A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE - LIÇÃO 3 - 3ºTRI.2014

573 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
573
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A IMPORTÂNCIA DA SABEDORIA HUMILDE - LIÇÃO 3 - 3ºTRI.2014

  1. 1. Assembléia de Deus Ministério Shekinah
  2. 2. Assembléia de Deus Ministério Shekinah TEXTO ÁUREO “Não desampares a sabedoria, e ela te guardará; ama-a e ela te conservará" (Pv 4.6).
  3. 3. Assembléia de Deus Ministério Shekinah VERDADE PRÁTICA A sabedoria que procede de Deus é humilde, por isso, equilibra o crente em todas as circunstâncias da vida.
  4. 4. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Segunda Tg 4.3 “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites”. Oração com propósito sábio Terça Pv 3.35 “Os sábios herdarão honra, mas os loucos tomam sobre si confusão”. A sabedoria resulta em honra Quarta Pv 16.16 “Quanto melhor é adquirir a sabedoria do que o ouro! E quanto mais excelente, adquirir a prudência do que a prata”! A sabedoria é a maior riqueza Sexta Pv 3.21b “guarda a verdadeira sabedoria e o bom siso”. A sabedoria inclui a prudência Quinta Cl 4.5 “Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo”. A sabedoria com os não-crentes Sábado 2Cr 1.10 “Dá-me, pois, agora, sabedoria e conhecimento, para que possa sair e entrar perante este povo; porque quem poderia julgar a este teu tão grande povo”? Deus dá sabedoria a quem o pede
  5. 5. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Tg 1.5 5-E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e não o lança em rosto; e ser-lhe-á dada. Tg 3.13-18 13-Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria. 14-Mas, se tendes amarga inveja e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. 15-Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. 16-Porque, onde há inveja e espírito faccioso, aí há perturbação e toda obra perversa. 17-Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois, pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia. 18-Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz.
  6. 6. Assembléia de Deus Ministério Shekinah 1 – A NECESSIDADE DE PEDIRMOS SABEDORIA A DEUS (Tg 1.5) 1.1 A sabedoria que vem de Deus. 1.2 Deus é o doador da sabedoria. 1.3 Peça a Deus sabedoria. 2 – A DEMONSTRAÇÃO PRÁTICA DA SABEDORIA HUMILDE (Tg 3.13) 2.1 A sabedoria colocada em prática. 2.2 A humildade como prática cristã. 2.3 Obras em mansidão de sabedoria. 3 – O VALOR DA VERDADEIRA SABEDORIA E A ARROGÂNCIA DO SABER CONTENCIOSO (Tg 3.14-18) 3.1 Administrando a sabedoria. 3.2 Sabedoria verdadeira e a arrogância do saber. 3.3 Atitudes a serem evitadas.
  7. 7. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Nesta lição estudaremos os ensinamentos da Palavra de Deus acerca da importância da sabedoria divina para o nosso viver diário. Tiago inicia a temática em tom de exortação, enfatizando a necessidade da sabedoria divina como condição básica de levar a igreja a viver a Palavra de Deus com alegria, coerência, segurança e responsabilidade. E isso tudo sem precisar fugir das tribulações ou negar que o crente passa por problemas. A nossa expectativa é que você abrace o estilo de vida proposto pelo Santo Espírito nesta carta. Não fugindo da realidade da vida, mas enfrentando-a com sabedoria do alto e na força do Espírito Santo.
