Tema Central: Atmosfera
Prof. Emanuel
História da vida
Prof. Emanuel
0 4,5
Bilhões de
anos
Era pré-biótica
Intensa evolução
química
Era biótica
Intensa evolução...
Formação da atmosfera
Prof. Emanuel
Terra
No
passado
teve
Atmosfera
primária
Atmosfera
secundária
Tem
Atmosfera
atual
Héli...
Atmosfera secundária
Prof. Emanuel
Condições para o surgimento
da vida Prof. Emanuel
• Crosta
terrestre
• Atmosfera
Material fluido
Vulcões (lava, cinza, gas...
Condições para o surgimento
da vida Prof. Emanuel
• Atmosfera
(redutora)
H2, CH4, NH3, H2O (Oparin)
Radiação UV
Chuvas tor...
Condições para o surgimento
da vida Prof. Emanuel
• Mares
primitivos
Quentes
Ricos em compostos minerais
Condições para o surgimento
da vida Prof. Emanuel
CO2
H2S
SOX
Evolução gradual dos sistemas
químicos Prof. Emanuel
CO2
H2S
SOX
1) Formação de uma atmosfera gasosa redutora
2) Síntese d...
Experimento de Miller
Prof. Emanuel
Hipóteses da evolução
gradual Prof. Emanuel
Moléculas
simples
Monômeros Polímeros Protocélula
Heterotrófica
(fermentação)
...
Atmosfera x Origem da vida
Prof. Emanuel
Pode aparecer !!!!
( ) As supostas condições do planeta Terra que
propiciaram a f...
Prof. Emanuel
Atmosfera x Origem da vida
Pode aparecer !!!!
( ) Formação de biomoléculas – como
aminoácidos, bases nitroge...
Prof. Emanuel
Atmosfera x Origem da vida
Pode aparecer !!!!
( ) A formação do Sistema Solar e a origem
da vida na Terra oc...
Prof. Emanuel
Atmosfera x Origem da vida
Pode aparecer !!!!
( ) A presença de luz na Terra foi uma
condição que possibilit...
Prof. Emanuel
O mundo do RNA
Prof. Emanuel
Atmosfera x Origem da vida
Pode aparecer !!!!
( ) o RNA é a única molécula capaz de
armazenar informação gen...
Prof. Emanuel
Hipótese heterotrófica
Células heterotróficas
(Fermentação)
Fotossíntese anaeróbica
Fotossíntese com fotólis...
Prof. Emanuel
Hipótese Autotrófica
Seres Quimioautotróficos
Seres heterotróficos
(Fermentação)
Seres fotossintetizantes
Se...
Prof. Emanuel
Era biótica
0
10
20
1 2 3 4
Dias
atuais
Formação
da
Terra
Formação
do oceano
Protocélula
Fotossíntese
anaeró...
Prof. Emanuel
Era biótica – Após a
fotossíntese
Impactos ECO
(abióticos)
Sumidouros de oxigênio (oceano)
Oxidação da atmos...
Prof. Emanuel
Apareceu no ENEM
Na solução aquosa das substâncias orgânicas pré-bióticas (antes
da vida), a catálise produz...
Prof. Emanuel
Apareceu no ENEM
Prof. Emanuel
Apareceu no ENEM
O "avanço verdadeiramente criativo" citado
no texto deve ter ocorrido no período (em
bilhõe...
Prof. Emanuel
Hipótese de Gaia
 Levelock e Margulis
 A vida é como a
Terra quer?
 A Terra é como a
vida quer?
Indissoci...
Origem do oxigênio
Prof. Emanuel
Terra
No
passado
teve
Atmosfera
primária
Atmosfera
secundária
Tem
Atmosfera
atual
Hélio
(...
Fotossíntese
Prof. Emanuel
CO2
H20
O2
C6H12O6
Luz
Fotossíntese
Prof. Emanuel
Convesão (transdução) de energia luminosa em química
Cianobactéria e Oxigênio
Prof. Emanuel
Cianobactéria
Fotólise da água
Impactos
EVO/ECO
SET – Teoria da endossimbiose sequencial
Prof. Emanuel
"Os seres vivos não ocuparam o mundo pela força, mas
por cooperação...
