SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
EÇA DE QUEIRÓS
(1845-1900)
Vida e Obra de Eça de Queirós
José Maria de Eça de Queirós
nasceu na Póvoa de Varzim, em
1845.
Filho de José Maria de Almeida
Teixeira de Queirós e de D.
Carolina Augusta Pereira de Eça,
cresceu afastado dos pais, tendo
sido entregue à nascença aos
cuidados de uma ama até aos seis
anos (idade em que foi entregue
aos avós paternos).
Vida e Obra de Eça de Queirós
Aos dez anos entrou para o Colégio da Lapa (Porto), onde foi aluno de
Ramalho Ortigão.
Em 1861 (dezasseis anos) foi estudar Direito para Coimbra, onde,
paralelamente com a vida de estudante, participou no Teatro Académico de
Coimbra e na vida boémia Coimbrã.
Colégio da Lapa
Vida e Obra de Eça de Queirós
A sua veia satírica e opositora revelou-se cedo, tendo-se envolvido
(indiretamente) no conflito de ideias e gerações que ficou conhecido
por “Questão Coimbrã”, pertencendo ao grupo “Geração 70” da
vida boémia Coimbrã.
Geração de 70
Vida e Obra de Eça de Queirós
Estreou-se como escritor com a publicação de um
conjunto de textos que mais tarde vieram a fazer
parte do volume “Prosas Bárbaras”.
Passou a viver a sua vida dividido entre a política
e a literatura.
Mesa de Escrever de Eça
Vida e Obra de Eça de Queirós
Casou-se a 10 de Fevereiro de 1886,
aos quarenta anos, com Emília de
Resende (1857-1934), com quem teve
quatro filhos.
Morreu em Paris no ano de 1900.
Eça de Queirós e Emília de
Resende
Monumento de Eça
Póvoa de Varzim
Tumulo, Tormes (Baião,
Resende)
Obras
A atualidade das suas obras verifica-
se ainda no recorte das personagens,
no humor, na ironia e até no sarcasmo
que revelam o seu olhar lúcido,
objetivo, perspicaz e crítico da
sociedade portuguesa.
Fases estéticas da sua obra
 Influência Romântica, inicia-se com
as “Prosas Bárbaras” e termina com “O
Mistério da Estrada de Sintra”.
 Realismo, com a realização das obras “O
Primo Basílio” e “O Crime do Padre Amaro”.
 Superação do Realismo/
Eclética, visível nas obras “Os Maias”, “A
Ilustre Casa de Ramires” e “A Cidade e as
Serras”. Eça de Queirós e Ramalho Ortigão
Obras Principais
· A Cidade e as Serras
· A Ilustre Casa de Ramires
· A Relíquia
· A Tragédia da Rua das Flores
· As Farpas
· Contos e Prosas Bárbaras
· O Crime do Padre Amaro
· O Mandarim
· O Mistério da Estrada de Sintra
· O Primo Basílio
· Os Maias
· Uma Campanha Alegre
“Os Maias”
Este romance é considerado a obra-prima de Eça, publicada em
1888, e uma das mais importantes de toda a literatura portuguesa,
devido à sua linguagem e ironia com que são apresentadas as
situações.
É um romance realista (com traços naturalistas) onde não faltam o
fatalismo, a análise social, peripécias e as catástrofes amorosas.
Trecho Literário
"Reparou no retrato de Pedro da Maia: e interessou-se; ficou a
contemplar aquela face descorada, que o tempo fizera lívida, e onde
pareciam mais tristes os grandes olhos de árabe, negros e lânguidos.
_ Quem é? - Perguntou.
_ É meu pai.
Ela examinou-o mais de perto, erguendo uma vela. Não achava que
Carlos se parecesse com ele. E voltando-se muito séria, enquanto
Carlos desarrolhava com veneração uma garrafa de velho
Chambertin:
_ Sabes tu com quem te pareces às vezes?... É extraordinário, mas é
verdade. Pareces-te com minha mãe!"

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaTrabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaLuisMagina
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVISara Leonardo
 
Os Maias Apresentação
Os Maias   Apresentação Os Maias   Apresentação
Os Maias Apresentação joanana
 
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoClaudia Ribeiro
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralDina Baptista
 
Os Maias estrutura
Os Maias estruturaOs Maias estrutura
Os Maias estruturaCostaIdalina
 
Num bairro moderno
Num bairro modernoNum bairro moderno
Num bairro modernoaramalho340
 
Os Maias - Episódio da Corneta do Diabo e Jornal A Trade
Os Maias - Episódio da Corneta do Diabo e  Jornal A TradeOs Maias - Episódio da Corneta do Diabo e  Jornal A Trade
Os Maias - Episódio da Corneta do Diabo e Jornal A TradeOxana Marian
 
Antero de Quental
Antero de QuentalAntero de Quental
Antero de Quental010693
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana SofiaJoana Azevedo
 

Mais procurados (20)

Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida RomânticaTrabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
Trabalho sobre Os Maias - Episódios da Vida Romântica
 
