O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018

325 visualizações

Publicada em

Subsídios para lições bíblicas da CPAD elaborados pelo Pastor Natalino das Neves (IEADC-Sede).
Assista aos demais vídeos com estudos bíblicos e baixe os arquivos de slides referentes aos vídeos no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Lição 3 - O batismo de Jesus - Lições Bíblicas Jovens - 1 tri 2018

  1. 1. Adquira o livro de apoio para subsidiar seus estudos, no site da CPAD (www.cpad.com.br) ou nas melhores livrarias.
  2. 2. TEXTO DO DIA “E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mt 3.17)
  3. 3. SÍNTESE Deus confirma a filiação divina de Jesus por sinais, quando ele foi batizado por João Batista.
  4. 4. LEITURA BÍBLICA MT 3.13-17
  5. 5. 13 Então, veio Jesus da Galileia ter com João junto do Jordão, para ser batizado por ele. 14 Mas João opunha-se-lhe, dizendo: Eu careço de ser batizado por ti, e vens tu a mim? 15 Jesus, porém, respondendo, disse-lhe: Deixa por agora, porque assim nos convém cumprir toda a justiça. Então, ele o permitiu. 16 E, sendo Jesus batizado, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele. 17 E eis que uma voz dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.
  6. 6. • Algumas pessoas não conseguem entender o motivo que levou Jesus, sendo um Deus encarnado, se sujeitar ser batizado por João Batista. • No entanto, a narrativa de Mateus, apesar de resumida, vai pouco a pouco deixando claro o que estava por trás desse gesto de Jesus. • É o que veremos nesta lição. INTRODUÇÃO
  7. 7. I. JESUS SE PERMITE SER BATIZADO POR JOÃO BATISTA (MT 3.13-15)
  8. 8. O batismo de Jesus é um exemplo de humildade e obediência às Escrituras Sagradas. Introdução ao tópico
  9. 9. • Mateus não menciona nada sobre o passado de João. Figura conhecida de seus leitores, sem necessidade de maiores detalhes. • João é comparado a Elias pelo seu estilo de vida e ousadia (2Rs 1.8ss; 18.21). • Como Elias, Joao vestia roupas de pelo de camelo e cinto de couro, além de se alimentar de gafanhotos e mel silvestre. • As semelhanças levaram alguns judeus acreditarem que ela seria o Elias redivivo (Ml 4.5ss). a) João, o batista
  10. 10. • Mateus descreve a aparição de João Batista diretamente no deserto e em Mt 2.3, em conecção com Is 40.3, base para a afirmação do cumprimento das profecias. • A profecia de Is 40.3 teve um significado especial para os exilados da Babilônia (mudança de rumos). • Deus continua a confirmar o seu império ao libertar as pessoas do poder imperial opressor. a) João, o batista
  11. 11. • Mateus afirma que a missão de João estava prevista no AT: preparar o caminho para o messias. • Além de preparar o caminho teve o privilégio de batizá-lo. • Apesar das diferenças entre Jesus e João Batista, os primeiros cristãos relacionavam as suas mensagens como convergentes. • Alguns dos discípulos de João Batista desenvolveram seu movimento à parte do cristianismo (Mt 11.2), mas não por muito tempo. a) João, o batista
  12. 12. • O batismo de Jesus por João Batista no Jordão é tratado por todos os quatro evangelistas (importância). • A narrativa do batismo tem um impacto teológico forte em relação a identidade de Jesus como Filho de Deus e autoridade escriturística. • O batismo de João era com água e para arrependimento, um batismo de purificação, que era precedido por uma confissão de seus pecados (Mt 1.4). b) O batismo de João
  13. 13. • Interessante como antes do batismo de Jesus, João anuncia que existia um batismo superior ao seu. • Que seu batismo não era um fim em si, mas uma preparação para o batismo com o Espírito Santo e fogo. • Se o batismo era superior o batizador também o seria (“não era digno de tirar suas sandálias”). • João não tinha nenhum constrangimento em reconhecer a superioridade de Jesus. c) João anuncia um batismo superior ao seu
  14. 14. • Desse modo, o processo do batismo de Jesus tem muito a nos ensinar, além do próprio ritual. • João demonstra a humildade que é peculiar das pessoas que realmente tem um chamado genuíno de Deus para realizar sua obra. • Jesus era superior, pois ele: • salva dos pecados (Mt 1.21); • cura e perdoa (9.1-8; 8.17); • tem poder sobre a morte (Mt 26.28). c) João anuncia um batismo superior ao seu
  15. 15. • O batismo anunciado por João tinha dois elementos: Espirito Santo e fogo, o que tem causado confusões quanto à sua interpretação. • Estes elementos podem ter significado positivo e negativo. • Espírito como: • castigo de Deus (Is 4.4. Jr 4.11-16); • dom da aliança e realização da vontade de Deus (Ez 36.25-28; 39.29. Is 32.15; 44.3. Jl 2.28-29; Mt 1.18- 25); • poder vivificador de Deus e rei (Is 61.1-3). c) João anuncia um batismo superior ao seu