SET – Teoria da endossimbiose sequencial
Prof. Emanuel
Eucariontes X Plastos
Prof. Emanuel
Cloroplastos
Prof. Emanuel
Membrana
externa
Membrana
interna
Lamela
Estroma
Tilacóide
Granum
Fatores que influenciam na
fotossíntese Prof. Emanuel
a) Luz
b) Pigmentos
c) Gás carbônico
d) Temperatura
e) Água e sais
Luz
Prof. Emanuel
 Fonte de energia:
Luz branca ou visível ( 390 – 760 nm)
Luz
Prof. Emanuel
PCF = Ponto de Compensação Fótico
Vel.Fotossíntese = Vel.Respiração
Luz
Velocidade
Clorofila
Prof. Emanuel
Clorofia X Hemoglobina
Prof. Emanuel
Hemoglobina Clorofila
Clorofila
Prof. Emanuel
Fóton
Fóton
Centro de
reação
Moléculas de clorofila
Clorofila
Prof. Emanuel
Clorofila
Prof. Emanuel
Clorofila
Prof. Emanuel
Clorofila
Prof. Emanuel
Gás carbônico
Prof. Emanuel
Estômatos
Água
Prof. Emanuel
Minerais
Prof. Emanuel
Minerais
Prof. Emanuel
Nutriente limítrofe
Eutrofização
Prof. Emanuel
Eutrofização
Prof. Emanuel
Eutrofização
Prof. Emanuel
Prof. Emanuel
H2O
ATP
NADPH2
O2
E
S
T
R
O
M
A
Etapa
Fotoquímica
Tilacóides
CO2
Etapa
Química
C6H12O6
ADP
H2O
NADP
LUZ
Fase...
Oxigênio e radicais livres
Prof. Emanuel
• O uso do oxigênio:
• Positivo: Maior rendimento calórico
• Negativo: Produção d...
Efeitos negativos das ERMO
Prof. Emanuel
• Reação com os lipídios da
membrana plasmática
• Desnaturação protéica (colágeno...
Medidas ortomoleculares
Prof. Emanuel
• Ingestão de compostos anti-oxidantes
• Compostos flavonóides
• Vitaminas C, E, Car...
Medidas ortomoleculares
Prof. Emanuel
• Atividade física moderada
• Redução dos níveis de stress
Fotossíntese e 1º nível
trófico Prof. Emanuel
Produtores
Consumidores
Decompositores
Primários
Secundários
Terciários
Auto...
Cadeia alimentar
Prof. Emanuel
Predatismo
Cadeia alimentar
Prof. Emanuel
Fluxo unidirecional e decrescente
Cadeia alimentar
Prof. Emanuel
Cadeia alimentar
Prof. Emanuel
Na natureza matéria flui de
forma cíclica
Decompositores
Matéria
orgânica
Matéria
mineral
P...
Atmosfera atual
Prof. Emanuel
Atmosfera atual
Prof. Emanuel
Mudanças na atmosfera
Prof. Emanuel
antrópicasnão antrópicas
Mudanças na atmosfera
Prof. Emanuel
Camada de Ozônio
Prof. Emanuel
Camada de Ozônio
Prof. Emanuel
Colonização terrestre
Camada de Ozônio
Prof. Emanuel
Camada de Ozônio
Prof. Emanuel
Camada de Ozônio
Prof. Emanuel
Camada de Ozônio
Prof. Emanuel
Camada de Ozônio
Prof. Emanuel
Contração
muscular
Sinalização
celular
Coagulação
sanguínea
Ossos e
dentes
A vitamina D ati...
Câncer
Prof. Emanuel
Câncer é o nome dado a um conjunto de
mais de 100 doenças que têm em comum o
crescimento desordenado ...
