SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Capacidades motoras: condicionais e
coordenativas

Joana Martins 10ºH Nº12

1
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Índice
Capacidades motoras: condicionais e coordenativas……………………………………...1
Índice……………………………………………………….……………………………………2
Introdução.…………………………………………….………………………………………...3
O que são as capacidades motoras?…………………………………………………………4
Resistência (continuação) …………………………..…………………………………………5
Força……………………………………………………………………………………………...6
Força rápida ou veloz (continuação.……………………………………………………….....7
Flexibilidade……………………………………………………………………………………..8
Velocidade………………………………………………………………………………………9
Capacidades coordenativas……………...…………………………………………………..10
Capacidades (continuação) ………………………………………………………………….11
Benefícios do desenvolvimento das capacidades motoras no dia-a-dia do Homem…..12
Conclusão/ Bibliografia………………………………………………………………………..13

Joana Martins 10ºH Nº12

2
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Introdução:

Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de educação física e pretendo com ele explicar as
capacidades motoras (condicionais e coordenativas) e perceber a sua importância, como exercitá-las
bem como a sua importância no nosso dia-a-dia.
Neste trabalho vou explicar o que são as capacidades motoras bem como a sua identificação,
classificação, benefícios do desenvolvimento e os fatores de desenvolvimento.

Capacidades
motoras
condicionais

Capacidades
motoras

Joana Martins 10ºH Nº12

Resistência
Força
Flexibilidade
Velocidade

Condicionais
Dividem-se em 2

Coordenativas

3
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

O que são as capacidades motoras?
As capacidades motoras são pressupostas pelos movimentos que permitem as
qualidades inatas de uma pessoa, como um talento, um potencial se possam evidenciar.
Exemplos dessas capacidades são a força, resistência, flexibilidade, e a velocidade.

As capacidades motoras podem ser:
Condicionais- São as capacidades determinadas pelos processos energéticos metabólicos
(obtenção e transformação da energia), por isso são capacidades condicionadas pela
energia disponível nos músculos e pelos mecanismos que lhe regulam a distribuição, sendo
assim divididas em:

1 - Resistência: é a capacidade de suportar e
recuperar a fadiga psíquica e principalmente da
física. Podem ser:
Geral – quando é solicitado mais de 1/6 da
massa muscular e é limitada pelo sistema cárdeo
respiratório.
Local – quando é solicitado menos de 1/6
da massa muscular total e é determinada ela
resistência geral pela força e capacidade
anaeróbica.

A resistência manifesta-se das
seguintes maneiras:

Joana Martins 10ºH Nº12

4
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Segundo a especificidade da modalidade desportiva:
Resistência de base – é a capacidade de executar durante um longo período, uma carga
correlacionada com o rendimento específico da competição, e que exige a utilização de
muitos grupos musculares.
Resistência específica – é a capacidade que permite ao desportista manter um elevado
nível de rendimento durante a competição na modalidade em causa.
Segundo as forças de mobilização bioenergética:
Resistência aeróbia – pressupõe um equilíbrio entre o oxigénio que está a ser necessário
para o trabalho muscular e o que está a ser transportado na circulação até ao tecido muscular.
Resistência anaeróbica – devido à grande intensidade da carga, o metabolismo energético
processa-se em dívida de oxigénio. Assim, a energia, é também mobilizada por via anoxidativa
(resistência anaeróbia aláctica e láctica).

Segundo a duração do esforço:
Resistência de curta duração – é aquela em que as cargas máximas se situam entre os 45
segundos e os dois minutos. E a energia necessária é obtida essencialmente através do
metabolismo anaeróbio.
Resistência de média duração – atividade ou modalidade que exigem esforços entre os 2 e
os 8 minutos. A energia é obtida através do metabolismo misto aeróbio/anaeróbio.
Resistência de longa duração – atividades, modalidades ou disciplinas, em que a duração do
esforço é superior a 8 minutos, sendo a energia obtida essencialmente através do metabolismo
aeróbio.

Joana Martins 10ºH Nº12

5
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

2 - Força: é a capacidade que permite reagir contra uma resistência através da
contração muscular. Assim facilita, entre outros esforços: saltar, empurrar, levantar,
puxar. O desenvolvimento da força pode ser:
Geral – quando visamos o desenvolvimento de todos os grupos musculares.
Específicas – quando visamos o desenvolvimento de um ou vários grupos
musculares característicos dos gestos de cada modalidade, a capacidade de
executar movimentos cítricos.

Força máxima – é a força mais elevada que um indivíduo consegue desenvolver
com uma contração voluntária máxima e podem ser:
Estática – quando a contração é executada contra uma resistência fixa que
não pode ser superada.
Dinâmica – quando a contração é executada contra uma resistência fixa que
pode ser superada.