Os Maias - Capítulo I
Os Maias - Capítulo IOs Maias - Capítulo I
Os Maias - Capítulo I
 
Os Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVIOs Maias - Capítulo XVI
Os Maias - Capítulo XVI
 
Os Maias Apresentação
Os Maias   Apresentação Os Maias   Apresentação
Os Maias Apresentação
 
Os maias personagens
Os maias personagensOs maias personagens
Os maias personagens
 
Os Maias - Capítulo VI
Os Maias - Capítulo VIOs Maias - Capítulo VI
Os Maias - Capítulo VI
 
Os Maias-Capitulo 9
Os Maias-Capitulo 9Os Maias-Capitulo 9
Os Maias-Capitulo 9
 
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
 
Os maias
Os maiasOs maias
Os maias
 
Os Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IVOs Maias - Capítulo IV
Os Maias - Capítulo IV
 
O resumo de Os Maias
O resumo de Os MaiasO resumo de Os Maias
O resumo de Os Maias
 
Análise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel CentralAnálise do Jantar no Hotel Central
Análise do Jantar no Hotel Central
 
Os Maias - personagens
Os Maias - personagensOs Maias - personagens
Os Maias - personagens
 
Os Maias estrutura
Os Maias estruturaOs Maias estrutura
Os Maias estrutura
 
Num bairro moderno
Num bairro modernoNum bairro moderno
Num bairro moderno
 
Os Maias - Episódio da Corneta do Diabo e Jornal A Trade
Os Maias - Episódio da Corneta do Diabo e  Jornal A TradeOs Maias - Episódio da Corneta do Diabo e  Jornal A Trade
Os Maias - Episódio da Corneta do Diabo e Jornal A Trade
 
Antero de Quental
Antero de QuentalAntero de Quental
Antero de Quental
 
Cesário verde
Cesário verdeCesário verde
Cesário verde
 
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana SofiaCesario Verde   Ave Marias   Ana Catarina E Ana Sofia
Cesario Verde Ave Marias Ana Catarina E Ana Sofia
 
. Maias simplificado
. Maias simplificado. Maias simplificado
. Maias simplificado
 

Semelhante a Eça de Queirós vida e obra

Semelhante a Eça de Queirós vida e obra (20)

Eça de Queirós
Eça de QueirósEça de Queirós
Eça de Queirós
 
Eça de queiróz trabalho da universidade
Eça de queiróz trabalho da universidadeEça de queiróz trabalho da universidade
Eça de queiróz trabalho da universidade
 
Eça de queirós
Eça de queirósEça de queirós
Eça de queirós
 
Biografia eça de queiroz
Biografia  eça de queirozBiografia  eça de queiroz
Biografia eça de queiroz
 
Eça de queiroz
 Eça de queiroz Eça de queiroz
Eça de queiroz
 
Eça de queirós
Eça de queirósEça de queirós
Eça de queirós
 
Realismo
RealismoRealismo
Realismo
 
Vida e obra de eça de queirós
Vida e obra de eça de queirósVida e obra de eça de queirós
Vida e obra de eça de queirós
 
Eça de Queirós
Eça de QueirósEça de Queirós
Eça de Queirós
 
Vida e Obra de Eça de Queirós "Os Maias"
Vida e Obra de Eça de Queirós "Os Maias"Vida e Obra de Eça de Queirós "Os Maias"
Vida e Obra de Eça de Queirós "Os Maias"
 
O mistério da estrada de sintra rita lopes
O mistério da estrada de sintra   rita lopesO mistério da estrada de sintra   rita lopes
O mistério da estrada de sintra rita lopes
 
Os maias análise
Os maias análiseOs maias análise
Os maias análise
 
Romantismo II
Romantismo IIRomantismo II
Romantismo II
 
..
....
..
 
Eça de Queirós - Promo Basílio
Eça de Queirós - Promo BasílioEça de Queirós - Promo Basílio
Eça de Queirós - Promo Basílio
 
Literatura
LiteraturaLiteratura
Literatura
 
teatro romantico
teatro romanticoteatro romantico
teatro romantico
 
Machado de Assis
Machado de AssisMachado de Assis
Machado de Assis
 
O primo Basílio
O primo BasílioO primo Basílio
O primo Basílio
 
EçA De QueiróS.Pptcarol
EçA De QueiróS.PptcarolEçA De QueiróS.Pptcarol
EçA De QueiróS.Pptcarol
 

Último

AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLaseVasconcelos1
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzAlexandrePereira818171
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdfDemetrio Ccesa Rayme
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 

Último (20)

AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdfLinguagem verbal , não verbal e mista.pdf
Linguagem verbal , não verbal e mista.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzparte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
parte indígena.pptxzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz
 
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE”       _
“O AMANHÃ EXIGE O MELHOR DE HOJE” _
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
Geometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdfGeometria  5to Educacion Primaria EDU  Ccesa007.pdf
Geometria 5to Educacion Primaria EDU Ccesa007.pdf
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 

