Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 1...
Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 1...
Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 1...
Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 1...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Itens 9ºano doenças cardiovasculares

523 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
523
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
290
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Itens 9ºano doenças cardiovasculares

  1. 1. Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 14Miguel Brandão, 9º C, nº 21Construção de itens de Ciências Naturais 20139.º Ano de EscolaridadeGrupo IDocumento 1Mulheres deviam preocupar-se com doenças cardiovascularesEstudo da FMUP mostra prevalência de diversos fatores de riscocardiovascular antes da gravidez.A gravidez é uma oportunidade parasensibilizar as mulheres e reeducá-las emtermos de hábitos de saúde.As mulheres de estatuto socio-económicomais baixo têm maior risco de sofrer deuma doença cardiovascular, sugereminvestigadores do departamento deEpidemiologia, Saúde Pública e MedicinaPreditiva da Faculdade de Medicina daUniversidade do Porto (FMUP).O estudo conduzido pelos cientistas,publicado recentemente no InternationalJournalofPublicHealth, é o primeiro a apresentar aprevalência de diversos fatores de risco cardiovascular antes da gravidez, em mulheresportuguesas, que tiveram pelo menos um filho.Durante as experiências, os investigadores avaliaram mais de oito mil mulheres que deram àluz em cinco maternidades do Porto. Os resultados demonstraram que, antes de engravidar,mais de 20 por cento das mulheres tinham excesso de peso e 8,8 por cento eram obesas.Além disso, uma em cada quatro dessas mulheres fumou nos meses que antecederam agestação. A prevalência de hipertensão e de dislipidemia (existência de níveis altos de gordurano sangue) autodeclaradas foi de1,7 por cento, enquanto a da diabetes se situou nos 0,6 porcento. Finalmente, 3,7 por cento das mulheres analisadas tinham, pelo menos, um fator derisco cardiovascular e 0,2 por cento, dois ou mais fatores em simultâneo.Segundo Elisabete Alves, autora principal deste trabalho, apesar da baixa prevalência dehipertensão, dislipidemia e diabetes, a “clara tendência para agregação destes três fatores derisco revela um perfil de risco cardiovascular desfavorável em jovens mães, desde o períodopreconcecional”.A equipa de investigação concluiu também que a idade estava progressiva e significativamenteassociada ao excesso de peso. O mesmo foi observado para a existência de gravidezesanteriores (mais do que uma), ou seja, quanto maior for o número de filhos, maior é aprobabilidade de a mulher ter um peso excessivo.Figura1 - A gravidez é uma oportunidade parasensibilizar as mulheres e reeducá-las em termosde hábitos de saúde.
  2. 2. Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 14Miguel Brandão, 9º C, nº 21Para Elisabete Alves há ainda falta de consciência relativamente ao risco cardiovascular emmulheres jovens. Por este motivo, a cientista diz ser necessário intervir mais cedo, antes doaparecimento dos primeiros sintomas.“Seria desejável que se interviesse o mais precocemente possível, de forma a prevenir aevolução da doença, a reduzir os custos físicos e psicológicos que o desenvolvimento de umadoença crónica acarreta e, em última análise, a reduzir os custos financeiros que recaem sobreo doente e sobre o Estado”, refere.A Investigadora da FMUP defende que, para além das consultas previstas durante a gestação,se deve investir no acompanhamento da saúde destas mulheres antes da gravidez e após oparto.Ciência Hoje, 2012-06-04Na resposta a cada um dos itens 1 e 3, seleciona a única opção que permite obter umaafirmação correta.1.As mulheres com maior risco de sofrer de uma doença cardiovascular são(A) as mulheres de estatuto socio-económico mais elevado.(B) as mulheres de estatuto socio-económico mais baixo.(C) as mulheres que habitam no Sul de Portugal.(D) as mulheres que habitam no Norte de Portugal.2.Os resultados das experiências revelaram que, antes de engravidar,(A) 28,8%das mulheres eram obesas e que a idade contribui para o seu aumento.(B) 28,8% das mulheres tinham excesso de peso e que a idade contribui para o seuaumento.(C) 20% das mulheres tinham excesso de peso e que a idade contribui para o seuaumento.(D) 20% das mulheres eram obesas e que a idade contribui para o seu aumento.3. A investigadora da FMUP defende que(A) se deve investir no acompanhamento da saúde das mulheres antes da gravidez e apóso parto, para além das consultas previstas durante a gestação.(B) énecessário intervir logo após o aparecimento dos primeiros sintomasde uma doençacardiovascular em mulheres jovens.(C) as mulheres já tomaram consciência relativamente ao risco cardiovascular, em especialaquelas que tiveram mais do que uma gravidez.(D) a baixa prevalência de hipertensão, dislipidemia e diabetes não constitui um perfil derisco cardiovascular em jovens mães.
  3. 3. Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 14Miguel Brandão, 9º C, nº 214.Faz corresponder cada uma das doenças da coluna A, à respetiva ação preventiva, queconsta da coluna B.Utiliza cada letra e cada número apenas uma vez.5.Qual é o objetivo do estudo da FMUP apresentado no documento.6.Relaciona o peso da grávida e os seus hábitos antes da gravidez com a posterior incidênciade doenças cardiovasculares.COLUNA A COLUNA B(a) hipertensão(b) acidente vascular cerebral(c) enfarte do miocárdio(d) aterosclerose(e) disseção da aorta(1) alimentação pobre em gorduras.(2) alimentação pobre em sal evigilância regular da tensão arterial.(3) não fumar e não consumir bebidasalcoólicas.(4) atividade física regular.(5) Contacto com águas poluídas.(6) controloda pressão arterial elevadae evitar fumar.(7) exposição elevada ao sol.(8) ter cuidados higiénicos diários.
  4. 4. Escola S/3 Arquiteto Oliveira Ferreira(Cód. 403337)Trabalho realizado por:Daniela Maia, 9º C, nº 6Jorge Alonso. 9º D, nº 14Miguel Brandão, 9º C, nº 21Critérios de classificação1. Opção (B)………………………………………………………………………………………………………….. 3 pontos2. Opção (C)………………………………………………………………………………………………………….. 3 pontos3. Opção (A)………………………………………………………………………………………………………….. 3 pontos4. (a) - (2); (b) - (3); (c) - (4); (d) - (1); (e) - (6)……………………………………………………… 6 pontos5. Apresentar a prevalência de diversos fatores de risco cardiovascular antes da gravidez, emmulheres portuguesas, que tiveram pelo menos um filho……………………………………. 3 pontos6. ………………………………………………….………………………………………………………………………….. 8 pontosA resposta deve contemplar os seguintes tópicos:Relacionar os maus hábitos alimentares com o excesso de peso.Relacionar o excesso de peso antes da gravidez com a maior incidência de doençascardiovascularesTotal ………………………………………………………………………………………………………………………… 20 pontosNíveis Número de correspondências assinaladas corretamente Pontuação2 4 ou 5 61 2 ou 3 3Níveis Descritores do nível de desempenho no domínio específico da disciplina Pontuação4A resposta apresenta:os dois tópicos de referência;organização coerente dos conteúdos;terminologia científica adequada.83A resposta apresenta:os dois tópicos de referência;falhas de coerência na organização dos conteúdos e/ou falhas naaplicação da terminologia científica.62A resposta apresenta:um dos tópicos de referência;terminologia adequada científica.4

×