  8. 8. Assembléia de Deus Ministério Shekinah O termo grego para a palavra sabedoria é “sophia” que pode referir-se: a) Habilidade nas questões da vida, sabedoria prática, administração sábia e sensata, como exibida na formação dos melhores planos e na escolha dos melhores meios, incluindo a ideia de juízo sensato e bom senso (Lc 21.15; At 6.3; 7.10; Cl 1.28; 3.16; 4.5); b) A sabedoria divina, incluindo as noções de habilidade infinita, discernimento, conhecimento, pureza (Rm 11.33; I Co 1.21,24; Ef 1.8; 3.10; Cl 2.3; Ap 5.12; 7.12), bem como a sabedoria divina, revelada e manifestada em Cristo e no seu evangelho (Mt 11.19; Lc 7.35; 11.49). “A sabedoria é a capacidade espiritual de ver e avaliar nossa vida e conduta do ponto de vista de Deus. Inclui fazer escolhas acertadas e praticar as coisas certas de conformidade com a Palavra de Deus e na direção do Espírito Santo (Rm 8.4-17). Podemos receber sabedoria indo a Deus e pedindo-lhe com fé (Tg .6-8; Pv 2.6; I Co 1.30)”. (STAMPS, 1995, p. 1926). “Ter sabedoria é pensar bem e agir bem em qualquer empreendimento realizado, seja secular ou espiritual” (CHAMPLIN, 2004, p. 7).
  9. 9. Assembléia de Deus Ministério Shekinah 1. A sabedoria que vem de Deus. 2. Deus é o doador da sabedoria. 3. Peça a Deus sabedoria.
  10. 10. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Tiago fala da sabedoria que vem do alto para distingui-la da humana, de origem má (Tg 3.13-17). Irrefutavelmente, a sabedoria que vem de Deus é o meio pelo qual o homem alcança o discernimento da boa, agradável e perfeita vontade divina (Pv 2.10-19; 3.1-8,13-15; 9.1-6; Rm 12.1,2). Sem esta sabedoria, o ser humano vive à mercê de suas próprias iniciativas, dominado por suas emoções, sujeitando-se aos mais drásticos efeitos das suas reações. Enfim, a Palavra de Deus nos orienta a vivermos com prudência. Todavia, quando nos achamos em meio às aflições é possível que nos falte sabedoria. Por isso, o texto de Tiago revela ainda a necessidade de o crente desenvolver-se, adquirindo maturidade espiritual. Provérbios 2:10-12 Pois quando a sabedoria entrar no teu coração, e o conhecimento for agradável à tua alma, O bom siso te guardará e a inteligência te conservará; Para te afastar do mau caminho, e do homem que fala coisas perversas;
  11. 11. Assembléia de Deus Ministério Shekinah A natureza da sabedoria divina A natureza da sabedoria divina é apresentada nas Escrituras como “a sabedoria que vem do alto”, ou seja, um dom concedido pelo próprio Deus àqueles que o pedem com fé (Tg 1.5). Em Provérbios 15.33, encontramos que o “temor do Senhor é a instrução da sabedoria”. Sendo assim, a sua essência está em Deus, que a possuiu “no princípio de seus caminhos, antes das suas obras mais antigas”, “desde a eternidade, desde o princípio, antes do começo da terra” (Pv 8.22-23). A sabedoria de Deus é uma dádiva concedida e sem arrependimento, pois “nEle não há mudança, nem sombra de variação” (Tg 1.17). É oferecida por meio de seu Espírito Santo e é ela que “ilumina os olhos do entendimento e permite a compreensão da esperança presente no salvo, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos e a sobreexcelente grandeza do poder divino sobre os que creem, segundo a operação da força do Seu poder, que manifestou em Cristo” (Ef 1.17-18). Desta forma, podemos notar que a sabedoria de Deus é manifestada aos homens, tornando possível uma vida em que a ética, baseada na Palavra de Deus, orienta a humanidade para que esta mantenha um relacionamento verdadeiro com o Criador e com o seu próximo.
