SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 36
Baixar para ler offline
TEXTO ÁUREO
“Mas, como é santo aquele que
vos chamou, sede vós também
santos em toda a vossa
maneira de viver.”
(1 Pe 1.15)
VERDADE PRÁTICA
Cremos na necessidade e na
possibilidade de termos uma
vida santa e irrepreensível por
obra do Espírito Santo, que nos
capacita a viver como fiéis
testemunhas de Jesus Cristo.
LEITURA BÍBLICA
1 Pedro 1.13-22
13 - Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento,
sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos
ofereceu na revelação de Jesus Cristo,
14 - como filhos obedientes, não vos conformando com as
concupiscências que antes havia em vossa ignorância;
15 - mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós
também santos em toda a vossa maneira de viver,
16 - porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou
santo.
17 - E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de
pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor,
durante o tempo da vossa peregrinação,
18 - sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como
prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de
viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais,
19 - mas com o precioso sangue de Cristo, como de um
cordeiro imaculado e incontaminado,
20 - o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido,
ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado,
nestes últimos tempos, por amor de vós;
21 - e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos
e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem
em Deus.
22 - Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para
amor fraternal, não fingido, amai-vos ardentemente uns aos
outros, com um coração puro.
INTRODUÇÃO
INTRODUÇÃO
• Quando o pecador se arrepende e aceita Jesus como seu
Salvador pessoal, ele é justificado e adotado na família
de Deus.
• A santificação é progressiva, pois esse processo continua
na vida do crente.
• O presente estudo pretende explicar a necessidade e a
possibilidade de uma vida santa
PONTO CENTRAL
É necessário e, principalmente,
possível vivermos uma vida
santa.
I - DEFININDO OS
TERMOS
1. A santidade de Deus
• Essa santidade é absoluta, pois Deus é santo em seu
caráter e essência (Am 4.2; 6.8).
• A santidade é característica fundamental de Deus (Is 6.3;
Ap 4.8).
• Ele é singular (majestade infinita; Ser totalmente distinto
e separado, em pureza, de suas criaturas - Sl 99.1-5).
• Essa santidade é a plenitude gloriosa da excelência moral
de Deus, que existe nEle e que nEle se originou, não
tendo sido derivada de ninguém: "Não há santo como é
o SENHOR [...]" (1 Sm 2.2).
2. Significado
• O verbo hebraico qadash,"ser santo", e seus derivados
"santo, santificar, dedicar, consagrar", no Antigo
Testamento, significam "separar".
• Quando aplicado à religião de Israel, tem a ideia de
"separar para Deus, retirar do uso comum“ (Lv 10.10).
Isso vale para:
• lugares (Êx 3.5);
• casas e campos (Lv 17.14,16);
• utensílios e animais (Lv 8.10,11; 10.12,13,17);
• Peças do Templo (Mt 23.17,19);
• pessoas (Êx 28.41);
• dias santos, festas, entre outros.
2. Significado
• Assim, o sentido de santidade é de afastar-se de tudo o
que é pecaminoso, de tudo o que contamina.
• A Septuaginta traduz qadosh,"santo", pelo termo grego
hagíos, "santo".
• Há outro termo menos comum, mas igualmente
importante, taher, "purificar", e seu cognato katharizo,
no grego, usado na Septuaginta e no Novo Testamento
nos sentidos cerimonial e moral.
3. Exclusividade
• Dizer que qualquer coisa, objeto ou pessoa é consagrada,
separada ou dedicada a Deus significa dizer que isso
pertence exclusivamente a Ele (Êx 13.2; Êx 30.30; Lv
20.26).
• O que é sagrado não pode ter uso comum; o azeite da
unção e o incenso do santuário não podiam ter outro uso
(Êx 30.33,38).
• Os rituais de consagração são representações visuais de
verdades espirituais reveladas no NT(Cl 2.17; Hb 8.5;
9.9).
AP – Você se considera propriedade exclusiva de Deus?
SÍNTESE DO TÓPICO
O nosso chamado para ser santo,
isto é, afastar-se de tudo aquilo
que é pecaminoso, está baseado
na santidade de Deus.
Subsídio didático – Verdades sobre o ES:
Este tópico tem uma característica conceitual, por esse motivo sugerimos que o
prezado professor, a prezada professora, estude bem os termos tanto do Antigo