Eça de Queirós vida e obra

  • 2. Vida e Obra de Eça de Queirós José Maria de Eça de Queirós nasceu na Póvoa de Varzim, em 1845. Filho de José Maria de Almeida Teixeira de Queirós e de D. Carolina Augusta Pereira de Eça, cresceu afastado dos pais, tendo sido entregue à nascença aos cuidados de uma ama até aos seis anos (idade em que foi entregue aos avós paternos).
  • 3. Vida e Obra de Eça de Queirós Aos dez anos entrou para o Colégio da Lapa (Porto), onde foi aluno de Ramalho Ortigão. Em 1861 (dezasseis anos) foi estudar Direito para Coimbra, onde, paralelamente com a vida de estudante, participou no Teatro Académico de Coimbra e na vida boémia Coimbrã. Colégio da Lapa
  • 4. Vida e Obra de Eça de Queirós A sua veia satírica e opositora revelou-se cedo, tendo-se envolvido (indiretamente) no conflito de ideias e gerações que ficou conhecido por “Questão Coimbrã”, pertencendo ao grupo “Geração 70” da vida boémia Coimbrã. Geração de 70
  • 5. Vida e Obra de Eça de Queirós Estreou-se como escritor com a publicação de um conjunto de textos que mais tarde vieram a fazer parte do volume “Prosas Bárbaras”. Passou a viver a sua vida dividido entre a política e a literatura. Mesa de Escrever de Eça
  • 6. Vida e Obra de Eça de Queirós Casou-se a 10 de Fevereiro de 1886, aos quarenta anos, com Emília de Resende (1857-1934), com quem teve quatro filhos. Morreu em Paris no ano de 1900. Eça de Queirós e Emília de Resende
  • 7. Monumento de Eça Póvoa de Varzim Tumulo, Tormes (Baião, Resende)
  • 8.
  • 9. Obras A atualidade das suas obras verifica- se ainda no recorte das personagens, no humor, na ironia e até no sarcasmo que revelam o seu olhar lúcido, objetivo, perspicaz e crítico da sociedade portuguesa.
  • 10. Fases estéticas da sua obra  Influência Romântica, inicia-se com as “Prosas Bárbaras” e termina com “O Mistério da Estrada de Sintra”.  Realismo, com a realização das obras “O Primo Basílio” e “O Crime do Padre Amaro”.  Superação do Realismo/ Eclética, visível nas obras “Os Maias”, “A Ilustre Casa de Ramires” e “A Cidade e as Serras”. Eça de Queirós e Ramalho Ortigão
  • 11. Obras Principais · A Cidade e as Serras · A Ilustre Casa de Ramires · A Relíquia · A Tragédia da Rua das Flores · As Farpas · Contos e Prosas Bárbaras · O Crime do Padre Amaro · O Mandarim · O Mistério da Estrada de Sintra · O Primo Basílio · Os Maias · Uma Campanha Alegre
  • 12. “Os Maias” Este romance é considerado a obra-prima de Eça, publicada em 1888, e uma das mais importantes de toda a literatura portuguesa, devido à sua linguagem e ironia com que são apresentadas as situações. É um romance realista (com traços naturalistas) onde não faltam o fatalismo, a análise social, peripécias e as catástrofes amorosas.
  • 13. Trecho Literário "Reparou no retrato de Pedro da Maia: e interessou-se; ficou a contemplar aquela face descorada, que o tempo fizera lívida, e onde pareciam mais tristes os grandes olhos de árabe, negros e lânguidos. _ Quem é? - Perguntou. _ É meu pai. Ela examinou-o mais de perto, erguendo uma vela. Não achava que Carlos se parecesse com ele. E voltando-se muito séria, enquanto Carlos desarrolhava com veneração uma garrafa de velho Chambertin: _ Sabes tu com quem te pareces às vezes?... É extraordinário, mas é verdade. Pareces-te com minha mãe!"

Notas do Editor

  1. Ramalho-Escritos Português; vida boémia Coimbrã: Modo de vida da pessoa que não segue regras, que é livre e gosta de se divertir e de beber com os amigos Teofilo
  2. Veia satírica Conflito de ideias “ questão coimbrã” Geração de 70
  3. Estreia como escritor Prosas barbaras (Volume póstumo que reúne textos publicados em folhetim nos jornais Gazeta de Portugal e Revolução de setembro, durante a década de 60, com uma notável "Introdução" da autoria de Jaime Batalha Reis, em que este evoca o começo da sua amizade com Eça de Queirós e as condições em que foram redigidos os textos incluídos no volume, pertencentes à primeira fase de criação estética de Eça, muito influenciada por leituras românticas de Heine, Hoffman, Baudelaire, Nerval, Poe, "e, envolvendo tudo poderosamente, Vítor Hugo".)
  4. 86 (40)
  5. Atualidade das obras
  6. Maria Eduarda a conversar com Carlos Eduardo, seu amante, sem saber que, na verdade, era seu irmão