Joana Martins 10ºH Nº12

6
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Força rápida ou veloz – é a força mais rápida que pode ser desenvolvida
voluntariamente e na unidade de tempo, para a execução de um movimento pré
determinado.
Inicial – capacidade de um músculo expressar rapidamente a força no
momento inicial da tensão criada.
Explosiva – capacidade de obter valores elevados de força em tempo muito
curto.
De resistência - capacidade de manter ou repetir a tensão muscular estática e
dinâmica, respetivamente durante um longo período de tempo.

Joana Martins 10ºH Nº12

7
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

3 – Flexibilidade: é a capacidade que o atleta tem para executar ao longo de toda
a amplitude ao articular movimentos de grande amplitude por si mesmo ou por
influência auxiliar das forças externas.
Geral – consiste na amplitude moral de oscilações de articulações
especialmente nas principais articulações, como por exemplo nos ombros, nas
ancas e na coluna vertebral.
Específica – consiste na amplitude necessária para a realização de
movimentos específicos de cada modalidade. Assim, a flexibilidade é a capacidade
motora de aproveitar as possibilidades de movimentar e articular o seu corpo o
mais amplo possível.
Existem vários tipos de flexibilidade, como por exemplo:
- Flexibilidade Geral
- Flexibilidade Especifica
- Flexibilidade Ativa
- Flexibilidade Passiva
- Flexibilidade Estática
- Flexibilidade Dinâmica

Joana Martins 10ºH Nº12

8
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

4 – Velocidade: é a capacidade de executar movimentos de dentro para fora no mais
curto espaço de tempo. É a capacidade de executar ações motoras no mínimo de
tempo, com intensidade máxima e com duração não superior a 6/8 segundos.
Velocidade pode ser então introduzida como a capacidade de realizar um movimento
em menor tempo possível.
Velocidade de reação – é a capacidade de reagir tão rápido quanto possível a um
estímulo ou a um sinal.
Velocidade máxima cíclica/velocidade de deslocamento – é a capacidade de
executar ações motoras com a maior rapidez possível na unidade de tempo.
Velocidade máxima acíclica/velocidade de execução – é a capacidade de
executar uma ação motora (gesto unitário) com a máxima rapidez de contração
muscular.

Joana Martins 10ºH Nº12

9
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Coordenativas – São capacidades determinadas pelos processos de
organização, controlo e regulação do movimento. Estas são
condicionadas pela capacidade de elaboração das informações por arte
dos analisadores implicados na formação e realização de um
movimento.
As capacidades coordenativas estão dividas em:

Capacidade de observação – é a capacidade de perceber o desenvolvimento de um
movimento, dos colegas de equipa, dos adversários ou dos objetos móveis, tendo como
referência os objetos imóveis. Também pode ser a observação de uma corrida ou do
adversário nos desportos de combate.
Capacidade de controlo motor - é a capacidade de poder responder a exigência de
elevada precisão nos movimentos, do ponto de vista temporal, espacial e dinâmico.
Capacidade de reação motora - é a capacidade de poder reagir o mais rápido e
corretamente possível a um determinado estímulo.
Capacidade de antecipação - é a capacidade de prever o desenvolvimento e o resultado
e o resultado de uma determinada ação que se está a desenrolar, para que assim o
desportista possa preparar a sua própria ação.
Capacidade de ritmo - é a capacidade de compreensão, acumulação e interpretação de
estruturas temporais e dinâmicas pretendidas ou contidas na evolução do movimento.

Capacidade de reação motora
Capacidade de ritmo

Joana Martins 10ºH Nº12

10
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Capacidade de expressão motora – é a capacidade de criar os próprios movimentos de
uma forma estética e artística.
Capacidade de representação – é a capacidade de representar mentalmente situações
bem determinadas de acordo com as informações disponíveis.
Capacidade de diferenciação cinestética – é a capacidade de diferenciar as
informações provenientes dos músculos, tendões e ligamentos, que nos informam sobre a
posição do nosso corpo num determinado momento e espaço e que nos permite realizar
ações motoras de uma forma correta e económica, conseguindo assim a coordenação dos
movimentos.
Capacidade de coordenação motora – é a capacidade de adequar de forma correta uma
combinação de ações que se desenrolam de uma forma sequencial ou ao mesmo tempo.
Capacidade de equilíbrio – é a capacidade de manter o corpo numa relação normal quanto
ao solo, desenvolvendo reflexos para adaptar o corpo ao movimento.
Capacidade de orientação espacial – é a capacidade de reagir a um estímulo externo em
termos de deslocação ou de estabilização da postura.

