VIOLÊNCIA CONTRA AMULHER
DADOS GERAIS SOBRE A MULHERPopulação Brasileira – 190.755.794População de mulheres no Brasil – 97.348.809 – 51,03%Populaçã...
MULHERES NA POLÍTICAPioneiras:Fonte: Site do Tribunal Superior EleitoralEm 1880, a dentista Isabel de Mattos Dillon evocou...
Participação:Fonte: Site do Tribunal Superior EleitoralDo total de eleitos em 2012, 8.287 foram mulheres, representando 13...
MULHERES NO MERCADO DE TRABALHOParticipação:Fonte: Portal Brasil - 2013Dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS...
Remuneração:Fonte: Portal Brasil - 2013Em 2011 o salário médio real de admissão das mulheres eram R$ 874,63 e dos homens R...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHistórico 1980/2010Fonte: SIM/SVS/MSNos 30 anos decorridos entre 1980 e 2010 foram assassinadas n...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERCircunstância dos homicídios:Fonte: SIM/SVS/MSAs armas de fogo continuam sendo o principal instru...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHomicídios femininos nos EstadosFonte: SIM/SVS/MSNúmero e taxas de homicídio feminino (em 100 mil...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHomicídios femininos nas capitais:Fonte: SIM/SVS/MSNas capitais dos estados, os níveis são ainda ...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHomicídios femininos: dados internacionaisFonte: Whosis, Census, IBGE.Os dados internacionais per...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERA idade das vítimas:Fonte: SIM/SVS/MSAs maiores taxas de vitimização de mulheres concentra-se na ...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERLocal de ocorrência:Fonte: SIM/SVS/MS% de atendimentos por violência física segundo local de ocor...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERRelação com o agressor:Fonte: SINAN/SVS/MS *Excluído os casos em branco/ignorado, outros e catego...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERReincidência:Fonte: SINAN/SVS/MS *Excluído os casos em branco/ignorado.Vemos na tabela a seguir q...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERTipos de violência:Fonte: Sinan/SVS/MS *`Pode ser indicada mais de uma alternativa.A violência fí...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERViolência Simbólica:A definição de Pierre Bourdieu sobre a situação de “ violência simbólica” - O...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERViolência Simbólica:Na televisão:Espanca - Banda New HitAs meninas vão pro baileCurtir o swingãoE...
VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERViolência Simbólica:A música é uma manifestação cultural extremamente importante na sociedade bra...
www.analucia-se.com.br
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ana discute violência contra à mulher na Câmara de Boquim

467 visualizações

Publicada em

Um dos maiores problemas que a sociedade vem enfrentando nos últimos anos e que só tem se agravado ainda é a violência, mas entre as maiores vítimas ainda está a mulher. Dados do IBGE e do Mapa da Violência tem mostrado números alarmantes.

Em virtude desta situação a deputada estadual Ana Lúcia (PT) foi na manhã desta última sexta-feira, 03, debater o tema na Câmara de Vereadores de Boquim A convite das vereadoras Honorina Fonseca(DEM) e Imara Lima(PMDB).
Ana iniciou sua apresentação com dados gerais da população brasileira, onde mostra que as mulheres representam 51,04% da população do país, e em Sergipe 51,40%, sendo maioria populacional.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
467
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ana discute violência contra à mulher na Câmara de Boquim