Neoplasias
Prof. Emanuel
Critério Benigno Maligno
Cápsula Frequente ausente
Crescimento Lento e
expansivo
Rápido e
infiltr...
Neoplasias
Prof. Emanuel
CRESCIMENTO MESMO NA AUSÊNCIA
DE SINAIS REGULADORES DA
DIVISÃO CELULAR
ALTERAÇÃO NO CICLO
CELULAR (supressão de G1)
COMPROMETIMENTO DA
INIBIÇÃO POR CONTATO
e
BLOQUEIO DOS MECANISMOS DE
MORTE CELULAR PROGRAMADA
(Apoptose)
IMORTALIDADE EFETIVA
(Telômeros)
IMORTALIDADE EFETIVA
(Telômeros)
Células germinativas
Telomerase ativa
Células somáticas
Telomerase inativa
Células neoplá...
CAPACIDADE DE ESTIMULAR
A ANGIOGÊNESE
PODER PARA INVADIR TECIDOS E SE
ESPALHAR POR OUTROS ÓRGÃOS
Metástase
Câncer
Prof. Emanuel
Pode aparecer !!!!
( ) O efeito cancerígeno das substâncias
referidas configura-se em alterações no
c...
Apareceu no ENEM
Atualmente, os pacientes suspeitos de serem
portadores de câncer contam com aparelhos precisos
para o dia...
Apareceu no ENEM
Dentre as características das células tumorais que favorecem o emprego do
PET-CT, pode-se dizer que apres...
Apareceu no ENEM
A primeira observação de que alguns medicamentos ou produtos
químicos poderiam atuar em tumores aconteceu...
Apareceu no ENEM
Uma pessoa com câncer foi submetida a um tratamento
quimioterápico, após o qual não houve formação de nov...
Aquecimento global
Prof. Fábio
Vilões
gás carbônico(CO2)metano(CH4)
Aquecimento global
Prof. Emanuel
metano(CH4)
Decomposição de matéria orgânica
LUCA
WoeseWhittaker
5 Reinos
Organização celular e
nutrição
3 Domínios
Filogenia molecular
Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
Eubactéria
Archaea
Eukaryota
Animal
Fungi
Plantae
Protista
Progenoto
Procariontes
Diferenças
moleculares
Bactérias e Archa...
Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
Característica Bactéria Archaea Eucarya
Endomembranas Ausentes Ausentes Presentes
Peptogl...
Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
São extremófilas
Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
Metanogênicas
Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
Halófilas
Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
Termoacidófilas
Biodigestor
Decomposição
anaeróbica
Metano e o biogás
Emanuel
Lixão Líquido percolado (Chorume)
Metano e o lixo
Emanuel
Aterro controlado
Emanuel
Metano e o lixo
Aterro sanitário
Emanuel
Metano e o lixo
Tratamento de chorume
(biorremediação)
O líquido é
agitado para
a retirada da
amônia
O líquido
percolado
produzido é
drena...
Emanuel
Metano e o lixo
Aquecimento global
Prof. Fábio
gás carbônico(CO2)
Reações de combustão
Aquecimento global
Prof. Fábio
Matriz energética
Petróleo
Prof. Fábio
1. Existência de matéria orgânica depositada
2. Inexistência da ação de bactérias aeróbias
3. O mater...
Petróleo X Maré negra
Prof. Fábio
Aquecimento global
Prof. Emanuel
Aquecimento global
Prof. Emanuel
Anopheles
Aedes Anopheles Culex
Dengue
Febre amarela
Malária Elefantíase
Viroses Protozoose Verminose
Prof. Emanuel
Simbiose: Alga X Corais
Aumento da temperatura
Redução da fotossíntese
Pouco sequestro de CO2
Acidificação da água
Morte d...
Simbiose: Alga X Corais
Aumento da temperatura
Alga abandona o coral
Morte do Coral
Redução da biodiversidade
Desequilíbri...
Crise entre os ambientalistas
Prof. Emanuel
Ortodoxos X céticos
IPCC – Painel intergovernamental sobre mudanças
climáticas...