  12. 12. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Características da sabedoria terrena A “sabedoria humana”, de acordo com Tiago, possui ao menos três características: é terrena, animal e diabólica (cf. Tg 3.15). Entretanto, é preciso compreender que tipo de sabedoria pode ser classificada de forma tão negativa pelo meio irmão do Senhor. Conforme afirma Timothy B. Cargal, “os três adjetivos indicam: a) Ela é terrena; Tiago deixa claro que ela não se origina do Pai das Luzes, e, portanto não pode ser um dom perfeito e bom (1.17); b) Ela não é espiritual (no grego, psychikos). Essa palavra não sugere que a assim chamada “sabedoria” se oponha às coisas espirituais de per si, mas que ela se origina da ‘alma’ humana (em grego psyche) e não do Espírito de Deus (cf. a ligação que João faz com o Espírito e de ter ‘nascido do alto’, Jo 3.5-8); c) Essa falsa ‘sabedoria’ é, principalmente, ‘diabólica’ (no grego daimoniodes, literalmente ‘demoníaca’). Utilizando este termo, Tiago não está dizendo que ela seja do ‘demônio’, no sentido de ter se originado dele, mas que é demoníaca em sua qualidade. Essa assim chamada ‘sabedoria’ tem sua verdadeira natureza exposta pelo fato de resultar em ‘perturbação e toda obra perversa’ (v. 16). Ao invés de ser uma sabedoria genuína, é simplesmente igual à mesma concupiscência que dá à luz ao pecado (1.14,15), a respeito do qual Tiago anteriormente já preveniu seus leitores” (Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp.1679-80).
  13. 13. Assembléia de Deus Ministério Shekinah O texto bíblico não detalha a maneira pela qual Deus concede sabedoria. Tiago apenas afirma que o Altíssimo a dá. Juntamente com a súplica pela sabedoria que fazemos ao Pai em oração, a epístola fornece riquíssimos ensinamentos (v.5): a) O Senhor é que dá sabedoria. Jesus ensina que o Pai atende às orações daqueles que o pedirem (Mt 7.7,8). b) O Senhor dá todas as coisas. Neste sentido, dizem as Sagradas Escrituras: "Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes, o entregou por todos nós, como nos não dará também com Ele todas as coisas?" (Rm 8.32 cf. Jó 2.10). c) O Senhor dá a todos os homens. Ele não faz acepção de pessoas (At 10.34; Rm 2.11; Ef 6.9; Tg 2.1,9). d) O Senhor dá liberalmente. É de graça! Nosso Deus não vende bênçãos apesar de pessoas, em seu nome, "comercializá-las". e) O Senhor dá sem lançar em rosto. A expressão é sinônima do adágio popular "jogar na cara". O Pai Celeste não age dessa forma.
  14. 14. Assembléia de Deus Ministério Shekinah “Ter sabedoria é pensar bem e agir bem em qualquer empreendimento realizado, seja secular ou espiritual” (CHAMPLIN, 2004, p. 7). Vejamos o que a Bíblia diz sobre a sabedoria: 1-A sabedoria é um atributo divino (I Rs 3.28; Dn 2.20; Sl 104.24; Rm 11.33); 2-Jesus é a personificação da sabedoria (I Co 1.24,30; Cl 2.3); 3-A sabedoria é uma dádiva de Deus aos homens (Dt 34.9; Ed 7.25; Pv 2.6,7); 4-Ela pode ser dada a alguém para confecção de objetos e utensílios (Êx 31.3,6; 35.31,35; 36.1,2); 5-O temor do Senhor é o princípio da sabedoria (Jó 28.28; Sl 111.10; Pv 9.10); 6-A obediência consiste em obedecer aos mandamentos divinos (Dt 4.6); 8-A Palavra de Deus dá sabedoria (Sl 19.7; 119.98; Pv 8.33; Cl 3.16); 9-É bem aventurado quem a acha (Pv 3.13); 10-Somos exortados a buscá-la (Pv 4.5,7; 23.23; Tg 1.5); 11-Ela é mais valiosa que pedras preciosas (Pv 8.11; 16.16).
