Projeto agua é vida

1.463 visualizações

Publicada em

Projeto de Meio Ambiente para o Meio Rural

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.463
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
20
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projeto agua é vida

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO GRUPO DE ESTUDOS EM EDUCAÇÃO, CULTURA E MEIO AMBIENTE ESCOLA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL SÃO RAIMUNDO I BREVES-PA 2014 Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  2. 2. PROJETO: ÁGUA É VIDA, E O LIXO A DESTRÓI - CUIDANDO DOS RIOS E IGARAPÉS. Elaborado por:  Miquéias da Costa Pinto Se não formos nós, então quem? Se não for agora, então quando? Frase extraída da Carta de Responsabilidades da Conferência Internacional Infantojuvenil Vamos Cuidar do Planeta, ocorrida em 2010. BREVES-PA 2014 Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  3. 3. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO................................................................................ JUSTIFICATIVA.................................................................................. OBJETIVO GERAL............................................................................. OBJETIVOS ESPECÍFICOS................................................................. PÚBLICO ALVO................................................................................. METODOLOGIA.................................................................................. RECURSOS......................................................................................... AVALIAÇÃO..................................................................................... CRONOGRAMA.............................................................................. REFERÊNCIAS.................................................................................. ANEXOS Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  4. 4. BREVES – PA Possui: 9.550.513 KM2 Nº de Hab.: 96.444 Pertence ao Arquipélago do Marajó EQUIPE GESTORA A Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental São Raimundo I, sendo situado no Rio Tauajuri, S/Nº, entre o Rio Aramã e Jacarezinho, Meio Rural de Breves, Arquipélago do Marajó, Pará, tendo as seguintes dependências: 02 salas de aula, 01 secretaria, 02 banheiros, 01 cozinha, 01 depósito. A escola é toda em madeira de lei, coberta com telhas de fibrocimento, portas e janelas de madeira de lei, contando em seus espaços com pinturas decoradas com temas regionais marajoaras. Atualmente, a escola tem 12 funcionários, fazendo parte do corpo administrativo a Gestora Distrital Liane Gomes Azevedo, os Coordenadores Pedagógicos Edinaldo Silva de Almeida (Local) e Miquéias da Costa Pinto (Distrital), Coordenador Pedagógico Programa Mais Educação Max Renato Dias da Gama, Agente Administrativo Educacional Edvandro Miranda Barros e Elcilene Costa Rodrigues (Distrital), Agente de Limpeza Educacional Alcirene Pinheiro da Silva, Conceição Maduro Pinheiro, Corpo Docente Francisca Silva de Almeida, Rosilene Pinto, Edinei Pinheiro da Silva, Condutores Francisco Leite, Alaci Ferreira. Atendendo diariamente aproximadamente 100 crianças de (Educação Infantil, 1º ao 5º Ano e 6º ao 9º Ano). A escola recebe recursos do PDDE Fundamental, PDDE Estrutura (Campo) e Mais Educação. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  5. 5. APRESENTAÇÃO De acordo com a Lei nº 9.795/99, a educação ambiental envolve a promoção de processos pedagógicos que favoreçam a construção de valores sociais, conhecimentos, habilidades e atitudes voltadas para a conquista da sustentabilidade socioambiental e a melhoria da qualidade de vida. Nesse sentido, a sustentabilidade inclui, inevitavelmente, as questões sociais, caracterizando-se como socioambientais. Escolas Sustentáveis são definidas como aquelas que mantêm a relação equilibrada com o meio ambiente e compensam seus impactos com o desenvolvimento de tecnologias apropriadas, de modo a garantir qualidade de vida às presentes e futuras gerações. Esses espaços tem a intencionalidade de educar pelo exemplo de irradiar sua influencia para as comunidades nas quais se situam. A transição para a sustentabilidade nas