SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 34
AUTISMO e IMAGENS
PALESTRANTE – DR LEONARDO MARANHAO AYRES FERREIRA
LOCAL – ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE ITAQUAQUECETUBA
DATA – 18 DE JANEIRO DE 2015
Muito parecido a um computador, o cérebro conta com um
emaranhado de fios para processar e transmitir as
informações.
Os cientistas descobriram que, em pessoas com
autismo, esses fios estão com defeito, o que causa
falha de comunicação entre as células do cérebro.
Diferentes regiões do cérebro apresentam problemas na comunicação entre
si em pessoas com autismo, de acordo com uma pesquisa americana.
http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2006/10/061015_autismoir.shtml
O tálamo é uma estrutura fundamental do cérebro para muitas funções, tais como
visão, audição, controle de movimento e atenção.
Em crianças autistas, as vias que ligam esse órgão e o córtex cerebral estavam
afetadas, indicando falha na comunicação entre ambos.
Distúrbios no desenvolvimento tanto na estrutura quanto na função do tálamo
podem ocasionar um aparecimento de déficits sociais e de comunicação, os
sintomas mais importantes e perturbadores do autismo.
No cérebro, as células nervosas transmitem mensagens
importantes que controlam as funções do corpo, desde o
comportamento social até os movimentos.
Estudos de imagens revelaram que as crianças autistas têm
muitas fibras nervosas, mas elas não funcionam de maneira
suficiente para facilitar a comunicação entre as várias partes
do cérebro.
Estas imagens foram construídas por meio de ressonância magnética cerebral (MRI) de crianças e adolescentes, durante 15 anos
de desenvolvimento do cérebro.
O vermelho indica maior quantidade de substância cinzenta, ainda imatura, conectando-se de forma pouco ordenada.
A substância cinzenta diminui da área posterior para a anterior a medida que o cérebro vai se maturando e o excesso de
conexões neuronais vai sendo progressivamente cortado e ordenado.
As áreas responsáveis pelas funções básicas se maturam precocemente, áreas de funções mais elaboradas maturam depois.
A área prefrontal responsável pelo raciocínio mais elaborado e pelas funções executivas se desenvolve por último na seqüência
de maturação normal do cérebro.
Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
Há muito tempo se tem conhecimento que existe uma superprodução de conexões neuronais
durante os primeiros 18 meses de vida, seguida de um posterior declínio e descarte dos circuitos
que não são utilizados.
Nos anos 90, Dr. Jay Giedd et. col., co autores do presente estudo, descobriram uma segunda fase
de superprodução de substância cinzenta, seguida de um novo descarte de circuitos não utilizados
durante a puberdade.
Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
O estudo atual mostrou que as primeiras áreas a se maturarem são as extremidades frontais e
posteriores do cérebro, que são responsáveis pelas funções primárias como o processamento das
sensações, visão e movimento.
As áreas envolvidas na orientação espacial e linguagem (lobo parietal) se maturam em seguida.
As áreas responsáveis pelas funções mais elaboradas, como a integração das funções a partir das
sensações, o raciocínio e as funções executivas (córtex prefrontal) são as últimas a se maturarem.
Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
As crianças com autismo apresentam um aumento de substância cinzenta que não consegue chegar
a maturação, sugerindo uma falha precoce no processo normal de desenvolvimento cerebral.
Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
Os cientistas acham que todo esse circuito elétrico pode afetar o tamanho do cérebro.
Embora as crianças autistas nasçam com cérebros normais ou menores que o normal, elas
passam por um período de rápido crescimento entre os 6 e 14 meses, por isso que, por
volta dos quatro anos, o cérebro tende a ser grande para sua idade.
Os defeitos genéticos nos fatores de crescimento do cérebro podem levar a esse
desenvolvimento anormal do cérebro.
Os cientistas acham que todo esse circuito elétrico pode afetar o tamanho do
cérebro. Embora as crianças autistas nasçam com cérebros normais ou menores
que o normal, elas passam por um período de rápido crescimento entre os 6 e 14
meses, por isso que, por volta dos quatro anos, o cérebro tende a ser grande para
sua idade. Os defeitos genéticos nos fatores de crescimento do cérebro podem
levar a esse desenvolvimento anormal do cérebro.
Os cientistas acham que todo esse circuito elétrico pode afetar o tamanho do
cérebro. Embora as crianças autistas nasçam com cérebros normais ou menores
que o normal, elas passam por um período de rápido crescimento entre os 6 e 14
meses, por isso que, por volta dos quatro anos, o cérebro tende a ser grande para
sua idade. Os defeitos genéticos nos fatores de crescimento do cérebro podem
levar a esse desenvolvimento anormal do cérebro.
• Os cientistas também descobriram irregularidades nas próprias estruturas
do cérebro, como no corpo caloso, que facilita a comunicação entre os dois
hemisférios do cérebro; na amígdala, que afeta o comportamento social e
emocional; e no cerebelo, que está envolvido com as atividades motoras, o
equilíbrio e a coordenação. Eles acreditam que essas anormalidades
ocorrem durante o desenvolvimento pré-natal.
O cérebro de uma criança com autismo apresenta alterações no corpo caloso, amígdala e cerebelo
• Os cientistas também descobriram irregularidades nas próprias estruturas
do cérebro, como no corpo caloso, que facilita a comunicação entre os dois
hemisférios do cérebro; na amígdala, que afeta o comportamento social e
emocional; e no cerebelo, que está envolvido com as atividades motoras, o
equilíbrio e a coordenação. Eles acreditam que essas anormalidades
ocorrem durante o desenvolvimento pré-natal.
O cérebro de uma criança com autismo apresenta alterações no corpo caloso, amígdala e cerebelo
• Os cientistas também descobriram irregularidades nas próprias estruturas
do cérebro, como no corpo caloso, que facilita a comunicação entre os dois
hemisférios do cérebro; na amígdala, que afeta o comportamento social e
emocional; e no cerebelo, que está envolvido com as atividades motoras, o
equilíbrio e a coordenação. Eles acreditam que essas anormalidades
ocorrem durante o desenvolvimento pré-natal.
Comparativa de cerebro normal con otro sin
conexión entre mitades. (Foto: California
Institute of Technology)
Além disso, os cientistas perceberam desequilíbrios nos neurotransmissores,
substâncias químicas que ajudam as células nervosas a se comunicarem. Dois
