Limpeza terminal

727 visualizações

Publicada em

limpeza terminal e concorrente

Publicada em: Saúde
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
727
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Limpeza terminal

  1. 1. Unidade do Cliente - Limpeza Terminal e Concorrente A unidade do cliente é aquela ocupada por ele, constituída basicamente de mesa de refeições, escadinha, cama, travesseiro, criado-mudo, suporte de soro e cadeira. Todo o espaço físico, imobiliário e equipamentos necessários para a acomodação do cliente durante a sua internação constituem a unidade do cliente. A cama deve conter mecanismo para poder ser abaixada e levantada. Em algumas instituições é ajustada por controle elétrico para que o cliente possa manuseá-la sem gastar muita energia. As camas devem possuir sistemas que permita assumir diversas posições para auxiliar no tratamento do cliente ou facilitar a realização dos inúmeros procedimentos. Devem dispor de acessórios de segurança: cabeceira removível, rodas com travas e grades. Limpeza da Unidade do Cliente A limpeza visa promover o bem estar do cliente e principalmente protegê-lo de possíveis infecções.Existem dois procedimentos distintos relacionados à limpeza da unidade: limpeza concorrente e terminal, ambas realizadas pela enfermagem. Muitas instituições de saúde já têm implantado o serviço de hospitalidade (hotelaria). É o caso da camareira hospitalar, que tem como atribuição principal efetuar limpezas concorrentes e terminais da unidade de internação, exceto limpeza de equipamentos. LIMPEZA CONCORRENTE: limpeza diária com água e sabão ou detergente próprio, objetivando proporcionar o bem estar do cliente e diminuição de infecção. A limpeza concorrente ocorre uma duas vezes ao dia, ou quando necessário, na unidade do cliente. Devemos lembrar que cada instituição tem a sua rotina, que deve ser obedecida. LIMPEZA TERMINAL : limpeza ou desinfecção da unidade do cliente reduzindo sujidade e infecção. É feita após transferências, altas, internação prolongada do cliente no mesmo ambiente (cada sete ou quinze dias) e óbitos. Consiste na limpeza da cama, colchão, estrados da cama, travesseiro, mobiliário e equipamentos. Importante revisar alguns termos: Limpeza: remoção de microrganismos e sujidades em qualquer superfície e em objetos, realizado com a aplicação de água e sabão ou detergente e por ação mecânica. Para que um artigo possa passar por um processo de desinfecção e esterilização, os ,mesmos devem previamente serem limpos. Desinfecção: processo físico ou químico pelo qual são destruídos microrganismos em sua forma vegetativa, menos os esporos, em objetos e superfícies. Descontaminação44: processo para reduzir o número de microrganismos para tornar seguro o manuseio. Esterilização: processo de agentes químicos ou físicos em que todas as formas de vida microbiana, vegetativas e esporuladas são destruídas. Matéria orgânica: sangue, pus, líquor, tecidos, secreções. Anti-sepsia: processo de eliminação ou inibição do crescimento de microrganismos na pele e nas mucosas, menos esporos. É o emprego de substâncias anti-sépticas, como por exemplo, antes da passagem de SVD, punção venosa, etc. Assepsia: Conjunto de medidas adotadas para evitar a chegada de microrganismos a local que não os contenha. Ausência de microrganismos ou de impurezas. Anti-sépticos: soluções de baixa causticidade e hipoalergênicos; classificados como bacteriostáticos e bactericidas. Ex: álcool a 70%, PVPI, Clorexidina, etc. Desinfetantes: Substâncias que destroem os microrganismos vegetativos, empregados em objetos e superfícies. Ex: álcool a 70%, Hipoclorito de sódio, glutaraldeído, etc. Detergentes: solução que tem como objetivo limpar por meio da redução da tensão superficial, dispersão, suspensão e emulsificação da sujeira. Artigos Críticos: equipamentos ou materiais que entram na pele, em mucosas, tecidos estéreis ou no sistema vascular do cliente. Exemplo: cateteres. Artigos semicríticos: que tem contato com pele não íntegra, membranas e mucosas íntegras. Exemplo: equipamentos respiratórios. Artigos não críticos: contato com pele íntegra, mas não com mucosas. Exemplo: aparelho de pressão. Áreas Críticas: risco potencial de adquirir infecções. Ex: UTI, sala de parto, sala de cirurgia, CME, etc. Áreas Semi-Críticas: ocupadas por clientes com doenças de baixa transmissibilidade e doenças não infecciosas. Ex: Enfermarias. Áreas não-críticas: áreas não ocupadas por pacientes: Ex: administração, diretoria, etc
