SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 52
Baixar para ler offline
1
PLANO GESTÃO
2015 - 2018
2
APRESENTAÇÃO
“O Plano de Gestão é o documento que traça o perfil da escola,
conferindo-lhe identidade própria, na medida em que contempla as
intenções comuns de todos os envolvidos, norteia o gerenciamento das
ações escolares e operacionaliza a Proposta Pedagógica” (Parecer CEE
67/98, Art. 29).
Esta lei estabelece que o Plano de Gestão terá duração quadrienal,
surge então a necessidade de sua reelaboração. Abordamos a identificação
e caracterização da unidade escolar, de sua clientela, de seus recursos
físicos, materiais e humanos, bem como os seus recursos disponíveis na
comunidade local; objetivos da escola, definição das metas a serem
atingidas e das ações a serem desencadeadas; planos de cursos mantidos
pela escola; e ainda os planos de trabalho dos diferentes núcleos que
compõem a organização técnico-administrativa da escola; além de critérios
para acompanhamento, controle e avaliação da execução do trabalho
realizado pelos diferentes atores do processo educacional. Portanto,
envolvendo todos os aspectos da escola, assim como as ações que já são
realizadas e registradas.
Este trabalho foi organizado em oito capítulos, onde procuramos
mostrar as linhas básicas realizadas nesses anos e apontar como prioridade
a qualidade de ensino oferecida aos alunos da E.E. Prof. Cleóbulo
Amazonas Duarte.
Este documento foi produzido com o envolvimento dos
professores, funcionários, alunos, pais, comunidade e equipe gestora.
Durante esses anos, os gestores foram observando que alguns professores
criaram formas diversificadas ao sanar as dificuldades dos alunos, fomos
então registrando, interferindo e propondo modificações conforme a
3
necessidade, baseados nestes registros construí-se esta nova proposta de
trabalho que norteará o ensino – aprendizagem promovendo ao educando
uma formação indispensável para o exercício da cidadania, fazendo-o
entender que a escola forma para o mundo e não para o local, ou seja, uma
educação planetária.
I – IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR
- Nome/CNPJ
E.E. Professor “Cleóbulo Amazonas Duarte”
CNPJ: 51 651 420/0001-79
- Localização/telefones/e-mail
Rua Guedes Coelho, 107/119
Encruzilhada – Santos/SP
0xx13-32325240 (fone/fax)
escolacleobulo@gmail.com
- Ato de Criação: Decreto nº 13.601/79
- Códigos da Unidade:
CIE – 041415
F.D.E. - 02.09.126
4
- Jurisdição:
Diretoria de Ensino Região Santos
- Direção:
Maria Cecília Vanzela de Souza (Diretora)
Cyntia Diniz Ferreira Masteguim (Vice_Diretora)
Vilma da Silva Moura (Vice-Diretora da Escola da Família)
- Professor Coordenador:
Selma Regina F. Faria
- Gerente de Organização Escolar:
Bernadete Taboranski
- Modalidades de Ensino:
Ensino Fundamental – II
Ensino Médio
- Períodos de Funcionamento/Horários:
Manhã - das 07h00 às 12h20
Tarde - das 13h10 às 18h30
5
II – CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR
A E.E. Prof. “Cleóbulo Amazonas Duarte” foi criada pelo
Decreto nº 13.601, publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo em
20/06/1979, durante o governo de Paulo Salim Maluf.
Inaugurada a 26/06/1979 e instalada a 23/07/1979, recebeu classes de
pré-escola, Ensino Fundamental – Ciclo I e Educação Especial (Deficientes
Visuais), incorporadas da E.E. Dr. Dino Bueno, chegou a chamar-se
Procópio Ferreira por algumas horas e, atendendo a uma propositura do
então deputado Emilio Justo, teve seu nome alterado para o atual,
homenagem ao educador Cleóbulo Amazonas Duarte.
A partir de 1982, com verbas destinadas pela Secretaria de Estado da
Educação para ampliação do prédio e com obras concluídas em 1984,
passou a contar com 17(dezessete) salas de aulas.
Em 1993, após nova reforma, o prédio passa a contar com as
seguintes dependências:
 Sala da Direção e Vice Direção
 Sala dos Professores de Coordenação
 Secretaria
 Sala dos Professores
 Sala de Leitura
 Sala de Vídeo
 Quadra de Esportes Coberta
 Pátio Coberto
 Cozinha
 Ambiente próprio para distribuição de Merenda
 Sala do Grêmio/Escola da Família
6
 Cantina
 02 (dois) banheiros administrativos
 02 (dois) banheiros de professores
 04 (quatro) banheiros de alunos
 19 (dezenove) salas de aulas
 Zeladoria
 Estacionamento
Em 1996, em decorrência da Resolução SE 37, que dispõe sobre a
reestruturação da Rede Oficial de Ensino do Estado de São Paulo, a
unidade transfere seus alunos do Ciclo I do Ensino Fundamental para o
município.
Em 2013 a escola compartilha dos seus espaços com a Diretoria de
Ensino de Santos.
Após reforma de adequação do prédio para receber as instalações da
Diretoria de Ensino de Santos a escola passou a contar com as seguintes
dependências:
 Sala de Direção
 Sala de Coordenação Pedagógica
 Sala da Escola da Família
 Sala dos Professores
 Sala de Leitura
 Sala de vídeo
 Quadra de Esporte Coberta
 Pátio Coberto
 Cozinha
 Cozinha da Merenda
7
 Cantina
 Zeladoria
 02 banheiros administrativos
 02 banheiros de professores
 04 banheiros de alunos
 12 salas de aula
 Sala do Acessa Escola
- Biografia do Patrono da Escola
Cleóbulo Amazonas Duarte nasceu em Aracaju, no dia 02 de fevereiro
de 1898. Formando-se em Direito, logo se domiciliou em Santos, casando-
se com Maria Augusta.
Ao longo de sua vida, exerceu as funções de professor, escritor,
diretor do Jornal da Noite e da Gazeta Popular, Vice-Presidente do Instituto
Histórico e Geográfico de Santos e Presidente da Subseção Santista da
Ordem dos Advogados do Brasil, do Conselho Deliberativo do Clube XV, do
Clube Internacional de Regatas, do Tiro de Guerra 11 e da Associação
Instrutiva José Bonifácio.
Participou como membro da Sociedade São Leopoldo, do Círculo
Militar de Santos e da Comissão Municipal de Cultura. Foi Diretor da
Faculdade de Ciências Econômicas de Santos e consultor jurídico da
Capitania dos Portos do Estado de São Paulo.
De todos os títulos, ostentava com orgulho maior o de “Cidadão
Santista”, concedido pela Lei Municipal nº 72.698, de 03 de outubro de
1963.
O seu falecimento ficará para sempre na memória da cidade de
Santos, por ser considerado o melhor presente humano que o estado de
Sergipe enviou para os santistas e torna-se pertinente lembrar as palavras
de Arquimedes Bava a respeito do elogio fúnebre:
8
“Calou-se o advogado e o professor perfeitos; orador
fecundo cerrou para sempre os lábios; emudeceu o
mestre; o poeta, que o era de verdade, silenciou o seu
canto heroico. Mas sua obra subsiste, tal como a luz
desses astros monstros que ainda alumiam no infinito”.
III – LINHAS BÁSICAS DA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA
ESCOLA
Como primeira linha de ação por parte da gestão foi o fortalecimento
dos Colegiados (APM, Conselho de Escola), visando resgatar a confiança
da comunidade, dos funcionários e professores, propiciando o primeiro
passo ara uma gestão democrática participativa. Esta linha de trabalho tem
sido construída gradativamente, medida que os colegiados atingem um
amadurecimento, participando espontaneamente nas tomadas de decisões,
atingindo uma visão global de educação e não apenas local.
Em princípio foram feitos investimentos com reformas, pinturas,
colocação de cortinas nas salas , limpeza, garantindo o conforto e bem estar
de todos, com objetivo de aumentar a demanda. Em seguida, criamos
estratégias para melhoria do atendimento aos alunos, pais, professores,
funcionários, assim como ao público em geral.
No momento, estamos fortalecendo a aprendizagem dos alunos
através de acompanhamento das tarefas realizadas em salas de aula,
detectando suas dificuldades e interagindo-as com os pais e professores.
A Escola prevê como prioridade os objetivos estabelecidos nos
Artigos 32 e 35 da LDBEN nº 9394/96, adequados de acordo com a
realidade e necessidades no decorrer de cada ano letivo.
9
Objetivos do Ensino Fundamental:
Promover a formação básica do cidadão mediante;
- O desenvolvimento da capacidade de aprender, através do pleno
domínio da leitura, da escrita e do cálculo;
- A compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da
tecnologia, das artes e dos valores fundamentais da sociedade;
- O desenvolvimento da capacidade de assimilação da aprendizagem;
- O fortalecimento dos vínculos de família dos laços e solidariedade
humana e da tolerância recíproca;
- Consolidar e aprofundar os conhecimentos adquiridos no ensino
fundamental a fim de que o aluno dê prosseguimento aos seus estudos;
- Aprimorar o aluno como ser humano, promovendo a formação ética
e desenvolvendo sua autonomia intelectual e seu pensamento crítico;
- Favorecer a compreensão dos fundamentos científicos –
tecnológicos, dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática
em cada disciplina ministrada.
a. Gestão de Resultados Educacionais:
No final de cada ano letivo realizamos uma reunião para analisarmos
o trabalho desenvolvido durante o ano, levantando os pontos positivos e
negativos, os quais são adequados nas reuniões de planejamento no início
do ano.
A participação dos pais no acompanhamento escolar e a frequência
dos alunos são subsídios utilizados para avaliarmos os resultados obtidos
pela escola quanto a aprendizagem.
A frequência e os resultados das avaliações são acompanhados
durante as reuniões das ATPCs, onde são desenvolvidas estratégias para
atender as deficiências dos alunos no decorrer de cada bimestre. Um dos
10
principais motivos da frequência irregular é a falta de acompanhamento dos
pais, já que a maioria das mães necessita trabalhar, e muitas vezes as
impede de comparecer a escola, tornando difícil a comunicação entre
ambas as partes.
Adotamos as medidas legais para registro e controle da frequência
conforme o Artigo 56 do ECA, quando esgotamos os recursos escolares,
encaminhamos a criança ao Conselho Tutelar que tomará as providências
cabíveis (Direitos da Criança e do Adolescente).
b. Gestão Participativa
A participação da comunidade nas atividades desenvolvidas na
escola, bem como nas tomadas de decisões tem sido a maior
vulnerabilidade da instituição, percebendo esta falha desenvolvemos
“Família na Escola”, com a finalidade de criarmos um contato mais
profundo com as famílias. Este projeto tem o objetivo de acolher os pais
durante as reuniões bimestrais proporcionando um diálogo entre
professores, equipe gestora e as diversas famílias. Os pais, mesmo tendo
problemas familiares ou com seus filhos, se sentem mais a vontade,
trocando ideias, onde são feitas sugestões para amenizar esses problemas,
dessa forma conseguimos trabalhar a família e não apenas a criança.
Através deste projeto vem se intensificando a participação dos pais,
alunos e comunidades nos colegiados, na elaboração da Proposta
Pedagógica e no Regime Escolar: permitindo-nos também a divulgação das
Normas Legais e de convivência que orientam os direitos e deveres da
comunidade, já os professores e funcionários, recebem essas instruções nas
reuniões pedagógicas e dos colegiados. Estamos montando o corredor
cultural, onde serão expostos os trabalhos confeccionados pelos alunos,
neste corredor também será afixada uma síntese das normas legais para que
11
todos tenham acesso. Percebemos no dia a dia que os pais necessitam das
informações acima, a medida que procuram a escola, muitas vezes nos
fazendo solicitações que contrariam a legislação.
Com o objetivo de prepararmos nossos alunos para competir no
mercado de trabalho, elaboramos a “Semana do Provão”. As provas são
preparadas com temas que abordam atualidade, a realidade e a
interdisciplinaridade. Alguns professores utilizam letras de músicas,
poesias e reportagens de jornais e revistas, todas as avaliações devem
conter interpretação de textos, as de Português, além da interpretação,
contém gramática e redação.
A comunicação é um problema ainda a ser bastante debatido, pois
encontramos muitas dificuldades em agruparmos todos os especialistas,
portanto nós gestores, quando passamos orientações técnicas procuramos
nos dividir em grupos por períodos de forma a atender o maior número
possível de professores. Em relação as orientações técnicas para os
professores, aquele que é convocado assume a missão de transmitir para o
PC que terá a incumbência de orientar os demais nas ATPCs.
c. Gestão Pedagógica
O trabalho pedagógico tem sido desenvolvido a atender tanto a
aprendizagem quanto a formação social do aluno; a seguir apresentaremos
um pequeno esboço.
Todas as disciplinas estão atreladas a Projetos interdisciplinares,
permitindo que o aluno aprenda o conteúdo nos diversos componentes
curriculares contribuindo com a sua formação social. Em todas as áreas, os
professores trabalham temas como violência, drogas e alcoolismo,
pichação, bullying, doenças endêmicas como a dengue que já é considerada
12
uma endemia em nossa região, reportagens, política, meio ambiente,
alimentação, trabalho e consumo, educação sexual, ética e cidadania. Além
da diversidade de temas, também são várias as estratégias utilizadas, alguns
trabalham com letras de músicas, poemas, leitura de livros, filmes,
trabalhos de pesquisa, relatórios e etc. Para avaliar, são feitas reuniões e
entrevistas com os pais além do acompanhamento pela equipe gestora, na
evolução dos alunos tanto a nível social quanto de aprendizagem.
Todo este acompanhamento, inclusive o de indisciplina, é registrado
em documentos específicos tais como: Ata de Conselho de Escola, Ata de
Conselho de Classe, Diário de Classe, Relatório individual por classe onde
são feitas as ocorrências em sala de aula e atendimento aos pais, ficha
Deliberação 11. Com esses registros, somos capazes de avaliar o processo
de ensino e aprendizagem e os critérios de avaliação.
Para definir os critérios de avaliação é feita uma Reunião Pedagógica
no início de cada ano, a equipe de professores e gestores define se os
critérios anteriores são válidos para o corrente ano.
A fim de verificarmos a coerência das ações serão desenvolvidas na
U.E. com a proposta pedagógica, elaboração de um formulário de
acompanhamento de conteúdos do caderno do aluno com os diários de
classe e os planejamentos, as incoerências serão registradas em formulário
próprio, em duas vias, uma via entregue ao professor com sugestões das
devidas correções e a outra fica arquivada com a assinatura da Diretora, da
coordenadora e professor. Desta forma, poderemos tomar ciência sobre o
rendimento do aluno, caso seja identificado algum problema, enviamos
uma convocação aos pais para que o professor possa orientá-lo, ou até
mesmo descobrir se a casa se trata de algum problema familiar.
Além das ações descritas acima, são realizadas, eventualmente,
atividades de lazer, como por exemplo: cinema, passeios ao Horto entre
outros, com o propósito de fortalecer o vínculo entre professor e aluno.
13
d. Gestão de Pessoas
A Proposta Pedagógica foi construída a partir da observação e
acompanhamento da metodologia de trabalho de professores, com algumas
interferências e sugestões quando necessário. Portanto, as equipes foram se
desenvolvendo naturalmente, principalmente, pelo fato do grande número
de titulares na escola diminuindo a rotatividade, fortaleceu a formação e o
entrosamento entre gestores, professores e funcionários, proporcionando a
motivação do trabalho em equipe.
Para que o trabalho em equipe reflita na qualidade do ensino, todas
as ações desenvolvidas correm com a participação da equipe gestora,
promovendo durante as reuniões de ATPCs a exposição dos trabalhos,
debates e troca de experiências.
e. Gestão de Serviços de Apoio, Recursos Físicos e Financeiros
O atendimento ao público é o alvo para que a comunidade confie no
trabalho da escola, portanto, a principal estratégia, refere-se a um
atendimento de qualidade, e forma que a pessoa sai com seu problema
resolvido e, satisfeita.
Não estabelecemos horário para atendimento, uma vez que, muitas
pessoas trabalham e só podem comparecer na escola em determinados
horários.
14
IV – PLANOS DE CURSOS MANTIDOS PELA ESCOLA
A equipe escolar optou por um ensino que priorize a ação do aluno
sobre o seu próprio meio, dando condições para que ele descubra como
fazer. Nada substitui a sensação de descoberta.
A nossa proposta visa uma educação crítica e integrada com a
participação ativa do educando em busca do desenvolvimento intelectual
humano.
Para atingir nossos propósitos afirmamos que o saber não é
dissociado, fragmentado. Ele é abrangente a toda realidade que nos cerca.
Do mesmo modo, as disciplinas não são individualizadas, elas se
completam. Por isso, estamos privilegiando a interdisciplinaridade.
a) OBJETIVOS GERAIS:
O planejamento proposto objetiva a construção de competências e
habilidades que permitam ao educando:
- Compreender os elementos cognitivos, afetivos, sociais e culturais
que constituem a sua identidade própria;
- Compreender a sociedade sua gênese e transformação e os
múltiplos fatores que nela intervém como produtos da ação humana; a si
mesmo como agente social; e os processos sociais como orientadores da
dinâmica dos diferentes grupos de individuais;
- Relacionar os diferentes componentes curriculares com as
estruturas econômicas, políticas e culturais das diferentes épocas históricas.
b) ESTRATÉGIAS:
15
1. Aula Esportiva
2. Resumo de textos
3. Caminhada
4. Construção de mapas
5. Construção de textos
6. Elaboração de cardápios
7. Observação dos fenômenos naturais e suas transformações
8. Trabalhos com reportagem de jornais
9. Produção de trabalhos artísticos
c) CONTEÚDOS INTEGRADOS:
- Perceber a importância do estudo dos diversos Componentes
Curriculares para compreensão da formação social e sua relação com o
meio;
- Construir por meio da linguagem escrita e oral um discurso
articulado sobre as semelhanças e diferenças do meio em que vive com
outros espaços e lugares;
- Compreender a desigualdade social como consequência da
ocupação da terra e das ações do homem;
- Compreender as manifestações da cultura corporal, reconhecendo
respeitando as diferenças de desempenho, linguagem e expressão.
- Estudo do meio.
d) CARGA HORÁRIA MÍNIMA DO CURSO E DOS
COMPONETES CURRICULARES:
- Ensino Fundamental – Regular – Ciclo II e Ensino Médio Diurno:
Carga horária anual de 1200 aulas, com 1000 horas.
16
V – PLANOS DE TRABALHO DOS DIFERENTES NÚCLEOS
a) NÚCLEOS DE DIREÇÃO (DIRETOR E VICE-DIRETOR)
Para assegurarmos o objetivo principal da escola “ensino de
qualidade”, preocupa-nos, primeiramente, tomar a escola um ambiente
agradável ao corpo discente, docente, funcionários do setor administrativo
e comunidade. A seguir apresentaremos nossa proposta na seguinte
sequencia: corpo discente, corpo docente, setor administrativo e
comunidade.
b) CORPO DISCENTE
Preocupados em oferecer uma formação de melhor qualidade e,
portanto, de competitividade diante das exigências do mercado de trabalho,
desenvolvendo a mesma responsabilidade de atuar como cidadãos
participativos em nossa sociedade. Mantendo os alunos ocupados o tempo
todo com projetos, de forma que os mesmos percebam sentido naquilo que
fazem e aprendem na escola, e ainda que descubram que tem talentos e são
valorizados em seus esforços.
Pensando nesta questão, refletimos e promovemos ações para
melhorar os índices de promoção, frequência e permanência do aluno na
escola, assim como detectar a causa do comportamento agressivo por parte
de alguns alunos.
Levando-se em conta o momento de transformações em que
vivemos, “promover a autonomia para aprender”, deve ser a preocupação
central, já que o saber de futuras profissões na era tecnológica pode estar
ainda em gestação, devendo buscar competências que possibilitem a
independência de ação e aprendizagem.
17
Estaremos desenvolvendo ações e estratégias que possibilitem
acompanhar o rendimento diário do aluno em sala de aula, identificando as
dificuldades de cada um e as possíveis causas do baixo rendimento, para
assim atuarmos através de orientação e interação entre pais e professores,
garantindo a promoção efetiva da aprendizagem.
Acreditamos que, ao desenvolvermos este projeto, estaremos
elevando a autoestima do educando, e consequentemente, resgatando a sua
