Trabalho farmacia

8.341 visualizações

Publicada em

0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
8.341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
343
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho farmacia

  1. 1. Luan Bueno Alves
  2. 2. • Forma farmacêutica é o estado final que as substâncias ativas apresentam depois de serem submetidas às operações farmacêuticas necessárias, a fim de facilitar a sua administração e obter o maior efeito terapêutico desejado.
  3. 3. • Um dos objetivos das formas farmacêuticas é normalizar a dose de um medicamento.
  4. 4. Classificação das Formas Farmacêuticas
  5. 5. Formas Sólidas• cápsula, comprimidos, comprimidos vaginais, drágeas, grânulos, hóstias, implantações, óvulos, papeis, pérolas, pílulas, pós, supositórios.
  6. 6. Cápsulas• formas farmacêuticas sólidas• uma ou mais substâncias são acondicionadas em um invólucro à base de gelatina.• podem ser duras ou moles.• São administradas por via oral e possuem propriedades de desintegrarem-se e dissolverem-se no tubo digestivo.
  7. 7. CápsulasVantagens:• Permitem a administração de drogas de sabor desagradável.• Permitem o revestimento gastro-resistente do medicamento.• Liberam mais rapidamente o princípio ativo da droga.
  8. 8. Comprimidos• formas farmacêuticas sólidas de forma variável cilíndrica ou discóide• compressão de medicamentos mais o excipiente.
  9. 9. ComprimidosVantagens:• Permitem precisão de dosagem e são de fácil administração.• Podem ser fracionados• Podem ser conservados por maiores períodos de tempo
  10. 10. Drágea• são formas farmacêuticas obtidas pelo revestimento de comprimidos.• Para este fim, se utiliza diversas substâncias, como: queratina, ácido esteárico e gelatina endurecida com formaldeído.
  11. 11. DrágeaVantagens:• Facilitam a deglutição.• Eliminam sabor e odor desagradáveis.• Evitam alterações de certos princípios ativos.• Resistem ao suco gástrico, só se expondo no intestino.
  12. 12. Pastilhas• formas sólidas• destinadas a se dissolverem lentamente na boca• constituída por grande quantidade de açúcar e mucilagens associadas a princípios medicamentosos.
  13. 13. Supositórios• são preparações farmacêuticas sólidas• à base de substância fundível pelo calor natural do corpo• destinado a ser introduzido no reto, gerando amolecimento ou dissolução do fármaco.• O excipiente mais usado é a manteiga de cacau (lipossolúvel) junto com a glicerina gelatinada (hidrossolúvel).
  14. 14. Óvulos• formas farmacêuticas obtidas por compressão ou moldagem• aplicação vaginal• devem se dissolver para exercerem uma ação local.• excipiente em geral é a glicerina.
  15. 15. Pós• preparações farmacêuticas que se caracteriza pela mistura de fármacos e/ou substâncias química finamente divididas e na forma seca.• Alguns são destinados ao uso interno e outros ao uso externo.• Podem ser administrados sob a forma simples ou serem ponto de partida para outras formas farmacêuticas como papéis e cápsulas.
  16. 16. Grânulos• formas farmacêuticas composta de um pó ou uma mistura de pós umedecidos e submetidos a secagem para produzir grânulos de tamanho desejado.
  17. 17. Implante• Forma farmacêutica sólida estéril contendo um ou mais princípios ativos e de tamanho e formato adequados para ser inserido em um tecido do corpo, a fim de liberar o(s) princípio(s) ativo(s) por um período prolongado de tempo.• É administrado por meio de um injetor especial adequado ou por incisão cirúrgica.
  18. 18. Formas Pastosas• Pomadas, Cremes, Pastas, Cataplasmas e Ceratos
  19. 19. Pomadas• Preparações de consistência pastosa• destinada ao uso externo.