Capacidade de expressão motora

Capacidade de equilíbrio

Joana Martins 10ºH Nº12

11
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Benefícios do desenvolvimento das capacidades motoras no dia-a-dia
do Homem
Os benefícios são:
Redução do risco de doenças cardiovasculares;
Redução de diabetes e hipertensão;
Redução de alguns tipos de cancro;
Melhoria da capacidade funcional;
Melhoria da postura;
Melhoria da aptidão para as atividades físicas diárias;
Capacidade para lidar com as situações de stress;
Aumento da esperança média de vida;
Prevenção da osteoporose;
Melhoria do humor, redução dos sintomas de depressão e ansiedade;
Manutenção do peso ideal, prevenindo a obesidade;
Sono mais repousante;
Retardo do processo de envelhecimento;
Facilita o metabolismo de açúcares e gorduras;
Menor queixa de dores de coluna;
O desenvolvimento das capacidades motoras no dia-a-dia do homem
conferem num melhor bem-estar, menor cansaço, mais energia sendo que o
desenvolvimento das mesmas melhora o dia-a-dia do homem e já da para
prevenir algumas patologias associadas a falta de exercício, sendo que o
homem está numa constante melhoria das mesmas por exemplo quando
corremos para apanhar o autocarro estamos a melhorar a velocidade e a
resistência, e isso é uma coisa que acontece espontaneamente no nosso diaa-dia e que sem notarmos estamos a melhorar a nossa condição física.

Joana Martins 10ºH Nº12

12
Escola Secundária de Rio Tinto
Educação Física

8/12/2012

Conclusão:
Após este trabalho posso concluir que fiquei a saber a importância das capacidades
motoras na nossa vida, ou seja, a importância do desenvolvimento das capacidades
motoras tais como a sua importância e a sua função.
Aprendi quais são as capacidades motoras, as suas funções, como se pode melhorar
cada uma das capacidades.
Com este trabalho aprendi muito, pois fiquei a saber coisas muito úteis para o meu dia-adia que me vão dar mais interesse e energia para fazer e continuar a fazer exercício
físico.

Bibliografia:
http://pt.scribd.com/doc/31154125/Capacidades-Motoras ;
http://pt.wikipedia.org/wiki/Capacidade_motora ;
http://www.notapositiva.com/pt/trbestprof/apoiopsicossocial/10_actividades_fisicas_saude
_d.htm ;
https://www.google.pt/search?num=10&hl=ptPT&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1280&bih=662&q=capacidades+coordenativa
s&oq=capacidades+coor&gs_l=img.3.1.0l3j0i24l7.900.2918.0.6601.16.16.0.0.0.0.238.164
7.10j5j1.16.0...0.0...1ac.1.44NSmfMFdjY#hl=ptPT&tbo=d&site=imghp&tbm=isch&sa=1&q=capacidade+de+express%C3%A3o+motora&o
q=capacidade+de+express%C3%A3o+motora&gs_l=img.3...16577.19158.2.19167.16.12.
0.3.3.1.472.1485.6j2j1j0j1.10.0...0.0...1c.1.1hl4OT_IH8&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.&fp=efd0fc05c02cc03&bpcl=39650382
&biw=1280&bih=699 ;
https://www.google.pt/search?num=10&hl=ptPT&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1280&bih=662&q=capacidades+coordenativa
s&oq=capacidades+coor&gs_l=img.3.1.0l3j0i24l7.900.2918.0.6601.16.16.0.0.0.0.238.164
7.10j5j1.16.0...0.0...1ac.1.44NSmfMFdjY#hl=ptPT&tbo=d&site=imghp&tbm=isch&sa=1&q=capacidades+motoras+&oq=capacidades+mot
oras+&gs_l=img.3..0l6j0i24l4.17561.19748.0.19944.10.5.0.5.5.0.204.549.4j0j1.5.0...0.0...1
c.1.ZkPL06zamU&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.&fp=efd0fc05c02cc03&bpcl=39650382&biw=
796&bih=325 ;

Joana Martins 10ºH Nº12

13

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ginástica de Solo
Ginástica de SoloGinástica de Solo
Ginástica de SoloTony Abreu
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão físicasirgmoraes
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaVanda Sousa
 
Violência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito DesportivoViolência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito Desportivo713773
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesvermar2010
 
Um mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadosoUm mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadosoHelena Coutinho
 
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeDiogo Silva
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesPaula Oliveira Cruz
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicasJoana Lima
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesAntónio Fernandes
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumocolegiomb
 
Sílabas Métricas
Sílabas MétricasSílabas Métricas
Sílabas Métricas713773
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoAlexandra Canané
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaDina Baptista
 

Mais procurados (20)