cidadania, preparando-os para inserção na sociedade.
Objetivos:
- Fazer com que o aluno veja a escola como algo prazeroso que lhe
proporcione, além de novos conhecimentos, o emprego destes no seu
cotidiano;
- Diminuir a agressividade e violência dentro e fora da escola;
- Trazer os pais para escola de forma ativa e participativa da vida
escolar de seus filhos;
- Diminuir o índice de evasão e baixo rendimento escolar, provando
ao aluno que sua permanência na escola o tornará responsável, crítico e que
estará preparado para o mercado de trabalho;
- Adquirir os princípios éticos e morais “mínimos” para um convívio,
em grupo, numa sociedade individualista;
- Proporcionar um contato maior entre alunos e pais, despertando em
ambos a necessidade da paciência, do carinho e da compreensão para um
relacionamento saudável;
- Despertar os alunos e a comunidade escolar para a importância dos
ensinamentos das diversas disciplinas na formação de um indivíduo
“integral”, sem fragmentação;
18
- Ver o outro um ser dotado de potencialidades a serem descobertas e
também descobrir as próprias potencialidades;
- Expressar-se com clareza fazendo com que os vínculos que o torna
rebelde, arredio, possam ser esquecidos, fazendo-o se sentir amado, feliz e
capaz de algo produtivo;
- Desenvolver o hábito de estudos (Parâmetros Curriculares
Nacionais).
Metodologia:
Fundamentação: Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais –
PCNs, a abordagem de temas transversais relacionados a sociedade no
contexto escolar é uma excelente ferramenta educativa para a percepção e
conscientização do aluno, do meio e dos problemas que vivencia.
A Ética e a Cidadania são temas prioritários para que amplie a visão
de mundo e participação social.
Como ensinar ética e cidadania se não na prática e no conhecimento
real do problema que a sociedade nos apresenta?
Trabalho Coletivo:
Orientação aos alunos, conscientizando-os sobre a importância da
assiduidade e participação ativa em sala de aula.
- Abordagem do tema ética e Cidadania;
1. Conceitos
- O que é ética e cidadania;
- Formação intelectual e moral do cidadão como suporte da
preservação biológica e da dignidade humana;
19
- Sociedade conflito e convivência – ambiente escolar
cuidados/preservação;
- Cultura: informação e formação.
2. Questões norteadoras no contexto disciplinar:
- Quais os problemas sociais que revelam a ausência da ética e da
cidadania?
- Quais as alternativas para solucionar ou conviver humanamente
com esses problemas?
- Que setores sociais atualmente estão agindo e descobrindo
soluções?
3. Socialização do estudo:
Cada aluno deverá fazer uma redação sobre o tema estudado,
enfocando: normas de convivência, respeito mútuo, preservação do
patrimônio.
Como ser cidadão sem exercer na verdade o direito e o dever eu a
ele compete?
Como falar em ética sem ver de perto as necessidades mais
gritantes da vida humana e que precisam de solução urgente?
Pensando nestas questões propomos a seguinte metodologia:
PRIMEIRA ETAPA
Reunião com Pais, alunos, professores e equipe gestora;
a) Abordagem
- Responsabilidade e obrigações dos pais ou responsáveis
previstas no ECA, na Constituição Federal, na LDBEN e
Regimento Escolar;
20
- Função Social da Escola;
- Objetivos do Ensino Fundamental / Médio;
- Sistemática de trabalho de cada Professor;
- Explanação dos problemas indisciplinares da classe;
- Medidas Sócio-educativas da escola previstas no Regimento
Escolar;
- Implantação da planilha de acompanhamento das atividades
realizadas pelos alunos em sala de aula.
SEGUNDA ETAPA
As redações serão trabalhadas no decorrer do bimestre, durante as
aulas de Projeto de Leitura, através de leitura, discussão e reescrita.
4. Palestra:
Tema: Qualidade de vida
TERCEIRA ETAPA
1 – Orientação aos Pais:
Convocação dos pais ou responsáveis dos alunos que não estão
desenvolvendo atividades em sala de aula.
- Dar ciência sobre a situação escolar de seus filhos;
- Orientação quanto a necessidade de reservar pelo menos uma
hora por dia para o filho se dedicar aos estudos.
QUARTA ETAPA
Trabalho individual:
21
Orientação individual do aluno
- Identificação das possíveis causa do baixo rendimento;
- Encaminhamento:
1) Trabalhos diferenciados,
2) Projeto de Reforço e Recuperação Paralela,
3) Fonoaudiólogo, psicólogo, oftalmologista entre outros.
Avaliação:
A avaliação será feita de forma contínua, a cada etapa desenvolvia
será proposto o levantamento dos pontos positivos e negativos enfrentados,
assim como as sugestões para futuros acertos.
A avaliação também é coletiva com base nos resultados concretos
obtidos a cada etapa do projeto: observada a diminuição dos casos de
alunos com baixo rendimento.
O objetivo principal no processo de avaliação é verificar os
resultados no dia a dia do educando, de valorização, crescimento da
autoestima e estímulos em busca de uma melhor qualidade de ensino.
a) Corpo Docente
Para garantia de um trabalho eficiente por parte do corpo docente,,
organizaremos orientações técnicas, dos próprios professores com
apresentação dos trabalhos desenvolvidos.
Estas orientações serão coordenadas pelo PCP, sob a supervisão do
núcleo de direção. Os trabalhos realizados serão expostos no retroprojetor
mostrando os resultados atingidos pelos alunos. Além da continuidade dos
procedimentos que já são praticados como: verificação de diários,
conteúdos, avaliações e integração professor/aluno e comunidade.
22
b) Técnico Administrativo e Operacional
O secretário é um dos elementos a quem a diretoria delega poderes.
Sua posição é tão importante que um dos requisitos para autorização de
funcionamento de uma escola é a existência de um secretário. Sua função é
a de coordenar uma equipe que colabore com a diretoria da escola capaz de
atender as necessidades de suas comunidades interna e externa.
Traçamos como meta:
- Organizar racionalmente o trabalho;
- Aproveitar os talentos da equipe;
- Simplificar processos e métodos de trabalho;
- Aproximar-se de seus usuários e antecipar suas necessidades;
- Trabalhar com eficiência, reduzindo os desperdícios;
- Planejar e dirigir, avaliar e controlar as atividades da
secretaria em consonância da escola.
Para atingirmos as metas acima, assessoramos e supervisionamos
todas as atividades administrativas, mantendo sempre a harmonia de
propósito e de princípios. Para sermos capazes de atingir essas metas, o
núcleo da direção se capacitou na execução de todos os trabalhos que
cabem a secretaria da escola.
Quanto ao operacional, temos investido na integração dos mesmos
com o objetivo da divisão de trabalho desenvolvendo o espírito de
cooperação, prestando suas tarefas com zelo, mantendo os ambientes
limpos e confortáveis. Tendo uma postura responsável em relação ao
atendimento aos alunos, professores, comunidade, já que também fazem
parte da equipe educacional.
23
c) Técnico Pedagógico – PCPs
Objetivos Gerais:
Esta proposta tem como princípio motivar o interesse e a vontade de
estudar com o propósito de diminuir o número de alunos faltosos. Serão
abordados trabalhos com temas que se aproximem da realidade dos alunos
relacionados aos temas transversais. Além de incentivar os alunos, também
fornece assistência didático-pedagógica aos professores na elaboração e
desenvolvimento de projetos.
Estratégias:
- Acompanhar o rendimento escolar dos alunos através da
verificação dos resultados das avaliações e sempre que necessário propor
trabalhos de recuperação com atividades diferenciadas dentro do conteúdo
não dominado pelo aluno;
- Descobrir as causas do baixo rendimento e faltas, promovendo a
integração entre as famílias, equipe gestora e docente para buscar soluções
adequadas;
- Programar atividades extracurriculares para desenvolver
conhecimentos culturais, além de proporcionar a alunos e professores a
integração;
- Proporcionar a troca de experiências nas ATPCs;
- Avaliar as estratégias, replanejando-as sempre que necessário;
- Elaborar e acompanhar o projeto de reforço e recuperação paralela
aos alunos com dificuldades de aprendizagem.
24
Horário das ATPCs e forma de organização
- Terça-feira: 12:20h às 13:10 h e das 13:10h às 14h.
Serão discutidos assuntos ligados a formação pedagógica do
professor, tais como metodologia, avaliação, trabalho coletivo e projetos.
- Quintas-feiras: 12:20h às 13:10 h e das 13:10h às 14h.
Reunião por área e série, afim de analisarem o trabalho pedagógico
a ser desenvolvido na semana subsequente, elaboração de projetos,
frequência e rendimentos dos alunos.
Análise do trabalho pedagógico, tais como: metodologia e avaliação,
trabalho coletivo e atividades do ensino fundamental em rede.
Observação: Todos os ATPCs são registrados em Ata.
d) Técnico Administrativo
Objetivos:
Por ser a secretaria um setor que se relaciona com todos os demais
envolvidos no processo pedagógico e na vida escolar, o objetivo principal é
interagir de forma a atender com presteza a todos.
A secretaria e suas interações:
1) Com a Direção: Assessoria, execução, coordenação e supervisão das
atividades administrativas sob sua responsabilidade e harmonia de
propósitos e de princípios;
2) Com a Supervisão: Colaboração e apresentação de situações para
retificação e ratificação;
25
3) Com o corpo discente: Atendimento direto, sem intermediários e
busca de soluções;
4) Com o corpo docente: Elemento de ligação entre atividades
pedagógicas e administrativas, respeito a competência e aos métodos
do professor e postura ética;
5) Com os subordinados: Orientação e supervisão das rotinas de
trabalho estabelecidas, respeito às aptidões e habilidades de cada um;
6) Com os pais e comunidade em geral: Presteza de informações, busca
de soluções e respeito ao sigilo profissional;
7) Com os órgãos colegiados: Subsidiar com informações e formar o
apoio ao bom andamento das reuniões.
Funcionamento da Secretaria
O Horário de atendimento ao público é das 07:00h às 18:30h.
Organização: Técnicas de Arquivamento
Os documentos são arquivados por data e assunto.
Protocolo e registro
Utilizados para que atestem a expedição e o recebimento de
documentos, esclarecendo dúvidas e permitindo consulta rápida.
Escrituração Escolar
De acordo com a Lei nº 9394/09, compete as escolas a organização
de seus próprios modelos de registro com exceção dos citados abaixo:
- Livros e arquivos;
- Matrícula – em ordem alfabética, por série, turno e ano letivo;
- Resultados Finais – por série, turno, turma, grau e ano letivo;
26
- Resultados de recuperação – por série, por turno, por turma e por
semestre.
Atas de Reclassificação
Por aluno, com os resultados com indicação ou não por série
subsequente.
Atas de Reuniões
- Assinadas por quem a secretariou e por todos aqueles que estiverem
presentes. Obedecem em estilo a forma de redação oficial.
- Fichas de controle de aproveitamento escolar;
- Formulários de recuperação, dependência e adaptação;
- Diários de classe;
OBS.: Todos organizados por nome, série e ano.
Utilização dos computadores na Secretaria
As atividades da secretaria são particularmente beneficiadas pelo
computador, por se tratarem frequentemente do registro de informações,
passível de ser digitados em programas próprios, tornando o processo mais
rápido e mais seguro, além de agilizar o processo de transmissão de
informações e de arquivamento de documentos, reduzindo os espaços e
tornando mais fáceis as correções quando necessário.
27
VI – AVALIAÇÃO (CRITÉRIOS PARA
ACOMPANHAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO)
a) Avaliação Institucional (procedimentos internos e externos)
Para avaliarmos os resultados educacionais, realizamos uma reunião
para analisarmos o trabalho desenvolvido durante o ano, apontando os
pontos positivos e negativos, os quais são adequados nas reuniões de
planejamento no início do ano.
Os índices de aprovação, avaliações externas, a participação dos pais
no acompanhamento escolar e a frequência dos alunos são subsídios
utilizados para avaliarmos os resultados obtidos pela escola quanto a
aprendizagem.
A frequência e os resultados das avaliações são acompanhadas
durante as reuniões de Conselho de Classe e também nas reuniões das
ATPCs, onde são desenvolvidas estratégias para atender as deficiências dos
alunos, no decorrer de cada bimestre.
Em relação a participação da comunidade na tomada de decisões
percebemos que em 2014 houve um aumento considerável da frequência e
envolvimento dos pais. Durante as reuniões muito deles expressam suas
opiniões na resolução dos problemas apontados, esta participação já pode
ser considerada voluntária, uma vez que, em anos anteriores tínhamos
dificuldade para compor os colegiados.
b) Avaliação do Ensino Aprendizagem (procedimentos internos e
externos)
Tomando como referência o SARESP realizado em 2014
procuramos diversificar as atividades pedagógicas, trabalhando com a
interdisciplinaridade com a finalidade de sanar as dificuldades detectadas.
28
Caminhamos sempre no propósito de diminuir os índices de retenção
e evasão, através do acompanhamento dos projetos desenvolvidos, dos
resultados nas avaliações, acompanhamento de pais, reunião com conselho
de escola, mediação da equipe gestora com os coordenadores.
[...] avaliar é conhecer, é contrastar, é dialogar, é indagar, é argumentar,
é deliberar, é raciocinar, é aprender. Em termos gerais, realmente
comprometidos com a racionalidade prática e crítica, quem avalia quer
conhecer, valorizar, ponderar, discriminar, discernir, contrastar o valor
de uma ação humana, de uma atividade, de um processo, de um
resultado. Avaliar é construir o conhecimento por vias heurísticas de
descobrimento. (Alvarez Mendez, 2002)
A partir dos resultados do SARESP 2014 promovemos a reflexão, a
autoavaliação e o replanejamento das ações pedagógicas da escola,
redefinindo estratégias/ações de trabalho para melhoria dos resultados
educacionais.
SARESP na Escola 2015
Atividades programadas:
1 – Exposição dialogada sobre as finalidades do Saresp e sua definição e
aplicabilidade com base no Documento Sumário - SEE.
2 – Apresentação dos Resultados da Escola:
- nível de proficiência (abaixo do básico, básico, adequado, acima do
adequado);
- análise comparativa dos resultados – de 2012 a 2014 (evolução do índice
abaixo do básico e acompanhamento das séries avaliadas);
- análise dos resultados da AAP e ADS (2015).
3 – Apresentamos o que se espera da aprendizagem dos alunos ao final de
cada série/ano avaliado (Relatórios Pedagógicos) através da:
- retomada das expectativas de aprendizagem;
- análise, em grupos por área, de algumas questões constantes nos relatórios
que deverão ser escolhidas de acordo com o nível de desempenho dos
alunos;
29
- análise permeando as seguintes questões norteadoras:
avancem em suas hipóteses?
sala de aula de articular a situação acima com as
questões da AAP que os alunos tiveram dificuldades?
que se refere ao conhecimento dos alunos para a série indicada nas
expectativas de aprendizagem?
4- Em grupos estudamos e socializamos os Relatórios Pedagógicos (Língua
Portuguesa; Matemática; Ciências e Ciências Humanas-2014), abordando:
- o que deve ser trabalhado em cada série (verificando o nível de
proficiência adequado)?
- quais as dificuldades apresentadas pelas turmas da escola (verificando
nível de proficiência abaixo do básico e básico e o que falta para alcançar o
adequado)? Observando os resultados dos Boletins.
- quais ações já foram desenvolvidas considerando os resultados do
IDESP?
- informações dos Relatórios para a atuação docente (apontar
potencialidades e fragilidades).
5 – Para finalizar, a equipe gestora propôs a reflexão sobre as ações
específicas que podem ser desenvolvidas pelos gestores da escola (PC
Selma e Diretora Maria Cecília) e os professores para auxiliar os alunos a
avançarem em suas aprendizagens, a saber:
a) Utilização de instrumentos de acompanhamento:
- planejamento do professor e planejamento das ATPC, registros, portfólios
(de duas naturezas - atividades de alunos e de professores), mapas de
sondagem, relatórios, análise de rotina, caderno volante ou piloto, plano
emergencial da própria escola, listagem nominal dos alunos acompanhados
no plano de recuperação da escola, controle de faltas, entre outros.
b) Análise das atividades planejadas:
- verificar a adequação de atividades para os alunos, refletindo se são ou
não voltadas para a análise e reflexão sobre a competência leitora e
30
escritora, se atendem as expectativas de aprendizagem e se as condições
didáticas necessárias para o ensino da leitura e da escrita estão garantidas;
- revisitar os materiais didático-pedagógicos da SEE, selecionando ou
adequando atividades;
- descrever as dificuldades apresentadas pelos alunos na realização das
atividades.
c) Análise da organização do plano de recuperação:
- formação de grupos de apoio;
- recuperação (horário e número de alunos de recuperação e suas séries,
formação de turmas);
- organização da sala de aula (ex. formação de agrupamentos produtivos) e
da escola no atendimento aos alunos com dificuldades de aprendizagem.
d) Implementação da avaliação formativa diante das dificuldades dos
alunos
- organizar e estruturar os instrumentos internos de avaliação numa
perspectiva formativa; promover devolutivas que auxiliem os alunos a
entender o seu percurso de aprendizagem e ao professor redimensionar suas
estratégias de ensino.
31
PLANILHA DE AUTOAVALIAÇÃO DA ESCOLA 2015 – ESTABELECENDO METAS
AutoAvaliação
A escola que tínhamos
(autoavaliação)
A escola que temos hoje Metas (a escola que
queremos)
Potencialidades Dificuldades Potencialidades Dificuldades
1 – Gestão de
pessoas
Bom
entrosamento e
integração entre
docentes,
discentes e
funcionários
Integração e
envolvimento entre
os períodos
Um grande
número de
professores
titulares, bom
entrosamento
Integração entre
todos os períodos
Interagir de forma a
melhorar o
entrosamento e a
comunicação entre
todos: professores,
alunos, funcionários e
equipe gestora.
2 – Gestão
participativa
Comunicação e
envolvimento
Envolver como um
todo a comunidade
nas tomadas de
decisões
Participação e
envolvimento da
comunidade com
a Escola de um
modo geral
Reunir todos os
envolvidos
Conscientizar todos
os segmentos da
importância da
participação ativa nas
tomadas de decisão
3 – Gestão
pedagógica
Integração e
participação da
equipe gestora
Melhor
aproveitamento
como um todo,
ocasionando
alguns problemas
de aprendizagem
Melhor
integração e
participação da
equipe gestora
De maior
envolvimento nos
projetos e ações
por parte dos
professores
Organizar e dividir as
tarefas com mais
eficiência priorizando
o acompanhamento e
a orientação ao
trabalho do
coordenador,
proporcionando aulas
com mais qualidade
32
4 – Gestão de
serviços de
apoio (recursos
físicos e
financeiros)
Número de
funcionários
suficientes.
Recursos
financeiros não
atendiam com
prioridade
investimentos de
manutenção
A escola possui
clientela oriunda
de bairros
distantes.
Estimular o
envolvimento da
comunidade nas
ações envolvidas
Melhor
integração dos
funcionários
Recursos
financeiros
distribuídos de
forma a atender
as prioridades
Em melhor
integrar e
capacitar os
funcionários para
um melhor
atendimento.
Recurso
financeiro
insuficiente para
atender a todas as
prioridades
Aumentar a qualidade
no atendimento e
tornar o funcionário
capacitado para
enfrentar qualquer
tipo de problema e
solucioná-lo.
Elaborar estratégias
para aumentara
arrecadação dos
recursos próprios.
5 – Gestão de
resultados
educacionais
Auto índice de
evasão escolar
Comunicação com
os pais ou
responsáveis
Diminuição da
evasão escolar
Problemas de
ordem social
Conscientizar os pais
da obrigatoriedade
legal da matrícula,
frequência e
acompanhamento
escolar de seus filhos
QUADRO DE METAS DECORRENTES DA PROPOSTA PEDAGÓGICA
Metas a longo prazo
(triênio/quadriênio)
Metas a média prazo
(ano/biênio)
Metas a curto prazo
(bimestre/semestre)
1 – Gestão de pessoas
Todos os segmentos utilizem a
mesma linguagem, diante das
necessidades reais da comunidade
Diagnosticar quais são as
questões que refletem
negativamente dentro da escola,
Desenvolver estratégias
de diagnósticos dos
problemas mais graves
