O impacto das novas mídias digitais no comportamento do consumidor - Grupo RPC

19.601 visualizações

Publicada em

Palestra apresentada para o Grupo RPC - Rede Paranaense de Comunicação (www.rpccorp.com.br), composto pelos Jornais Gazeta do Povo de Curitiba, Jornal de Londrina, 2 rádios e 8 afiliadas Rede Globo.

Publicada em: Educação, Negócios
7 comentários
36 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
19.601
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
707
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
771
Comentários
7
Gostaram
36
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O impacto das novas mídias digitais no comportamento do consumidor - Grupo RPC

  1. 1. O impacto das novas mídias digitais no comportamento do consumidor RPC – Rede Paranaense de Comunicação 22/09/2008
  2. 2. IMPACTO: 1. Impressão variável provocada no público por uma notícia, fato ou mensagem publicitária. 2. Método forçado, impelido. 3. Impressão muito forte, profunda, causada por diversos motivos. http://dicionariodemarketing.powerminas.com/dic_marketing_i.htm
  3. 3. “ao invés de falar de produtores e consumidores midiáticos em papéis separados, agora podemos vê-los como participantes que interagem uns com os outros de acordo com novas regras, que nenhum de nós entende por completo” Henry Jenkins
  4. 4. novos valores novos hábitos novos comportamentos loucos anos 20
  5. 5. nasce a cultura de massas desenvolvimento dos transportes e comunicações expansão das classes médias maior participação do cidadão na vida política
  6. 6. imprensa rádio cinema
  7. 7. o progresso das comunicações Rádio, 1915. Vozes humanas são transmitidas de um lado a outro do Atlântico, entre Arlington, nos EUA, e a torre Eiffel, na França. Cinema falado, 1920. Chegada dos filmes com som, desprezados pelo público até a origem de quot;O Cantor de Jazzquot;, com Al Johnson, em 1927. Televisão, 1926. Instituto Real de Londres, por John Baird. Gravador, 1935. A AEG, da Alemanha, desenvolve o princípio do magnetismo permanente para permitir a gravação dos sons sobre uma fita plástica. Nascem as bases do videotape. Internet, 1969. Interligava originalmente laboratórios de pesquisa, nos Estados Unidos. Era o auge da guerra fria.
  8. 8. internet – no Brasil, 59 milhões de usuários maiores de 16 anos (Datafolha F/Nazca – Março/2008). Quase 2 bilhões no mundo. China já ultrapassou os Estados Unidos. alguns números banda larga – 15,4 milhões (Nielsen/Netratings). tempo de navegação – brasileiro é o que mais tempo passa na internet (mais de 22h/mês). o que mais procura – buscadores, portais e comunidades. celulares – 125 milhões de aparelhos ativos. No mundo, quase 3 bilhões. e-commerce – R$ 3,8 bi no 1º. Semestre/2008 (ebit/Câmara Brasileira do Comércio Eletrônico). blogs – quase 2 criados a cada segundo. classe C – 86 milhões de pessoas, compra 4 a cada 10 PCs vendidos, responsável por 35% do comércio eletrônico.
  9. 9. “A cultura da convergência é o futuro, mas está sendo moldada no presente. Consumidores serão mais poderosos em uma cultura da convergência, mas somente se reconhecerem e usarem seu poder tanto como consumidores quanto como cidadãos, como participantes plenos de nossa cultura”. Henry Jenkins
  10. 10. “Devemos enxergar além dos dispositivos.” Compramos computadores para comunicar, nos conectar com o outro, com o mundo.
  11. 11. Estamos conectados o tempo todo. Wi-Fi Zone Smartphones 3G De várias formas.
  12. 12. Praia de Copacabana tem internet sem fio, de graça.