dos neurotransmissores que parecem ser afetados são a serotonina, que afeta
emoção e comportamento, e o glutamato, que tem um papel na atividade dos
neurônios. Juntas, essas alterações do cérebro podem ser responsáveis pelos
comportamentos do autista.
Além disso, os cientistas perceberam desequilíbrios nos neurotransmissores,
substâncias químicas que ajudam as células nervosas a se comunicarem. Dois
dos neurotransmissores que parecem ser afetados são a serotonina, que afeta
emoção e comportamento, e o glutamato, que tem um papel na atividade dos
neurônios. Juntas, essas alterações do cérebro podem ser responsáveis pelos
comportamentos do autista.
TEORIA DA MENTE E INTERAÇAO SOCIAL
O texto acima é um trecho da matéria "Pais racionais, crianças autistas". Para ler essa e outras reportagens na íntegra, adquira Mente e Cérebro 249 (Outubro).
Os pesquisadores Uta Frith, do Instituto de Neurociência Cognitiva da Universidade College de Londres, e Simon Baron-Cohen, desenvolveram,
na Inglaterra, uma hipótese para compreender o autismo do ponto de vista psicológico: a teoria da mente.
Segundo essa tese, a principal anormalidade do autismo é a incapacidade de construir elaborações sobre a mente alheia. Existe no cérebro um
circuito neuronal especializado que nos permite pensar sobre nós mesmos e sobre o outro – e assim criar formulações sofisticadas, prevendo o
comportamento de seus semelhantes. Essa compreensão oferece respaldo à capacidade de cooperar e aprender com o próximo. Em suma,
possibilita a interação social.
A maioria das pessoas autistas, no entanto, não compreende que cada um tem os próprios pensamentos e pontos de vista e um modo único de
ser. Consequentemente, elas não entendem crenças, emoções e atitudes alheias.
O texto acima é um trecho da matéria "Pais racionais, crianças autistas". Para ler essa e outras reportagens na íntegra, adquira Mente e Cérebro 249 (Outubro).
• Para explicar alguns sintomas secundários do autismo – hipersensibilidade, ausência de contato
visual, aversão a determinados sons – foi criada a teoria do mapa topográfico emocional.
• Na criança sem o transtorno, as informações sensoriais são enviadas para a amígdala, a porta de
entrada do sistema límbico, uma área responsável pelo processamento de emoções. Usando o
conhecimento armazenado, a amígdala determina a resposta emocional que deve dar a cada
estímulo que recebe e, com o tempo, cria um mapa topográfico dos significados emocionais do
ambiente.
• Naqueles que sofrem do distúrbio do espectro autista, porém, as conexões entre amígdala e
áreas sensoriais tendem a apresentar distorções, o que na prática resulta em reações emocionais
extremadas a estímulos e fatos sem importância e descaso em relação ao que é fundamental para
as outras pessoas.
AREA DA FALA e AUTISMO
Ao ouvir alguém, regiões azuis do cérebro identificam o
falante; área vermelha interpreta conteúdo da fala. (Foto:
Divulgação/Science)
Em comparação com o cerebro controle (acima) , o cerebro autista (
abaixo) mostra uma sincronização interhemisférica mais fraca em varias
áreas, em particular na circunvolução temporal superior ( azul claro) e
no giro frontal inferior ( roxo).
http://www.taringa.net/posts/ciencia-educacion/15154793/Israel-Cientificos-descubren-anormalidad-en-Autismo.html
O cérebro autista não descansa
Estudo sugere que alguns déficits associados aos autismo estão
relacionados a um falha no funcionamento da “rede neuronal de repouso”
El cerebro autista (drcha.) no se activa durante el reposo en comparación con el cerebro de un individuo sin el trastrono (izqda.). (Foto: PNAS)
http://www.elmundo.es/elmundosalud/2006/05/11/neurociencia/1147363510.html
Cérebro autista e cérebro normal
http://www.creces.cl/new/index.asp?imat=%20%20%3E%20%2075&tc=3&nc=5&art=1203
Estudo realizado pela Universidade de Yale com 62 crianças de 4 a 17
anos , demonstrou que nos afetados com o autismo tinha regiões do
cerebros com menor atividade, sobretudo áreas relacionadas com
aquisiçao da linguagem, a comunicaçao social e dos movimentos .
http://depsicologia.com/autismo-investigaciones-con-resonacias-magneticas-funcionales/
Por que o autista tem mania de morder?
Resposta = A criança autista tem uma desordem sensorial,
ou seja, tem alteração na apreensão do mundo pelos
órgãos dos sentidos. As crianças captam as informações do
meio através de órgãos que estão menos comprometidos,
do ponto de vista do processamento das informações.
Como todos sabemos o processamento auditivo esta via de
regra com prejuízo, a sensibilidade esta desorganizada.
Assim, captam e tentar entender o mundo pela visão e pelo
olfato. Ao ter contato com um objeto, aproximam do rosto
para ver o que é e cheiram. O morder é mais um aspecto
do tentar entender o que seria este objeto.
Porque o autista gosta de bater e gritar?
Na verdade o autista não gosta de bater e gritar. O que
acontece é que no autista há uma desproporção entre os
circuitos excitatórios em relação aos inibitórios no sistema
nervoso central, sendo que isto pode até levar a grande parte
deles terem disparos elétricos que chamamos de crises
epilépticas. Assim, os autistas reagem aos estímulos de forma
a sentir uma descarga elétrica, com comportamento inquieto
e agitado ao observarmos. A movimentação continuada,
agitada e inquieta que nos parece que está batendo e por
vezes gritando, seria uma expressão corporal, reflexo do
estado interno de excitação psíquica extrema.
As vezes, tenho a sensação de que a medicação deixa meu filho
mais agitado. Devo continuar dando os remédios ?
A medicação pode deixar a criança mais agitada em
algumas fases do tratamento. Isto deve ser reportado
ao medico assistente para o ajuste da dose das
medicações.
O que fazer com os problemas do sono ?
Sabemos que muitos dos autistas tem problemas do sono,
principalmente para iniciar o sono, já que a noite parecem
que ficam mais agitados. Criar um habito de desligar a luz
certa hora, e todos irem para cama num determinado horário,
pode ajudar a faze-lo entender que esta e a hora de diminuir
o ritmo para desligar. Coloca-lo na cama e cantar algo pode
ser uma ideia interessante. Muitas vezes tudo isto e inútil,
sabemos. As crianças utilizam medicações e suplementos
para tentar ajustar o ciclo sono vigília das crianças. Porém os
hábitos e rotinas para uma sono saudável devem sempre ser
seguidas.
MUITO OBRIGADO
CONTATO : WWW.CLINICAMEDICAASSIS.COM.BR
EMAIL: CENTROMEDICOLEANDRO@HOTMAIL.COM
FACEBOOK. COM/CLINICAMEDICAASSIS
FACEBOOK.COM/LEONARDOMARANHÃO