  2. 2. Limpeza Terminal Objetivos: Preparar para receber outro paciente diminuindo os riscos de infecção cruzada e proporcionar conforto e segurança ao paciente, mantendo o ambiente limpo e agradável. Material: Hamper Luvas de procedimentos Baldes/ Bacias Água, sabão ou solução desinfetante padronizado pela instituição Panos de limpeza Saco de Lixo Procedimentos: 1. Lavar as mãos 2. Reunir o material e encaminhar ao quarto 3. Arejar o ambiente mantendo as janelas abertas 4. Retirar pertences desnecessários ( biombo, ambú, umidificador, etc.) 5. Encaminhar comadre e papagaio ao expurgo 6. Retirar roupas de cama colocando no Hamper. Atentar para presença de material perfurocortante 7. Preparar o material – bacia com água e sabão e/ou produto padronizado na instituição colocando na escada ou em carrinho auxiliar 8. Limpar mesa de refeição – menos os pés 9. Limpar a mesa de cabeceira nas partes externas e internas – menos os pés 10.Limpar suporte de soro – menos os pés 11.Limpar a cadeira – menos os pés 12.Limpar uma face do travesseiro e colocar sobre a cadeira (limpo com limpo) e limpar a outra face 13.Limpar a superfície do colchão que fica em contato com o cliente iniciando pela parte superior (metade/metade) e as suas laterais. Abaixar as grades para facilitar 14.Dobrar o colchão no sentido cabeceira/pés e limpar o lado oposto superior do colchão, estrado, lateral da cama e painel da cabeceira 15.Inverter a posição do colchão no sentido pés/cabeceira e limpar o lado oposto inferior do colchão, estrados, lateral da cama, painel dos pés e manivelas 16. Limpar as grades 17.Limpar pés da mesa de refeição, mesa de cabeceira, suporte de soro, cadeira e cama 18.Limpar escada 19.Recolher o material e encaminhar ao expurgo 20. Manter unidade em ordem 21.Retirar luvas e lavar as mãos 22.Proceder arrumação da cama. Importante: -A limpeza deve ser realizada em sentido único -Seguir seqüência de limpeza não sujando áreas já limpas -Trocar água sempre que necessário
  3. 3. Limpeza Concorrente Objetivos: Proporcionar conforto e segurança, mantendo o ambiente limpo e agradável e minimizar infecção Material: Hamper Luvas de procedimentos Baldes/ Bacias Água, sabão ou solução desinfetante padronizado pela instituição Panos de limpeza Saco de Lixo Procedimentos: A seqüência da limpeza concorrente deve seguir a mesma da limpeza terminal, porém o profissional avaliará, no determinado momento, o que será possível . 1. Lavar as mãos 2. Reunir o material e encaminhar ao quarto 3. Explicar ao cliente o procedimento 4. Retirar objetos da mesa de refeição e da mesa de cabeceira 5. Limpar mesa de refeição 6. Limpar mesa de cabeceira 7. Limpar suporte de soro 8. Limpar cadeira 9. Limpar travesseiro 10.Limpar colchão na parte superior e lateral e parte do estrado que fica exposta 11.Limpar painel da cabeceira e dos pés 12.Limpar grades 13.Considerar a necessidade da limpeza da escada 14.Encaminhar material ao expurgo e deixar a unidade em ordem 15.Retirar luvas e lavar as mãos 16.Realizar arrumação de cama. Referências Bibliográficas: SILVA, C.R.L.da, et al. Fundamentos de Enfermagem. In: FIGUEIREDO, N.M.A. de; VIANA, D.L; MACHADO, W.C.A. Tratado Prático de Enfermagem. 2.ed. São Caetano do Sul: Yendis Editora, 2008. v.1. cap.13. p. 365-488. PIANUCCI, A. Saber cuidar: procedimentos básicos em enfermagem.11.ed. São Paulo: Editora Senac, 2007.

×