Crise entre os ambientalistas
Prof. Emanuel
O PROFETA DO AQUECIMENTO
Al Gore: um Oscar e um Nobel por sua
cruzada contra o...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

SuperMED - Aula Temática 01 - ENEM

2.849 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.849
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

SuperMED - Aula Temática 01 - ENEM

  1. 1. Tema Central: Atmosfera Prof. Emanuel
  2. 2. História da vida Prof. Emanuel 0 4,5 Bilhões de anos Era pré-biótica Intensa evolução química Era biótica Intensa evolução biológica Éon criptozóico Éon fanerozóico
  3. 3. Formação da atmosfera Prof. Emanuel Terra No passado teve Atmosfera primária Atmosfera secundária Tem Atmosfera atual Hélio (He) Hidrogênio (H2) Amônia (NH3) Metano (CH4) Origem biológica Vapor d’água (H2O) Gás carbônico (CO2) Nitrogênio (N2) Oxigênio (O2)
  4. 4. Atmosfera secundária Prof. Emanuel
  5. 5. Condições para o surgimento da vida Prof. Emanuel • Crosta terrestre • Atmosfera Material fluido Vulcões (lava, cinza, gases)
  6. 6. Condições para o surgimento da vida Prof. Emanuel • Atmosfera (redutora) H2, CH4, NH3, H2O (Oparin) Radiação UV Chuvas torrenciais Descargas elétricas • Mares primitivos
  7. 7. Condições para o surgimento da vida Prof. Emanuel • Mares primitivos Quentes Ricos em compostos minerais
  8. 8. Condições para o surgimento da vida Prof. Emanuel CO2 H2S SOX
  9. 9. Evolução gradual dos sistemas químicos Prof. Emanuel CO2 H2S SOX 1) Formação de uma atmosfera gasosa redutora 2) Síntese de monômeros 3) Polimerização de monômeros 4) Individualização de coacervados e reações metabólicas rudimentares 5) Desenvolvimento de um mecanismo de replicação
  10. 10. Experimento de Miller Prof. Emanuel
  11. 11. Hipóteses da evolução gradual Prof. Emanuel Moléculas simples Monômeros Polímeros Protocélula Heterotrófica (fermentação) Autotrófica (quimiossíntese)
  12. 12. Atmosfera x Origem da vida Prof. Emanuel Pode aparecer !!!! ( ) As supostas condições do planeta Terra que propiciaram a formação do sistema vivo — de acordo com a hipótese da evolução química pré- biótica — incluíam uma atmosfera rica em moléculas de nitrogênio e de oxigênio
  13. 13. Prof. Emanuel Atmosfera x Origem da vida Pode aparecer !!!! ( ) Formação de biomoléculas – como aminoácidos, bases nitrogenadas e açúcares – provavelmente ocorreu em um ambiente cuja atmosfera poderia incluir metano, amônia, hidrogênio e vapor d’água
  14. 14. Prof. Emanuel Atmosfera x Origem da vida Pode aparecer !!!! ( ) A formação do Sistema Solar e a origem da vida na Terra ocorreram concomitantemente, quando as condições ambientais já eram propícias à organização de uma protocélula
  15. 15. Prof. Emanuel Atmosfera x Origem da vida Pode aparecer !!!! ( ) A presença de luz na Terra foi uma condição que possibilitou o processo de fotossíntese, criando condições para a origem da vida nesse planeta
  16. 16. Prof. Emanuel O mundo do RNA
  17. 17. Prof. Emanuel Atmosfera x Origem da vida Pode aparecer !!!! ( ) o RNA é a única molécula capaz de armazenar informação genética nos primódios e nos tempos atuais, propriedade que, até alguns anos atrás, se acreditava limitada às proteínas