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantiljacibraga
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerThiago de Almeida
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALLetciaFerreira409889
 
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILA IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILcefaprodematupa
 
Distúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escolaDistúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escolamarleneevang
 
Desenvolvimento cognitivo
Desenvolvimento cognitivoDesenvolvimento cognitivo
Desenvolvimento cognitivoDiana Sousa
 
Transtorno do Espectro do Autismo
Transtorno do Espectro do AutismoTranstorno do Espectro do Autismo
Transtorno do Espectro do AutismoDiane Marli Pereira
 
Transtornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na EscolaTranstornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na EscolaRosângela Gonçalves
 
Aula 5 2ª infância
Aula 5   2ª infânciaAula 5   2ª infância
Aula 5 2ª infânciaEslon Junior
 
Desenvolvimento Infantil
Desenvolvimento InfantilDesenvolvimento Infantil
Desenvolvimento Infantilaevelynrocha
 
Mapa Mental
Mapa MentalMapa Mental
Mapa Mentalnaderge
 
Intervenção com crianças com necessidades educativas especiais
Intervenção com crianças com necessidades educativas especiaisIntervenção com crianças com necessidades educativas especiais
Intervenção com crianças com necessidades educativas especiaispsicologiaestoi
 
Educaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e InfânciaEducaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e Infânciapsimais
 
Equipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucesso
Equipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucessoEquipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucesso
Equipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucessotdc-globalcode
 
Síndrome de Down - Revisão
Síndrome de Down - RevisãoSíndrome de Down - Revisão
Síndrome de Down - RevisãoFisioterapeuta
 
Jogo E EducaçãO Infantil
Jogo E EducaçãO InfantilJogo E EducaçãO Infantil
Jogo E EducaçãO Infantilmarlene_herter
 
Criança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptx
Criança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptxCriança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptx
Criança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptxGianeGrotti2
 

Mais procurados (20)

Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantilDesenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
 
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de BronfenbrennerModelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
Modelo bioecológico do desenvolvimento de Bronfenbrenner
 
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUALAPRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
APRENDA COMO INTERVIR COM CRIANÇAS COM TOD E DEFICIENCIA INTELECTUAL
 
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTILA IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
 
Distúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escolaDistúrbios de aprendizagem na escola
Distúrbios de aprendizagem na escola
 
Desenvolvimento cognitivo
Desenvolvimento cognitivoDesenvolvimento cognitivo
Desenvolvimento cognitivo
 
Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil  Desenvolvimento infantil
Desenvolvimento infantil
 
Transtorno do Espectro do Autismo
Transtorno do Espectro do AutismoTranstorno do Espectro do Autismo
Transtorno do Espectro do Autismo
 
Transtornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na EscolaTranstornos de Aprendizagem na Escola
Transtornos de Aprendizagem na Escola
 
Aula 5 2ª infância
Aula 5   2ª infânciaAula 5   2ª infância
Aula 5 2ª infância
 
Desenvolvimento Infantil
Desenvolvimento InfantilDesenvolvimento Infantil
Desenvolvimento Infantil
 
Mapa Mental
Mapa MentalMapa Mental
Mapa Mental
 
Intervenção com crianças com necessidades educativas especiais
Intervenção com crianças com necessidades educativas especiaisIntervenção com crianças com necessidades educativas especiais
Intervenção com crianças com necessidades educativas especiais
 
Educaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e InfânciaEducaçãoo Positiva e Infância
Educaçãoo Positiva e Infância
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Equipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucesso
Equipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucessoEquipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucesso
Equipe divertidamente - Gerenciando emoções para obter o sucesso
 
Síndrome de Down - Revisão
Síndrome de Down - RevisãoSíndrome de Down - Revisão
Síndrome de Down - Revisão
 
Jogo E EducaçãO Infantil
Jogo E EducaçãO InfantilJogo E EducaçãO Infantil
Jogo E EducaçãO Infantil
 
Criança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptx
Criança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptxCriança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptx
Criança, currículo e campos de experiência notas reflexivas (1).pptx
 
Neurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagemNeurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagem
 

Destaque

Doenças do cérebro autismo
Doenças do cérebro   autismoDoenças do cérebro   autismo
Doenças do cérebro autismoSA Asperger
 
Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016
Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016
Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016ClinicaAssis
 
Espectro do Autismo Intervenção - ispa
Espectro do Autismo Intervenção - ispaEspectro do Autismo Intervenção - ispa
Espectro do Autismo Intervenção - ispaJoaquim Colôa
 
Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02
Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02
Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02Lakalondres
 
A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...
A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...
A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...Hebert Campos
 
Alfabetização visual
Alfabetização visualAlfabetização visual
Alfabetização visualMira Benvenuto
 
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...Dr. Rafael Higashi
 
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...Dr. Rafael Higashi
 
PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)
PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)
PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)SimoneHelenDrumond
 
Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...
Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...
Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...Lakalondres
 
Projeto ECO - Língua Portuguesa, 1º ano
Projeto ECO - Língua Portuguesa, 1º anoProjeto ECO - Língua Portuguesa, 1º ano
Projeto ECO - Língua Portuguesa, 1º anoEdpositivo
 
267 curso orientações educacionais sobre autismo
267 curso orientações educacionais sobre autismo267 curso orientações educacionais sobre autismo
267 curso orientações educacionais sobre autismoSimoneHelenDrumond
 
NÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRAS
NÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRASNÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRAS
NÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRASLiany Avila
 
Adaptação de atividades para os autistas
Adaptação de atividades para os autistasAdaptação de atividades para os autistas
Adaptação de atividades para os autistasLucilene Rocha
 
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábicaComo trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábicaEdinei Messias
 
Atividades adaptadas para os autistas - volume 2
Atividades adaptadas para os autistas  - volume 2Atividades adaptadas para os autistas  - volume 2
Atividades adaptadas para os autistas - volume 2Lucilene Rocha
 

Destaque (20)

Doenças do cérebro autismo
Doenças do cérebro   autismoDoenças do cérebro   autismo
Doenças do cérebro autismo
 
Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016
Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016
Palestra Autismo realizada no Guarujá - SP no dia 22/10/2016
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Espectro do Autismo Intervenção - ispa
Espectro do Autismo Intervenção - ispaEspectro do Autismo Intervenção - ispa
Espectro do Autismo Intervenção - ispa
 
Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02
Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02
Alfabetizacaoguiadidatico 121009201306-phpapp02
 
2-neuropsi-deficiencias-c-basicos
2-neuropsi-deficiencias-c-basicos2-neuropsi-deficiencias-c-basicos
2-neuropsi-deficiencias-c-basicos
 
A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...
A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...
A Síndrome de Asperger e o Autismo de Alto Funcionamento: Diferenciando as du...
 
Alfabetização visual
Alfabetização visualAlfabetização visual
Alfabetização visual
 
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
Estudo da aplicação da Estimulação Magnética Transcraniana Repetitiva no Tran...
 
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
Neuromodulação Cerebral com Estimulação Magnética Transcraniana na Dor C...
 
PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)
PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)
PANEJAMENTO PARA PESSOAS AUTISTAS (ESCOLA E CLINICA)
 
Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...
Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...
Cdocumentsandsettingsglauciaaparecidadesktopparalelacicloiiport 100706111554-...
 