quanto do Novo Testamento para o termo "santo". Nesta oportunidade,
disponibilizamos o conceito exegético desse termo:
"Santo [Antigo Testamento]. qõdesh: 'santidade, coisa santa, santuário'. Este
substantivo ocorre 469 vezes com os significados de: 'santidade' (Êx 15.11), 'coisas
santas' (Nm 4.15, ARA) e 'santuário' (Êx 36.4).
Santo (Novo Testamento): hagiasmos, é traduzido em Rm 6.19,22; 1 Ts 4.7; 1 Tm
2.15; Hb 12.14 por 'santificação'. Significa: (a) separação para Deus (1 Co 1.30; 2 Ts
2.13; 1 Pe 1.2); (b) o estado resultante, a conduta que convém àqueles que são
separados (1 Ts 4.3,4,7; e os quatro primeiros textos citados acima). A 'santificação'
é, pois, o estado predeterminado por Deus para os crentes, no qual Ele pela graça os
chama, e no qual eles começam o curso cristão e assim o buscam. Por conseguinte,
eles são chamados 'santos' (hagioi)" (VINE, W. E.; UNGER, Merril F. (et all). Dicionário
Vine: O Significado Exegético e Expositivos das Palavras do Antigo e do Novo
Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, pp.281,970).
II - A NECESSIDADE
DE TERMOS UMA
VIDA SANTA
1. Israel
• O apelo à santidade diz respeito à pureza da nação de
Israel para manter o povo distante da idolatria, da
prostituição e de outras práticas pecaminosas.
• Deus escolheu Israel para ser sua propriedade particular
dentre todos os povos, reino sacerdotal e povo santo (Êx
19.5,6).
• O estilo de vida dos israelitas devia estar de acordo com
a santidade do seu Deus (Lv 19.2; Lv 11.44).
• O mesmo se aplica a toda pessoa que se diz serva de
Deus.
AP – xx?
2. A Igreja
• Os três propósitos de Deus com Israel são os mesmos
para a Igreja: "sacerdócio real, nação santa e povo
adquirido“ (1 Pe 2.9).
• Assim como os israelitas, fomos chamados por Deus e
separados para o seu serviço.
• Desde os tempos do AT, a idolatria e a prostituição
sempre caminharam juntas (Jz 8.33; Os 4.13,14). Esses
são os mesmos desafios da igreja hoje (1 Ts 4.3; 1 Co
6.18; 10.14).
AP – Até que ponto você tem se envolvido com a obra de
Deus?
3. Uma exigência natural
• Santidade é uma exigência mais do que natural porque
Deus é Santo (1 Pe 1.15,16; Lc 1.35; Jo 6.69).
• Da mesma maneira como Deus chamou o povo de Israel
para viver em santidade, assim também o Senhor Jesus
nos chamou para vivermos uma vida santa.
• Israel precisava viver longe das práticas imorais dos
cananeus, nós, da mesma forma devemos nos abster da
prostituição.
• Não podemos tomar a “forma” do mundo (Rm 12.2)
AP – Você tem buscado a santificação?
SÍNTESE DO TÓPICO
Da mesma forma que Deus
separou Israel para ser santo, Ele
separou a Igreja para ser santa.
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
"Quem subirá ao monte do Senhor Quem estará no seu lugar santo?
'Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a
sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção
do Senhor e justiça do Deus da sua salvação' ([Sl 24]vv.3,4).
Estou profundamente convencido de que oração pelo reavivamento é
uma ofensa diante de Deus se não tivermos um coração puro. É quase
uma blasfêmia ousar entrar na presença do Deus santo e pedir que
nos abençoe se os nossos corações não estiverem puros diante dEle. A
oração pelo reavivamento tem um pré-requisito. Quem subirá ao
monte do Senhor? Quem estará no seu lugar santo? Quem estará em
sua presença? Quem estará na sala do trono - o santo dos santos -
conforme descreve Hebreus 10?" (BLACKABY, Henry. Santidade: O
plano de Deus para uma vida abundante. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD,
2015, pp.77-78).
III - A POSSIBILIDADE
DE TERMOS UMA
VIDA SANTA
1. A santificação posicional
• A santificação é posicional porque acontece uma
mudança no ser humano, de pecador para santificado
em Cristo (At 26.18; 1 Co 1.2).
• Os justificados são reconhecidos como santos no NT (At
9.13,32,41; Rm 1.7).
• Com a justificação o pecador é santificado (1 Co 1.30; Hb
10.10,14; Jo 17.17; 1 Co 6.11; 1 Pe 1.2), mas sua
manutenção deve mantida por meio de uma vida
progressiva de santificação.
2. A santificação real
• A cada dia avançamos em santidade (2 Co 3.18).
• Observe que havia crentes carnais na Igreja de Corinto (1
Co 3.3) e, mesmo assim, eles são considerados "santos",
por isso precisavam de crescimento espiritual (2 Pe 3.18).
• De igual modo, o apóstolo Pedro exorta à santificação (1
