Mesa abciber

437 visualizações

Publicada em

Apresentação desenvolvida para a mesa temática do VI Simpósio Nacional da Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura (ABCiber) : Web 2.0 na educação: mobilidade e cooperação nos processos educativos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
437
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Satyanarayanan, 1996 Computação m´voel - aos usuários, portando dispositivos móveis, terem acesso a serviços e dados, independente de sua localização física (SATYANARAYANAN, 1996), tendo como suporte as tecnologias de rede sem fio e sistemas distribuídos. Rochelle, 2004, 2005
  • Mobilidade e conectividade Possibilidade de diversos tipos de interconexão, possibilitando uma conectividade contínua na presenã de tecnollogoia de acesso. Isso tornou a comunicação e a interação mais facilitada, da mesma forma motivou o uso dos recursos da internet para trabalho, lazer, etc.., estudos, etc... Além disso, as tecnologias estão evoluindo para que o software abstraria essa heterogeneidade, tornando a computação mais fácil ao usuário final DEy, 1999 – contexto “ contexto é qualquer informação que pode ser usada para caracterizar a situação de uma entidade. Assim, essa forma de computação pode ser entendida como aquela em que as aplicações se utilizam e tomam decisões de acordo com um contexto particular proveniente do ambiente e da situação em que se encontram. Por exemplo, as aplicações podem considerar elementos de contexto relacionados à localização do usuário, a hora do dia, aos dispositivos mais próximos, o histórico das atividades do usuário, atividades correntes, etc.
  • Computação pervasiva: weiser, 1999 Educação ubiqua: rogers, ogata
  • Becker – autonomia Moreira – aprendizagem significativa Bolinahs: elementos que caracterizam a educação ubíqua segundo Ogata baseado a Abowd. A obtenção de informações de contexto pode ser descrita com base em cinco dimensões (ABOWD, 2000): - Quem. informações de contexto de todas as pessoas envolvidas em uma dada atividade assistida por computador é importante de ser obtida; - O quê. Percebe e interpreta o quê o usuário está fazendo. - Onde. A localização é um elemento bastante utilizado pelos sistemas conscientes de contexto. Em ambientes móveis, o contexto do usuário, tanto sua localização como as pessoas e os objetos que estão ao seu redor são dinâmicos, possibilitando numerosas situações diferentes para o usuário; - Quando. O aspecto temporal do contexto tem sido utilizado para indexar um registro capturado ou para informar por quanto tempo um usuário esteve em um determinado local; - Por quê. Entender o porquê da ação do usuário é mais complexo que perceber o quê ele está fazendo. Esse aspecto é um dos principais desafios da computação consciente do contexto. Possibilidade de uma educação consciênte do contexto.
  • Construtivista – becker Aprendizagem autonoma: significado. Associação com o que sabe para gerar novos conheci,mentos
  • Mesa abciber

    1. 1. Mobilidade, Ubiquidade e Educação Aprendizagem com Mobilidade: possibilidade deensinar e aprender por meio de dispositivos móveis Profa. Dra. Débora Nice Ferrari Barbosa deboranice@feevale.br @deboranice
    2. 2. TICs e interatividade Cibercultura Tecnologias Móveis Mobilidade
    3. 3. Tecnologias Móveis
    4. 4. Tecnologias Móveis• Computação Móvel – usuários, portando dispositivos móveis, terem acesso a serviços e dados, independente de sua localização física, tendo como suporte as tecnologias de rede sem fio e sistemas distribuídos.