Letramento e autismo 1
Letramento e autismo 1Letramento e autismo 1
Letramento e autismo 1
 
Projeto ECO - Língua Portuguesa, 1º ano
Projeto ECO - Língua Portuguesa, 1º anoProjeto ECO - Língua Portuguesa, 1º ano
Projeto ECO - Língua Portuguesa, 1º ano
 
267 curso orientações educacionais sobre autismo
267 curso orientações educacionais sobre autismo267 curso orientações educacionais sobre autismo
267 curso orientações educacionais sobre autismo
 
NÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRAS
NÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRASNÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRAS
NÍVEL SILÁBICO - TRABALHO COM LETRAS
 
Adaptação de atividades para os autistas
Adaptação de atividades para os autistasAdaptação de atividades para os autistas
Adaptação de atividades para os autistas
 
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábicaComo trabalhar com a hipótese de escrita silábica
Como trabalhar com a hipótese de escrita silábica
 
Atividades adaptadas para os autistas - volume 2
Atividades adaptadas para os autistas  - volume 2Atividades adaptadas para os autistas  - volume 2
Atividades adaptadas para os autistas - volume 2
 

Semelhante a Palestra Autismo ONG AMAI Azul bate papo com as mães

Neuroniosespelhosquebrados1
Neuroniosespelhosquebrados1Neuroniosespelhosquebrados1
Neuroniosespelhosquebrados1Marl4555
 
Aspectos Psicológicos do Desenvolvimento Neuropsicomotor
Aspectos Psicológicos do Desenvolvimento NeuropsicomotorAspectos Psicológicos do Desenvolvimento Neuropsicomotor
Aspectos Psicológicos do Desenvolvimento NeuropsicomotorPaulo Pedro P. R. Costa
 
o tea na perspectiva das neurociências.pdf
o tea na perspectiva das neurociências.pdfo tea na perspectiva das neurociências.pdf
o tea na perspectiva das neurociências.pdfREGIANELAURALOUREIRO1
 
Brincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visualBrincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visualNiterói Portalsocial
 
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxSidney Silva
 
Drogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervosoDrogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervosoDani Rodrigues
 
Aprendizagem acelerada 1322010150
Aprendizagem acelerada 1322010150Aprendizagem acelerada 1322010150
Aprendizagem acelerada 1322010150joh1204
 

Semelhante a Palestra Autismo ONG AMAI Azul bate papo com as mães (20)

Neuroniosespelhosquebrados1
Neuroniosespelhosquebrados1Neuroniosespelhosquebrados1
Neuroniosespelhosquebrados1
 
Aspectos Psicológicos do Desenvolvimento Neuropsicomotor
Aspectos Psicológicos do Desenvolvimento NeuropsicomotorAspectos Psicológicos do Desenvolvimento Neuropsicomotor
Aspectos Psicológicos do Desenvolvimento Neuropsicomotor
 
Aula Medicina
Aula  MedicinaAula  Medicina
Aula Medicina
 
Fundamentos da Neurociência
Fundamentos da NeurociênciaFundamentos da Neurociência
Fundamentos da Neurociência
 
SLIDES.pdf
SLIDES.pdfSLIDES.pdf
SLIDES.pdf
 
o tea na perspectiva das neurociências.pdf
o tea na perspectiva das neurociências.pdfo tea na perspectiva das neurociências.pdf
o tea na perspectiva das neurociências.pdf
 
Estudos Alzheimer
Estudos AlzheimerEstudos Alzheimer
Estudos Alzheimer
 
Brincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visualBrincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visual
 
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
 
AULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptx
AULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptxAULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptx
AULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptx
 
Fundamentos da Neurociência e Bioética
Fundamentos da Neurociência e BioéticaFundamentos da Neurociência e Bioética
Fundamentos da Neurociência e Bioética
 
Drogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervosoDrogas e sistema_nervoso
Drogas e sistema_nervoso
 
Aprendizagem acelerada
Aprendizagem aceleradaAprendizagem acelerada
Aprendizagem acelerada
 
Neurociências e aprendizagem
Neurociências e aprendizagem   Neurociências e aprendizagem
Neurociências e aprendizagem
 
Aprendizagem acelerada 1322010150
Aprendizagem acelerada 1322010150Aprendizagem acelerada 1322010150
Aprendizagem acelerada 1322010150
 
O cérebro e aprendizagem
O cérebro e aprendizagemO cérebro e aprendizagem
O cérebro e aprendizagem
 
Alzheimer Trabalho AFQV
Alzheimer Trabalho AFQVAlzheimer Trabalho AFQV
Alzheimer Trabalho AFQV
 
Slide para blog sobre Autismo
Slide para blog sobre AutismoSlide para blog sobre Autismo
Slide para blog sobre Autismo
 
Autsimo
AutsimoAutsimo
Autsimo
 
Cérebro
CérebroCérebro
Cérebro
 

Mais de ClinicaAssis

Palestra Sobre Autismo em Poá
Palestra Sobre Autismo em PoáPalestra Sobre Autismo em Poá
Palestra Sobre Autismo em PoáClinicaAssis
 
Autismo Unip Fórum Odontodologia
Autismo Unip Fórum OdontodologiaAutismo Unip Fórum Odontodologia
Autismo Unip Fórum OdontodologiaClinicaAssis
 
O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...
O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...
O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...ClinicaAssis
 
Palestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SP
Palestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SPPalestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SP
Palestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SPClinicaAssis
 
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboao
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboaoAutismo 07-de-abril-de-2015-taboao
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboaoClinicaAssis
 
Palestra autismo amai 03.04.2015
Palestra autismo amai 03.04.2015Palestra autismo amai 03.04.2015
Palestra autismo amai 03.04.2015ClinicaAssis
 