Pe 1.15,16) os mesmos que ele antes chama "santos" (1
Pe 1.2).
• Os salvos são nascidos de Deus (1 Jo 4.7; 5.1) e o Espírito
Santo habita neles (Jo 14.17; 2 Tm 1.14).
AP – Você já refletiu sobre esse privilégio?
3. A santificação futura
• É o terceiro aspecto da santificação, conhecido também
como "glorificação" (Fp 3.11).
• Na ressurreição, seremos completos, e isso é extensivo à
santificação, quando o Senhor Jesus declara "que
transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o
seu corpo glorioso" (Fp 3.21).
• É nessa ocasião que veremos a Deus como Ele é (1 Jo
3.2). Essa é a nossa esperança.
AP – Você mantém essa esperança?
4. É possível ser santo?
• Sim! É possível. O desejo de todo cristão deve ser
parecer com Jesus, a semelhança de sua vida santa.
• A vida santa inicia com o arrependimento e confissão do
nome de Jesus (Rm 10.9,10).
• Assim, Deus disponibilizou três meios para a santificação:
• o sangue de Jesus (Hb 13.12);
• o Espírito Santo (2 Ts 2.13); e
• a própria Palavra de Deus (Jo 17.17; Ef 5.26).
• O Senhor nos forneceu todos os recursos necessários
para uma vida santa, mas a atitude deve ser do cristão.
SÍNTESE DO TÓPICO
A santificação tem uma
perspectiva passada, presente e
futura, destacando a suficiência
do sacrifício de Cristo.
SUBSÍDIO TEOLÓGICO
"No mundo, os crentes são forasteiros e peregrinos (Hb 11.13; 1 Pe
2.11). (a) Não devem pertencer ao mundo (Jo 15.9), não se conformar
com o mundo (ver Rm 12.2), não amar para o mundo (2.15), vencer o
mundo (5.4), odiar a iniquidade do mundo (ver Hb 1.9), morrer para o
mundo e ao Pai ao mesmo tempo (Mt 6.24; Lc 16.13; ver Tg 4.4). Amar
o mundo significa estar em estreita comunhão com ele e dedicar-se
aos seus valores, interesses, caminhos e prazeres. Significa ter prazer e
satisfação naquilo que ofende a Deus e que se opõe a Ele (Lc 23.35).
Note, é claro, que os termos 'mundo' e 'terra' não são sinônimos; Deus
não proíbe o amor à terra criada, i.e., à natureza, às montanhas, às
florestas, etc" (ARRINGTON, French L; SRONSTAD, Roger. Comentário
Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, pp.1957-
58).
CONSIDERAÇÕES
FINAIS
CONSIDERAÇÕES FINAIS
Nesta lição nós aprendemos que:
1. Com a justificação vem a santificação, que deve ser
preservada, pois é um processo (progressivo).
2. O nosso dever não consiste apenas em nos afastar do
pecado, mas também pregar o evangelho e com nossa
maneira de viver, assim como fizeram os primeiros
cristãos.
BERGSTÉN, Eurico. Introdução à Teologia Sistemática. Rio de Janeiro: CPAD,
1999.
BLACKABY, Henry. Santidade: O plano de Deus para uma vida abundante.
1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2015.
COMENTÁRIO BÍBLICO BEACON. Rio de Janeiro: CPAD, 2005.
DEVER, M. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008.
DICIONÁRIO VINE: O significado exegético e expositivo das palavras do
Antigo e do Novo Testamento. 14.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2011.
GILBERTO, Antonio. Teologia Sistemática Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD,
2008.
HORTON, Stanley. Teologia Sistemática: Uma perspectiva pentecostal. 1.ed.
Rio de Janeiro: CPAD, 1996
LIÇÕES BÍBLICAS ADULTOS. A razão de nossa fé: assim cremos, assim
vivemos. 3º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro, CPAD, 2017.
REFERÊNCIAS
MENZIES, William; HORTON, Stanley M. Doutrinas Bíblica: Os fundamentos
da nossa fé. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010.
RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a
Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012.
RICHARDS, Lawrence. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento.
Rio de Janeiro: CPAD, 2007.
SOARES, Esequias. A razão de nossa fé: assim cremos, assim vivemos. Rio de
Janeiro: CPAD, 2017.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F. (et all). Dicionário Vine: O Significado Exegético
e Expositivos das Palavras do Antigo e do Novo Testamento. Rio de Janeiro:
CPAD, 2002.
REFERÊNCIAS
Pr. Natalino das Neves
www.natalinodasneves.blogspot.com.br
Facebook: www.facebook.com/natalino.neves
Contatos:
natalino6612@gmail.com
(41) 98409 8094 (TIM)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximoLição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximoErberson Pinheiro
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoNatalino das Neves Neves
 