Ginástica de Solo
Ginástica de SoloGinástica de Solo
Ginástica de Solo
 
Aptidão física
Aptidão físicaAptidão física
Aptidão física
 
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação CríticaEstrutura do Texto de Apreciação Crítica
Estrutura do Texto de Apreciação Crítica
 
Violência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito DesportivoViolência VS. Espírito Desportivo
Violência VS. Espírito Desportivo
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
Ficha de gramática12º
Ficha de gramática12ºFicha de gramática12º
Ficha de gramática12º
 
Frei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, sínteseFrei Luís de Sousa, síntese
Frei Luís de Sousa, síntese
 
Um mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadosoUm mover de olhos brando e piadoso
Um mover de olhos brando e piadoso
 
Amor de perdição
Amor de perdiçãoAmor de perdição
Amor de perdição
 
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúdeA Dopagem e os riscos de vida e saúde
A Dopagem e os riscos de vida e saúde
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Sermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos PeixesSermão de Santo António aos Peixes
Sermão de Santo António aos Peixes
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicas
 
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos PeixesEstrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
Estrutura do Sermão de Santo António aos Peixes
 
Sermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - ResumoSermão de Santo António - Resumo
Sermão de Santo António - Resumo
 
Sílabas Métricas
Sílabas MétricasSílabas Métricas
Sílabas Métricas
 
Texto de opinião
Texto de opiniãoTexto de opinião
Texto de opinião
 
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/PoéticoFernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
Fernando Pessoa - Fingimento Artístico/Poético
 
Valor aspetual
Valor aspetualValor aspetual
Valor aspetual
 
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do PoetaOs Lusíadas - Reflexões do Poeta
Os Lusíadas - Reflexões do Poeta
 

Destaque

As Capacidades Motoras Condicionais e Coordenativas
As Capacidades Motoras Condicionais e CoordenativasAs Capacidades Motoras Condicionais e Coordenativas
As Capacidades Motoras Condicionais e CoordenativasAna Carvalho
 
Capacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºanoCapacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºanoMaria Rebelo
 
Treinamento de velocidade, flexibilidade e coordenação
Treinamento de velocidade, flexibilidade e coordenaçãoTreinamento de velocidade, flexibilidade e coordenação
Treinamento de velocidade, flexibilidade e coordenaçãowashington carlos vieira
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicasMilena Silva
 
Capacidades físicas básicas
Capacidades físicas básicasCapacidades físicas básicas
Capacidades físicas básicasJose A. Flores
 
Capacidades fisicas-basicas
Capacidades fisicas-basicasCapacidades fisicas-basicas
Capacidades fisicas-basicasberna tita
 
PowerPoint sobre Conjunções coordenativas
PowerPoint sobre Conjunções coordenativasPowerPoint sobre Conjunções coordenativas
PowerPoint sobre Conjunções coordenativasHizqeelMajoka
 

Destaque (10)

As Capacidades Motoras Condicionais e Coordenativas
As Capacidades Motoras Condicionais e CoordenativasAs Capacidades Motoras Condicionais e Coordenativas
As Capacidades Motoras Condicionais e Coordenativas
 
Capacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºanoCapacidades motoras - Educação Física 11ºano
Capacidades motoras - Educação Física 11ºano
 
Treinamento de velocidade, flexibilidade e coordenação
Treinamento de velocidade, flexibilidade e coordenaçãoTreinamento de velocidade, flexibilidade e coordenação
Treinamento de velocidade, flexibilidade e coordenação
 
Capacidades físicas
Capacidades físicasCapacidades físicas
Capacidades físicas
 
Capacidades físicas básicas
Capacidades físicas básicasCapacidades físicas básicas
Capacidades físicas básicas
 
Capacidades fisicas-basicas
Capacidades fisicas-basicasCapacidades fisicas-basicas
Capacidades fisicas-basicas
 
PowerPoint sobre Conjunções coordenativas
PowerPoint sobre Conjunções coordenativasPowerPoint sobre Conjunções coordenativas
PowerPoint sobre Conjunções coordenativas
 
Tipos de força
Tipos de forçaTipos de força
Tipos de força
 
Educaçaõ Física
Educaçaõ FísicaEducaçaõ Física
Educaçaõ Física
 
Capacidades FíSicas
Capacidades FíSicasCapacidades FíSicas
Capacidades FíSicas
 

Semelhante a Capacidades motoras: condicionais e coordenativas

Flexibilidade
Flexibilidade Flexibilidade
Flexibilidade kyzinha
 
Qualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensQualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensEd_Fis_2015
 
Apostila ed.fisica 4 etapa
Apostila ed.fisica 4 etapaApostila ed.fisica 4 etapa
Apostila ed.fisica 4 etapaEdson Zacqueu
 
Qualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaQualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaFilipe Matos
 