33
escolar dificultando a interação e
comunicação na U.E.
2 – Gestão
participativa
Atingir índices mais elevados de
participação, tanto nos colegiados
como na reformulação da Proposta
Pedagógica, Regimento e Plano de
Gestão
Investir na construção de
projetos voltados para a
socialização
Envolver a comunidade
nos projetos da Escola
3 – Gestão
pedagógica
Atingir resultados eficientes no
processo de formação social dos
alunos
Elaborar estratégias em conjunto
com os coordenadores e
professores para melhorar a
qualidade das aulas
Diagnosticar as
principais dificuldades
de aprendizagem dos
alunos
4 – Gestão de
serviços de apoio
(recursos físicos e
financeiros)
Resgatar a credibilidade do processo
de ensino-aprendizagem tornando a
comunidade mais ativa na resolução
dos problemas da Escola.
Melhoria do Prédio Escolar como:
cobertura da quadra e salas
ambientes
Atender a comunidade,
professores e funcionários com
eficiência
Melhorar o atendimento
aos pais, dando-lhes
ciência do rendimento
escolar dos alunos.
Investimentos na
comodidade dos alunos
e professores e
aquisição de materiais
pedagógicos.
5 – Gestão de
resultados
educacionais
Diminuir em 100% a evasão escolar,
propiciando a formação integral dos
alunos, assegurando-lhes o acesso, a
permanência e o sucesso escolar.
Criar estratégias levando o
educando a adquirir gosto pela
permanência na escola
Conscientização dos
pais sobre a legalidade
do acompanhamento
escolar de seus filhos
34
QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA PEDAGÓGICA
2015
DIMENSÃO DA GESTÃO
ESCOLAR ENVOLVIDA
Gestão de Pessoas
META ESTABELECIDA
CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE
Diagnosticar os problemas e as
questões que refletem negativamente na
escola dificultando a interação com o
propósito de atingir todos os segmentos
a fazerem uso da mesma linguagem
Quadriênio
Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos
financeiros
Período /
cronograma de
trabalho
Responsáveis Avaliação
Reuniões com
todos os
professores
Projetos
Professores e
equipe gestora
Todos os
segmentos
Alunos
Alunos e
comunidade
Sem
necessidade
Parte da verba
Dias previstos
no calendário
escolar para
reuniões
pedagógicas
Equipe gestora
Professores e
equipe gestora
Será feita através
da interação e
participação dos
envolvidos
No final de cada
bimestre e no
35
interdisciplinares
Exposição e
debates com
trocas de
experiências
escolares e
comunidade
Professores e
equipe gestora
Alunos e
professores
DMPP e
recursos
próprios
Sem
necessidade
Decorrer do ano
letivo
Quinzenalmente
Equipe gestora
final do ano
letivo, será feita
a análise dos
resultados
atingidos.
Através do
acompanhamento
das atividades
propostas em
sala de aula
QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA
PEDAGÓGICA
DIMENSÃO DA GESTÃO
ESCOLAR ENVOLVIDA
Gestão Participativa
META ESTABELECIDA
CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE
Elevar o índice de participação de
alunos, professores e comunidade nos
colegiados, na reformulação da
Quadriênio
36
Proposta Pedagógica, Regimento
Escolar e Plano de Gestão, envolvendo
a todos nos projetos desenvolvidos
Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos
financeiros
Período /
cronograma
de trabalho
Responsáveis Avaliação
Família na
Escola
Aplicação de
questionário
aos pais
Professores,
alunos, pais,
funcionários e
gestores
Pais ou
responsáveis e
comunidade
Todos os
envolvidos no
processo
educativo
Alunos e
comunidade
Recursos
próprios
Recursos
próprios
Nas reuniões
bimestrais
Permanente
Gestores
Professores e
gestores
Verificação e
observação do
número de pais
presentes
Análise dos
questionários
aplicados
37
QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA
PEDAGÓGICA
DIMENSÃO DA GESTÃO
ESCOLAR ENVOLVIDA
Gestão Pedagógica
META ESTABELECIDA
CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE
Atingir resultados eficientes no
processo de aprendizagem e formação
social dos alunos, melhorando a
qualidade e rendimento das aulas,
diagnosticando as dificuldades
apresentadas pelos alunos
Quadriênio
Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos
financeiros
Período /
cronograma
de trabalho
Responsáveis Avaliação
Inclusão no
currículo dos
seguintes
temas:
Professores e
alunos
Alunos Recursos
próprios e
DMPP
No decorrer do
ano letivo
Professores e
Gestores
Através de
reuniões
pedagógicas
38
- Amamentação
- Violência e
pichação
- Drogas e
alcoolismo
- Doenças
endêmicas
- Reportagem
em geral
- Meio
ambiente
Trabalho e
consumo
- Alimentação
- Ética e
Cidadania
Trabalho
diferenciado:
- Pesquisas e
relatórios
- Músicas e
poemas
- Leitura de
livros
Professores e
alunos
Alunos
Recursos
próprios e
DMPP
No decorrer do
ano letivo
Através de
Reuniões
Pedagógicas
para avaliar a
evolução dos
alunos através
dos registros
feitos em
documentos
para avaliar a
evolução dos
alunos
39
- Filmes
- Atividades
extra-classe
- Projetos
- Meu primeiro
livro
- Jornal da
escola
- Tic/Novelas
QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA
PEDAGÓGICA
DIMENSÃO DA GESTÃO
ESCOLAR ENVOLVIDA
Gestão de Serviços de Apoio
META ESTABELECIDA
CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE
Resgatar a credibilidade no processo ensino-
aprendizagem, atender a comunidade, professores,
alunos e funcionários com eficiência e investir no
Quadriênio
40
bem estar comum a todos
Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos
financeiros
Período /
cronograma
de trabalho
Responsáveis Avaliação
Horário de
atendimento de
acordo com a
legislação
Aplicação dos
recursos
financeiros de
forma a atender
as prioridades
Funcionários,
gestores,
professores
Colegiados
Todos os
envolvidos no
processo
educacional
Todos os
envolvidos no
processo
educacional
Sem
necessidade
Verbas de
manutenção,
prestação de
serviços e
aquisição de
materiais
didáticos e
pedagógicos
Permanente
Permanente
Todos os
envolvidos
Colegiados
Através de
relatos de todos
os agentes que
utilizam o
serviço
prestado pela
Escola
Através das
reuniões da
APM, são
apresentados os
balancetes onde
são feitas as
sugestões.
41
QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA
PEDAGÓGICA
DIMENSÃO DA GESTÃO
ESCOLAR ENVOLVIDA
Gestão de Resultados Educacionais
META ESTABELECIDA
CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE
Assegurar o acesso e permanência do aluno na escola, levando-
o a adquirir gosto pelos estudos, e conscientizar os pais sobre a
legalidade do acompanhamento escolar de seus filhos.
Quadriênio
Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos
financeiros
Período /
cronograma
de trabalho
Responsáveis Avaliação
42
Apontamento das
ações positivas e
negativas através
de reuniões
Acompanhamento
dos índices de
aprovações em
concursos e
vestibulares, entre
outros fatores
específicos na
questão do ensino
aprendizagem
Elaboração de
comparativos em
relação a
frequência e
rendimento
Professores e
gestores
Professores e
gestores
Professores e
gestores
Alunos
Alunos
Alunos
Sem
necessidade
Sem
necessidade
Sem
necessidade
Bimestral
Bimestral
Bimestral
Professores e
gestores
Professores e
gestores
Professores e
gestores
Análise dos
resultados
apresentados
Análise dos
resultados
apresentados
Análise dos
resultados
apresentados
43
VIII – ANEXOS AO PLANO GESTÃO
1. Avaliação do trabalho desenvolvido pelos diversos segmentos da
Unidade Escolar no ano anterior
No decorrer do ano letivo foi possível sanar alguns problemas matérias
que minimizar as dificuldades pedagógicas. O resultado das ações colocadas
em prática no decorrer do ano serviu para minimizar as dificuldades inerentes
do processo educacional.
Acreditamos que de maneira geral, houve uma boa articulação entre as
avaliações e os conteúdos. A participação dos pais aumentou, constatamos
através de frequência nas reuniões de pais. De maneira geral, estamos
caminhando para um ambiente saudável com um bom relacionamento entre
todos, mantendo o respeito mútuo, com condições de aulas agradáveis e
rendimento satisfatório.
Relação dos projetos desenvolvidos pela Unidade Escolar na seguinte
conformidade:
- Projetos da S.E.E. nos quais a E.E. PROF. CLEÓBULO AMAZONAS
DUARTE participa:
1. Programa Jornal Escola e comunidade
Objetivos Gerais:
- Desenvolver o gosto e o hábito da leitura de jornal;
- Familiarizar o aluno com o jornal, possibilitando a formação de um leitor em
um potencial;
- Estimular o aluno a discussão de sua realidade, desenvolvendo assim, o
espírito crítico, o pensamento lógico e criativo, fazendo com que este formule
e concretize a resolução de problemas intrínseco à sua realidade e o mundo
que o cerca;
- Possibilitar ao aluno o enriquecimento do seu universo existencial,
integrando-o com o que se passa em outras regiões, países ou quer que seja no
mundo globalizado;
- Desenvolver o pensamento crítico e objetivo nos mais diversos setores da
atividade humana, através da leitura do jornal e das pesquisas que este
possibilita;
44
- Propiciar as práticas multidisciplinares e interdisciplinaridade, possibilitando
ao professor recursos e apoio ao conteúdo curricular e classificação do
material jornalístico;
- Aplicar a leitura do jornal como um recurso fortalecedor na formação da
cidadania.
2. Projetos especiais do Jornal Escola
- Qualidade de vida
- Construindo a Cultura Regional
- Cidadania metropolitana
- Cultura Marítimo-Portuária
- Desenvolvimento Sustentável
- Educação de valores
- Educação Emocional
- Orientação para o Mercado de trabalho
- Educação Política
- Educação Fiscal
- Charges
- Informática
- Preservação da memória
- Lições de vida
3. Prevenção também se ensina
Este projeto tem como propósito proporcionar um simpósio de
informação sexual na escola com extensão à comunidade, com abordagem de
textos informativos com o intuito de desmistificar e reverter à informação
sexual sob a égide dos pais, uma vez que há ainda a rejeição de alguns deles
por falta de esclarecimento a seriedade a que se propõem.
Pretende-se formar parcerias com profissionais como médicos,
psicólogos e profissionais da saúde para apresentação de palestras sobre
gravidez, aborto, DST e outros.
45
4. Projeto de Leitura
Este projeto propõe criar hábitos de leitura, além de sanar as
dificuldades apresentadas pelos alunos.
Resultados: Todos os projetos descritos acima vêm apresentando bons
resultados, embora seja de efeito a longo prazo já nota-se a diminuição do
número de adolescentes grávidas, quanto a leitura à procura por livros na sala
de leitura aumentou significativamente. A recuperação paralela tem auxiliado
muito no trabalho do professor na sala de aula, além de dar ao aluno a
oportunidade de sanar as dúvidas.
5. Projetos criados e desenvolvidos na Unidade Escolar
- Família na Escola
- Meio Ambiente
- Meu primeiro livro de estória
- Tic/Novelas
- PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA / UM DIA NA ESCOLA DO
MEU FILHO
Uma boa escola abre suas portas para a comunidade, e se torna sua
aliada na luta pela aprendizagem de sua clientela, desenvolvendo assim o
verdadeiro sentido de cidadania.
O primeiro passo é conscientizar sua clientela a participar do Conselho
de Escola, da formação da APM, assim ajudando a construir uma escola forte
e com compromisso com a educação.
É participando que se cria vínculos e fortalece a democracia
trabalhando e criando verdadeiros cidadãos.
“Um sonho que se sonha junto vira realidade”
- Meio Ambiente:
A preservação do nosso planeta é urgente e necessário, pensando nisso
a comunidade escolar desenvolveu o projeto de reciclagem do lixo urbano.
46
Desde cedo a clientela escolar aprende a reciclar e coletar corretamente
papel, metal, plástico e vidro. Utiliza-se para isso latões coletores que ficam
colocados ao alcance de todos.
Com esse projeto, a escola cumpre seu papel de conscientização dos
alunos quanto ao reaproveitamento de matérias descartados em nosso dia-a-
dia.
- Meu primeiro livro de estória:
Trabalhando em conjunto com o projeto Jornal Escola, esse projeto leva
as crianças a conhecer a importância da leitura em seu desenvolvimento
educacional.
O manuseio do livro faz com que o educando viaje para um mundo de
fantasia onde a imaginação é o meio de transporte existente.
“Um país se forma com homens e livros”.
- Tic / Novelas:
A televisão é um meio de comunicação mais popular de todos os
tempos, sendo assim não se pode deixar de utilizá-la como ferramenta para o
dia-a-dia educacional.
É na hora das novelas que as famílias modernas se reúnem e é a partir
desse cotidiano que podemos fortalecer a ética, o censo de certo e errado,
hábitos e conceitos das nossas crianças.
Esse projeto pretende levar as crianças ao mundo observatório e crítico
quanto ao tema, utilizando-se da escrita, pesquisa, entrevistas, debates e
leitura dentro do contexto.
Horário de trabalho da Professora Coordenadora da Unidade Escolar
Professora Coordenadora – Selma Faria
2ª f, 5ª f e 6ª f
Das O9:30h às 13:30h e das 14:30h às 18:30h.
3ª f e 4ª f
Das 7h às 11h e das 12h às 16h.
47
- Organização das horas de Trabalho Coletivo, explicitando o temário e o
cronograma.
ATPC
3ª f das 12:20h às 13:10h e das 13:10h às 14h
5ª f das 12:20h às 13:10h e das 13:10h às 14h
Diante a importância da formação continuada dos professores e a fim de
promover a junção entre teoria e prática pedagógica, há na escola, tanto no
ensino fundamental quanto no médio, a Aula de Trabalho Pedagógico
Coletivo (ATPC), realizada semanalmente conta com 100 (cem) minutos de
duração para cada segmento.
Neste tempo os educadores se reúnem e recebem orientações de um
profissional, geralmente o coordenador pedagógico. As finalidades destas
reuniões é abordar acontecimentos ocorridos em sala de aula, problemas com
alunos, práticas pedagógicas, além de propostas de ensino que possam ser
reavaliadas e replanejadas, tendo em vista as diretrizes comuns que a escola
pretende imprimir ao processo ensino aprendizagem.
O intuito desta proposta é auxiliar a prática pedagógica e orientar os
profissionais visando à melhoria educacional e o relacionamento professor e
aluno.
A ATPC tem como objetivo principal promover a troca de experiência
profissional, possibilitando assim a reflexão sobre a prática docente para que
seja viável e se torne concreto o aperfeiçoamento individual e coletivo dos
educadores.
Na E.E. PROF. CLEÓBULO AMAZONAS DUARTE a ATPC acontece de
forma que:
-Identifique o conjunto de características, necessidade e expectativas da
comunidade escolar;
-Aponte e priorize os problemas educacionais a serem enfrentados;
-Levantem os recursos materiais e humanos disponíveis que possam subsidiar
a discussão e a soluça dos problemas;
48
-Proponham alternativas de enfrentamento dos problemas levantados;
-Proponham um cronograma para a implementação, acompanhamento e
avaliação das alternativas selecionadas.
Além disso, ainda de acordo com a Portaria CENP nº 01/96; LC nº836/97,
BRASIL é necessário que sistematicamente as reuniões sejam registradas pela
equipe de professores e coordenação através de livro ata, com o objetivo de
orientar o grupo quanto ao replanejamento e a continuidade do trabalho.
Tornar as reuniões da ATPC eficazes é meta a ser atingida, para que esta, seja
uma das ferramentas para o professor avaliar, refletir e melhorar sua prática
docente.
TEMÁRIO E CRONOGRAMA DAS ATPCs
Segue o cronograma e temário das reuniões:
FEVEREIRO
 A avaliação entendida como um processo contínuo
 A competência linguística como um bem cultural
 A homofobia no ambiente escolar: uma relevante discussão
 A importância da boa postura profissional
 A importância da escolha por um ensino de melhor qualidade
 A importância da música no processo de ensino-aprendizagem
 A importância da parceria família e escola
MARÇO
 A importância de planejar o estudo
 A importância dos pais no incentivo à pesquisa escolar
 A interação Família X Escola é a grande responsável pelo bom
desempenho dos alunos
 A interação família x escola – Uma parceria rumo ao aprendizado
 A orientação prévia – Uma iniciativa rentável
 A participação dos pais no início das aulas
49
 A pertinência da relação Professor X Aluno – Uma análise disciplinar
ABRIL
 A prática da rotulação no processo de ensino-aprendizagem
 A primeira reunião de pais: confiabilidade mútua
 A superação da didática tradicional
 Agir segundo os princípios éticos... pais e educadores como mediadores
na construção da moralidade?
 Agressões na Sala de Aula
 Articulação da escola com a família
 As atividades extraclasse - Um complemento da aprendizagem
MAIO
 As consequências de ser professor
 As redes sociais como aliadas da aprendizagem
 Atuação dos pais na educação
 Aula Expositiva: a eficácia ainda se mantém
 Avaliação Escolar
 Boa Postura na Sala de Aula
 Brincadeiras e Valores Humanos
JUNHO
 Como construir história em quadrinhos com os alunos
 Como estimular a leitura
 Como falar às crianças sobre sexualidade?
 Como orientar os alunos com dificuldades na leitura
 Como proceder com alunos desmotivados
 Como utilizar a televisão na educação da criança
 Comunicação entre família e escola: transparência nas informações
AGOSTO
 Crianças e Combinados
 Crianças e Esportes
50
 Cultura
 Definindo estratégias acerca dos métodos avaliativos
 Definindo propósitos frente ao planejamento pedagógico
 Desafios impostos à aprendizagem: Elogios x Recompensa
 Desempenho escolar
SETEMBRO
 Despertando a noção de valores por meio de uma temática reflexiva
 Dicas para um melhor aproveitamento das aulas
 Diferenciando o mau leitor do indivíduo disléxico
 Discorrendo acerca de uma problemática cotidiana – a evasão escolar
 Discutindo a relação entre jovens, pais e educadores perante a fase da
adolescência
 Educação da Criança
 Ensinar significa preparar para a vida
OUTUBRO
 Família e Escola
 Formas de contribuir com o indivíduo disléxico
 Hábito de ler: os benefícios de sua aquisição
 Hiperatividade na escola
 Indisciplina e notas baixas
 Indisciplina Escolar
 Influências da história em quadrinhos na educação
 Jogos, brinquedos e brincadeiras no aprendizado da criança
 Lidando com a heterogeneidade no ambiente escolar
NOVEMBRO
 Métodos avaliativos – Uma reformulação pedagógica
 O fazer pedagógico mediante o convívio com as altas habilidades
 O processo avaliativo sob um novo olhar
 O que se pode dizer sobre Limites
 O trabalho em grupo – uma benéfica proposta metodológica
51
 O uso da internet na Educação
 Os jovens estão mais violentos... O que a escola tem a ver com isso?
 Palavrões
 Papéis do professor
 Passos norteadores de uma boa pesquisa – Uma discussão
metodológica
DEZEMBRO
 Paz na Escola
 Planejando estratégias que visem contornar futuros obstáculos
 Procrastinação – o estudo sempre fica para depois
 Professor incentivador da leitura
 Relações Humanas e as Atividades Lúdicas e Esportivas
 Saúde na escola
 Sociabilizar – Eis a proposta com base nos trabalhos em grupo
 Trabalhando a educação preventiva na escola
 Utilizando a tecnologia com moderação
 Utilizando histórias para trabalhar sentimentos - Metáforas
52
Considerações finais
Plano de Gestão 2015-2018, uma peça gerenciadora do Projeto Pedagógico e
do Plano de Ensino.
Efetivamente, o mais importante componente do Plano de Gestão é o que se
relaciona à operacionalização e acompanhamento dos objetivos e metas do
Projeto Pedagógico e do Plano de Ensino, posto que através do registro das
ações planejadas e desenvolvidas, é possível verificar os esforços de toda
comunidade escolar na construção da melhoria qualidade do ensino que
oferecemos aos alunos.
Acreditamos que o Plano de Gestão é o operacionalizador e gerenciador do
Projeto Pedagógico, ele deve avaliar os objetivos e metas do PP, pelo menos,
semestralmente.
Daí a importância da participação de todos os atores da comunidade escolar e
entorno da escola, ou seja, de supervisores, diretores, professores, pais, alunos
e servidores reunirem-se, periodicamente, para avaliar aquilo que o Plano de
Gestão se comprometeu a gerenciar.
Somente dessa maneira será possível torná-lo um documento de real utilidade
para o processo pedagógico das escolas.
Santos, 09 de novembro de 2015.
Maria Cecília Vanzela de Souza
Diretora da Escola

