Calendário Econômico Pine: Um mix de conjuntura

155 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
155
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Calendário Econômico Pine: Um mix de conjuntura

  1. 1. Calendário Econômico Pine: Um mix de conjuntura 22 de Julho de 2013 BRASIL Setor externo - junho O déficit em transações correntes deverá ser menor em junho frente ao mês anterior (próximo a -$4,5bi versus -$6,4bi), pouco maior que o déficit para o mesmo período de 2012. A melhora mensal é explicada especialmente pela ampliação no saldo comercial, positivo em $2,4 bilhões, seu melhor desempenho em 9 meses. Com isso, no acumulado em 12 meses, o nível do déficit como proporção do PIB apresentaria certa estabilização, em -3,2%. O investimento estrangeiro direto (IED) subiria de US$3,9 bi em maio para US$5,0 bi no mês passado, mantendo o IED acumulado em 12 meses próximo a 2,8% do PIB (mesmo patamar há 18 meses); uma operação de compra por um fundo de private equity norte-americano contribui positivamente para o número. Por fim, o investimento estrangeiro em carteira (renda fixa e renda variável), que vem gradativamente sendo ampliado desde meados do ano passado (ver abaixo), deve estabilizar-se em 1,1% do PIB no acumulado em 12 meses. Em junho (até dia 20), nós observamos uma entrada líquida em renda fixa acima da saída líquida em renda variável. O cenário externo seguirá desafiando o modelo de crescimento brasileiro, com consequências diretas sobre o balanço de pagamentos por conta da necessidade crescente de financiamento da conte corrente por meio do fluxo financeiro e de capitais. Por um lado, a desaceleração da economia chinesa sugere recuperações limitadas das exportações de bens (tanto quantum quanto preço) e serviços, o que se traduz na deterioração do saldo comercial via contenção dos preços de nossas exportações. De fato, trabalhamos com um déficit em conta corrente de US$85 bilhões nesse ano. Por outro lado, a perspectiva de redução dos estímulos monetários nos EUA tende a reduzir a atratividade dos nossos ativos vis-à-vis os denominados em dólar. Além da redução do QE3, vale lembrar que estamos mais próximos da elevação dos Fed Funds que, a princípio, ocorreria em meados de 2015. Está longe, é verdade, mas os mercados não esperam fatos para se ajustarem. A perspectiva internacional rumo ao menor estímulo monetário nos EUA e a deterioração das contas externa e fiscal no Brasil levam-nos a projetar o real entre 2,25/US$ e 2,30/US$ em 2013, aproximando-se da cotação 2,40/US$ no ano que vem. Conta corrente x investimentos estrangeiros diretos e em carteira Fonte: BCB; elaboração: PINE Macro & Commodities Research -3.5% -3.0% -2.5% -2.0% -1.5% -1.0% -0.5% 0.0% 2009 2010 2011 2012 2013 acum. 12 meses/PIB TRANSAÇÕES CORRENTES -1.5% -1.0% -0.5% 0.0% 0.5% 1.0% 1.5% 2.0% 2.5% 3.0% 3.5% 4.0% 2009 2010 2011 2012 2013 acum. 12 meses/PIB Investimento estrangeiro direto Investimento estrangeiro em carteira
  2. 2. Pesquisa mensal do emprego - junho No Brasil, a taxa de desemprego de junho deverá ficar em 5,9%, igualando a sua menor taxa (original) para o mês em questão observada no ano passado. Nossa projeção é resultado do crescimento anual tanto da taxa de ocupação da população (PO) quanto do crescimento da população economicamente ativa (PEA), ambas iguais a 0,6% entre maio e junho. Vale perceber que a tendência de elevação do desemprego (em resposta, por exemplo, à continuidade da fraqueza de economia) é contida pelo baixo crescimento da força de trabalho. Se estivermos corretos, a nossa estimativa aponta para a elevação da taxa de desemprego ajustada sazonalmente