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptxTrabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptxIrene Semanas
 
Apoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºanoApoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºano09anasantos
 
Apoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºanoApoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºano09anasantos
 
Qualidades físicas básicas
Qualidades físicas básicasQualidades físicas básicas
Qualidades físicas básicasLuciane Veras
 
Fisica forças motoras
Fisica forças motorasFisica forças motoras
Fisica forças motorasruben faria
 
19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdf
19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdf19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdf
19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdfBeatrizFerreira298135
 
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motorasIrene Semanas
 
edf fisica-powerpoint.pdf
edf fisica-powerpoint.pdfedf fisica-powerpoint.pdf
edf fisica-powerpoint.pdfrute397096
 
Trabalho.ginastica.local
Trabalho.ginastica.localTrabalho.ginastica.local
Trabalho.ginastica.localGaby Gutierres
 

Semelhante a Capacidades motoras: condicionais e coordenativas (20)

Andre cardoso j
Andre cardoso jAndre cardoso j
Andre cardoso j
 
Flexibilidade
Flexibilidade Flexibilidade
Flexibilidade
 
Qualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensQualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubens
 
Qualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubensQualidades físicas rubens
Qualidades físicas rubens
 
Apostila ed.fisica 4 etapa
Apostila ed.fisica 4 etapaApostila ed.fisica 4 etapa
Apostila ed.fisica 4 etapa
 
DifsInds2022.ppt
DifsInds2022.pptDifsInds2022.ppt
DifsInds2022.ppt
 
Qualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - ForçaQualidades Físicas - Força
Qualidades Físicas - Força
 
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptxTrabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
Trabalho_Educacao_Fisica_JC_MM_MB_MS (4).pptx
 
Apoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºanoApoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºano
 
Apoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºanoApoio teorico11ºano
Apoio teorico11ºano
 
RESUMO
RESUMORESUMO
RESUMO
 
Qualidades físicas básicas
Qualidades físicas básicasQualidades físicas básicas
Qualidades físicas básicas
 
Fisica forças motoras
Fisica forças motorasFisica forças motoras
Fisica forças motoras
 
19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdf
19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdf19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdf
19_20_ma_7_ef_21_Desenvolvimento das capacidades motoras.pdf
 
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
19 20 ma_7_ef_21_desenvolvimento das capacidades motoras
 
edf fisica-powerpoint.pdf
edf fisica-powerpoint.pdfedf fisica-powerpoint.pdf
edf fisica-powerpoint.pdf
 
Capacidades fisicas
Capacidades fisicasCapacidades fisicas
Capacidades fisicas
 
Capacidades fisicas
Capacidades fisicasCapacidades fisicas
Capacidades fisicas
 
FISIOLOGIA DO ESFORÇO
FISIOLOGIA DO ESFORÇOFISIOLOGIA DO ESFORÇO
FISIOLOGIA DO ESFORÇO
 
Trabalho.ginastica.local
Trabalho.ginastica.localTrabalho.ginastica.local
Trabalho.ginastica.local
 

Mais de JoanaMartins7

Resposta Social - ATL
Resposta Social - ATLResposta Social - ATL
Resposta Social - ATLJoanaMartins7
 
Bullying em "Pessoas Diferentes"
Bullying em "Pessoas Diferentes"Bullying em "Pessoas Diferentes"
Bullying em "Pessoas Diferentes"JoanaMartins7
 
Exclusão Social e Minorias Étnicas
Exclusão Social e Minorias ÉtnicasExclusão Social e Minorias Étnicas
Exclusão Social e Minorias ÉtnicasJoanaMartins7
 
Cultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço Europeu
Cultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço EuropeuCultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço Europeu
Cultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço EuropeuJoanaMartins7
 
Bullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, BulicídioBullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, BulicídioJoanaMartins7
 
Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico  Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico JoanaMartins7
 

Mais de JoanaMartins7 (8)

Resposta Social - ATL
Resposta Social - ATLResposta Social - ATL
Resposta Social - ATL
 
VIH
VIHVIH
VIH
 
Bullying em "Pessoas Diferentes"
Bullying em "Pessoas Diferentes"Bullying em "Pessoas Diferentes"
Bullying em "Pessoas Diferentes"
 
Exclusão Social e Minorias Étnicas
Exclusão Social e Minorias ÉtnicasExclusão Social e Minorias Étnicas
Exclusão Social e Minorias Étnicas
 
Políticas Sociais
Políticas SociaisPolíticas Sociais
Políticas Sociais
 
Cultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço Europeu
Cultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço EuropeuCultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço Europeu
Cultura Oriental vs Cultura Ocidental / Integração no Espaço Europeu
 
Bullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, BulicídioBullying, Cyberbulying, Bulicídio
Bullying, Cyberbulying, Bulicídio
 
Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico  Adaptações Físicas e Exercício físico
Adaptações Físicas e Exercício físico
 

Último

Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdClivyFache
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfClivyFache
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxWenderSantos21
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxcontatofelipearaujos
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERCarlaDaniela33
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOMayaraDayube
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 

Último (10)

Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjdMedicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
Medicina Legal.pdf jajahhjsjdjskdhdkdjdjdjd
 
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdfManual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
Manual_Gestao e Administracao_III__Julho13_FINAL..pdf
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptxCONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR 011.pptx
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptxENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
ENFERMAGEM - MÃ_DULO IV - ENFERMAGEM EM PACIENTES CRITICOS.pptx
 
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASERTERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE - ENDOLASER
 
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃOeMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
eMulti_Estratégia APRRESENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 

Capacidades motoras: condicionais e coordenativas

  • 1. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Capacidades motoras: condicionais e coordenativas Joana Martins 10ºH Nº12 1
  • 2. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Índice Capacidades motoras: condicionais e coordenativas……………………………………...1 Índice……………………………………………………….……………………………………2 Introdução.…………………………………………….………………………………………...3 O que são as capacidades motoras?…………………………………………………………4 Resistência (continuação) …………………………..…………………………………………5 Força……………………………………………………………………………………………...6 Força rápida ou veloz (continuação.……………………………………………………….....7 Flexibilidade……………………………………………………………………………………..8 Velocidade………………………………………………………………………………………9 Capacidades coordenativas……………...…………………………………………………..10 Capacidades (continuação) ………………………………………………………………….11 Benefícios do desenvolvimento das capacidades motoras no dia-a-dia do Homem…..12 Conclusão/ Bibliografia………………………………………………………………………..13 Joana Martins 10ºH Nº12 2
  • 3. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Introdução: Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de educação física e pretendo com ele explicar as capacidades motoras (condicionais e coordenativas) e perceber a sua importância, como exercitá-las bem como a sua importância no nosso dia-a-dia. Neste trabalho vou explicar o que são as capacidades motoras bem como a sua identificação, classificação, benefícios do desenvolvimento e os fatores de desenvolvimento. Capacidades motoras condicionais Capacidades motoras Joana Martins 10ºH Nº12 Resistência Força Flexibilidade Velocidade Condicionais Dividem-se em 2 Coordenativas 3
  • 4. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 O que são as capacidades motoras? As capacidades motoras são pressupostas pelos movimentos que permitem as qualidades inatas de uma pessoa, como um talento, um potencial se possam evidenciar. Exemplos dessas capacidades são a força, resistência, flexibilidade, e a velocidade. As capacidades motoras podem ser: Condicionais- São as capacidades determinadas pelos processos energéticos metabólicos (obtenção e transformação da energia), por isso são capacidades condicionadas pela energia disponível nos músculos e pelos mecanismos que lhe regulam a distribuição, sendo assim divididas em: 1 - Resistência: é a capacidade de suportar e recuperar a fadiga psíquica e principalmente da física. Podem ser: Geral – quando é solicitado mais de 1/6 da massa muscular e é limitada pelo sistema cárdeo respiratório. Local – quando é solicitado menos de 1/6 da massa muscular total e é determinada ela resistência geral pela força e capacidade anaeróbica. A resistência manifesta-se das seguintes maneiras: Joana Martins 10ºH Nº12 4
