SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 108
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
Prof. Dr. Marcelo S. Gomes
Doutor em Odontologia
FÓRMULAS E
FORMAS
FARMACÊUTICAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA
Prof. Dr. Marcelo S. Gomes
Doutor , Mestre e Especialista em Ortodontia e
Ortopedia facial.
Professor de cirurgia e periodontia - UNIEURO DF
Coordenador “Especialização ortodontia”
UNIUBE MG / UNIABO DF / UNIP DF
Professor MESTRADO - UNIUBE MG
Professor de Farmacologia - UNIEURO DF
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FARMACOTÉCNICA
Farmacotécnica estuda a transformação de produtos naturais (de
origem animal, vegetal e mineral), semi-sintéticos ou de síntese,
de forma que sejam susceptíveis de serem administrados aos
seres vivos com fins curativos, profiláticos, paliativos ou como
meios de diagnóstico.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FARMACOTÉCNICA
1. É o setor das ciências farmacológicas que trata da preparação
dos medicamentos através das operações farmacêuticas. Este
conjunto de operações, padronizações, conservação e
acondicionamento fazem com que o medicamento torna-se
mais aceitável por parte do consumidor.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FÓRMULAS FARMACÊUTICAS
FORMAS FARMACÊUTICAS
FARMACOTÉCNICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FÓRMULAS FARMACÊUTICAS
FARMACOTÉCNICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FÓRMULAS FARMACÊUTICAS
FARMACOTÉCNICA
É o conjunto de
substâncias que
entram na constituição
de um medicamento.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
Fórmulas farmacêuticas
Denominação química.
Denominação genérica.
Denominação comercial.
DENOMINAÇÃO QUÍMICA :
Indica o nome do composto
responsável pela ação
farmacológica , de acordo com
regras de nomenclatura
química. Em geral não são
empregadas.
DENOMINAÇÃO GENÉRICA :
É designação curta, utilizada
para identificar os componentes
ativos dos medicamentos.
DCB - Denominação Comum
Brasileira.
( www.anvisa.gov.br )
DENOMINAÇÃO COMERCIAL :
Também conhecida como nome
de marca, ou nome fantasia, é
de propriedade de um
laboratório farmacêutico
específico.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
NOME QUÍMICO
NOME GENÉRICO
NOME COMERCIAL
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS
REFERÊNCIA
Produto inovador , registrado no órgão
federal responsável pela vigilância sanitária
e comercializado no país, cujas eficácia,
segurança e qualidade foram comprovadas
cientificamente junto ao órgão federal
competente.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS
OFICIAL
Fórmulas fixas, com
denominações imutáveis e
consagradas, formulários
ou farmacopéias oficiais,
r e c o n h e c i d o s p e l o
ministério da saúde.
Exemplo:
Água oxigenada, solução de
álcool iodado.
A expressão farmacopéico substitui as expressões oficial e oficinal,
porém as expressões são equivalentes.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS
MAGISTRAL
Fórmula preparada na farmácia atendendo a
uma prescrição de autoria do médico,
cirurgião dentista ou médico veterinário, que
estabelece sua composição, forma
farmacêutica, posologia e modo de usar.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS
SIMILAR
Medicamento que contém o mesmo ou os mesmos
princípios ativos, apresenta a mesma concentração, forma
farmacêutica, via de administração, posologia e indicação
terapêutica, do medicamento de referência registrado no
órgão federal responsável.
Podem diferir somente nas características de apresentação
comercial ( tamanho, forma, embalagem, prazo de validade,
excipientes e veículos ). Devem ser sempre identificados
pelo nome comercial.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
PRINCÍPIO ATIVO COADJUVANTES
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
COADJUVANTE TERAPÊUTICO
“ Auxilia ” a ação do
princípio ativo, por
diferentes mecanismos.
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
COADJUVANTE
FARMACOTÉCNICO
“ Dissolução ” do
princípio
ativo no veículo ou
excipiente, ou ainda ,
funcionar como agente
suspensor ou
emulsificante.
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
ESTABILIZANTE ou
CONSERVANTES
“ evitar alterações de
ordem ” física,
química ou biológica
com o propósito de
aumentar a
estabilidade do
produto.
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
ESTABILIZANTES
Manter a viscosidade
Manter a cor
Manter o odor
Manter o sabor do medicamento
Impedir o desenvolvimento de
reações químicas ( oxidação ).
Redução de hidrólise
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
CONSERVANTES
Impedir as alterações
produzidas por
microrganismos, por sua
atividade
antimicrobiana.
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
CORRETIVO
“ corrigir ” o produto final
no tocante a suas
propriedades
organolépticas ( cor,
odor,sabor ), a fim de
torná-lo mais aceitável por
parte do consumidor.
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
VEÍCULO e EXCIPIENTE
São componentes líquidos ou
sólidos, respectivamente, são
inertes e servem para
dissolver se de forma
homogênea ao princípio ativo
e aos demais componentes
da fórmula farmacêutica.
CONSTITUINTES DE UMA
FÓRMULA FARMACÊUTICA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
Leitura complementar
na literatura indicada:
Pág: 52, 53.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FARMACOTÉCNICA
FORMAS FARMACÊUTICAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FARMACOTÉCNICA
FORMAS FARMACÊUTICAS
É o produto resultante do
processo tecnológico, que
confere aos medicamentos
características adequadas para sua
administração, correta
dosificação e eficácia
terapêutica.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FARMACOTÉCNICA
Fisiofarmacotécnica:
Setor que estuda a forma física
dos medicamentos e as
operações que a eles conduzem.
Biofarmacotécnica
Setor que estuda os aspectos
biológicos dos medicamentos,
desta forma ligando a
Farmacotécnica com a
Bioquímica e a Farmacodinânica.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
OBJETIVO DE TRANSFORMAR SUBSTÂNCIA ATIVA EM
UMA FORMA FARMACÊUTICA.
Possibilitar a administração de substâncias ativas em doses
muito reduzidas.
Proteger a substância ativa dos agentes atmosféricos.
Proteger a substância ativa dos efeitos destrutivos do meio
gástrico
Melhorar as características organolépticas da substância ativa;
Proporcionar formas líquidas a partir de substâncias ativas
sólidas;
Possibilitar a administração de substâncias ativas por meio de
determinada via;
Controlar a absorção de uma substância ativa;
Dirigir seletivamente a substância ativa a determinados órgãos
ou tecidos .
Formas farmacêuticas líquidas
Formas farmacêuticas sólidas
Formas farmacêuticas semi-
sólidas
Formas farmacêuticas especiais
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES ORAIS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES ORAIS
São formas farmacêuticas que contêm um
ou mais fármacos dissolvidos em um
líquido.São administradas por via oral e
dosificadas por volume. Apresentam-se
como soluções límpidas e transparentes,