de 5,4% para 5,6% no curto prazo, ainda próxima de sua mínima histórica e abaixo do nível de pleno emprego (que estimamos em 6,0%), e para 6,0% em 2014. Os números recentes sugerem o enfraquecimento (lento e gradual) da ocupação em setores relevantes: o setor de serviços (24% da população ocupada total) tem mostrado quedas mensais graduais, contabilizadas por taxas de crescimento anuais declinantes há 2 meses (serviços domésticos mais caros, por exemplo, têm influenciado negativamente a taxa de ocupação no setor de serviços como um todo). Ao mesmo tempo, os setores de “Intermediação financeira e atividades imobiliárias, aluguéis e serviços prestados à empresa” (16% da PO total) tiveram sua primeira retração em maio; a construção civil (que responde por 8% da PO total) tem reduzido sistematicamente a ocupação desde a virada do ano; em contraste, o comércio (19%) e a “Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde e serviços sociais” (16%), setores de peso relevante no mercado de trabalho, seguem ampliando a ocupação a taxas saudáveis. Neste segundo semestre, haverá a negociação salarial de setores relevantes. A conjuntura atual implica a incapacidade de o setor real conceder aumentos de salários nominais muito superiores à inflação acumulada em doze meses. O salário real médio tem subido muito acima da produtividade unitária do trabalho, implicando tanto a consequente compressão das margens operacionais quanto a redução do potencial de elevação adicional dos salários reais. Assim, na margem, os efeitos inflacionários do nível de pleno emprego deverão ser mitigados pela forte desaceleração do crescimento da massa real de salários. Operações de Crédito - junho Na sexta-feira, o BC divulgará sua nota à imprensa sobre as operações de crédito em junho. A última divulgação mostrou que, até maio, o estoque total de crédito atingiu R$2.487 bilhões, representando uma alta nominal anual de 16,1%. Ou seja, frente ao ano passado, continuamos a ver uma desaceleração do saldo total. O crédito direcionado, mais uma vez, impediu um maior resfriamento do estoque. De qualquer forma, segundo cálculos do BC, a relação crédito/PIB atingiu 54,7% no mês retrasado, seu maior nível desde o início da nova série histórica. Os bancos públicos seguem ampliando seu market share. O fato explica a redução da taxa de juros média cobrada nas operações de crédito a despeito da elevação dos custos de captação dos bancos. De fato, mesmo com o início do ciclo de alta da Selic e a manutenção da inadimplência em patamares altos, o spread voltou a ceder. No curto prazo, a agressividade dos bancos públicos seguirá limitando o repasse do aumento de custos para as taxas finais. No entanto, considerando de um lado a expectativa de continuidade do ciclo de alta da taxa básica, que implica a elevação da taxa de captação e, de outro, a perspectiva de baixo crescimento da economia, que sugere uma maior fragilidade de empresas e famílias, é pertinente considerar uma ampliação das taxas de aplicações dos bancos e dos spreads ao final do 2S13. Por falar em inadimplência, a taxa referente a recursos livres destinados à PF estabilizou em 7,5% em maio depois de quatro quedas seguidas. Para a pessoa jurídica, a taxa permanece próxima à máxima recente, em 3,7%. Para junho, a retomada das concessões foi mais favorável do que a observada no início do ano, o que beneficia a solvência de empresas e famílias. De fato, em maio, as concessões de crédito livre, depois de desacelerarem nos primeiros meses do ano, voltaram a subir em maio (dados ponderados por dias úteis), com o maior impulso concentrado no segmento da pessoa jurídica.