  13. 13. novos serviços avançados 5 a 10 Mbits por segundo longo alcance vídeos
  14. 14. do usuário passivo ao participativo
  15. 15. câmera 5 megapixels 8Gb de memória interna GPS
  16. 16. “pensar de forma mais ampla”
  17. 17. HTC Dream com Google Android
  18. 18. TV dá adeus ao controle remoto e responde ao movimento das mãos
  19. 19. tendências dos meios de comunicação interatividade canais bidirecionais de relacionamento convergência com telefonia celular convergência com internet customização de serviços e programação
  20. 20. diferenças entre a mídia tradicional e a mídia social
  21. 21. diferenças entre a mídia tradicional e a mídia social
  22. 22. interatividade interação emissor receptor canal › unidirecional › transmissionista › one-way › um-muitos › palestra
  23. 23. interatividade interação › pluridirecional › comunicacional › two-way › muitos-muitos › diálogo
  24. 24. novo consumidor
  25. 25. 13 anos de internet no Brasil quem é o novo consumidor?
  26. 26. 13 anos de internet no Brasil
  27. 27. 13 anos de internet no Brasil quem é esse novo consumidor? quem nasceu em 1995 tem 13 anos quem tinha 13 anos, tem agora 26 anos é a primeira geração digital do Brasil
  28. 28. 13 anos de internet no Brasil esse consumidor não conhece um mundo sem internet, sem e-mail, sem messenger, sem orkut, sem twitter, sem... será que ele toma suas decisões da mesma forma?
  29. 29. “tecnologia é tecnologia apenas para pessoas nascidas antes de ela ser inventada.” Alan Kay – cientista da computação
  30. 30. “Cerca de 75% das pessoas com menos de 25 anos nunca usaram e nem vão usar relógio. E sabe por quê? Porque não faz sentido carregar um tic-tac no pulso quando a mesma informação está disponível no seu celular que você carrega no bolso.” Jeff Borden, diretor da Academia de Treinamento e Consulta da eCollege, projeto de EAD da editora Pearson, durante o 14º Congresso Internacional ABED de Educação a Distância, que está sendo realizado em Santos, São Paulo (Setembro/2008)
  31. 31. uma nova geração y linguagem entre 18 e 30 anos conectados falam sua própria língua colaborativos buscam as respostas nas referências de outros jovens conectados alto desejo de comunicação
  32. 32. uma nova geração y linguagem blog fotolog orkut, facebook, myspace ipod, iphone, mp3, mp4 NoB baleiando megaboga miguxês
  33. 33. geração y miguxês Miguxês é o nome popular de um socioleto do idioma português, utilizado comumente por adolescentes lusófonos na Internet e outros meios eletrônicos, como mensagens escritas de telefone celular. Seu nome deriva de miguxo, corruptela de amiguxo, por sua vez um termo utilizado para quot;amiguinhoquot;.
  34. 34. um novo consumidor valoriza menos a propaganda. ouve mais indicações de amigos, experts e até mesmo de marcas que ele considera relevantes. seu impulso de compra é motivado pela tentativa de se sentir parte de uma comunidade
  35. 35. Ninguém mais está satisfeito em fazer parte da massa.”
  36. 36. “As pessoas querem é ser diferentes.” Frederick van Amstel
  37. 37. Núcleo Jovem da Editora Abril Revistas Capricho, Mundo Estranho, Superinteressante e Bizz http://super.abril.com.br/ytrends Dados de 2007
  38. 38. geração seleção (1) 1 o jovem não quer perder mais tempo procurando as coisas que deseja consumir. ele necessita de referências que pré-selecionem as melhores opções. 10 tendências de consumo jovem
  39. 39. consumo viral (2) 2jovem, inseguro diante das o decisões de consumo, busca referências confiáveis entre amigos. o próprio jovem torna-se a maior mídia disseminadora dentro do seu universo. 10 tendências de consumo jovem
  40. 40. consumo da expectativa (3) 3 a expectativa da aquisição é mais intensamente vivida do que a própria posse do produto. a imagem do artigo é, muitas vezes, mais importante que o artigo em sim. 10 tendências de consumo jovem
  41. 41. comportamento indie (4) 4 o jovem desafia o sistema como forma de se opor à massa, mesmo que apenas no discurso. a contracultura ganha força como produto. 10 tendências de consumo jovem
