • 24. Sexo mais protegido é aquele no qual é diminuída a probabilidade de haver troca de secreções (esperma, secreção vaginal, sangue) como ocorre com o uso da camisinha masculina ou feminina.
  • 25. - Usando camisinha em todas as relações sexuais (lembre-se: camisinha ajuda a reduzir mas não elimina totalmente o risco do contágio sexual;
  • 26. - Desconfie de qualquer secreção ou corrimento incomuns dos genitais; - Tome banho ou pelo menos lave os genitais com água e sabonete após o ato sexual;
  • 27. - Evite múltiplos(as) parceiros(as);
  • 28. CONSEQÜÊNCIAS DA FALTA DE PREVENÇÃO E/OU TRATAMENTO! VOCÊ QUER VER?
  • 29. Doenças que causam corrimentos
  • 30. Tricomoníase, Candidíase e Vaginose Bacteriana (vaginais) Gonorréia e Clamídia (cervicais)
  • 31.
  • 32.
  • 33.
  • 34. Corrimentos, quando não tratados, podem causar infecções nas tubas e ovários, causando o que se conhece por Doença Inflamatória Pélvica (DIP), um quadro muitas vezes grave, que pode causar esterilidade e até a morte.
  • 35. A maioria das mulheres infectadas não apresenta sintomas, podendo ter corrimento sem cheiro e sem coceira. Nas gestantes, podem ser transmitidas no parto, causando cegueira no bebê.
  • 36. Há uma umidade vaginal normal, que n ã o provoca coceira, n ã o tem cheiro, é transparente e em pequena quantidade. Esta pode aumentar, ou por excita çã o sexual ou no per í odo f é rtil. Esse corrimento n ã o é doen ç a.
  • 37.
  • 39. No homem, manifesta-se com corrimento amarelado (gonorréia) ou esbranquiçado (clamídia) no canal da urina e ardência ao urinar. Obs.: tanto a gonorréia quanto a clamídia, quando não tratadas, podem causar esterilidade.
  • 40.
  • 41. Crescem mais rapidamente durante a gravidez e em pacientes com imunidade deprimida. A falta de tratamento adequado pode predispor ao câncer do colo uterino ou do pênis.
  • 42. Infecção causada por um grupo de vírus HPV. Está relacionado ao câncer do colo do útero e vulva e, mais raramente, câncer do pênis e também do ânus. Os tratamentos disponíveis são locais (cáusticos, quimioterápicos, cauterização etc.).
  • 43. Algumas pessoas podem estar infectadas e não apresentarem as verrugas.
  • 44.
  • 45.  
  • 46.
  • 47.
  • 48. Ardência e vermelhidão , seguidas de pequenas bolhas agrupadas que rompem e formam feridas dolorosas nos órgãos genitais. As feridas podem durar de 1 a 3 semanas e desaparecem, mesmo sem tratamento. Herpes genital
  • 49. Mesmo após o desaparecimento das feridas, a pessoa continua infectada.
  • 50.  
  • 51. Feridas dolorosas e com pus nos órgãos genitais. Podem aparecer caroços na virilha, que rompem e soltam pus. É mais comum nos homens. É popularmente chamado Cavalo . Cancro Mole
  • 52. Cancro Mole                                                                                                     
  • 53. Linfogranuloma Venéreo Ferida nos órgãos genitais que muitas vezes não é percebida e desaparece sem tratamento. Depois surgem caroços na virilha, que se rompem e soltam pus. Causado pela bactéria Chlamydia trachomatis.
  • 55. Donovanose Começa com caroço, em seguida forma uma ferida que cresce em volume e extensão. Não dói e não tem íngua. Se não tratada pode causar deformidades genitais.
  • 56. A transmissão sexual é a mais conhecida.                                                                           
  • 57. Sífilis Evolui de forma lenta e tem períodos de manifestação aguda e períodos sem manifestação. Pode comprometer vários órgãos (pele, olhos, ossos, sistema cardiovascular, sistema nervoso).
  • 58. De acordo com algumas características de sua evolução a sífilis divide-se em Primária , Secundária e Terciária .
  • 59. A lesão é a porta de entrada do agente. Em geral, é uma ferida indolor, que apresenta secreção líquida e transparente que pode ocorrer nos grandes lábios, vagina, clitóris, períneo e colo do útero.
  • 60. E no homem, na glande e prepúcio, mas pode também ser encontrada nos dedos, lábios, mamilos e conjuntivas.
  • 61. Quando a Sífilis é transmitida da mãe para o feto é chamada de Sífilis Congênita.
  • 62. Complicações Aborto espontâneo, natimorto, parto prematuro, baixo peso. Se o bebê for contaminado, poderá ter problemas como: pneumonia, problemas ósseos, feridas no corpo, cegueira, dentes deformados, surdez e até retardamento mental.
  • 63. Sífilis congênita                                           
  • 65. Sífilis secundária Roséolas na boca e face, palmares e plantares e na pele do tronco .
  • 67. Relação sexual, antes de ser uma transa , deve ser um momento de carinho , de respeito e não de passar uma doença. IMPORTANTE!
  • 68. ASSIM, para evitar as DST deve-se tomar os mesmos cuidados da AIDS. É importante ter sempre à mão um preservativo, além de evitar a multiplicidade de parceiros.
  • 69. Além disso, deve-se procurar o serviço médico toda vez que surgir algum problema, como ferida, íngua ou corrimento genital e mesmo para exames médicos periódicos.
  • 70. 10 MOTIVOS PARA USAR CAMISINHA
  • 71. 01 - A camisinha é prática e barata. E permite que você esteja no comando da situação: sem ela, não rola. 02 - Alguns vírus e bactérias podem ficar mais de dez anos no corpo sem se  manifestar.
  • 72. 03 - O HPV pode ser contraído numa transa, num amasso e até compartilhando toalha de banho ou sabonete infectados. 04 - A AIDS é uma doença que não tem cura. Não é nada inteligente manter uma prática sexual de risco.
  • 73. 05 - Os dados oficiais sobra DST não deixam dúvidas: são dois casos de aids em garotas jovens para cada caso em meninos. 06 - Ejacular na virilha ou na coxa é arriscado: o sêmen pode escorrer para o canal vaginal e há risco de gravidez.
  • 74. 07 - Retirar o pênis da vagina antes da ejaculação não garante nada: já durante um amasso, o pênis pode liberar gotas de líquido seminal que contém espermatozóide.
  • 75. 08 - Tabelinha é roubada. O ciclo menstrual em jovens é bem irregular. Impossível saber o dia certo da ovulação.
  • 76. 09 - Camisinha têm boa eficácia se utilizada corretamente ( gravidez não é o fim do mundo, mas o legal é ter um filho na hora certa). 10 - É muito fácil de colocar!
  • 77.  
  • 78. “ A criança e o adolescente têm o direito de serem atendidos, bem informados sobre cuidados com seu corpo, as transformações que vão acontecendo, sem tabus , preconceitos ou medos ,
  • 79. sobre drogas e doenças, o que resultará em escolhas mais sensatas sabendo o que querem para si, aumentando as chances de terem uma vida mais saudável e de melhor qualidade ”.
  • 80. EVITAR OU NÃO! AGORA... A DECISÃO É SUA!
  • 81. ENDEREÇOS VISITADOS www.aids.gov.br www.dst.com.br www.uff.br/dst cadernodigital.uol.com.br/guiadosexo/dst
  • 83. Realização Produção e organização PROFESSOR EDSON BENAZET STE