  15. 15. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Ainda no versículo cinco, Tiago estimula-nos a fazermos as seguintes perguntas: Falta-nos sabedoria espiritual? Sentimental? Emocional? Nos relacionamentos? Caso ache em si falta de sabedoria em alguma área, não desanime! Peça-a a Deus, pois é Ele quem dá liberalmente. E mais: não lança em rosto! Ouça as Escrituras e ponha em prática este ensinamento. Fazendo assim, terás sabedoria do alto.
  16. 16. Assembléia de Deus Ministério Shekinah O caráter cristão é moldado através da sabedoria que vem do alto Tiago conclui a sua exposição sobre a sabedoria dizendo: “O fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz” (Tg 3.18). A verdadeira sabedoria realça a sua beleza no caráter cristão de forma pacífica e moderada. Como já vimos anteriormente, “Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria” (Tg 3.13). Vemos aqui que o comportamento cristão é resultado da sabedoria que rege a conduta, não de uma forma legalista, mas o próprio ensino proporcionado pelo Espírito Santo traz à luz do entendimento tudo o que é bom, perfeito e agradável aos olhos de Deus. A conduta cristã passa a ter a beleza de Cristo espelhada na vida daqueles que adquirem a sabedoria, tal como nos diz Pv 1.2-5. A sabedoria vem de Deus. Nós temos a necessidade de pedirmos a Ele, pois o Altíssimo é o doador. “Caso ache em si falta de sabedoria em alguma área, não desanime! Peça a Deus, pois é Ele quem dá liberalmente”. Eliezer de Lima
  17. 17. Assembléia de Deus Ministério Shekinah 1. A sabedoria colocada em prática. 2. A humildade como prática cristã. 3. Obras em mansidão de sabedoria.
  18. 18. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Tiago conclama os servos de Deus, mais notadamente aqueles que exercem alguma liderança na igreja local, a demonstrarem sabedoria divina através de ações concretas (Dt 1.13,15; 4.6; Dn 5.12). A sabedoria é a virtude que devemos buscar e cultivar em nossos relacionamentos neste mundo (Mt 5.13-16). O tempo do verbo "mostrar", utilizado por Tiago em 3.13, indica uma ação contínua em torno da finalidade ou do resultado de uma obra. Desta maneira, a Bíblia está determinando uma atuação cristã que promova as boas obras no relacionamento humano. Deuteronômio 1:13 Tomai-vos homens sábios e entendidos, experimentados entre as vossas tribos, para que os ponha por chefes sobre vós. Daniel 5:12 Porquanto se achou neste Daniel um espírito excelente, e conhecimento, e entendimento, interpretando sonhos e explicando enigmas, e resolvendo dúvidas, ao qual o rei pôs o nome de Beltessazar. Chame-se, pois, agora Daniel, e ele dará a interpretação.
  19. 19. Assembléia de Deus Ministério Shekinah SABEDORIA, MANSIDÃO E PRÁTICA Tendo visto exemplos de mansidão como Moisés e Jesus, olhemos para o desafio pessoal de andar em Suas pegadas: Vivemos para receber a Palavra de Deus com mansidão (prautēs): “Pelo que, despojando- vos de toda sorte de imundícia e de todo vestígio do mal, recebei com mansidão a palavra em vós implantada, a qual é poderosa para salvar as vossas almas” (Tiago 1:21). Devemos nos aproximar de irmãos em engano com um espírito de mansidão (prautēs): “Irmãos, se um homem chegar a ser surpreendido em algum delito, vós que sois espirituais corrigi o tal com espírito de mansidão; e olha por ti mesmo, para que também tu não sejas tentado” (Gálatas 6:1). Devemos corrigir aqueles que estão em oposição com humildade (prautēs): “E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim ser brando para com todos, apto para ensinar, paciente; corrigindo com mansidão os que resistem, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento para conhecerem plenamente a verdade” (2 Timóteo 2:24-25). Vivemos para responder perguntas relacionadas com nossa esperança, com mansidão (prautēs): “Antes santificai em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (1 Pedro 3:15).