escolas é promovida a partir de três dimensões inter-relacionadas: espaço físico, gestão e currículo. A perspectiva ambiental consiste num modo de ver o mundo no qual se evidenciam as inter-relações e a interdependência dos diversos elementos na constituição e manutenção da vida. À medida que a humanidade aumenta sua capacidade de intervir na natureza para satisfação de necessidades e desejos crescentes, surgem tensões e conflitos quanto ao uso do espaço e dos recursos. E a Com-Vida tem como objetivo pesquisar, propor e coordenar as iniciativas voltadas à melhoria da qualidade de vida na escola. Na transição das escolas para a sustentabilidade, essa estrutura possui grande simplicidade. Foi idealizada para permitir que o coletivo tenha condições de dialogar, examinar as diferentes visões e tomar decisões sobre temas pertinentes à sustentabilidade socioambiental. Nesse ambiente são exercitadas e estimuladas habilidades essenciais da sustentabilidade: cooperação, capacidade de interação entre diferentes, mediação e resolução de conflitos. Seus integrantes precisam estar imbuídos da crença de que a sustentabilidade se constrói na concretude das ações, no compromisso com a ética e o humano e por meio de ações permanentes. Já o Marco Zero consiste em um levantamento inicial sobre as condições de infraestrutura e de consumo da escola, configurando-se como um mapeamento que registra o ponto de partida da escola antes de dar início às atividades voltadas para a transformação da escola em um espaço educador sustentável. Essas medições iniciais são importantes para acompanhar os avanços e possíveis retrocessos da escola ao longo do tempo e identificar pontos que precisam ser abordados prioritariamente. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  6. 6. JUSTIFICATIVA Nos últimos anos, um modelo de civilização se impôs, alicerçado na industrialização, com sua forma de produção e organização do trabalho, a mecanização da agricultura, o uso intenso de agrotóxicos e a concentração populacional nas cidades. E ao nos depararmos com a política municipal de gestão ambiental do município de Breves, Lei nº 2.110, de 04 de Julho de 2006, promulga que: Art. 2º - A Política Municipal de Gestão Ambiental de Breves observará os seguintes princípios fundamentais: II – Meio Ambiente ecologicamente equilibrado; V - A participação efetiva da sociedade nos processos de decisão e na defesa do meio ambiente; VII – A educação ambiental em todas as escolas da rede pública municipal de Breves; IX- A recuperação do dano ambiental já existente ou que venha ocorrer; Sabendo que apenas 2% da água no mundo é potável e que grande parte dela se encontram em aquíferos subterrâneos e outra parte nos rios das regiões amazônica e que apenas 13% das pessoas tem ou fazem a coleta seletiva do lixo no Brasil, e ao vermos as constantes transformações do clima no planeta o dia a dia das pessoas passam a ser questionados sobre o modo de vida que levam. Diante disso, surge este projeto com a necessidade de levar informações importantíssimas sobre os estilos de vidas que se tem nas residências da comunidade local e mostrar como conviver em harmonia com o meio ambiente, utilizando práticas sustentáveis no cotidiano dos moradores ribeirinhos. E o com a criação da Com-Vida e a Agenda 21 estará iniciando este ciclo de sustentabilidade na comunidade escolar e expandindo para outras comunidades o modelo sustentável para uma melhor qualidade de vida entre escola/comunidade/meio ambiente. Ressaltamos que nossos rios e igarapés são nossa “minha rua, tua rua, nossa rua mururé” (Nilson Chaves). Preservarmos os rios e igarapés é acima de tudo cuidamos de nossas futuras gerações das quais usufruirão do mesmo espaço com responsabilidade e consciência ecológica. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  7. 7. OBJETIVOS GERAL: Sensibilizar e mobilizar a comunidade escolar sobre a importância de preservarmos nossos rios e igarapés da região das águas dos campos e das florestas. OBJETIVOS ESPECIFICOS:  Identificar de que forma se da o uso da água e da coleta de lixo na escola e nas residências da comunidade São Raimundo.  Compreender como são armazenados e tratados a água e o lixo na escola e nas residências da comunidade São Raimundo.  