Lição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivos
Lição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivosLição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivos
Lição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivosÉder Tomé
 
Lição 09 a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09  a necessidade de termos uma vida santaLição 09  a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09 a necessidade de termos uma vida santaPr. Andre Luiz
 
Lição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de CristoLição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de CristoÉder Tomé
 
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorÉder Tomé
 
Lição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem LevíticaLição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem LevíticaÉder Tomé
 
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimentoLição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimentoErberson Pinheiro
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaÉder Tomé
 
Lição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem Superior
Lição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem SuperiorLição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem Superior
Lição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem SuperiorÉder Tomé
 
LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximo
LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximoLBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximo
LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximoNatalino das Neves Neves
 
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo Erberson Pinheiro
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimento
LBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimentoLBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimento
LBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimentoNatalino das Neves Neves
 
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoLição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoErberson Pinheiro
 
Lição 7 - Missões no Antigo Testamento
Lição 7 - Missões no Antigo TestamentoLição 7 - Missões no Antigo Testamento
Lição 7 - Missões no Antigo TestamentoÉder Tomé
 
Lição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de DeusLição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de DeusÉder Tomé
 
Lição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em CristoLição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em CristoAilton da Silva
 
Lição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a MoisésLição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a MoisésÉder Tomé
 

Mais procurados (20)

Lição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximoLição 13 - O tempo de deus está próximo
Lição 13 - O tempo de deus está próximo
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristoLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 8 - A igreja de cristo
 
igreja de tiatira
 igreja de tiatira igreja de tiatira
igreja de tiatira
 
Lição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivos
Lição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivosLição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivos
Lição 09 - A Fé que nos une a Deus e nos torna produtivos
 
Lição 09 a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09  a necessidade de termos uma vida santaLição 09  a necessidade de termos uma vida santa
Lição 09 a necessidade de termos uma vida santa
 
Lição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de CristoLição 08 - A Igreja de Cristo
Lição 08 - A Igreja de Cristo
 
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do SenhorLição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
Lição 8 - A ordenança da Ceia do Senhor
 
Lição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem LevíticaLição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem Levítica
Lição 5 - Cristo é Superior a Arão e à Ordem Levítica
 
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimentoLição 7 - A necessidade do novo nascimento
Lição 7 - A necessidade do novo nascimento
 
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova AliançaLição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
Lição 9 - Contraste na adoração da Antiga e Nova Aliança
 
Lição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem Superior
Lição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem SuperiorLição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem Superior
Lição 7 - Jesus - Sumo Sacerdote de uma Ordem Superior
 
LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximo
LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximoLBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximo
LBJ 2017 3 TRI LIÇÃO 13 - O tempo de deus está próximo
 
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
Lição 13 - A perseverança do discípulo de jesus cristo
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimento
LBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimentoLBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimento
LBA 2017 3 TRI LIÇÃ 7 - A necessidade do novo nascimento
 
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santoLição 10 - As manifestações do espírito santo
Lição 10 - As manifestações do espírito santo
 
Lição 7 - Missões no Antigo Testamento
Lição 7 - Missões no Antigo TestamentoLição 7 - Missões no Antigo Testamento
Lição 7 - Missões no Antigo Testamento
 
Lição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de DeusLição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de Deus
Lição 4 - Jesus é Superior a Josué - O meio de entrar no Repouso de Deus
 
Lição 5 Hebreus
Lição 5   Hebreus Lição 5   Hebreus
Lição 5 Hebreus
 
Lição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em CristoLição 13 - Glorificados em Cristo
Lição 13 - Glorificados em Cristo
 
Lição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a MoisésLição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a Moisés
Lição 3 - A Superioridade de Jesus em relação a Moisés
 

Semelhante a LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa

Lição 9 - A necessidade de Termos uma Vida Santa
Lição 9 - A necessidade de Termos uma Vida SantaLição 9 - A necessidade de Termos uma Vida Santa
Lição 9 - A necessidade de Termos uma Vida SantaI.A.D.F.J - SAMAMABAIA SUL
 
A necessidade de termos uma vida santa
A necessidade de termos uma vida santaA necessidade de termos uma vida santa
A necessidade de termos uma vida santaHamilton Souza
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09Joel Silva
 
2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptx
2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptx2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptx
2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptxJoel Silva
 
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do EspíritoLição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do EspíritoÉder Tomé
 