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarMaryanne Monteiro
 
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Eveline Sol
 
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar LOCIMAR MASSALAI
 
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia piEdleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia piMauricioCosta1
 
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013Adilson P Motta Motta
 
Pauta planejamento 2012 1º
Pauta planejamento 2012     1ºPauta planejamento 2012     1º
Pauta planejamento 2012 1ºNethy Marques
 
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoPLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14
Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14
Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14Eefm Lima
 
Plano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoPlano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoCÉSAR TAVARES
 
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADEPPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADEQUEDMA SILVA
 
Plano intervenção
Plano intervençãoPlano intervenção
Plano intervençãojosihy
 

Mais procurados (20)

Plano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógicaPlano de ação para coordenação pedagógica
Plano de ação para coordenação pedagógica
 
Relatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolarRelatório de gestão escolar
Relatório de gestão escolar
 
Plano de ação 2011
Plano de ação 2011Plano de ação 2011
Plano de ação 2011
 
Ap. plano de ação
Ap. plano de açãoAp. plano de ação
Ap. plano de ação
 
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
Plano de-ac3a7c3a3o-modelo-01
 
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar Plano Anual de Ação da Direção Escolar
Plano Anual de Ação da Direção Escolar
 
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia piEdleide e jô plano de ação  (direção) cosma ramos - marcolândia pi
Edleide e jô plano de ação (direção) cosma ramos - marcolândia pi
 
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa  Ano 2013
Plano de Ação da Escola Dinare Feitosa Ano 2013
 
Pauta planejamento 2012 1º
Pauta planejamento 2012     1ºPauta planejamento 2012     1º
Pauta planejamento 2012 1º
 
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoPLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
PLANO DE GESTÃO ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
 
Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14
Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14
Ata da reunião do conselho escolar 15/01/14
 
Conceitos sobre PPP
Conceitos sobre PPPConceitos sobre PPP
Conceitos sobre PPP
 
Plano de Ação Pedagogo
Plano de Ação PedagogoPlano de Ação Pedagogo
Plano de Ação Pedagogo
 
Pauta
PautaPauta
Pauta
 
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
Plano de ação pedagógica 2009   anandreiaPlano de ação pedagógica 2009   anandreia
Plano de ação pedagógica 2009 anandreia
 
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADEPPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
PPP - SLIDES DE APRESENTAÇÃO PARA A COMUNIDADE
 
Ficha de conselho de classe
Ficha de conselho de classeFicha de conselho de classe
Ficha de conselho de classe
 
Plano intervenção
Plano intervençãoPlano intervenção
Plano intervenção
 
Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1Plano de gestão CHAPA 1
Plano de gestão CHAPA 1
 
Plano de gestão escolar 2016
Plano de gestão escolar 2016Plano de gestão escolar 2016
Plano de gestão escolar 2016
 

Destaque

Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloDaniel Santos
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola SONIA BERTOCCHI
 
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogicaEduardo Lopes
 
Projeto pedagógico anual
Projeto pedagógico anualProjeto pedagógico anual
Projeto pedagógico anualdayse
 
Plano de ação pedagógica 2015 6º ao 9º ano do ef - semed
Plano de ação pedagógica 2015   6º ao 9º ano do ef - semedPlano de ação pedagógica 2015   6º ao 9º ano do ef - semed
Plano de ação pedagógica 2015 6º ao 9º ano do ef - semedNome Sobrenome
 
{1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1)
{1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1){1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1)
{1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1)Osiel Oliveira
 
Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)
Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)
Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)Adilson P Motta Motta
 
PGDI - Plano de Gestão de Desempenho Individual
PGDI - Plano de Gestão de Desempenho IndividualPGDI - Plano de Gestão de Desempenho Individual
PGDI - Plano de Gestão de Desempenho Individualeegipitba
 
Projeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolarProjeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolaralvinarocha
 
Projeto reforço escolar
Projeto reforço escolarProjeto reforço escolar
Projeto reforço escolarCLEAN LOURENÇO
 

Destaque (19)

Plano de ação - Modelo
Plano de ação - ModeloPlano de ação - Modelo
Plano de ação - Modelo
 
Plano de ação
Plano de açãoPlano de ação
Plano de ação
 
Custa Estudar?
Custa Estudar?Custa Estudar?
Custa Estudar?
 
Metodologia de ensino
Metodologia de ensinoMetodologia de ensino
Metodologia de ensino
 
Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola Redes Sociais na Escola
Redes Sociais na Escola
 
O que você dá ao seu filho
O que você dá ao seu filhoO que você dá ao seu filho
O que você dá ao seu filho
 
Escola: Aventura do Conhecimento!
Escola: Aventura do Conhecimento!Escola: Aventura do Conhecimento!
Escola: Aventura do Conhecimento!
 