Sensibilizar a Comunidade Escolar sobre como criar hábitos de preservação ambiental, coleta seletiva do lixo e o cuidado com o rio e os igarapés da região. PÚBLICO ALVO: Alunos da Escola Municipal de Educação Infantil e Ensino Fundamental São Raimundo I, totalizando 100 alunos, Professores, Gestor, Coordenadores Pedagógicos, Agente de Alimentação Educacional, Agente de Limpeza Educacional, Agentes Administrativos Educacionais, Condutores, Pais dos Alunos, Agente Comunitário de Saúde e Comunidade São Raimundo I. METAS: Aos alunos de Educação Infantil e Ensino Fundamental (1º ao 9º Ano) da Escola São Raimundo I. Caracteriza-se por ser uma atividade continuada, portanto, não tem hora ou tempo de duração que possa ser pré-estabelecido. Afinal, uma vez lançado o projeto é possível imaginar, que a cada ano, novas turmas darão continuidade ao projeto. METODOLOGIA 1ª Etapa: Elaboração do Projeto. A 1ª etapa deste projeto se iniciará com a pesquisa bibliográfica e construção do mesmo pela equipe gestora da escola e a equipe do Curso de Extensão em Educação Ambiental, Escolas Sustentáveis e Com-Vida a distância. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  8. 8. 2ª Etapa: Apresentação do Projeto a Comunidade Escolar. A 2ª etapa deste projeto se dará com a apresentação do Projeto: Água é Vida e o Lixo a destrói – cuidando dos rios e igarapés a Comunidade Escolar este será um momento de reflexão. 3ª Etapa: Palestra sobre Meio Ambiente: Preservação Ambiental e Sustentabilidade. A 3ª etapa ocorrerá uma Palestra sobre Meio Ambiente: Preservação Ambiental e Sustentabilidade SocioAmbiental e apresentação da Carta da Terra. 4ª Etapa: Construção do Com-Vida e Agenda 21 da Comunidade Escolar. A 4ª etapa será construída a Com-Vida e a Agenda 21 da Comunidade Escolar assumindo a responsabilidade da cooperação na execução deste projeto sendo assim coo- autores da Ação. 5ª Etapa: Identificar o Marco Zero e a Pegada Ecológica da Comunidade Escolar. A 5ª etapa identificar o Marco Zero e a Pegada Ecológica da Comunidade Escolar para melhor obtermos informações sobre como a comunidade escolar age em relação ao seu convívio com o meio ambiente. 6ª Etapa: Criar o grupo Ambiental: Qualidade de Vida que será responsável pelas intervenções na Comunidade Escolar. A 6ª etapa se criará o Grupo Ambiental permanente na comunidade São Raimundo que será composta por membros locais como pais de alunos (APM), educandos (Grêmio Estudantil), professor (Gestão), representante da comunidade religiosa (Católica), Agente Comunitário de Saúde ACS (SEMSA), membro do poder público (SEMED) e equipe do Curso de Extensão em Educação Ambiental, Escolas Sustentáveis e Com-Vida a distância. 7ª Etapa: Pesquisa de Campo (domiciliar sobre que tipo de lixo é produzido nas residências e como se da à coleta, como se da o consumo e o tratamento da água e coleta de água para análise). A 7ª etapa será pesquisa de Campo nas residências os alunos irão aplicar um questionário para identificar como se dar o processo de produção de lixo domiciliar sua coleta e destino, como se da o uso da água nas residências seu tratamento para consumo. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  9. 9. 8ª Etapa: Tabulação e apresentação dos dados a comunidade escolar. A 8ª etapa será a tabulação dos dados obtidos através de questionário aplicado pelos alunos da escola e análise das amostras das águas coletadas em cada casa dos moradores com mediação da equipe do curso de extensão e apresentação dos mesmos a comunidade escolar. 9ª Etapa: Instalar na comunidade escolar uma estação de coleta seletiva de lixo e distribuição de sacos de lixo. A 9ª etapa acontecerá com a instalação de um modelo de estação de coleta seletiva de lixo e distribuição esta ação contribuirá de forma a nortear os alunos e comunidade geral sobre a importância da separação do lixo e seu devido armazenamento para evitar poluição solo, dos rios e igarapés da região e proliferação de doenças. 