    5. 5. Tecnologias Móveis• Redes de comunicação sem fio
    6. 6. Tecnologias MóveisTipos de Sistemas Operacionais http://www.mobilepedia.com.br/noticias (13/08/2012)
    7. 7. Tecnologias Móveis http://www.tecnologiasmoveis.com.br/2012/08/comparacao-entre- os-novos-sistemas.htmlGigantes disputam mercado de sistema para smartphones (20 http://www.youtube.com/watch?v=gocH5DbzhGY
    8. 8. Tecnologias Móveis• Aplicativos – Desenvolvimento – Padrão – Modelo de Negócio Android detém 68% do mercado Mundial
    9. 9. Mobilidade 1.Capacidade de se mover Do ponto de vista da tecnologia: Do ponto de vista da tecnologia: 2.propriedade do que é móvel ou do que --Diferentes dispositivos Diferentes dispositivos obedece às leis do movimento --Diversidade de conexões de rede Diversidade de conexões de rede3.facilidade em mudar ou variar, mutabilidade --Integração e interação entre as Integração e interação entre as 4.facilidade em mudar de expressão diversas tecnologias envolvidas diversas tecnologias envolvidas 5. volubilidade, inconstância (dispositivos, redes, etc.) (dispositivos, redes, etc.) Lemos (2007) fala de mobilidade Lemos (2007) fala de mobilidade informacional e física informacional e física para enquadrar o contexto atual aa para enquadrar o contexto atual partir do uso de dispositivos móveis partir do uso de dispositivos móveis para aaprodução ou o consumo em para produção ou o consumo em Sociedade Móvel Sociedade Móvel mobilidade. mobilidade. (Castells, 2006) (Castells, 2006)
    10. 10. Mobilidade e Educação Computação Móvel Tecnologias da Informação e Comunicação Móveis e Sem Fio - TIMS Aprendizagem com Mobilidade Mobile Learning m-Learning
    11. 11. Mobile LearningFonte: Schlemmer, et al 2011 adaptado de Liu e Hwang (2009)
    12. 12. Aprendizagem com MobilidadeMobile Learning O Que é isso?? O Que é isso??m-Learning (Saccol, Schlemmer e Barbosa, 2011) Conjunto de processos de vir a conhecer através da conversação, que se dá em multiplos contextos e entre as pessoas e tecnologias interativas. A conversação é o processo comunicativo que conduz a aprendizagem. (Sharples, Taylor e Vavoula, 2005)
    13. 13. Mobilidade e Ubiquidade 13
    14. 14. Contexto e Educação• Mobilidade  Computação Consciente• Conectividade do Contexto Universidade departamentos laboratórios Casa Praia 14
    15. 15. Ubiqüidade e Educação• Mobilidade• Conectividade• Contexto Universidade Educação departamentos Ubíqua laboratórios Casa Praia 15
    16. 16. Aprendizagem Ubíqua O Que ééisso?? O Que isso?? Ubiquitous Learning u-Learningum processo que ocorre em qualquer tempo e lugar, de forma contínua,contextualizada e integrada ao cotidiano do aprendiz.A essência da educação ubíqua está em perceber o conhecimento presente no dia-a-dia das mais diferentes formas e em diferentes locais, relacionando esseconhecimento com os processos educacionais direcionados ao aprendizUtilizo o termo “aprendiz” pois entendo o indivíduo como capaz de aprender“sempre” e em “qualquer tempo”, levando em consideração objetivos deaprendizagem a serem atingidos.Considero que o termo “aluno” conduz a idéia da existência de um curso ou deum processo formal que envolve “aluno e professor”. Na Educação Ubíqua, ospapéis se “confundem”. Ensinamos e aprendemos. (Barbosa, Débora N. F., 2005, 2007)
    17. 17. Aprendizagem Ubíqua O Que ééisso?? O Que isso??Ubiquitous Learning u-Learning (Saccol, Schlemmer e Barbosa, 2011)
    18. 18. Mobilidade Mobilidade Ubiquidade Ubiquidade Educação Educação É preciso que as partes se É preciso que as partes sejuntem para formar o todo! juntem para formar o todo!
    19. 19. Ubiquidade e EducaçãoNesse modelo, todo o contexto dinâmico do aprendiz pode servinculado com seus objetivos educacionais. Conforme osobjetivos pedagógicos do aprendiz, o ambiente educacionaldeve suportar questões do tipo: "um conteúdo/pessoa/eventoque se relaciona com seu objetivo está disponível para vocêagora (contexto)". Assim, é fundamental a personalizaçãobaseada no conhecimento do aprendiz, no ambiente que oenvolve, e em como ele se relaciona com o ambiente,adaptando com isto processos e recursos educacionais.•(BARBOSA, 2007) Tese de Doutorado Débora Barbosa - Texto completo na biblioteca online da UFRGS - http://sabi.ufrgs.br/
    20. 20. Ubiquidade e EducaçãoPortanto, esse novo cenário educacional é aberto,dinâmico e adaptável. Os recursos educacionais sãodecididos dinamicamente e, principalmente, não ficammais restritos a planos formais e espaços específicos. Aocontrário, a educação é apoiada em um processo decrescimento, consciente dos elementos de contexto queenvolve o aprendiz e no qual esse tem a oportunidadede decidir sobre suas necessidades, de forma autônoma.