  20. 20. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Instruída pela Palavra de Deus, a humildade cristã promove as boas obras na vida do crente (Tg 1.17-20; cf. Mt 11.29; 5.5). Quem é portador dessa humildade revela a verdadeira sabedoria, produzindo para si alegria e edificação (Mt 5.16). A fim de redundar em honra e glória ao nome do Senhor Jesus, a humildade deve ser uma virtude contínua. Isso a torna igualmente uma porta fechada para o crente não retornar às velhas práticas. O homem natural, dominado pelo pecado, não tem o temor de Deus nem o compromisso de viver para a honra e glória dEle. Porém, o que nasceu de novo e, portanto, "ressuscitou com Cristo", busca ajuda do alto para viver em plena comunhão e humildade com o seu semelhante (Cl 3.1-17). Mateus 11:29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas
  21. 21. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Segundo Aurélio, humildade significa: “ausência completa de orgulho, rebaixamento voluntário por um sentimento de fraqueza ou respeito; praticar a humildade, modéstia, pobreza”. É o mesmo que ausência de orgulho, soberba ou vaidade. O termo deriva-se do hebraico “ãnãw”, que quer dizer “humilde” e “ãnãwâ” que significa “humildade” (Jó 22.29; Sl 10.12; 138.6; Pv 11.2; 14.21; 15.33; 16.19; 18.12). Nas páginas do Novo Testamento o termo é “tapeinos”, que também significa “humilde” (Mt 11.29; Lc 1.52; Rm 12.16; II Co 7.6; Tg 4.6; I Pe 5.5). Vejamos alguns ensinos bíblicos sobre a humildade:Ela é necessária para quem deseja servir a Deus (Mq 6.8); •É uma das principais virtudes dos santos (Sl 34.2; Pv 16.19; Mt 5.3; Ef 4.1,2); •A humildade precede a honra (Pv 15.3; 22.4); •Deus responde as orações dos humildes (Sl 9.12; 10.17); •Os humildes desfrutam da presença de Deus (Is 57.15); •Deus livra os humildes de seus inimigos (Jó 22.29); •A humildade afasta os juízos divinos (II Cr 7.14; 12.6,7); •Os humildes recebem maior graça (Pv 3.34; Tg 4.6);
  22. 22. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Vivemos em um tempo onde as pessoas se aborrecem por pouca coisa, onde tudo é motivo para desejar o mal ao outro. Vemos descontrole no trânsito, o destempero na fila, a pouca cordialidade com o colega de trabalho e coisas afins. Parece que as pessoas não convivem espontaneamente com as outras. Apenas se toleram! Nesse contexto, o ensino de Tiago é de sobremodo relevante: "Mostre, pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria" (v.13). Amor, cordialidade e solidariedade são valores éticos absolutos reclamados no Evangelho. Ouçamos a sua voz!
  23. 23. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Exemplos: Abigail. Sua sabedoria humilde fez com que Davi poupasse a sua vida e de sua família (I Sm 25.1-35); Uma mulher anônima. Sua sábia e humilde atitude fez com que Joabe poupasse uma cidade (II Sm 20.15-22); Um sábio anônimo. Com sua sabedoria ele livrou a sua cidade de um grande e poderosos exército (Ec 9.14,15); Daniel. Ele era mais sábio do que todos em Babilônia; mas, atribuía sua sabedoria a Deus (Dn 1.17-20; 2.23-30); Jesus. Sua sabedoria causava admiração em todos que lhe ouviam (Mt 13.54; Mc 6.2). E, mesmo sendo Senhor e mestre, ele lavou os pés dos discípulos (Jo 13.1-7); e, humilhou-se até a morte (Mc 10.45; Jo 13.1-12; Fp 2.5-11); Paulo. Em suas epístolas, ele deixou bem claro que pregou e ensinou de acordo com a sabedoria de Deus (I Co 2.6,7). O próprio Pedro reconheceu esta verdade (II Pe 3.15); Tiago. Mesmo sendo irmão de Jesus, identificou-se como “servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo” (Tg 1.1). A sabedoria deve ser colocada em prática como uma ação concreta através da humildade. “Amor, cordialidade e solidariedade são valores éticos absolutos reclamados no evangelho”. Eliezer de Lima
  24. 24. Assembléia de Deus Ministério Shekinah 1. Administrando a sabedoria. 2. Sabedoria verdadeira e a arrogância do saber. 3. Atitudes a serem evitadas.