de sabor e odor agradável.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES PARA
GARGAREJO
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES PARA
GARGAREJO
São soluções aquosas não viscosas, que contêm
substâncias destinadas a banhar a cavidade bucal e
zona orofaríngea, usadas no tratamento de laringites,
faringites, amigdalites, etc.
Podem conter agentes corantes, aromatizantes e
edulcorantes.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES PARA
ENXÁGUES / BOCHECHOS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES PARA
ENXÁGUES / BOCHECHOS
São soluções aquosas não viscosas e contêm
substâncias destinadas a refrescar, desodorizar ou
realizar a anti-sepsia da cavidade bucal.
Eles não devem ser engolidos, devendo
permanecer por tempo limitado na boca, sendo,
depois, descartados.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES TÓPICAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES TÓPICAS
São formas líquidas usualmente aquosas, embora
possam conter outros solventes, tais com álcool.
Destinam-se à aplicação tópica em pele ou
superfície da mucosa oral, como, por exemplo, a
solução tópica oral de lidocaína.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES INJETÁVEIS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES INJETÁVEIS
São preparações líquidas, contendo uma
ou mais substâncias totalmente dissolvidas
em solventes miscíveis. Próprias para
injeção intravenosa. Devem atender às
exigências de esterilidade.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES OFTÁLMICAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES OFTÁLMICAS
São estéreis, essencialmente livres de
partículas, manipuladas adequadamente e
embaladas para aplicação no olho.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES NASAIS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES NASAIS
São geralmente aquosas , preparadas para
administração em cavidades nasais, na
forma de gotas ou aerossóis.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SOLUÇÕES ÓTICAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SOLUÇÕES ÓTICAS
Destinadas a aplicação tópica no ouvido.
Nesta forma farmacêutica são
administrados antibióticos, analgésicos e
anti-inflamatórios. Existe o cuidado para
não haver aplicação em locais com úlceras
( absorção sistêmica ).
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SUSPENSÕES ORAIS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SUSPENSÕES ORAIS
São preparações que contêm partículas de
fármaco finamente divididas e distribuídas,
de maneira uniforme , em veículo, no qual
o fármaco é insolúvel ou apresenta grau de
solubilidade mínimo.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SUSPENSÕES INJETÁVEIS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SUSPENSÕES INJETÁVEIS
São preparações líquidas constituídas por
partículas sólidas dispersas em fase
líquida aquosa ou oleosa, na qual não são
solúveis. Não podem ser administradas por
via intravenosa, em função do risco de
partículas insolúveis bloquearem os
capilares.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
SUSPENSÕES OFTÁLMICAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
SUSPENSÕES OFTÁLMICAS
São preparações líquidas estéreis,
contendo partículas sólidas dispersas em
um veículo líquido, destinadas à aplicação
nos olhos. O tempo de contato e duração
de uma suspensão provavelmente
excedem aos de uma solução oftálmica.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
XAROPES
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
XAROPES
São preparações aquosas, límpidas e de
elevada viscosidade, que contêm um açúcar,
geralmente sacarose, em concentração bem
elevada. O açúcar confere ação conservante,
edulcorante e viscosizante à preparação. Uso
amplo em odontopediatria ( gosto ). O uso
prolongado deve ser avaliado a possibilidade
de cárie.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
ELIXIRES
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
ELIXIRES
São soluções hidroalcoólicas, límpidas e edulcoradas,
que habitualmente contêm corantes que melhoram seu
aspecto e aroma, o que aumenta sua palatabilidade.
São utilizados para administração de fármacos insolúveis
em água, porém solúveis em misturas de água e álcool.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
COLUTÓRIOS
São soluções aquosas de certa viscosidade que
contêm substâncias destinadas a tratar alguma
afecção na cavidade bucal. São destinados à
aplicação tópica, por meio de bochecho e
gargarejo. São usualmente utilizados para reduzir a
concentração bacteriana ( antibióticos, anti-sépticos )
e para aliviar a dor ou inflamação ( analgésicos e anti-
inflamatórios ).
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
VERNIZES
Contém fármaco misturado a veículo que
endurece quando em contato com saliva ou
água. São utilizados para aplicação de flúor.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS LÍQUIDAS
EMULSÕES
São preparações farmacêuticas obtidas pela
dispersão de duas fases líquidas e miscíveis , ou
praticamente miscíveis, estabilizadas por agente
emulsionante adequado. Quando injetáveis devem
obedecer a exigência de esterilidade e ausência de
pirogênios. Deve ser agitado antes do uso.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORM
AS SÓLIDAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
CÁPSULAS
Constituídos por receptáculo ou cobertas por
gelatina hidratada, apresentando forma e
capacidade variáveis.
Contém em seu interior determinada quantidade
de fármaco e excipientes.
Podem ser rígidas ou moles.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
CÁPSULAS
Cápsulas rígidas apresentam
dois elementos independentes,
usualmente de forma cilíndrica,
nos quais, em geral, estão
contidos pós, embora também
possam incluir granulados,
microcápsulas, pequenos
comprimidos, etc…
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
CÁPSULAS
Cápsulas moles são formadas
por uma só peça, de forma
esférica ou ovóide, em cujo
interior se encontram as
substâncias ativas,
habitualmente em forma de
dispersão líquida de natureza
oleosa, embora também possam
conter produtos sólidos.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS
São formas farmacêuticas
sólidas, obtidas principalmente
por compressão mecânica de
granulados ou misturas de pós de
uma ou várias substâncias ativas,
com adição, na maioria das
ocasiões, de excipientes ou
aditivos.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Orais para ingestão
CONVENCIONAIS - Devem
ser deglutidos, a fim de
liberarem a substância ativa
no trato gastrointestinal,
para que exerça ação local.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Orais para ingestão
MASTIGÁVEIS -Devem ser
fragmentados com a
mastigação, e
posteriormente deglutidos.
São opções para pacientes
que possuem dificuldade
de deglutição.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Orais para ingestão
REVESTIDOS - São revestidos
por uma, ou duas camadas
que pode ser de açúcar ou
uma película feita de material
hidrossolúvel.
Mascarar odor ou sabor desagradável, proteger a
substância ativa da ação de ar, luz e umidade. 