  42. 42. design nation (5) 5 o design é cada vez mais um fator de decisão entre os jovens. 10 tendências de consumo jovem
  43. 43. o consumidor é o conteúdo (6) 6interação da internet revela uma a nova forma de conteúdo, principalmente para as novas gerações: os próprios usuários. a tecnologia permite que a juventude expresse a sua criatividade e mostre os seus desejos. 10 tendências de consumo jovem
  44. 44. o consumidor é o conteúdo (6) 6 por meio das informações que disponibiliza sobre si na internet, o jovem passa a ser ele mesmo o conteúdo. 10 tendências de consumo jovem
  45. 45. psiconomadismo (7) 7 a aceleração da sociedade provoca no jovem uma ânsia e uma tentativa de experimentar tudo, no menor tempo possível, sem se prender a crenças ou estilos. 10 tendências de consumo jovem
  46. 46. mente global, alma local (8) 8 o jovem apóia discursos que colocam o Brasil no centro, mas continua antenado e curioso com o que vem de fora. conectado com o mundo, o jovem percebe os valores do nosso país. 10 tendências de consumo jovem
  47. 47. revolução natural (9) 9 as novas gerações manifestam o desejo de buscar o bem-estar, o equilíbrio entre o corpo e a mente, entre o indivíduo e o meio- ambiente. 10 tendências de consumo jovem
  48. 48. consumo do vazio (10) 10 é bombardeado por o jovem informações caóticas, estímulos e identidades. por conta disso, consome cada vez mais um espaço no universo físico- virtual para lidar com o excesso de informações. 10 tendências de consumo jovem
  49. 49. “Eles preferem o computador à TV, carregam celular no bolso e já decretaram a aposentadoria do e-mail e do telefone - gostam mesmo é de conversas instantâneas e interativas, seja pelos mensageiros eletrônicos, pelos torpedos SMS ou pelas redes sociais.”
  50. 50. rafinha Rafinha TV1 Comunicação / São Paulo http://www.youtube.com/watch?v=JMRF_ZXms9 E
  51. 51. geração C Conteúdo Colaborativa Conectada
  52. 52. internet: uma velha, boa idéia Silvio Meira / CESAR
  53. 53. que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968] as tecnologias da internet vão estar em todo Silvio Meira / CESAR lugar.
  54. 54. que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968] O acesso à rede será Silvio Meira / CESAR permanente.
  55. 55. que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968] A rede estará sempre Silvio Meira / CESAR ligada.
  56. 56. que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968] Qualquer um poderá se conectar de qualquer lugar, com qualquer dispositivo, a qualquer hora. Silvio Meira / CESAR
  57. 57. que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968] A rede será invisível. Silvio Meira / CESAR
  58. 58. que princípios tinha a internet? [kleinrock, ucla, 1968] 1. em todo lugar, 2. acesso permanente, 3. sempre ligada, 4. qualquer lugar, disp., tempo... 5. e... invisível. Silvio Meira / CESAR
  59. 59. “Nunca os consumidores puderam se expressar com tanta liberdade e com tamanho alcance. Reclamações que antes se dissolviam no ar hoje ficam registradas na Internet, ao alcance de uma pesquisa no Google”. Revista Exame – edição 860 (fevereiro/2006) “O impacto dos blogs não se limita a isso. Eles abrem uma nova dimensão na comunicação com clientes, funcionários e parceiros. O mercado tornou-se uma grande conversa. E, sejam as notícias boas ou más, elas serão contadas a todo mundo”. Revista Época – edição 428 (julho/2006)
  60. 60. podcast “podcast é um programa de rádio que pode ser escutado ou baixado pela internet. Os podcasts são de graça e você pode ouvir a qualquer hora, em qualquer lugar e quantas vezes você quiser.”
  61. 61. “podcasting é rádio sob demanda na internet” “tecnicamente, podcasting é um método de distribuição de conteúdo digital multimídia pela internet.”
  62. 62. impacto das mudanças
  63. 63. Ibope culpa trânsito e web por queda da TV. IBOPE/ABTA – 18/08/2008
  64. 64. como atingir o consumidor? fragmentação do consumo de mídia
  65. 65. Publicidade na internet ameaça a da TV 18/06/08 A internet ultrapassará a televisão como o maior meio de propaganda este ano na Inglaterra, com 19% do total gastos em publicidade, conforme previsão do Enders Analysis.