  18. 18. Prof. Emanuel Hipótese heterotrófica Células heterotróficas (Fermentação) Fotossíntese anaeróbica Fotossíntese com fotólise da água (Cianobactéria) Células aeróbicas (Respiração)
  19. 19. Prof. Emanuel Hipótese Autotrófica Seres Quimioautotróficos Seres heterotróficos (Fermentação) Seres fotossintetizantes Seres heterotróficos (Respiração aeróbica)
  20. 20. Prof. Emanuel Era biótica 0 10 20 1 2 3 4 Dias atuais Formação da Terra Formação do oceano Protocélula Fotossíntese anaeróbia Fotólise da água (cianobactéria) Respiração aeróbia Endossimbiose (mitocôndrias) Pluricelulariade Primeiros vertebrados Rápida acumulação de oxigênio
  21. 21. Prof. Emanuel Era biótica – Após a fotossíntese Impactos ECO (abióticos) Sumidouros de oxigênio (oceano) Oxidação da atmosfera Formação da camada de ozônio Impactos EVO (bióticos) Holocausto do oxigênio Vias aeróbicas (mais energia) Formação de radicais livres Colonização terrestre (ozônio)
  22. 22. Prof. Emanuel Apareceu no ENEM Na solução aquosa das substâncias orgânicas pré-bióticas (antes da vida), a catálise produziu a síntese de moléculas complexas de toda classe, inclusive proteínas e ácidos nucléicos. A natureza dos catalisadores primitivos que agiam antes não é conhecida. É quase certo que as argilas desempenharam papel importante: cadeias de aminoácidos podem ser produzidas no tubo de ensaio mediante a presença de certos tipos de argila. (...) Mas o avanço verdadeiramente criativo - que pode, na realidade, ter ocorrido apenas uma vez - ocorreu quando uma molécula de ácido nucléico "aprendeu" a orientar a reunião de uma proteína, que, por sua vez, ajudou a copiar o próprio ácido nucléico. Em outros termos, um ácido nucléico serviu como modelo para a reunião de uma enzima que poderia então auxiliar na produção de mais ácido nucléico. Com este desenvolvimento apareceu o primeiro mecanismo potente de realização. A vida tinha começado.
  23. 23. Prof. Emanuel Apareceu no ENEM
  24. 24. Prof. Emanuel Apareceu no ENEM O "avanço verdadeiramente criativo" citado no texto deve ter ocorrido no período (em bilhões de anos) compreendido aproximadamente entre a) 5,0 e 4,5. b) 4,5 e 3,5. c) 3,5 e 2,0. d) 2,0 e 1,5. e) 1,0 e 0,5.
  25. 25. Prof. Emanuel Hipótese de Gaia  Levelock e Margulis  A vida é como a Terra quer?  A Terra é como a vida quer? Indissociabilidade dos fatores bióticos e abióticos
  26. 26. Origem do oxigênio Prof. Emanuel Terra No passado teve Atmosfera primária Atmosfera secundária Tem Atmosfera atual Hélio (He) Hidrogênio (H2) Amônia (NH3) Metano (CH4) Origem biológica Vapor d’água (H2O) Gás carbônico (CO2) Nitrogênio (N2) Oxigênio (O2)
  27. 27. Fotossíntese Prof. Emanuel CO2 H20 O2 C6H12O6 Luz
  28. 28. Fotossíntese Prof. Emanuel Convesão (transdução) de energia luminosa em química
  29. 29. Cianobactéria e Oxigênio Prof. Emanuel Cianobactéria Fotólise da água Impactos EVO/ECO
  30. 30. SET – Teoria da endossimbiose sequencial Prof. Emanuel "Os seres vivos não ocuparam o mundo pela força, mas por cooperação“ Lynn Margulis
  31. 31. SET – Teoria da endossimbiose sequencial Prof. Emanuel
  32. 32. Eucariontes X Plastos Prof. Emanuel