10ª Etapa: Orientação sobre como utilizar de forma adequada a água para consumo e mostrar como se pode fazer em casa a coleta seletiva de lixo orgânico e inorgânico em casa e na escola. A 10ª etapa dar-se-á sobre uma orientação de como utilizar a água do rio e dos igarapés de forma correta sem desperdícios e evitando doenças gastro intestinais que ocorrem na região, e demonstrar como fazer a coleta seletiva do lixo em casa em orgânico e inorgânico, para um melhor reaproveitamento do mesmo no ambiente em que ele vai esta sendo depositado. RECURSOS Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  10. 10. Pedagógicos Humanos Tecnológicos Papel A4 Professores Caixa amplificada Papel ofício Coordenadores Pedagógicos (local) e (distrital) Microfone Canetas Gestor (local) e (distrital) Aparelho de DVD Fita durex Alunos da escola Notebook Lápis Pais de alunos (APM) Retroprojetor Cadernos Agente Comunitário de Saúde (ACS) Extensão Cópias Agente de Alimentação Educacional Televisão Cartolinas Agente de Limpeza Educacional Cabos de entrada Pinceis atômicos Agente Administração Educacional Impressora Régua Condutores escolares Tonners Garrafas vazias Líder comunitário (igreja local) Microscópio Um kit de lixeiras DVDS Banner CDS Máquina Digital COMO MONTAR UMA COLETA SELTIVA NA ESCOLA, NA COMUNIDADE E EM CASA. 1- Escolha do local  Será um espaço ventilado, coberto onde todos possam perceber como se faz a coleta seletiva (separação por containers coloridos) do lixo produzido na escola, em casa e na comunidade. 2 – Rio  Mapear ao longo do Rio Tauajuri quantas casas e moradores existem na comunidade São Raimundo. 3 - Montagem de uma Estação de Coleta Seletiva de Lixo.  Será um espaço ventilado, coberto onde todos possam perceber como se faz a coleta seletiva (containers coloridos). 4- Desenvolvendo alguns conteúdos (Educação Infantil, Ensino Fundamental de 1º ao 9º Ano). Designar tarefas para os educandos durante a execução do projeto na escola, como estratégias de ensino:  Cuidados que devemos ter com o Meio Ambiente Carta da Terra;  Diferentes tipos de lixo orgânico e inorgânico; Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  11. 11.  Como armazenar o lixo;  Água potável e pura;  Poluição da água;  Os seres vivos precisam de água;  Preservação dos rios e igarapés;  Redação e Poesias sobre Meio Ambiente;  Peça Teatral Cuidar do Meio Ambiente é Cuidar da gente;  Elaboração e distribuição de folders informativos a comunidade escolar; EQUIPE DE TRABALHO Será composta por Corpo Administrativo: a Gestora Liane Gomes Azevedo, os Coordenadores Pedagógicos: Edinaldo Silva de Almeida, Max Renato Dias da Gama, Miquéias da Costa Pinto, Agentes Administrativos Educacionais: Edvandro Miranda Barros, Elcilene da Costa Rodrigues. Corpo Docente: Francisca Silva de Almeida, Rosilene Pinto, Edinei Pinheiro da Silva, Agente de Alimentação Educacional: Alcirene Pinheiro da Silva. Agente de Limpeza Educacional: Conceição Maduro Pinheiro, Condutores: Francisco Leite, Alaci Ferreira, equipe do Curso de Extensão em Educação Ambiental, Escolas Sustentáveis e Com-Vida a distância Edileuza Miranda Barros, Marinela Rodrigues e Miquéias da Costa Pinto. . PARCEIROS E. M. E. I. F. São Raimundo I Distrito São Miguel dos Macacos Secretaria Municipal de Educação (SEMED) Secretaria de Meio Ambiente (SEMA) Divisão de Assistência ao Estudante (DAE) Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) Pais dos Alunos (APM) Comunidade São Raimundo AVALIAÇÃO: Todas as atividades práticas, serão motivos de análise da sua viabilidade e aproveitamento, serão observadas o envolvimento dos alunos nas aulas em sala e a campo, à melhora ou não na aprendizagem e a participação dos pais. Será considerado satisfatório se na Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  12. 12. execução das atividades os estudantes demonstraram empenho e gosto pela atividade relatando novas aprendizagens com o uso de novas tecnologias. SUSTENTABILIDADE: O projeto aparece como um instrumento prático de contribuição e incentivo às ações que vem sendo desenvolvidas para a melhoria da qualidade de vida da população ribeirinha. CRONOGRAMA Primeiro Mês: Outubro Atividades 1ª Semana 2ª Semana 3ª Semana 4ª Semana 1ª Etapa: Elaboração do Projeto. X X X Segundo Mês: Novembro Atividades 1º Semana 2º Semana 3º Semana 4º Semana 2ª Etapa: Apresentação do Projeto na Comunidade Escolar São Raimundo X 3ª Etapa: Palestra sobre Meio Ambiente e Preservação Ambiental e Sustentabilidade. X 4ª Etapa: Construção do Com- Vida e Agenda 21 da Comunidade Escolar. X 5ª Etapa: Identificar o Marco Zero e a Pegada Ecológica da Comunidade Escolar. X 6ª Etapa: Criar o grupo Ambiental. X Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  13. 