  1. 1. VIOLÊNCIA CONTRA AMULHER
  2. 2. DADOS GERAIS SOBRE A MULHERPopulação Brasileira – 190.755.794População de mulheres no Brasil – 97.348.809 – 51,03%População total de Sergipe – 2.068.017População total de mulheres em Sergipe - 1.062.975 – 51,40%População de mulheres em Sergipe na área urbana - 796.517População de mulheres em Sergipe na área rural - 266.458Dados populacionais:População de mulheres em Sergipe por cor / raça:Branca Preta Amarela Parda IndígenaSemdeclaração306.451 87.749 14.685 651.349 2.723 1928,83% 8,26% 1,38% 61,28% 0,25%Fonte: Censo IBGE 2010
  3. 3. MULHERES NA POLÍTICAPioneiras:Fonte: Site do Tribunal Superior EleitoralEm 1880, a dentista Isabel de Mattos Dillon evocou na Justiça a Lei Saraiva (que permitia aos detentores de títuloscientíficos votar) para requerer seu alistamento eleitoral.Em 1894, Santos, no litoral paulista, promulga o direito das mulheres ao voto. A medida foi derrubada no anoseguinte. Em 1905, três mulheres conseguiram se alistar e votar em Minas Gerais.Em 1928, o Brasil elege sua primeira prefeita: Alzira Soriano de Souza, na cidade Lages, no Rio Grande do Norte.O voto feminino só se tornou um direito nacional em 1932.Em 1933, a médica paulista Carlota de Queirós é eleita a primeira deputada federal do País.Em 1990. Júnia Marise (Minas Gerais) e Marluce Pinto (Roraima) foram as primeiras senadoras eleitas do Brasil.Em 1994, Roseana Sarney é a primeira mulher escolhida pelo voto popular para chefiar um estado, o Maranhão.Primeira presidenteDilma Rousseff entrou para a história do Brasil como a primeira mulher a ocupar a Presidência da República, ao sereleita em segundo turno em 2010 com 56,05% dos votos.
  4. 4. Participação:Fonte: Site do Tribunal Superior EleitoralDo total de eleitos em 2012, 8.287 foram mulheres, representando 13,19%. O número comprova umcrescimento em relação a 2008, quando 7.010 mulheres foram eleitas a esses mesmoscargos, representando 12,2%.Em todo o Brasil, foram eleitas 657 candidatas para as prefeituras, o que corresponde a 11,84% do total deeleitos.Para as câmaras municipais foram eleitas 7.630 mulheres, o equivalente a 13,32% dos escolhidos.A representação feminina no Congresso Nacional representa apenas 10% do total de ocupantes de cargoseletivos.Na última eleição para a Câmara de Deputados, em 2010, foram eleitas 45 deputadas federais.De acordo com um estudo desenvolvido em 2012 pela União Interparlamentar, ligada à Organização dasNações Unidas (ONU), o Brasil está na posição de número 120 no ranking da proporção de mulheres nosparlamentos, atrás de países islâmicos como Paquistão, Sudão e Emirados Árabes Unidos.MULHERES NA POLÍTICA
  5. 5. MULHERES NO MERCADO DE TRABALHOParticipação:Fonte: Portal Brasil - 2013Dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS*) informam que:Em 2010, a disponibilização de empregos femininos no Brasil era de 18,3 milhões de postos de trabalho, jáem 2011 essa oferta alcançou 19,4 milhões, um crescimento de 5,93%.Uma análise no Cadastro Nacional de Atividades Econômicas (CNAE*) demonstra:Maior crescimento da participação das mulheres principalmente nas atividades de:Administração pública (210.612 empregos), restaurantes (54.398), atividades de atendimento hospitalar(51.410), limpeza em prédios e em domicílios (50.214) e comércio varejista especializado emeletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo (44.767). Até no setor de transporte rodoviário decarga, atividade tradicionalmente masculina, houve crescimento no saldo de emprego de mulheres (11.768postos).
  6. 6. Remuneração:Fonte: Portal Brasil - 2013Em 2011 o salário médio real de admissão das mulheres eram R$ 874,63 e dos homens R$ 1.019,34.Em 2012 o salário médio real de admissão das mulheres alcançou R$ 917,87, contra R$ 1.067,66 doshomens.Enquanto no feminino o crescimento foi de 4,94%, o salário dos homens cresceu 4,74%, ou seja, arelação dos salários entre homens e mulheres passou para 85,97%.MULHERES NO MERCADO DE TRABALHO
  7. 7. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHistórico 1980/2010Fonte: SIM/SVS/MSNos 30 anos decorridos entre 1980 e 2010 foram assassinadas no país acima de 92 mil mulheres, 43,7mil só na última década. O número de mortes nesse período passou de 1.353 para 4.465, que representaum aumento de 230%, mais que triplicando o quantitativo de mulheres vítimas de assassinato no país.Número e taxas (em 100 mil mulheres) de homicídios femininos. Brasil. 1980/2010. 1980/2010 - 92.100 2000/2010 - 43.6541980/2010 - 230,0%
  8. 8. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERCircunstância dos homicídios:Fonte: SIM/SVS/MSAs armas de fogo continuam sendo o principal instrumento dos homicídios, tanto femininos quantomasculinos, só que em proporção diversa. Nos masculinos, representam quase 3/4 dos incidentes,enquanto nos femininos pouco menos da metade. Já outros meios além das armas, que exigem contatodireto, como utilização de objetos cortantes, penetrantes, contundentes, sufocação etc., são maisexpressivos quando se trata de violência contra a mulher, o que pode ser indicativo de maior incidênciade violência passional.MEIO Masc. % Fem. %Arma de fogo 72,4 49,2Objeto cortante ou penetrante 15,1 25,8Objeto contundente 5,3 8,5Estrangulamento/sufocação 1 5,7Outros meios 6 10,8Meios utilizados nos homicídios masculinos e femininos (em %). Brasil, 2010.