  33. 33. Cloroplastos Prof. Emanuel Membrana externa Membrana interna Lamela Estroma Tilacóide Granum
  34. 34. Fatores que influenciam na fotossíntese Prof. Emanuel a) Luz b) Pigmentos c) Gás carbônico d) Temperatura e) Água e sais
  35. 35. Luz Prof. Emanuel  Fonte de energia: Luz branca ou visível ( 390 – 760 nm)
  36. 36. Luz Prof. Emanuel PCF = Ponto de Compensação Fótico Vel.Fotossíntese = Vel.Respiração Luz Velocidade
  37. 37. Clorofila Prof. Emanuel
  38. 38. Clorofia X Hemoglobina Prof. Emanuel Hemoglobina Clorofila
  39. 39. Clorofila Prof. Emanuel Fóton Fóton Centro de reação Moléculas de clorofila
  40. 40. Clorofila Prof. Emanuel
  41. 41. Clorofila Prof. Emanuel
  42. 42. Clorofila Prof. Emanuel
  43. 43. Clorofila Prof. Emanuel
  44. 44. Gás carbônico Prof. Emanuel Estômatos
  45. 45. Água Prof. Emanuel
  46. 46. Minerais Prof. Emanuel
  47. 47. Minerais Prof. Emanuel Nutriente limítrofe
  48. 48. Eutrofização Prof. Emanuel
  49. 49. Eutrofização Prof. Emanuel
  50. 50. Eutrofização Prof. Emanuel
  51. 51. Prof. Emanuel H2O ATP NADPH2 O2 E S T R O M A Etapa Fotoquímica Tilacóides CO2 Etapa Química C6H12O6 ADP H2O NADP LUZ Fase de Claro Fase de Escuro Cloroplasto
  52. 52. Oxigênio e radicais livres Prof. Emanuel • O uso do oxigênio: • Positivo: Maior rendimento calórico • Negativo: Produção de ERMO
  53. 53. Efeitos negativos das ERMO Prof. Emanuel • Reação com os lipídios da membrana plasmática • Desnaturação protéica (colágeno) • Mutações gênicas • Reação com o LDL aumentando risco de acidentes vasculares Peroxissomos como via de proteção contra os ERMO
  54. 54. Medidas ortomoleculares Prof. Emanuel • Ingestão de compostos anti-oxidantes • Compostos flavonóides • Vitaminas C, E, Carotenóides • Zinco, cobre, selênio • Dieta de restrição calórica
  55. 55. Medidas ortomoleculares Prof. Emanuel • Atividade física moderada • Redução dos níveis de stress
  56. 56. Fotossíntese e 1º nível trófico Prof. Emanuel Produtores Consumidores Decompositores Primários Secundários Terciários Autotróficos Heterotróficos Saprófitos 1º 2º 3º 4º
  57. 57. Cadeia alimentar Prof. Emanuel Predatismo
  58. 58. Cadeia alimentar Prof. Emanuel Fluxo unidirecional e decrescente
  59. 59. Cadeia alimentar Prof. Emanuel
  60. 60. Cadeia alimentar Prof. Emanuel Na natureza matéria flui de forma cíclica Decompositores Matéria orgânica Matéria mineral Produtores
  61. 61. Atmosfera atual Prof. Emanuel
  62. 62. Atmosfera atual Prof. Emanuel
  63. 63. Mudanças na atmosfera Prof. Emanuel antrópicasnão antrópicas
  64. 64. Mudanças na atmosfera Prof. Emanuel
  65. 65. Camada de Ozônio Prof. Emanuel
  66. 66. Camada de Ozônio Prof. Emanuel Colonização terrestre
  67. 67. Camada de Ozônio Prof. Emanuel
  68. 68. Camada de Ozônio Prof. Emanuel
  69. 69. Camada de Ozônio Prof. Emanuel
  70. 70. Camada de Ozônio Prof. Emanuel
  71. 71. Camada de Ozônio Prof. Emanuel Contração muscular Sinalização celular Coagulação sanguínea Ossos e dentes A vitamina D ativa aumenta a absorção intestinal de Cálcio Cálcio
  72. 72. Câncer Prof. Emanuel Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado (maligno) de células que invadem os tecidos e órgãos.