  25. 25. Assembléia de Deus Ministério Shekinah A sabedoria mencionada por Tiago assinala a vontade de Deus para a vida do crente. Uma vez dada por Deus, tal sabedoria constitui-se parte da natureza do crente. É resultado do novo caráter lapidado pelo Espírito Santo. É um novo pensar, um novo sentir, um novo agir. Deus dá ao homem essa sabedoria para que ele administre as bênçãos, os dons e todas as esferas de relacionamentos da vida humana. Quando Jesus de Nazaré expressou "assim brilhe a vossa luz diante dos homens" (Mt 5.16), Ele estava refletindo sobre o propósito divino de o crente viver a inteireza do Reino de Deus diante dos homens.
  26. 26. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Administração é a habilidade dada por Deus de dar direção e tomar decisões em favor de outros, que resultam em operação eficiente e no alcance de metas. A administração inclui a habilidade de organizar pessoas, coisas, informações, finanças, etc. Freqüentemente a marca de um administrador é a habilidade de executar coisas de um modo "decente e ordenado" (1 Coríntios 14:40) Administradores freqüentemente têm um olho aguçado para detalhes. Eles também podem possuir os talentos naturais de organização, observação e atenção a detalhes, solução de problemas, e capacidade de raciocínio.
  27. 27. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Há pessoas orgulhosas que, por se julgarem sábias, não admitem serem aconselhadas ou advertidas. Sobre tais pessoas as Escrituras são claras (Jr 9.23). Entre os filhos de Deus não há uma pessoa que seja tão sábia que possa abrir mão da necessidade de aconselhar-se com alguém. O livro de Provérbios descreve que há sabedoria e segurança na multidão de conselheiros, pois do contrário: o povo perece (11.14). O rei Salomão orou a Deus pedindo-lhe sabedoria para entrar e sair perante o povo judeu (2 Cr 1.10). Disto podemos concluir que lidar com o povo sem depender dos sábios conselhos de Deus é um pedantismo trágico para a saúde espiritual da igreja. Portanto, leve em conta a sabedoria divina! É um bem indispensável para os filhos de Deus. Para quem sente falta de sabedoria, Tiago continua a aconselhar: "peça-a a Deus".
  28. 28. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Um dos grandes ardis que Satanás tem colocado para tentar fazer fracassar os servos do Senhor tem sido, precisamente, o sentimento de autossuficiência que nos faz sentir que não precisamos mais de Deus, que temos condição de resolver as coisas sem a necessidade de recorrer ao Senhor. A multiplicação da ciência, o desenvolvimento tecnológico, os avanços sociais, enfim, uma série de fatores traz a ilusão de que o homem pode resolver senão tudo, boa parte das coisas sem precisar do Senhor, sem recorrer a Ele e tal circunstância é, como já dissemos, pura ilusão, visto que o homem, por ser criatura, depende e dependerá de Deus em todas as coisas. Tiago deixa isto bem claro ao mostrar que é próprio do ser humano a imperfeição, devendo, pois, Ele sempre recorrer ao Senhor para ter condições de superar as dificuldades desta vida e poder, assim, alcançar a perfeição. Jr 9.23 Assim diz o SENHOR: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas. Pv 13.1 O filho sábio atende à instrução do pai; mas o escarnecedor não ouve a repreensão.
