Slides lesões nos esportes

32.977 visualizações

Publicada em

3 comentários
14 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
32.977
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.574
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.416
Comentários
3
Gostaram
14
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides lesões nos esportes

  1. 1. LESÕES NOS ESPORTES EDUCAÇÃO FÍSICA – II UNID
  2. 2.  Apesar do conceito de esporte está diretamente relacionado a saúde, as lesões esportivas são extremamente frequentes, é muito difícil alguém praticar um esporte durante a vida e não sofrer algum tipo de lesão.
  3. 3.  Todas as pessoas estão sujeitas a episódios de traumatismos osteoarticulares (contusões, luxações, torções, etc), especialmente as que praticam esportes, sejam elas profissionais ou amadoras. Os atletas profissionais estão sujeitos a lesões com muito mais frequência, devido a intensidade do treino. Dependendo da modalidade as lesões são mais comuns em determinadas partes do corpo.
  4. 4.  LESÕES INTRÍNSECAS: Causadas por fatores individuais e biológicos (fatores antropométricos, história do atleta, nível de condicionamento) LESÕES EXTRÍNSECAS: Causadas por fatores externos e do meio ambiente (piso, equipamento esportivo, condições climáticas)
  5. 5.  ENTORSE É o movimento anormal de uma articulação, que vai além da capacidade dos ligamentos daquela região. A entorse pode provocar lesões ligamentares com ou sem luxação(sem que os ossos saiam do lugar)
  6. 6.  LUXAÇÃO É o deslocamento traumático agudo ou permanente das superfícies que compõem uma articulação, perdendo suas relações anatômicas normais. Trata-se de uma lesão grave. O deslocamento é repentino e duradouro, podendo ser parcial ou completo, de um ou mais ossos de uma articulação(o osso fica numa posição anormal).
  7. 7.  DISTENÇÃO OU ESTIRAMENTO Acontece quando as fibras musculares ou os tendões alongam-se além do seu normal, podendo haver um rompimento parcial ou total, decorrente de um esforço extremo. Junto com os feixes são rompidos também capilares sanguíneos, infiltrando sangue no local da lesão. Muito frequente em corredores
  8. 8.  CONTUSÃO Quando existe um trauma em qualquer parte do corpo provocado por uma pancada, um chute ou uma bolada que gera hematoma. É uma lesão traumática aguda, sem corte, resultante de um trauma direto de tecidos moles provocando dor e edema com equimose.
  9. 9.  FRATURA A perda da continuidade do tecido ósseo. Pode ser com ou sem desvio. Atletas podem ter fraturas por estresse(excesso de atividade). As mais frequentes são as fraturas da tíbia.
  10. 10.  CÃIMBRA É a contratura involuntária do músculo. Pode ocorrer por diversas causas: acúmulo de ácido lático, alteração no metabolismo de alguns elementos como: minerais, potássio, cálcio, entre outros. O músculo entra em espasmo e se contrai sem controle voluntário do organismo.
  11. 11.  TENDINITE É a inflamação do tendão ou feixe fibroso que fica na extremidade dos músculos, devido a repetição excessiva de movimentos, que inflama quando se torna repetitivo e crônico.
  12. 12.  As lesões mais tratadas são decorrentes do futebol. Mais comuns: Lesões no tornozelo (torção) Lesões dos joelhos (rompimento de legamento) Lesões nos isquiotibiais (nas corridas e movimentos bruscos)
  13. 13.  CAUSAS DETERMINANTES PARA LESÕES Maior preparação física dos atletas Pressão da torcida Excesso de jogos
  14. 14.  PREVENÇÃO E TRATAMENTO Atividade adequada de toda musculatura dos membros inferiores, seguida de exercícios de alongamento. Sintomas: fisgada no músculo, seguida por dor e comprometimento da função muscular a ponto de interromper o treino ou competição. Aplicar gelo em ciclos de 20 min. com compressão no local e permanecer em repouso. Uso de anti-inflamatórios e analgésicos.
  15. 15.  Após 48 horas, são introduzidas medidas fisioterápicas, para regeneração dos tecidos. Na terceira semana exercícios para ganhos de força e amplitude de movimento das articulações envolvidas. O objetivo do tratamento deve ser o retorno ao esporte em cinco semanas. Caso persista a dor, deve ser feita uma reavaliação pelo médico.

×