Quando revestidos por açúcar - DRÁGEAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Orais para ingestão
LIBERAÇÃO CONTROLADA -Liberar o medicamento
lentamente durante um longo período de tempo.
Pode ser preparado para ser absorvido em condições
fisiológicas prévias, ou mesmo em um período pós
ingestão determinado.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Orais para ingestão
AÇÃO REPETIDA - São aqueles que liberam
periodicamente uma dose completa do fármaco nos
líquidos gastrintestinais.
AÇÃO SUSTENTADA - São aqueles que liberam de
forma contínua uma quantidade de fármaco.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
LIBERAÇÃO SUSTENTADA POR DIFUSÃO: Comprimidos com
sistema reservatório ou matricial.
Sistema reservatório
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Mantidos na cavidade oral.
BUCAIS - Devem ser mantidos na cavidade oral,
onde se dissolvem lentamente, liberando a
substância ativa para que produza efeito local.
Ex. Anti-sépticos
Antifúngicos.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
SUBLINGUAIS - Devem ser colocados debaixo da
língua para serem dissolvidos e absorvidos pela
mucosa, de modo que exerçam efeito sistêmico.
Ex. Situações de
emergências - angina de
peito.
COMPRIMIDOS - Mantidos na cavidade oral.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração
EFERVESCENTES - Foram desenvolvidos para serem
dispersos em água antes da administração. Além das
substâncias medicamentosas, contêm bicarbonato de
sódio e um ácido orgânico, que reagem na presença de
água, liberando dióxido de carbono.
A efervescência, além de contribuir para a rápida
desagregação , produz sensação agradável, que mascara
o sabor amargo de alguns fármacos.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração
PASTILHAS - Preparações
sólidas, confeccionadas ou
não por compressão,
destinadas a serem
dissolvidas lentamente na
boca.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração
PÓS OU GRANULADOS PARA USO ORAL - Para serem
ingeridos, devem ser preparados no momento de sua
administração ( adicionando-se determinada quantidade de
água e agitando-se ).
Podem se apresentar comercialmente em
unidades (envelopes ) ou em tubetes
( doses múltiplas ).
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração
PÓS PARA USO PARENTERAL - São substâncias sólidas
e estéreis, acondicionadas em seus recipientes definitivos.
Adicionado o volume adequado de líquido
apropriado e estéril e agitação, dão origem a
solução límpida e praticamente isenta de
partículas ou suspensão uniforme.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração
PÓS DENTIFRÍCIOS - São constituídos por formulação em
pó destinada a limpar e /ou polir os dentes. Podem conter
certos agentes adicionais.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SÓLIDAS
COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração
SUPOSITÓRIOS - São formas sólidas destinadas a via de
administração “ retal , vaginal ou uretral”.
Devem dissolver-se ou fundir-se na cavidade corporal, e
o efeito que exercem pode ser local ou sistêmico.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORM
AS
SEM
I SÓLIDAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
POMADAS
POMADAS - Caracterizam-se pela sua consistência semi
sólida. Possuem excipientes nos quais são dissolvidas ou
dispersas as substâncias ativas em forma sólida ou líquida.
Destinam-se à aplicação sobre pele ou certas
mucosas, com a finalidade de exercer ação
local ou permitir a penetração cutânea dos
medicamentos que contêm.
FORMAS
SEMI SÓLIDAS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
POMADAS OFTÁLMICAS
POMADAS OFTÁLMICAS - Sólidas estéreis destinadas à
aplicação em saco conjuntiva ou margem das pálpebras.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
PASTAS
PASTAS - São preparações semi sólidas que contêm
elevadas proporções de sólidos finamente dispersos no
excipiente. Diferenciam-se das pomadas por conterem
grande quantidade de sólidos em dispersão.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
DENTIFRÍCIAS
PASTAS DENTIFRÍCIAS - ou dentifrícios continuem
formulações de pastas destinadas a limpar e/ou polir os
dentes e que podem conter certos agentes adicionais.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
CREMES
CREMES - São formas farmacêuticas semi-sólidas que
contêm uma ou mais substâncias dissolvidas ou dispersas
em base adequada.
“ Emulsão - óleo em água ou dispersões aquosas em
microcristalinas de ácidos graxos de cadeia longa ou
alcoóis.
Existe uma preferência pelos cremes, em
comparação as pomadas, em virtude da
facilidade de aplicação e remoção.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
GÉIS
GÉIS - São formas farmacêuticas semi-sólidas formadas
or líquidos gelificados com a ajuda de agentes
apropriados.
Géis dentifrícios = Géis + dentifrícios
APLICAÇÃO DE FLÚOR
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
ÓVULOS
ÓVULOS - São preparações de consistência semi
sólida, que podem conter uma ou mais substâncias
medicamentosas, destinadas a administração vaginal.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORM
AS
ESPECIAIS
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS ESPECIAIS
Novas formas farmacêuticas tem sido
desenvolvidas, e para isto são apresentadas com
praticidade de administração e reduzir os efeitos
adversos.
Os fármacos, na atualidade, estão sendo estudados
para que os mesmos possuam
“Sistemas Vetorizados”.
Com este sistema, o fármaco tem liberação de seu
princípio ativo direcionado para um órgão, ou mesmo
uma célula “específica”.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
SISTEMA TRANSDÉRMICOS - "Patches"
São constituídos por sistemas de
adesivo contendo um depósito de
substâncias ativas, que vão sendo
liberadas lentamente para a pele. O
efeito sistêmico é obtido após uma ou
várias substâncias ativas serem
liberadas e passarem através da pele.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
SISTEMA TRANSDÉRMICOS - "Patches"
Permitem controle da posologia e manutenção constante
dos níveis plasmáticos do medicamento durante seu
tempo de aplicação.
Devem ser colocados sob superfície limpa.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
SISTEMA TRANSDÉRMICOS - "Patches"
Evitam a inativação de substâncias ativas pelo fígado
Ingestão de diversas drogas por tempo prolongado
Melhoram a adesão do paciente a terapia.
Possibilitam a interrupção da administração do
medicamento pela retirada do sistema da pele.
VANTAGENS
Ex.: NICOTINA - ESTRADIOL - NITROGLICERINA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
IMPLANTES
São pequenas massas sólidas estéreis contendo fármaco
altamente purificado ( com ou sem excipientes ), feitas
por compressão ou moldagem. A implantação é sub
cutânea, com o propósito de liberar continuamente o
fármaco por longos períodos de tempo.
São usados injetores especiais ou incisões
Ex.: Hormônios como testosterona - estradiol.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
DISPOSITIVOS INTRA-ORAIS DE
LIBERAÇÃO LENTA.
Estes dispositivos podem ser aderidos
facilmente à cavidade bucal, retidos por
longos períodos de tempo, e removidos
em qualquer momento.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
FORMAS SEMI SÓLIDAS
DISPOSITIVOS INTRA-ORAIS DE
LIBERAÇÃO LENTA.
Possibilitam liberação constante de baixas
concentrações de fármaco. São usados para
obtenção de efeitos locais e sistêmicos.
Apresentam-se na forma de micropartículas ,
comprimidos bioaderentes, pastilhas, filmes
flexíveis e géis, entre outros meios.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
DICAS PARA A
FARMACOLOGIA ORALL
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
VEÍCULOS UTILIZADOS EM MEDICAMENTOS
PARA APLICAÇÃO NA MUCOSA ORAL
O tempo de permanência do fármaco, aplicado por via “
tópico “ na mucosa oral, pode ser controlado de duas
maneiras:
1. Aumentando voluntariamente a retenção do
mesmo pelo paciente
2. Incorporando o fármaco em formulações que
favoreçam a adesão na mucosa.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
Recomendações para administração
apropriada de formas farmacêuticas.
FORMAS FARMACÊUTICAS SÓLIDAS.
1. Ingestão de comprimidos APENAS COM ÁGUA.
2. Comprimidos divisíveis, podem permitir ajustes a
posologia.
3. Em caso de fármaco na forma de “pó”, deve ser
feito a mistura extemporânea ( por adição de
água - filtrada e na temperatura ambiente ) no
momento da ingestão.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
Recomendações para administração apropriada de
formas farmacêuticas.
FORMAS FARMACÊUTICAS LÍQUIDAS ORAIS .
1. Usar dosadores específicos
ao fármaco.
2. Verificar se o conteúdo está
homogêneo e sem grumos.
3. Suspensões deve ser
sempre agitada antes da
ingestão.
Colher de sopa = 15ml
Colher de sobremesa = 10ml
Colher de chá = 5ml
Colher de café= 2ml
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
Recomendações para administração apropriada de
formas farmacêuticas.
FORMAS FARMACÊUTICAS INJETÁVEIS .
1. A administração deverá ser feita por
profissionais habilitados e credenciados.
2. Cuidados de higiene e assepsia rigoroso.
3. Descartar qualquer sobra.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA
Conservação de formas farmacêuticas
Conservação:
Verificar sempre prazo de validade. Medicamentos fora
de seu prazo deve ser descartado.
Uma vez aberto o recipiente em que está condicionado o
fármaco, o mesmo não obedecerá mais o “prazo de
validade “
Armazenas em temperatura ambiente;
Fora do contato com luz e humidade;
Manter os medicamentos fora do alcance de crianças e
incapazes psicologicamente e psiquiatricamente.
DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de EnfermagemIntrodução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de EnfermagemRAYANE DORNELAS
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaRegia Taline
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosLuis Antonio Cezar Junior
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentosClaudio Luis Venturini
 