  3. 3. Em suma, os dados divulgados até agora trouxeram sinais mistos: se, de um lado, o saldo continua desacelerando e a inadimplência parou de cair, de outro, o fluxo melhorou e as taxas/spreads voltaram a recuar. A dependência do crédito direcionado e, de forma análoga, do crédito público para sustentar o crescimento acima de 16% preocupa e sugere uma inconsistência nesses níveis. O ciclo de alta da Selic conjugado com a perspectiva de baixo crescimento da economia implica a ampliação dos spreads e, em um segundo momento, da inadimplência ao final do 2S13. Sendo assim, mantemos nossa expectativa de continuidade do desaquecimento do crédito livre. Saldo de crédito e a agressividade dos bancos públicos Fonte: BCB; elaboração: PINE Macro & Commodities Research Marco Antonio Maciel Economista-chefe Banco Pine Marco Antonio Caruso Economista Banco Pine 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 45% 50% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Participação porcontrole de capital Público Privado nacional Estrangeiro 10 12 14 16 18 20 22 24 26 jan/12 abr/12 jul/12 out/12 jan/13 abr/13 (% a/a) Recursos livres Recursos direcionados Total
  4. 4. Horário País Indicador Data PINE Consenso Anterior Segunda-feira, 22/07/2013 08:00 Brasil Sondagem da Industria (prévia) jul/13 - - - 15:00 Brasil Balança Comercial Semanal (USD) 21/jul - - -619 - Brasil Arrecadação Federal (BRL Bi) jun/13 - 86,7 87,9 - Brasil Indicador de Demanda das Empresas por crédito jun/13 - - - 09:30 EUA Índice de Atividade Nacional (CFNAI) jun/13 - 0,0 -0,3% 11:00 EUA Vendas de Moradias Usadas (MoM) jun/13 - 1,7% 4,2% Terça-feira, 23/07/2013 08:00 Brasil Sondagem do Consumidor jul/13 - - 112,9 08:00 Brasil IPC-S (3ª Quadrissemana) 22/jul - -0,02% 0,07% 10:30 Brasil Nota à Imprensa: Setor Externo (Transações Correntes -USD Bi) jun/13 -4,5 -5,0 -6,4 10:30 Brasil Nota à Imprensa: Setor Externo (IED- USD Bi) jun/13 +5,0 +5,5 3,9 - Brasil Sondagem da Industria da Construção jun/13 - - 46,9 05:30 Espanha Leilão Bills - - - - 05:30 França Leilão Bills - - - - 10:00 EUA Preços Residenciais (MoM %) mai/13 - 0,8% 0,7% 11:00 EUA Sondagem Industrial - Richmond jul/13 - 9 8,0 11:00 Z. Euro Confiança do Consumidor (Preliminar) jul/13 - -18,3 -18,8 22:45 China Sondagem Industrial PMI (Preliminar) jul/13 - 48,5 48,2 Quarta-feira, 24/07/2013 09:00 Brasil Nota à imprensa: Mercado Aberto jun/13 - - - 09:00 Brasil PME : Pesquisa Mensal do Emprego jun/13 5,9% 5,8% 5,8% 12:30 Brasil Fluxo Cambial Semanal - - - -325 - Brasil Divida Pública Federal jun/13 - - - 05:00 Z. Euro Sondagem Industrial PMI (Preliminar) jul/13 - 49,1 48,8 05:00 Z. Euro Sondagem Serviços PMI (Preliminar) jul/13 - 48,7 48,3 05:00 Z. Euro Sondagem Composite PMI (Preliminar) jul/13 - 49,1 48,7 08:00 EUA Pedido de Hipotecas 19/jul - - -2,6% 11:00 EUA Vendas de Novas Moradias (MoM %) jun/13 - 1,9% 2,1% Quinta-feira, 25/07/2013 05:00 Brasil IPC (3ª Quadrissemana) 23/jul - 0,05% 0,01% - Brasil Indice Nacional de Expectativa do Consumidor (INEC) jul/13 - - - - Brasil Reunião do CMN - - - - 05:00 Alemanha Clima de Negócios jul/13 - 106,1 105,9 09:30 EUA Pedidos de auxílio desemprego (mil) 19/jul - 340.000 334.000 09:30 EUA Encom. de Bens Duráveis jun/13 - 1,2% 3,6% 12:00 EUA Sondagem Industrial - Kansas City jul/13 - 2 -5,0 20:30 Japão Preços ao Consumidor (YoY) jun/13 - 0,1% -0,3% Sexta-Feira, 26/07/2013 08:00 Brasil INCC-M jul/13 - 0,64% 1,96% 08:00 Brasil Sondagem da Construção jul/13 - - - 10:30 Brasil Nota à Imprensa: Operações de Crédito (BRL Trilhões) jun/13 - - 2,49 06:00 Itália Leilão Bonds - - - - 10:55 EUA Confiança do Consumidor (Revisão) jul/13 - 84,0 83,9 22:30 China Lucros Corporativos (YoY) jun/13 - - 12,3% Na Semana - Brasil Caged (Emprego Formal) jun/13 94,5 93,5 72,0