Palestra Autismo para a ONG AMAI Azul
Palestra Autismo para a ONG AMAI AzulPalestra Autismo para a ONG AMAI Azul
Palestra Autismo para a ONG AMAI AzulClinicaAssis
 

Mais de ClinicaAssis (7)

Palestra Sobre Autismo em Poá
Palestra Sobre Autismo em PoáPalestra Sobre Autismo em Poá
Palestra Sobre Autismo em Poá
 
Autismo Unip Fórum Odontodologia
Autismo Unip Fórum OdontodologiaAutismo Unip Fórum Odontodologia
Autismo Unip Fórum Odontodologia
 
O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...
O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...
O Psiquiatra Leonardo Maranhão participou da I Semana da Melhor Idade na FAPC...
 
Palestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SP
Palestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SPPalestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SP
Palestra sobre Autismo realizada em 13/04/2015 Universidade Anhanguera - SP
 
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboao
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboaoAutismo 07-de-abril-de-2015-taboao
Autismo 07-de-abril-de-2015-taboao
 
Palestra autismo amai 03.04.2015
Palestra autismo amai 03.04.2015Palestra autismo amai 03.04.2015
Palestra autismo amai 03.04.2015
 
Palestra Autismo para a ONG AMAI Azul
Palestra Autismo para a ONG AMAI AzulPalestra Autismo para a ONG AMAI Azul
Palestra Autismo para a ONG AMAI Azul
 

Último

AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxmikashopassos123
 
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMayaraStefanydaSilva1
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSProf. Marcus Renato de Carvalho
 
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfTabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfqualidadediagnostico
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfivana Sobrenome
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfvejic16888
 

Último (6)

AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptxAULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
AULA 02 TEMPO CIRURGICO-SEGURANÇA DO PACIENTE.pptx
 
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdfMetabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
Metabolismo Celular, Respiração Celular aeróbia e anaeróbia.pdf
 
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUSHomens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
Homens Trans tem Caderneta de Pré-Natal especial / Programa Transgesta - SUS
 
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdfTabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
Tabela-pontos-de-corte-clinicos-BrCAST-12-abr-22.pdf
 
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdfCrianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
Crianças e Adolescentes em Psicoterapia A abordagem psicanalítica-1 (2).pdf
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 