  9. 9. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHomicídios femininos nos EstadosFonte: SIM/SVS/MSNúmero e taxas de homicídio feminino (em 100 mil mulheres) por UF. Brasil. 2010.
  10. 10. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHomicídios femininos nas capitais:Fonte: SIM/SVS/MSNas capitais dos estados, os níveis são ainda mais elevados. Se a taxa média dos estados no ano de2010 foi de 4,4 homicídios cada 100 mil mulheres, a taxa das capitais foi de 5,1.Destacam-se aqui, pelas elevadas taxas, Vitória, João Pessoa, Maceió e Curitiba, com níveis acima dos10 homicídios em 100 mil mulheres.Taxas de homicídio feminino (em 100 mil mulheres) por UF. Brasil. 2010.
  11. 11. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERHomicídios femininos: dados internacionaisFonte: Whosis, Census, IBGE.Os dados internacionais permitem obter uma visão comparativa dos níveis de violência existentes nopaís. Vemos assim que, com uma taxa de 4,4 homicídios em 100 mil mulheres, o Brasil ocupa a sétimaposição no contexto dos 84 países do mundo com dados homogêneos da OMS compreendidos entre2006 e 2010.Taxas de homicídio feminino (em 100 mil mulheres)
  12. 12. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERA idade das vítimas:Fonte: SIM/SVS/MSAs maiores taxas de vitimização de mulheres concentra-se na faixa dos 15 aos 29 anos de idade, compreponderância para o intervalo de 20 a 29 anos, que é o que mais cresceu na década analisada. Por suavez, nas idades acima dos 30 anos a tendência foi de queda.Número e taxas (em 100 mil mulheres) de homicídios femininos. Brasil. 2000 e 2010.
  13. 13. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERLocal de ocorrência:Fonte: SIM/SVS/MS% de atendimentos por violência física segundo local de ocorrência da agressão e faixa etária. SexoFeminino Brasil, 2011.
  14. 14. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERRelação com o agressor:Fonte: SINAN/SVS/MS *Excluído os casos em branco/ignorado, outros e categorias de baixa frequência.% de atendimentos femininos por violência física segundo relação do agressor com a vítima e faixaetária. Brasil. 2011.
  15. 15. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERReincidência:Fonte: SINAN/SVS/MS *Excluído os casos em branco/ignorado.Vemos na tabela a seguir que o percentual de reincidência nas violências contra a mulher éextremamente elevada, principalmente a partir dos 30 anos de idade das vítimas, o que está a configurarum tipo de “violência anunciada” e previsível que não é erradicada.% de reincidência nos atendimentos femininos por faixa etária. Brasil. 2011.
  16. 16. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERTipos de violência:Fonte: Sinan/SVS/MS *`Pode ser indicada mais de uma alternativa.A violência física é a preponderante, englobando 44,2% dos casos. A psicológica ou moral representaacima de 20%. Já a violência sexual é responsável por 12,2% dos atendimentos.A violência física adquire destaque a partir dos 15 anos de idade da mulher. Já a violência sexual é amais significativa na faixa de 1 aos 14 anos, período que apresenta significativa concentração.Número de atendimentos* segundo tipo de violência e faixa etária. Sexo Feminino Brasil, 2011
  17. 17. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERViolência Simbólica:A definição de Pierre Bourdieu sobre a situação de “ violência simbólica” - O desprezo da cultura populare a interiorização da expressão cultural de um grupo mais poderoso economicamente ou politicamentepor outro lado dominado, faz com esses percam sua identidade pessoal e suas referências, tornando-seassim fracos, inseguros e mais sujeitos à dominação que sofrem na própria sociedade.A violência simbólica contra a mulher se manifesta em diversas formas e locais:Na publicidade:
  18. 18. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERViolência Simbólica:Na televisão:Espanca - Banda New HitAs meninas vão pro baileCurtir o swingãoElas descem bem gostosoRebolando até o chãoCom biquini curtininha , salto alto bunitinhaEstilo piriguetonaEu me ama na sua ondaEmpina o bumbum pra galeraEmpina o bumbum sua donzelaEmpina o bumbum pro duduuu , que o justin aqui espancaEspanca , espanca , espancaEspanca , espanca , espancaEspanca , espanca, espancaCansei de te espancarNa música:
  19. 19. VIOLÊNCIA CONTRA A MULHERViolência Simbólica:A música é uma manifestação cultural extremamente importante na sociedade brasileira. É a arte deexprimir sentimentos e transmitir mensagens e exerce grande influência na formação do quecomumente chamamos de ideário popular.Diante disso protocolei o Projeto de Lei nº 124/2012 que está em tramitação na AssembleiaLegislativa de Sergipe que:“Veda a utilização de recursos públicos para contratação de artistas que desvalorizem, incentivem aviolência ou exponham mulheres, crianças, adolescentes, idosos, pessoas com deficiência, negros,lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transgêneros à situação de constrangimento.Leis de minha autoria que tratam de Violência contra a Mulher:Lei nº 5.494/2004 – Cria procedimento de NotificaçãoCompulsória da Violência contra a mulher atendidas emserviços de urgência e emergência públicos privados noEstado de SergipeLei nº 7.258/2011 – Institui o dia 22 denovembro o “Dia Estadual de Combate eEnfrentamento „a violência contra amulher” em Sergipe.
  20. 20. www.analucia-se.com.br

×