  5. 5. Disclaimers Este relatório foi preparado pelo Banco Pine S.A. (“Banco PINE”), instituição financeira validamente existente de acordo com as leis da República Federativa do Brasil. PINE Securities USA LLC (“PINE US”), broker-dealer registrada na U.S. Securities and Exchange Commission e membro da Financial Industry Regulatory Authority and the Securities Investor Protection Corporation, está distribuindo este relatório nos Estados Unidos da América. A PINE US é uma afiliada do Banco PINE. A PINE US assume total responsabilidade por este relatório sob a lei dos Estados Unidos da América. Qualquer norte-americano que receber este relatório e desejar efetuar qualquer transação com valores mobiliários abordado neste relatório deve fazê-lo com PINE no +1-646-398-6900, 645 Madison Avenue, New York, NY 10022. Qualquer referência ao PINE inclui, também, Banco PINE e PINE US, conforme aplicável. Este relatório é para distribuição apenas nas circunstâncias permitidas pela lei aplicável. Este relatório não é dirigido a você se o PINE for proibido ou restringido por qualquer legislação ou regulamentação em qualquer jurisdição. Você deve se certificar antes da leitura que o PINE é permitido para fornecer este material sobre investimentos pra você no âmbito da legislação e regulamentos aplicáveis. Nada neste relatório constitui indicação de que a estratégia de investimento ou recomendações aqui citadas são adequadas ao perfil do destinatário ou apropriadas as circunstâncias individuais do destinatário e tampouco constituem uma recomendação pessoal. Este relatório possui caráter informativo, não constitui material promocional e não foi produzido como uma solicitação de compra ou venda de qualquer ativo ou instrumentos financeiros relacionados em qualquer jurisdição. Os dados que aparecem nos gráficos referem-se ao passado, a rentabilidade obtida no passado, não representando garantia de rentabilidade futura. Os preços e demais informações contidas neste relatório são críveis e dignos de confiança na data de publicação do mesmo e foram obtidas de uma, ou mais, das fontes a seguir descritas: (i) fontes expressas ao lado da informação; (ii) preço de cotação no principal mercado regulado do valor mobiliário em questão; (iii) fontes públicas confiáveis; ou (iv) base de dados do PINE. Todas as informações aqui contidas foram obtidas de fontes públicas, as quais acreditamos serem confiáveis e de boa fé a partir da data em que este relatório foi emitido. Nenhuma garantia ou declaração, tanto expressa quanto implícita, é provida em relação à exatidão, abrangência ou confiabilidade das informações aqui contidas, com exceção das informações referentes ao PINE, suas subsidiárias e afiliadas. Também não tem o intuito de ser uma declaração completa ou um resumo sobre os ativos, mercados ou estratégias abordadas no documento. Em todos os casos, investidores devem conduzir suas próprias investigações e análises antes de proceder ou deixar de proceder qualquer ação relacionada aos valores mobiliários analisados neste relatório. O PINE não praticou atividades de formador de mercado de valores mobiliários da companhia objeto, no momento em que este relatório foi publicado. Ademais, o PINE não se responsabiliza assim como não garante que os investidores irão obter lucros. PINE tampouco irá dividir qualquer ganho de investimentos com os investidores assim como não irá aceitar qualquer passivo causado por perdas. Investimentos envolvem riscos e os investidores devem ter prudência ao tomar suas decisões de investimento. O PINE não tem obrigações fiduciárias com os destinatários deste relatório e, ao divulgá-lo, não apresenta capacidade fiduciária. O presente relatório não deve ser considerado pelos destinatários como um substituto para o exercício do seu próprio julgamento. Opiniões, estimativas e projeções expressas aqui constituem o julgamento atual do analista responsável pelo conteúdo deste relatório na data na qual foi preparada e por isso, está sujeito a mudanças sem aviso e pode diferir ou ser contrário a opiniões expressas por outras áreas de negócios ou grupos do PINE e suas afiliadas ou subsidiárias como resultado do uso de diferentes hipóteses e critérios. Preços e disponibilidade de instrumentos financeiros são apenas indicativos e estão sujeitos a mudanças sem aviso. A análise contida aqui é baseada em diversas hipóteses. Diferentes hipóteses podem ter resultados substancialmente diferentes. Os analistas responsáveis pela preparação deste relatório podem interagir com a mesa de operações, mesa de vendas e outros departamentos, com o intuito de reunir, sintetizar e interpretar