Eça de Queirós

7.932 visualizações

Publicada em

Presentación sobre a vida e obra de Eça de Queirós en portugués.

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • blessing_11111@yahoo.com

    My name is Blessing
    i am a young lady with a kind and open heart,
    I enjoy my life,but life can't be complete if you don't have a person to share it
    with. blessing_11111@yahoo.com

    Hoping To Hear From You
    Yours Blessing
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.932
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
28
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
202
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eça de Queirós

  1. 1. Eça de queirós (1845 – 1900)
  2. 2. Biografia [1] José Maria de Eça de Queirós nasceu em Póvoa de Varzim o 25 de novembro de 1845 e morreu em Paris o 16 de agosto de 1900). É um dos mais importantes escritores lusos.  Estudou dereito na universidade de Coimbra. Póvoa de Varzim
  3. 3. Obra. Foi autor, entre outros romances de reconhecida importância, de Os Maias e O crime do Padr Amaro; este último é considerado por muitos o melhor romance realista português do século XIX. Eça de Queirós também escreveu contos que foram publicados em jornais e revistas entre os anos de 1874 e 1897. A produção literária de Eça de Queirós pode ser dividida em 3 fases.
  4. 4. Primeira Fase: Aprendizado (1865 - 1871)   Características: - Temas românticos - Ambientes fantásticos - Humanização da natureza. Obras - Prosas Bárbaras: reúne contos, artigos e crônicas publicadas na Gazeta de Portugal nos anos de 1866 e 1867. - O mistério da estrada de Sintra em parceria com Ramalho Ortega Farpas (colaboração reunida no volume Uma Campanha Alegre)
  5. 5.  Segunda Fase: Realismo-Naturalismo (1871 - 1888)   Segundo Eça: “Outrora uma novela romântica, em lugar de estudar o homem, inventava-o. Hoje o romance estuda-o na sua realidade social. (...) Toda a diferença entre o idealismo e o naturalismo está nisto. O primeiro falsifica, o segundo verifica.”  Foi seguindo estas premissas que escreveu as obras-primas do período naturalistaObras: - O crime do Padre Amaro - O primo Basílio - Os Maias - A capital (publicado postumamente) - O conde de Abranhos (publicado postumamente) - Alves & Cia (publicado postumamente) - A tragédia da rua das Flores - O mandarim - A relíquia
  6. 6. O crime do Padre Amaro Romance anticlerical dos mais ferozes, é ambientado em Leiria. Através da relação de Amaro (sacerdote sem vocação) e Amélia (beata), Eça denuncia o abuso de influência praticado pelos padres. As questões do pecado e da supervalorização do padre também são abordados e criticados nesta obra. O Padre Amaro, vai assumir uma paroquia, hospeda-se na casa duma vizinha, e remata por desenvolver-se sexualmente com a filha da vizinha, ela morre no parto, e ele busca alguem con quem deixar a criança.
  7. 7. Primo Basilio Nesta obra, o romancista retrata a burguesia lisboeta em toda a sua vacuidade.  O livro é escrito em terceira pessoa, porque é uma voz que conta a história do seu ponto de vista, mas sem participar nela. Como podemos perceber, não há na obra um personagem heróico, todos são movidos por interesses mesquinhos e guiados pelas aparências.  Trata dunha muller (Luísa) que foi apaixonada polo seu primo na adolescência, e que quando o home dela a deixa, o primo decide conquista- la, esta decide ter a seu primo como amante, até que um dia a criada descaobre uma carta do casal, e chantagea a Luísa.
  8. 8. Os Maias Os Maias tem como subtítulo Episódios da Vida Romântica. É considerado o romance mais ambicioso de Eça e levou 10 anos para ser escrito. Narra a relação incestuosa entre dois irmãos: Carlos e Maria Eduarda. Pinta um painel demolidor da sociedade portuguesa ministros, jornalistas, maestros, poetas, professores, ninguém escapa da ironia devastadora de  Eça. 
  9. 9. Terceira Fase: Nacionalismo Nostálgico (1888 - 1900)   O romancista, longe de sua terra, passa a defender o retorno de seu país às suas origens tradicionais. No romance A Ilustre Casa de Ramires (1900)  a personagem do título não consegue se colocar à altura de seus antepassados medievais, cuja história tenta recompor. Outras obras desta fase são A Correspondência de Fradique Mendes (1900) e A Cidade e as Serras. 

×