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)Éder Tomé
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósÉder Tomé
 
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptxLição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptxCelso Napoleon
 
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoLBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoNatalino das Neves Neves
 
Aula 03 a ceia do senhor - santidade para o site
Aula 03   a ceia do senhor - santidade para o siteAula 03   a ceia do senhor - santidade para o site
Aula 03 a ceia do senhor - santidade para o sitepbmarcelo
 
A santidade e a santificação do crente
A santidade e a santificação do crenteA santidade e a santificação do crente
A santidade e a santificação do crenteEder L. Souza
 
Lição 08- A IGREJA DE CRISTO
Lição 08-  A IGREJA DE CRISTOLição 08-  A IGREJA DE CRISTO
Lição 08- A IGREJA DE CRISTOMarcio de Medeiros
 
2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espirito - witness lee
2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espirito - witness lee2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espirito - witness lee
2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espirito - witness leeCleiton Tenório
 
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉHISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉjoaquim2010_2011
 
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeLição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeÉder Tomé
 
Lição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao SenhorLição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao SenhorÉder Tomé
 

Semelhante a LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa (20)

Lição 9 - A necessidade de Termos uma Vida Santa
Lição 9 - A necessidade de Termos uma Vida SantaLição 9 - A necessidade de Termos uma Vida Santa
Lição 9 - A necessidade de Termos uma Vida Santa
 
A necessidade de termos uma vida santa
A necessidade de termos uma vida santaA necessidade de termos uma vida santa
A necessidade de termos uma vida santa
 
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
 
2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptx
2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptx2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptx
2021 1º Trimestre Adulto Lição 06.pptx
 
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do EspíritoLição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito
 
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
Lição 6 - Santificação: Comprometidos com a Ética do Espírito (Windscreen)
 
Santidade
SantidadeSantidade
Santidade
 
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nósLição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
Lição 10 - Santificação: vontade e chamado de Deus para nós
 
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptxLição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
Lição 10: O Avivamento na vida pessoal.pptx
 
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvaçãoLBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
LBA LIÇÃO 9 - Arrependimento e fé para salvação
 
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deusInstitutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
Institutogamaliel.com santificao exigncia-de_deus
 
Aula 03 a ceia do senhor - santidade para o site
Aula 03   a ceia do senhor - santidade para o siteAula 03   a ceia do senhor - santidade para o site
Aula 03 a ceia do senhor - santidade para o site
 
A santidade e a santificação do crente
A santidade e a santificação do crenteA santidade e a santificação do crente
A santidade e a santificação do crente
 
Lição 08- A IGREJA DE CRISTO
Lição 08-  A IGREJA DE CRISTOLição 08-  A IGREJA DE CRISTO
Lição 08- A IGREJA DE CRISTO
 
2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espirito - witness lee
2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espirito - witness lee2 coríntios   autobiografia de uma pessoa no espirito - witness lee
2 coríntios autobiografia de uma pessoa no espirito - witness lee
 
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉHISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
HISTÓRIA DO MINISTÉRIO PENTECOSTAL ROMPENDO EM FÉ
 
O espirito santo de deus
O  espirito  santo  de  deusO  espirito  santo  de  deus
O espirito santo de deus
 
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e IntegridadeLição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
 
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
Aulas 01 04-cristao_frutifero2013
 
Lição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao SenhorLição 5 - Santidade ao Senhor
Lição 5 - Santidade ao Senhor
 

Mais de Natalino das Neves Neves

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)Natalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTONatalino das Neves Neves
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSNatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULONatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINANatalino das Neves Neves
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaNatalino das Neves Neves
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoNatalino das Neves Neves
 

Mais de Natalino das Neves Neves (20)

LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
LIÇÃO 13_A santa Ceia, o amor e a ressurreição (I Co 11-15)
 
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
LIÇÃO 12 - Da circuncisão e dos alimentos sacrificados aos ídolos (1 Co 7-8)
 
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
LIÇÃO 11 - Paulo responde questões a respeito do casamento (1 Co 7)
 
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTOLIÇÃO 10 -  SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
LIÇÃO 10 - SEU CORPO É MEMBRO DE CRISTO
 
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOSLIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
LIÇÃO 9 - PAULO CENSURA A CONTENDA ENTRE IRMÃOS
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 8 -  A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 8 - A IMPUREZA DA IGREJA DE CORINTO
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PROJEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTOPRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
PRELEÇÃO_LIÇÃO 7 – É DEUS QUE DÁ O CRESCIMENTO
 