  20. 20. Cremes• são emulsões líquidas viscosas do tipo óleo e água ou água e óleo.• contendo um ou mais princípios ativos ou aditivos dissolvidos ou dispersos na base adequada
  21. 21. Pastas• São pomadas espessas devido à grande quantidade de pós-insolúveis que veiculam.• Podem aparecer sob a forma de pastas dérmicas (aplicação tópica na pele) ou pastas orais (administração oral de antiparasitários).
  22. 22. Cataplasmas• São preparações geralmente magistrais de aplicação tópica na pele.• Fazem-se com farinha (linhaça, amido, fécula, etc.) e água, que se misturam a aquecem, em lume brando até obter a consistência desejada.• A sua aplicação é feita a quente, e o seu efeito (vasodilatação local) dura enquanto a temperatura do cataplasma se conserva elevada, devendo ser renovados periodicamente.
  23. 23. Ceratos• São um tipo de pomada, em que o excipiente é constituído por uma mistura de cera e óleo.
  24. 24. Formas Líquidas• Emulsões, Elixires, Soluções, Tinturas, Chá ou Infusão e Xaropes
  25. 25. Emulsão• é uma forma farmacêutica líquida de aspecto cremoso feito com a mistura de um líquido em óleo.• Como agentes emulsionantes utiliza-se a goma arábica e a gelatina.
  26. 26. Elixires• São preparações líquidas, límpidas,• Hidroalcoólicas (São preparações do fármaco num solvente alcoólico).• Utilizados para fármacos não solúveis em água
  27. 27. Soluções• preparados líquidos obtidos por dissolução de substâncias químicas em água.• Mistura de uma ou mais substâncias, normalmente um soluto e um solvente, que resultam em fármacos de fase única.
  28. 28. Tinturas• São formas farmacêuticas oficiais que resultam da ação do álcool, por maceração, sobre produtos secos de origem animal, vegetal ou mineral.• São portanto soluções alcoólicas, a 10 ou 20%, geralmente.• Usam-se por via tópica, em poções ou xaropes.
  29. 29. Chá ou Infusão• São formas farmacêuticas magistrais.• Resultam da ação da água sobre plantas secas, a fim de lhes retirar a substância ativa.• Podem ser obtidas por Maceração, Digestão, Decocção e Infusão.
  30. 30. Xaropes• São formas farmacêuticas em que a substância ativa, sob a forma de pó ou líquido, se encontra dissolvida numa solução aquosa açucarada concentrada.• contendo cerca de dois terços de seu peso em sacarose ou outros açúcares.• Os xaropes apresentam duas vantagens: correção de sabor desagradável do fármaco e conservação do mesmo na forma farmacêutica de administração.
  31. 31. Forma Gasosa• Vaporização• São formas farmacêuticas magistrais resultantes da libertação de vapor de água por si só, ou contendo anti-sépticos, e que se destinam a ser inalados.
  32. 32. Forma Especiais• Aerossóis, Ampolas, Colírios e Sprays
  33. 33. Aerossóis• São formas farmacêuticas que se caracterizam por constituírem um "nevoeiro não molhante " formado por microgotas.• Formam uma suspensão coloidal, em que fase contínua é o gás e a fase dispersa o líquido, daí o seu nome.
  34. 34. Ampolas• São tubos de vidro ou plástico, colorido ou incolor, estirados nos dois topos, ou pequenas "garrafas" seladas, que contém um líquido ou um pó. Servem para facilitar a esterilização e conservação do seu conteúdo. O pó é normalmente utilizado na preparação extemporânea de solutos injectáveis. O seu conteúdo, ou a preparação daí resultante, pode ser administrado por via parental, "per os" ou aplicado topicamente.
  35. 35. Colírios• São formas farmacêuticas destinadas a serem aplicadas sobre a mucosa ocular.
  36. 36. Sprays• São formas farmacêuticas semelhantes aos aerossóis, mas o diâmetro da partícula é maior (superior a 0.5 µ), pelo que podem ser considerados um "nevoeiro molhante"

×