Palestra Autismo ONG AMAI Azul bate papo com as mães

  • 1. AUTISMO e IMAGENS PALESTRANTE – DR LEONARDO MARANHAO AYRES FERREIRA LOCAL – ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE ITAQUAQUECETUBA DATA – 18 DE JANEIRO DE 2015
  • 2. Muito parecido a um computador, o cérebro conta com um emaranhado de fios para processar e transmitir as informações.
  • 3. Os cientistas descobriram que, em pessoas com autismo, esses fios estão com defeito, o que causa falha de comunicação entre as células do cérebro.
  • 4. Diferentes regiões do cérebro apresentam problemas na comunicação entre si em pessoas com autismo, de acordo com uma pesquisa americana. http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2006/10/061015_autismoir.shtml
  • 5. O tálamo é uma estrutura fundamental do cérebro para muitas funções, tais como visão, audição, controle de movimento e atenção. Em crianças autistas, as vias que ligam esse órgão e o córtex cerebral estavam afetadas, indicando falha na comunicação entre ambos.
  • 6. Distúrbios no desenvolvimento tanto na estrutura quanto na função do tálamo podem ocasionar um aparecimento de déficits sociais e de comunicação, os sintomas mais importantes e perturbadores do autismo.
  • 7. No cérebro, as células nervosas transmitem mensagens importantes que controlam as funções do corpo, desde o comportamento social até os movimentos.
  • 8. Estudos de imagens revelaram que as crianças autistas têm muitas fibras nervosas, mas elas não funcionam de maneira suficiente para facilitar a comunicação entre as várias partes do cérebro.
  • 9. Estas imagens foram construídas por meio de ressonância magnética cerebral (MRI) de crianças e adolescentes, durante 15 anos de desenvolvimento do cérebro. O vermelho indica maior quantidade de substância cinzenta, ainda imatura, conectando-se de forma pouco ordenada. A substância cinzenta diminui da área posterior para a anterior a medida que o cérebro vai se maturando e o excesso de conexões neuronais vai sendo progressivamente cortado e ordenado. As áreas responsáveis pelas funções básicas se maturam precocemente, áreas de funções mais elaboradas maturam depois. A área prefrontal responsável pelo raciocínio mais elaborado e pelas funções executivas se desenvolve por último na seqüência de maturação normal do cérebro. Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
  • 10. Há muito tempo se tem conhecimento que existe uma superprodução de conexões neuronais durante os primeiros 18 meses de vida, seguida de um posterior declínio e descarte dos circuitos que não são utilizados. Nos anos 90, Dr. Jay Giedd et. col., co autores do presente estudo, descobriram uma segunda fase de superprodução de substância cinzenta, seguida de um novo descarte de circuitos não utilizados durante a puberdade. Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
  • 11. O estudo atual mostrou que as primeiras áreas a se maturarem são as extremidades frontais e posteriores do cérebro, que são responsáveis pelas funções primárias como o processamento das sensações, visão e movimento. As áreas envolvidas na orientação espacial e linguagem (lobo parietal) se maturam em seguida. As áreas responsáveis pelas funções mais elaboradas, como a integração das funções a partir das sensações, o raciocínio e as funções executivas (córtex prefrontal) são as últimas a se maturarem. Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
  • 12. As crianças com autismo apresentam um aumento de substância cinzenta que não consegue chegar a maturação, sugerindo uma falha precoce no processo normal de desenvolvimento cerebral. Imagem da maturação cerebral entre as idades de 5 e 20 anos.
  • 13. Os cientistas acham que todo esse circuito elétrico pode afetar o tamanho do cérebro. Embora as crianças autistas nasçam com cérebros normais ou menores que o normal, elas passam por um período de rápido crescimento entre os 6 e 14 meses, por isso que, por volta dos quatro anos, o cérebro tende a ser grande para sua idade. Os defeitos genéticos nos fatores de crescimento do cérebro podem levar a esse desenvolvimento anormal do cérebro.
  • 14. Os cientistas acham que todo esse circuito elétrico pode afetar o tamanho do cérebro. Embora as crianças autistas nasçam com cérebros normais ou menores que o normal, elas passam por um período de rápido crescimento entre os 6 e 14 meses, por isso que, por volta dos quatro anos, o cérebro tende a ser grande para sua idade. Os defeitos genéticos nos fatores de crescimento do cérebro podem levar a esse desenvolvimento anormal do cérebro.
  • 15. Os cientistas acham que todo esse circuito elétrico pode afetar o tamanho do cérebro. Embora as crianças autistas nasçam com cérebros normais ou menores que o normal, elas passam por um período de rápido crescimento entre os 6 e 14 meses, por isso que, por volta dos quatro anos, o cérebro tende a ser grande para sua idade. Os defeitos genéticos nos fatores de crescimento do cérebro podem levar a esse desenvolvimento anormal do cérebro.
  • 16. • Os cientistas também descobriram irregularidades nas próprias estruturas do cérebro, como no corpo caloso, que facilita a comunicação entre os dois hemisférios do cérebro; na amígdala, que afeta o comportamento social e emocional; e no cerebelo, que está envolvido com as atividades motoras, o equilíbrio e a coordenação. Eles acreditam que essas anormalidades ocorrem durante o desenvolvimento pré-natal. O cérebro de uma criança com autismo apresenta alterações no corpo caloso, amígdala e cerebelo
  • 17. • Os cientistas também descobriram irregularidades nas próprias estruturas do cérebro, como no corpo caloso, que facilita a comunicação entre os dois hemisférios do cérebro; na amígdala, que afeta o comportamento social e emocional; e no cerebelo, que está envolvido com as atividades motoras, o equilíbrio e a coordenação. Eles acreditam que essas anormalidades ocorrem durante o desenvolvimento pré-natal. O cérebro de uma criança com autismo apresenta alterações no corpo caloso, amígdala e cerebelo
  • 18. • Os cientistas também descobriram irregularidades nas próprias estruturas do cérebro, como no corpo caloso, que facilita a comunicação entre os dois hemisférios do cérebro; na amígdala, que afeta o comportamento social e emocional; e no cerebelo, que está envolvido com as atividades motoras, o equilíbrio e a coordenação. Eles acreditam que essas anormalidades ocorrem durante o desenvolvimento pré-natal. Comparativa de cerebro normal con otro sin conexión entre mitades. (Foto: California Institute of Technology)