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PRELEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOSPROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
PROJEÇÃO_LIÇÃO 6 - A IMATURIDADE ESPIRITUAL DOS CORÍNTIOS
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULOPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 5 - O CARÁTER DA PREGAÇÃO DE PAULO
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PROJEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINAPRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
PRELEÇÃO_JOVENS_LIÇÃO 4 - A SABEDORIA DIVINA
 
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na IgrejaPROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
PROJEÇÃO_JOVENS_LIção 3 - Divisões na Igreja
 
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na IgrejaPRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
PRELEÇÃO_JOVENS_Lição 3 - Divisões na Igreja
 
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoPreleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Preleção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de CorintoProjeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
Projeção_2021 2 tri_lbj_licao_2_Ação de Graças pela Igreja de Corinto
 
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
2021 2 tri_lbj_licao_1_prelecao
 

Último

LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxrenatacolbeich1
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 

Último (20)

LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptxAULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
AULA 7 - REFORMA PROTESTANTE SIMPLES E BASICA.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 

LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa

  • 1.
  • 2.
  • 3. TEXTO ÁUREO “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver.” (1 Pe 1.15)
  • 4. VERDADE PRÁTICA Cremos na necessidade e na possibilidade de termos uma vida santa e irrepreensível por obra do Espírito Santo, que nos capacita a viver como fiéis testemunhas de Jesus Cristo.
  • 6. 13 - Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, 14 - como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; 15 - mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, 16 - porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. 17 - E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,
  • 7. 18 - sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, 19 - mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, 20 - o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós; 21 - e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus. 22 - Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para amor fraternal, não fingido, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro.
  • 9. INTRODUÇÃO • Quando o pecador se arrepende e aceita Jesus como seu Salvador pessoal, ele é justificado e adotado na família de Deus. • A santificação é progressiva, pois esse processo continua na vida do crente. • O presente estudo pretende explicar a necessidade e a possibilidade de uma vida santa
  • 10. PONTO CENTRAL É necessário e, principalmente, possível vivermos uma vida santa.
  • 11. I - DEFININDO OS TERMOS
  • 12. 1. A santidade de Deus • Essa santidade é absoluta, pois Deus é santo em seu caráter e essência (Am 4.2; 6.8). • A santidade é característica fundamental de Deus (Is 6.3; Ap 4.8). • Ele é singular (majestade infinita; Ser totalmente distinto e separado, em pureza, de suas criaturas - Sl 99.1-5). • Essa santidade é a plenitude gloriosa da excelência moral de Deus, que existe nEle e que nEle se originou, não tendo sido derivada de ninguém: "Não há santo como é o SENHOR [...]" (1 Sm 2.2).
  • 13. 2. Significado • O verbo hebraico qadash,"ser santo", e seus derivados "santo, santificar, dedicar, consagrar", no Antigo Testamento, significam "separar". • Quando aplicado à religião de Israel, tem a ideia de "separar para Deus, retirar do uso comum“ (Lv 10.10). Isso vale para: • lugares (Êx 3.5); • casas e campos (Lv 17.14,16); • utensílios e animais (Lv 8.10,11; 10.12,13,17); • Peças do Templo (Mt 23.17,19); • pessoas (Êx 28.41); • dias santos, festas, entre outros.
  • 14. 2. Significado • Assim, o sentido de santidade é de afastar-se de tudo o que é pecaminoso, de tudo o que contamina. • A Septuaginta traduz qadosh,"santo", pelo termo grego hagíos, "santo". • Há outro termo menos comum, mas igualmente importante, taher, "purificar", e seu cognato katharizo, no grego, usado na Septuaginta e no Novo Testamento nos sentidos cerimonial e moral.