  73. 73. Neoplasias Prof. Emanuel Critério Benigno Maligno Cápsula Frequente ausente Crescimento Lento e expansivo Rápido e infiltrativo Ciclo celular Típico Atípico Metástase Ausente Presente
  74. 74. Neoplasias Prof. Emanuel
  75. 75. CRESCIMENTO MESMO NA AUSÊNCIA DE SINAIS REGULADORES DA DIVISÃO CELULAR
  76. 76. ALTERAÇÃO NO CICLO CELULAR (supressão de G1)
  77. 77. COMPROMETIMENTO DA INIBIÇÃO POR CONTATO
  78. 78. e BLOQUEIO DOS MECANISMOS DE MORTE CELULAR PROGRAMADA (Apoptose)
  79. 79. IMORTALIDADE EFETIVA (Telômeros)
  80. 80. IMORTALIDADE EFETIVA (Telômeros) Células germinativas Telomerase ativa Células somáticas Telomerase inativa Células neoplásicas Telomerase ativa Senescência e morte Apoptose
  81. 81. CAPACIDADE DE ESTIMULAR A ANGIOGÊNESE
  82. 82. PODER PARA INVADIR TECIDOS E SE ESPALHAR POR OUTROS ÓRGÃOS Metástase
  83. 83. Câncer Prof. Emanuel Pode aparecer !!!! ( ) O efeito cancerígeno das substâncias referidas configura-se em alterações no controle das divisões celulares, originando linhagens que podem ser “imortalizadas” experimentalmente.
  84. 84. Apareceu no ENEM Atualmente, os pacientes suspeitos de serem portadores de câncer contam com aparelhos precisos para o diagnóstico da doença. Um deles é o PET-CT, uma fusão da medicina nuclear com a radiologia. “Esse equipamento é capaz de rastrear o metabolismo da glicose e, consequentemente, as células tumorais”, afirma um dos médicos especialistas. O exame consiste na injeção de um radiofármaco (glicose marcada pelo material radioativo Flúor 18) que se distribui pelo organismo, gerando imagens precisas que, registradas pelo equipamento, permitem associar anatomia interna e funcionamento.
  85. 85. Apareceu no ENEM Dentre as características das células tumorais que favorecem o emprego do PET-CT, pode-se dizer que apresentam a) baixo metabolismo, o que favorece o acúmulo de glicose na área vascularizada ao redor do tecido tumoral. Além disso, apresentam intensa morte celular, o que provoca a migração de macrófagos marcados para a área do tecido doente. b) alto metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso, apresentam inibição por contato, o que favorece o desenvolvimento de tumores localizados. c) alto metabolismo, o que favorece o acúmulo de glicose no hialoplasma. Além disso, apresentam alto índice mitótico, o que favorece a distribuição da glicose marcada por todo o tecido. d) baixo metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso, apresentam baixo índice mitótico e inibição por contato, o que leva à instalação das células cancerosas em diferentes tecidos. e) alto metabolismo e, consequentemente, consumo excessivo de glicose. Além disso, apresentam alto índice mitótico, falta de inibição por contato e capacidade para se instalarem em diferentes tecidos.
  86. 86. Apareceu no ENEM A primeira observação de que alguns medicamentos ou produtos químicos poderiam atuar em tumores aconteceu na Segunda Guerra Mundial. Após vazamento de gás mostarda, pessoas com tumores que ficaram expostas ao gás, tiveram redução nesses tumores. Sendo assim, a quimioterapia é um tratamento que utiliza medicações específicas, as quais têm propriedade de atuar “inativando” ou “destruindo” as células tumorais. O agente quimioterápico ideal mataria as células cancerígeras e seria inofensivo às células sadias. Nenhum agente quimioterápico, por enquanto, atende a estes critérios, e os efetivos são também os mais tóxicos para os humanos e, portanto, precisam ser cuidadosamente controlados quando ministrados aos pacientes.