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
56370482 plano-de-trabalho-coordenacao-pedagogica
 
Projeto pedagógico anual
Projeto pedagógico anualProjeto pedagógico anual
Projeto pedagógico anual
 
Plano de ação pedagógica 2015 6º ao 9º ano do ef - semed
Plano de ação pedagógica 2015   6º ao 9º ano do ef - semedPlano de ação pedagógica 2015   6º ao 9º ano do ef - semed
Plano de ação pedagógica 2015 6º ao 9º ano do ef - semed
 
{1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1)
{1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1){1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1)
{1 bfdf409 7457-4701-8a2d-0b5c4056cf84}-plano a¦+o see-atual (1)
 
Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)
Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)
Plano de Ação e Metas Dinare Feitosa 2013 (Adilson Motta)
 
PGDI - Plano de Gestão de Desempenho Individual
PGDI - Plano de Gestão de Desempenho IndividualPGDI - Plano de Gestão de Desempenho Individual
PGDI - Plano de Gestão de Desempenho Individual
 
2ª formação AAP 2015
2ª formação   AAP 20152ª formação   AAP 2015
2ª formação AAP 2015
 
Projeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolarProjeto recuperação semestral reforço escolar
Projeto recuperação semestral reforço escolar
 
Projeto reforço escolar
Projeto reforço escolarProjeto reforço escolar
Projeto reforço escolar
 
Modelos relatorios
Modelos relatoriosModelos relatorios
Modelos relatorios
 
Pee madalena do mar 2011-2015
Pee madalena do mar   2011-2015Pee madalena do mar   2011-2015
Pee madalena do mar 2011-2015
 
Add parametros aval_14_15
Add parametros aval_14_15Add parametros aval_14_15
Add parametros aval_14_15
 

Semelhante a Plano gestão 2015 2018

Projeto político pedagógico
Projeto político pedagógicoProjeto político pedagógico
Projeto político pedagógicomauriliojr
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógicorevistaleire
 
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal   plano quadrienalEe. santa rita do pontal   plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal plano quadrienalbrgsto
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienalbrgsto
 
Pi reestruturado
Pi reestruturadoPi reestruturado
Pi reestruturadokarfrio
 
Plano Gestão EE Aberto José Ismael
Plano Gestão EE Aberto José IsmaelPlano Gestão EE Aberto José Ismael
Plano Gestão EE Aberto José Ismaeldesjrnit
 
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)Leandro Balejos
 
Modelo do dossiê 2014 - prêmio escola de qualidade
Modelo do dossiê  2014 - prêmio escola de qualidadeModelo do dossiê  2014 - prêmio escola de qualidade
Modelo do dossiê 2014 - prêmio escola de qualidadeem_raimundofernandes
 
Projeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão finalProjeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão finalQUEDMA SILVA
 
Projeto Político Pedagógico (PPP) CE Governador José Sarney
Projeto Político Pedagógico (PPP)  CE Governador José SarneyProjeto Político Pedagógico (PPP)  CE Governador José Sarney
Projeto Político Pedagógico (PPP) CE Governador José SarneyAdilson P Motta Motta
 

Semelhante a Plano gestão 2015 2018 (20)

Plano gestão 2011
Plano gestão 2011Plano gestão 2011
Plano gestão 2011
 
Projeto político pedagógico
Projeto político pedagógicoProjeto político pedagógico
Projeto político pedagógico
 
Ppp 2014 cee
Ppp 2014 ceePpp 2014 cee
Ppp 2014 cee
 
Projeto Político Pedagógico
Projeto Político PedagógicoProjeto Político Pedagógico
Projeto Político Pedagógico
 
Proposta tize
Proposta  tizeProposta  tize
Proposta tize
 
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal   plano quadrienalEe. santa rita do pontal   plano quadrienal
Ee. santa rita do pontal plano quadrienal
 
Ee. paulo coelho plano quadrienal
Ee. paulo coelho   plano quadrienalEe. paulo coelho   plano quadrienal
Ee. paulo coelho plano quadrienal
 
Pi reestruturado
Pi reestruturadoPi reestruturado
Pi reestruturado
 
Plano Gestão EE Aberto José Ismael
Plano Gestão EE Aberto José IsmaelPlano Gestão EE Aberto José Ismael
Plano Gestão EE Aberto José Ismael
 
Proposta pedagógica 2016
Proposta pedagógica 2016Proposta pedagógica 2016
Proposta pedagógica 2016
 
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
EEEF Prof. Olintho de Oliveira - Eleição Direção (Plano Ação)
 
PPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. AdolfoPPP - e.e. Adolfo
PPP - e.e. Adolfo
 
Modelo do dossiê 2014 - prêmio escola de qualidade
Modelo do dossiê  2014 - prêmio escola de qualidadeModelo do dossiê  2014 - prêmio escola de qualidade
Modelo do dossiê 2014 - prêmio escola de qualidade
 
Plano de gestao
Plano de gestaoPlano de gestao
Plano de gestao
 
Pppfinal18 3-14
Pppfinal18 3-14Pppfinal18 3-14
Pppfinal18 3-14
 
RELATÓRIO BIENAL 2010/2011
RELATÓRIO BIENAL 2010/2011RELATÓRIO BIENAL 2010/2011
RELATÓRIO BIENAL 2010/2011
 
Projeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão finalProjeto Político Pedagógico 2021 versão final
Projeto Político Pedagógico 2021 versão final
 
Histórico do CENL
Histórico do CENLHistórico do CENL
Histórico do CENL
 
Projeto Político Pedagógico (PPP) CE Governador José Sarney
Projeto Político Pedagógico (PPP)  CE Governador José SarneyProjeto Político Pedagógico (PPP)  CE Governador José Sarney
Projeto Político Pedagógico (PPP) CE Governador José Sarney
 
Análise do PPP.pdf
Análise do PPP.pdfAnálise do PPP.pdf
Análise do PPP.pdf
 

Mais de Escola Estadual Deputado Emílio Justo

Mais de Escola Estadual Deputado Emílio Justo (20)

Ferramentas de desenvolvimento
Ferramentas de desenvolvimentoFerramentas de desenvolvimento
Ferramentas de desenvolvimento
 
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento pessoalDesenvolvimento pessoal
Desenvolvimento pessoal
 
Saresp 2017
Saresp 2017Saresp 2017
Saresp 2017
 
Gestão democrática 2017
Gestão democrática 2017Gestão democrática 2017
Gestão democrática 2017
 
Metodologia doensino
Metodologia doensinoMetodologia doensino
Metodologia doensino
 
Ensino com pesquisa
Ensino com pesquisaEnsino com pesquisa
Ensino com pesquisa
 
Caracteristicas de-uma-boa-aula
Caracteristicas de-uma-boa-aulaCaracteristicas de-uma-boa-aula
Caracteristicas de-uma-boa-aula
 
Avaliando a Gestão Escolar 2017
Avaliando a Gestão Escolar 2017Avaliando a Gestão Escolar 2017
Avaliando a Gestão Escolar 2017
 
Práticas Inovadoras 2017
Práticas Inovadoras 2017Práticas Inovadoras 2017
Práticas Inovadoras 2017
 
Atribuição 2017
Atribuição 2017Atribuição 2017
Atribuição 2017
 
Educação inovadora
Educação inovadoraEducação inovadora
Educação inovadora
 
12 anos atrás 2017
12 anos atrás   201712 anos atrás   2017
12 anos atrás 2017
 
Metodologias ativas
Metodologias ativas Metodologias ativas
Metodologias ativas
 
Oficinas pedagógicas
Oficinas pedagógicasOficinas pedagógicas
Oficinas pedagógicas
 
Resolução se 72
Resolução se 72Resolução se 72
Resolução se 72
 
Mais educacao lancamentos no gdae
Mais educacao lancamentos no gdaeMais educacao lancamentos no gdae
Mais educacao lancamentos no gdae
 
Saresp 2016
Saresp 2016Saresp 2016
Saresp 2016
 
O processo de desenvolvimento de uma organiza
O processo de desenvolvimento de uma organizaO processo de desenvolvimento de uma organiza
O processo de desenvolvimento de uma organiza
 
Personalizando o ensino
Personalizando o ensinoPersonalizando o ensino
Personalizando o ensino
 
Para aprender mais
Para aprender maisPara aprender mais
Para aprender mais
 

Último

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 

Último (20)

Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 

Plano gestão 2015 2018

  • 2. 2 APRESENTAÇÃO “O Plano de Gestão é o documento que traça o perfil da escola, conferindo-lhe identidade própria, na medida em que contempla as intenções comuns de todos os envolvidos, norteia o gerenciamento das ações escolares e operacionaliza a Proposta Pedagógica” (Parecer CEE 67/98, Art. 29). Esta lei estabelece que o Plano de Gestão terá duração quadrienal, surge então a necessidade de sua reelaboração. Abordamos a identificação e caracterização da unidade escolar, de sua clientela, de seus recursos físicos, materiais e humanos, bem como os seus recursos disponíveis na comunidade local; objetivos da escola, definição das metas a serem atingidas e das ações a serem desencadeadas; planos de cursos mantidos pela escola; e ainda os planos de trabalho dos diferentes núcleos que compõem a organização técnico-administrativa da escola; além de critérios para acompanhamento, controle e avaliação da execução do trabalho realizado pelos diferentes atores do processo educacional. Portanto, envolvendo todos os aspectos da escola, assim como as ações que já são realizadas e registradas. Este trabalho foi organizado em oito capítulos, onde procuramos mostrar as linhas básicas realizadas nesses anos e apontar como prioridade a qualidade de ensino oferecida aos alunos da E.E. Prof. Cleóbulo Amazonas Duarte. Este documento foi produzido com o envolvimento dos professores, funcionários, alunos, pais, comunidade e equipe gestora. Durante esses anos, os gestores foram observando que alguns professores criaram formas diversificadas ao sanar as dificuldades dos alunos, fomos então registrando, interferindo e propondo modificações conforme a
  • 3. 3 necessidade, baseados nestes registros construí-se esta nova proposta de trabalho que norteará o ensino – aprendizagem promovendo ao educando uma formação indispensável para o exercício da cidadania, fazendo-o entender que a escola forma para o mundo e não para o local, ou seja, uma educação planetária. I – IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR - Nome/CNPJ E.E. Professor “Cleóbulo Amazonas Duarte” CNPJ: 51 651 420/0001-79 - Localização/telefones/e-mail Rua Guedes Coelho, 107/119 Encruzilhada – Santos/SP 0xx13-32325240 (fone/fax) escolacleobulo@gmail.com - Ato de Criação: Decreto nº 13.601/79 - Códigos da Unidade: CIE – 041415 F.D.E. - 02.09.126
  • 4. 4 - Jurisdição: Diretoria de Ensino Região Santos - Direção: Maria Cecília Vanzela de Souza (Diretora) Cyntia Diniz Ferreira Masteguim (Vice_Diretora) Vilma da Silva Moura (Vice-Diretora da Escola da Família) - Professor Coordenador: Selma Regina F. Faria - Gerente de Organização Escolar: Bernadete Taboranski - Modalidades de Ensino: Ensino Fundamental – II Ensino Médio - Períodos de Funcionamento/Horários: Manhã - das 07h00 às 12h20 Tarde - das 13h10 às 18h30
  • 5. 5 II – CARACTERIZAÇÃO DA UNIDADE ESCOLAR A E.E. Prof. “Cleóbulo Amazonas Duarte” foi criada pelo Decreto nº 13.601, publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo em 20/06/1979, durante o governo de Paulo Salim Maluf. Inaugurada a 26/06/1979 e instalada a 23/07/1979, recebeu classes de pré-escola, Ensino Fundamental – Ciclo I e Educação Especial (Deficientes Visuais), incorporadas da E.E. Dr. Dino Bueno, chegou a chamar-se Procópio Ferreira por algumas horas e, atendendo a uma propositura do então deputado Emilio Justo, teve seu nome alterado para o atual, homenagem ao educador Cleóbulo Amazonas Duarte. A partir de 1982, com verbas destinadas pela Secretaria de Estado da Educação para ampliação do prédio e com obras concluídas em 1984, passou a contar com 17(dezessete) salas de aulas. Em 1993, após nova reforma, o prédio passa a contar com as seguintes dependências:  Sala da Direção e Vice Direção  Sala dos Professores de Coordenação  Secretaria  Sala dos Professores  Sala de Leitura  Sala de Vídeo  Quadra de Esportes Coberta  Pátio Coberto  Cozinha  Ambiente próprio para distribuição de Merenda  Sala do Grêmio/Escola da Família
  • 6. 6  Cantina  02 (dois) banheiros administrativos  02 (dois) banheiros de professores  04 (quatro) banheiros de alunos  19 (dezenove) salas de aulas  Zeladoria  Estacionamento Em 1996, em decorrência da Resolução SE 37, que dispõe sobre a reestruturação da Rede Oficial de Ensino do Estado de São Paulo, a unidade transfere seus alunos do Ciclo I do Ensino Fundamental para o município. Em 2013 a escola compartilha dos seus espaços com a Diretoria de Ensino de Santos. Após reforma de adequação do prédio para receber as instalações da Diretoria de Ensino de Santos a escola passou a contar com as seguintes dependências:  Sala de Direção  Sala de Coordenação Pedagógica  Sala da Escola da Família  Sala dos Professores  Sala de Leitura  Sala de vídeo  Quadra de Esporte Coberta  Pátio Coberto  Cozinha  Cozinha da Merenda
  • 7. 7  Cantina  Zeladoria  02 banheiros administrativos  02 banheiros de professores  04 banheiros de alunos  12 salas de aula  Sala do Acessa Escola - Biografia do Patrono da Escola Cleóbulo Amazonas Duarte nasceu em Aracaju, no dia 02 de fevereiro de 1898. Formando-se em Direito, logo se domiciliou em Santos, casando- se com Maria Augusta. Ao longo de sua vida, exerceu as funções de professor, escritor, diretor do Jornal da Noite e da Gazeta Popular, Vice-Presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santos e Presidente da Subseção Santista da Ordem dos Advogados do Brasil, do Conselho Deliberativo do Clube XV, do Clube Internacional de Regatas, do Tiro de Guerra 11 e da Associação Instrutiva José Bonifácio. Participou como membro da Sociedade São Leopoldo, do Círculo Militar de Santos e da Comissão Municipal de Cultura. Foi Diretor da Faculdade de Ciências Econômicas de Santos e consultor jurídico da Capitania dos Portos do Estado de São Paulo. De todos os títulos, ostentava com orgulho maior o de “Cidadão Santista”, concedido pela Lei Municipal nº 72.698, de 03 de outubro de 1963. O seu falecimento ficará para sempre na memória da cidade de Santos, por ser considerado o melhor presente humano que o estado de Sergipe enviou para os santistas e torna-se pertinente lembrar as palavras de Arquimedes Bava a respeito do elogio fúnebre:
  • 8. 8 “Calou-se o advogado e o professor perfeitos; orador fecundo cerrou para sempre os lábios; emudeceu o mestre; o poeta, que o era de verdade, silenciou o seu canto heroico. Mas sua obra subsiste, tal como a luz desses astros monstros que ainda alumiam no infinito”. III – LINHAS BÁSICAS DA PROPOSTA PEDAGÓGICA DA ESCOLA Como primeira linha de ação por parte da gestão foi o fortalecimento dos Colegiados (APM, Conselho de Escola), visando resgatar a confiança da comunidade, dos funcionários e professores, propiciando o primeiro passo ara uma gestão democrática participativa. Esta linha de trabalho tem sido construída gradativamente, medida que os colegiados atingem um amadurecimento, participando espontaneamente nas tomadas de decisões, atingindo uma visão global de educação e não apenas local. Em princípio foram feitos investimentos com reformas, pinturas, colocação de cortinas nas salas , limpeza, garantindo o conforto e bem estar de todos, com objetivo de aumentar a demanda. Em seguida, criamos estratégias para melhoria do atendimento aos alunos, pais, professores, funcionários, assim como ao público em geral. No momento, estamos fortalecendo a aprendizagem dos alunos através de acompanhamento das tarefas realizadas em salas de aula, detectando suas dificuldades e interagindo-as com os pais e professores. A Escola prevê como prioridade os objetivos estabelecidos nos Artigos 32 e 35 da LDBEN nº 9394/96, adequados de acordo com a realidade e necessidades no decorrer de cada ano letivo.
  • 9. 9 Objetivos do Ensino Fundamental: Promover a formação básica do cidadão mediante; - O desenvolvimento da capacidade de aprender, através do pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; - A compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores fundamentais da sociedade; - O desenvolvimento da capacidade de assimilação da aprendizagem; - O fortalecimento dos vínculos de família dos laços e solidariedade humana e da tolerância recíproca; - Consolidar e aprofundar os conhecimentos adquiridos no ensino fundamental a fim de que o aluno dê prosseguimento aos seus estudos; - Aprimorar o aluno como ser humano, promovendo a formação ética e desenvolvendo sua autonomia intelectual e seu pensamento crítico; - Favorecer a compreensão dos fundamentos científicos – tecnológicos, dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática em cada disciplina ministrada. a. Gestão de Resultados Educacionais: No final de cada ano letivo realizamos uma reunião para analisarmos o trabalho desenvolvido durante o ano, levantando os pontos positivos e negativos, os quais são adequados nas reuniões de planejamento no início do ano. A participação dos pais no acompanhamento escolar e a frequência dos alunos são subsídios utilizados para avaliarmos os resultados obtidos pela escola quanto a aprendizagem. A frequência e os resultados das avaliações são acompanhados durante as reuniões das ATPCs, onde são desenvolvidas estratégias para atender as deficiências dos alunos no decorrer de cada bimestre. Um dos
  • 10. 10 principais motivos da frequência irregular é a falta de acompanhamento dos pais, já que a maioria das mães necessita trabalhar, e muitas vezes as impede de comparecer a escola, tornando difícil a comunicação entre ambas as partes. Adotamos as medidas legais para registro e controle da frequência conforme o Artigo 56 do ECA, quando esgotamos os recursos escolares, encaminhamos a criança ao Conselho Tutelar que tomará as providências cabíveis (Direitos da Criança e do Adolescente). b. Gestão Participativa A participação da comunidade nas atividades desenvolvidas na escola, bem como nas tomadas de decisões tem sido a maior vulnerabilidade da instituição, percebendo esta falha desenvolvemos “Família na Escola”, com a finalidade de criarmos um contato mais profundo com as famílias. Este projeto tem o objetivo de acolher os pais durante as reuniões bimestrais proporcionando um diálogo entre professores, equipe gestora e as diversas famílias. Os pais, mesmo tendo problemas familiares ou com seus filhos, se sentem mais a vontade, trocando ideias, onde são feitas sugestões para amenizar esses problemas, dessa forma conseguimos trabalhar a família e não apenas a criança. Através deste projeto vem se intensificando a participação dos pais, alunos e comunidades nos colegiados, na elaboração da Proposta Pedagógica e no Regime Escolar: permitindo-nos também a divulgação das Normas Legais e de convivência que orientam os direitos e deveres da comunidade, já os professores e funcionários, recebem essas instruções nas reuniões pedagógicas e dos colegiados. Estamos montando o corredor cultural, onde serão expostos os trabalhos confeccionados pelos alunos, neste corredor também será afixada uma síntese das normas legais para que
  • 11. 11 todos tenham acesso. Percebemos no dia a dia que os pais necessitam das informações acima, a medida que procuram a escola, muitas vezes nos fazendo solicitações que contrariam a legislação. Com o objetivo de prepararmos nossos alunos para competir no mercado de trabalho, elaboramos a “Semana do Provão”. As provas são preparadas com temas que abordam atualidade, a realidade e a interdisciplinaridade. Alguns professores utilizam letras de músicas, poesias e reportagens de jornais e revistas, todas as avaliações devem conter interpretação de textos, as de Português, além da interpretação, contém gramática e redação. A comunicação é um problema ainda a ser bastante debatido, pois encontramos muitas dificuldades em agruparmos todos os especialistas, portanto nós gestores, quando passamos orientações técnicas procuramos nos dividir em grupos por períodos de forma a atender o maior número possível de professores. Em relação as orientações técnicas para os professores, aquele que é convocado assume a missão de transmitir para o PC que terá a incumbência de orientar os demais nas ATPCs. c. Gestão Pedagógica O trabalho pedagógico tem sido desenvolvido a atender tanto a aprendizagem quanto a formação social do aluno; a seguir apresentaremos um pequeno esboço. Todas as disciplinas estão atreladas a Projetos interdisciplinares, permitindo que o aluno aprenda o conteúdo nos diversos componentes curriculares contribuindo com a sua formação social. Em todas as áreas, os professores trabalham temas como violência, drogas e alcoolismo, pichação, bullying, doenças endêmicas como a dengue que já é considerada
  • 12. 12 uma endemia em nossa região, reportagens, política, meio ambiente, alimentação, trabalho e consumo, educação sexual, ética e cidadania. Além da diversidade de temas, também são várias as estratégias utilizadas, alguns trabalham com letras de músicas, poemas, leitura de livros, filmes, trabalhos de pesquisa, relatórios e etc. Para avaliar, são feitas reuniões e entrevistas com os pais além do acompanhamento pela equipe gestora, na evolução dos alunos tanto a nível social quanto de aprendizagem. Todo este acompanhamento, inclusive o de indisciplina, é registrado em documentos específicos tais como: Ata de Conselho de Escola, Ata de Conselho de Classe, Diário de Classe, Relatório individual por classe onde são feitas as ocorrências em sala de aula e atendimento aos pais, ficha Deliberação 11. Com esses registros, somos capazes de avaliar o processo de ensino e aprendizagem e os critérios de avaliação. Para definir os critérios de avaliação é feita uma Reunião Pedagógica no início de cada ano, a equipe de professores e gestores define se os critérios anteriores são válidos para o corrente ano. A fim de verificarmos a coerência das ações serão desenvolvidas na U.E. com a proposta pedagógica, elaboração de um formulário de acompanhamento de conteúdos do caderno do aluno com os diários de classe e os planejamentos, as incoerências serão registradas em formulário próprio, em duas vias, uma via entregue ao professor com sugestões das devidas correções e a outra fica arquivada com a assinatura da Diretora, da coordenadora e professor. Desta forma, poderemos tomar ciência sobre o rendimento do aluno, caso seja identificado algum problema, enviamos uma convocação aos pais para que o professor possa orientá-lo, ou até mesmo descobrir se a casa se trata de algum problema familiar. Além das ações descritas acima, são realizadas, eventualmente, atividades de lazer, como por exemplo: cinema, passeios ao Horto entre outros, com o propósito de fortalecer o vínculo entre professor e aluno.
  • 13. 13 d. Gestão de Pessoas A Proposta Pedagógica foi construída a partir da observação e acompanhamento da metodologia de trabalho de professores, com algumas interferências e sugestões quando necessário. Portanto, as equipes foram se desenvolvendo naturalmente, principalmente, pelo fato do grande número de titulares na escola diminuindo a rotatividade, fortaleceu a formação e o entrosamento entre gestores, professores e funcionários, proporcionando a motivação do trabalho em equipe. Para que o trabalho em equipe reflita na qualidade do ensino, todas as ações desenvolvidas correm com a participação da equipe gestora, promovendo durante as reuniões de ATPCs a exposição dos trabalhos, debates e troca de experiências. e. Gestão de Serviços de Apoio, Recursos Físicos e Financeiros O atendimento ao público é o alvo para que a comunidade confie no trabalho da escola, portanto, a principal estratégia, refere-se a um atendimento de qualidade, e forma que a pessoa sai com seu problema resolvido e, satisfeita. Não estabelecemos horário para atendimento, uma vez que, muitas pessoas trabalham e só podem comparecer na escola em determinados horários.
  • 14. 14 IV – PLANOS DE CURSOS MANTIDOS PELA ESCOLA A equipe escolar optou por um ensino que priorize a ação do aluno sobre o seu próprio meio, dando condições para que ele descubra como fazer. Nada substitui a sensação de descoberta. A nossa proposta visa uma educação crítica e integrada com a participação ativa do educando em busca do desenvolvimento intelectual humano. Para atingir nossos propósitos afirmamos que o saber não é dissociado, fragmentado. Ele é abrangente a toda realidade que nos cerca. Do mesmo modo, as disciplinas não são individualizadas, elas se completam. Por isso, estamos privilegiando a interdisciplinaridade. a) OBJETIVOS GERAIS: O planejamento proposto objetiva a construção de competências e habilidades que permitam ao educando: - Compreender os elementos cognitivos, afetivos, sociais e culturais que constituem a sua identidade própria; - Compreender a sociedade sua gênese e transformação e os múltiplos fatores que nela intervém como produtos da ação humana; a si mesmo como agente social; e os processos sociais como orientadores da dinâmica dos diferentes grupos de individuais; - Relacionar os diferentes componentes curriculares com as estruturas econômicas, políticas e culturais das diferentes épocas históricas. b) ESTRATÉGIAS:
  • 15. 15 1. Aula Esportiva 2. Resumo de textos 3. Caminhada 4. Construção de mapas 5. Construção de textos 6. Elaboração de cardápios 7. Observação dos fenômenos naturais e suas transformações 8. Trabalhos com reportagem de jornais 9. Produção de trabalhos artísticos c) CONTEÚDOS INTEGRADOS: - Perceber a importância do estudo dos diversos Componentes Curriculares para compreensão da formação social e sua relação com o meio; - Construir por meio da linguagem escrita e oral um discurso articulado sobre as semelhanças e diferenças do meio em que vive com outros espaços e lugares; - Compreender a desigualdade social como consequência da ocupação da terra e das ações do homem; - Compreender as manifestações da cultura corporal, reconhecendo respeitando as diferenças de desempenho, linguagem e expressão. - Estudo do meio. d) CARGA HORÁRIA MÍNIMA DO CURSO E DOS COMPONETES CURRICULARES: - Ensino Fundamental – Regular – Ciclo II e Ensino Médio Diurno: Carga horária anual de 1200 aulas, com 1000 horas.
  • 16. 16 V – PLANOS DE TRABALHO DOS DIFERENTES NÚCLEOS a) NÚCLEOS DE DIREÇÃO (DIRETOR E VICE-DIRETOR) Para assegurarmos o objetivo principal da escola “ensino de qualidade”, preocupa-nos, primeiramente, tomar a escola um ambiente agradável ao corpo discente, docente, funcionários do setor administrativo e comunidade. A seguir apresentaremos nossa proposta na seguinte sequencia: corpo discente, corpo docente, setor administrativo e comunidade. b) CORPO DISCENTE Preocupados em oferecer uma formação de melhor qualidade e, portanto, de competitividade diante das exigências do mercado de trabalho, desenvolvendo a mesma responsabilidade de atuar como cidadãos participativos em nossa sociedade. Mantendo os alunos ocupados o tempo todo com projetos, de forma que os mesmos percebam sentido naquilo que fazem e aprendem na escola, e ainda que descubram que tem talentos e são valorizados em seus esforços. Pensando nesta questão, refletimos e promovemos ações para melhorar os índices de promoção, frequência e permanência do aluno na escola, assim como detectar a causa do comportamento agressivo por parte de alguns alunos. Levando-se em conta o momento de transformações em que vivemos, “promover a autonomia para aprender”, deve ser a preocupação central, já que o saber de futuras profissões na era tecnológica pode estar ainda em gestação, devendo buscar competências que possibilitem a independência de ação e aprendizagem.