  29. 29. Assembléia de Deus Ministério Shekinah "Onde há inveja e espírito faccioso, aí há perturbação e toda obra perversa" (v.16). Aqui o autor da epístola descreve o resultado de uma "sabedoria" soberba e terrena. Classificando tal sabedoria, Tiago utiliza dois termos fortíssimos, afirmando que ela é "animal" e "diabólica". Animal, porque é acompanhada por emoções oriundas de um instinto natural, primitivo, irracional e carnal, sendo por isso destituída de qualquer preocupação espiritual. Diabólica, porque o nosso adversário inspira pessoas a transbordarem desejos que em nada se assemelham aos que são oriundos do fruto do Espírito, antes, são sentimentos egoísticos, que se identificam com as obras da carne (2 Tm 4.1-3; Gl 5.19-21). Atitudes que trazem contenda, facções, divisão, gritarias e irritabilidade devem ser evitadas em nossa família, em nossa igreja ou em quaisquer lugares onde nos relacionarmos com o outro. O Senhor nos chamou para paz e não para confusão. Vivamos, pois uma vida cristã sábia e em paz com Deus!
  30. 30. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Quando não nos entregamos totalmente ao Senhor, quando não nos submetemos a Ele, não temos condição de ser constantes e firmes e, em virtude disto,passamos a não ter qualquer progresso espiritual. É, por isso, que Tiago afirma que “o homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos” (Tg.1:8). “Ter o coração dobre” é, no texto original, “ter a alma dupla”, expressão que, como ensina o comentarista da Bíblia de Jerusalém, “…essa divisão interior [que] supõe a psicologia rabínica, em que dois impulsos ou tendências, um mau e outro bom, disputam sem cessar (fundada sobre Gn.8:21 e s.; Gn.6:5 (…) Rm.7). Opõe -se à ‘simplicidade’ do coração e à firmeza de atitude que dela resulta” (BÍBLIA DE JERUSALÉM nota e, p.2107). O valor da verdadeira sabedoria reflete a humildade; a arrogância, o orgulho, a soberba e a altivez à sabedoria terrena e diabólica “A sabedoria divina não só garante a saúde espiritual entre os irmãos, mas a emocional ea psíquica”. Eliezer de Lima
  31. 31. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Subsídio Teológico "Embora Paulo não tenha pregado de acordo com a sabedoria do mundo, todavia ele pregou a sabedoria oculta de Deus que só pode ser discernida quando Deus dá ao homem a direção e a ajuda do Espírito Santo (1 Co 2.7-14). Deus deseja que o homem tenha e conheça sua sabedoria (Tg 1.5). Ela é espiritual e consiste no conhecimento de sua vontade (Cl 1.9; Ef 1.8,9). Ela é 'do alto' e é contrastada com a sabedoria terrena e humana deste mundo, que pode até ser inspirada pelos demônios (Tg 3.13-17; cf. Cl 2.23; 1 Co 3.19,20; 2 Co 1.12). A sabedoria de Deus deve ser revelada ou 'dada' aos homens (Rm 11.33,34; 2 Pe 3.15; Lc 21.15). Isto pode ser conferido pela Palavra de Deus e pelo ensino humano dela (Cl 3.16; 1.28; Ap 13.18; 17.9). Como no caso da sabedoria (heb. hokma) do livro de Provérbios, ela permite que o crente saiba como agir em relação às outras pessoas, e aproveitar ao máximo as suas oportunidades espirituais (Cl 4.5) (PFEIFFER, Charles F.; VOS, Howard, F. Dicionário Bíblico Wycliffe. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p.1712).