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Renato Santos
 
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticasAtendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticasLuis Antonio Cezar Junior
 
Farmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinéticaFarmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinéticaLeonardo Souza
 
1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdf
1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdf1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdf
1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdfVivianeGomes694450
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologiaSheilla Sandes
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologiamarigrace23
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaFarmacêutico Digital
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemAna Hollanders
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara motaClara Mota Brum
 

Mais procurados (20)

Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de EnfermagemIntrodução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
Introdução a Farmacologia - Curso Técnico de Enfermagem
 
Introducao a farmacologia
Introducao a farmacologiaIntroducao a farmacologia
Introducao a farmacologia
 
Formas farmaceuticas
Formas farmaceuticasFormas farmaceuticas
Formas farmaceuticas
 
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos FármacosAtendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
Atendente de Farmácia - Classificação dos Fármacos
 
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos3ª aula   conceitos básicos sobre medicamentos
3ª aula conceitos básicos sobre medicamentos
 
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
Introdução a farmacologia (tec. enfermagem)
 
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticasAtendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
Atendente de Farmácia - Formas farmacêuticas
 
Formas farmacêuticas
Formas farmacêuticasFormas farmacêuticas
Formas farmacêuticas
 
Farmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinéticaFarmacologia farmacocinética
Farmacologia farmacocinética
 
Introdução à farmacologia
Introdução à farmacologiaIntrodução à farmacologia
Introdução à farmacologia
 
Forma Farmacêutica
Forma FarmacêuticaForma Farmacêutica
Forma Farmacêutica
 
7ª aula classes de medicamentos
7ª aula   classes de medicamentos7ª aula   classes de medicamentos
7ª aula classes de medicamentos
 
Farmacotécnica
FarmacotécnicaFarmacotécnica
Farmacotécnica
 
1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdf
1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdf1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdf
1 PRINCIPIOS DE FARMACOLOGIA.pdf
 
Noções de farmacologia
Noções de farmacologiaNoções de farmacologia
Noções de farmacologia
 
2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia2 aula de farmacologia
2 aula de farmacologia
 
Assistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na PráticaAssistência Farmacêutica na Prática
Assistência Farmacêutica na Prática
 
Farmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagemFarmacologia para enfermagem
Farmacologia para enfermagem
 
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
Aula 04   farmacologia - prof. clara motaAula 04   farmacologia - prof. clara mota
Aula 04 farmacologia - prof. clara mota
 
Medicamentos
MedicamentosMedicamentos
Medicamentos
 

Semelhante a 3 fórmulas e formas farmacêuticas ( pdf )

FARMACOTÉCNICA.pptx
FARMACOTÉCNICA.pptxFARMACOTÉCNICA.pptx
FARMACOTÉCNICA.pptxLanaMonteiro8
 
Introdução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnicaIntrodução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnicakaiorochars
 
Introdução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnicaIntrodução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnicakaiorochars
 
MÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptx
MÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptxMÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptx
MÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptxEdevaniaLeite1
 
Aula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptx
Aula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptxAula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptx
Aula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptxLyanaSilva
 
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas FarmacêuticasPES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas FarmacêuticasFarmacêutico Digital
 
2 introdução a farmacologia aplicada ( pdf )
2  introdução a farmacologia aplicada  ( pdf )   2  introdução a farmacologia aplicada  ( pdf )
2 introdução a farmacologia aplicada ( pdf ) Marcelo Gomes
 
AULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptx
AULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptxAULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptx
AULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptxLanaMonteiro6
 
Atendente de Farmácia
Atendente de FarmáciaAtendente de Farmácia
Atendente de FarmáciaSólon Batista
 
farmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdf
farmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdffarmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdf
farmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdfBrbaraSoares52
 