  16. 16. • Fogo: • purifica e limpa (Zc 13.9; Ml 3.1-3), • Como juízo (3.18-4.1); • Como castigo (Mt 3.10; 13.4-43; 25.41). • A missão de Jesus é dupla: abençoar e purificar o que aceitam seu Evangelho e julgamento sobre o que rejeitam. • Ele “limpará a sua eira, e recolherá no celeiro o seu trigo, e queimará a palha com fogo que nunca se apagará” (Mt 1.12). c) João anuncia um batismo superior ao seu
  17. 17. PENSE Durante o batismo, Jesus e João demonstraram exemplos de humildade. Jovem, que exemplo você pode tirar para sua vida cristã?
  18. 18. PONTO IMPORTANTE João batista não tinha inveja de Jesus. Ele realça as qualidades e virtudes de Jesus, mesmo correndo o risco de “perder” seus discípulos para ele.
  19. 19. II. O BATISMO E OS SINAIS (Mt 3.16-17)
  20. 20. • A narrativa do batismo de Jesus não era para ser apenas mais um relato de batismo de João, o Batista. • Ele teve um significado importante para revelar a divindade de Cristo e a confirmação escriturística de sua missão. Introdução ao tópico
  21. 21. • Se o batismo de João era para arrependimento, por que Jesus vai até ele para ser batizado? • A atitude de João demonstra que ele conhecia Jesus e não via nele necessidade de arrependimento e muito menos de ser batizado • João se recusa a batizar Jesus. Sua recusa é consistente com sua humildade e indignidade reconhecida em Mt 3.11. a) Jesus foi batizado para que se cumprissem as Escrituras
  22. 22. • No entanto, quando Jesus menciona que é para cumprimento de “toda a justiça”, o Batista se rende e batiza Jesus. • Quando Jesus se submeteu ao batismo de João ele estava aceitando seu destino para que se cumprisse o que estava escrito a respeito dele. a) Jesus foi batizado para que se cumprissem as Escrituras
  23. 23. • “Céus abertos” - artifício da literatura judaica (revelação de conhecimento celestial - Ez 1.1; At 7.56; 10.11; Ap 19.11; Ez 8.3). • “[...] e eis que se lhe abriram os céus” indica uma ação direta de Deus. • Chegada de um novo império (justiça e misericórdia) para substituir o império tirano dos romanos. b) Primeiro sinal: a descida do Espírito de Deus como pomba (Mt 3.16)
  24. 24. • Jesus “viu o Espírito de Deus descendo como pomba e vindo sobre ele”. • Espírito descendo sobre ele significa que Jesus foi ungido como messias (At 10,37-38). • Jesus vem para ser a voz de quem não tinha. b) Primeiro sinal: a descida do Espírito de Deus como pomba (Mt 3.16)
  25. 25. • “E eis que uma voz dos céus dizia: este é o meu Filho amado, em quem me comprazo” (Mt 3.17). • Uma pequena voz ou sussurro como agente da revelação (bat-qôl). • Mateus recorre ao AT: “este é meu Filho amado” (Sl 2.7 e Is 42.1). • A referência ao Salmo 2.7 “[...] Tu és meu Filho; eu hoje te gerei.”, que faz parte de um contexto de coroação de um filho de Davi. • Demonstrar que o evento já estava previsto. c) Segundo sinal: uma voz dos céus (Mt 3.17)
  26. 26. • Todavia, na releitura de Mateus ele faz uma mudança importante na frase, pois em vez de dizer “tu és” como o salmista, ele diz “este é”. • Além disso, ele substitui a última metade do verso por palavras da passagem de Is 42.1 – “servo sofredor”. • Servo sofredor - é uma figura misteriosa que, embora inocente, sofre por seu povo. Quatro cânticos (42,1-4; 49,1-7; 50,4-11; 52,13; 53,12)”. • A alternância entre filho e servo pode parecer uma contradição, mas... c) Segundo sinal: uma voz dos céus (Mt 3.17)
  27. 27. • Demonstra que mesmo sendo Filho de Deus, Jesus tinha a humildade de servir. • Outro aparente paradoxo: messias que batizaria com Espírito e com fogo Vs descida do Espírito em forma de pomba, um símbolo de suavidade e mansidão. • A atitude do ser humano = Jesus pode ser a verdadeira benignidade ou severidade (Rm 11.22; Contraste entre Mt 11.29 e Mt 25.41). c) Segundo sinal: uma voz dos céus (Mt 3.17)
  28. 28. “Jesus descobriu que o seu modo de ser anunciador do Reino não era como um messias poderoso, ou como Rei de Israel (Filho de Davi), e sim sendo o Servo Sofredor de Deus (Is 42)” (Barros, 1999, p. 33). “Jesus, o Filho de Deus, que se fez servo e sofreu para servir, mas que recebeu toda autoridade nos céus e na terra do próprio Pai, que da vida e obra dele se agradou” (NEVES, 2017, p. 41)