  87. 87. Apareceu no ENEM Uma pessoa com câncer foi submetida a um tratamento quimioterápico, após o qual não houve formação de novas células tumorais. A partir das informações contidas nos textos apresentados, é possível considerar que os agentes quimioterápicos atuam sobre a) a membrana plasmática, criando o encapsulamento do tumor. b) a circulação sanguínea, destruindo vasos do organismo e evitando a metástase. c) as células tornando-as novamente diferenciadas. d) o material genético corrigindo eventuais danos. e) algum ponto do ciclo celular, fazendo cessar as mitoses
  88. 88. Aquecimento global Prof. Fábio Vilões gás carbônico(CO2)metano(CH4)
  89. 89. Aquecimento global Prof. Emanuel metano(CH4) Decomposição de matéria orgânica
  90. 90. LUCA WoeseWhittaker 5 Reinos Organização celular e nutrição 3 Domínios Filogenia molecular Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
  91. 91. Eubactéria Archaea Eukaryota Animal Fungi Plantae Protista Progenoto Procariontes Diferenças moleculares Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel
  92. 92. Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel Característica Bactéria Archaea Eucarya Endomembranas Ausentes Ausentes Presentes Peptoglicano Sim Não Não RNA polimerase Uma Várias Várias Aminoácido iniciador (tradução) N-formil metionina Metionina Metionina Histona Ausente Presente Presente Lipídios da membrana plasmática Cadeia linear Cadeia ramificada Cadeia linear
  93. 93. Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel São extremófilas
  94. 94. Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel Metanogênicas
  95. 95. Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel Halófilas
  96. 96. Bactérias e ArchaeaProf. Emanuel Termoacidófilas
  97. 97. Biodigestor Decomposição anaeróbica Metano e o biogás Emanuel
  98. 98. Lixão Líquido percolado (Chorume) Metano e o lixo Emanuel
  99. 99. Aterro controlado Emanuel Metano e o lixo
  100. 100. Aterro sanitário Emanuel Metano e o lixo
  101. 101. Tratamento de chorume (biorremediação) O líquido é agitado para a retirada da amônia O líquido percolado produzido é drenado O chorume sofre decomposição aeróbica Filtração e separação sólido líquido Água de reuso Água de reuso tratamento 1 2 3 4 5 Emanuel Metano e o lixo
  102. 102. Emanuel Metano e o lixo
  103. 103. Aquecimento global Prof. Fábio gás carbônico(CO2) Reações de combustão
  104. 104. Aquecimento global Prof. Fábio Matriz energética
  105. 105. Petróleo Prof. Fábio 1. Existência de matéria orgânica depositada 2. Inexistência da ação de bactérias aeróbias 3. O material orgânico depositado não deve ser movimentado por longos períodos 4. A ação de temperatura e pressão por períodos longos (bactérias anaeróbicas) Condições para formação de petróleo Proteção contra oxidação e destruição bacteriana
  106. 106. Petróleo X Maré negra Prof. Fábio
  107. 107. Aquecimento global Prof. Emanuel
  108. 108. Aquecimento global Prof. Emanuel Anopheles
  109. 109. Aedes Anopheles Culex Dengue Febre amarela Malária Elefantíase Viroses Protozoose Verminose Prof. Emanuel
  110. 110. Simbiose: Alga X Corais Aumento da temperatura Redução da fotossíntese Pouco sequestro de CO2 Acidificação da água Morte do Coral
  111. 111. Simbiose: Alga X Corais Aumento da temperatura Alga abandona o coral Morte do Coral Redução da biodiversidade Desequilíbrio ambiental
  112. 112. Crise entre os ambientalistas Prof. Emanuel Ortodoxos X céticos IPCC – Painel intergovernamental sobre mudanças climáticas 1. Fonte de emissão de carbono 2. Estratégias para amenizar o aquecimento 3. Quando os efeitos serão sentidos 4. Consequência dos efeitos
  113. 113. Crise entre os ambientalistas Prof. Emanuel O PROFETA DO AQUECIMENTO Al Gore: um Oscar e um Nobel por sua cruzada contra o efeito estufa não eliminam a questão – o mundo está mesmo à beira do desastre? http://veja.abril.com.br/241007/p_086.shtml

×