13. 7ª Etapa: Pesquisa de Campo (Domiciliar). X 8ª Etapa: Tabulação e apresentação dos dados a comunidade escolar. X 9ª Etapa: Instalar na comunidade escolar uma estação de coleta seletiva de lixo e distribuição de sacos de lixo. X Terceiro Mês: Dezembro Atividades 1º Semana 2º Semana 3º Semana 4º Semana 10ª Etapa: Orientação sobre como utilizar de forma adequada a água para consumo e mostrar como se pode fazer em casa a coleta seletiva de lixo orgânico e inorgânico em casa e na escola. X X Socialização do Projeto X X REFERÊNCIAS BRASIL. Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009. Disponível em<http://comunidades.mda.gov.br/portal/saf/arquivos/view/alimenta-o- escolar/LEI11947.pdf>. Acesso em fevereiro de 2012. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  14. 14. BRASIL. Ministério da Educação. Escolas sustentáveis e Com-Vida: processos formativos em educação ambiental. Ouro Preto: Ufop, 2010. BRASIL. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Formando Com-Vida, Comissão de Meio Ambiente e Qualidade de Vida na Escola: construindo Agenda 21 na escola / Ministério da Educação, Ministério do Meio Ambiente. – 3. ed., rev. e ampl. – Brasília: MEC, Coordenação-Geral de Educação Ambiental, 2012. BRASIL. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Vamos cuidar do Brasil com escolas sustentáveis: educando-nos para pensar e agir em tempos de mudanças socioambientais globais/Ministério do Meio Ambiente; elaboração de texto: Tereza Moreira. – Brasília: A Secretaria, 2002. BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais / Secretaria de Educação Fundamental Brasília: MEC/SEF, 1998. MAGALHÃES, Luiz Marconi Fortes. Plano de educação ambiental do município de Breves; princípios; diretrizes e políticas / Luiz Marconi Fortes Magalhães. _ Belém: Paka – Tatu, 2010. ANEXOS Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  15. 15. Marco Zero da Escola Vamos observar, contar, medir, pesar, descrever como é o ambiente da escola por duas semanas. Esta atividade poderá ser compartilhada pelas diversas disciplinas. O levantamento servirá como base para verificarmos as mudanças a partir das intervenções propostas neste curso. Nome da escola: E. M. E. I. F. SÃO RAIMUNDO I Inep: 15545687 Endereço: Rio Tauajuri S/Nº Meio Rural Município: Breves Estado: Pará Telefones: (91) 9378-5895 / 8267-3992 E-mail: Responsável pelo preenchimento: Edinaldo Silva Almeida Data de preenchimento: ________/________/ 2014 Coletivo Escolar Nº de integrantes por turno Professores Estudantes Funcionários Número total de componentes do coletivo escolar. 1º Turno 1002º Turno 3º Turno Total Áreas Verdes e Construídas Distribuição das Áreas Por m2 Dividida o número de metros quadrados pelo número total de pessoas da escola. 1. Área total a escola. 2. Área construída da escola. 3. Área verde da escola. Árvores 4. Quantas árvores existem dentro do terreno da sua escola? Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  16. 16. 5. Quantas árvores são frutíferas? 6. O que acontece com as folhas, flores ou fruto que caem? ___________________________________________________________________________ _______________________________________________________________ ( ) São varridos e colocados no lixo comum ( ) São recolhidos para a composteira ( ) São deixados nos chão. Horta 7. A sua escola mantém uma horta? ( ) Sim ( ) Não 7.1. Quem cuida ou ajuda a cuidar da horta? 7.2. Com que água é regada a horta? 7.3. Alguém costuma utilizar a horta para fins didáticos 7.4. Indique em quais disciplinas: ( ) Português ( ) Ciências ( )História/Geografia ( ) Matemática ( ) Arte ( ) Biologia ( ) Química ( ) Interdisciplinar Jardim Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  17. 17. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  18. 18. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  19. 19. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará
  20. 20. Rio Tauajuri, s/nº – Meio Rural Cep: 68.800-000 - Breves – Arquipélago do Marajó – Pará

×