  • 17. 17 Estaremos desenvolvendo ações e estratégias que possibilitem acompanhar o rendimento diário do aluno em sala de aula, identificando as dificuldades de cada um e as possíveis causas do baixo rendimento, para assim atuarmos através de orientação e interação entre pais e professores, garantindo a promoção efetiva da aprendizagem. Acreditamos que, ao desenvolvermos este projeto, estaremos elevando a autoestima do educando, e consequentemente, resgatando a sua cidadania, preparando-os para inserção na sociedade. Objetivos: - Fazer com que o aluno veja a escola como algo prazeroso que lhe proporcione, além de novos conhecimentos, o emprego destes no seu cotidiano; - Diminuir a agressividade e violência dentro e fora da escola; - Trazer os pais para escola de forma ativa e participativa da vida escolar de seus filhos; - Diminuir o índice de evasão e baixo rendimento escolar, provando ao aluno que sua permanência na escola o tornará responsável, crítico e que estará preparado para o mercado de trabalho; - Adquirir os princípios éticos e morais “mínimos” para um convívio, em grupo, numa sociedade individualista; - Proporcionar um contato maior entre alunos e pais, despertando em ambos a necessidade da paciência, do carinho e da compreensão para um relacionamento saudável; - Despertar os alunos e a comunidade escolar para a importância dos ensinamentos das diversas disciplinas na formação de um indivíduo “integral”, sem fragmentação;
  • 18. 18 - Ver o outro um ser dotado de potencialidades a serem descobertas e também descobrir as próprias potencialidades; - Expressar-se com clareza fazendo com que os vínculos que o torna rebelde, arredio, possam ser esquecidos, fazendo-o se sentir amado, feliz e capaz de algo produtivo; - Desenvolver o hábito de estudos (Parâmetros Curriculares Nacionais). Metodologia: Fundamentação: Segundo os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCNs, a abordagem de temas transversais relacionados a sociedade no contexto escolar é uma excelente ferramenta educativa para a percepção e conscientização do aluno, do meio e dos problemas que vivencia. A Ética e a Cidadania são temas prioritários para que amplie a visão de mundo e participação social. Como ensinar ética e cidadania se não na prática e no conhecimento real do problema que a sociedade nos apresenta? Trabalho Coletivo: Orientação aos alunos, conscientizando-os sobre a importância da assiduidade e participação ativa em sala de aula. - Abordagem do tema ética e Cidadania; 1. Conceitos - O que é ética e cidadania; - Formação intelectual e moral do cidadão como suporte da preservação biológica e da dignidade humana;
  • 19. 19 - Sociedade conflito e convivência – ambiente escolar cuidados/preservação; - Cultura: informação e formação. 2. Questões norteadoras no contexto disciplinar: - Quais os problemas sociais que revelam a ausência da ética e da cidadania? - Quais as alternativas para solucionar ou conviver humanamente com esses problemas? - Que setores sociais atualmente estão agindo e descobrindo soluções? 3. Socialização do estudo: Cada aluno deverá fazer uma redação sobre o tema estudado, enfocando: normas de convivência, respeito mútuo, preservação do patrimônio. Como ser cidadão sem exercer na verdade o direito e o dever eu a ele compete? Como falar em ética sem ver de perto as necessidades mais gritantes da vida humana e que precisam de solução urgente? Pensando nestas questões propomos a seguinte metodologia: PRIMEIRA ETAPA Reunião com Pais, alunos, professores e equipe gestora; a) Abordagem - Responsabilidade e obrigações dos pais ou responsáveis previstas no ECA, na Constituição Federal, na LDBEN e Regimento Escolar;
  • 20. 20 - Função Social da Escola; - Objetivos do Ensino Fundamental / Médio; - Sistemática de trabalho de cada Professor; - Explanação dos problemas indisciplinares da classe; - Medidas Sócio-educativas da escola previstas no Regimento Escolar; - Implantação da planilha de acompanhamento das atividades realizadas pelos alunos em sala de aula. SEGUNDA ETAPA As redações serão trabalhadas no decorrer do bimestre, durante as aulas de Projeto de Leitura, através de leitura, discussão e reescrita. 4. Palestra: Tema: Qualidade de vida TERCEIRA ETAPA 1 – Orientação aos Pais: Convocação dos pais ou responsáveis dos alunos que não estão desenvolvendo atividades em sala de aula. - Dar ciência sobre a situação escolar de seus filhos; - Orientação quanto a necessidade de reservar pelo menos uma hora por dia para o filho se dedicar aos estudos. QUARTA ETAPA Trabalho individual:
  • 21. 21 Orientação individual do aluno - Identificação das possíveis causa do baixo rendimento; - Encaminhamento: 1) Trabalhos diferenciados, 2) Projeto de Reforço e Recuperação Paralela, 3) Fonoaudiólogo, psicólogo, oftalmologista entre outros. Avaliação: A avaliação será feita de forma contínua, a cada etapa desenvolvia será proposto o levantamento dos pontos positivos e negativos enfrentados, assim como as sugestões para futuros acertos. A avaliação também é coletiva com base nos resultados concretos obtidos a cada etapa do projeto: observada a diminuição dos casos de alunos com baixo rendimento. O objetivo principal no processo de avaliação é verificar os resultados no dia a dia do educando, de valorização, crescimento da autoestima e estímulos em busca de uma melhor qualidade de ensino. a) Corpo Docente Para garantia de um trabalho eficiente por parte do corpo docente,, organizaremos orientações técnicas, dos próprios professores com apresentação dos trabalhos desenvolvidos. Estas orientações serão coordenadas pelo PCP, sob a supervisão do núcleo de direção. Os trabalhos realizados serão expostos no retroprojetor mostrando os resultados atingidos pelos alunos. Além da continuidade dos procedimentos que já são praticados como: verificação de diários, conteúdos, avaliações e integração professor/aluno e comunidade.
  • 22. 22 b) Técnico Administrativo e Operacional O secretário é um dos elementos a quem a diretoria delega poderes. Sua posição é tão importante que um dos requisitos para autorização de funcionamento de uma escola é a existência de um secretário. Sua função é a de coordenar uma equipe que colabore com a diretoria da escola capaz de atender as necessidades de suas comunidades interna e externa. Traçamos como meta: - Organizar racionalmente o trabalho; - Aproveitar os talentos da equipe; - Simplificar processos e métodos de trabalho; - Aproximar-se de seus usuários e antecipar suas necessidades; - Trabalhar com eficiência, reduzindo os desperdícios; - Planejar e dirigir, avaliar e controlar as atividades da secretaria em consonância da escola. Para atingirmos as metas acima, assessoramos e supervisionamos todas as atividades administrativas, mantendo sempre a harmonia de propósito e de princípios. Para sermos capazes de atingir essas metas, o núcleo da direção se capacitou na execução de todos os trabalhos que cabem a secretaria da escola. Quanto ao operacional, temos investido na integração dos mesmos com o objetivo da divisão de trabalho desenvolvendo o espírito de cooperação, prestando suas tarefas com zelo, mantendo os ambientes limpos e confortáveis. Tendo uma postura responsável em relação ao atendimento aos alunos, professores, comunidade, já que também fazem parte da equipe educacional.
  • 23. 23 c) Técnico Pedagógico – PCPs Objetivos Gerais: Esta proposta tem como princípio motivar o interesse e a vontade de estudar com o propósito de diminuir o número de alunos faltosos. Serão abordados trabalhos com temas que se aproximem da realidade dos alunos relacionados aos temas transversais. Além de incentivar os alunos, também fornece assistência didático-pedagógica aos professores na elaboração e desenvolvimento de projetos. Estratégias: - Acompanhar o rendimento escolar dos alunos através da verificação dos resultados das avaliações e sempre que necessário propor trabalhos de recuperação com atividades diferenciadas dentro do conteúdo não dominado pelo aluno; - Descobrir as causas do baixo rendimento e faltas, promovendo a integração entre as famílias, equipe gestora e docente para buscar soluções adequadas; - Programar atividades extracurriculares para desenvolver conhecimentos culturais, além de proporcionar a alunos e professores a integração; - Proporcionar a troca de experiências nas ATPCs; - Avaliar as estratégias, replanejando-as sempre que necessário; - Elaborar e acompanhar o projeto de reforço e recuperação paralela aos alunos com dificuldades de aprendizagem.
  • 24. 24 Horário das ATPCs e forma de organização - Terça-feira: 12:20h às 13:10 h e das 13:10h às 14h. Serão discutidos assuntos ligados a formação pedagógica do professor, tais como metodologia, avaliação, trabalho coletivo e projetos. - Quintas-feiras: 12:20h às 13:10 h e das 13:10h às 14h. Reunião por área e série, afim de analisarem o trabalho pedagógico a ser desenvolvido na semana subsequente, elaboração de projetos, frequência e rendimentos dos alunos. Análise do trabalho pedagógico, tais como: metodologia e avaliação, trabalho coletivo e atividades do ensino fundamental em rede. Observação: Todos os ATPCs são registrados em Ata. d) Técnico Administrativo Objetivos: Por ser a secretaria um setor que se relaciona com todos os demais envolvidos no processo pedagógico e na vida escolar, o objetivo principal é interagir de forma a atender com presteza a todos. A secretaria e suas interações: 1) Com a Direção: Assessoria, execução, coordenação e supervisão das atividades administrativas sob sua responsabilidade e harmonia de propósitos e de princípios; 2) Com a Supervisão: Colaboração e apresentação de situações para retificação e ratificação;
  • 25. 25 3) Com o corpo discente: Atendimento direto, sem intermediários e busca de soluções; 4) Com o corpo docente: Elemento de ligação entre atividades pedagógicas e administrativas, respeito a competência e aos métodos do professor e postura ética; 5) Com os subordinados: Orientação e supervisão das rotinas de trabalho estabelecidas, respeito às aptidões e habilidades de cada um; 6) Com os pais e comunidade em geral: Presteza de informações, busca de soluções e respeito ao sigilo profissional; 7) Com os órgãos colegiados: Subsidiar com informações e formar o apoio ao bom andamento das reuniões. Funcionamento da Secretaria O Horário de atendimento ao público é das 07:00h às 18:30h. Organização: Técnicas de Arquivamento Os documentos são arquivados por data e assunto. Protocolo e registro Utilizados para que atestem a expedição e o recebimento de documentos, esclarecendo dúvidas e permitindo consulta rápida. Escrituração Escolar De acordo com a Lei nº 9394/09, compete as escolas a organização de seus próprios modelos de registro com exceção dos citados abaixo: - Livros e arquivos; - Matrícula – em ordem alfabética, por série, turno e ano letivo; - Resultados Finais – por série, turno, turma, grau e ano letivo;
  • 26. 26 - Resultados de recuperação – por série, por turno, por turma e por semestre. Atas de Reclassificação Por aluno, com os resultados com indicação ou não por série subsequente. Atas de Reuniões - Assinadas por quem a secretariou e por todos aqueles que estiverem presentes. Obedecem em estilo a forma de redação oficial. - Fichas de controle de aproveitamento escolar; - Formulários de recuperação, dependência e adaptação; - Diários de classe; OBS.: Todos organizados por nome, série e ano. Utilização dos computadores na Secretaria As atividades da secretaria são particularmente beneficiadas pelo computador, por se tratarem frequentemente do registro de informações, passível de ser digitados em programas próprios, tornando o processo mais rápido e mais seguro, além de agilizar o processo de transmissão de informações e de arquivamento de documentos, reduzindo os espaços e tornando mais fáceis as correções quando necessário.
  • 27. 27 VI – AVALIAÇÃO (CRITÉRIOS PARA ACOMPANHAMENTO, CONTROLE E AVALIAÇÃO) a) Avaliação Institucional (procedimentos internos e externos) Para avaliarmos os resultados educacionais, realizamos uma reunião para analisarmos o trabalho desenvolvido durante o ano, apontando os pontos positivos e negativos, os quais são adequados nas reuniões de planejamento no início do ano. Os índices de aprovação, avaliações externas, a participação dos pais no acompanhamento escolar e a frequência dos alunos são subsídios utilizados para avaliarmos os resultados obtidos pela escola quanto a aprendizagem. A frequência e os resultados das avaliações são acompanhadas durante as reuniões de Conselho de Classe e também nas reuniões das ATPCs, onde são desenvolvidas estratégias para atender as deficiências dos alunos, no decorrer de cada bimestre. Em relação a participação da comunidade na tomada de decisões percebemos que em 2014 houve um aumento considerável da frequência e envolvimento dos pais. Durante as reuniões muito deles expressam suas opiniões na resolução dos problemas apontados, esta participação já pode ser considerada voluntária, uma vez que, em anos anteriores tínhamos dificuldade para compor os colegiados. b) Avaliação do Ensino Aprendizagem (procedimentos internos e externos) Tomando como referência o SARESP realizado em 2014 procuramos diversificar as atividades pedagógicas, trabalhando com a interdisciplinaridade com a finalidade de sanar as dificuldades detectadas.
  • 28. 28 Caminhamos sempre no propósito de diminuir os índices de retenção e evasão, através do acompanhamento dos projetos desenvolvidos, dos resultados nas avaliações, acompanhamento de pais, reunião com conselho de escola, mediação da equipe gestora com os coordenadores. [...] avaliar é conhecer, é contrastar, é dialogar, é indagar, é argumentar, é deliberar, é raciocinar, é aprender. Em termos gerais, realmente comprometidos com a racionalidade prática e crítica, quem avalia quer conhecer, valorizar, ponderar, discriminar, discernir, contrastar o valor de uma ação humana, de uma atividade, de um processo, de um resultado. Avaliar é construir o conhecimento por vias heurísticas de descobrimento. (Alvarez Mendez, 2002) A partir dos resultados do SARESP 2014 promovemos a reflexão, a autoavaliação e o replanejamento das ações pedagógicas da escola, redefinindo estratégias/ações de trabalho para melhoria dos resultados educacionais. SARESP na Escola 2015 Atividades programadas: 1 – Exposição dialogada sobre as finalidades do Saresp e sua definição e aplicabilidade com base no Documento Sumário - SEE. 2 – Apresentação dos Resultados da Escola: - nível de proficiência (abaixo do básico, básico, adequado, acima do adequado); - análise comparativa dos resultados – de 2012 a 2014 (evolução do índice abaixo do básico e acompanhamento das séries avaliadas); - análise dos resultados da AAP e ADS (2015). 3 – Apresentamos o que se espera da aprendizagem dos alunos ao final de cada série/ano avaliado (Relatórios Pedagógicos) através da: - retomada das expectativas de aprendizagem; - análise, em grupos por área, de algumas questões constantes nos relatórios que deverão ser escolhidas de acordo com o nível de desempenho dos alunos;
  • 29. 29 - análise permeando as seguintes questões norteadoras: avancem em suas hipóteses? sala de aula de articular a situação acima com as questões da AAP que os alunos tiveram dificuldades? que se refere ao conhecimento dos alunos para a série indicada nas expectativas de aprendizagem? 4- Em grupos estudamos e socializamos os Relatórios Pedagógicos (Língua Portuguesa; Matemática; Ciências e Ciências Humanas-2014), abordando: - o que deve ser trabalhado em cada série (verificando o nível de proficiência adequado)? - quais as dificuldades apresentadas pelas turmas da escola (verificando nível de proficiência abaixo do básico e básico e o que falta para alcançar o adequado)? Observando os resultados dos Boletins. - quais ações já foram desenvolvidas considerando os resultados do IDESP? - informações dos Relatórios para a atuação docente (apontar potencialidades e fragilidades). 5 – Para finalizar, a equipe gestora propôs a reflexão sobre as ações específicas que podem ser desenvolvidas pelos gestores da escola (PC Selma e Diretora Maria Cecília) e os professores para auxiliar os alunos a avançarem em suas aprendizagens, a saber: a) Utilização de instrumentos de acompanhamento: - planejamento do professor e planejamento das ATPC, registros, portfólios (de duas naturezas - atividades de alunos e de professores), mapas de sondagem, relatórios, análise de rotina, caderno volante ou piloto, plano emergencial da própria escola, listagem nominal dos alunos acompanhados no plano de recuperação da escola, controle de faltas, entre outros. b) Análise das atividades planejadas: - verificar a adequação de atividades para os alunos, refletindo se são ou não voltadas para a análise e reflexão sobre a competência leitora e
  • 30. 30 escritora, se atendem as expectativas de aprendizagem e se as condições didáticas necessárias para o ensino da leitura e da escrita estão garantidas; - revisitar os materiais didático-pedagógicos da SEE, selecionando ou adequando atividades; - descrever as dificuldades apresentadas pelos alunos na realização das atividades. c) Análise da organização do plano de recuperação: - formação de grupos de apoio; - recuperação (horário e número de alunos de recuperação e suas séries, formação de turmas); - organização da sala de aula (ex. formação de agrupamentos produtivos) e da escola no atendimento aos alunos com dificuldades de aprendizagem. d) Implementação da avaliação formativa diante das dificuldades dos alunos - organizar e estruturar os instrumentos internos de avaliação numa perspectiva formativa; promover devolutivas que auxiliem os alunos a entender o seu percurso de aprendizagem e ao professor redimensionar suas estratégias de ensino.
  • 31. 31 PLANILHA DE AUTOAVALIAÇÃO DA ESCOLA 2015 – ESTABELECENDO METAS AutoAvaliação A escola que tínhamos (autoavaliação) A escola que temos hoje Metas (a escola que queremos) Potencialidades Dificuldades Potencialidades Dificuldades 1 – Gestão de pessoas Bom entrosamento e integração entre docentes, discentes e funcionários Integração e envolvimento entre os períodos Um grande número de professores titulares, bom entrosamento Integração entre todos os períodos Interagir de forma a melhorar o entrosamento e a comunicação entre todos: professores, alunos, funcionários e equipe gestora. 2 – Gestão participativa Comunicação e envolvimento Envolver como um todo a comunidade nas tomadas de decisões Participação e envolvimento da comunidade com a Escola de um modo geral Reunir todos os envolvidos Conscientizar todos os segmentos da importância da participação ativa nas tomadas de decisão 3 – Gestão pedagógica Integração e participação da equipe gestora Melhor aproveitamento como um todo, ocasionando alguns problemas de aprendizagem Melhor integração e participação da equipe gestora De maior envolvimento nos projetos e ações por parte dos professores Organizar e dividir as tarefas com mais eficiência priorizando o acompanhamento e a orientação ao trabalho do coordenador, proporcionando aulas com mais qualidade
  • 32. 32 4 – Gestão de serviços de apoio (recursos físicos e financeiros) Número de funcionários suficientes. Recursos financeiros não atendiam com prioridade investimentos de manutenção A escola possui clientela oriunda de bairros distantes. Estimular o envolvimento da comunidade nas ações envolvidas Melhor integração dos funcionários Recursos financeiros distribuídos de forma a atender as prioridades Em melhor integrar e capacitar os funcionários para um melhor atendimento. Recurso financeiro insuficiente para atender a todas as prioridades Aumentar a qualidade no atendimento e tornar o funcionário capacitado para enfrentar qualquer tipo de problema e solucioná-lo. Elaborar estratégias para aumentara arrecadação dos recursos próprios. 5 – Gestão de resultados educacionais Auto índice de evasão escolar Comunicação com os pais ou responsáveis Diminuição da evasão escolar Problemas de ordem social Conscientizar os pais da obrigatoriedade legal da matrícula, frequência e acompanhamento escolar de seus filhos QUADRO DE METAS DECORRENTES DA PROPOSTA PEDAGÓGICA Metas a longo prazo (triênio/quadriênio) Metas a média prazo (ano/biênio) Metas a curto prazo (bimestre/semestre) 1 – Gestão de pessoas Todos os segmentos utilizem a mesma linguagem, diante das necessidades reais da comunidade Diagnosticar quais são as questões que refletem negativamente dentro da escola, Desenvolver estratégias de diagnósticos dos problemas mais graves