informações de mercado. O PINE não está sob a obrigação de atualizar ou manter atualizada a informação contida neste relatório. O PINE confia no uso de barreira de informação para controlar o fluxo de informação contida em uma ou mais áreas dentro do PINE, em outras áreas, unidades, grupos e filiadas do PINE. A remuneração do analista responsável pelo relatório é determinada pela direção do departamento de pesquisa e pelos diretores seniores do PINE. A remuneração do analista não é baseada mas pode ser relacionada às receitas do PINE como um todo, incluindo área de investimentos, vendas e operações. Os ativos de dívida mencionados neste relatório podem não estar disponíveis para venda em todas as jurisdições ou para certas categorias de investidores. Opções, derivativos e futuros não são adequados a todos os investidores e a negociação desses tipos de instrumentos é considerada arriscada. Hipotecas e ativos lastreados em títulos de crédito podem envolver alto grau de risco e podem ser altamente voláteis em resposta às taxas de juros ou outras variáveis de mercado. Performance passada não é indicação de resultado futuro. Se um instrumento financeiro é cotado em uma moeda que não a do investidor, mudanças nas taxas de câmbio podem afetar de forma adversa o valor, o preço ou o retorno proveniente de qualquer ativo mencionado nesse documento e o leitor deve considerar o risco relacionado ao descasamento de moedas. Este relatório não leva em consideração objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades especiais de nenhum investidor em particular. Investidores devem buscar orientação financeira baseada em suas particularidades antes de tomar qualquer decisão de investimento baseadas nas informações aqui contidas. Para recomendações de investimento, execução de ordens de negociação ou outras funções correlacionadas, os clientes devem contatar seus representantes de vendas locais. O PINE, suas empresa afiliadas, subsidiárias, seus funcionários, diretores e agentes não se responsabilizam e não aceitam nenhum passivo oriundo de perda ou prejuízo eventualmente provocado pelo uso de parte ou da integralidade do presente relatório. Qualquer preço apresentado neste relatório possui caráter informativo e não representa avaliação individual do valor de mercado do ativo ou outro instrumento. Não há garantias de que qualquer transação pode ou pôde ter sido efetuada nos preços apresentados neste relatório. Os preços eventualmente apresentados não necessariamente representam os preços contábeis internos ou os preços teóricos provenientes de avaliação por modelos do PINE e podem estar baseados em premissas específicas. Premissas específicas assumidas pelo PINE ou por terceiros podem ter resultados substancialmente diferentes. Este relatório não pode ser reproduzido ou distribuído por qualquer outra pessoa, parcialmente ou em sua totalidade, sem o prévio consentimento por escrito do PINE. Informações adicionais acerca dos instrumentos financeiros mencionados nesta apresentação estão disponíveis sob consulta. O PINE e suas afiliadas têm acordos para gerenciar conflitos de interesses que possam surgir entre eles e seus respectivos clientes e entre seus clientes diversos. O PINE e suas afiliadas estão envolvidas em uma gama completa de serviços financeiros e relacionados, incluindo bancário e a prestação de serviços de investimento. Assim, o PINE ou suas afiliadas podem ter um interesse material ou um conflito de interesse em qualquer dos serviços prestados aos clientes pelo PINE ou suas afiliadas. As áreas de negócio dentro do PINE e entre suas afiliadas operam independentemente uma das outras e restringem o acesso a determinado indivíduo responsável pelo tratamento dos assuntos do cliente a determinadas áreas da informação, onde este é necessário para gerenciar conflitos de interesses ou interesses materiais. Certificação de Analistas Os analistas responsáveis pela elaboração deste relatório de análise são certificados e as opiniões aqui expressadas refletem exclusivamente suas opiniões pessoais, sendo que as opiniões sobre qualquer dos emissores ou valores mobiliários analisados neste relatório foram preparadas de forma autônoma e independente.

×