Psicologia-Importância

422 visualizações

Publicada em

avaliado com 19 val

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
422
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Psicologia-Importância

  1. 1. Escola Secundária de Avelar Brotero Psicologia Ano Lectivo 2011/2012 ESPECIALIZAÇÃO EINTEGRAÇÃO SISTÉMICA Adriana Coelho, nº 1 Cassandra Caetano, nº 10 Catarina Costa, nº 11 Filipe Leal, nº 13 Pedro Brandão, nº 25
  2. 2. Integração sistémica
  3. 3. O cérebro funciona de modo integrado, como numa rede funcional. Ou seja, é um sistema complexo e unitário, cujas componentes, apesar de especializadas em determinadas funções, mantêm relações de interdependência. Funciona como um todo. Por exemplo, para tocar um instrumento, é necessário queestejam envolvidos vários processos psicológicos, que estão associados adiferentes áreas cerebrais: Memória Coordenação motora Audição Emoção Capacidade estética e criatividade
  4. 4. Apesar de se utilizar a palavra mapa cerebral,não devemos associar a ideia de fronteira entre asdiferentes áreas, pois as funções perdidas devido alesões podem ser retomadas. Então, visto que não é possível a regeneração dascélulas nervosas (neurónios) da área lesionada, chegou-se à conclusão de que as áreas vizinhas da zona lesionadaentram em acção, podendo vir a substitui-la. Esta função é denominada por função vicariante.
  5. 5. Então, graças à função vicariante,complementada com a plasticidade cerebral, o cérebroconsegue recuperar as funções das áreas afectadas poruma lesão.
  6. 6. Por isso, uma função perdida devido a uma lesãocerebral pode ser recuperada por uma área vizinha dazona lesionada. Contudo, esta recuperação depende devários factores, como a idade do indivíduo, a área dalesão, entre outros, e, geralmente, nunca é a 100%!
  7. 7. Lesão Plasticidade As áreas vizinhas Cerebral «ganham» a função da zona lesionada Perda defunção na zona Funçãolesionada vicariante Recuperação da função perdida
  8. 8. Auto-organização permanente
  9. 9. É a partir de células primitivas, os neuroblastos,que as células nervosas se desenvolvem a um ritmoespantoso. Este desenvolvimento designa-se porcorticalização: os neurónios dividem-se estabelecendoentre si um número incalculável de ligações,constituindo a construção do córtex cerebral.
  10. 10. Apesar de o cérebro de um recém-nascido tertodas as áreas corticais formadas, isto não significa que odesenvolvimento cerebral esteja concluído. Nos seus primeiros seis meses de vida verificam-se mais modificações no córtex cerebral que em qualqueroutro período de desenvolvimento. Este desenvolvimento não é produto de um programa predefinido, independente de estímulos.
  11. 11. Caso a mãe faça uma alimentação descuidada edeficiente em proteínas necessárias ao bomdesenvolvimento do feto, e caso ela viva estados degrande perturbação psicológica durante um períodoimportante do desenvolvimento do feto, este pode vir asofrer graves deficiências mentais.
  12. 12. Após o nascimento do bebé, os estímulos do meiotambém irão ser muito importantes para odesenvolvimento do cérebro.
  13. 13. Concluindo: O efeito dos genes e dos estímulos do meioambiente actuam de forma concertada no sentidodo desenvolvimento cerebral. Este é um processo auto-organizado.
  14. 14. Células Primitivas (Neuroblastos) Células Nervosas Corticalização
  15. 15. Bebé Durantes os O processo de auto- Todas as áreas primeiros seis meses organização não irácorticais do cérebro de vida verificam-se acabar na formadas. muitas alterações no adolescência. córtex cerebral.
  16. 16. Efeito dos genes +estímulos do meio ambiente = desenvolvimento cerebralProcesso auto-organizado
  17. 17. Estabilidade e mudança noscircuitos sinápticos
  18. 18. O processo de desenvolvimento cerebral nãose define apenas pelo aumento e desenvolvimentode neurónios e de sinapses. Dá-se também através da selecção de redesneuronais, que passa pela morte de neurónios epela supressão de sinapses.
  19. 19. Este processo de ocorre através da anulaçãodas conexões entre neurónios que não sãonecessárias e retenção das eficazes: umas sãoeliminadas, outras consolidam-se.
  20. 20. O processo de selecção de redes neuronaisocorre ao longo da vida e está relacionado com opotencial genético característico da espécie. Noentanto, isso não significa que esta selecção estejageneticamente determinada. O processo de selecção de circuitos sinápticos depende das interacções com o meio e das experiências vividas pelo sujeito.
  21. 21. Depois do nascimento, inicia-se um processode moldagem (epigénese) no qual todas asexperiências do sujeito ficam “gravadas” noindivíduo sob a forma de ligações sinápticas entreneurónios. Os neurónios modificam-se quanto à forma edimensão em resposta à estimulação ambiental.
  22. 22. Como exemplo, temos os violinistas, que têm azona do hemisfério esquerdo que controla a mãodireita e comanda os dedos mais desenvolvida do queas outras pessoas. Ou seja, se um indivíduo exerce maisespecificamente certas actividades, entãodeterminadas zonas do cérebro responsáveis pelarealização dessas actividades passam a ter umaimportância maior, sem que isto implique umaalteração na configuração global do cérebro.
  23. 23. Um indivíduo pode nascercom uma predisposição genéticapara a bebida, mas pode passar avida toda num meio social emque não existe o menor apelopara o álcool. Dessa forma, esse gene, não sendo estimuladoa manifestar-se, não tende a expressar-se em termoscomportamentais, de tal forma que o sujeito podepassar a vida toda sem desenvolver o vício ou mesmoo gosto pela bebida.
  24. 24. Assim como as combinações de genescontribuem para o aparecimento de determinadoscomportamentos, os factores do meio tambémexercem acção sobre o cérebro, levando-o a alterar aexpressão dos genes e, com isso, a alterar aconfiguração dos circuitos sinápticos e, emconsequência, o comportamento.
  25. 25. Completa… integrado O cérebro funciona de um modo _________, como um todo. É graças à ________________e à plasticidade cerebral função vicariante __________________que o cérebroconsegue recuperar as funções das áreas afectadas. Esta recuperação idade área/intensidade da lesãodepende de vários factores, tais como ______ e a ______________________. Os neurónios dividem-se estabelecendo entre si um número incalculável deligações, construindo o córtex cerebral, designando se este processo por corticalização_____________. programa predefinido Este desenvolvimento não é produto de um ____________________.
  26. 26. Completa… Caso uma mãe faça uma alimentação deficiente e viva estados de grandeperturbação psicológica durante um período importante do desenvolvimento deficiências mentaisdo feto, este pode vir a sofrer ___________________. genes estímulos do meio O efeito dos ______ e dos ________________ actuam de forma concertadano sentido do desenvolvimento cerebral. eliminação No processo de selecção das redes neuronais, ocorre ___________ das consolidaçãoligações sinápticas desnecessárias e _____________ das conexões eficazes. geneticamente A formação das redes neuronais não está determinada ______________,estas dependem de factores epigenéticos ____________.
  27. 27. Conclusão
  28. 28. Nesta apresentação, expusemos aespecialização e integração sistémica do cérebro. Começámos por abordar o funcionamentodo cérebro de um modo integrado, como um todo ede forma interactiva, e a sua plasticidade,relacionada com a função vicariante. Dentro deste tema falámos ainda da auto-organização permanente que explica a organizaçãodo cérebro desde as primeiras semanas de gestação,nas quais os neurónios se começam a organizar.
  29. 29. Finalmente, abordámos a estabilidade emudança nos circuitos sinápticos, reforçando a ideiade que para o desenvolvimento do cérebro énecessário não só o aumento mas também a mortee eliminação dos neurónios e das sinapses, tendoainda em conta que o processo de selecção decircuitos sinápticos depende de factores do meio,não estando geneticamente determinado.

×