  66. 66. Relatório do mercado americano aponta que internet atinge receita de US$ 21,2 bilhões em 2007 e ultrapassa o rádio e a televisão por assinatura.
  67. 67. O investimento publicitário em internet cresceu 36% no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, chegando a R$ 134,3 milhões. Com isso, pela primeira vez a internet recebeu mais recursos que a TV por assinatura no país. Os dados são do projeto Inter-Meios, que mede o faturamento dos veículos de comunicação.
  68. 68. Web ultrapassa TV e jornais como mídia mais consumida no mundo, diz ONU.
  69. 69. Propaganda com os dias contados? 19/01/2008 Com a web, tecnologias móveis ganham mais adeptos e colocam em xeque formatos tradicionais de mídia. É irreversível o impacto da mídia on-line na vida dos consumidores e, por tabela, na publicidade. O que se debate agora é: o anúncio de 30 segundos na televisão, que sempre foi o padrão no mercado da propaganda, está mesmo com os dias contados? Dois estudos realizados recentemente - pela consultoria Accenture e pelo especialista em mídia on-line americano Jeffrey Cole - mostram que sim. O declínio das mídias tradicionais em prol de novos formatos seria inevitável frente ao avanço do acesso à internet e às tecnologias em aparelhos móveis. Há hoje no mundo 3,3 bilhões de celulares. Essa mobilidade disponível traz intensificação da interatividade, o que vai levar a uma mudança do modelo de negócio na comunicação. Fonte: Diário de Pernambuco - PE
  70. 70. http://www.hsm.com.br/editorias/marketing/novas_midias_demandam.php?mace2_cod=1196&pess2_cod=23446&lenc2_cod=
  71. 71. TV ou internet? Em 2006, 40% das pessoas abririam mão da TV para ficar apenas com a internet. 5 anos antes esse número era apenas 26%.
  72. 72. cross-media é o caminho Consumers said that they search online after exposure to ads or products in magazines (47%) and newspapers (42%), on TV (43%) and while reading articles (44%).
  73. 73. crescimento de consumidores comércio eletrônico brasileiro Fonte: e-bit Webshoppers 2008 Faturou R$6,3 bi em 2007 e R$ 3,8 bi no 1º. Semestre/2008
  74. 74. socialmedia alavancar uma marca, produto ou serviço utilizando as conexões interpessoais existentes em redes sociais, criando novas conexões.
  75. 75. o que é socialmedia?
  76. 76. redes sociais / mídias sociais é uma diálogo entre consumidores, colaboradores, investidores, pessoas! não é organizada não é controlada não tem publicidade
  77. 77. motivação em redes sociais interesses pessoais e entretenimento, e não objetivos de negócios Gartner, ago/2008
  78. 78. 90% dos usuários de internet no Brasil usam redes sociais, diz Ibope//NetRatings Os internautas brasileiros são campeões em acesso a redes sociais, com 18,5 milhões de usuários residenciais de comunidades e blogs por mês. Se forem somados a esse número fotologs, videologs e os mensageiros instantâneos, a quantidade de pessoas sobe para 20,6 milhões, representando 90% do total de internautas no País (22,4 milhões). Ibope Net//Ratings, apoiado nos dados da NetView, comportamento do usuário de redes sociais (Maio/2008)
  79. 79. socialmedia social networking: Orkut, Facebook, Myspace, Hi5, Sonico business networking: LinkedInd, Xing, Via 6, M&M Network video sharing: Youtube ,Vimeo photo sharing: Flickr social bookmarking: Delicious microblogging: Twitter, Jaiku meta life: Second Life, Lively blog, fololog: Blogger, Wordpress
  80. 80. Como uma marca (empresa) pode aproveitar bem o Twitter”?
