Metodo De Pesquisa Ensinando 2010

11.711 visualizações

Publicada em

0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.711
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
129
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
285
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Metodo De Pesquisa Ensinando 2010

  1. 1. <ul><li>processo de construção do conhecimento que tem como metas principais gerar novo conhecimento e/ou corroborar ou refutar algum conhecimento pré-existente </li></ul>PESQUISA É basicamente um processo de aprendizagem tanto do indivíduo que a realiza quanto da sociedade na qual esta se desenvolve
  2. 2. PESQUISA <ul><ul><ul><li>.Quais os aspectos envolvidos com a pergunta? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>.É possível caracterizar melhor esta pergunta? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>.Qual assunto está diretamente relacionado com a pergunta? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>.Qual o título provisório do ante-projeto de pesquisa que deixe mais clara a resposta à pergunta? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>.Qual a relevância científica da resposta a pergunta? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Qual a abordagem metodológica mais adequada? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>.Que tipo de amostra deverá ser utilizada? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>.É viável a realização da pesquisa em nosso meio? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>.Quanto tempo será necessário para a pesquisa? </li></ul></ul></ul>
  3. 3. ABORDAGEM METODOLÓGICA
  4. 4. Quantitativa X Qualitativa Quantitativa: Busca explicação: o “por quê”: preocupa-se com as causas Qualitativa :Busca compreensão: o “como”: preocupa-se em compreender os fenômenos, se refere ao mundo dos símbolos / significados Foco
  5. 5. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Fenômenos humanos apreendidos (significados) Quantitativa Fatos naturais descritos Objeto de estudo
  6. 6. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa: Olha a luz da sua subjetividade Envolve-se no fenômeno de interesse Quantitativa Distancia-se do fato pesquisado Papel do pesquisador
  7. 7. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa: Compreensão; explanação Captação e interpretação da relação de significações de fenômenos para os indivíduos e a sociedade Quantitativa: Testagem de hipóteses Descrição e estabelecimento de correlações matemáticas (estatísticas) e causais entre fatos Objetivos da pesquisa
  8. 8. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa: Proposital, Intencional: sujeitos individualmente eleitos; tamanho pequeno Quantitativa : Randômica- representativa estatisticamente de uma população Amostra
  9. 9. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Análise de conteúdo: categorias por relevância teórica de repetição Quantitativa Técnicas estatísticas, habitualmente feitas por especialistas Análise dos dados
  10. 10. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Pesquisador como instrumento, com seus sentidos Observação Quantitativa Experimentos Observação dirigida Questionários fechados Instrumentos de pesquisa
  11. 11. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Entrevistas Coleta intencional em prontuários Testes psicológicos eventuais Quantitativa Escalas Classificações nosográficas Exames laboratoriais Instrumentos de pesquisa
  12. 12. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Diário de campo Seminários (atas, sínteses) Oficinas (material) Quantitativa Dados randomizados em prontuários Psicodiagnósticos Instrumentos de pesquisa
  13. 13. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Validade Atribuído ao rigor da validade dos dados/achados Quantitativa Fidedignidade Atribuído ao rigor da reprodutibilidade dos resultados Critério de confiabilidade
  14. 14. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Tópicos redigidos, com observações do campo e citações literais(falas), não separados da discussão Quantitativa Em linguagem matemática (tabelas, quadros), habitualmente em separado no relatório Apresentação dos resultados
  15. 15. Quantitativa X Qualitativa Qualitativa Interpretação simultânea à apresentação de resultados, revisão de hipóteses, conceitos ou pressupostos Quantitativa Confirmação ou refutação das hipóteses previamente definidas. Generalização dos resultados e conclusões Discussão dos resultados e conclusões
  16. 16. ETAPAS FUNDAMENTAIS DA PESQUISA
  17. 17. <ul><li>Tipos de estudos e sua distribuição na literatura. </li></ul>
  18. 18. <ul><li>1. Pesquisa Bibliográfica </li></ul><ul><li>Levantamento, seleção e documentação de toda bibliografia já publicada sobre o assunto que está sendo pesquisado. </li></ul>TIPOS DE PESQUISA BUENO, 2004
  19. 19. Revisão Sistemática Aplicação de estratégias científicas que limitem o viés de seleção de artigos, avaliem com espírito crítico os artigos e sintetizem todos os estudos relevantes em um tópico específico. Meta-Análise Revisão sistemática quantitativa, ou seja, aquela que emprega métodos estatísticos para combinar e resumir o resultado de vários estudos. Revisão Bibliográfica
  20. 20. TIPOS DE PESQUISA <ul><li>2. Pesquisa Experimental </li></ul><ul><li>Demonstrar como e porque um determinado fenômeno é produzido </li></ul><ul><li>Refazer as condições de um fato a ser estudado, para observá-lo sob controle, entendendo seus mecanismos de funcionamento e posterior manipulação. </li></ul>
  21. 21. TIPOS DE PESQUISA <ul><ul><li>3. Pesquisa de Campo </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudos observacionais </li></ul></ul><ul><ul><li>exploram ou descrevem fenômenos, sem intervenção ativa do pesquisador </li></ul></ul><ul><li>Descritiva: </li></ul><ul><li>Observar, registrar e ordenar dados, sem manipulá-los; </li></ul><ul><li>Descobrir a freqüência com que ocorre um fato, sua natureza, características, causa, relações; </li></ul><ul><li>Para coletar dados: entrevista, formulário, questionário, teste, observação. </li></ul>
  22. 22. <ul><ul><ul><li>4. Estudos experimentais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>testam variáveis com intervenção direta ou indireta do pesquisador sobre o evento estudado </li></ul></ul></ul></ul>TIPOS DE PESQUISA BUENO, 2004
  23. 23. <ul><li>Pesquisa Documental ou de Gabinete </li></ul><ul><li>Recolher, analisar e interpretar as contribuições teóricas já existentes; </li></ul><ul><li>Fontes escritas e não escritas (fotografias, gravações, rádio, televisão, desenhos, pinturas, canções, objetos de arte, folclore...) </li></ul>TIPOS DE PESQUISA BUENO, 2004
  24. 24. <ul><li>Pesquisa de Opinião </li></ul><ul><li>Saber atitudes, pontos de vista e preferências - tomada de decisão. </li></ul><ul><li>Estudo de Caso </li></ul><ul><li>Levantar e conhecer em detalhes sobre a empresa alvo de estudo.Sua história, produtos, mercado, faturamento, quadro funcional,e sobre o tema da pesquisa. </li></ul>TIPOS DE PESQUISA
  25. 25. VIABILIDADE DA PESQUISA <ul><ul><li>há condição para a pesquisa na instituição? </li></ul></ul><ul><ul><li>o equipamento é adequado? </li></ul></ul><ul><ul><li>o pessoal, inclusive o orientador, é qualificado? </li></ul></ul>
  26. 26. EXPERIMENTO <ul><ul><li>Viabilidade da pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>qual o animal ideal? </li></ul></ul><ul><ul><li>quanto tempo preciso para obter os animais? </li></ul></ul><ul><ul><li>quantos animais vou precisar? </li></ul></ul><ul><ul><li>qual o anestésico ideal para este animal? </li></ul></ul>
  27. 27. EXPERIMENTO <ul><ul><li>Viabilidade da pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>qual o custo final? </li></ul></ul><ul><ul><li>quanto tempo, para chegar ao final? </li></ul></ul><ul><ul><li>qual a melhor época para o início? </li></ul></ul>
  28. 28. <ul><li>Pesquisa é uma atividade social </li></ul><ul><li>Pesquisadores éticos: </li></ul><ul><li>- Não roubam, plagiando resultados; </li></ul><ul><li>- Não mentem, adulterando ou inventando fontes e resultados; </li></ul><ul><li>- Não encobrem objeções e limitações; </li></ul><ul><li>- Não dificultam ou simplificam demasiado; </li></ul>Pesquisa e ética BUENO, 2004 BUENO, 2004
  29. 29. <ul><li>A metodologia cientifica é um instrumento para o desenvolvimento e domínio do pensamento científico. </li></ul><ul><li>Não deve ter como finalidade a produção durante o período de graduação ou o trabalho de conclusão de curso, MAS, deve ser ensinada como forma de pensar e de construir o conhecimento. </li></ul><ul><li>Conhecimento esse que tem a força de modificar a Sociedade. </li></ul>
  30. 30. <ul><li>O importante é não parar de questionar. </li></ul><ul><li>Albert Einsten </li></ul><ul><li>Físico (1879 - 1955) </li></ul>
  31. 31. Bibliografias de referência <ul><li>AZEVEDO, LFR Metodologia científica na investigação clínica. Porto, 2003. Disponível em http://sbim.med.up.pt Acessado em Julho 2004 </li></ul><ul><li>BUENO, M. Metodologia científica . Catalão,2004. Disponível em http://www.cesuc.br/nac/Curso-metodologia.ppt. Acessado em Agosto 2004 </li></ul><ul><li>DUARTE, M Método científico . São Paulo, 2003. Disponível em http://www.usp.br/eef/lob. Acessado em Agosto 2004 </li></ul><ul><li>GOLDEMBERG J - O repensar da educação no Brasil - 1993, Instituto de Estudos Avançados da Universidade de São Paulo - 137 p. </li></ul><ul><li>VIERA, S E HOSSNE, WS. Metodologia Científica para a área da saúde . Rio de Janeiro: Campus, 2001 </li></ul><ul><li>TURATO, ER. Tratado da metodologia da pesquisa clínico-qualitativa: construção teórico-epistemológica, discussão comparada e aplicação nas áreas da saúde e humanas . Petrópolis: Vozes, 2003. </li></ul>

×