  • 33. 33 escolar dificultando a interação e comunicação na U.E. 2 – Gestão participativa Atingir índices mais elevados de participação, tanto nos colegiados como na reformulação da Proposta Pedagógica, Regimento e Plano de Gestão Investir na construção de projetos voltados para a socialização Envolver a comunidade nos projetos da Escola 3 – Gestão pedagógica Atingir resultados eficientes no processo de formação social dos alunos Elaborar estratégias em conjunto com os coordenadores e professores para melhorar a qualidade das aulas Diagnosticar as principais dificuldades de aprendizagem dos alunos 4 – Gestão de serviços de apoio (recursos físicos e financeiros) Resgatar a credibilidade do processo de ensino-aprendizagem tornando a comunidade mais ativa na resolução dos problemas da Escola. Melhoria do Prédio Escolar como: cobertura da quadra e salas ambientes Atender a comunidade, professores e funcionários com eficiência Melhorar o atendimento aos pais, dando-lhes ciência do rendimento escolar dos alunos. Investimentos na comodidade dos alunos e professores e aquisição de materiais pedagógicos. 5 – Gestão de resultados educacionais Diminuir em 100% a evasão escolar, propiciando a formação integral dos alunos, assegurando-lhes o acesso, a permanência e o sucesso escolar. Criar estratégias levando o educando a adquirir gosto pela permanência na escola Conscientização dos pais sobre a legalidade do acompanhamento escolar de seus filhos
  • 34. 34 QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA PEDAGÓGICA 2015 DIMENSÃO DA GESTÃO ESCOLAR ENVOLVIDA Gestão de Pessoas META ESTABELECIDA CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE Diagnosticar os problemas e as questões que refletem negativamente na escola dificultando a interação com o propósito de atingir todos os segmentos a fazerem uso da mesma linguagem Quadriênio Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos financeiros Período / cronograma de trabalho Responsáveis Avaliação Reuniões com todos os professores Projetos Professores e equipe gestora Todos os segmentos Alunos Alunos e comunidade Sem necessidade Parte da verba Dias previstos no calendário escolar para reuniões pedagógicas Equipe gestora Professores e equipe gestora Será feita através da interação e participação dos envolvidos No final de cada bimestre e no
  • 35. 35 interdisciplinares Exposição e debates com trocas de experiências escolares e comunidade Professores e equipe gestora Alunos e professores DMPP e recursos próprios Sem necessidade Decorrer do ano letivo Quinzenalmente Equipe gestora final do ano letivo, será feita a análise dos resultados atingidos. Através do acompanhamento das atividades propostas em sala de aula QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA PEDAGÓGICA DIMENSÃO DA GESTÃO ESCOLAR ENVOLVIDA Gestão Participativa META ESTABELECIDA CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE Elevar o índice de participação de alunos, professores e comunidade nos colegiados, na reformulação da Quadriênio
  • 36. 36 Proposta Pedagógica, Regimento Escolar e Plano de Gestão, envolvendo a todos nos projetos desenvolvidos Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos financeiros Período / cronograma de trabalho Responsáveis Avaliação Família na Escola Aplicação de questionário aos pais Professores, alunos, pais, funcionários e gestores Pais ou responsáveis e comunidade Todos os envolvidos no processo educativo Alunos e comunidade Recursos próprios Recursos próprios Nas reuniões bimestrais Permanente Gestores Professores e gestores Verificação e observação do número de pais presentes Análise dos questionários aplicados
  • 37. 37 QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA PEDAGÓGICA DIMENSÃO DA GESTÃO ESCOLAR ENVOLVIDA Gestão Pedagógica META ESTABELECIDA CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE Atingir resultados eficientes no processo de aprendizagem e formação social dos alunos, melhorando a qualidade e rendimento das aulas, diagnosticando as dificuldades apresentadas pelos alunos Quadriênio Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos financeiros Período / cronograma de trabalho Responsáveis Avaliação Inclusão no currículo dos seguintes temas: Professores e alunos Alunos Recursos próprios e DMPP No decorrer do ano letivo Professores e Gestores Através de reuniões pedagógicas
  • 38. 38 - Amamentação - Violência e pichação - Drogas e alcoolismo - Doenças endêmicas - Reportagem em geral - Meio ambiente Trabalho e consumo - Alimentação - Ética e Cidadania Trabalho diferenciado: - Pesquisas e relatórios - Músicas e poemas - Leitura de livros Professores e alunos Alunos Recursos próprios e DMPP No decorrer do ano letivo Através de Reuniões Pedagógicas para avaliar a evolução dos alunos através dos registros feitos em documentos para avaliar a evolução dos alunos
  • 39. 39 - Filmes - Atividades extra-classe - Projetos - Meu primeiro livro - Jornal da escola - Tic/Novelas QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA PEDAGÓGICA DIMENSÃO DA GESTÃO ESCOLAR ENVOLVIDA Gestão de Serviços de Apoio META ESTABELECIDA CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE Resgatar a credibilidade no processo ensino- aprendizagem, atender a comunidade, professores, alunos e funcionários com eficiência e investir no Quadriênio
  • 40. 40 bem estar comum a todos Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos financeiros Período / cronograma de trabalho Responsáveis Avaliação Horário de atendimento de acordo com a legislação Aplicação dos recursos financeiros de forma a atender as prioridades Funcionários, gestores, professores Colegiados Todos os envolvidos no processo educacional Todos os envolvidos no processo educacional Sem necessidade Verbas de manutenção, prestação de serviços e aquisição de materiais didáticos e pedagógicos Permanente Permanente Todos os envolvidos Colegiados Através de relatos de todos os agentes que utilizam o serviço prestado pela Escola Através das reuniões da APM, são apresentados os balancetes onde são feitas as sugestões.
  • 41. 41 QUADRO DE AÇÕES DECORRENTES DAS METAS ESTABELECIDAS PELA PROPOSTA PEDAGÓGICA DIMENSÃO DA GESTÃO ESCOLAR ENVOLVIDA Gestão de Resultados Educacionais META ESTABELECIDA CARACTERIZAÇÃO DA META PERIODICIDADE Assegurar o acesso e permanência do aluno na escola, levando- o a adquirir gosto pelos estudos, e conscientizar os pais sobre a legalidade do acompanhamento escolar de seus filhos. Quadriênio Ação ou ações Envolvidos Público Alvo Recursos financeiros Período / cronograma de trabalho Responsáveis Avaliação
  • 42. 42 Apontamento das ações positivas e negativas através de reuniões Acompanhamento dos índices de aprovações em concursos e vestibulares, entre outros fatores específicos na questão do ensino aprendizagem Elaboração de comparativos em relação a frequência e rendimento Professores e gestores Professores e gestores Professores e gestores Alunos Alunos Alunos Sem necessidade Sem necessidade Sem necessidade Bimestral Bimestral Bimestral Professores e gestores Professores e gestores Professores e gestores Análise dos resultados apresentados Análise dos resultados apresentados Análise dos resultados apresentados
  • 43. 43 VIII – ANEXOS AO PLANO GESTÃO 1. Avaliação do trabalho desenvolvido pelos diversos segmentos da Unidade Escolar no ano anterior No decorrer do ano letivo foi possível sanar alguns problemas matérias que minimizar as dificuldades pedagógicas. O resultado das ações colocadas em prática no decorrer do ano serviu para minimizar as dificuldades inerentes do processo educacional. Acreditamos que de maneira geral, houve uma boa articulação entre as avaliações e os conteúdos. A participação dos pais aumentou, constatamos através de frequência nas reuniões de pais. De maneira geral, estamos caminhando para um ambiente saudável com um bom relacionamento entre todos, mantendo o respeito mútuo, com condições de aulas agradáveis e rendimento satisfatório. Relação dos projetos desenvolvidos pela Unidade Escolar na seguinte conformidade: - Projetos da S.E.E. nos quais a E.E. PROF. CLEÓBULO AMAZONAS DUARTE participa: 1. Programa Jornal Escola e comunidade Objetivos Gerais: - Desenvolver o gosto e o hábito da leitura de jornal; - Familiarizar o aluno com o jornal, possibilitando a formação de um leitor em um potencial; - Estimular o aluno a discussão de sua realidade, desenvolvendo assim, o espírito crítico, o pensamento lógico e criativo, fazendo com que este formule e concretize a resolução de problemas intrínseco à sua realidade e o mundo que o cerca; - Possibilitar ao aluno o enriquecimento do seu universo existencial, integrando-o com o que se passa em outras regiões, países ou quer que seja no mundo globalizado; - Desenvolver o pensamento crítico e objetivo nos mais diversos setores da atividade humana, através da leitura do jornal e das pesquisas que este possibilita;
  • 44. 44 - Propiciar as práticas multidisciplinares e interdisciplinaridade, possibilitando ao professor recursos e apoio ao conteúdo curricular e classificação do material jornalístico; - Aplicar a leitura do jornal como um recurso fortalecedor na formação da cidadania. 2. Projetos especiais do Jornal Escola - Qualidade de vida - Construindo a Cultura Regional - Cidadania metropolitana - Cultura Marítimo-Portuária - Desenvolvimento Sustentável - Educação de valores - Educação Emocional - Orientação para o Mercado de trabalho - Educação Política - Educação Fiscal - Charges - Informática - Preservação da memória - Lições de vida 3. Prevenção também se ensina Este projeto tem como propósito proporcionar um simpósio de informação sexual na escola com extensão à comunidade, com abordagem de textos informativos com o intuito de desmistificar e reverter à informação sexual sob a égide dos pais, uma vez que há ainda a rejeição de alguns deles por falta de esclarecimento a seriedade a que se propõem. Pretende-se formar parcerias com profissionais como médicos, psicólogos e profissionais da saúde para apresentação de palestras sobre gravidez, aborto, DST e outros.
  • 45. 45 4. Projeto de Leitura Este projeto propõe criar hábitos de leitura, além de sanar as dificuldades apresentadas pelos alunos. Resultados: Todos os projetos descritos acima vêm apresentando bons resultados, embora seja de efeito a longo prazo já nota-se a diminuição do número de adolescentes grávidas, quanto a leitura à procura por livros na sala de leitura aumentou significativamente. A recuperação paralela tem auxiliado muito no trabalho do professor na sala de aula, além de dar ao aluno a oportunidade de sanar as dúvidas. 5. Projetos criados e desenvolvidos na Unidade Escolar - Família na Escola - Meio Ambiente - Meu primeiro livro de estória - Tic/Novelas - PROGRAMA ESCOLA DA FAMÍLIA / UM DIA NA ESCOLA DO MEU FILHO Uma boa escola abre suas portas para a comunidade, e se torna sua aliada na luta pela aprendizagem de sua clientela, desenvolvendo assim o verdadeiro sentido de cidadania. O primeiro passo é conscientizar sua clientela a participar do Conselho de Escola, da formação da APM, assim ajudando a construir uma escola forte e com compromisso com a educação. É participando que se cria vínculos e fortalece a democracia trabalhando e criando verdadeiros cidadãos. “Um sonho que se sonha junto vira realidade” - Meio Ambiente: A preservação do nosso planeta é urgente e necessário, pensando nisso a comunidade escolar desenvolveu o projeto de reciclagem do lixo urbano.
  • 46. 46 Desde cedo a clientela escolar aprende a reciclar e coletar corretamente papel, metal, plástico e vidro. Utiliza-se para isso latões coletores que ficam colocados ao alcance de todos. Com esse projeto, a escola cumpre seu papel de conscientização dos alunos quanto ao reaproveitamento de matérias descartados em nosso dia-a- dia. - Meu primeiro livro de estória: Trabalhando em conjunto com o projeto Jornal Escola, esse projeto leva as crianças a conhecer a importância da leitura em seu desenvolvimento educacional. O manuseio do livro faz com que o educando viaje para um mundo de fantasia onde a imaginação é o meio de transporte existente. “Um país se forma com homens e livros”. - Tic / Novelas: A televisão é um meio de comunicação mais popular de todos os tempos, sendo assim não se pode deixar de utilizá-la como ferramenta para o dia-a-dia educacional. É na hora das novelas que as famílias modernas se reúnem e é a partir desse cotidiano que podemos fortalecer a ética, o censo de certo e errado, hábitos e conceitos das nossas crianças. Esse projeto pretende levar as crianças ao mundo observatório e crítico quanto ao tema, utilizando-se da escrita, pesquisa, entrevistas, debates e leitura dentro do contexto. Horário de trabalho da Professora Coordenadora da Unidade Escolar Professora Coordenadora – Selma Faria 2ª f, 5ª f e 6ª f Das O9:30h às 13:30h e das 14:30h às 18:30h. 3ª f e 4ª f Das 7h às 11h e das 12h às 16h.
  • 47. 47 - Organização das horas de Trabalho Coletivo, explicitando o temário e o cronograma. ATPC 3ª f das 12:20h às 13:10h e das 13:10h às 14h 5ª f das 12:20h às 13:10h e das 13:10h às 14h Diante a importância da formação continuada dos professores e a fim de promover a junção entre teoria e prática pedagógica, há na escola, tanto no ensino fundamental quanto no médio, a Aula de Trabalho Pedagógico Coletivo (ATPC), realizada semanalmente conta com 100 (cem) minutos de duração para cada segmento. Neste tempo os educadores se reúnem e recebem orientações de um profissional, geralmente o coordenador pedagógico. As finalidades destas reuniões é abordar acontecimentos ocorridos em sala de aula, problemas com alunos, práticas pedagógicas, além de propostas de ensino que possam ser reavaliadas e replanejadas, tendo em vista as diretrizes comuns que a escola pretende imprimir ao processo ensino aprendizagem. O intuito desta proposta é auxiliar a prática pedagógica e orientar os profissionais visando à melhoria educacional e o relacionamento professor e aluno. A ATPC tem como objetivo principal promover a troca de experiência profissional, possibilitando assim a reflexão sobre a prática docente para que seja viável e se torne concreto o aperfeiçoamento individual e coletivo dos educadores. Na E.E. PROF. CLEÓBULO AMAZONAS DUARTE a ATPC acontece de forma que: -Identifique o conjunto de características, necessidade e expectativas da comunidade escolar; -Aponte e priorize os problemas educacionais a serem enfrentados; -Levantem os recursos materiais e humanos disponíveis que possam subsidiar a discussão e a soluça dos problemas;
  • 48. 48 -Proponham alternativas de enfrentamento dos problemas levantados; -Proponham um cronograma para a implementação, acompanhamento e avaliação das alternativas selecionadas. Além disso, ainda de acordo com a Portaria CENP nº 01/96; LC nº836/97, BRASIL é necessário que sistematicamente as reuniões sejam registradas pela equipe de professores e coordenação através de livro ata, com o objetivo de orientar o grupo quanto ao replanejamento e a continuidade do trabalho. Tornar as reuniões da ATPC eficazes é meta a ser atingida, para que esta, seja uma das ferramentas para o professor avaliar, refletir e melhorar sua prática docente. TEMÁRIO E CRONOGRAMA DAS ATPCs Segue o cronograma e temário das reuniões: FEVEREIRO  A avaliação entendida como um processo contínuo  A competência linguística como um bem cultural  A homofobia no ambiente escolar: uma relevante discussão  A importância da boa postura profissional  A importância da escolha por um ensino de melhor qualidade  A importância da música no processo de ensino-aprendizagem  A importância da parceria família e escola MARÇO  A importância de planejar o estudo  A importância dos pais no incentivo à pesquisa escolar  A interação Família X Escola é a grande responsável pelo bom desempenho dos alunos  A interação família x escola – Uma parceria rumo ao aprendizado  A orientação prévia – Uma iniciativa rentável  A participação dos pais no início das aulas
  • 49. 49  A pertinência da relação Professor X Aluno – Uma análise disciplinar ABRIL  A prática da rotulação no processo de ensino-aprendizagem  A primeira reunião de pais: confiabilidade mútua  A superação da didática tradicional  Agir segundo os princípios éticos... pais e educadores como mediadores na construção da moralidade?  Agressões na Sala de Aula  Articulação da escola com a família  As atividades extraclasse - Um complemento da aprendizagem MAIO  As consequências de ser professor  As redes sociais como aliadas da aprendizagem  Atuação dos pais na educação  Aula Expositiva: a eficácia ainda se mantém  Avaliação Escolar  Boa Postura na Sala de Aula  Brincadeiras e Valores Humanos JUNHO  Como construir história em quadrinhos com os alunos  Como estimular a leitura  Como falar às crianças sobre sexualidade?  Como orientar os alunos com dificuldades na leitura  Como proceder com alunos desmotivados  Como utilizar a televisão na educação da criança  Comunicação entre família e escola: transparência nas informações AGOSTO  Crianças e Combinados  Crianças e Esportes
  • 50. 50  Cultura  Definindo estratégias acerca dos métodos avaliativos  Definindo propósitos frente ao planejamento pedagógico  Desafios impostos à aprendizagem: Elogios x Recompensa  Desempenho escolar SETEMBRO  Despertando a noção de valores por meio de uma temática reflexiva  Dicas para um melhor aproveitamento das aulas  Diferenciando o mau leitor do indivíduo disléxico  Discorrendo acerca de uma problemática cotidiana – a evasão escolar  Discutindo a relação entre jovens, pais e educadores perante a fase da adolescência  Educação da Criança  Ensinar significa preparar para a vida OUTUBRO  Família e Escola  Formas de contribuir com o indivíduo disléxico  Hábito de ler: os benefícios de sua aquisição  Hiperatividade na escola  Indisciplina e notas baixas  Indisciplina Escolar  Influências da história em quadrinhos na educação  Jogos, brinquedos e brincadeiras no aprendizado da criança  Lidando com a heterogeneidade no ambiente escolar NOVEMBRO  Métodos avaliativos – Uma reformulação pedagógica  O fazer pedagógico mediante o convívio com as altas habilidades  O processo avaliativo sob um novo olhar  O que se pode dizer sobre Limites  O trabalho em grupo – uma benéfica proposta metodológica
  • 51. 51  O uso da internet na Educação  Os jovens estão mais violentos... O que a escola tem a ver com isso?  Palavrões  Papéis do professor  Passos norteadores de uma boa pesquisa – Uma discussão metodológica DEZEMBRO  Paz na Escola  Planejando estratégias que visem contornar futuros obstáculos  Procrastinação – o estudo sempre fica para depois  Professor incentivador da leitura  Relações Humanas e as Atividades Lúdicas e Esportivas  Saúde na escola  Sociabilizar – Eis a proposta com base nos trabalhos em grupo  Trabalhando a educação preventiva na escola  Utilizando a tecnologia com moderação  Utilizando histórias para trabalhar sentimentos - Metáforas
  • 52. 52 Considerações finais Plano de Gestão 2015-2018, uma peça gerenciadora do Projeto Pedagógico e do Plano de Ensino. Efetivamente, o mais importante componente do Plano de Gestão é o que se relaciona à operacionalização e acompanhamento dos objetivos e metas do Projeto Pedagógico e do Plano de Ensino, posto que através do registro das ações planejadas e desenvolvidas, é possível verificar os esforços de toda comunidade escolar na construção da melhoria qualidade do ensino que oferecemos aos alunos. Acreditamos que o Plano de Gestão é o operacionalizador e gerenciador do Projeto Pedagógico, ele deve avaliar os objetivos e metas do PP, pelo menos, semestralmente. Daí a importância da participação de todos os atores da comunidade escolar e entorno da escola, ou seja, de supervisores, diretores, professores, pais, alunos e servidores reunirem-se, periodicamente, para avaliar aquilo que o Plano de Gestão se comprometeu a gerenciar. Somente dessa maneira será possível torná-lo um documento de real utilidade para o processo pedagógico das escolas. Santos, 09 de novembro de 2015. Maria Cecília Vanzela de Souza Diretora da Escola