  • 15. 3. Exclusividade • Dizer que qualquer coisa, objeto ou pessoa é consagrada, separada ou dedicada a Deus significa dizer que isso pertence exclusivamente a Ele (Êx 13.2; Êx 30.30; Lv 20.26). • O que é sagrado não pode ter uso comum; o azeite da unção e o incenso do santuário não podiam ter outro uso (Êx 30.33,38). • Os rituais de consagração são representações visuais de verdades espirituais reveladas no NT(Cl 2.17; Hb 8.5; 9.9). AP – Você se considera propriedade exclusiva de Deus?
  • 16. SÍNTESE DO TÓPICO O nosso chamado para ser santo, isto é, afastar-se de tudo aquilo que é pecaminoso, está baseado na santidade de Deus.
  • 17. Subsídio didático – Verdades sobre o ES: Este tópico tem uma característica conceitual, por esse motivo sugerimos que o prezado professor, a prezada professora, estude bem os termos tanto do Antigo quanto do Novo Testamento para o termo "santo". Nesta oportunidade, disponibilizamos o conceito exegético desse termo: "Santo [Antigo Testamento]. qõdesh: 'santidade, coisa santa, santuário'. Este substantivo ocorre 469 vezes com os significados de: 'santidade' (Êx 15.11), 'coisas santas' (Nm 4.15, ARA) e 'santuário' (Êx 36.4). Santo (Novo Testamento): hagiasmos, é traduzido em Rm 6.19,22; 1 Ts 4.7; 1 Tm 2.15; Hb 12.14 por 'santificação'. Significa: (a) separação para Deus (1 Co 1.30; 2 Ts 2.13; 1 Pe 1.2); (b) o estado resultante, a conduta que convém àqueles que são separados (1 Ts 4.3,4,7; e os quatro primeiros textos citados acima). A 'santificação' é, pois, o estado predeterminado por Deus para os crentes, no qual Ele pela graça os chama, e no qual eles começam o curso cristão e assim o buscam. Por conseguinte, eles são chamados 'santos' (hagioi)" (VINE, W. E.; UNGER, Merril F. (et all). Dicionário Vine: O Significado Exegético e Expositivos das Palavras do Antigo e do Novo Testamento. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2002, pp.281,970).
  • 18.
  • 19. II - A NECESSIDADE DE TERMOS UMA VIDA SANTA
  • 20. 1. Israel • O apelo à santidade diz respeito à pureza da nação de Israel para manter o povo distante da idolatria, da prostituição e de outras práticas pecaminosas. • Deus escolheu Israel para ser sua propriedade particular dentre todos os povos, reino sacerdotal e povo santo (Êx 19.5,6). • O estilo de vida dos israelitas devia estar de acordo com a santidade do seu Deus (Lv 19.2; Lv 11.44). • O mesmo se aplica a toda pessoa que se diz serva de Deus. AP – xx?
  • 21. 2. A Igreja • Os três propósitos de Deus com Israel são os mesmos para a Igreja: "sacerdócio real, nação santa e povo adquirido“ (1 Pe 2.9). • Assim como os israelitas, fomos chamados por Deus e separados para o seu serviço. • Desde os tempos do AT, a idolatria e a prostituição sempre caminharam juntas (Jz 8.33; Os 4.13,14). Esses são os mesmos desafios da igreja hoje (1 Ts 4.3; 1 Co 6.18; 10.14). AP – Até que ponto você tem se envolvido com a obra de Deus?
  • 22. 3. Uma exigência natural • Santidade é uma exigência mais do que natural porque Deus é Santo (1 Pe 1.15,16; Lc 1.35; Jo 6.69). • Da mesma maneira como Deus chamou o povo de Israel para viver em santidade, assim também o Senhor Jesus nos chamou para vivermos uma vida santa. • Israel precisava viver longe das práticas imorais dos cananeus, nós, da mesma forma devemos nos abster da prostituição. • Não podemos tomar a “forma” do mundo (Rm 12.2) AP – Você tem buscado a santificação?
  • 23. SÍNTESE DO TÓPICO Da mesma forma que Deus separou Israel para ser santo, Ele separou a Igreja para ser santa.
  • 24. SUBSÍDIO TEOLÓGICO "Quem subirá ao monte do Senhor Quem estará no seu lugar santo? 'Aquele que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à vaidade, nem jura enganosamente. Este receberá a bênção do Senhor e justiça do Deus da sua salvação' ([Sl 24]vv.3,4). Estou profundamente convencido de que oração pelo reavivamento é uma ofensa diante de Deus se não tivermos um coração puro. É quase uma blasfêmia ousar entrar na presença do Deus santo e pedir que nos abençoe se os nossos corações não estiverem puros diante dEle. A oração pelo reavivamento tem um pré-requisito. Quem subirá ao monte do Senhor? Quem estará no seu lugar santo? Quem estará em sua presença? Quem estará na sala do trono - o santo dos santos - conforme descreve Hebreus 10?" (BLACKABY, Henry. Santidade: O plano de Deus para uma vida abundante. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2015, pp.77-78).
  • 25. III - A POSSIBILIDADE DE TERMOS UMA VIDA SANTA