  81. 81. branding – coloque o logo da sua empresa ou produto atendimento ao cliente, com respostas para dúvidas frequêntes, dicas ofertas e promoções especiais recrutamento de pessoal fazendo perguntas ao público consumidor
  82. 82. a internet se revoluciona a cada 5 anos aproximadamente em 1990 tivemos a criação da www, a tecnologia que revolucionou a internet em 1995 o lançamento do Netscape, primeiro navegador web em 2000 o estouro da bolha em 2005 a chamada web 2.0, colaborativa, onde os conteúdos são gerados pelos usuários em 2010 é prevista a chamada web 3.0, semântica, o conteúdo passa a ser organizado, passa a ter significado
  83. 83. web 1.0 (primitiva) web 2.0 (colaborativa) web 3.0 (???) convergência das redes de programas e produtos independência de comunicação online dispositivos pesquisas usuário é o veículo semântica descentralizadas P2P, Blogs, Podcast, usuário é a plataforma e-mail Fotologs, Wikis, Redes Ex: iPhone, Blackberry, Sociais Ex: Netscape e ICQ GPS, Wi-Fi Zone, MMS Ex: Google, Wikipedia, Orkut
  84. 84. a web atual é composta de elementos isolados: palavras soltas, imagens e sons porém, estes elementos têm apenas significado individual numa busca “incluir informação sobre a informação” “taguear com significado semântico”
  85. 85. Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies “Groundswell: vencendo em um mundo transformado pelas tecnologias sociais” Josh Bernoff, vice-presidente do instituto de pesquisas americano Forrester Research, e Charlene Li, que há pouco tempo deixou a mesma empresa.
  86. 86. onde está o perigo? como a imagem de uma pequena ou média empresa pode ser prejudicada na internet — e como reverter a situação .
  87. 87. onde está o perigo? blogs • Quando ameaçam Um blogueiro publica um comentário desfavorável à empresa e o conteúdo se torna popular ao ser reproduzido por outros blogs • Como contra-atacar Usar ferramentas gratuitas ou contratar um serviço de monitoramento para saber o que os blogueiros dizem. Designar funcionários para explicar, com comentários nesses blogs, a posição da empresa frente ao assunto Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  88. 88. onde está o perigo? redes sociais • Quando ameaçam Nessas redes, uma informação desfavorável a uma empresa ou a seu setor pode se espalhar rapidamente. Um bom trabalho do concorrente também • Como contra-atacar Criar um perfil da empresa nas redes que reúnem um público próximo a seu mercado. Adicionar usuários que podem ser encontrados em comunidades do setor da empresa. Fortalecer as relações com eles e adicionar outros continuamente Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  89. 89. onde está o perigo? portais colaborativos • Quando ameaçam Sites como o da Wikipedia, em que os usuários editam o conteúdo, podem ter informações indesejadas ou falsas na descrição da empresa e seus produtos • Como contra-atacar Correções podem ser feitas rapidamente. Mas os administradores desses sites não recomendam que empresas mudem seus próprios perfis sem uma boa razão, que deve ser explicada com fatos no texto e em seções de discussão Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  90. 90. onde está o perigo? lojas virtuais • Quando ameaçam Boa parte dos sites de comércio eletrônico traz um espaço para opiniões sobre produtos. Essas opiniões influenciam outros compradores — ainda mais quando não são boas • Como contra-atacar Mandar um e-mail ao consumidor que fez a reclamação com uma resposta ao comentário dele. Dar suporte ao problema ou esclarecer dúvidas aumenta a chance de esse cliente voltar ao site e contar espontaneamente que a questão foi resolvida Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  91. 91. “Se você tem uma marca, está sob ameaça.” Josh Bernoff e Charlene Li, no livro Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  92. 92. o bom uso da internet três exemplos de ações que podem ser feitas na rede para fortalecer laços com os consumidores Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  93. 93. divulgação ↗Ação A vinícola sul-africana Stormhoek enviou 185 garrafas de vinho a blogueiros do Reino Unido e da Irlanda. Em seis meses, havia 305 referências sobre o produto em blogs. Houve mais iniciativas como essa no YouTube e no Facebook. ↗Resultado Em dois anos, o faturamento subiu de 1 milhão para 10 milhões de dólares Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  94. 94. suporte ↗Ação A fabricante de computadores Dell criou um fórum no qual os consumidores postam dúvidas sobre os produtos, que são respondidas por outros consumidores. ↗Resultado Cada vez que um cliente resolve um problema no fórum, em vez de ligar para o suporte da Dell, a empresa economiza cerca de 10 dólares Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  95. 95. relacionamento ↗Ação A Lego descobriu uma comunidade de adultos fanáticos por seus brinquedos na internet. Para interagir com eles, escolheu os mais ativos para ser “embaixadores” da empresa. ↗Resultado Quem for eleito “embaixador” leva para a Lego reivindicações da comunidade e divulga lançamentos Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies
  96. 96. ARG – a realidade na ficção
  97. 97. Um alternate reality game (ARG) é um tipo de jogo que combina as situações de jogo com a realidade, recorrendo às mídias do mundo real, de modo a fornecer aos jogadores uma experiência interativa.