  • 5. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Segundo a especificidade da modalidade desportiva: Resistência de base – é a capacidade de executar durante um longo período, uma carga correlacionada com o rendimento específico da competição, e que exige a utilização de muitos grupos musculares. Resistência específica – é a capacidade que permite ao desportista manter um elevado nível de rendimento durante a competição na modalidade em causa. Segundo as forças de mobilização bioenergética: Resistência aeróbia – pressupõe um equilíbrio entre o oxigénio que está a ser necessário para o trabalho muscular e o que está a ser transportado na circulação até ao tecido muscular. Resistência anaeróbica – devido à grande intensidade da carga, o metabolismo energético processa-se em dívida de oxigénio. Assim, a energia, é também mobilizada por via anoxidativa (resistência anaeróbia aláctica e láctica). Segundo a duração do esforço: Resistência de curta duração – é aquela em que as cargas máximas se situam entre os 45 segundos e os dois minutos. E a energia necessária é obtida essencialmente através do metabolismo anaeróbio. Resistência de média duração – atividade ou modalidade que exigem esforços entre os 2 e os 8 minutos. A energia é obtida através do metabolismo misto aeróbio/anaeróbio. Resistência de longa duração – atividades, modalidades ou disciplinas, em que a duração do esforço é superior a 8 minutos, sendo a energia obtida essencialmente através do metabolismo aeróbio. Joana Martins 10ºH Nº12 5
  • 6. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 2 - Força: é a capacidade que permite reagir contra uma resistência através da contração muscular. Assim facilita, entre outros esforços: saltar, empurrar, levantar, puxar. O desenvolvimento da força pode ser: Geral – quando visamos o desenvolvimento de todos os grupos musculares. Específicas – quando visamos o desenvolvimento de um ou vários grupos musculares característicos dos gestos de cada modalidade, a capacidade de executar movimentos cítricos. Força máxima – é a força mais elevada que um indivíduo consegue desenvolver com uma contração voluntária máxima e podem ser: Estática – quando a contração é executada contra uma resistência fixa que não pode ser superada. Dinâmica – quando a contração é executada contra uma resistência fixa que pode ser superada. Joana Martins 10ºH Nº12 6
  • 7. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Força rápida ou veloz – é a força mais rápida que pode ser desenvolvida voluntariamente e na unidade de tempo, para a execução de um movimento pré determinado. Inicial – capacidade de um músculo expressar rapidamente a força no momento inicial da tensão criada. Explosiva – capacidade de obter valores elevados de força em tempo muito curto. De resistência - capacidade de manter ou repetir a tensão muscular estática e dinâmica, respetivamente durante um longo período de tempo. Joana Martins 10ºH Nº12 7
  • 8. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 3 – Flexibilidade: é a capacidade que o atleta tem para executar ao longo de toda a amplitude ao articular movimentos de grande amplitude por si mesmo ou por influência auxiliar das forças externas. Geral – consiste na amplitude moral de oscilações de articulações especialmente nas principais articulações, como por exemplo nos ombros, nas ancas e na coluna vertebral. Específica – consiste na amplitude necessária para a realização de movimentos específicos de cada modalidade. Assim, a flexibilidade é a capacidade motora de aproveitar as possibilidades de movimentar e articular o seu corpo o mais amplo possível. Existem vários tipos de flexibilidade, como por exemplo: - Flexibilidade Geral - Flexibilidade Especifica - Flexibilidade Ativa - Flexibilidade Passiva - Flexibilidade Estática - Flexibilidade Dinâmica Joana Martins 10ºH Nº12 8
  • 9. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 4 – Velocidade: é a capacidade de executar movimentos de dentro para fora no mais curto espaço de tempo. É a capacidade de executar ações motoras no mínimo de tempo, com intensidade máxima e com duração não superior a 6/8 segundos. Velocidade pode ser então introduzida como a capacidade de realizar um movimento em menor tempo possível. Velocidade de reação – é a capacidade de reagir tão rápido quanto possível a um estímulo ou a um sinal. Velocidade máxima cíclica/velocidade de deslocamento – é a capacidade de executar ações motoras com a maior rapidez possível na unidade de tempo. Velocidade máxima acíclica/velocidade de execução – é a capacidade de executar uma ação motora (gesto unitário) com a máxima rapidez de contração muscular. Joana Martins 10ºH Nº12 9
  • 10. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Coordenativas – São capacidades determinadas pelos processos de organização, controlo e regulação do movimento. Estas são condicionadas pela capacidade de elaboração das informações por arte dos analisadores implicados na formação e realização de um movimento. As capacidades coordenativas estão dividas em: Capacidade de observação – é a capacidade de perceber o desenvolvimento de um movimento, dos colegas de equipa, dos adversários ou dos objetos móveis, tendo como referência os objetos imóveis. Também pode ser a observação de uma corrida ou do adversário nos desportos de combate. Capacidade de controlo motor - é a capacidade de poder responder a exigência de elevada precisão nos movimentos, do ponto de vista temporal, espacial e dinâmico. Capacidade de reação motora - é a capacidade de poder reagir o mais rápido e corretamente possível a um determinado estímulo. Capacidade de antecipação - é a capacidade de prever o desenvolvimento e o resultado e o resultado de uma determinada ação que se está a desenrolar, para que assim o desportista possa preparar a sua própria ação. Capacidade de ritmo - é a capacidade de compreensão, acumulação e interpretação de estruturas temporais e dinâmicas pretendidas ou contidas na evolução do movimento. Capacidade de reação motora Capacidade de ritmo Joana Martins 10ºH Nº12 10