    21. 21. Assim… Ubiquidade e Educação consiste em: Ensinar e aprender em qualquer tempo, em qualquer espaço, usando qualquer dispositivo, de forma adaptada ao perfil e ao contexto do sujeito
    22. 22. Elementos da Educação Ubíqua Quem Quando O aprendizO que  A mobilidade Por Que  O Conteúdo Onde  Consciência do Contexto 22
    23. 23. Ubiquidade e Educação O Modelo Pedagógico• Construtivista – Sujeito autônomo• Aprendizagem Significativa• Aprendizagem independente de processo formal que envolve “aluno e professor” – Aprendiz• Fundamentação para o modelo tecnológico 23
    24. 24. Ubiquidade, Mobilidade Abordagens e Educação O conceito de m-learning e u- O conceito de m-learning e u- learning abrande não só as learning abrande não só as questões técnicas, mas questões técnicas, masDesenvolvimento da tecnologiaDesenvolvimento da tecnologia também questões educacionais também questões educacionais e sociais e sociais Teorias Educacionais -- Teorias Educacionais sustentação para a sustentação para a aprendizagem em mobimento e aprendizagem em mobimento e É necessário pensar sobre aaótica do É necessário pensar sobre ótica do ubiqua ubiqua movimento, do tempo, da mudança movimento, do tempo, da mudança constante, das interações com diversos constante, das interações com diversos Implicações sociais das práticas Implicações sociais das práticas meios e espaços, dos grupos e suas meios e espaços, dos grupos e suas educacionais educacionais formações, da relação sujeito-tecnologia formações, da relação sujeito-tecnologia e sujeito-espaço, da percepção holística e sujeito-espaço, da percepção holística deste sujeito no meio. deste sujeito no meio. Foco nos sujeitos envolvidos no processo de ensino e de aprendizagem
    25. 25. Todos são potenciais pesquisadores, aprendizes e também mediadores pedagógicos, em diferentes contextos de aprendizagem e momentos. (Saccol, Schlemmer e Barbosa, 2011)Compartilhando o conhecimento emdiferentes mídias, em qualquer lugar e a qualquer tempo.
    26. 26. Ubiquidade, Mobilidade e Educação Desafios Do ponto de vista da Tecnologia Do ponto de vista da Tecnologia••Padronizaçãodos sistemas – sistemas “não conversam” Padronização dos sistemas – sistemas “não conversam”••Amigabilidade Amigabilidade••Usabilidade Usabilidade••Acessibilidade Acessibilidade••Bandade internet Banda de internet Do ponto de vista da Educação Do ponto de vista da Educação••Ouso das tecnologias móveis e ubíquas na educação deve ser encarado O uso das tecnologias móveis e ubíquas na educação deve ser encaradocomo uma quebra de paradigma, e não apenas a representação de um como uma quebra de paradigma, e não apenas a representação de ummodelo tradicional, só que agora usando ferramentas que permitem modelo tradicional, só que agora usando ferramentas que permitemmobilidade, localidade e adaptação mobilidade, localidade e adaptação••Metodologiase Práticas Pedagógicas Metodologias e Práticas Pedagógicas••Criatividadee Autonomia Criatividade e Autonomia
    27. 27. Um Modelo de Educação Ubíqua Orientado a Consciência do Contexto do Aprendiz Débora N. F. Barbosa Doutoranda Dr. Cláudio F. R. Geyer Orientador Defesa de Tese de Doutorado – Instituto de Informática, UFRGS Março, 2007 Texto completo na biblioteca online da UFRGS - http://sabi.ufrgs.br/javascript:open_window("http://sabi.ufrgs.br/F/47S1H912XCV8X9V2N2GSEDPN7PHA4XDXFG8TR3AMV8RVIJ4DIS-00083?func=service&doc_library=URS01&doc_number=000594754&line_number=0001&func_code=WEB-FULL&service_type=MEDIA");
    28. 28. BARBOSA, Débora Nice Ferrari ;BARBOSA, Jorge Luis Victória ; GEYER,Cláudio Fernando Resin . GlobalEdu: AnArchitecture to Support Learning in aPervasive Computing Environment.. In:Achim Rettberg;Christophe Bobda.. (Org.).New Trends and Techologies in Computer-Aided Learning for Computer-Aided Design..New Trends and Techologies in Computer-Aided Learning for Computer-Aided Design..New York: Springer, 2005, v. 192, p. 1-10.