  98. 98. Os ARGs são caracterizados por envolver os jogadores nas histórias, encorajando-os a explorar a narrativa, a resolver os desafios e a interagir com as personagens do jogo. Este tipo de jogos desenvolve-se a partir de sites, e- mails, telefonemas, entre outros meios de comunicação comuns.
  99. 99. ARG Prison Break www.querosairdaqui.com.br
  100. 100. http://www.whysoserious.com ARG Batman
  101. 101. “Nos próximos cinco anos, toda a mídia será interativa. Não haverá mais departamentos de marketing nas empresas, e sim de interatividade. O executivo de marketing precisará se transformar num conector.” Kevin Roberts CEO mundial da Saatchi & Saatchi, uma das maiores agências de publicidade do mundo.
  102. 102. From: Água... * <maisagua@gmail.com> Date: 2008/9/17 Subject: [Brainstorm #9] [VAGA SP] To: brainstorm9@googlegroups.com Olá! A área de Propaganda Online da TV1 está procurando profissional para trabalhar com marketing de guerrilha e redes sociais. A vaga pede alguém que goste tanto de planejar ações quanto de colocar a quot;mão na massaquot;, ou seja, o interessado deve gostar / conhecer blogs, microblogs, redes sociais, atualidades, publicidade, enfim: um pouco de absolutamente tudo. Se você quer trabalhar com a gente mande e-mail com CV e BREVE apresentação sobre você (3 linhas) para mmonteiro@tv1.com.br com o assunto quot;MKTVquot;. A TV1 (www.tv1.com.br) fica em São Paulo. ;) -- Água... http://twitter.com/maisagua
  103. 103. jornalismo cidadão
  104. 104. jornalismo cidadão Termo cunhado em 2003 pelos norte-americanos Shayne Bowman e Chris Willis, do The American Press Institute. “o jornalismo deixou de ter mão única para ser um processo em que estão desaparecendo as barreiras entre produtores e consumidores de informação – e no qual o jornalista perdeu a exclusividade do manejo e da transmissão de notícias” Dan Gilmor (We The Media) “meus leitores sabem mais que eu” Dan Gilmor (We The Media, 2004)
  105. 105. jornalismo cidadão em ação Em fevereiro, por exemplo, a CNN lançou o site iReport, onde os conteúdos enviados vão parar até na TV. quot;Quando vamos fazer as reportagens, já levamos em conta o que os internautas nos enviaramquot;, explica Lila King, da CNN. No Brasil, comentários sobre a Olimpíada feitos no Limão, rede social do Grupo Estado, foram parar na capa do Estado. quot;Queremos criar uma cultura de colaboração. Teremos em breve um canal para receber textos jornalísticosquot;, adianta o editor de Conteúdo Digital do Grupo Estado, Marco Chiaretti. Já no G1, o público é convidado a protestar. Na semana passada, estreou o site Globo Amazônia, um mashup com o Google Earth onde são mostrados os focos atualizados de desmatamentos na região. Até agora, foram 4 milhões de protestos. quot;As pessoas fazem denúncias, mostram indignação. É uma forma de engajar a comunidade.quot;
  106. 106. abertura de códigos MOVIMENTOS FEMINISTAS, ...comportamentais ÉTNICOS, HOMOSSEXUAL... ...fonte (software) LINUX ...direitos de autor CREATIVE COMMONS, COPYLEFT Ana Brambilla
  107. 107. Consumer Generated Media(CGM), User- generated Content (UGC) e User-created Content (UCC) são alguns dos termos usados para designar os conteúdos e mídias geradas, via novas tecnologias, pelos consumidores ou usuários finais. Estas produções revelam-se, principalmente, em formatos de fotos feitas por celulares, vídeos digitais, animações, conteúdos em blogs e wikis, podcastings, tutoriais, códigos abertos e softwares livres. Ana Brambilla
  108. 108. mudança no sistema clássico de comunicação MÍDIA DE MASSA MÍDIA DIGITAL Ana Brambilla