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.pptAula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.pptLciaPaulaSchelbauerB
 
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.pptAula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.pptLciaPaulaSchelbauerB
 
slide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptxslide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptxFernando Naize
 
Formas Farmacêuticas.pptx
Formas Farmacêuticas.pptxFormas Farmacêuticas.pptx
Formas Farmacêuticas.pptxDanielleBraga22
 
Farmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdf
Farmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdfFarmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdf
Farmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdfVIDRAARIAVIDROLUX
 
Balconista de farmacia_sp__32296 (1)
Balconista de farmacia_sp__32296 (1)Balconista de farmacia_sp__32296 (1)
Balconista de farmacia_sp__32296 (1)Beth Vitoria
 

Semelhante a 3 fórmulas e formas farmacêuticas ( pdf ) (20)

FARMACOTÉCNICA.pptx
FARMACOTÉCNICA.pptxFARMACOTÉCNICA.pptx
FARMACOTÉCNICA.pptx
 
Introducao farmacotecnica-i
Introducao farmacotecnica-iIntroducao farmacotecnica-i
Introducao farmacotecnica-i
 
Introdução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnicaIntrodução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnica
 
Introdução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnicaIntrodução a farmacotécnica
Introdução a farmacotécnica
 
MÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptx
MÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptxMÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptx
MÓDULO IV - FARMACOTÉCNICA E COSMETOLOGIA.pptx
 
Aula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptx
Aula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptxAula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptx
Aula 1 - Formas farmacêuticas Conceitos.pptx
 
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas FarmacêuticasPES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
PES 2.0 Dispensação de Medicamentos e Formas Farmacêuticas
 
AAula de Farnacologia 1
AAula de Farnacologia  1AAula de Farnacologia  1
AAula de Farnacologia 1
 
2 introdução a farmacologia aplicada ( pdf )
2  introdução a farmacologia aplicada  ( pdf )   2  introdução a farmacologia aplicada  ( pdf )
2 introdução a farmacologia aplicada ( pdf )
 
AULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptx
AULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptxAULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptx
AULA 03- FORMAS FARMACEUTICAS.pptx
 
AULA DE FARMACOLOGIA.pptx
AULA DE FARMACOLOGIA.pptxAULA DE FARMACOLOGIA.pptx
AULA DE FARMACOLOGIA.pptx
 
Atendente de Farmácia
Atendente de FarmáciaAtendente de Farmácia
Atendente de Farmácia
 
farmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdf
farmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdffarmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdf
farmacotcnica-130319204605-phpapp02.pdf
 
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.pptAula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
 
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.pptAula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
Aula 1 -Introdução ao estudo da Farmacoténica II.ppt
 
slide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptxslide-farmacologia.pptx
slide-farmacologia.pptx
 
Formas Farmacêuticas.pptx
Formas Farmacêuticas.pptxFormas Farmacêuticas.pptx
Formas Farmacêuticas.pptx
 
Farmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdf
Farmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdfFarmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdf
Farmacologia 1A - Conceitos Fundamentais (RESUMO).pdf
 
Balconista de farmacia_sp__32296 (1)
Balconista de farmacia_sp__32296 (1)Balconista de farmacia_sp__32296 (1)
Balconista de farmacia_sp__32296 (1)
 
Aula 1 ebserh
Aula 1 ebserhAula 1 ebserh
Aula 1 ebserh
 

3 fórmulas e formas farmacêuticas ( pdf )