  • 19. Além disso, os cientistas perceberam desequilíbrios nos neurotransmissores, substâncias químicas que ajudam as células nervosas a se comunicarem. Dois dos neurotransmissores que parecem ser afetados são a serotonina, que afeta emoção e comportamento, e o glutamato, que tem um papel na atividade dos neurônios. Juntas, essas alterações do cérebro podem ser responsáveis pelos comportamentos do autista.
  • 20. Além disso, os cientistas perceberam desequilíbrios nos neurotransmissores, substâncias químicas que ajudam as células nervosas a se comunicarem. Dois dos neurotransmissores que parecem ser afetados são a serotonina, que afeta emoção e comportamento, e o glutamato, que tem um papel na atividade dos neurônios. Juntas, essas alterações do cérebro podem ser responsáveis pelos comportamentos do autista.
  • 21. TEORIA DA MENTE E INTERAÇAO SOCIAL O texto acima é um trecho da matéria "Pais racionais, crianças autistas". Para ler essa e outras reportagens na íntegra, adquira Mente e Cérebro 249 (Outubro).
  • 22. Os pesquisadores Uta Frith, do Instituto de Neurociência Cognitiva da Universidade College de Londres, e Simon Baron-Cohen, desenvolveram, na Inglaterra, uma hipótese para compreender o autismo do ponto de vista psicológico: a teoria da mente. Segundo essa tese, a principal anormalidade do autismo é a incapacidade de construir elaborações sobre a mente alheia. Existe no cérebro um circuito neuronal especializado que nos permite pensar sobre nós mesmos e sobre o outro – e assim criar formulações sofisticadas, prevendo o comportamento de seus semelhantes. Essa compreensão oferece respaldo à capacidade de cooperar e aprender com o próximo. Em suma, possibilita a interação social. A maioria das pessoas autistas, no entanto, não compreende que cada um tem os próprios pensamentos e pontos de vista e um modo único de ser. Consequentemente, elas não entendem crenças, emoções e atitudes alheias. O texto acima é um trecho da matéria "Pais racionais, crianças autistas". Para ler essa e outras reportagens na íntegra, adquira Mente e Cérebro 249 (Outubro).
  • 23. • Para explicar alguns sintomas secundários do autismo – hipersensibilidade, ausência de contato visual, aversão a determinados sons – foi criada a teoria do mapa topográfico emocional. • Na criança sem o transtorno, as informações sensoriais são enviadas para a amígdala, a porta de entrada do sistema límbico, uma área responsável pelo processamento de emoções. Usando o conhecimento armazenado, a amígdala determina a resposta emocional que deve dar a cada estímulo que recebe e, com o tempo, cria um mapa topográfico dos significados emocionais do ambiente. • Naqueles que sofrem do distúrbio do espectro autista, porém, as conexões entre amígdala e áreas sensoriais tendem a apresentar distorções, o que na prática resulta em reações emocionais extremadas a estímulos e fatos sem importância e descaso em relação ao que é fundamental para as outras pessoas.
  • 24. AREA DA FALA e AUTISMO
  • 25. Ao ouvir alguém, regiões azuis do cérebro identificam o falante; área vermelha interpreta conteúdo da fala. (Foto: Divulgação/Science)
  • 26. Em comparação com o cerebro controle (acima) , o cerebro autista ( abaixo) mostra uma sincronização interhemisférica mais fraca em varias áreas, em particular na circunvolução temporal superior ( azul claro) e no giro frontal inferior ( roxo). http://www.taringa.net/posts/ciencia-educacion/15154793/Israel-Cientificos-descubren-anormalidad-en-Autismo.html
  • 27. O cérebro autista não descansa Estudo sugere que alguns déficits associados aos autismo estão relacionados a um falha no funcionamento da “rede neuronal de repouso” El cerebro autista (drcha.) no se activa durante el reposo en comparación con el cerebro de un individuo sin el trastrono (izqda.). (Foto: PNAS) http://www.elmundo.es/elmundosalud/2006/05/11/neurociencia/1147363510.html
  • 28. Cérebro autista e cérebro normal http://www.creces.cl/new/index.asp?imat=%20%20%3E%20%2075&tc=3&nc=5&art=1203
  • 29. Estudo realizado pela Universidade de Yale com 62 crianças de 4 a 17 anos , demonstrou que nos afetados com o autismo tinha regiões do cerebros com menor atividade, sobretudo áreas relacionadas com aquisiçao da linguagem, a comunicaçao social e dos movimentos . http://depsicologia.com/autismo-investigaciones-con-resonacias-magneticas-funcionales/
  • 30. Por que o autista tem mania de morder? Resposta = A criança autista tem uma desordem sensorial, ou seja, tem alteração na apreensão do mundo pelos órgãos dos sentidos. As crianças captam as informações do meio através de órgãos que estão menos comprometidos, do ponto de vista do processamento das informações. Como todos sabemos o processamento auditivo esta via de regra com prejuízo, a sensibilidade esta desorganizada. Assim, captam e tentar entender o mundo pela visão e pelo olfato. Ao ter contato com um objeto, aproximam do rosto para ver o que é e cheiram. O morder é mais um aspecto do tentar entender o que seria este objeto.
  • 31. Porque o autista gosta de bater e gritar? Na verdade o autista não gosta de bater e gritar. O que acontece é que no autista há uma desproporção entre os circuitos excitatórios em relação aos inibitórios no sistema nervoso central, sendo que isto pode até levar a grande parte deles terem disparos elétricos que chamamos de crises epilépticas. Assim, os autistas reagem aos estímulos de forma a sentir uma descarga elétrica, com comportamento inquieto e agitado ao observarmos. A movimentação continuada, agitada e inquieta que nos parece que está batendo e por vezes gritando, seria uma expressão corporal, reflexo do estado interno de excitação psíquica extrema.
  • 32. As vezes, tenho a sensação de que a medicação deixa meu filho mais agitado. Devo continuar dando os remédios ? A medicação pode deixar a criança mais agitada em algumas fases do tratamento. Isto deve ser reportado ao medico assistente para o ajuste da dose das medicações.
  • 33. O que fazer com os problemas do sono ? Sabemos que muitos dos autistas tem problemas do sono, principalmente para iniciar o sono, já que a noite parecem que ficam mais agitados. Criar um habito de desligar a luz certa hora, e todos irem para cama num determinado horário, pode ajudar a faze-lo entender que esta e a hora de diminuir o ritmo para desligar. Coloca-lo na cama e cantar algo pode ser uma ideia interessante. Muitas vezes tudo isto e inútil, sabemos. As crianças utilizam medicações e suplementos para tentar ajustar o ciclo sono vigília das crianças. Porém os hábitos e rotinas para uma sono saudável devem sempre ser seguidas.
  • 34. MUITO OBRIGADO CONTATO : WWW.CLINICAMEDICAASSIS.COM.BR EMAIL: CENTROMEDICOLEANDRO@HOTMAIL.COM FACEBOOK. COM/CLINICAMEDICAASSIS FACEBOOK.COM/LEONARDOMARANHÃO