  109. 109. OhmyNews fundado em fevereiro de 2000, pelo jornalista Oh Yeon Ho. cerca de 60 mil cidadãos repórteres em mais de 90 países receita de US$ 6 milhões em 2006 + US$ 10 milhões no OMN Japan “Every citizen is a reporter” Ana Brambilla
  110. 110. OhmyNews International redação baseada em Seul jornalistas profissionais trabalhando na edição e checagem feedback aos cidadãos repórteres em todas submissões exigência de identificação detalhada (cadastro) de onde vêm as informações? CONVERSAÇÃO Ana Brambilla
  111. 111. outras iniciativas de jornalismo colaborativo mundo Ana Brambilla
  112. 112. episódios marcantes Ana Brambilla
  113. 113. episódios marcantes Ana Brambilla
  114. 114. episódios marcantes “Pouco mais de 24 horas após a execução de Saddam Hussein, começaram a circular na Internet imagens do momento da morte do ex-ditador, enforcado em Bagdá por volta de 1h de sábado (horário de Brasília). As fotos, feitas a partir de um vídeo de celular, teriam sido tiradas por uma das testemunhas da morte. Em uma delas, o ex- presidente aparece dependurado na forca, aparentemente já morto. Com uma duração de 2 minutos e 38 segundos e péssima qualidade, o vídeo teria sido gravado por meio de um telefone celular. Na gravação, os carrascos gritam Moqtada, Moqtada!, em referência ao líder xiita radical Moqtada al Sadr, cujo pai e um tio foram assassinados sob o regime de Saddam. Segundo as imagens, Saddam continua rezando no momento de cair no vazio. O corpo então cai brutalmente e se escuta um ruído de metal. Após alguns instantes de confusão, a câmera foca o rosto de Saddam.” (Fonte: TERRA) Ana Brambilla
  115. 115. outras iniciativas de jornalismo colaborativo Brasil Ana Brambilla
  116. 116. jornal colaborativo no Brasil não há ambiente para acompanhamento das colaborações alguns solicitam envio por e-mail (não oferecem formulário) todos os direitos de autor são cedidos, mas a responsabilidade jurídica sobre o conteúdo é do colaborador o único que remunera é o Estadão (em condições especiais) têm baixíssima atualização muitos conteúdos são baseados em notícias já publicadas na mídia tradicional são negócios coadjuvantes em grandes empresas de mídia Ana Brambilla
  117. 117. jornal colaborativo no Brasil Ana Brambilla
  118. 118. variações possíveis Edição aberta ou fechada? Jornalistas ou só Global ou local? leigos? Opinativo ou Identificado ou Publicação anônimo? informativo? imediata ou mediada? Ana Brambilla
  119. 119. http://mediaon.terra.com.br/2008 vídeo: protagonista na onda atual do jornalismo online? a web e as eleições brasileiras o novo jornalismo e a cobertura eleitoral – utilização das inovações e ferramentas multimídia a web e as eleições nos Estados Unidos relevância do conteúdo jornalístico gerado pelo usuário blogs e social media. Como encontrar e envolver novas audiências? a revolução do conteúdo nas redes sociais
  120. 120. “A expressão jornalismo online é “adulta”, “jovem não diz a palavra online, porque é óbvio que é online, a vida dele é online!” Marcelo Tas, no MediaOn 2008.
  121. 121. http://www.loremcast.com.br
  122. 122. dicas e curiosidades
  123. 123. referências Ana Brambilla [Editora Abril] Fábio Seixas [Camiseteria] Edney Souza [Interney] Josh Bernoff e Charlene Li [Groundswell: Winning in a World Transformed by Social Technologies] Silvio Meira [CESAR] Leonard Kleinrock [UCLA] Henry Jenkins [MIT]
  124. 124. obrigado! Paulo Milreu www.paulomilreu.com.br paulo@milreu.com.br twitter.com/paulomilreu www.pmcassociados.com.br

×