  • 1. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA Prof. Dr. Marcelo S. Gomes Doutor em Odontologia FÓRMULAS E FORMAS FARMACÊUTICAS
  • 2. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA Prof. Dr. Marcelo S. Gomes Doutor , Mestre e Especialista em Ortodontia e Ortopedia facial. Professor de cirurgia e periodontia - UNIEURO DF Coordenador “Especialização ortodontia” UNIUBE MG / UNIABO DF / UNIP DF Professor MESTRADO - UNIUBE MG Professor de Farmacologia - UNIEURO DF
  • 3. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FARMACOTÉCNICA Farmacotécnica estuda a transformação de produtos naturais (de origem animal, vegetal e mineral), semi-sintéticos ou de síntese, de forma que sejam susceptíveis de serem administrados aos seres vivos com fins curativos, profiláticos, paliativos ou como meios de diagnóstico.
  • 4. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FARMACOTÉCNICA 1. É o setor das ciências farmacológicas que trata da preparação dos medicamentos através das operações farmacêuticas. Este conjunto de operações, padronizações, conservação e acondicionamento fazem com que o medicamento torna-se mais aceitável por parte do consumidor.
  • 5. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FÓRMULAS FARMACÊUTICAS FORMAS FARMACÊUTICAS FARMACOTÉCNICA
  • 6. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FÓRMULAS FARMACÊUTICAS FARMACOTÉCNICA
  • 7. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FÓRMULAS FARMACÊUTICAS FARMACOTÉCNICA É o conjunto de substâncias que entram na constituição de um medicamento.
  • 8. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA Fórmulas farmacêuticas Denominação química. Denominação genérica. Denominação comercial. DENOMINAÇÃO QUÍMICA : Indica o nome do composto responsável pela ação farmacológica , de acordo com regras de nomenclatura química. Em geral não são empregadas. DENOMINAÇÃO GENÉRICA : É designação curta, utilizada para identificar os componentes ativos dos medicamentos. DCB - Denominação Comum Brasileira. ( www.anvisa.gov.br ) DENOMINAÇÃO COMERCIAL : Também conhecida como nome de marca, ou nome fantasia, é de propriedade de um laboratório farmacêutico específico.
  • 9. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA NOME QUÍMICO NOME GENÉRICO NOME COMERCIAL
  • 11. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS REFERÊNCIA Produto inovador , registrado no órgão federal responsável pela vigilância sanitária e comercializado no país, cujas eficácia, segurança e qualidade foram comprovadas cientificamente junto ao órgão federal competente.
  • 12. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS OFICIAL Fórmulas fixas, com denominações imutáveis e consagradas, formulários ou farmacopéias oficiais, r e c o n h e c i d o s p e l o ministério da saúde. Exemplo: Água oxigenada, solução de álcool iodado. A expressão farmacopéico substitui as expressões oficial e oficinal, porém as expressões são equivalentes.
  • 13. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS MAGISTRAL Fórmula preparada na farmácia atendendo a uma prescrição de autoria do médico, cirurgião dentista ou médico veterinário, que estabelece sua composição, forma farmacêutica, posologia e modo de usar.
  • 14. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA TIPOS DE FÓRMULAS FARMACÊUTICAS SIMILAR Medicamento que contém o mesmo ou os mesmos princípios ativos, apresenta a mesma concentração, forma farmacêutica, via de administração, posologia e indicação terapêutica, do medicamento de referência registrado no órgão federal responsável. Podem diferir somente nas características de apresentação comercial ( tamanho, forma, embalagem, prazo de validade, excipientes e veículos ). Devem ser sempre identificados pelo nome comercial.
  • 15. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA PRINCÍPIO ATIVO COADJUVANTES
  • 16. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA COADJUVANTE TERAPÊUTICO “ Auxilia ” a ação do princípio ativo, por diferentes mecanismos. CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA
  • 17. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA COADJUVANTE FARMACOTÉCNICO “ Dissolução ” do princípio ativo no veículo ou excipiente, ou ainda , funcionar como agente suspensor ou emulsificante. CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA
  • 18. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA ESTABILIZANTE ou CONSERVANTES “ evitar alterações de ordem ” física, química ou biológica com o propósito de aumentar a estabilidade do produto. CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA
  • 19. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA ESTABILIZANTES Manter a viscosidade Manter a cor Manter o odor Manter o sabor do medicamento Impedir o desenvolvimento de reações químicas ( oxidação ). Redução de hidrólise CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA
  • 20. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA CONSERVANTES Impedir as alterações produzidas por microrganismos, por sua atividade antimicrobiana. CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA
  • 21. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA CORRETIVO “ corrigir ” o produto final no tocante a suas propriedades organolépticas ( cor, odor,sabor ), a fim de torná-lo mais aceitável por parte do consumidor. CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA
  • 22. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA VEÍCULO e EXCIPIENTE São componentes líquidos ou sólidos, respectivamente, são inertes e servem para dissolver se de forma homogênea ao princípio ativo e aos demais componentes da fórmula farmacêutica. CONSTITUINTES DE UMA FÓRMULA FARMACÊUTICA
  • 23. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA Leitura complementar na literatura indicada: Pág: 52, 53.
  • 25. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FARMACOTÉCNICA FORMAS FARMACÊUTICAS
  • 26. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FARMACOTÉCNICA FORMAS FARMACÊUTICAS É o produto resultante do processo tecnológico, que confere aos medicamentos características adequadas para sua administração, correta dosificação e eficácia terapêutica.
  • 27. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FARMACOTÉCNICA Fisiofarmacotécnica: Setor que estuda a forma física dos medicamentos e as operações que a eles conduzem. Biofarmacotécnica Setor que estuda os aspectos biológicos dos medicamentos, desta forma ligando a Farmacotécnica com a Bioquímica e a Farmacodinânica.
  • 28. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA OBJETIVO DE TRANSFORMAR SUBSTÂNCIA ATIVA EM UMA FORMA FARMACÊUTICA. Possibilitar a administração de substâncias ativas em doses muito reduzidas. Proteger a substância ativa dos agentes atmosféricos. Proteger a substância ativa dos efeitos destrutivos do meio gástrico Melhorar as características organolépticas da substância ativa; Proporcionar formas líquidas a partir de substâncias ativas sólidas; Possibilitar a administração de substâncias ativas por meio de determinada via; Controlar a absorção de uma substância ativa; Dirigir seletivamente a substância ativa a determinados órgãos ou tecidos . Formas farmacêuticas líquidas Formas farmacêuticas sólidas Formas farmacêuticas semi- sólidas Formas farmacêuticas especiais
  • 29. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS
  • 30. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES ORAIS
  • 31. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES ORAIS São formas farmacêuticas que contêm um ou mais fármacos dissolvidos em um líquido.São administradas por via oral e dosificadas por volume. Apresentam-se como soluções límpidas e transparentes, de sabor e odor agradável.
  • 32. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES PARA GARGAREJO
  • 33. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES PARA GARGAREJO São soluções aquosas não viscosas, que contêm substâncias destinadas a banhar a cavidade bucal e zona orofaríngea, usadas no tratamento de laringites, faringites, amigdalites, etc. Podem conter agentes corantes, aromatizantes e edulcorantes.
  • 34. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES PARA ENXÁGUES / BOCHECHOS