  • 11. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Capacidade de expressão motora – é a capacidade de criar os próprios movimentos de uma forma estética e artística. Capacidade de representação – é a capacidade de representar mentalmente situações bem determinadas de acordo com as informações disponíveis. Capacidade de diferenciação cinestética – é a capacidade de diferenciar as informações provenientes dos músculos, tendões e ligamentos, que nos informam sobre a posição do nosso corpo num determinado momento e espaço e que nos permite realizar ações motoras de uma forma correta e económica, conseguindo assim a coordenação dos movimentos. Capacidade de coordenação motora – é a capacidade de adequar de forma correta uma combinação de ações que se desenrolam de uma forma sequencial ou ao mesmo tempo. Capacidade de equilíbrio – é a capacidade de manter o corpo numa relação normal quanto ao solo, desenvolvendo reflexos para adaptar o corpo ao movimento. Capacidade de orientação espacial – é a capacidade de reagir a um estímulo externo em termos de deslocação ou de estabilização da postura. Capacidade de expressão motora Capacidade de equilíbrio Joana Martins 10ºH Nº12 11
  • 12. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Benefícios do desenvolvimento das capacidades motoras no dia-a-dia do Homem Os benefícios são: Redução do risco de doenças cardiovasculares; Redução de diabetes e hipertensão; Redução de alguns tipos de cancro; Melhoria da capacidade funcional; Melhoria da postura; Melhoria da aptidão para as atividades físicas diárias; Capacidade para lidar com as situações de stress; Aumento da esperança média de vida; Prevenção da osteoporose; Melhoria do humor, redução dos sintomas de depressão e ansiedade; Manutenção do peso ideal, prevenindo a obesidade; Sono mais repousante; Retardo do processo de envelhecimento; Facilita o metabolismo de açúcares e gorduras; Menor queixa de dores de coluna; O desenvolvimento das capacidades motoras no dia-a-dia do homem conferem num melhor bem-estar, menor cansaço, mais energia sendo que o desenvolvimento das mesmas melhora o dia-a-dia do homem e já da para prevenir algumas patologias associadas a falta de exercício, sendo que o homem está numa constante melhoria das mesmas por exemplo quando corremos para apanhar o autocarro estamos a melhorar a velocidade e a resistência, e isso é uma coisa que acontece espontaneamente no nosso diaa-dia e que sem notarmos estamos a melhorar a nossa condição física. Joana Martins 10ºH Nº12 12
  • 13. Escola Secundária de Rio Tinto Educação Física 8/12/2012 Conclusão: Após este trabalho posso concluir que fiquei a saber a importância das capacidades motoras na nossa vida, ou seja, a importância do desenvolvimento das capacidades motoras tais como a sua importância e a sua função. Aprendi quais são as capacidades motoras, as suas funções, como se pode melhorar cada uma das capacidades. Com este trabalho aprendi muito, pois fiquei a saber coisas muito úteis para o meu dia-adia que me vão dar mais interesse e energia para fazer e continuar a fazer exercício físico. Bibliografia: http://pt.scribd.com/doc/31154125/Capacidades-Motoras ; http://pt.wikipedia.org/wiki/Capacidade_motora ; http://www.notapositiva.com/pt/trbestprof/apoiopsicossocial/10_actividades_fisicas_saude _d.htm ; https://www.google.pt/search?num=10&hl=ptPT&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1280&bih=662&q=capacidades+coordenativa s&oq=capacidades+coor&gs_l=img.3.1.0l3j0i24l7.900.2918.0.6601.16.16.0.0.0.0.238.164 7.10j5j1.16.0...0.0...1ac.1.44NSmfMFdjY#hl=ptPT&tbo=d&site=imghp&tbm=isch&sa=1&q=capacidade+de+express%C3%A3o+motora&o q=capacidade+de+express%C3%A3o+motora&gs_l=img.3...16577.19158.2.19167.16.12. 0.3.3.1.472.1485.6j2j1j0j1.10.0...0.0...1c.1.1hl4OT_IH8&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.&fp=efd0fc05c02cc03&bpcl=39650382 &biw=1280&bih=699 ; https://www.google.pt/search?num=10&hl=ptPT&site=imghp&tbm=isch&source=hp&biw=1280&bih=662&q=capacidades+coordenativa s&oq=capacidades+coor&gs_l=img.3.1.0l3j0i24l7.900.2918.0.6601.16.16.0.0.0.0.238.164 7.10j5j1.16.0...0.0...1ac.1.44NSmfMFdjY#hl=ptPT&tbo=d&site=imghp&tbm=isch&sa=1&q=capacidades+motoras+&oq=capacidades+mot oras+&gs_l=img.3..0l6j0i24l4.17561.19748.0.19944.10.5.0.5.5.0.204.549.4j0j1.5.0...0.0...1 c.1.ZkPL06zamU&pbx=1&bav=on.2,or.r_gc.r_pw.r_cp.r_qf.&fp=efd0fc05c02cc03&bpcl=39650382&biw= 796&bih=325 ; Joana Martins 10ºH Nº12 13