  29. 29. PENSE Jesus recebe ao mesmo tempo o título de Filho de Deus e Servo Sofredor. Jovem, você sabe lidar com situações de glória e de humilhação?
  30. 30. PONTO IMPORTANTE A benignidade ou severidade de Jesus está condicionada à atitude do ser humano em relação à vontade de Deus (Rm 11.22).
  31. 31. III - O BATISMO DE JESUS E O BATISMO CRISTÃO
  32. 32. • Jesus o procurou na idade adulta e foi batizado por imersão, nas águas do Jordão. • No entanto, o significado do batismo à igreja primitiva passa a ter um elemento essencial. • Qual a principal diferença? Introdução ao tópico
  33. 33. • Antes de João Batista, os judeus já batizavam os novos convertidos ao judaísmo. • O significado de arrependimento para João não é o mesmo do batismo cristão (At 18.24-26; 19.1-7). • O batismo de João era o batismo de penitência, uma preparação para o batismo que Jesus iria instituir em seu mistério pascal. • Batismo cristão/evangélico: primeiro a pessoa crê para ser justificada, frutifica e depois, vem o batismo como ritual e símbolo da transformação já realizada (At 2,41; 49.14-15). a) O modelo do batismo de João foi adaptado pelo cristianismo
  34. 34. • O batismo cristão é uma ordenança de Jesus proferida pouco antes de sua ascensão (Mt 28.19-20). • Orientações explícitas que as pessoas convertidas dever ser batizadas “em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo” (Mt 28.19- 20). • Igreja católica no Concílio de Trento (Séc. XVI) define o batismo como um sacramento. • Paulo já havia questionado esse tipo de legalismo e apresentou a Doutrina da Justificação pela Fé (Gl 3; Rm 3-4). b) O batismo é uma ordenança de Cristo e não um sacramento
  35. 35. • O batismo está simbolicamente relacionado com a obra de Cristo na cruz e sua ressurreição. • O crente em Cristo é declarado justo no tribunal de Deus, o velho homem morre legalmente (Rm 6.6-7), crucificado com Cristo, e ressurge como uma nova vida em sua ressurreição (2Co 5.17). • O batismo é um ritual que simboliza esse sepultamento e ressurgimento da nova criatura em Cristo. c) O batismo cristão ilustra a morte e ressurreição de Cristo
  36. 36. • O batismo nas águas é um ato público para atender uma ordenança que formaliza simbolicamente o que já ocorreu (Cl 2.12). • Uma bela representação da nova posição do salvo em Cristo (Rm 6.3), morto para o pecado (debaixo da água) justificado e reconciliado com Deus (ao sair da água). c) O batismo cristão ilustra a morte e ressurreição de Cristo
  37. 37. “Esta nova posição assegura a vida eterna com Deus, mas também exige uma aproximação com a vida de obediência de Cristo, não priorizando a si mesmo e seus desejos, mas o bem da coletividade, o Reino dos céus. Uma nova identidade, não mais relacionada ao primeiro Adão, mas da descendência de Cristo, o segundo Adão, e membro de sua família. Esta nova vida, não significa que o crente nunca mais irá pecar, mas que não viverá na prática do pecado, como seu escravo. Portanto, uma vez justificados (instantaneamente), sigamos a santificação (processo contínuo) durante toda a vida ou até o arrebatamento da Igreja” (NEVES, 2017, p. 44).
  38. 38. PENSE Se o próprio Jesus que não tinha pecado se submeteu ao batismo de João, porque ainda tem jovens que resistem ao batismo?
  39. 39. PONTO IMPORTANTE O batismo nas águas é uma ordenança de Jesus, um ritual que simboliza que um pecador justificado confessa, em público, sua fé em Cristo.
  40. 40. Nesta lição aprendemos que: 1. Jesus demonstra sua humildade e obediência ao que estava predito nas Escrituras ao se submeter ser batizado por João Batista, mesmo não tendo pecado; 2. O batismo de Jesus foi acompanhado de sinais, comprovando que ele era o Filho de Deus; 3. O batismo cristão é uma ordenança de Cristo e símbolo de sua morte e ressurreição. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  41. 41. BARROS, Marcelo. Conversando com Mateus. São Leopoldo/RS: CEBI; São Paulo: Paulus, 1999. LIÇÕES BÍBLICAS DE JOVENS. Seu Reino não Terá Fim: vida e obra de Jesus, segundo o Evangelho de Mateus. 1 TRI 2018. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. NEVES, Natalino das. Justiça e Graça: um estudo da doutrina da salvação na Carta aos Romanos. Rio de Janeiro: CPAD, 2015. NEVES, Natalino das. Seu Reino não terá Fim: vida e obra de Jesus, segundo o Evangelho de Mateus. Rio de Janeiro: CPAD, 2017. REFERÊNCIAS
  42. 42. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Facebook: www.facebook.com/natalino.neves Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 98409 8094 (TIM)

×