  • 35. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES PARA ENXÁGUES / BOCHECHOS São soluções aquosas não viscosas e contêm substâncias destinadas a refrescar, desodorizar ou realizar a anti-sepsia da cavidade bucal. Eles não devem ser engolidos, devendo permanecer por tempo limitado na boca, sendo, depois, descartados.
  • 36. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES TÓPICAS
  • 37. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES TÓPICAS São formas líquidas usualmente aquosas, embora possam conter outros solventes, tais com álcool. Destinam-se à aplicação tópica em pele ou superfície da mucosa oral, como, por exemplo, a solução tópica oral de lidocaína.
  • 38. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES INJETÁVEIS
  • 39. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES INJETÁVEIS São preparações líquidas, contendo uma ou mais substâncias totalmente dissolvidas em solventes miscíveis. Próprias para injeção intravenosa. Devem atender às exigências de esterilidade.
  • 40. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES OFTÁLMICAS
  • 41. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES OFTÁLMICAS São estéreis, essencialmente livres de partículas, manipuladas adequadamente e embaladas para aplicação no olho.
  • 42. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES NASAIS
  • 43. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES NASAIS São geralmente aquosas , preparadas para administração em cavidades nasais, na forma de gotas ou aerossóis.
  • 44. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SOLUÇÕES ÓTICAS
  • 45. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SOLUÇÕES ÓTICAS Destinadas a aplicação tópica no ouvido. Nesta forma farmacêutica são administrados antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios. Existe o cuidado para não haver aplicação em locais com úlceras ( absorção sistêmica ).
  • 46. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SUSPENSÕES ORAIS
  • 47. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SUSPENSÕES ORAIS São preparações que contêm partículas de fármaco finamente divididas e distribuídas, de maneira uniforme , em veículo, no qual o fármaco é insolúvel ou apresenta grau de solubilidade mínimo.
  • 48. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SUSPENSÕES INJETÁVEIS
  • 49. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SUSPENSÕES INJETÁVEIS São preparações líquidas constituídas por partículas sólidas dispersas em fase líquida aquosa ou oleosa, na qual não são solúveis. Não podem ser administradas por via intravenosa, em função do risco de partículas insolúveis bloquearem os capilares.
  • 50. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA SUSPENSÕES OFTÁLMICAS
  • 51. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS SUSPENSÕES OFTÁLMICAS São preparações líquidas estéreis, contendo partículas sólidas dispersas em um veículo líquido, destinadas à aplicação nos olhos. O tempo de contato e duração de uma suspensão provavelmente excedem aos de uma solução oftálmica.
  • 52. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA XAROPES
  • 53. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS XAROPES São preparações aquosas, límpidas e de elevada viscosidade, que contêm um açúcar, geralmente sacarose, em concentração bem elevada. O açúcar confere ação conservante, edulcorante e viscosizante à preparação. Uso amplo em odontopediatria ( gosto ). O uso prolongado deve ser avaliado a possibilidade de cárie.
  • 54. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA ELIXIRES
  • 55. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS ELIXIRES São soluções hidroalcoólicas, límpidas e edulcoradas, que habitualmente contêm corantes que melhoram seu aspecto e aroma, o que aumenta sua palatabilidade. São utilizados para administração de fármacos insolúveis em água, porém solúveis em misturas de água e álcool.
  • 56. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS COLUTÓRIOS São soluções aquosas de certa viscosidade que contêm substâncias destinadas a tratar alguma afecção na cavidade bucal. São destinados à aplicação tópica, por meio de bochecho e gargarejo. São usualmente utilizados para reduzir a concentração bacteriana ( antibióticos, anti-sépticos ) e para aliviar a dor ou inflamação ( analgésicos e anti- inflamatórios ).
  • 57. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS VERNIZES Contém fármaco misturado a veículo que endurece quando em contato com saliva ou água. São utilizados para aplicação de flúor.
  • 58. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS LÍQUIDAS EMULSÕES São preparações farmacêuticas obtidas pela dispersão de duas fases líquidas e miscíveis , ou praticamente miscíveis, estabilizadas por agente emulsionante adequado. Quando injetáveis devem obedecer a exigência de esterilidade e ausência de pirogênios. Deve ser agitado antes do uso.
  • 60. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORM AS SÓLIDAS
  • 61. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS CÁPSULAS Constituídos por receptáculo ou cobertas por gelatina hidratada, apresentando forma e capacidade variáveis. Contém em seu interior determinada quantidade de fármaco e excipientes. Podem ser rígidas ou moles.
  • 62. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS CÁPSULAS Cápsulas rígidas apresentam dois elementos independentes, usualmente de forma cilíndrica, nos quais, em geral, estão contidos pós, embora também possam incluir granulados, microcápsulas, pequenos comprimidos, etc…
  • 63. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS CÁPSULAS Cápsulas moles são formadas por uma só peça, de forma esférica ou ovóide, em cujo interior se encontram as substâncias ativas, habitualmente em forma de dispersão líquida de natureza oleosa, embora também possam conter produtos sólidos.
  • 65. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS São formas farmacêuticas sólidas, obtidas principalmente por compressão mecânica de granulados ou misturas de pós de uma ou várias substâncias ativas, com adição, na maioria das ocasiões, de excipientes ou aditivos.
  • 67. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Orais para ingestão CONVENCIONAIS - Devem ser deglutidos, a fim de liberarem a substância ativa no trato gastrointestinal, para que exerça ação local.
  • 68. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Orais para ingestão MASTIGÁVEIS -Devem ser fragmentados com a mastigação, e posteriormente deglutidos. São opções para pacientes que possuem dificuldade de deglutição.
  • 69. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Orais para ingestão REVESTIDOS - São revestidos por uma, ou duas camadas que pode ser de açúcar ou uma película feita de material hidrossolúvel. Mascarar odor ou sabor desagradável, proteger a substância ativa da ação de ar, luz e umidade. 
 Quando revestidos por açúcar - DRÁGEAS
  • 70. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Orais para ingestão LIBERAÇÃO CONTROLADA -Liberar o medicamento lentamente durante um longo período de tempo. Pode ser preparado para ser absorvido em condições fisiológicas prévias, ou mesmo em um período pós ingestão determinado.
  • 71. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Orais para ingestão AÇÃO REPETIDA - São aqueles que liberam periodicamente uma dose completa do fármaco nos líquidos gastrintestinais. AÇÃO SUSTENTADA - São aqueles que liberam de forma contínua uma quantidade de fármaco.
  • 72. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA LIBERAÇÃO SUSTENTADA POR DIFUSÃO: Comprimidos com sistema reservatório ou matricial. Sistema reservatório
  • 73. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Mantidos na cavidade oral. BUCAIS - Devem ser mantidos na cavidade oral, onde se dissolvem lentamente, liberando a substância ativa para que produza efeito local. Ex. Anti-sépticos Antifúngicos.
  • 74. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS SUBLINGUAIS - Devem ser colocados debaixo da língua para serem dissolvidos e absorvidos pela mucosa, de modo que exerçam efeito sistêmico. Ex. Situações de emergências - angina de peito. COMPRIMIDOS - Mantidos na cavidade oral.