  32. 32. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Subsídio Exegético "As Ações Revelam as Origens da Sabedoria (3.13-18). O retrato que Tiago nos oferece daquilo que é considerado como 'sabedoria' pela maioria das pessoas é bastante perturbador, mas precisamos ser cuidadosos para não entendermos erroneamente. Ele não está sugerindo que não exista qualquer coisa boa na humanidade (lembremos de seu aviso de que fomos 'feitos à semelhança de Deus', 3.9). O problema com essa sabedoria 'terrena, animal e diabólica' é que tem sua origem na alma humana. Sendo assim, participa dos desejos divididos dos 'inconstantes'; é capaz de fazer o bem ('bendizer a Deus e Pai', 3.9), mas também de muitas vezes levar a 'toda obra perversa'. Quando nossa 'sabedoria' é simbolizada pela 'mansidão' (v.13), que reconhece que sua principal origem está em Deus (1.5,21) e não em nós mesmos (como resultado de nossa egoísta ambição', vv.14,16) então os bons desejos existentes dentro de nós, por termos sido criados à semelhança de Deus, unem-se à Sua vontade em uma vida correta, e de bom trato (v.13). Tiago se volta às qualidades que simbolizam o 'bom trato' nos versos 17 e 18.
  33. 33. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Subsídio Exegético A lista de características e virtudes que Tiago nos oferece aqui é semelhante à descrição que Paulo faz do 'fruto do Espírito' (Gl 5.22,23; cf. Tg 3.17). Tanto Paulo como Tiago enfatizam que essas características devem ser a consequência natural de uma vida renovada por Deus. O que há de particular interesse nessa lista de Tiago é o número de termos que expressam diretamente ações ao invés de simples qualidades. Aqueles que têm em si mesmos a sabedoria que vem da Palavra que foi neles 'enxertada' (1.21), não são apenas 'amantes da paz', mas também 'pacificadores'. São atenciosos com os seus semelhantes e não procuram apenas satisfazer sua ambição egoísta. São submissos à vontade de Deus ao invés de serem 'atraídos e engodados pela sua própria concupiscência' (veja 1.14). Seus atos são misericordiosos (cf. 2.12,13), são imparciais e sinceros e não como aqueles que demonstram favoritismo (2.1,9). O resultado de viver de acordo com a 'sabedoria que vem do alto' é uma safra de virtudes (cf. 2.21-23)" (STRONSTAD, Roger; ARRINGTON, French L. (Eds.) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, p.1680).
  34. 34. Assembléia de Deus Ministério Shekinah Revista CPAD Após estudarmos o tema "sabedoria humilde" é impossível ao crente admitir a possibilidade de vivermos a vida cristã em qualquer esfera humana sem depender da sabedoria do alto. A sabedoria divina não só garante a saúde espiritual entre os irmãos, mas da mesma maneira, a emocional e psíquica. Ela estabelece parâmetros para o convívio social sadio ao mesmo tempo em que nos previne para que não caiamos nos escândalos e pecados que entristecem o Espírito Santo. Ouçamos o conselho de Deus. Que possamos viver de forma sóbria, justa e piamente (Tt 2.12).
  35. 35. Assembléia de Deus Ministério Shekinah 1. Qual é o meio pelo qual o homem alcança o discernimento da boa, agradável e perfeita vontade divina? R. A sabedoria que vem de Deus. 2. Sem sabedoria do alto, divina, como viveria o ser humano? R. Sem esta sabedoria, o ser humano viveria à mercê de suas próprias iniciativas, dominado por suas emoções, sujeitando-se aos mais drásticos efeitos das suas reações. 3. Quem Tiago conclama a demonstrar sabedoria divina através de ações concretas? R. Tiago conclama os servos de Deus, mais notadamente aqueles que exercem alguma liderança na igreja local, a demonstrarem a sabedoria divina através de ações concretas (Dt 1.13,15; 4.6; Dn 5.12). 4. O que indica o verbo mostrar utilizado por Tiago em 3.13? R. Indica uma ação contínua em torno da finalidade ou do resultado de uma obra. 5. Segundo a lição, qual é o propósito de Deus ao dar sabedoria ao homem? R. De o crente viver a inteireza do Reino de Deus diante dos homens.

×