    29. 29. Mobile and pervasive computing in acomputer engineering undergraduate course/ 2009 BARBOSA, Jorge Luis Victória; HAHN,Rodrigo; BARBOSA, Débora Nice Ferrari;SEGATO, William. Mobile and pervasivecomputing in a computer engineeringundergraduate course . In: GUY, Retta (Ed.).The evolution of mobile teaching andlearning. California, USA : Informing SciencePress, 2009 p. 119-139. Disponível em :http://books.google.com.br/books?id=Cz5SCEaHNAMC&lpg=PP1&hl=pt-BR&pg=PP1#v=onepage&q&f=false
    30. 30. SACCOL, Amarolinda I. C. Z. ;SCHLEMMER, Eliane ; BARBOSA,Jorge L. V. . m-learning e u-learning:Novas Perspectivas da AprendizagemMóvel e Ubíqua. 1. ed. São Paulo:Pearson Prentice Hall, 2010. v. 1. 162p.
    31. 31. Referências• LIU, Gi-Zen, HWANG, Gwo-Jen. A key step to understanding paradigm shifts in e-learning: Towards context-aware ubiquitous learning.http://proj.ncku.edu.tw/research/articles/e/20090904/4.html• LIBÂNEO, José Carlos. Pedagogia e pedagogos, para que? São Paulo: Cortez, 1999.• Eliane Schlemmer. Mobile Learning. transformando alunos em agentes da própria aprendizagem numa perspectiva interdisciplinar. Palestra para o Educar Educador 2012 - São Paulo – SP . http://prezi.com/zmfizqr3nusr/mobile-learning-transformando-alunos-em- agentes-da-propria-aprendizagem-numa-perspectiva-interdisciplinar/• CASTELLS, Manuel. A Sociedade em rede. 6. ed. rev. e ampl. São Paulo, SP: Paz e Terra, 2002.• CASTELLS, Manuel; ARDÈVOL, Mireia Fernández; QIU, Jack Linchuan; SEY, Araba. Comunicación móvil y sociedad. Barcelona: Ariel e Fundação Telefônica, 2006
    32. 32. Referências• BARBOSA, D. N. F. et al. GlobalEdu - an architecture to support learning in a Pervasive Computing Environment. In: IFIP TC10 Working Conference: EduTech 2005, 2005, Perth. New York : Springer, 2005. p. 1-10• BARBOSA, J. L. V. et al. LOCAL: Um Modelo para Suporte à Aprendizagem Consciente de Contexto. In: XVII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2006, Brasília. SBIE. Porto Alegre : SBC, 2006. p. 437-446.• (BARBOSA, 2007) Tese de Doutorado Débora Barbosa - Texto completo na biblioteca online da UFRGS - http://sabi.ufrgs.br/• Lemos, André; Cunha, Paulo (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Sulina, Porto Alegre 2003; pp. 11-23• LEMOS, A. L. M.. Cibercultura e Mobilidade. A era da conexão. In: Lucia Leão. (Org.). Derivas: cartografias do ciberespaço. São PAulo, 2004, v. , p. 17-44.• Santaella, Lucia. Mídas Locativas: a internet móvel de lugar e coisas. Revista Famecos, n. 35, 2008.
    33. 33. Referências• Lemos, André; Cunha, Paulo (orgs). Olhares sobre a Cibercultura. Sulina, Porto Alegre 2003; pp. 11-23• LEMOS, A. L. M.. Cibercultura e Mobilidade. A era da conexão. In: Lucia Leão. (Org.). Derivas: cartografias do ciberespaço. São PAulo, 2004, v. , p. 17-44.• SANTAELLA, Lúcia. Hibridismo: um conceito em expansão. In: SANTAELLA, Lúcia. A ecologia pluralista da comunicação. São Paulo: Paulus, 2011. (ps 81-94). Disponível em <http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/view/4795/3599>• SANTAELLA, Lúcia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004.• Mülbert, Ana luisa; Pereira, Alice T. C. Um panorama sobre a pesquisa sobre aprendizagem móvel (m-learning). ABCiber 2011. http://simposio2011.abciber.org/anais/Trabalhos/artigos/Eixo%201/7.E1/80.pdf• Sharples, M.; Taylor, J.; Vavoula, G. Towards a theory of mobile learning. In: World Conference on Mlearning, 2005. Cape Town, South Africa. Anais… Disponivel em http://www.mlearn.org.za/papers-full.html

    ×