  • 75. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração EFERVESCENTES - Foram desenvolvidos para serem dispersos em água antes da administração. Além das substâncias medicamentosas, contêm bicarbonato de sódio e um ácido orgânico, que reagem na presença de água, liberando dióxido de carbono. A efervescência, além de contribuir para a rápida desagregação , produz sensação agradável, que mascara o sabor amargo de alguns fármacos.
  • 76. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração PASTILHAS - Preparações sólidas, confeccionadas ou não por compressão, destinadas a serem dissolvidas lentamente na boca.
  • 77. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração PÓS OU GRANULADOS PARA USO ORAL - Para serem ingeridos, devem ser preparados no momento de sua administração ( adicionando-se determinada quantidade de água e agitando-se ). Podem se apresentar comercialmente em unidades (envelopes ) ou em tubetes ( doses múltiplas ).
  • 78. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração PÓS PARA USO PARENTERAL - São substâncias sólidas e estéreis, acondicionadas em seus recipientes definitivos. Adicionado o volume adequado de líquido apropriado e estéril e agitação, dão origem a solução límpida e praticamente isenta de partículas ou suspensão uniforme.
  • 79. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração PÓS DENTIFRÍCIOS - São constituídos por formulação em pó destinada a limpar e /ou polir os dentes. Podem conter certos agentes adicionais.
  • 80. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SÓLIDAS COMPRIMIDOS - Dispersos antes da administração SUPOSITÓRIOS - São formas sólidas destinadas a via de administração “ retal , vaginal ou uretral”. Devem dissolver-se ou fundir-se na cavidade corporal, e o efeito que exercem pode ser local ou sistêmico.
  • 82. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORM AS SEM I SÓLIDAS
  • 83. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA POMADAS POMADAS - Caracterizam-se pela sua consistência semi sólida. Possuem excipientes nos quais são dissolvidas ou dispersas as substâncias ativas em forma sólida ou líquida. Destinam-se à aplicação sobre pele ou certas mucosas, com a finalidade de exercer ação local ou permitir a penetração cutânea dos medicamentos que contêm. FORMAS SEMI SÓLIDAS
  • 84. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS POMADAS OFTÁLMICAS POMADAS OFTÁLMICAS - Sólidas estéreis destinadas à aplicação em saco conjuntiva ou margem das pálpebras.
  • 85. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS PASTAS PASTAS - São preparações semi sólidas que contêm elevadas proporções de sólidos finamente dispersos no excipiente. Diferenciam-se das pomadas por conterem grande quantidade de sólidos em dispersão.
  • 86. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS DENTIFRÍCIAS PASTAS DENTIFRÍCIAS - ou dentifrícios continuem formulações de pastas destinadas a limpar e/ou polir os dentes e que podem conter certos agentes adicionais.
  • 87. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS CREMES CREMES - São formas farmacêuticas semi-sólidas que contêm uma ou mais substâncias dissolvidas ou dispersas em base adequada. “ Emulsão - óleo em água ou dispersões aquosas em microcristalinas de ácidos graxos de cadeia longa ou alcoóis. Existe uma preferência pelos cremes, em comparação as pomadas, em virtude da facilidade de aplicação e remoção.
  • 88. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS GÉIS GÉIS - São formas farmacêuticas semi-sólidas formadas or líquidos gelificados com a ajuda de agentes apropriados. Géis dentifrícios = Géis + dentifrícios APLICAÇÃO DE FLÚOR
  • 89. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS ÓVULOS ÓVULOS - São preparações de consistência semi sólida, que podem conter uma ou mais substâncias medicamentosas, destinadas a administração vaginal.
  • 91. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORM AS ESPECIAIS
  • 92. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS ESPECIAIS Novas formas farmacêuticas tem sido desenvolvidas, e para isto são apresentadas com praticidade de administração e reduzir os efeitos adversos. Os fármacos, na atualidade, estão sendo estudados para que os mesmos possuam “Sistemas Vetorizados”. Com este sistema, o fármaco tem liberação de seu princípio ativo direcionado para um órgão, ou mesmo uma célula “específica”.
  • 93. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS SISTEMA TRANSDÉRMICOS - "Patches" São constituídos por sistemas de adesivo contendo um depósito de substâncias ativas, que vão sendo liberadas lentamente para a pele. O efeito sistêmico é obtido após uma ou várias substâncias ativas serem liberadas e passarem através da pele.
  • 94. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS SISTEMA TRANSDÉRMICOS - "Patches" Permitem controle da posologia e manutenção constante dos níveis plasmáticos do medicamento durante seu tempo de aplicação. Devem ser colocados sob superfície limpa.
  • 95. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS SISTEMA TRANSDÉRMICOS - "Patches" Evitam a inativação de substâncias ativas pelo fígado Ingestão de diversas drogas por tempo prolongado Melhoram a adesão do paciente a terapia. Possibilitam a interrupção da administração do medicamento pela retirada do sistema da pele. VANTAGENS Ex.: NICOTINA - ESTRADIOL - NITROGLICERINA
  • 97. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS IMPLANTES São pequenas massas sólidas estéreis contendo fármaco altamente purificado ( com ou sem excipientes ), feitas por compressão ou moldagem. A implantação é sub cutânea, com o propósito de liberar continuamente o fármaco por longos períodos de tempo. São usados injetores especiais ou incisões Ex.: Hormônios como testosterona - estradiol.
  • 99. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS DISPOSITIVOS INTRA-ORAIS DE LIBERAÇÃO LENTA. Estes dispositivos podem ser aderidos facilmente à cavidade bucal, retidos por longos períodos de tempo, e removidos em qualquer momento.
  • 100. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA FORMAS SEMI SÓLIDAS DISPOSITIVOS INTRA-ORAIS DE LIBERAÇÃO LENTA. Possibilitam liberação constante de baixas concentrações de fármaco. São usados para obtenção de efeitos locais e sistêmicos. Apresentam-se na forma de micropartículas , comprimidos bioaderentes, pastilhas, filmes flexíveis e géis, entre outros meios.
  • 102. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA DICAS PARA A FARMACOLOGIA ORALL
  • 103. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA VEÍCULOS UTILIZADOS EM MEDICAMENTOS PARA APLICAÇÃO NA MUCOSA ORAL O tempo de permanência do fármaco, aplicado por via “ tópico “ na mucosa oral, pode ser controlado de duas maneiras: 1. Aumentando voluntariamente a retenção do mesmo pelo paciente 2. Incorporando o fármaco em formulações que favoreçam a adesão na mucosa.
  • 104. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA Recomendações para administração apropriada de formas farmacêuticas. FORMAS FARMACÊUTICAS SÓLIDAS. 1. Ingestão de comprimidos APENAS COM ÁGUA. 2. Comprimidos divisíveis, podem permitir ajustes a posologia. 3. Em caso de fármaco na forma de “pó”, deve ser feito a mistura extemporânea ( por adição de água - filtrada e na temperatura ambiente ) no momento da ingestão.
  • 105. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA Recomendações para administração apropriada de formas farmacêuticas. FORMAS FARMACÊUTICAS LÍQUIDAS ORAIS . 1. Usar dosadores específicos ao fármaco. 2. Verificar se o conteúdo está homogêneo e sem grumos. 3. Suspensões deve ser sempre agitada antes da ingestão. Colher de sopa = 15ml Colher de sobremesa = 10ml Colher de chá = 5ml Colher de café= 2ml
  • 106. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA Recomendações para administração apropriada de formas farmacêuticas. FORMAS FARMACÊUTICAS INJETÁVEIS . 1. A administração deverá ser feita por profissionais habilitados e credenciados. 2. Cuidados de higiene e assepsia rigoroso. 3. Descartar qualquer sobra.
  • 107. DISCIPLINA DE FARMACOLOGIA APLICADA Conservação de formas farmacêuticas Conservação: Verificar sempre prazo de validade. Medicamentos fora de seu prazo deve ser descartado. Uma vez aberto o recipiente em que está condicionado o fármaco, o mesmo não obedecerá mais o “prazo de validade “ Armazenas em temperatura ambiente; Fora do contato com luz e humidade; Manter os medicamentos fora do alcance de crianças e incapazes psicologicamente e psiquiatricamente.