  • 26. 1. A santificação posicional • A santificação é posicional porque acontece uma mudança no ser humano, de pecador para santificado em Cristo (At 26.18; 1 Co 1.2). • Os justificados são reconhecidos como santos no NT (At 9.13,32,41; Rm 1.7). • Com a justificação o pecador é santificado (1 Co 1.30; Hb 10.10,14; Jo 17.17; 1 Co 6.11; 1 Pe 1.2), mas sua manutenção deve mantida por meio de uma vida progressiva de santificação.
  • 27. 2. A santificação real • A cada dia avançamos em santidade (2 Co 3.18). • Observe que havia crentes carnais na Igreja de Corinto (1 Co 3.3) e, mesmo assim, eles são considerados "santos", por isso precisavam de crescimento espiritual (2 Pe 3.18). • De igual modo, o apóstolo Pedro exorta à santificação (1 Pe 1.15,16) os mesmos que ele antes chama "santos" (1 Pe 1.2). • Os salvos são nascidos de Deus (1 Jo 4.7; 5.1) e o Espírito Santo habita neles (Jo 14.17; 2 Tm 1.14). AP – Você já refletiu sobre esse privilégio?
  • 28. 3. A santificação futura • É o terceiro aspecto da santificação, conhecido também como "glorificação" (Fp 3.11). • Na ressurreição, seremos completos, e isso é extensivo à santificação, quando o Senhor Jesus declara "que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso" (Fp 3.21). • É nessa ocasião que veremos a Deus como Ele é (1 Jo 3.2). Essa é a nossa esperança. AP – Você mantém essa esperança?
  • 29. 4. É possível ser santo? • Sim! É possível. O desejo de todo cristão deve ser parecer com Jesus, a semelhança de sua vida santa. • A vida santa inicia com o arrependimento e confissão do nome de Jesus (Rm 10.9,10). • Assim, Deus disponibilizou três meios para a santificação: • o sangue de Jesus (Hb 13.12); • o Espírito Santo (2 Ts 2.13); e • a própria Palavra de Deus (Jo 17.17; Ef 5.26). • O Senhor nos forneceu todos os recursos necessários para uma vida santa, mas a atitude deve ser do cristão.
  • 30. SÍNTESE DO TÓPICO A santificação tem uma perspectiva passada, presente e futura, destacando a suficiência do sacrifício de Cristo.
  • 31. SUBSÍDIO TEOLÓGICO "No mundo, os crentes são forasteiros e peregrinos (Hb 11.13; 1 Pe 2.11). (a) Não devem pertencer ao mundo (Jo 15.9), não se conformar com o mundo (ver Rm 12.2), não amar para o mundo (2.15), vencer o mundo (5.4), odiar a iniquidade do mundo (ver Hb 1.9), morrer para o mundo e ao Pai ao mesmo tempo (Mt 6.24; Lc 16.13; ver Tg 4.4). Amar o mundo significa estar em estreita comunhão com ele e dedicar-se aos seus valores, interesses, caminhos e prazeres. Significa ter prazer e satisfação naquilo que ofende a Deus e que se opõe a Ele (Lc 23.35). Note, é claro, que os termos 'mundo' e 'terra' não são sinônimos; Deus não proíbe o amor à terra criada, i.e., à natureza, às montanhas, às florestas, etc" (ARRINGTON, French L; SRONSTAD, Roger. Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, pp.1957- 58).
  • 33. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nós aprendemos que: 1. Com a justificação vem a santificação, que deve ser preservada, pois é um processo (progressivo). 2. O nosso dever não consiste apenas em nos afastar do pecado, mas também pregar o evangelho e com nossa maneira de viver, assim como fizeram os primeiros cristãos.
  • 34. BERGSTÉN, Eurico. Introdução à Teologia Sistemática. Rio de Janeiro: CPAD, 1999. BLACKABY, Henry. Santidade: O plano de Deus para uma vida abundante. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. COMENTÁRIO BÍBLICO BEACON. Rio de Janeiro: CPAD, 2005. DEVER, M. A Mensagem do Antigo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. DICIONÁRIO VINE: O significado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento. 14.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2011. GILBERTO, Antonio. Teologia Sistemática Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, 2008. HORTON, Stanley. Teologia Sistemática: Uma perspectiva pentecostal. 1.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996 LIÇÕES BÍBLICAS ADULTOS. A razão de nossa fé: assim cremos, assim vivemos. 3º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro, CPAD, 2017. REFERÊNCIAS
  • 35. MENZIES, William; HORTON, Stanley M. Doutrinas Bíblica: Os fundamentos da nossa fé. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2010. RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10ª ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012. RICHARDS, Lawrence. Comentário Histórico-Cultural do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2007. SOARES, Esequias. A razão de nossa fé: assim cremos, assim vivemos. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. VINE, W. E.; UNGER, Merril F. (et all). Dicionário Vine: O Significado Exegético e Expositivos das Palavras do Antigo e do Novo Testamento. Rio de Janeiro: CPAD, 2002. REFERÊNCIAS
  • 36. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM)