SlideShare uma empresa Scribd logo

O Cérebro

S
superego
1 de 9
Cérebro
Especialização e integração sistémica O cérebro é um conjunto complexo de elementos em que as componentes especializadas que o constituem são interdependentes, ou seja, funcionam de forma integrada.   Função Vincariante  – Função do cérebro que permite que uma tarefa perdida seja recuperada por uma área vizinha da zona lesionada.  A plasticidade, a redundância das funções cerebrais explicam o facto de outras regiões do cérebro poderem substituir as funções afectadas por lesões cerebrais.
Auto-organização permanente No decorrer da gestação os neurónios dividem-se estabelecendo entre si um número incalculável de ligações –  corticalização . O desenvolvimento do cérebro do recém-nascido não está concluído. Nos primeiros seis meses de vida produzem-se imensas modificações na estrutura do córtex. As várias capacidades humanas dependem da selecção de boas conexões.  Os genes e os estímulos do meio ambiente actuam no desenvolvimento cerebral.
A organização cerebral e o funcionamento do sistema nervoso ao longo do tempo Inicialmente ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],Actualmente ,[object Object],[object Object],[object Object]
Plasticidade Cerebral Permite a aprendizagem ao longo da vida. É a capacidade do cérebro de se remodelar em função das experiências do sujeito. Quando determinadas  ár eas sofrem les ões  que comprometem as suas capacidades, os outros neur ó ni os que se encontram nas zonas vizinhas assumem as fun ç õ es das  ár eas danificadas. . As experi ê ncias feitas com cegos adultos que come ça ram a aprender Braille veio provar neuroadaptabilidade do c ér ebro.
Lentificação do desenvolvimento cerebral Processo de desenvolvimento do cérebro é muito lento.   Possibilita a influência do meio e portanto uma maior capacidade de  aprendizagem . Não há nenhum cérebro igual a outro. Plasticidade do cérebro : motor de individualização.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Cérebro e Funções Cognitivas
Cérebro e Funções CognitivasCérebro e Funções Cognitivas
Cérebro e Funções Cognitivas
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Unidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebroUnidade funcional do cérebro
Unidade funcional do cérebro
 
Processos cognitivos1
Processos cognitivos1Processos cognitivos1
Processos cognitivos1
 
Memoria armazenagem
Memoria armazenagemMemoria armazenagem
Memoria armazenagem
 
Inteligência
InteligênciaInteligência
Inteligência
 
Lobo frontal
Lobo frontalLobo frontal
Lobo frontal
 
Cérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano ARCérebro - psicologia 12ºano AR
Cérebro - psicologia 12ºano AR
 
Trabalho Cérebro
Trabalho CérebroTrabalho Cérebro
Trabalho Cérebro
 
Sensação e Percepção
Sensação e PercepçãoSensação e Percepção
Sensação e Percepção
 
Perceção
PerceçãoPerceção
Perceção
 
Impressões e Expectativas
Impressões e ExpectativasImpressões e Expectativas
Impressões e Expectativas
 
Cérebro e Aprendizagem
Cérebro e AprendizagemCérebro e Aprendizagem
Cérebro e Aprendizagem
 
As relações precoces
As relações precoces As relações precoces
As relações precoces
 
O cortex cerebral
 O cortex cerebral O cortex cerebral
O cortex cerebral
 
Freud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise IFreud e a Psicanálise I
Freud e a Psicanálise I
 
AS EMOÇÕES
AS EMOÇÕESAS EMOÇÕES
AS EMOÇÕES
 
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conaçãoPsicologia - a mente, as emoções e a conação
Psicologia - a mente, as emoções e a conação
 
Memória
MemóriaMemória
Memória
 
A aprendizagem
A aprendizagem A aprendizagem
A aprendizagem
 

Destaque

A CiêNcia Das Boas DecisõEs VisãO Fev 2010
A CiêNcia Das Boas DecisõEs   VisãO   Fev 2010A CiêNcia Das Boas DecisõEs   VisãO   Fev 2010
A CiêNcia Das Boas DecisõEs VisãO Fev 2010Rolando Almeida
 
Canabinóides: da droga ao medicamento
Canabinóides: da droga ao medicamentoCanabinóides: da droga ao medicamento
Canabinóides: da droga ao medicamentoFabricio Pamplona
 
Não regulamentação2011
Não regulamentação2011Não regulamentação2011
Não regulamentação2011rcoele
 
Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...
Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...
Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...David Nordon
 
School 100 years ago expo
School 100 years ago expoSchool 100 years ago expo
School 100 years ago expobeberliber
 
O Grande Livro da Cannabis
O Grande Livro da CannabisO Grande Livro da Cannabis
O Grande Livro da CannabisThaline Daila
 
Maconha e tabaco
Maconha e tabacoMaconha e tabaco
Maconha e tabacoJulai1991
 
drogas
drogasdrogas
drogasdeni93
 
Seminário drogas lícitas 8 ano
Seminário drogas lícitas 8 anoSeminário drogas lícitas 8 ano
Seminário drogas lícitas 8 anoNTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Psicofarmaco com crs e adolesc
Psicofarmaco com crs e adolescPsicofarmaco com crs e adolesc
Psicofarmaco com crs e adolescCláudio Costa
 

Destaque (20)

Upload cerebral
Upload cerebralUpload cerebral
Upload cerebral
 
A CiêNcia Das Boas DecisõEs VisãO Fev 2010
A CiêNcia Das Boas DecisõEs   VisãO   Fev 2010A CiêNcia Das Boas DecisõEs   VisãO   Fev 2010
A CiêNcia Das Boas DecisõEs VisãO Fev 2010
 
04 Sn FunçõEs Tc 0809
04 Sn FunçõEs Tc 080904 Sn FunçõEs Tc 0809
04 Sn FunçõEs Tc 0809
 
Canabinóides: da droga ao medicamento
Canabinóides: da droga ao medicamentoCanabinóides: da droga ao medicamento
Canabinóides: da droga ao medicamento
 
Ariana
ArianaAriana
Ariana
 
Não regulamentação2011
Não regulamentação2011Não regulamentação2011
Não regulamentação2011
 
Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...
Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...
Perfil dos Usuários de Benzodiazepínicos e Características de sua Utilização ...
 
Trabalho quimica.
Trabalho quimica.Trabalho quimica.
Trabalho quimica.
 
Cannabis
CannabisCannabis
Cannabis
 
Consumo subst
Consumo substConsumo subst
Consumo subst
 
School 100 years ago expo
School 100 years ago expoSchool 100 years ago expo
School 100 years ago expo
 
O Grande Livro da Cannabis
O Grande Livro da CannabisO Grande Livro da Cannabis
O Grande Livro da Cannabis
 
MemóRia
MemóRiaMemóRia
MemóRia
 
Maconha e tabaco
Maconha e tabacoMaconha e tabaco
Maconha e tabaco
 
drogas
drogasdrogas
drogas
 
Seminário drogas lícitas 8 ano
Seminário drogas lícitas 8 anoSeminário drogas lícitas 8 ano
Seminário drogas lícitas 8 ano
 
Psicofarmaco com crs e adolesc
Psicofarmaco com crs e adolescPsicofarmaco com crs e adolesc
Psicofarmaco com crs e adolesc
 
Sistema esqueletico - Divisao do Esqueleto
Sistema esqueletico - Divisao do EsqueletoSistema esqueletico - Divisao do Esqueleto
Sistema esqueletico - Divisao do Esqueleto
 
Antidepressivos
AntidepressivosAntidepressivos
Antidepressivos
 
LegalizaçAo
LegalizaçAoLegalizaçAo
LegalizaçAo
 

Semelhante a O Cérebro

Psicologia-Importância
Psicologia-ImportânciaPsicologia-Importância
Psicologia-ImportânciaFilipe Leal
 
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxSidney Silva
 
BASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptx
BASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptxBASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptx
BASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptxDanilloPalmeira1
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemglauciacorreaperes
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemglauciacorreaperes
 
3-PLASTICIDADE NEURAL.pptx
3-PLASTICIDADE NEURAL.pptx3-PLASTICIDADE NEURAL.pptx
3-PLASTICIDADE NEURAL.pptxMuniza Alfredo
 
Artigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoArtigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoFoz Censupeg
 
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervosoEstimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervosoUEM
 
Brincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visualBrincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visualNiterói Portalsocial
 
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdfARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdfSimoneHelenDrumond
 
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdfARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdfSimoneHelenDrumond
 
11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdfSimoneHelenDrumond
 

Semelhante a O Cérebro (20)

Psicologia-Importância
Psicologia-ImportânciaPsicologia-Importância
Psicologia-Importância
 
Cérebro social
Cérebro social Cérebro social
Cérebro social
 
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptxneurociência-aplicada-a-educação.pptx
neurociência-aplicada-a-educação.pptx
 
Fundamentos da Neurociência
Fundamentos da NeurociênciaFundamentos da Neurociência
Fundamentos da Neurociência
 
BASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptx
BASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptxBASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptx
BASES NEUROCOGNITIVAS E APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO ESPECIAL - AULA.pptx
 
Neurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagemNeurociência e aprendizagem
Neurociência e aprendizagem
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas  dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagemAs bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
As bases neurologicas dos disturbios e dificuldades de aprendizagem
 
Funções executivas e aprendizagem
Funções executivas e aprendizagemFunções executivas e aprendizagem
Funções executivas e aprendizagem
 
3-PLASTICIDADE NEURAL.pptx
3-PLASTICIDADE NEURAL.pptx3-PLASTICIDADE NEURAL.pptx
3-PLASTICIDADE NEURAL.pptx
 
AULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptx
AULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptxAULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptx
AULA - DESENVOLVIMETO HUMANO.pptx
 
Artigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducaçãoArtigo suzane neuroeducação
Artigo suzane neuroeducação
 
O cerebro
O cerebroO cerebro
O cerebro
 
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervosoEstimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
Estimulacao aprendizagem e_plasticidade_do_sistema_nervoso
 
Brincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visualBrincando e testando sua percepção visual
Brincando e testando sua percepção visual
 
O cerebro
O cerebroO cerebro
O cerebro
 
Aula Medicina
Aula  MedicinaAula  Medicina
Aula Medicina
 
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdfARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
 
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdfARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
ARTIGO 3 NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
 
11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
11 ARTIGO NEUROCIÊNCIAS E TRANSTORNOS DE APRENDIZAGEM.pdf
 

Último

1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...azulassessoriaacadem3
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Mary Alvarenga
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfkeiciany
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaCentro Jacques Delors
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...azulassessoriaacadem3
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024assedlsam
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...AaAssessoriadll
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.azulassessoriaacadem3
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfddddddddddddddddddddddddddddddddddddRenandantas16
 

Último (20)

1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
2. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, sabend...
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006Acróstico - Maria da Penha    Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
Acróstico - Maria da Penha Lei nº 11.340, de 7 de agosto de 2006
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 9º ANO.pdf
 
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda únicaQuiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
Quiz | EURO - 25 anos do lançamento da moeda única
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
5. ​Agora suponha que esse mesmo aluno é do sexo feminino, você irá utilizar ...
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
MAPA - BEDU - ATIVIDADE FÍSICA E QUALIDADE DE VIDA - 51/2024
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
Quando iniciamos os estudos sobre a história da Educação de Jovens e Adultos,...
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
1) Cite os componentes que devem fazer parte de uma sessão de treinamento.
 
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
Sobre os princípios da teoria burocrática de Max Weber e com base em suas exp...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
004820000101011 (15).pdffdfdfdddddddddddddddddddddddddddddddddddd
 

O Cérebro

  • 2. Especialização e integração sistémica O cérebro é um conjunto complexo de elementos em que as componentes especializadas que o constituem são interdependentes, ou seja, funcionam de forma integrada. Função Vincariante – Função do cérebro que permite que uma tarefa perdida seja recuperada por uma área vizinha da zona lesionada. A plasticidade, a redundância das funções cerebrais explicam o facto de outras regiões do cérebro poderem substituir as funções afectadas por lesões cerebrais.
  • 3. Auto-organização permanente No decorrer da gestação os neurónios dividem-se estabelecendo entre si um número incalculável de ligações – corticalização . O desenvolvimento do cérebro do recém-nascido não está concluído. Nos primeiros seis meses de vida produzem-se imensas modificações na estrutura do córtex. As várias capacidades humanas dependem da selecção de boas conexões. Os genes e os estímulos do meio ambiente actuam no desenvolvimento cerebral.
  • 4.
  • 5. Plasticidade Cerebral Permite a aprendizagem ao longo da vida. É a capacidade do cérebro de se remodelar em função das experiências do sujeito. Quando determinadas ár eas sofrem les ões que comprometem as suas capacidades, os outros neur ó ni os que se encontram nas zonas vizinhas assumem as fun ç õ es das ár eas danificadas. . As experi ê ncias feitas com cegos adultos que come ça ram a aprender Braille veio provar neuroadaptabilidade do c ér ebro.
  • 6. Lentificação do desenvolvimento cerebral Processo de desenvolvimento do cérebro é muito lento. Possibilita a influência do meio e portanto uma maior capacidade de aprendizagem . Não há nenhum cérebro igual a outro. Plasticidade do cérebro : motor de individualização.
  • 7. INTELIGÊNCIA ANIMAL “ Os animais são inteligentes?” NÃO SIM TALVEZ O comportamento animal rege-se por instintos inatos e reflexos aprendidos: comportamentos aparentemente inteligentes mais não são do que respostas mecânicas a estímulos com origem nos meios externos e interno. A maior parte dos vertebrados têm capacidade para aprender e resolver problemas: a inteligência animal está relacionada com o desenvolvimento do sistema nervoso central, particularmente o tamanho e a complexidade do cérebro.
  • 8.
  • 9. NOVAS PERSPECTIVAS Jane Goodall - década de 60 CULTURA TRANSMITIDA DE GERAÇÃO EM GERAÇÃO: diferentes grupos de chimpazés desenvolviam formas distintas de resolver problemas semelhantes que gesticulavam de um modo que outros a poucos quilómetros de distância desconheciam.